Your SlideShare is downloading. ×
O romantismo em_outras_manifestações_artísticas[1]
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

O romantismo em_outras_manifestações_artísticas[1]

1,343
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,343
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
34
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS O Romantismo é umaO Romantismo é uma tendência que setendência que se manifesta nas artes emanifesta nas artes e na literatura do finalna literatura do final do século XVIII até odo século XVIII até o fim do século XIX.fim do século XIX. Caracteriza-se porCaracteriza-se por defender a liberdadedefender a liberdade de criação ede criação e privilegiar a emoção.privilegiar a emoção.
  • 2. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS Liberdade, paixão e emoçãoLiberdade, paixão e emoção O romantismo foi mais que um programa de açãoO romantismo foi mais que um programa de ação de um grupo de poetas, romancistas, filósofos oude um grupo de poetas, romancistas, filósofos ou músicos. Tratou-se de um vasto movimento ondemúsicos. Tratou-se de um vasto movimento onde se abrigaram o conservadorismo e o desejose abrigaram o conservadorismo e o desejo literário, a inovação formal e a repetição deliterário, a inovação formal e a repetição de fórmulas consagradas, o namoro como o poder efórmulas consagradas, o namoro como o poder e a revolta radical [...]. Liberdade, paixão e emoçãoa revolta radical [...]. Liberdade, paixão e emoção constituem um tripé sobre o qual se assenta boaconstituem um tripé sobre o qual se assenta boa parte do romantismo.parte do romantismo. CITELLI, Adilson.CITELLI, Adilson. O RomantismoO Romantismo. São Paulo: Ática, 1986, p. 9. São Paulo: Ática, 1986, p. 9
  • 3. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS O Romantismo foi um movimento artístico e intelectual ocorrido na Europa, na literatura e filosofia, que se estendeu, aproximadamente, de 1800 a 1850, para alcançar depois as artes plásticas. A arquitetura e a escultura românticas se caracterizaram por sua linguagem nostálgica e pela pouca originalidade. O Romantismo surgiu naO Romantismo surgiu na Europa numa época emEuropa numa época em que o ambiente intelectualque o ambiente intelectual era de grande rebeldia.era de grande rebeldia.
  • 4. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS O Romantismo em PortugalO Romantismo em Portugal O Romantismo em Portugal apresenta em sua evolução doisO Romantismo em Portugal apresenta em sua evolução dois momentos significativos. O primeiro deles representa o esforço demomentos significativos. O primeiro deles representa o esforço de se firmar como movimento literário apoiado na cultura popular, nose firmar como movimento literário apoiado na cultura popular, no nacionalismo, na busca das origens medievais do país, enquanto onacionalismo, na busca das origens medievais do país, enquanto o segundo constitui um momento de maturidade e de transição parasegundo constitui um momento de maturidade e de transição para o Realismo.o Realismo.
  • 5. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS A PRIMEIRA GERAÇÃO do Romantismo em Portugal vai de 1825 a 1840. Seus principais autores são Almeida Garrett (introdutor do Romantismo em Portugal) Alexandre Herculano, Antônio Feliciano de Castilho. OBRAS MAIS IMPORTANTES DE GARRETT: Na poesia: Camões, publicada em Paris, em 1825. Na prosa de ficção: Arco de Santana (1845-1850) Viagens ma minha terra (1846) No teatro: Catão (1822) Mérope (1841) Um auto de Gil Vicente (1842) Frei Luis de Souza (1844), considerada obra-prima. Ver filme: O náufrago, de Robert ZemeckisO náufrago, de Robert Zemeckis. O drama moral vivido por D.João e Madalena, em Frei Luis de Souza, ressurge no cinema do século XX. O protagonista, representado pelo ator Tom Hanks, sofre um acidente de avião no mar e se salva, vivendo solitariamente numa ilha durante quatro anos. A ser resgatado e voltar para casa, encontra sua esposa casada com outro homem, tendo com o novo marido uma filha. A saída, no caso do filme, é a mulher continuar com a nova família que formara.
  • 6. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS A SEGUNDA GERAÇÃO Ultra-romântica, de 1840 a 1860, tem com principais autores, Camilo Castelo Branco e Soares de Passos. Romantismo:Romantismo: encontro da vidaencontro da vida e da artee da arte Para o artista romântico, a arte não deve ser imitação, mas expressão direta da emoção, da intuição, da inspiração e da espontaneidade vividas por ele na hora da criação. Por isso, sua obra, a seu ver, não pode ser retocada após a concepção, sob risco de comprometer a autenticidade e a qualidade do trabalho.
  • 7. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS O Romantismo no BrasilO Romantismo no Brasil O Romantismo surge no Brasil poucos anos depois de nossaO Romantismo surge no Brasil poucos anos depois de nossa independência política (1822). Por isso, as primeiras obras literárias eindependência política (1822). Por isso, as primeiras obras literárias e os primeiros artistas românticos se mostram empenhados em definiros primeiros artistas românticos se mostram empenhados em definir um perfil da cultura brasileira, no qual o nacionalismo torna-seum perfil da cultura brasileira, no qual o nacionalismo torna-se traço essencial.traço essencial.
  • 8. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS As gerações doAs gerações do RomantismoRomantismo BrasileiroBrasileiro Tradicionalmente são apontadas três gerações de escritores românticos. Essa divisão, contudo, engloba principalmente os autores de poesia. Os romancistas não se enquadram muito bem nessa divisão, uma vez que suas obras podem apresentar traços de mais de uma geração. PRIMEIRA GERAÇÃO:PRIMEIRA GERAÇÃO: Nacionalista, indianista e religiosa. Nela se destacam Gonçalves Dias e Gonçalves de Magalhães. SEGUNDA GERAÇÃO:SEGUNDA GERAÇÃO: Marcada pelo “mal do século”, apresenta egocentrismo exacerbado, pessimismo, satanismo e atração pela morte. Seus principais representantes são Álvares de Azevedo, Casimiro de Abreu, Fagundes Varela e Junqueira Freire. TERCEIRA GERAÇÃO:TERCEIRA GERAÇÃO: Formada pelo grupo condoreiro, desenvolve uma poesia de cunho político e social. A maior expressão desse grupo é Castro Alves.
  • 9. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS O chalaça:O chalaça: Na história, na literatura e na tevêNa história, na literatura e na tevê Chalaça é o apelido do Conselheiro Francisco Gomes, secretário particular de D. Pedro I e personagem principal de O Chalaça, de José Roberto Torero, obra que, unindo pesquisa historiográfica e ficção, retrata com perspicácia os bastidores do império. O seriado O quinto dos Infernos, levado ao ar em 2002 pela Rede Globo, com texto de Carlos Lombardi, aproveita parte das informações reunidas na obra de José Roberto Torero para reconstruir a vida da corte no Brasil. Na época, o seriado foi muito criticado, tanto no Brasil quanto em Portugal, em razão do modo como foram retratadas algumas figuras históricas, como D.João VI e Carlota Joaquina. Ver vídeo com a abertura do seriadoVer vídeo com a abertura do seriado: O Quinto dos InfernosO Quinto dos Infernos. Disponível em: <http://www.youtube.com/watch?v=TMT8BPUT2Ko>
  • 10. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS O Romantismo nasO Romantismo nas BBeellaass AArrtteess
  • 11. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS As primeiras manifestações românticas na pinturapintura ocorreram quando Francisco Goya passou a pintar depois de começar a perder a audição. Um quadro de temática neoclássica apresenta uma série de emoções para o espectador que o fazem se sentir inseguro e angustiado. Francisco de Goya, 1819-1823 Óleo sobre reboco transladado a tela 146 cm x 83 cm Museu do Prado (Madrid)
  • 12. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS O francês Eugène Delacroix é considerado um pintor romântico por excelência. Sua tela, A Liberdade guiando o povo, reúne o vigor e o ideal românticos em uma obra que estrutura-se em um turbilhão de formas. O tema são os revolucionários de 1830 guiados pelo espírito da Liberdade (retratados aqui por uma mulher carregando a bandeira da França). A Liberdade guiando o povo, Eugène Delacroix.
  • 13. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS A busca pelo exótico, pelo inóspito e pelo selvagem formaria outra característica fundamental do Romantismo. Exaltavam-se as sensações extremas, os paraísos artificiais, a natureza em seu aspecto mais bruto. Ver vídeo-clip:Ver vídeo-clip: Joseph Mallord William Turner. Disponível em: <http://www.youtube.com/watch?v=Bv4lDJZYfKk> NaufrágioNaufrágio de Willian TurnerWillian Turner.
  • 14. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS O Romantismo na literaturaO Romantismo na literatura Surge na literatura quando os escritores trocam o mecenato aristocrático pelo editor, precisando assim cativar um público leitor. Esse público estará entre os pequenos burgueses, que não estavam ligados aos valores literários clássicos e, por isso, apreciariam mais a emoção do que a sutileza. La Lectrice ("A leitora"), óleo de Jean-Honoré Fragonard, 1770–1772.
  • 15. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS Tendo o liberalismo como referência ideológica, o Romantismo renega as formas rígidas da literatura, como versos de métrica exata. O romance se torna o gênero narrativo preferencial, em oposição a epopéia. É a superação da Poética, tão valorizada pelos clássicos. Os aspectos fundamentais da temática romântica são o historicismo e o individualismo. O historicismo está representado nas obras de Walter Scott (Inglaterra), Vitor Hugo (França), Almeida Garrett (Portugal), José de Alencar (Brasil), entre tantos outros. São resgates históricos apaixonados e saudosos.
  • 16. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS A outra vertente, focada no individualismo, traz consigo o culto do egocentrismo, vazado de melancolia e pessimismo (Mal-do-Século). Pelo apego ao intimismo e a valores extremados, foram chamados de Ultra-Românticos. Esses escritores como Byron, Alfred de Musset e Álvares de Azevedo beberam do Sturm und Drang alemão, perpetuando as fontes sentimentais.
  • 17. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS Versos Inscritos numaVersos Inscritos numa Taça Feita de um CrânioTaça Feita de um Crânio Tradução de Castro Alves Não, não te assustes: não fugiu o meu espírito Vê em mim um crânio, o único que existe Do qual, muito ao contrário de uma fronte viva, Tudo aquilo que flui jamais é triste. Vivi, amei, bebi, tal como tu; morri; Que renuncie e terra aos ossos meus Enche! Não podes injuriar-me; tem o verme Lábios mais repugnantes do que os teus olhos. Onde outrora brilhou, talvez, minha razão, Para ajudar os outros brilhe agora e; Substituto haverá mais nobre que o vinho Se o nosso cérebro já se perdeu? Bebe enquanto puderes; quando tu e os teus Já tiverdes partido, uma outra gente Possa te redimir da terra que abraçar-te, E festeje com o morto e a própria rima tente. E por que não? Se as fontes geram tal tristeza Através da existência -curto dia-, Redimidas dos vermes e da argila Ao menos possam ter alguma serventia. Lord Byron Lord Byron Poeta, revolucionário, barão EXERCÍCIOS: 1. O poema aborda o tema vida/morte. Que elemento representa a morte? 2. De acordo com a visão expressa no texto, por que o autor faz uma abordagem do tema com sarcasmo e humor negro? Justifique sua resposta.
  • 18. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS Alfred de Musset Alfred de MussetAlfred de Musset encarnou a figura do poeta boêmio e romântico doencarnou a figura do poeta boêmio e romântico do século XIX. Sua obra, fortemente influenciada porséculo XIX. Sua obra, fortemente influenciada por Vitor HugoVitor Hugo, solidificou, solidificou os conceitos do romantismo na França e ecoou no Brasil através deos conceitos do romantismo na França e ecoou no Brasil através de Álvares de AzevedoÁlvares de Azevedo.. “A mulher é como a tua sombra: se corresA mulher é como a tua sombra: se corres atrás dela, ela correrá à tua frente, seatrás dela, ela correrá à tua frente, se corres à frente dela, ela vem atrás de ti.”corres à frente dela, ela vem atrás de ti.” ““...o homem é um aprendiz, a dor é a sua...o homem é um aprendiz, a dor é a sua mestra, / E ninguém se conhece enquantomestra, / E ninguém se conhece enquanto não sofreu.”não sofreu.” ““Nada é tão bom como o amor, nemNada é tão bom como o amor, nem tão verdadeiro como o sofrimento.”tão verdadeiro como o sofrimento.”
  • 19. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS SONETO 3SONETO 3 Os quinze anos de uma alma transparente,Os quinze anos de uma alma transparente, O cabelo castanho, a face pura,O cabelo castanho, a face pura, Uns olhos onde pinta-se a canduraUns olhos onde pinta-se a candura De um coração que dorme, inda inocente...De um coração que dorme, inda inocente... Um seio que estremece de repenteUm seio que estremece de repente Do mimoso vestido na brancura...Do mimoso vestido na brancura... A linda mão na mágica cintura...A linda mão na mágica cintura... E uma voz que inebria docemente...E uma voz que inebria docemente... Um sorrir tão angélico, tão santo...Um sorrir tão angélico, tão santo... E nos olhos azuisE nos olhos azuis cheioscheios de vidade vida Lânguido véu de involuntário pranto...Lânguido véu de involuntário pranto... É esse o talismã, é essa a Armida,É esse o talismã, é essa a Armida, O condão de meus últimos encantos,O condão de meus últimos encantos, A visão de minh’alma distraída!A visão de minh’alma distraída! Manuel Antônio Álvares de AzevedoManuel Antônio Álvares de Azevedo foi um escritor da segunda geração romântica (Ultra-Romântica, Byroniana ou Mal-do-século),contista,dramaturgo, poeta e ensaísta brasileiro. Morreu de tuberculose aos 21 anos.
  • 20. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS O Romantismo na músicaO Romantismo na música As primeiras evidências do Romantismo na música aparecem com Beethoven.Beethoven. Suas sinfonias, a partir da terceira, revelam uma música com temática profundamente pessoal e interiorizada, assim como algumas de suas sonatas para piano também, entre as quais é possível citar a Sonata Patética. Ouvir música:Ouvir música: Sonata Patética, de BeethovenSonata Patética, de Beethoven. Disponível em: <http://www.youtube.com/watch?v=klZYv-f9kCE&feature=related> Ludwig van Beethoven
  • 21. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS Outros compositores comoOutros compositores como Frédéric ChopinFrédéric Chopin Piotr TchaikovskyPiotr Tchaikovsky Felix MendelssohnFelix Mendelssohn Franz LisztFranz Liszt levaram ainda mais adiante o ideal romântico de Beethoven,levaram ainda mais adiante o ideal romântico de Beethoven, deixando o rigor formal do Classicismo para escreveremdeixando o rigor formal do Classicismo para escreverem músicas mais de acordo com suas emoções.músicas mais de acordo com suas emoções.
  • 22. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS VERDIVERDI utilizou-se de conteúdo épico ou patriótico: Nabucco I Vespri Sicilianni I Lombardi nella Prima Crociata. Assista ao trailer:Assista ao trailer: Ópera Tristão e Isolda, de WagnerÓpera Tristão e Isolda, de Wagner Disponível em: <http://www.youtube.com/watch?v=44w6elsJr_I> WAGNERWAGNER enfocou histórias mitológicas germânicas, caso da Tetralogia do Anel dos Nibelungos e outras óperas como Tristão e Isolda e O Holandês Voador, ou sagas medievais como Tannhäuser, Lohengrin e Parsifal. Na ópera, os compositores mais notáveis:Na ópera, os compositores mais notáveis:
  • 23. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS Se Eu Morresse Amanhã!Se Eu Morresse Amanhã! Álvares de Azevedo Se eu morresse amanhã, viria ao menos Fechar meus olhos minha triste irmã; Minha mãe de saudades morreria Se eu morresse amanhã! Quanta glória pressinto em meu futuro! Que aurora de porvir e que manhã! Eu perdera chorando essas coroas Se eu morresse amanhã! ..................... Mas essa dor da vida que devora A ânsia de glória, o dolorido afã... A dor no peito emudecera ao menos Se eu morresse amanhã! Mais exercícios!Mais exercícios! ÔBA!ÔBA! O texto apresenta características da segunda geração romântica, exceto a) o subjetivismo, a tristeza e o mal-do-século. b) a inadaptação à realidade da vida, o desejo de fuga. c) a necessidade de expressão dos próprios sentimentos e emoções. d) a valorização das glórias do presente, a crença no futuro e o otimismo exacerbado.
  • 24. O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS Se Eu Morresse Amanhã!Se Eu Morresse Amanhã! Álvares de Azevedo Se eu morresse amanhã, viria ao menos Fechar meus olhos minha triste irmã; Minha mãe de saudades morreria Se eu morresse amanhã! Quanta glória pressinto em meu futuro! Que aurora de porvir e que manhã! Eu perdera chorando essas coroas Se eu morresse amanhã! ..................... Mas essa dor da vida que devora A ânsia de glória, o dolorido afã... A dor no peito emudecera ao menos Se eu morresse amanhã! Mais exercícios!Mais exercícios! ÔBA!ÔBA! O texto apresenta características da segunda geração romântica, exceto a) o subjetivismo, a tristeza e o mal-do-século. b) a inadaptação è realidade da vida, o desejo de fuga. c) a necessidade de expressão dos próprios sentimentos e emoções. d) a valorização das glórias do presente, a crença no futuro e o otimismo exacerbado.
  • 25. O homem faz, reiteradamente, balanços de suaO homem faz, reiteradamente, balanços de sua existência. Seja num dia comum, seja por meio deexistência. Seja num dia comum, seja por meio de ritos que marcam o limiar de um ano, de uma época,ritos que marcam o limiar de um ano, de uma época, de um período da vida. Fato é que se questiona,de um período da vida. Fato é que se questiona, consciente ou inconscientemente, acerca de suasconsciente ou inconscientemente, acerca de suas experiências. As manifestações artísticas traduzemexperiências. As manifestações artísticas traduzem tais momentos, representam tais situações das maistais momentos, representam tais situações das mais diferentes formas. A literatura, nesse sentido,diferentes formas. A literatura, nesse sentido, através dos textos selecionados para esta aula,através dos textos selecionados para esta aula, ofereceu opções de reflexão significativasofereceu opções de reflexão significativas.. (Fragmentos retirados da prova vestibular Pucrs/2005)(Fragmentos retirados da prova vestibular Pucrs/2005) O ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICASO ROMANTISMO EM OUTRAS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS Para dar uma pausa...Para dar uma pausa...