Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
  • Save
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva

  • 2,874 views
Published

 

Published in Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
2,874
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
24

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
4

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. PESQUISA DE ABORDAGEMPESQUISA DE ABORDAGEM QUALITATIVA:QUALITATIVA: UMAUMA INTRODUÇÃOINTRODUÇÃO Profa. Rilva Lopes de Sousa Muñoz GrupoGrupo dede EstudosEstudos emem SemiologiaSemiologia MédicaMédica rilva@ccm.ufpb.br
  • 2. PesquisaPesquisa QualitativaQualitativa “Pesquisa Interpretativa” Métodos baseados principalmente emprincipalmente em descrições verbais obtidas em um determinado contexto social
  • 3. PesquisaPesquisa QualitativaQualitativa Estuda relações complexas ao invés de explicá-las por meio do isolamento de variáveisvariáveis A pesquisa qualitativa é baseada em textos: A coleta de dados produz textos que são analisados através de diferentes técnicas GÜNTHER, H. Pesquisa Qualitativa Versus Pesquisa Quantitativa: Esta é a Questão? Psicologia: Teoria e Pesquisa, 22 (2): 201-210, 2006
  • 4. PesquisaPesquisa QualitativaQualitativa A pesquisa qualitativa busca descobrir o que as pessoas pensam, e como se sentem - ou, pelo menos, o que dizem que pensam, e o que dizem sobre como se sentempensam, e o que dizem sobre como se sentem Este tipo de informação é subjetiva: envolve sentimentos e impressões, ao invés de números BELLENGER, D. B.; KENNETH, L.; Goldstucker, J. L. Qualitative research in marketing. Chicago: American Marketing Association, 1976.
  • 5. MétodoMétodo QualitativoQualitativo Difere, em princípio, do método quantitativo à medida que não emprega um instrumental estatístico como base do processo de análise Através da metodologia qualitativa, pode- se descrever a complexidade de determinado problema
  • 6. DiferençasDiferenças nasnas AbordagensAbordagens dede PesquisaPesquisa QUANTITATIVA Objetivo: quantificar os achados de uma amostra e generalizar QUALITATIVA Objetivo: obter uma compreensão mais profunda de amostra e generalizar estes resultados para a população de interesse Natureza dos dados: principalmente numérica profunda de comportamentos, pensamentos e sentimentos e significados Natureza dos dados: palavras de um texto
  • 7. DiferençasDiferenças nasnas AbordagensAbordagens dede PesquisaPesquisa QUANTITATIVA Amostra: grande Coleta de dados: QUALITATIVA Amostra: pequena Coleta de dados: nãoColeta de dados: estruturada, padronizada Análise dos dados: estatística Coleta de dados: não estruturada ou semi- estruturada Análise dos dados: análise temática, interpretação
  • 8. • Começa com uma pergunta geral • Não há hipótese pré-definida •Usa uma amostra por conveniência PesquisaPesquisa QualitativaQualitativa •Usa uma amostra por conveniência •Apresenta resultados de forma descritiva • Busca do significado das situações para as pessoas e os efeitos sobre suas vidas
  • 9. MÉTODO QUALITATIVO • A pesquisa qualitativa tem sido vista com “desconfiança” por pesquisadores daspor pesquisadores das Ciências Naturais, incluindo a Medicina: subjetividade, baixa validade externa
  • 10. Subjetividade do pesquisador Muito trabalho PrincipaisPrincipais CríticasCríticas àà AbordagemAbordagem QualitativaQualitativa Dificuldade para publicar Baixa relevância Não se generalizam os resultados
  • 11. Referencial teórico: Estudo não fundamentado na teoria; sem contribuição teórica; dados não bem conectados com a teoria PrincipaisPrincipais problemasproblemas de umde um artigoartigo dede pesquisapesquisa qualitativaqualitativa teoria Método: A pergunta da pesquisa não justifica uma abordagem qualitativa; seção de Métodos vaga e imprecisa Estilo da redação: A seção de resultados é confusa e prolixa; não organizada em torno de questões de pesquisa; difícil de compreender
  • 12. OO ParadigmaParadigma PositivistaPositivista aindaainda éé HegemônicoHegemônico nana CiênciaCiência...... • Salienta que a razão humana tem a supremacia • Supõe que há uma única verdade• Supõe que há uma única verdade objetiva que pode ser descoberta pela Ciência • Celebra a tecnologia
  • 13. Positivismo LógicoPositivismo Lógico O Positivismo reconhece como Ciência apenas a atividade “objetiva”, menosprezando os aspectos chamadosmenosprezando os aspectos chamados “subjetivos”, impossíveis de serem mensurados e sintetizados em dados estatísticos O indivíduo e a realidade são separados MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: Pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec, 1992
  • 14. • Paradigma não positivista: IInterpretativistanterpretativista ou Construtivistaou Construtivista (Fenomenológico)(Fenomenológico) • Os métodos adotados nas ciências naturais são Em oposição aoEm oposição ao Positivismo Lógico...Positivismo Lógico... • Os métodos adotados nas ciências naturais são inadequados para o estudo do mundo social • Os “atores sociais” são entendidos como indivíduos conscientes, apoiados nas normas sociais ao construir suas interações, e interpretam essas normas conforme os contextos específicos em que são empregadas
  • 15. ParadigmaParadigma NãoNão PositivistaPositivista • Uma forma de entendimento da realidade contrária à do paradigma positivista • O entendimento de mundo é• O entendimento de mundo é intencionalmente construído a partir da experiência de vida do indivíduo • O simbólico e a experiência subjetiva são enfocados e valorizados
  • 16. • Incorpora a questão do significado e da intencionalidade como inerentes aos atos e às relações PesquisaPesquisa QualitativaQualitativa inerentes aos atos e às relações sociais •A saúde não constitui um campo separado das outras instâncias da realidade social (MINAYO, 1992)
  • 17. “[...] a saúde e a doença envolvem uma complexa interação entre os aspectos físicos, psicológicos, sociais e PesquisaPesquisa QualitativaQualitativa aspectos físicos, psicológicos, sociais e ambientais da condição humana e de atribuição de significados” (MINAYO, 1992: 17) MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: Pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec, 1992
  • 18. PesquisaPesquisa QualitativaQualitativa Supera a ideia de que a pesquisa significa contagem O foco é sobre as experiênciasO foco é sobre as experiências subjetivas, ou os significados que as pessoas atribuem aos fatos O significado reside na linguagem (as pessoas pensam através da linguagem)
  • 19. MÉTODOS DE PESQUISAMÉTODOS DE PESQUISA QuantitativoQuantitativo vsvs QualitativoQualitativo Diferem não só pela sistemática, mas pela forma de abordagem do problema de pesquisapesquisa O método precisa ser apropriado ao tipo de estudo que se pretende realizar É o problema de pesquisa que determina a escolha do método
  • 20. Fornece insights sobre o problema ou ajuda a desenvolver hipóteses para o potencial da investigação PesquisaPesquisa qualitativaqualitativa comocomo estudoestudo exploratórioexploratório…… para o potencial da investigação quantitativa Descobre tendências de pensamento e opiniões para mergulhar mais fundo no problema
  • 21. PesquisaPesquisa QualitativaQualitativa A pesquisa qualitativa é tipicamente indutiva A pesquisa é reflexiva, de desenho flexívelA pesquisa é reflexiva, de desenho flexível e pode mudar devido às necessidades da investigação Trata-se de uma pesquisa rigorosa e difícil O pesquisador deve ser reflexivo A pesquisa é, muitas vezes, exploratória
  • 22. RACIOCÍNIO INDUTIVO ERACIOCÍNIO INDUTIVO E DEDUTIVODEDUTIVO
  • 23. ElementosElementos dodo ProcessoProcesso dede PesquisaPesquisa QuantitativoQuantitativo Raciocínio Dedutivo (Quantitativo) TEORIATEORIA HIPÓTESE OBSERVAÇÃO CORROBORAÇÃO
  • 24. Elementos do Processo de Pesquisa QualitativoQualitativo Raciocínio Indutivo (Qualitativo) OBSERVAÇÃOOBSERVAÇÃO MODELOS HIPÓTESES TEORIA
  • 25. MÉTODO QUALITATIVOMÉTODO QUALITATIVO Coleta de DadosColeta de Dados Entrevista aberta com, no máximo, alguns tópicos, mas sem nenhuma pergunta preconcebida:nenhuma pergunta preconcebida: não impor o ponto de vista do pesquisador O entrevistado expressa-se livremente a partir de uma questão norteadora
  • 26. MÉTODO QUALITATIVO Instrumentos de PesquisaInstrumentos de Pesquisa O roteiro de entrevista difere do sentido tradicional do questionário Questionário: questões fechadas, comQuestionário: questões fechadas, com pontos de partida que são referências do pesquisador Entrevista aberta: o informante discorre livremente sobre o tema que lhe é proposto
  • 27. MÉTODO QUALITATIVO:MÉTODO QUALITATIVO: Entrevistas não estruturadEntrevistas não estruturadas Entrevistas não estruturadas (não-diretivas): são abertas Um guia para que o pesquisador eUm guia para que o pesquisador e os entrevistados sigam: uma ou poucas questões norteadoras Cabe ao investigador o papel de ouvir e entender
  • 28. MÉTODO QUALITATIVO:MÉTODO QUALITATIVO: Entrevistas semiestruturadasEntrevistas semiestruturadas Entrevistas semiestruturadas: intermediárias entre as abertas e as fechadasfechadas Um roteiro com perguntas principais e, caso necessário, o pesquisador pode acrescentar uma questão não prevista, dependendo das respostas
  • 29. O pesquisador segue um conjunto de questões previamente definidas, mas o faz em um contexto semelhante ao de uma conversa informal EntrevistasEntrevistas –– MétodoMétodo QualitativoQualitativo NãoNão estruturadasestruturadas ee semiestruturadassemiestruturadas informal Elasticidade quanto à duração, permitindo uma cobertura mais profunda sobre determinados assuntos. Favorece as respostas espontâneas. BONI, V.; QUARESMA, J. Aprendendo a entrevistar: como fazer entrevistas em Ciências Sociais. EmTese 2 (3): 68-80, 2005.
  • 30. PesquisaPesquisa QualitativaQualitativa Quando usar métodos qualitativos? Quando as variáveis não podem ser quantificadasquantificadas Para estudar detalhes referentes a papéis, crenças, sentimentos, valores e grupos sociais Quando o objetivo primordial é a "compreensão"
  • 31. PesquisaPesquisa QualitativaQualitativa HabilidadesHabilidades necessáriasnecessárias aoao pesquisadorpesquisador Conhecimento de metodologia Conhecimento sobre a definição e a natureza do problema de pesquisa Conhecimento dos próprios preconceitos,Conhecimento dos próprios preconceitos, suposições, expectativas e valores Empatia, inteligência e disposição para ouvir Abertura para abraçar múltiplas realidades Disposição para elaborar relatórios detalhados e abrangentes, às vezes longos.
  • 32. Pesquisa Qualitativa Habilidades necessárias ao pesquisador Observação ConversaçãoConversação Participação Interpretação
  • 33. Selecionar elementos representativos da população-alvo Generalizar a partir da amostra para a Amostragem quantitativa AMOSTRAGEMAMOSTRAGEM QuantitativoQuantitativo vsvs QualitativoQualitativo Generalizar a partir da amostra para a população Selecionar elementos representativos do foco da pesquisa Gerar compreensão detalhada e subjetiva Construir teorias Amostragem qualitativa
  • 34. MétodosMétodos QualitativosQualitativos • Fenomenologia • História de vida • Etnografia• Etnografia • Estudo de caso • Observação participante • Pesquisa histórica
  • 35. MÉTODO QUALITATIVOMÉTODO QUALITATIVO FenomenologiaFenomenologia A Fenomenologia é a abordagem qualitativa de maior relevância na área de saúdede saúde Realidade social: o objeto é essencialmente qualitativo = gente, em determinada condição social, com suas crenças, valores e significados (MINAYO, 1992)
  • 36. MÉTODO QUALITATIVO FenomenologiaFenomenologia Na Fenomenologia, considera-se que “a cura se baseia em valores, símbolos e sistemas de significadossímbolos e sistemas de significados compartilhados nos seus grupos de referência” (p. 61) MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: Pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec, 1992
  • 37. MÉTODO QUALITATIVO FenomenologiaFenomenologia O método fenomenológico opõe-se à corrente do Positivismo: Algo só pode serPositivismo: Algo só pode ser entendido a partir do ponto de vista das pessoas que estão vivenciando uma experiência – portanto, caráter subjetivo
  • 38. MÉTODO QUALITATIVO FenomenologiaFenomenologia O método fenomenológico pratica a HermenêuticaHermenêutica Hermes: Mitologia grega – ParaHermes: Mitologia grega – Para transmitir a mensagem dos deuses, Hermes tinha que entender a linguagem destes, e a dos mortais, para quem as mensagens se destinavam
  • 39. MÉTODO QUALITATIVO FenomenologiaFenomenologia A Hermenêutica busca a compreensão de significados Valoriza a Semiologia: estudo dosValoriza a Semiologia: estudo dos signos – sinais: busca do sentido pela via da interpretação A Fenomenologia não leva a um abandono do rigor
  • 40. MÉTODO QUALITATIVO Análise de ConteúdoAnálise de Conteúdo Estudo de textos Análise de uma comunicação, tanto associada aos significados quanto aosassociada aos significados quanto aos significantes “Tudo o que é dito ou escrito é susceptível a uma análise de conteúdo” BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.
  • 41. MÉTODO QUALITATIVO FenomenologiaFenomenologia Marco conceitual teórico-metodológico Estabelece os principais conceitos, categorias e noções com as quais se vaicategorias e noções com as quais se vai trabalhar Definem-se os pressupostos que orientarão o trabalho MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: Pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec, 1992
  • 42. Símbolos empregados – palavras ou temas, frases, expressões – classificação em categorias Técnica de pesquisa qualitativa: Análise de Conteúdo em categorias Leitura do “conteúdo manifesto” para deduzir o “conteúdo latente” Popularizada por Laurence Bardin (1977) BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.
  • 43. A análise de discurso é uma técnica da pesquisa qualitativa que propicia a interpretação das falas das pessoas Interpretação através de referenciais teóricos Técnica de pesquisa qualitativa: Análise de Conteúdo Interpretação através de referenciais teóricos Exemplos de Referenciais teóricos na perspectiva fenomenológica: Teoria das Representações Sociais Sistema de Cuidado à Saúde Conceito de itinerários terapêuticos Modelo de Comportamento de Doente
  • 44. ANÁLISE DE CONTEÚDO Discussão para o próximo semestre (2014.2) no GESME
  • 45. “Este estudo teve como objetivos identificar e analisar as representações e sentimentos vivenciados, os mecanismos de defesa e as estratégias desenvolvidas pelos trabalhadores de enfermagem no processo de enfrentamento da morte dos pacientes. Trata-se de um estudo qualitativo que utiliza a Teoria das Representações Sociais. Realizaram-se entrevistas SHIMIZU, H. E. Como os trabalhadores de enfermagem enfrentam o processo de morrer. Rev. bras. enferm; 60(3):257- 262, 2007 que utiliza a Teoria das Representações Sociais. Realizaram-se entrevistas semi-estrututrada com quatro técnicos e doze auxiliares de enfermagem que trabalham em UTIs. Para a análise dos dados optou-se pela técnica de análise de conteúdo, especificamente a análise temática. Os resultados evidenciam que os trabalhadores de enfermagem sofrem intensamente ao cuidar dos pacientes em processo de morrer. Para enfrentar o sofrimento quotidiano utilizam diversas estratégias e mecanismos de defesa, individuais e coletivas, como a negação, criação de rotinas, afastamento.”
  • 46. “Em um estudo qualitativo desenvolvido com 25 médicos, na cidade de Florianópolis (SC), no ano de 2001, o tema "interação médico-paciente" permeou a análise e discussão dos dados, representando uma importante dimensão na construção cotidiana de "ser médico" e na satisfação com a profissão. O objetivo deste artigo é resgatar este tema, esperando gerar GROSSEMAN, S.; PATRÍCIO, Z. A relação médico-paciente e o cuidado humano: subsídios para a promoção da Educação Médica. Rev. bras. educ. méd;28(2):99-104, . 2004. profissão. O objetivo deste artigo é resgatar este tema, esperando gerar reflexões, individuais e coletivas, que estimulem a revisão de atitudes durante a formação e a prática médica, visando promover a satisfação do paciente com o médico, a do médico com seu trabalho, bem como a satisfação do aluno com o docente e a do docente com sua prática pedagógica. Foram utilizados princípios da pesquisa qualitativa, com estudo de caso, a partir da análise de conteúdo dos dados empíricos de depoimentos dos participantes desse estudo, bem como dos dados da literatura. Percebe-se que o ensino médico não tem priorizado a abordagem de questões [...]
  • 47. “Estudo qualitativo com o objetivo de conhecer a comunicação da enfermeira com pacientes portadores de câncer fora de possibilidades de cura. Realizado em um hospital público, referência do Estado da Bahia para ações de controle do câncer. Participaram da pesquisa 12 enfermeiras que atuam na assistência do referido hospital. Os dados foram coletados mediante entrevistas gravadas entre abril e maio de RODRIGUES, M. C.; FERREIRA, E. D.; MENEZES, T. M. Comunicação da enfermeira com pacientes portadores de câncer fora de possibilidade de cura. Rev. enferm. UERJ;18(1):86- 91,2010 foram coletados mediante entrevistas gravadas entre abril e maio de 2007 e submetidos à análise de conteúdo de Bardin. Os resultados indicaram quatro categorias: comunicação como meio de interação; comunicação através da fala, gestos e toques; a experiência familiar modifica a atitude do profissional; dificuldades no processo de comunicação, que teve como subcategorias: a família, aceitação da morte pelos pacientes e a aceitação da morte pelas enfermeiras. Diante dos resultados, conclui-se ser imprescindível investimentos em técnicas para uma melhor formação, capacitação e treinamento dos profissionais de saúde em [...]”
  • 48. Objetivos: Avaliar como portadores de tuberculose pulmonar em tratamento narram suas experiências de doença, verificando-se, no seu discurso, as diferentes fases do “Comportamento de Enfermo”, interpretadas na perspectiva da análise de conteúdo proposta por Bardin. Métodos: Estudo qualitativo fundamentado na técnica da análise discursiva a partir de entrevistas com 16 pacientes com tuberculose pulmonar em tratamento MOURA, P. H. P. ; SOUSA-MUÑOZ, R. L. ; CANDEIA, R. M. . Busca de Tratamento por Portadores de Tuberculose Pulmonar: Estudo Qualitativo Baseado no Modelo “Comportamento de Enfermo”. Revista Brasileira Ciências da Saúde, 17: 19-28, 2013. entrevistas com 16 pacientes com tuberculose pulmonar em tratamento ambulatorial no Hospital de Doenças Infectocontagiosas Clementino Fraga em João Pessoa, Paraíba. O referencial teórico foi o enfoque “Comportamento de Doente” (Mechanic). Resultados: Observou-se busca tardia de atenção médica, procura inicial de hospitais gerais da cidade com atraso no diagnóstico e limitação para o trabalho como fator determinante da aceitação do papel de doente, e da necessidade de assistência médica. Ao receber o diagnóstico, observou-se temor pela possibilidade de contágio de familiares e estigma em relação ao diagnóstico. As causas para a tuberculose foram atribuídas ao estilo de vida, condições climáticas, trabalho e problemas emocionais [...]
  • 49. Quantitativo-Qualitativo: Oposição ou Complementaridade?
  • 50. “Não é fácil interpretar os símbolos ambíguos da fala humana. As palavras estão carregadas de sentido,palavras estão carregadas de sentido, mas como abrir as portas e janelas que levam ao coração das palavras?” (FRANCO, S. G. Hermenêutica e Psicanálise na Obra de Paul Ricoeur. São Paulo: Loyola, 1995, p. 12)