Ferramentas de Controle da Qualidade
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Ferramentas de Controle da Qualidade

on

  • 19,182 views

Nesta apresentação, o Ricardo explica detalhadamente as principais ferramentas que são utilizada no controle da qualidade do projeto.

Nesta apresentação, o Ricardo explica detalhadamente as principais ferramentas que são utilizada no controle da qualidade do projeto.

Statistics

Views

Total Views
19,182
Views on SlideShare
18,401
Embed Views
781

Actions

Likes
3
Downloads
813
Comments
0

2 Embeds 781

http://www.ricardo-vargas.com 693
http://www.slideshare.net 88

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

CC Attribution-NonCommercial-NoDerivs LicenseCC Attribution-NonCommercial-NoDerivs LicenseCC Attribution-NonCommercial-NoDerivs License

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Ferramentas de Controle da Qualidade Presentation Transcript

  • 1. Ferramentas de Controle da Qualidade Ricardo Viana Vargas, MSc, IPMA-B, PMP ricardo.vargas@macrosolutions.com.br © BY RICARDO VIANA VARGAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 2. Ricardo Viana Vargas, MSc, IPMA-B, PMP Ricardo Vargas é especialista em gerenciamento de projetos, portfólio e riscos. Foi, nos últimos 15 anos, responsável por mais de 80 projetos de grande porte em diversos países, nas áreas de petróleo, energia, infraestrutura, telecomunicações, informática e finanças, com um portfólio de investimentos gerenciado superior a 18 bilhões de dólares. Foi o primeiro voluntário latino-americano a ser eleito para exercer a função de presidente do conselho diretor (Chairman) do Project Management Institute (PMI), maior organização do mundo voltada para a administração de projetos, com cerca de 500 mil membros e profissionais certificados em 175 países. Ricardo Vargas escreveu dez livros sobre gerenciamento de projetos, publicados em português e inglês, com mais de 200 mil exemplares vendidos mundialmente. Recebeu em 2005 o prêmio PMI Distinguished Award pela sua contribuição para o desenvolvimento do gerenciamento de projetos e o PMI Professional Development Product of the Year pelo workshop PMDome®, considerado a melhor solução do mundo para o ensino do gerenciamento de projetos. É professor de gerenciamento de projetos em diversos cursos de MBA, participando do conselho editorial de revistas especializadas no Brasil e nos Estados Unidos. Vargas é revisor reconhecido da mais importante referência no mundo sobre gerenciamento de projetos, o PMBOK Guide. Foi também chair da tradução oficial do PMBOK para o português. Engenheiro químico e mestre em Engenharia de Produção pela UFMG, Ricardo Vargas tem também o Master Certificate in Project Management pela George Washington University, além de ser certificado pelo PMI como Project Management Professional (PMP) e pela International Project Management Association como IPMA-B. Participou do programa de negociações para executivos da Harvard Law School. Durante onze anos, a partir de 1995, desenvolveu em conjunto com dois sócios um dos mais sólidos negócios de tecnologia, gerenciamento de projetos e terceirização do mercado brasileiro, que contava com 4,000 colaboradores e gerava uma receita anual de 50 milhões de dólares em 2006, quando Ricardo Vargas vendeu sua participação para se dedicar integralmente à internacionalização de seus trabalhos em gerenciamento de projetos. É membro da Association for Advancement of Cost Engineering (AACE), da American Management Association (AMA), da International Project Management Association (IPMA), do Institute for Global Ethics e da Professional Risk Management International Association (PRMIA). 2 © BY MACROSOLUTIONS SA. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 3. Ferramentas de Controle da Qualidade Inspeção Checklist Gráficos de Diagrama de Controle Pareto Amostragem Flowcharting Estatística © BY RICARDO VIANA VARGAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 4. Inspeção A inspeção inclui Determina se os atividades, tais como, resultados estão de • Medir, acordo com os • Examinar, requerimentos. • Testar. São conduzidas em diversos níveis do processo. © BY RICARDO VIANA VARGAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 5. Checklist É uma lista com opções Permite avaliação previamente definidas que são utilizadas ampla em um tempo como guia para o reduzido. controle dos riscos. © BY RICARDO VIANA VARGAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 6. Gráficos de Controle Os gráficos de controle são gráficos que apresentam os resultados de um processo através do tempo. Eles são utilizados para determinar se o processo está “sob controle”. São usados para monitorar qualquer tipo de saída variável. São utilizados para monitorar • variações de custo e cronograma; • volume e freqüência das mudanças; • erros nos documentos do projeto. © BY RICARDO VIANA VARGAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 7. Componentes de um Gráfico de Controle Média Linha no meio do gráfico de controle que mostra o meio do intervalo aceitável de variação do processo. Limites Superior e Inferior Representam as expectativas do cliente ou os requisitos contratuais quanto ao desempenho e à qualidade. • São características do processo e variam caso a caso. Usualmente são entradas do cliente. © BY RICARDO VIANA VARGAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 8. Gráficos de Controle Limite Superior Média Limite Inferior 0 2 4 6 8 10 12 © BY RICARDO VIANA VARGAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 9. Processo Fora de Controle O processo está fora de um estado de controle estatístico sob uma das duas circunstâncias: • um ponto está fora dos limites de controle superior e inferior ou há • pontos não randômicos que estejam dentro dos limites superior e inferior, como a regra dos sete. Pense em “fora de controle” como uma falta de consistência e previsibilidade no processo. © BY RICARDO VIANA VARGAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 10. Processo Fora de Controle 11 7 3 Fora de Controle 0 2 4 6 8 10 12 © BY RICARDO VIANA VARGAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 11. Regra dos Sete em Gráficos de Controle A regra diz que, apesar de Refere-se a pontos não nenhum desses pontos estar randômicos agrupados em fora dos limites de controle, eles não são randômicos e o séries, totalizando sete, todos de um lado da média. processo está fora de controle. © BY RICARDO VIANA VARGAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 12. Processo Fora de Controle – Regra dos Sete Fora de Controle – Regra dos Sete 11 7 3 0 2 4 6 8 10 12 © BY RICARDO VIANA VARGAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 13. Gráfico de Pareto O diagrama de Pareto é um histograma ordenado pela freqüência de ocorrência, que mostra quantos resultados foram gerados, por tipo ou categoria de causa identificada. A posição relativa das ocorrências é usada para guiar as ações corretivas. • As ações para corrigir devem ter foco, inicialmente, nos problemas que estão causando a maior quantidade de defeitos. © BY RICARDO VIANA VARGAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 14. Gráfico de Pareto 130 120 110 100 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0 Falta de Atraso na Atraso na emissão Falta de estoque Problemas de Falta de recursos Falha no transporte Outros documentação especificação da ordem de no mercado importação humanos técnica compra © BY RICARDO VIANA VARGAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 15. Lei de Pareto (80 x 20) Exemplos A Lei de Pareto que • Uma pessoa passa 80% do afirma que um número tempo assistindo a apenas consideravelmente 20% dos canais da TV a cabo. pequeno de causas irá, • Uma pessoa sai 80% das vezes tipicamente, produzir a com os mesmos 20% dos amigos. grande maioria dos • 80% das comidas utilizam problemas ou defeitos. sempre 20% das receitas. © BY RICARDO VIANA VARGAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 16. Como Construir um Gráfico de Pareto Liste as potenciais falhas e sua quantidade de ocorrências. Coloque as falhas em ordem decrescente de quantidade de ocorrência. Determine os percentuais relativos a cada uma das falhas. Acumule, em ordem decrescente, os percentuais de cada uma das falhas até que, ao atingir a última o resultado seja 100%; Construa o gráfico Falha x Percentual acumulado. © BY RICARDO VIANA VARGAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 17. Amostragem Estatística A amostragem estatística envolve escolher parte de uma população de interesse para inspeção. • Exemplo - Escolher aleatoriamente dez plantas de engenharia de uma lista de cem plantas e avaliá-las. Reduzir freqüentemente os custos de controle da qualidade. © BY RICARDO VIANA VARGAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 18. Utilização da Amostragem Estatística É melhor analisar uma amostra da população se estudar a população inteira for • levar muito tempo • custar muito caro • altamente destrutivo para o todo • testar palitos de fósforo... • quando se acredita que não existam muitos defeitos © BY RICARDO VIANA VARGAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 19. Flowcharting Um fluxograma é qualquer diagrama que mostre como os vários elementos de um sistema se relacionam As técnicas de Flowcharting comumente usadas na gerência da qualidade são • Diagrama de Causa e Efeito • Fluxogramas de Sistema ou Processo © BY RICARDO VIANA VARGAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 20. Diagrama de Causa e Efeito (Espinha de Peixe) Ilustra como várias causas e subcausas estão relacionadas com a criação de problemas ou efeitos potenciais. Também conhecido como diagrama de Ishikawa ou diagrama espinha de peixe (Fishbone diagram). © BY RICARDO VIANA VARGAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 21. Características do Diagrama de Causa e Efeito É a maneira criativa de olhar as causas ou as potenciais causas de problemas. Ajuda a estimular o pensamento, organiza as idéias e gera discussão. É utilizado para explorar os fatores que vão resultar em uma futura saída desejada. É realizado também através de mapas mentais. © BY RICARDO VIANA VARGAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 22. Diagrama de Causa e Efeito © BY RICARDO VIANA VARGAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 23. Fluxogramas de Sistema ou Processo Mostram como os vários elementos do sistema interagem segundo um determinado fluxo de decisões e processos pré-definidos. © BY RICARDO VIANA VARGAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 24. Fluxogramas de Sistema ou Processo Solicitação de Mudanças Medida Renegociar com o corretiva ou Inovação patrocinador ou inovação? ignorar Correção Impacto nos Impacto no Urgência da custos e/ou Impacto em sucesso do Alto Urgente Alto Alto Prioridade 0 (zero) mudança prazos do outras áreas projeto projeto Baixo Não urgente Baixo Baixo Ignorar Prioridade 3 (três) Prioridade 2 (dois) Prioridade 1 (um) Baseado em Vargas, R. V. Manual Prático do Plano do Projeto 4a Ed. Rio de Janeiro, Brasport, 2009 © BY RICARDO VIANA VARGAS. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
  • 25. Visite www.ricardo-vargas.com Para acessar outras apresentações, podcasts, videos e conteúdo técnico sobre gerenciamento de projetos, riscos e portfólio. © BY MACROSOLUTIONS SA