TRAUMA CRÂNIO-ENCEFÁLICO <ul><li>Prof. Dr. Luiz Fernando Bleggi Torres </li></ul><ul><li>Seção de Microscopia Eletrônica e...
Introdução <ul><li>Incidência: 1500/100000 habitantes na Grã-Bretanha </li></ul><ul><li>1% de todas as mortes </li></ul><u...
TCE: particularidades <ul><li>CRÂNIO </li></ul><ul><li>- grande determinador do efeito sobre o cérebro  </li></ul><ul><li>...
TCE: particularidades <ul><li>EFEITO DO TCE DEPENDE: </li></ul><ul><li>Forma do objeto traumatizante </li></ul><ul><li>For...
  Estágios do dano cerebral após TCE <ul><li>Dano primário </li></ul><ul><li>-no momento da injúria cerebral </li></ul><ul...
  Mecanismos de injúria cerebral <ul><li>Contato </li></ul><ul><li>- choque contra objeto </li></ul><ul><li>- efeitos loca...
  Mecanismos de injúria cerebral <ul><li>Aceleração/ desaceleração: </li></ul><ul><li>movimentação da cabeça pelo trauma <...
Lesões focais <ul><li>FRATURAS CRANIANAS </li></ul><ul><li>Aberta X Fechada </li></ul><ul><li>Linear X Cominuta </li></ul>...
Fraturas
Lesões focais <ul><li>Contusões e lacerações </li></ul><ul><li>- Contusão: pia-máter íntegra </li></ul><ul><li>transmissão...
Lesões focais <ul><li>Contusões e lacerações </li></ul><ul><li>-Mais comum: </li></ul><ul><li>pólo frontal </li></ul><ul><...
Contusão cerebral
Contusão
Lesões focais <ul><li>Hemorragia intra-craniana </li></ul><ul><li>causa mais comum de deterioração clínica após intervalo ...
  Hemorragia intra-craniana <ul><li>HEMATOMA EXTRA-DURAL </li></ul><ul><li>10% dos TCE’s graves </li></ul><ul><li>85% dos ...
  Hematoma extra-dural
  Hemorragia intra-craniana <ul><li>Hematoma subdural </li></ul><ul><li>- coleção de sangue entre dura-máter e aracnóide <...
  Hemorragia intra-craniana <ul><li>Hematoma subdural </li></ul><ul><li>mecanismo: </li></ul><ul><li>Seios venosos fixos +...
Hematoma subdural
  Hemorragia intra-craniana <ul><li>Hematoma intracerebral </li></ul><ul><li>associado à contusão </li></ul><ul><li>+ comu...
Hematoma cerebral
  Outras lesões focais <ul><li>Avulsão da junção ponto-medular </li></ul><ul><li>Transecção da haste hipofisária: infarto ...
  Dano cerebral secundário a HIC <ul><li>Hematoma e contusão: causas mais comuns de HIC </li></ul><ul><li>Doutrina de Monr...
  Doutrina de Monro-Kellie
  Dano cerebral secundário a HIC <ul><li>Mecanismo: </li></ul><ul><li>Hemorragia/contusão-> edema difuso -> achata giros -...
Herniação cerebral
Lesões difusas <ul><li>Concussão leve </li></ul><ul><li>- consciência preservada </li></ul><ul><li>Concussão clássica </li...
  Lesões difusas <ul><li>Dano cerebral isquêmico </li></ul><ul><li>-+ comum: hipocampo e gânglios da base </li></ul><ul><l...
  Dano cerebral isquêmico
Lesões difusas <ul><li>Dano vascular difuso </li></ul><ul><li>petéquias difusas no cérebro (substância branca de lobos fro...
  Dano vascular difuso
  Papel da apolipoproteína-E na injúria cerebral <ul><li>Apo-E: substância-chave do principal sistema de transporte lipídi...
Papel da apolipoproteína-E na injúria cerebral <ul><li>Internalização-> lipídios usados no reparo celular </li></ul><ul><l...
Fontes: Ellison & Love:Neuropathology 2a Ed www.trauma.org
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Tce

9,959

Published on

0 Comments
10 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
9,959
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
306
Comments
0
Likes
10
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Tce

  1. 1. TRAUMA CRÂNIO-ENCEFÁLICO <ul><li>Prof. Dr. Luiz Fernando Bleggi Torres </li></ul><ul><li>Seção de Microscopia Eletrônica e Neuropatologia HC-UFPR </li></ul>
  2. 2. Introdução <ul><li>Incidência: 1500/100000 habitantes na Grã-Bretanha </li></ul><ul><li>1% de todas as mortes </li></ul><ul><li>1-5% após TCE grave: estado vegetativo </li></ul><ul><li>5-18%: seriamente incapacitados </li></ul><ul><li>70% das vítimas: menos de 40 anos </li></ul>
  3. 3. TCE: particularidades <ul><li>CRÂNIO </li></ul><ul><li>- grande determinador do efeito sobre o cérebro </li></ul><ul><li>-“escudo” ou “arma” </li></ul><ul><li>- calota e base </li></ul><ul><li>- fossas anterior, média e posterior </li></ul>
  4. 4. TCE: particularidades <ul><li>EFEITO DO TCE DEPENDE: </li></ul><ul><li>Forma do objeto traumatizante </li></ul><ul><li>Força do impacto </li></ul><ul><li>Cabeça em movimento ou não </li></ul><ul><li>LEMBRAR QUE PODE EXISTIR : </li></ul><ul><li>Dano cerebral grave sem lesão externa detectável </li></ul><ul><li>Lesão externa grave sem injúria do tecido cerebral </li></ul>
  5. 5. Estágios do dano cerebral após TCE <ul><li>Dano primário </li></ul><ul><li>-no momento da injúria cerebral </li></ul><ul><li>-laceração de pele e cérebro, fratura, contusão </li></ul><ul><li>Dano secundário </li></ul><ul><li>-início no momento da injúria, clínica visível após intervalo de tempo </li></ul><ul><li>- HIC, isquemia, edema, infecção </li></ul>
  6. 6. Mecanismos de injúria cerebral <ul><li>Contato </li></ul><ul><li>- choque contra objeto </li></ul><ul><li>- efeitos locais: laceração, fratura, contusão cerebral, hematoma superficial </li></ul><ul><li>Inércia cerebral </li></ul><ul><li>Hematoma subdural </li></ul><ul><li>DAD </li></ul>
  7. 7. Mecanismos de injúria cerebral <ul><li>Aceleração/ desaceleração: </li></ul><ul><li>movimentação da cabeça pelo trauma </li></ul><ul><li>forças intra-cranianas e intra-cerebrais </li></ul><ul><li>estiramento, compressão e arrebentamento do tecido cerebral </li></ul>
  8. 8. Lesões focais <ul><li>FRATURAS CRANIANAS </li></ul><ul><li>Aberta X Fechada </li></ul><ul><li>Linear X Cominuta </li></ul><ul><li>Deslocada </li></ul><ul><li>Geralmente causam hematoma subdural </li></ul>
  9. 9. Fraturas
  10. 10. Lesões focais <ul><li>Contusões e lacerações </li></ul><ul><li>- Contusão: pia-máter íntegra </li></ul><ul><li>transmissão de energia cinética </li></ul><ul><li>lesão em golpe e contra-golpe </li></ul><ul><li>- Laceração: pia-máter lesada </li></ul><ul><li>penetração de objeto </li></ul><ul><li>rotura tecidual </li></ul>
  11. 11. Lesões focais <ul><li>Contusões e lacerações </li></ul><ul><li>-Mais comum: </li></ul><ul><li>pólo frontal </li></ul><ul><li>pólo temporal </li></ul><ul><li>acima e abaixo das fissuras sylvianas/ asa menor do esfenóide </li></ul>
  12. 12. Contusão cerebral
  13. 13. Contusão
  14. 14. Lesões focais <ul><li>Hemorragia intra-craniana </li></ul><ul><li>causa mais comum de deterioração clínica após intervalo lúcido </li></ul><ul><li>edema cerebral: responsável pelos eventos subseqüentes </li></ul><ul><li>locais: epidural, subdural, subaracnóidea, intraparenquimatosa, mista </li></ul>
  15. 15. Hemorragia intra-craniana <ul><li>HEMATOMA EXTRA-DURAL </li></ul><ul><li>10% dos TCE’s graves </li></ul><ul><li>85% dos adultos têm fratura craniana associada </li></ul><ul><li>criança: comum hematoma sem fratura </li></ul><ul><li>coleção de sangue entre crânio e dura-máter </li></ul><ul><li>imagem: biconvexa </li></ul><ul><li>artéria meníngea média: + envolvida </li></ul><ul><li>intervalo lúcido </li></ul><ul><li>emergência: hérnia de uncus ou de cerebelo, compressão medular, parada respiratória, morte </li></ul>
  16. 16. Hematoma extra-dural
  17. 17. Hemorragia intra-craniana <ul><li>Hematoma subdural </li></ul><ul><li>- coleção de sangue entre dura-máter e aracnóide </li></ul><ul><li>rotura de veias conectoras do sistema venoso cerebral e intradurais </li></ul><ul><li>geralmente laminar e bilateral </li></ul>
  18. 18. Hemorragia intra-craniana <ul><li>Hematoma subdural </li></ul><ul><li>mecanismo: </li></ul><ul><li>Seios venosos fixos + cérebro “flutuando” -> </li></ul><ul><li>movimentação do cérebro durante o trauma -> </li></ul><ul><li>laceração de veias </li></ul>
  19. 19. Hematoma subdural
  20. 20. Hemorragia intra-craniana <ul><li>Hematoma intracerebral </li></ul><ul><li>associado à contusão </li></ul><ul><li>+ comum: lobos frontais e temporais </li></ul><ul><li>hematomas profundos em gânglios da base: + comum do dano difuso que no focal </li></ul>
  21. 21. Hematoma cerebral
  22. 22. Outras lesões focais <ul><li>Avulsão da junção ponto-medular </li></ul><ul><li>Transecção da haste hipofisária: infarto glandular e avulsão de nervos cranianos </li></ul><ul><li>Aneurisma dissecante de art. carótida interna: trauma sobre região cervical lateral </li></ul>
  23. 23. Dano cerebral secundário a HIC <ul><li>Hematoma e contusão: causas mais comuns de HIC </li></ul><ul><li>Doutrina de Monro- Kellie: volume total do conteúdo intracraniano deve permanecer constante </li></ul>
  24. 24. Doutrina de Monro-Kellie
  25. 25. Dano cerebral secundário a HIC <ul><li>Mecanismo: </li></ul><ul><li>Hemorragia/contusão-> edema difuso -> achata giros -> desloca estruturas linha média-> diminuição ventrículo ipsilateral-> hérnia subfalcina-> hérnia tentorial-> compressão tronco cerebral-> morte </li></ul>
  26. 26. Herniação cerebral
  27. 27. Lesões difusas <ul><li>Concussão leve </li></ul><ul><li>- consciência preservada </li></ul><ul><li>Concussão clássica </li></ul><ul><li>- perda de consciência transitória </li></ul><ul><li>Dano axonal difuso (DAD) </li></ul><ul><li>- coma pós-traumático prolongado não resultante de lesão isquêmica ou de massa </li></ul>
  28. 28. Lesões difusas <ul><li>Dano cerebral isquêmico </li></ul><ul><li>-+ comum: hipocampo e gânglios da base </li></ul><ul><li>-profilaxia: prevenir hipóxia e hipotensão </li></ul><ul><li>Edema cerebral difuso </li></ul><ul><li>quase sempre há edema vasogênico após contusão </li></ul><ul><li>Edema de hemisfério inteiro ou ambos (criança/adolescente: paralisia vasomotora-> vasodilatação generalizada) </li></ul>
  29. 29. Dano cerebral isquêmico
  30. 30. Lesões difusas <ul><li>Dano vascular difuso </li></ul><ul><li>petéquias difusas no cérebro (substância branca de lobos frontais e temporais, tálamo e tronco cerebral) </li></ul><ul><li>rompimento de pequenos vasos: aceleração/desaceleração </li></ul>
  31. 31. Dano vascular difuso
  32. 32. Papel da apolipoproteína-E na injúria cerebral <ul><li>Apo-E: substância-chave do principal sistema de transporte lipídico no SNC </li></ul><ul><li>Sistema fornece colesterol e fosfolipídios aos neurônios: reparo membrana celular, remodular dendritos, sinaptogênese </li></ul><ul><li>Astrócitos: “empacota” produtos da degeneração celular + apo-E ( complexos lipoproteicos) </li></ul><ul><li>Complexos lipoproteicos secretados no extracelular-> ligação a complexos neuronais específicos (LDL)-> </li></ul>
  33. 33. Papel da apolipoproteína-E na injúria cerebral <ul><li>Internalização-> lipídios usados no reparo celular </li></ul><ul><li>Após injúria cerebral aguda aumenta expressão de apo-E de astrócito e receptor LDL neuronal </li></ul><ul><li>Humanos: apo-E2, apo-E3 e apo-E4 </li></ul><ul><li>Quantidade varia entre os indivíduos e entre as etnias </li></ul>
  34. 34. Fontes: Ellison & Love:Neuropathology 2a Ed www.trauma.org
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×