Your SlideShare is downloading. ×

Avaliação da aprendizagem

1,851

Published on

bon proveitro

bon proveitro

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,851
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
35
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM Conta a lenda que a avaliação surgiu na Grécia Antiga, através de uma enigma proposto a Édipo feito pela esfinge. O enigma era considerado um tipo de teste oral no qual as pessoas pudessem pensar nas palavras e descobrir as relações entre as idéias que elas representam. Os exames, nasceu na China Imperial como instrumento de controle social, função perdurou durante muito tempo. No inicio o exame não decidia a promoção do estudante, nem sua nota e sim para manter a atenção dos alunos com o tempo foram agregadas ao exame novas funções como certificar e promover que deu origem a pedagogia do exame. No Brasil os exames surgiram através dos jesuítas que fico conhecido como Ratio Studiorum, no momento da prova os alunos não podem perguntar nada, e o tempo para realização deve ser rigorosamente mantido. A concepção de prova era tão forte nos primórdios da avaliação, que ficou conhecido como docimologia que é a ciência do estudo sistemático dos exames, sistema de atribuição de notas. Nos estados Unidos criou no século XIX um sistema de testagem com objetivo de substituir os exames orais pelos exames escritos. No século XIX nos Estados Unidos foi desenvolvido também os testes objetivos para uso de pesquisa escolar, o uso e a correção dos testes objetivos e dissertativos, tinham a função de medir, avaliar, predizer e classificar, o que era caráter exclusivamente instrumental ao processo avaliativo. Catele foi o primeiro a utilizar a palavra “teste” como medidas de capacidades mentais, era possível criar uma medida do nível da inteligência humana. Para Binet-Simon o teste servia para identificar crianças de nível intelectual insuficiente com dificuldade de aprendizagem para agrupar em classes especiais para receber métodos dos pedagógicos adequados ao seu nível. Com o avançar das historia em 1940, Tyler provocou grande impacto na literatura ao propor atividades, como escola de atitude, inventários, questionários, fichas de registros de observação e outras foras de coletar evidencias sobre os desempenhos para avaliar a qualidade dos currículos.
  • 2. Atualmente a avaliação da aprendizagem está sendo voltada para a preparação de exames. Isso acontece porque os sistemas de ensino estão interessados nos percentuais de aprovação e reprovação dos alunos. Com isso, os procedimentos de avaliação se tornam elementos motivadores em busca de resultados. A forma como a avaliação da aprendizagem está sendo empregada faz com que os alunos tenham uma atenção centrada no processo de promoção ao final do ano letivo e não na aquisição de conhecimentos. Já os professores utilizam as provas como forma de pressionar os alunos a alcançar os resultados esperados pela escola. De acordo com Luckesi (1998), a avaliação da aprendizagem está sendo praticada independente do processo ensino-aprendizagem, pois mais importante do que ser uma oportunidade de aprendizagem significativa, a avaliação vem se tornando um instrumento de ameaça. Na medida em que a avaliação se centra em provas e exames, não há uma melhoria na qualidade da aprendizagem. Caso seja necessária a utilização de provas, é preciso deixar claro que ela é apenas uma formalidade do sistema escolar. Uma avaliação que busca a transformação social deve ter como objetivo o avanço e o crescimento do seu educando e não estagnar o conhecimento através de práticas disciplinadoras. Ela consiste em verificar o que o aluno aprendeu e se os objetivos propostos foram atingidos e se o programa foi conduzido de forma adequada. Deve representar um instrumento indispensável na verificação do aprendizado continuo dos alunos, destacando as dificuldades em determina disciplina e direcionando os professores na busca de abordagens que contemplem métodos didáticos adequados para as disciplinas. A prática avaliativa tem que centrar-se no diagnóstico e não na classificação. A função classificatória é analisar o desempenho do aluno através de notas obtidas, geralmente registrada através de números. Ela retira da prática da avaliação tudo o que é construtivo. Por sua vez, a diagnóstica constitui-se num processo de avançar no desenvolvimento e no crescimento da autonomia do educando, sendo capaz de descobrir seu nível de aprendizagem, adquirindo consciência das suas limitações e necessidades a serem avançadas.
  • 3. Ela tem que ter como finalidade fornecer informações sobre o processo pedagógico que permitam aos docentes definir sobre as interferências e as mudanças necessárias na face do projeto educativo. Esse que precisa ser definido coletivamente para que possa garantir a aprendizagem do aluno de forma democrática. É essencial perceber o aluno como ser social e político que possui a capacidade de pensar criticamente sobre seus atos e dotado de experiências, sujeito de seu próprio desenvolvimento.
  • 4. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO – CCE DISCIPLINA: AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM PROFESSORA: MSC. TERESINHA DE JESUS ARAÚJO ALUNO: JOÃO PEREIRA GUEDES NETO CURSO: LICENCIATURA EM MUSICA Resumos dos Textos TERESINA, PI 2013

×