Your SlideShare is downloading. ×
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Pim vi
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Pim vi

6,718

Published on

Published in: Technology
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
6,718
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
297
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. UNIP INTERATIVAProjeto Integrado MultidisciplinarCursos Superiores de TecnologiaNome: Ricardo Camilo de Sousa Pólo Água verde - Centro Curitiba – Paraná 2011
  • 2. UNIP INTERATIVA Projeto Integrado Multidisciplinar Cursos Superiores de TecnologiaNOME: RICARDO CAMILO DE SOUSA O Projeto Integrado Multidisciplinar – PIM parte do Programa Pedagógico dos Cursos Superiores de Tecnologia a distância da UNIP Interativa - Universidade Paulista como pré- requisito para aprovação no 2º semestre no curso de gestão de tecnologia da informação. . Nome: Ricardo Camilo de Sousa RA: 1018889 Curso: Tecnologia da Informação Semestre: 2 Pólo Água verde - Centro Curitiba – Paraná 2011
  • 3. INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSO DE GESTÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIP/Pólo Água Verde - Curitiba/2º. Semestre Ricardo Camilo de SousaPROJETO INTEGRADO MULTIDICIPLINARCOMISSÃO EXAMINADORA:_______________________________________________________________Examinador (1)_______________________________________________________________Examinador (2)_______________________________________________________________Coordenador do PIM – ProfºObservações:____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________RESULTADO:_______________________________________________________________DATA DA APROVAÇÃO: ____ /_____ /______
  • 4. Resumo Os sistemas de informação (SI) chamados de Enterprise Resource Planning(ERP) são sistemas que integram todos os departamentos/setores de umaorganização, pois tem a característica de ter uma base de dados única. Um ERPbem estruturado da suporte para a tomada de decisão de forma que ela seja a maiscorreta possível para aquele momento ou para aquela situação. Por isso, é de extrema importância que um SI seja implantando corretamente,não deixando para trás nenhuma etapa do processo de implantação, que sãoaquisição de hardware e software, desenvolvimento da documentação, treinamentodo usuário final, acompanhamento, manutenção e a avaliação do SI que geralmenteé feita pela alta gestão da organização com base no feedback que os operadoresdão para os mesmos.Palavras chaves: SI (Sistemas de Informação), ERP (Enterprise ResourcePlanning), Implantação, desenvolvimento, Implantação, manutenção.
  • 5. ABSTRACT The information systems (IS) called Enterprise Resource Planning (ERP)systems are systems that integrate all departments / sections of an organization, ithas the characteristic of having a single database. A ERP well-structured support fordecision making so that it is as accurate as possible for that moment or for thatsituation. It is therefore extremely important that an SI is deploying properly, not leavingbehind any stage of deployment, which are hardware and software acquisition,development, documentation, end user training, monitoring, maintenance andassessment of SI is usually made by senior management of the organization basedon feedback that operators give to them.Keywords: IS (Information Systems), ERP (Enterprise Resource Planning),Implementation, development, deployment, maintenance.
  • 6. SUMÁRIO1. INTRODUÇÃO................................................................................................ 12. APRESENTAÇÃO.......................................................................................... 23. Necessidade de tecnologia ............................................................................. 43.1 Necessidade de sistema de informação........................................................ 54. ERP ..................................................................................................................54.1 Estrutura típica dos sistema ERP................................................................... 74.1.1 Benefícios da utilização de sistemas ERP...................................................74.2 Problemas na instalação..................................................................................74.3 Implantação do sistema ERP......................................................................... 95. MÓDULOS ......................................................................................................105.1 Modulo de gestão de pessoas...................................................................... 105.1.1 Objetivos e benefícios.................................................................................115.1.2 Características .......................................................................................... 115.2 Módulo de vendas....................................................................................... 115.2.1 Recursos....................................................................................................125.2.2 Benefícios...................................................................................................125.3 Módulo de Finanças......................................................................................135.3.1 Recursos.....................................................................................................135.3.2 Benefícios...................................................................................................145.4 Módulos manufatura......................................................................................145.4.1 Recursos....................................................................................................145.4.2 Benefícios...................................................................................................155.5 Software........................................................................................................166. DATA CENTER...............................................................................................166.1 Definição.......................................................................................................176.2 Planejamento para resiliência do site............................................................186.3 Aquisição de software e hardware................................................................207. RECURSOS HUMANOS.................................................................................217.1 Benefícios......................................................................................................228 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO.................................................................228.1 Linha estratégica...........................................................................................239. POLITICA E SEGURANÇA............................................................................24
  • 7. 9.1 Normas dos usuários..............................................................................2410. CONCLUSÃO................................................................................................... 2611. REFERÊNCIAS................................................................................................ 27
  • 8. 11. INTRODUÇÃO A busca de vantagens competitivas num mercado globalizado tem levado asempresas a implantarem novas tecnologias de informação (TI’s) para ogerenciamento de seus negócios. A disponibilização dessas tecnologias, associadaaos avanços nas áreas de comunicação e sistemas, permitiu que as empresasadotassem soluções integradas para a gestão de seus negócios, por meio daimplantação de sistemas integrados de gestão empresarial (SIGE), que também sãoconhecidos pela sigla ERP (Enterprise Resource Planning). Os sistemas ERP constituem um software multimodular que visa integrar agestão da empresa nas diferentes fases de seu negócio, tornando mais ágil tambémo processo de tomada de decisão, porquanto permite que o desempenho daempresa seja monitorado em tempo real. Os sistemas ERP fornecem suporte aosprocessos operacionais, produtivos, administrativos e comerciais da empresa;caracterizando-se como uma ferramenta de tecnologia da informação que integra osprocessos empresariais e que visa facilitar o fluxo de informações na organização. Com este interesse que a empresa XPTO tende a implantar um sistema ERPem sua organização. Para isto será necessário uma analise de sua estrutura, parapossíveis manutenções, e assim obter sucesso em sua implantação.
  • 9. 22. APRESENTAÇÃO A empresa XPTO fica sediada na cidade de São Paulo, e vem tentandoganhar espaço a algum tempo no mercado nacional, trabalhando no ramo de vendasde produtos de informática e distribuição. Além da matriz em São Paulo ela conta com outras 6 filiais nas cidades deManaus, Recife, Salvador, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Brasília. Sendo que a filialdo Rio de Janeiro possui uma estrutura mais complexa do que as outras, que sãoapenas representações comerciais. É em São Paulo que iremos abordar um planejamento de implantação deERP (Enterprise Resource Planning) sendo ela a matriz é aonde iremos estruturar oData Base. Mais para isto é preciso planejar uma rede de computadores quesuporte todo este trafego de informação de forma bem estruturada e precisa. Como parte do plano a filial do Rio de Janeiro irá contar com site de backupdo database da matriz de São Paulo. Como sendo uma filial que irá possui controleapenas para observar suas replicações.2.1 Estrutura Neste subcapitulo iremos esboçar sua estrutura e representação no mercado,seu comportamento e sua área e abrangência. A empresa XPTO conta com um total de 350 funcionários sendo;• 250 funcionários na Matriz de São Paulo;• 50 funcionários na filial do Rio de Janeiro;• 10 funcionários em cada uma das 5 filiais. A matriz de São Paulo possui uma estrutura física muito considerável, comarmazenamento para cerca de 3.000 itens, pelo devido aumento da produtividade, aimplantação de um ERP tem sido de grande necessidade. A redundância de dados para ser um dos grandes problemas, e para umaempresa que trabalha com movimentação de estoque a implantação de um ERP,terá resultados consideráveis, Na figura a seguir estamos mostrando a abrangência da empresa, a matrizem São e as filiais nas respectivas cidades.
  • 10. 3 Como vê no mapa a empresa possui representação em todos os cantos doBrasil, esta já foi uma forma estrutura para movimentação e vendas dos seusprodutos. A concentração máxima dos produtos fica na matriz, as filiais fazemrelações comerciais com suas regiões. Quando a empresa tem uma estrutura que abrange todas estas regiões, comonos mostras na figura, a busca por resultados precisos confiáveis e centrados torna-se difícil, por isso a integração de dados e centralização das metas devem seraplicadas.
  • 11. 43. Necessidade de Tecnologia Segundo Rezende & Abreu (2000) “pode-se conceituar a Tecnologia daInformação”. Como recursos tecnológicos e computacionais para geração e uso dainformação. Esse conceito enquadra-se na visão de gestão da Tecnologia daInformação. Ainda sobre essa mesma óptica, Cruz apud Rezende & Abreu (2000) fala que“outro conceito de Tecnologia de Informação pode ser todo e qualquer dispositivoque tenha capacidade para tratarem dados e ou informações, tanto de formasistêmica como esporádica, quer esteja aplicada ao produto, quer esteja aplicada noprocesso”. Para Gordon & Gordon (2006) “A tecnológica da informação (TI) inclui,hardware, software, sistemas de gerenciamento de banco de dados e tecnologias decomunicação de dados”. A TI nos tempos modernos tem um valor elevado quando falamos em tomadade decisão com rapidez, fator competitividade, lançamento de novos produtos paraatender um determinado nicho de mercado, dinamismo em suas operações, ouentão para atender a necessidade de informação de um gerente, o qual precisaelaborar um plano de ação com agilidade.Sobre o desconhecimento da Tecnologia da Informação: [...] o desconhecimento elementar da Tecnologia da Informação e de seus recursos tem causado muitos problemas e dificuldades dentro das empresas, principalmente para as atividades ligadas a Planejamento Estratégico, Sistemas de Informação e Gestão de Tecnologia da Informação (REZENDE e ABREU) É de suma importância ressaltar que os hardwares, softwares e seusperiféricos dentro de uma organização devem ter o principal objetivo que é ajudar nodesenvolvimento e na melhoria dos Sistemas de Informação, auxiliando assim aorganização em seus processos e atividades. A aquisição de TI em demasia, de forma que ela não seja usada em suaplenitude, é deixar de lado o principal objetivo.
  • 12. 53.1 Necessidade de Sistemas de Informação (SI) São diversas as definições relacionadas a Sistemas de Informação (SI),podem ser enfocados de diversas maneiras. Rezende & Abreu (2000) falam quesistema de informação é “relatórios de determinados sistemas ou unidadesdepartamentais, entregues e circulados dentro da empresa, para uso doscomponentes da organização”.Numa visão mais ampla: SI é qualquer sistema usado para prover informações (incluindo seu processamento), qualquer que seja sua utilização. Os Sis se desenvolvem em uma empresa segundo duas dimensões: os componentes da empresa e seu nível de decisão. Os componentes da empresa correspondem aos diversos setores que executam as diferentes funções necessárias ao funcionamento da empresa. Os níveis de decisão obedecem à hierarquia existente na empresa e são conhecidos como nível estratégico, tático e operacional (POLLONI, 2000). Em um enfoque mais simples Melo (2006) observa que sistema deinformação é “todo e qualquer sistema que tem informações como entrada visandogerar informações de saída”.4. ERP Em virtude disso, as empresas vêm buscando obter vantagens dessastecnologias advindas da criação do computador. A informação é tratada como umrecurso é vista como um insumo na produção de bens e serviços, tal como aspessoas, matérias-primas, equipamentos, recursos financeiros e tempo. No decorrer dos anos, visando obter mais eficácia e eficiência, foi sendodesenvolvido, com o auxílio dos computadores, os chamados Sistemas deInformação (SI) e posteriormente a isso foram desenvolvidos os chamados sistemasde informação Enterprise Resource Planning (ERP). O foco principal dos ERP’s na atualidade está voltado principalmente para onegócio empresarial e no objetivo de auxiliar os respectivos processos decisórios e aconseqüente tomada de decisão.
  • 13. 6 Com o avanço da Tecnologia da Informação as empresas passaram a utilizarsistemas computacionais para suportar suas atividades. Geralmente, em cadaempresa, vários sistemas foram desenvolvidos para atender aos requisitosespecíficos das diversas unidades de negócio, plantas, departamentos e escritórios.Por exemplo, o departamento de planejamento da produção utiliza um sistemapróprio e o departamento de vendas utiliza outro. Dessa forma, a informação ficadividida entre diferentes sistemas. Os principais problemas dessa fragmentação da informação são asdificuldades de obtenção de informações consolidadas e a inconsistência de dadosredundantes armazenados em mais de um sistema. Os sistemas ERP (EnterpriseResource Planning) solucionam esses problemas ao agregar, em um só sistemaintegrado, funcionalidades que suportam as atividades dos diversos processos denegócio das empresas. Os sistemas ERP surgiram a partir da evolução dos sistemas MRP (MaterialResource Planning). Neles, foram agregadas as funções de programação mestre daprodução, cálculo grosseiro de necessidades de capacidade, cálculo detalhado denecessidade de capacidade, controle do chão de fábrica, controle de compras e,mais recentemente, Sales & Operations Planning. Dessa forma, os sistemas MRPdeixaram de atender apenas as necessidades de informação referentes ao cálculoda necessidade de materiais, para atender às necessidades de informação para atomada de decisão gerencial sobre outros recursos de manufatura. O MRP passou,então, a ser chamado de MRP II (Manufacturing Resource Planning - Planejamentode Recursos de Manufatura). Com o objetivo de ampliar a abrangência dos produtos vendidos, osfornecedores de sistemas desenvolveram mais módulos, integrados aos módulos demanufatura, mas com escopo que ultrapassa os limites da manufatura. Comoexemplos, foram criados os módulos de Gerenciamento dos Recursos Humanos,Vendas e Distribuição, Finanças e Controladoria, entre outros. Esses novossistemas, capazes de suportar as necessidades de informação para todo oempreendimento, são denominados sistemas ERP.
  • 14. 74.1 Estrutura típica dos sistemas ERP Os sistemas ERP são compostos por uma base de dados única e pormódulos que suportam diversas atividades das empresas. A figura abaixo apresentauma estrutura típica de funcionamento de um sistema ERP. Os dados utilizados porum módulo são armazenados na base de dados centrais para serem manipuladospor outros módulos. Além deles, alguns sistemas ERP possuem módulos adicionais, tais como:Gerenciamento da Qualidade, Gerenciamento de Projetos, Gerenciamento deManutenção, entre outros.4.1.1 Benefícios da utilização de sistemas ERPAs utilização de sistemas ERP otimiza o fluxo de informações e facilita o acesso aosdados operacionais, favorecendo a adoção de estruturas organizacionais maisachatadas e flexíveis. Além disso, as informações tornam-se mais consistentes,possibilitando a tomada de decisão com base em dados que refletem a realidade daempresa. Um outro benefício da implantação é a adoção de melhores práticas denegócio, suportadas pelas funcionalidades dos sistemas, que resultam em ganhosde produtividade e em maior velocidade de resposta da organização.4.1.2 Problemas na instalação Sem duvidas que as vantagens que um ERP traz para uma empresa são algomuito vantajoso, apesar dos custos de sua implantação, e manutenção, sempreacarreta problemas. Mais geralmente, algumas das empresas que se envolvem com a implantaçãode sistemas gerenciais enfrentam graves problemas que podem ser sintetizados emdois tópicos principais: o valor orçado inicialmente é completamente ultrapassado eo cronograma não é minimamente cumprido. A simples menção da implantação ou até mesma a substituição de um ERP ésinônimo de muita dor de cabeça para os administradores e geral. É muito comum, senão obrigatório que, ao iniciar o trabalho de implantação, aempresa seja surpreendida com a necessidade de aquisições de mais módulos,
  • 15. 8inúmeras customizações e outros serviços não previstos no orçamento original, alémé claro, de novos equipamentos “hardware”. A explicação é sempre a mesma e reside na alegada impossibilidade deprever problemas decorrentes de questões intrínsecas das empresas antes de iniciaro processo de implantação. O mesmo motivo serve para justificar atrasos imensosem relação ao cronograma. Embora a explicação pareça razoável, está muito distante de retratar arealidade e justificar os problemas, além de ocultar as possibilidades de eliminar ouminimizar os riscos decorrentes destas situações. Obviamente que a questão é complexa, mas decorre essencialmente dequestões jurídico-contratuais que não são tratadas adequadamente. Via de regra,as empresas não buscam o conhecimento jurídico especializado para adotarprovidências que afastem ou minimizem estes riscos. O método usual para uma empresa que queira adquirir ou substituir um ERP,passa por um processo de seleção e avaliação técnicas das opções existentes. Identificada a melhor opção sobre o prisma técnico, o passo seguinte é aformalização de proposta comercial. Neste momento surgem os primeirosproblemas, pois as propostas quase sempre não retratam adequadamente o que foiproposto e está sendo negociado. Para evitar que os valores orçados inicialmente não sejam superados demaneira imprópria, é fundamental que a proposta comercial reflita formal eintegralmente tudo o que foi negociado. A exigência da perfeita adequação daproposta com o que foi negociado está amparada na legislação que estabelece avinculação entre o proponente e o que foi proposto. Eventuais dúvidas surgidas nainterpretação dos contratos poderão ser solucionadas com a análise das propostas. Com base nas propostas comerciais e técnica, o passo seguinte énecessariamente a formalização do contrato que reproduza e melhor especifique oselementos já contidos nas propostas, além de agregar outros dispositivosespecíficos dos contratos. Com o início efetivo do trabalho de implantação começa a fase de controle egerenciamento jurídico do contrato. Toda e qualquer irregularidade deve serimediatamente objeto de notificação da outra parte e deve, simultaneamente, haverum controle rigoroso sobre a formalização das atividades diárias do trabalho (atas dereuniões) ou alterações contratuais.
  • 16. 9 Experiências práticas com a contratação de assessoria jurídica especializadapara a orientação na fase de propostas e formalização do contrato, aliada aoacompanhamento do contrato, permitiram minimizar de forma aguda os atrasos nafinalização do projeto (tornando-os nulos ou admissíveis) e, também, permitiram queo valor orçado fosse praticamente o mesmo do custo total de implantação dosistema gerencial (aumento não superior a 10%). Inegavelmente é preciso agregar conhecimento especializado –especialmente na área jurídica - em procedimento tão sensível para o processoprodutivo das empresas, uma vez que uma implantação não cuidadosa de umsistema gerencial pode ter conseqüências desastrosas.4.2 Implantação do Sistema ERP As funcionalidades dos módulos de um sistema ERP representam umasolução genérica que reflete uma série de considerações sobre a forma que asempresas operam em geral. Para flexibilizar sua utilização em um maior número deempresas de diversos segmentos, os sistemas ERP foram desenvolvidos de formaque a solução genérica possa ser customizada em um certo grau. Na implantação de um sistema ERP, a customização é um compromissoentre os requisitos da empresa e as funcionalidades disponíveis no sistema.Inicialmente, na maioria das vezes, os processos de negócio das empresasprecisam ser redefinidos para que seus requisitos se aproximem das funcionalidadesdo sistema. Então, a primeira medida de customização é a seleção dos módulos queserão instalados. A característica modular permite que cada empresa utilize somenteos módulos que necessite e possibilita que módulos adicionais sejam agregadoscom o tempo. Em seguida, para cada módulo, são feitos ajustes nas tabelas deconfiguração para que o sistema se alinhe da melhor forma possível aos novosprocessos de negócio. Mesmo com a customização, a solução pode não atender aalguns requisitos específicos das empresas. Nesses casos, as empresas precisamutilizar outros sistemas complementares ou abandonar seus requisitos específicos eadotar processos genéricos. Por esse motivo, a decisão de implantação de um sistema ERP só deve sertomada após uma análise detalhada dos processos da empresa e dasfuncionalidades dos sistemas ERP. Além disso, é muito importante que a empresa
  • 17. 10considere, desde o início da implantação, os impactos que a redefinição dosprocessos e a introdução do sistema terão na estrutura, cultura e estratégia daorganização. Na figura acima esta o modelo do ERP e seus módulos, o objetivo sempre é acentralização dos dados, com isso obter um rendimento entre os setores daempresa. • A Base de Dados Central contém toda informação necessária para funcionamento do sistema, como vê a alimentação dele é feito por todas as áreas. Consequentemente os setores usufruem os da base central.5. MÓDULOS5.1 Módulo de gestão de Pessoas A solução para a área de Administração de Pessoal garante a tranqüilidadeda empresa em relação à gestão de seus empregados. É uma ferramenta completa
  • 18. 11e eficaz que proporciona uma total segurança nos cálculos e está sempre emconformidade com a legislação vigente.5.1.1 Objetivos e Benefícios • Esta solução tem como objetivo proporcionar um controle total sobre gestão de salários, treinamento e recrutamento das empresas. Auxilia na conquista de certificações, adequação de candidato ao cargo em processos de seleção, formatação de uma política de remuneração motivacional, avaliação de desempenho de funcionários e manutenção de talentos.5.1.2 Características • Treinamento e Desenvolvimento; • Levantamento automático de necessidades treinamento com revisões e validades; • Gerenciamento do orçamento de treinamentos e dos investimentos já realizados (previsto x realizado); • Certificação de capacitação profissional; • Gestão de Salários; • Registro das matrizes salariais por plano, bem como seu histórico; • Descrições de cargos amplamente flexíveis atendendo as mais modernas tendências como a identificação das competências; • Recrutamento e Seleção; • Abertura de vagas com possibilidade de visualização do Quadro de Lotação; • Cadastramento de candidatos e análise de currículos; • Triagem de candidatos através de uma montagem flexível de requisitos.5.2 Módulo de Vendas O departamento de vendas é o coração de uma empresa. É nele que osprocessos de vendas ocorrem, e ele precisa ser acompanhado de perto para que o
  • 19. 12processo seja corretamente executado. A confiabilidade das informações e umprocesso rápido é o que garante o fechamento de negócios bem sucedido. Os módulos Vendas do ERP têm ferramentas para o completo gerenciamentodeste departamento. No software de gestão empresarial a agilidade está presentenos processos de orçamento, pedido e na venda efetiva, reduzindo o tempo deespera do cliente. Com o módulo, a gestão de ações de televendas, vendedores internos eexternos são melhorados. O módulo de vendas do sistema gerencial permite aanálise de indicadores comerciais, trazendo mais agilidade nas negociações eacelerando o retorno dos negócios. Além disso, o módulo também traz ferramentasde ordem de serviço e assistência técnica.5.2.1 Recursos • Vendas (vendas loja, tabela de descontos e preços, promoções, projeção e metas de vendas, orçamento, pedidos, pedido site, sistema EDI, carregamento, negociação, projeção da produção, motivos de venda perdida, configurador de produtos, engenharia de projetos); • Ordens de serviço; • Licitações; • Assistência Técnica; • Relatórios; • CRM (visitas, telemarketing, clientes, negociação por cliente); • Consulta (Gráficos de vendas e metas); • Frente de Caixa.5.2.2 Benefícios • Agilidade nas vendas e recursos de assistência técnica; • Melhor controle e resultado nas vendas com a aplicação das funcionalidades do CRM – Gerenciamento do Relacionamento com o Cliente; • Fácil gestão com controle de metas; • Agilidade nas negociações e análise de negócios;
  • 20. 13 • Análise de Indicadores Comerciais; • Aumento da receita a partir da melhor argumentação da equipe de vendas • Redução de riscos das transações e proteção contra a violação; • Melhores resultados nas vendas sendo possível a utilização dos recursos de Vendas via Palm e Vendas via Website;5.3 Módulo de Finanças A administração financeira de uma empresa é um dos fatores que determinamo sucesso do negócio. Se o departamento estiver bem estruturado, as operaçõessão facilmente organizadas. Mas como ter um setor tão importante com todas asinformações seguras e em completa sintonia com as exigências legais? O ERP fornece uma solução completa para o gerenciamento dodepartamento financeiro, de forma muito rápida e eficaz. Este módulo do nossosoftware de gestão empresarial atende o setor em todas as necessidades,permitindo uma melhor administração das transações financeiras. O módulo oferece, ainda, análises de fluxo de caixa e visibilidade deprevisões financeiras, através de inúmeros gráficos e relatórios, que otimizam otempo para a tomada de decisões estratégicas.5.3.1 Recursos • Cadastros (bancos, feriados, carteira de cobrança, prazos de pagamentos, bloquetos, movimentações de cheque, baixas de contas, fluxo de caixa, lançamentos, histórico de recibos, consolidação, bandeira de crédito, remessas); • Lançamentos (contas a pagar e receber, cheques a receber, contas bancárias, cartão de crédito, previsão financeira, impostos, valor diário moeda, aprovações de pedidos, cotações e ordem de compra, comissões, caixa, ordem de frete, faturamento, controle SPC); • Consultas (bancárias, prazos de pagamento, e contas a receber e pagar, cheques a receber, fluxo de caixa, consulta); • Relatórios.
  • 21. 145.3.2 Benefícios • Melhor administração das transações financeiras, incluindo os lançamentos diários, a gestão e manutenção de contas de forma integrada; • Agilidade e total Integração com Bancos; • Análises de fluxo de caixa e visibilidade de previsões financeiras.5.4 Módulo de Manufatura A produção das empresas é o que garante o retorno financeiro para onegócio. É através dos produtos produzidos que a empresa gera seu capital para amanutenção das atividades, por isso uma ferramenta de gestão e controle éfundamental para o bom andamento da empresa. O ERP ajuda a reduzir e controlar os custos de produção, melhora a gestãode materiais com o controle de estoque. A análise antecipada dos gargalos de produção reduz os custosdesnecessários com processos inadequados. Com isso, há uma redução deprodução emergencial, permitindo o trabalho de forma planejada e ordenada. Com ocontrole de retrabalhos no sistema gerencial, verificação da produtividade porfuncionários e de todos os processos, a gestão do departamento de produção torna-se simples, gerando melhorias em todos os departamentos da empresa.5.4.1 Recursos • Cadastros (departamentos, centro de custos, processos produtivos, máquinas, gastos gerais de fabricação, matrizes, inspeção, quantidade mínima/máxima de produção por item, roteiro de produção, causa de NC, configurador de produtos, protótipos, produto x matéria prima, controle interno de produtos); • Consultas (aplicação do produto, grupos de máquinas, processos, matriz, inspeção, tempos por processo, fórmula de industrialização, manutenção de engenharia, produtos por endereço);
  • 22. 15 • Produção (lotes e ordem de produção, transferência de estoque entre produtos, produtos não conformes na produção, processo produtivo pelo produto, arquivo lote simplificado Audaces, produzir pelo MRP, produção com estoque mínimo, remessa para terceiro, solicitação de compra, consumo interno, projeção da produção, pedido x data de produção); • Custos (custo funcionário/máquinas por mês, custo gastos gerais de fabricação, ordenar OP, cálculo custo das ordens de produção, custos de produção por item, relatório análise lista de preço com custo de produção, cálculo preço de venda x custo de produção, análise custos x preço de venda por cliente, mapa de movimentação de estoques, mapa de localização de custos, produtos com custos controlados, valor do inventário projetado pelo MRP); • Desenhos; • Relatórios; • PCM (tipo, grupo e tarefa de manutenção, ordem de serviço de manutenção, fechamento da OS manutenção de máquinas).5.4.2 Benefícios • Tratamento de todos os recursos de produção e dos materiais de forma associada aos roteiros de produção; • Reduz e controla os custos produção (Materiais, Mão de Obra, Máquinas e Ferramentas); • Melhor gestão de materiais, visando manter níveis desejados de estoque, com otimização de custos e rotatividade; • Reduz atrasos nas entregas de materiais e através de fornecedores vinculados aos produtos, aponta opções otimizadas de compra; • Agilidade na Análise antecipada de Gargalos de produção; • Reduz Ordens de Produção emergenciais, trabalhando de forma planejada;.
  • 23. 165.4 Software Fornecedores de sistemas ERP: • Baan – http://www.baan.com • Datasul - http://www2.datasul.com.br/ • JD Edwards - http://www.jdedwards.com/ • Microsiga - http://www.microsiga.com.br/ • MKGroup (Computer Associates) - http://www.mkgroup.com/ • Oracle - http://www.oracle.com/applications/ • Peoplesoft - http://www.peoplesoft.com/ • SAP - http://www.sap.com/ • SENIOR SISTEMAS - http://www.senior.com.br/ • eGESTOR - http://www.egestor.com.br.6. DATA CENTER Depois de uma grande obtenção de conhecimento em relação ao ERP suasfuncionalidades e implantação. Agora vamos tratar de um assunto mais técnico queé o Datacenter. Além de ser essencial para qualquer organização, ela é a coração daempresa, é aonde vão ficar todas as informações sobre a área financeira,administrativa, de recursos humanos, de planejamento e muito mais. Esta área tem que ser planejada de varias formas, para haja uma boaestrutura de dados e segurança principalmente. A implantação dos servidores dodatabase, dos correio eletrônico, e de arquivos deve ser planejado adequadamente.
  • 24. 176.1 Definição O Data Base deve ser definido como o centralizador dos processos, sendoonde possui todos os dados principais da empresa. Como exemplo, utilizamos oMicrosoft Exchange Server que inclui uma nova estrutura unificada de recuperaçãopara a caixa de correio que inclui novos recursos como o grupo a disponibilidade dobanco de dados (DAG) e cópias do banco de dados caixa de correio. Embora aimplantação desses novos recursos seja um processo rápido e simples, umcuidadoso planejamento deve ser realizado com antecedência para garantir que
  • 25. 18qualquer solução de alta disponibilidade e recuperação do site que esteja usandoesses recursos, atenda às suas expectativas e necessidades do seu negócio. Durante a fase de planejamento, os arquitetos de sistemas, e administradorese outras partes interessadas devem unificar os requisitos para a implantação, emespecial os requisitos de alta disponibilidade e resiliência (elasticidade, poder derecuperação) do site.6.2 Planejamento para a resiliência do site A cada dia, mais e mais empresas reconhecem que o acesso a um sistemaconfiável e disponível de mensagens é fundamental para seu sucesso. Para muitasorganizações, o sistema de mensagens é parte dos planos de continuidade denegócios, e sua implantação de serviço de mensagens é projetada com resiliênciade site em mente. Fundamentalmente, o site muitas soluções resistentes envolvem aimplantação de hardware em um segundo datacenter. Finalmente, o design geral, incluindo o número de membros de cadaorganização e acordos de nível de serviço (SLAs) que abrangem diferentes cenáriosde falha. Durante a fase de planejamento, os arquitetos e os administradoresidentificam os requisitos para a implantação, incluindo e nomeado, os requisitos paraa resiliência do site. Eles identificam a localização (s) a ser usado e os objetivos devalorização necessária SLA. A ANS irá identificar dois elementos específicos quedevem ser a base para a concepção de uma solução que oferece altadisponibilidade e resiliência de site: o Recovery Time Objective (RTO) e RecoveryPoint Objective (RPO). Ambos os valores são medidos em minutos. A RTO é quantotempo leva para restaurar o serviço. O RPO refere à forma como os dados sãoatuais, após a operação de recuperação foi concluída. Um SLA pode também serdefinido para restaurar o datacenter para o serviço completo após os seusproblemas sejam corrigidos.
  • 26. 19 O site backup do Rio de janeiro deve ter todos os serviços habilitados, quesão fornecidos no datacenter primário na matriz (a menos que o serviço não éincluído como parte da resiliência do site SLA). Isso inclui o Active Directory, infra-estrutura de rede (DNS, TCP / IP, etc), serviços de telefonia (caso da Unificação deMensagens está em uso), e infra-estrutura local (energia, refrigeração, etc.) A configuração de rede necessária deve ser posto em prática para apoiar atransição para o datacenter. Isso pode significar ter certeza que as configurações dobalanceamento de carga estão no lugar, que o DNS está configurado global, e que aconexão com a Internet é habilitada com o adequado encaminhamento configurado. A estratégia para a viabilização das mudanças de DNS necessárias para umatransição para o datacenter deve ser entendida. As alterações específicas do DNS,
  • 27. 20incluindo o seu Time to Live (TTL) nas configurações, e devem ser definidos edocumentados para apoiar o SLA (s) em vigor. Uma estratégia para testar a solução e que também deve ser estabelecidos etidos em conta no SLA. É validação periódica da implantação, é a única maneira degarantir que a qualidade e a viabilidade da implantação não se degradam com otempo. Sabemos que conclusão dessas etapas de planejamento irá impactardiretamente o sucesso de uma transição para o datacenter. Por exemplo, o projetonamespace mal feito pode causar dificuldades com os certificados, e umaconfiguração de certificado incorreto pode impedir que os usuários sejam capazesde acessar serviços. Após a implantação é validado, é recomendável que todas as partes daconfiguração que afetam diretamente o sucesso de uma transição para o datacenterser explicitamente documentadas. Além disso, pode ser prudente para melhorar agestão de processos de mudança em torno dos segmentos da implantação.6.4 Aquisição de software e hardware A tabela nos mostra que a aquisição de software e hardware terá que serrealizada de forma racional, por que muitas vezes a empresa já se disponibiliza derecursos necessários, para sua implantação.Quantidade Descrição situação 3 Computador configurado para servidor Já existe 2 Switch adequado Comprar 3 Cabeamento estruturado em todos os departamentos Comprar/Fazer 3 Computador para Contas a pagar Já existe 3 Computador para Recebimento Fiscal Já existe 2 Computador para Faturamento Já existe 2 Impressora matricial nova para Faturamento Comprar 2 Leitor de código de barras para Contas a Pagar Comprar
  • 28. 217. RECURSOS HUMANOS O departamento que mais integra funcionários e empresa merece atençãoespecial. Desde a contratação até a rescisão de colaboradores, o departamento derecursos humanos realiza diversas atividades que são fundamentais para o bomfuncionamento da empresa, além de garantir que ela esteja sempre de acordo comas exigências legais. Com o software de gestão empresarial ERP, todos os procedimentos destedepartamento poderão ser otimizados, gerando economia de tempo e eliminação detrabalhos manuais. Os módulos Recursos Humanos garante a administraçãoestratégica de RH, com o desenvolvimento e acompanhamento dos colaboradores. Com o controle de todas as operações no sistema gerencial, a integração e aredução de tempo com as atividades manuais, o departamento tem mais tempodisponível para outras ações relativas à relação de sua empresa com osfuncionários.
  • 29. 227.1 Benefícios Fácil administração do departamento de pessoal e folha de pagamento e comcerteza uma melhor gestão estratégica de RH, com desenvolvimento e controle daspessoas (conhecimentos, competências, treinamentos, cargos e funções) A facilidade na Gestão de Currículos, funções e qualificações com agilidadena análise de indicadores melhor gestão de EPI’s e informações relacionadas àSegurança e Medicina do Trabalho.8. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Trabalhar com o conceito de Planejamento Estratégico é o mesmo quetrabalhar com o conceito de mudança. Uma mudança organizada e legitimada pelaspessoas que compõem uma determinada organização. Comunicação Cultura Organizacional Governança Transparência e Postura Pró-Ativa Postura Crítica e Construtiva. 1) Comunicação Constante: a comunicação é um dos fatores primordiais para que haja sinergia entre as atividades. 2) Transparência: O Planejamento estratégico foi concebido com o propósito de que pudesse ser acompanhado por todos. 3) Governança e Postura Pró-Ativa: O conceito de governança é bastante amplo e possui diversos significados. Contudo, o sentido que gostaríamos de dar a essa palavra é bem simples: acompanhamento direto e irrestrito por parte da
  • 30. 23 organização. É preciso que a organização se conscientize que o sucesso do seu Planejamento também está na sua postura pró-ativa no acompanhamento, cobrança e controle. Para tanto os gestores da ferramenta proporcionarão instrumentos coerentes para que essa dinâmica se torne efetiva. 4) Postura Crítica e Construtiva: Para que o Planejamento seja uma ferramenta que possa estar em constante evolução, é preciso incentivar uma postura cada vez mais crítica por parte da organização.8.1 Linha Estratégica O que colocamos agora em voga para a compreensão da estratégia é umaforma sintética para que ela possa ser compreendida e internalizada. Lembramosque o que está escrito a seguir é apenas uma sugestão do Grupo de Apoio parafacilitar esse processo.Para facilitar essa explicação, vamos analisar a figura a seguir: Ações baseadas na Missão Gestão eficiente das Pessoas Sustentabilidade Fortalecimento Aumento da Imagem qualitativo da Produtividade Alcance da Visão !!!
  • 31. 249. POLITICA E SEGURANÇA A implantação de um Sistema de Segurança de Informação envolveprimeiramente a análise de riscos na infra-estrutura de TI. Esta análise permiteidentificar os pontos vulneráveis e as falhas nos sistemas, que deverão sercorrigidos. Além disso, no SSI, são definidos processos para detectar e responder aincidentes de segurança e procedimentos para auditorias. Um assunto bastante relevante no SSI é a implementação de um programade treinamento e conscientização dos usuários nas questões relativas à Segurançada Informação. Isto se deve ao fato do usuário ser um ponto fraco para os casos deinvasão de sistemas devido à falta de conhecimento das principais técnicasutilizadas pelos invasores. Prova disso é o sucesso dos ataques de spam, onde o usuário recebe um e-mail que o induz a executar um programa ou a acessar um site que coletainformações e as envia para algum invasor. No SSI, também é importante a definição de uma Política de Segurança. Essapolítica consiste de um documento que formaliza os procedimentos para segurançada informação e que devem ser de conhecimento de todos. Em tal documento sãodefinidas regras, responsabilidades e penalidades para os casos de violação dasregras, além de conter um termo de responsabilidades onde o funcionário confirmaseu conhecimento a respeito das normas ali estabelecidas.9.1 Normas dos usuários Uma questão muito importante é o procedimento que deve ser aplicado aosusuários no que diz respeito ao uso dos equipamentos e acesso ao sistema. Muitasvezes os funcionários não se conscientizam da forma que utilizam os acessos quesão permitidos, e por fim acabam gerando vários inconvenientes. Todos os tópicos abaixo devem ser relacionados nas normas do regimentointerno da corporação.• Controle de usuário/senha – todos os funcionários devem ter um usuário e senha para acesso ao sistema, e a responsabilidade de uso é de cada um;• Autenticação dos usuários – deve ter um controle de senha e contas;
  • 32. 25• Autorização usuários – deve definir um nível de acesso para cada usuário, para que os não envolvidos não tenham permissão, é uma forma preservação de informação confidenciais;• Acesso à internet – deve orientar os usuários sobre o acesso para que não se desvie o foco das suas funções. Sabemos que a internet é uma grande fonte, e deve ser bem aproveitada;• Controle acesso do e-mail – deve ser definido o uso do e-mail da empresa, porque também é um ponto muito vulnerável. Na figura abaixo mostra como deve ser tratada a relação com a rede de uma organização.
  • 33. 2610. CONCLUSÃO Como podemos ver relacionamento de uma empresa com um sistema ERP,nas primeiras etapas sempre haverá vários contratempos, por isso que é precisomuita cooperação entre seus colaboradores e dedicação, porque apenas construirum planejamento e não o realizar, isto não se obtém resultado algum. A obtenção do sucesso sempre estará na reunião de todos os requisitosplanejados, como já abordado a realização de qualquer projeto deve bem elaboradoe requisitado e ter seus passos bem planejados, para que não ocorra como maioriadas vezes, que acabam saindo dos trilhos. Encarar uma fase desta tem que ter bom conhecimento, por isso serresolvido, procurar uma boa consultoria será muito eficiente em todas as áreas,principalmente se resolver adotar um outsourcing ou outro tipo de tendência domercado, uma empresa de consultoria com experiência no ramo será de grandeajuda para as decisões. Por fim o sucesso de uma organização está no conhecimento e técnicasutilizados, se dispuser de pessoal qualificado e orientado, não terá problema em suaimplantação e manutenções.
  • 34. 2711. REFERÊNCIASALBUQUERQUE, L.G. O Papel Estratégico de Recursos Humanos. 1987. 260 p.Tese (Livre Docência). Departamento de Administração da Faculdade de Economia,Administração e Contabilidade. Universidade de São Paulo, São Paulo, 1987.AMORIM FCB. (2001). Sistemas integrados de gestão empresarial e mudança: umestudo de caso. (dissertação). São Paulo: Pontifícia Universidade Católica de SãoPaulo.CORRÊA, H.L.; GIANESI, I.G.N.; CAON, M. (1997). Planejamento, programação econtrole da produção: MRP II / ERP: conceitos, uso e implantação. São Paulo: Atlas.( Disponível na biblioteca da EP - USP ).FISCHER, A. L.; ALBUQUERQUE, L. G. Delphi RH 2010: Tendências em Gestãode Pessoas nas Empresas Brasileiras. 2004. 60 p. Relatório Final de Pesquisa.FEA/USP. 2ªedição. São Paulo, 2004, p. 101.KIRCHMER, M. (1998). Business process oriented implementation of standardsoftware. Springer-Verlag.GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2002.GORDON, S. R.; GORDON, J. R. Sistemas de informação: uma abordagemgerencial. Rio de Janeiro: LTC,2006.LAWLER III, E. E.; MOHRMAN, S. A.: Administração de Recursos Humanos:Construindo uma Parceria Estratégica. In: GALBRAITH, J.; LAWLER III, E.Organizando Para Competir no Futuro. São Paulo, Makron Books, 1995.MELO I. S. Administração de sistemas de informação. 1. ed. São Paulo: Pioneira,2006.MENDES VJ, FILHO EE. (2003). Sistemas integrados de gestão (ERP) empequenas e médias empresas; um confronto entre a teoria e a prática empresarial.In SOUZA CA, SACCOL AZ, org. Sistemas ERP no Brasil: teoria e casos. SãoPaulo: Atlas.POLLONI, E. G. F. Administrando sistemas de informação. 1. ed. São Paulo: Futura,2000.Regazzini, A. L. (2001) “Etapas para implementar um SLA”. In: SLA – SERVICELEVEL AGREEMENT, São Paulo. Anais... São Paulo: AMCHAM, 2001.
  • 35. 28REZENDE, D. A.; ABREU, A. F. de. Tecnologia da informação aplicada a sistemasde informação empresariais: o papel estratégico da informação e dos sistemas deinformação nas empresas. 1. ed. São Paulo: Atlas, 2000.

×