Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
Educação no Brasil e EAD
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Educação no Brasil e EAD

  • 2,908 views
Published

Educação no Brasil e EAD

Educação no Brasil e EAD

Published in Education , Business , Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
2,908
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
94
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Educomunicação em em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Educomunicação Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Educação no Brasil: indicadores, recursos humanos, infra- estrutura e o papel da EAD Prof. Dr. Richard Romancini
  • 2. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores gerais da educação no Brasil • Universalização recente do ensino fundamental (EF) – fim do século XX (Europa e EUA: séc. XIX e início do XX); • Fragilidades sistêmicas: a) baixo rendimento dos estudantes (avaliações internas), Fonte: Brasil: o estado de uma nação, 2006.
  • 3. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores gerais da educação no Brasil •Fragilidades sistêmicas: b) baixo rendimento dos estudantes e do sistema (avaliações internas): – IDEB (2007): EF1: média brasileira: 4,2 São Paulo: 4,3 EF2: média brasileira: 3,8 São Paulo: 3,9 O Ideb é calculado a partir de dois componentes: taxa de rendimento escolar (aprovação) e médias de desempenho nos exames padronizados aplicados pelo Inep. Os índices de aprovação são obtidos a partir do Censo Escolar, realizado anualmente, e as médias de desempenho utilizadas são as do Saeb. Tem escala até 10. Fonte: Mapa da Educação Brasileira, 2007.
  • 4. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores gerais da educação no Brasil • Fragilidades sistêmicas: c) baixo rendimento dos estudantes (avaliações entre países), Fonte: Brasil: o estado de uma nação, 2006.
  • 5. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores gerais da educação no Brasil • Fragilidades sistêmicas: d) elevados índices de reprovação e evasão escolar, que afetam sobretudo os mais pobres; Fonte: Brasil: o estado de uma nação, 2006.
  • 6. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores gerais da educação no Brasil • Taxa de analfabetismo (pop. acima de 15 anos): 10,4% (Chile: 4,3% e Argentina: 2,1%) (Brasil: o estado de uma nação, 2007); Fonte: Brasil: o estado de uma nação, 2006.
  • 7. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores gerais da educação no Brasil • Índices elevados de analfabetismo funcional: – A maioria dos brasileiros (64%) entre 15 e 64 anos que estudaram até a 4ª série atinge no máximo o grau rudimentar de alfabetismo, ou seja, localizam somente informações explícitas em textos curtos e efetuam operações matemáticas simples, mas não compreendem textos mais longos nem definem estratégias de cálculo para resolução de problemas Fonte: Inaf, 2007.
  • 8. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores gerais da educação no Brasil • Índices elevados de analfabetismo funcional: – 47% dos que cursaram ou estão cursando o Ensino Médio atingem o nível pleno de alfabetismo, esperado para este grau de escolaridade, outros 45% ainda permanecem no nível básico. – Somente entre aqueles que atingem ou completam o Ensino Superior observa-se uma maioria (74%) com pleno domínio das habilidades de leitura/escrita e das habilidades matemáticas. Fonte: Inaf, 2007.
  • 9. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores gerais da educação no Brasil • Média de anos de estudo da população: baixa, cerca de 7 anos (contra 10 nos países industrializados); Fonte: Brasil: o estado de uma nação, 2006.
  • 10. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores gerais da educação no Brasil • Significativo filtro interno: apenas 53% dos que ingressam no ensino fundamental concluem-no, e apenas 37% terminam o ensino médio (Brasil: o estado de uma nação, 2007); • Reflexos no ensino superior: Fonte: Brasil: o estado de uma nação, 2006.
  • 11. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores gerais da educação no Brasil • Fortes desigualdades regionais; Fonte: Brasil: o estado de uma nação, 2007.
  • 12. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores gerais da educação no Brasil • Educação tem impacto nos níveis de renda; Fonte: Brasil: o estado de uma nação, 2006.
  • 13. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores gerais da educação no Brasil • Montante não desprezível de investimentos em educação: Brasil gasta na área algo equivalente a 4,3% do PIB, próximo da média da OCDE e superior aos gastos de países com sistemas de educação mais bem-sucedidos, como Uruguai, Chile e Argentina (Brasil: o estado de uma nação, 2006);
  • 14. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores gerais da educação no Brasil • Gastos do MEC; Fonte: Brasil: o estado de uma nação, 2007
  • 15. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores gerais da educação no Brasil: Docentes da Rede Municipal com Ensino Superior (EF1) Fonte: Mapa da Educação Brasileira, 2007.
  • 16. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores gerais da educação no Brasil: Docentes da Rede Municipal com Ensino Superior (EF2) Fonte: Mapa da Educação Brasileira, 2007.
  • 17. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores gerais da educação no Brasil: Escolas municipais com internet Fonte: Mapa da Educação Brasileira, 2007.
  • 18. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores gerais da educação no Brasil: Escolas municipais com biblioteca Fonte: Mapa da Educação Brasileira, 2007.
  • 19. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores gerais da educação no Brasil: Escolas municipais com laboratórios de ciências Fonte: Mapa da Educação Brasileira, 2007.
  • 20. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores gerais da educação no Brasil: comparação entre Escolas municipais quanto à infra-estrutura Brasil Sim (%) Não (%) Internet 13,1 86,9 Biblioteca 18,3 81,7 Laboratório 1,6 98,4 São Paulo Sim (%) Não (%) Internet 75,6 24,4 Biblioteca 46,6 53,4 Laboratório 9,2 90,8 Fonte: Mapa da Educação Brasileira, 2007.
  • 21. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores gerais da educação no Brasil • Ações governamentais para mudar o quadro exposto: – Mudança nos paradigmas educacionais e curriculares: menor ênfase na memorização e busca de aprendizagens significativas, com valorização de propostas como a transversalidade, a interdiscipliridade e o trabalho com projetos pedagógicos (aspectos contemplados pelos próprios PCNs); – Desenvolvimento de um sistema de avaliação em diferentes âmbitos e níveis (SARESP, SAEB, ENEM, ENADE etc.);
  • 22. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores gerais da educação no Brasil • Ações governamentais para mudar o quadro exposto: – Criação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educ. Básica e de Valorização dos Profissionais da Educ. (Fundeb); – Políticas de manutenção da universalização do EF; – Descentralização e focalização regional para alocação de recursos; – Incentivos e assistência técnica para correção dos fluxos;
  • 23. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores gerais da educação no Brasil • Ações governamentais para mudar o quadro exposto: – Implemento de inovações tecnológicas, visando à melhoria da qualidade dos processos de ensino e aprendizagem, como o TV-Escola, o Programa de Apoio Tecnológico e o Programa Nacional de Informática na Educação (Proinfo); – Investimento na formação de professores, para assegurar a todos os estudantes da educação básica a oferta de ensino por professores com a formação mínima estipulada pela legislação. Situação de 2006 (dados do Censo Escolar): cerca de 15% dos docentes das últimas séries do ensino fundamental (5ª a 8ª) e 5% dos docentes do ensino médio não possuem escolaridade de nível superior, requisito obrigatório para o magistério nesses níveis de ensino;
  • 24. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores gerais da educação no Brasil • Ações governamentais para mudar o quadro exposto: – Continuidade às ações de formação e capacitação de docentes iniciadas na segunda metade dos anos 1990, a exemplo do Proformação, que se destina aos professores que atuam nas séries iniciais do ensino fundamental; – MEC instituiu em 2005 o Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB), tendo como foco principal a capacitação de professores que atuam na educação básica; – Tendo em vista essas diretrizes, a EAD se fortalece e passa a ser mais incentivada e pesquisada.
  • 25. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores sobre a EAD no Brasil • Qualidade: ENADE mostra que alunos podem obter bons resultados Desempenho dos ingressantes nas áreas participantes do ENADE Fonte: Perspectivas para EAD no Brasil, 2009.
  • 26. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores sobre a EAD no Brasil • Inclusão social: alunos de EAD possuem menores rendas Fonte: Perspectivas para EAD no Brasil, 2009.
  • 27. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores sobre a EAD no Brasil • Estudo: alunos de EAD versus presencial Fonte: Perspectivas para EAD no Brasil, 2009.
  • 28. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores sobre a EAD no Brasil • Forte crescimento das matrículas em graduações 8,3% do total de matrículas Fonte: Perspectivas para EAD no Brasil, 2009.
  • 29. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores sobre a EAD no Brasil • Crescimento também nos concluintes das graduações Fonte: Perspectivas para EAD no Brasil, 2009.
  • 30. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores sobre a EAD no Brasil • Situação da oferta (graduações) Fonte: Perspectivas para EAD no Brasil, 2009.
  • 31. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores sobre a EAD no Brasil • MEC: criação de redes que utilizam a EAD para formação continuada Fonte: Perspectivas para EAD no Brasil, 2009.
  • 32. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores sobre a EAD no Brasil • MEC: oferta atual (que será parcialmente redesenhada) Fonte: Perspectivas para EAD no Brasil, 2009.
  • 33. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores sobre a EAD no Brasil • MEC: preocupações no desenho do cursos de formação dos professores Fonte: Perspectivas para EAD no Brasil, 2009.
  • 34. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Indicadores sobre a EAD no Brasil • MEC: Sistema UAB Fonte: Perspectivas para EAD no Brasil, 2009.
  • 35. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Considerações finais • A alfabetização digital que a EAD propicia poderá diminuir o gap entre o mundo cultural dos estudantes (“nativos digitais”) e os educadores; • Nessa linha, poderá favorecer o desenvolvimento de estratégias pedagógicas mais estimulantes e eficazes, de modo a combater, em particular, a evasão escolar; • Por outro lado, a EAD estimula o auto-estudo e a reflexividade dos professores, propiciando diálogos e debates com colegas e suprindo – de certo modo – possíveis carências, em termos de materiais e de infra- estrutura (em termos bibliográficos, por exemplo);
  • 36. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Considerações finais • Além do quadro visto (necessidade de capacitação e formação de professores, com o objetivo de melhorar na qualidade da educação no Brasil e as ações governamentais nesse sentido), a EAD no país deve continuar a crescer por fatores como: – Demandas sociais por uma educação permanente, continuada ou educação ao longo da vida (lifelong education, termo surgido na Europa nos anos 1970); com possível incremento em todos os âmbitos educativos: formal, informal ou não- formal; – Maior inclusão digital da população; – Possibilidades de acolher pessoas sem acesso ao ensino presencial, por questões diversas: geográficas, pessoais (tempo, recursos etc.), especificidade da formação etc.
  • 37. Educomunicação em Ambientes Virtuais Interativos – NCE/USP Referências • AMORIN, Ricardo L. C.; CAMPOS, André Gambier Campos, GARCIA, Ronaldo Coutinho (eds.). Brasil: o estado de uma nação – estado, crescimento e desenvolvimento: a eficiência do setor público no Brasil, 2007. Brasília: IPEA, 2008. Disponível em http://www.ipea.gov.br/sites/000/2/livros/Livro_estadonacao2007.pdf • BIELSCHOWSKY, Carlos. Perspectivas para Educação a Distância no Brasil. Apresentação em PPT na UFSCar, março 2009. Disponível em http://seminario.uab.ufscar.br/EAd%20no%20Brasil%20-%20carlos.pdf • EDUCAR para Crescer/Abril. Mapa da Educação brasileira. 2007 (?). Disponível em http://educarparacrescer.abril.com.br/hotsite-indicadores/index.shtml • INSTITUTO Paulo Montenegro. INAF 2007. Disponível em http://www.ipm.org.br/ipmb_pagina.php?mpg=4.02.01.00.00&ver=por • TAFNER, Paulo (ed.). Brasil: o estado de uma nação – 2006: mercado de trabalho, emprego e informalidade. Rio de Janeiro: IPEA, 2006. Disponível em http://www.ipea.gov.br/005/00502001.jsp?ttCD_CHAVE=161