• Like
28_05_2012
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

28_05_2012

  • 674 views
Published

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
674
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
3
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Shopping Center Varejo Fashion Móveis e Eletro Economia Construção Super & Hiper Marcas Próprias Internacional Mercado Sustentabilidade Canal Farma Marketing Mix TecnologiaE-Commerce do V arejo Cl ipping
  • 2. Caros Leitores Caros Leitores, No Clipping de hoje destacamos notícia sobre pesquisa em e-commerce, que coloca o Brasil com maior participação dentre outros países da América Latina, totalizando 59% das transações realizadas em 2011. Também vale destacar o anúncio da entrada da H&M, um dos maiores players do segmento de “fast-fashion”, num sinal da importância do nosso mercado para empresas globais. E mais, o otimismo dos consumidores, fusões no setor de Shopping Centers e a questão das sacolinhas complementam os destaques da semana.Ricardo Pastore, Prof. Msc Continue nos acompanhando pelas redes sociais e saiba dasCoordenador do Núcleo de notícias mais importantes no dia-a-dia. Procure sempre por VarejoEstudos do Varejo - ESPM Espm e você nos encontrará. Boa leitura!
  • 3. Super & Hiper69% dos consumidores querem sacolinha de volta aos supermercadosSegundo pesquisa realizada pelo Datafolha, ajustamento de conduta com o Procon-SP enos dias 2 e 3 com 612 entrevistados na capital o Ministério Público estadual, concedendo 60paulista, 69% dos consumidores acham que dias de prazo para o consumidor se adaptaros supermercados deveriam voltar a distribuir à mudança. Esse prazo se encerrou em abril.gratuitamente as sacolas plásticas para o A pesquisa mostra que quatro em cadatransporte de mercadorias. O levantamento dez entrevistados já desistiram de fazerfoi feito para a Plastivida (Instituto Sócio- compras por não dispor de sacolas plásticasAmbiental dos Plásticos), entidade que para o transporte. Dos que desistiram, 23%representa interesses da cadeia industrial disseram que a decisão ocorreu no caixa,do plástico e é contra o banimento das na hora de pagar as compras.embalagens. “Chama a atenção o fato de um terço dosUm acordo feito entre o governo estadual e a entrevistados ter a percepção de que oApas (Associação Paulista de Supermercados) ambiente foi quem mais ganhou com apermitiu o banimento das sacolinhas plásticas retirada das sacolinhas. E, para dois terços,há dois anos. As embalagens deixaram de ser a retirada beneficia mais os supermercados”,distribuídas nos supermercados do Estado afirma Marlene Treuk, gerente de pesquisasdesde 4 de abril. de mercado do Datafolha. (Supermercado Moderno – 22/05/2012)Em fevereiro, o setor assinou termo de
  • 4. Super & HiperOlofsson renuncia e Plassat assume como executivo-chefe do CarrefourNesta quarta-feira (23/5), Lars Olofsson, requeridas foram alcançadas e isso contribuiuo executivo-chefe da varejista francesa, para encurtar o período de transição.renunciou e Georges Plassat o substituiu Plassat, ex-executivo-chefe da Vivarte,imediatamente. No início deste ano, Olofsson empresa do setor de vestuário, uniu-se aoanunciou que deixaria a empresa em junho, Carrefour no início deste ano. (Supermercado Moderno – 24/05/2012)em meio à tentativa do Carrefour paramelhorar seu desempenho e à manifestaçãode insatisfação de alguns acionistas.O ocorrido só fez a varejista francesa Carrefouracelerar seu processo de transição para umnovo executivo-chefe, entregando o trabalhoa Georges Plassat, enquanto a companhiatenta impulsionar suas vendas, afetadas pelacrise da dívida europeia.O comunicado divulgado nesta quinta-feira (24/5) não revela os motivos da saídaantecipada de Olofsson, trazendo apenas queele teria considerado que todas as condições
  • 5. Shopping CenterShoppings devem crescer 19% no Brasil em 2012Segundo projeção do Ibope Inteligência, setor entanto, fica para a região Norte, que ganharáserá responsável por movimentar R$ 119 bilhões cinco novos shoppings, um número queaté o fim do ano. Somente a região Sudeste representa um avanço de 33% em relação àabrigará 54% dos novos empreendimentos. base instalada atualmente na região.As vendas em shopping centers no Brasil A maioria dos centros comerciais estádevem atingir R$ 119 bilhões até o fim concentrada em 70 cidades com mais dede 2012, segundo estimativa do Ibope 300 mil habitantes que, juntas, representamInteligência. O valor representaria um 1,2% dos municípios brasileiros e acumulamcrescimento de 19,4%, comparado ao ano 76% dos empreendimentos em operaçãoanterior. A expansão acompanha o aumento no Brasil. Outras 28 unidades, entretanto,no número de centros comerciais no país. serão inaugurados em regiões que passarãoSomente neste ano, o Brasil deve ganhar 1,4 a contar com seu primeiro shopping e 36%milhão de metros quadrados de Área Bruta estão previstos para cidades com menos deComercial (ABC), chegando a 11,6 milhões. 300 mil habitantes.Entre as regiões, o Sudeste, que abriga 53%, (Mundo do Marketing – 24/05/2012)receberá 54% dos novos empreendimentos.O estado de São Paulo é o que terá maisinaugurações: 15 no total. O destaque, no
  • 6. Shopping CenterFusões no setor de shopping centers crescem 80%As fusões e aquisições no setor de shopping uma tendência de consolidação de players nocenters brasileiro cresceram 80% no primeiro setor e desconcentração geográfica de atuação,trimestre de 2012, na comparação com igual uma vez que não apenas as grandes capitaisperíodo do ano passado. têm sido foco de investimentos”, comentou.No total, foram nove operações, das quais cinco (Gouvêa de Souza – 23/05/2012)foram domésticas e quatro envolveram empresasde capital majoritariamente estrangeiro.Os dados foram divulgados nesta quarta-feira(23/5) pela KPMG e fazem parte da Pesquisa deFusões e Aquisições realizada trimestralmente.Com o resultado, o setor ficou em sexto lugarno ranking realizado pela instituição.De acordo com Marcelo Luiz Ferreira, sócioda KPMG, o segmento de shopping centerstem se beneficiado do crescimento do poderaquisitivo das classes C e D no Brasil, o queo torna atrativo.“Adicionalmente, esses movimentos evidenciam
  • 7. MercadoWOW! Nutrition recebe aporte e vai expandir atuação no varejoA One Equity Partners, ligada ao banco de planta entre 2010 e 2011. “A empresa teminvestimentos J.P. Morgan Chase & Co., crescido muito nos últimos anos. Por causa daadquiriu participação na WOW! Nutrition, alta competitividade, precisamos de um aportefabricante das marcas Gold, de adoçantes, e para continuar esse crescimento de maneiraSufresh, de sucos prontos. O valor do negócio, sustentável”, explica Sallum.fechado na semana passada, não foi revelado. No planos da WOW! Nutrition estão oWilliam De Angelis Sallum, diretor-geral lançamento de duas bebidas no segmentoda WOW! Nutrition, conta que a One terá diet e light, e o relançamento de uma“uma participação minoritária relevante na terceira linha no segundo semestre.companhia”. Segundo ele, o aporte será Além disso, a empresa pretende ampliarutilizado no lançamento de produtos e para significativamente sua presença no varejo,dar suporte ao crescimento da empresa passando, dos atuais 130 mil pontos deneste ano. A meta é que a receita cresça venda, para 300 mil até 2014.26%, para R$ 570 milhões. A One Equity Partners administra um portfólioSallum conta que a verba também será usada de US$ 11 bilhões em investimentos. Opara concluir investimentos de R$ 15 milhões aporte na WOW! Nutrition foi o terceiro feitonas fábricas de bebidas, além de servir para diretamente no País.amortizar R$ 28 milhões investidos em uma (Supermercado Moderno – 25/05/2012)
  • 8. MercadoVenda da Yoki para General Mills é oficialA norte-americana General Mills, dona produtos Yoki e Kitano, expandir os negóciosda marca de sorvetes premium Häagen- de Häagen-Daz e Nature Valley no Brasil, eDazs, confirmou a compra da tradicional introduzir novas marcas da General Millsindústria alimentícia brasileira Yoki, segundo nesse importante mercado”, complementou.informações da agência Reuters. A General Mills teve vendas líquidas globaisA General Mills está pagando R$ 1,75 bilhão de US$ 14,9 bilhões, no ano fiscal de 2011,pela Yoki e, além disso, assumindo uma dívida concentradas nos EUA (US$ 10,2 bilhões),de R$ 200 milhões. Com isso, a empresa mas a empresa está presente em mais deamericana quer dobrar as suas vendas anuais cem países. Já a brasileira Yoki, fundada emna América Latina para US$ 1 bilhão. 1960, registrou faturamento de R$ 1,1 bilhãoEm comunicado, o presidente da General ano passado.Mills, Chris O’Leary declarou que a Yoki A transação, que já havia sido comentada emvai acrescentar recursos chaves e escala detalhes pelo Meio & Mensagem em fevereiro,geográfica que acelerarão o crescimento deve ser concluída em 28 de maio (primeiroda companhia no Brasil. “Planejamos focar semestre do ano fiscal de 2013).na construção de um forte portfólio de (Meio & Mensagem – 24/05/2012)
  • 9. MercadoInvestir em ponto de venda é reação à concorrência on-lineQuem quiser continuar em ritmo crescente e francesa Saguez & Partner, que atua no País,atrair um número maior de clientes para dentro a rede apostou em pequenas mudanças quede suas lojas - uma vez que as compras pela fizeram com que seus espaços ficassemInternet já fazem parte da vida dos consumidores mais atraentes. O especialista afirma que- terá que investir em lojas personalizadas. Ou para não perder clientes, a rede francesaseja, modernizar os pontos de venda com mais supermercadista apostou na experiênciaaparatos tecnológicos, procurar novos layouts plurissensorial - ter tudo ao seu alcance - parae adotar diferentes disposições de produtos e manter seus índices de vendas.iluminação, Dentre redes que modificaram seus Ainda com a experiência do especialista empontos de venda, está o grupo francês Casino, design de varejo, “o consumidor precisa entrarque reformulou suas lojas para não sentir tanto dentro dessas lojas e conseguir ter pequenasa crise que a França vive nos últimos tempos. experiências de compras”, como explica Saguez.No Brasil, a rede francesa em breve se tornará Para Luiz Goes, sócio sênior da consultoria GS&MDmajoritária do Grupo Pão de Açúcar (GPA), e tem -empresa idealizadora do evento Redesign, queapostado em lojas menores que tenham desde discute mudanças visuais no varejo-, o mercadojornais à venda até espaços para que as pessoas deve estar atento ao novo consumidor.possam sentar-se e tomar café com os amigos. (Gouvêa de Souza – 25/05/2012)Segundo Olivier Saguez, CEO da consultoria
  • 10. MercadoAcionistas da Kraft Foods aprovam nome Mondelez para divisão de snacksDe acordo com informação publicada no PortalSM em 22 de março, a Kraft Foods deveriavirar Mondelez em 2013. Os acionistas daKraft Foods aprovaram na quarta-feira (23/5),por mais de 90% dos votos apresentados, onome Mondelez International, Inc., que haviasido proposto no último mês de março.A mudança acontecerá a partir da efetivaçãoda cisão anunciada pela empresa e o novonome identificará a companhia global desnacks, que inclui o negócio no Brasil.A Kraft Foods está se dividindo para criar duascompanhias líderes: uma empresa global desnacks (Mondelez International, Inc.) e umnegócio focado na América do Norte, comportfólio de produtos de mercearia, comoqueijos e macarrão (Kraft Foods Group, Inc).(Supermercado Moderno – 25/05/2012)
  • 11. MercadoFamília Klein pretende adquirir Viavarejo por até R$ 3,5 biDe acordo com fontes do Portal Exame, a família varejo Casas Bahia para o Pão de Açúcar.Klein contratou o Citigroup Inc. e a Arion Capital A família Klein pode decidir esperar paracomo assessores para comprar a parte da Cia. fazer sua proposta formal de aquisição daBrasileira de Distribuição Grupo Pão de Açúcar Viavarejo depois de 22 de junho, quandona Viavarejo por um valor de até R$ 3,5 bilhões. o Casino Guichard-Perrachon exercer suaSamuel Klein e seu filho Michael têm uma opção para se tornar o único controlador dofatia de 47% na Viavarejo, com sede em São Pão de Açúcar, informou a fonte.Caetano do Sul (SP), que possui um valor de Michael Klein já avisou Abílio Diniz e o Casinomercado de R$ 6,2 bilhões, de acordo com sobre a intenção de fazer a aquisição, disse ainformações da Bloomberg. revista Veja em 12 de maio.Os Kleins já informaram o Pão de Açúcar que O Citigroup, o Arion e o Casino não quiseramquerem comprar a sua fatia de 52%, de acordo comentar, segundo pessoas autorizadas a falarcom uma pessoa que preferiu não se identificar em nome das empresas que preferiram não seporque as conversas não são públicas. identificar. O Pão de Açúcar disse que não foiO aumento no consumo do Brasil tornou avisado sobre as intenções da família Klein, debilionários Samuel Klein, um imigrante polonês e acordo com assessores de imprensa que pediramsobrevivente do Holocausto, e seu filho Michael. anonimato por políticas internas da empresa.Em 2010, Samuel Klein vendeu fatia da rede de (Supermercado Moderno – 24/05/2012)
  • 12. Marketing MixPepsiCo relança o biscoito MirabelProduto fez sucesso nos anos 1980 e 1990, morango, em porções individuais.nos sabores morango e chocolate, e volta (Mundo do Marketing – 24/05/2012)ao mercado brasileiro depois de pesquisasfeitas pela empresa com os consumidores.A Mirabel volta ao mercado brasileiro pormeio da PepsiCo, que detém a marca Mabel.O relançamento é resultado de pesquisasque indicaram que os consumidores têm umaforte relação com o produto, que fez sucessonos anos 1980 e 1990, nos sabores morangoe chocolate. A partir das lembranças citadas,como recheio farto, crocância do wafer epraticidade das embalagens, a empresapretende fazer com que o consumidorrelembre os bons momentos da infância, alémde apresentar a marca como uma opção delanche para o público mais jovem. Mirabelcontinua disponível nos sabores chocolate e
  • 13. Marketing MixGB quer lançar chocolate para classes A e BApós comprar a fábrica de chocolate Divino de 50 gramas ou caixas com 400 gramas deSaporé, conforme foi publicado no Portal SM bombons. Em seguida, a GB vai lançar caixasno último dia 7 de maio, a General Brands especiais, granulados, entre outros formatos.(GB) - fabricante nacional de refrescos em pó, Mas os chocolates da marca Bulgari aindasuco pronto para beber, goma de mascar e não têm data definida de lançamento.gelatinas - quer conquistar os consumidores No primeiro ano de operação da Bulgaridas classes A e B. do Brasil, a GB pretende produzir 6 mil“A fábrica Divino Sapore passará a se toneladas, mas esse volume deve aumentarchamar Bulgari do Brasil e serão lançados rapidamente, de acordo com o presidente dadois tipos de chocolate. Um premium, com a empresa, já que a intenção é que o chocolatemarca Bulgari, dirigido às classes A e B, e o represente 20% do mix de produtos daCamp, para as classes C e D”, revela Isael empresa em dois anos.Pinto, presidente empresa. (Supermercado Moderno – 25/05/2012)Ainda de acordo com Isael, os primeiroschocolates, que chegarão às gôndolas apartir de junho, serão os da marca Camp,de mesmo nome do refresco em pó. Elesserão apresentados em tabletes de 130 e
  • 14. Varejo FashionH&M chega ao país tirando executivos da concorrênciaApós quatro anos estudando o mercado ainda terá de vencer muita burocracia.brasileiro, a rede de vestuário sueca H&M A começar pela demora na obtenção dafinalmente deu os primeiros passos para trazer habilitação para utilizar o Sistema Integradosua operação ao país. de Comércio Exterior (Siscomex).A varejista está montando um time de O registro é necessário para que a varejistaexecutivos, todos vindos da concorrência. possa importar para o Brasil os produtosNa lista de contratados está um dos homens- fabricados por 700 fábricas espalhadas porchave da Riachuelo, Flávio Amadeu, atual Europa e Ásia.diretor de operações da Guararapes. O tempo médio para expedição do documentoSegundo apurou o Brasil Econômico, a é de longos seis meses para sair. Para driblarLojas Renner e a C&A também vão perder o problema, a H&M poderia usar uma trading,colaboradores estratégicos para a rede sueca. mas pagaria mais impostos, além de ter oO contrato assinado pelos executivos prevê inconveniente de receber suas roupas commulta de R$ 3 milhões caso sejam divulgados etiquetas em nome da importadora.os planos de abertura das primeiras lojas no Confira a matéria completa em nosso sitepaís, o que deve acontecer no início de 2013. varejo.espm.brMas até lá, a segunda maior varejista de (Brasil Econômico – 22/05/2012)vestuário do mundo, atrás apenas da Zara,
  • 15. Varejo FashionDona da Zara põe roupa íntima no varal das brasileirasA crise na abertura do shopping JK Iguatemi, A holding vem sendo pressionada com a reduçãoda WTorre, apagou o brilho da entrada de várias da venda em seu mercado principal, a Espanha,marcas famosas no país, dentre elas a primeira por conta da crise que assola o país.unidade da Zara Home. E tem segurado os resultados com a expansão emMas nada que comprometesse os planos para o países emergentes. No ano passado, inclusive,Brasil da espanhola Inditex, proprietária da rede. as vendas surpreenderam. A varejista fechouSem grande pompa, a holding estuda trazer 2011 com vendas líquidas de € 13,8 bilhões, 10%também sua rede de lingerie, a Oysho, que tem acima do registrado em 2010. O lucro líquido no483 lojas em várias partes do mundo. período teve alta de 12% em € 1,9 bilhão.Paralelamente à busca de pontos de vendas A Zara ainda é a marca que tem maior participaçãopara as lojas de cama, mesa e banho, a nos negócios do grupo. Foram € 8,9 bilhões emInditex já está prospectando os espaços para vendas em 2011, alta de 10% em relação aoas lojas de lingerie. mesmo período de 2010. Em comparação, a ZaraSegundo apurou o Brasil Econômico, os Home registrou faturamento de € 317 milhões noinvestimentos neste nicho devem entrar no plano ano passado, aumento de 8% em relação a 2010.de negócios da companhia apenas no próximo E a Oysho, € 331 milhões, 3% acima.ano. E ainda dependem de a Inditex conseguir (Brasil Econômico – 23/05/2012)manter as condições financeiras favoráveis.
  • 16. EconomiaConsumidores estão mais otimistasPesquisa da Ipsos mostra que a confiança verificado entre os latino-americanos caiude brasileiros e americanos com relação dois pontos percentuais, para 43%.à economia dos seus respectivos países (Meio & Mensagem – 23/05/2012)melhorou em maio .O otimismo dos brasileiros com relação aodesempenho apresentado pela economiado País no mês de maio aumentou cincopontos percentuais, de acordo com umapesquisa feita pela Ipsos e antecipada naedição dessa quarta-feira, 23, pelo jornalFolha de S. Paulo.Segundo o estudo, que ouviu 18,7 milpessoas em 24 países, a opinião é positivatambém na América do Norte, com destaquepara os Estados Unidos. A parcela deamericanos que acreditam que a situaçãoda economia do seu País melhorou subiu de22% em abril para 27% em maio. Já o índice
  • 17. E-CommerceBrasil responde por 59% do comércio eletrônico da América LatinaAo crescer 43% entre 2010 e 2011, o e América Latina mostraram significativocomércio eletrônico brasileiro chegou a US$ crescimento em vendas no e-commerce nos25 bilhões de dólares no ano passado --mais últimos dois anos.da metade (59,1%) de todas as transações Entre os fatores, determinantes, estão acomerciais on-line da América Latina. maior segurança e confiança no momentoBastante atrás do país, em segundo lugar da compra, as plataformas de negociaçãoficou o México, com apenas 14,2%. Os em novos canais (como o comércio empaíses caribenhos vêm em seguida, com redes sociais), as reformas governamentais6,4%, seguidos de Argentina (6,2%), Chile que incentivaram a a atividade, além de(3,5%), Venezuela (3,3%), América Central um maior uso dos meios de pagamentos(2,4%), Colômbia (2%) e Peru (1,4%). eletrônicos (como os cartões de crédito).O estudo, encomendado pela Visa, mostra (Mundo do Marketing – 23/05/2012)que a alta de 43% em apenas um ano fezdo Brasil o primeiro país latino-americanoonde as vendas on-line ultrapassaram 1%do próprio PIB.A empresa responsável pelo levantamento,AméricaEconomia Intelligence, diz que Brasil
  • 18. SustentabilidadeIndústria de embalagens está mais sustentávelMaior preocupação com o meio ambiente produtos em papel cartão e redução defaz com que os fabricantes passem a dar 6,51% nos de plástico, em comparação aospreferência ao papel impresso em seus 12 meses anteriores.produtos, ao invés de plástico. (Mundo do Marketing – 23/05/2012)A produção de embalagens impressas teveum crescimento de 1% no mês de março,em comparação com o mesmo período doano passado. Os dados são da AssociaçãoBrasileira da Indústria Gráfica (ABIGRAFNacional), com base em informações do IBGE.O levantamento mostra uma queda de 12%na confecção de embalagens plásticas ecrescimento de 3,9% das impressas em papele papelão. Os índices apontam uma maiorpreocupação ambiental dos fabricantes.Ainda segundo a pesquisa, entre abril de2011 e março de 2012, o setor apresentouum crescimento de 3,87% na produção dos
  • 19. Shopping Center Varejo Fashion 28/05/2012 Móveis e Eletro Economia unidadeConstrução om de stinado à c Este info rmativo é de & , forma or alunos ex SuperarejoHiperda pMarcas, Próprias bre v interesse so Internacional empresas un cionários de essores e f nos, profMercado alu io de Varejo Sustentabilidade Reta il Lab , o laboratór Canal Farma as do Marketingrejo da ESPM. parceir Va Mix e Estudos de do Núcleo d Tecnologia :E-Commerce Coordenação or: Produzido p astore Pro f. Ricardo P rvoli Raphael Spa mo João do Car