5   traumatismo dentário
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

5 traumatismo dentário

on

  • 8,246 views

 

Statistics

Views

Total Views
8,246
Views on SlideShare
8,246
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
145
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

5   traumatismo dentário 5 traumatismo dentário Document Transcript

  • Traumatismo DentárioO paciente que sofre trauma deve ser acompanhado, e geralmente é por umendodontista, que vai avaliar risco de necrose e/ou de reabsorção. O dente traumatizadodeve ser radiografado de tempos em tempos (ver necrose, obliteração do canal porqueforma dentina em função do trauma e o canal fica estreito, ver reabsorção radicular).Estar atento a pacientes que praticam esporte!!O prognostico depende do tipo de injúria e do adequado plano de tratamento Exame clínico: -Rx: mesial ou distal e outra oclusal para ver se o dente moveu dentro do alvéolo. Também pedir uma panorâmica pra ver fraturas nos ossos gnáticos; -Anamnese, historia médica, historia do trauma (local, quando ocorreu, como ocorreu) -Teste de sensibilidade -As lesões podem ocorrer em dente, em periodonto, em tecido mole ou em tecido ósseo. Lesões aos tecidos dentários: 1-Trinca de esmalte: -uma linha de fratura; não trata, pois não tem perda de estrutura 2-Fratura de Esmalte: -Quando o paciente diz que só traumatizou um dente, tem que olhar a boca toda para verificar se outros dentes fraturaram ou se traumatizou alguma outra área. -Deve ser feita uma proteção da região, limpeza e restauração. 3- Fratura de esmalte e dentina sem exposição pulpar: -Proteção, lavar com clorexidina e restaurar -Deve-se acompanhar o paciente, pois este tem risco de avançar para endodontia já que pode ocorrer uma inflamação posterior – no primeiro mês, depois de 6 em 6 meses no período mínimo de 3 anos. -Diagnóstico – teste de sensibilidade (ex: palpação) e radiografia -Prognóstico: pequena chance de necrose pulpar 4- Fratura de esmalte e dentina com exposição pulpar: -expõe a polpa ao meio oral -tem que ver o tempo de exposição: ate no maximo 24h pra fazer capeamento direto -tem que ver o nível de desenvolvimento radicular. (se for jovem e expor pouco – capeamento direto; expos muito – pulpotomia)
  • -Tem risco de trauma no ligamento periodontal – ver se o dente se moveudentro do alvéolo; -Diagnóstico: teste de sensibilidade pulpar alterado, radiografias (3angulações). Todo trauma gera uma alteração na resposta de sensibilidade emfunção de um estiramento da polpa, então a tendência é uma resposta negativa -Tratamento: deve ser avaliado o tipo de trauma, características do dente eplano de tratamento restaurador; Maior a área exposta, mais indicada apulpotomia. -Dente com ápice fechado – tratamento endodôntico radical -Dente com ápice aberto – tentar manter a polpa viva – capeamento pulpardireto, pulpotomia, se não conseguir manter a polpa, apicificação. -Reparo pulpar- não tem dor, não tem lesão na Rx, continua a formar a raiz,forma uma barreira mineral e o dente volta a responder nos testes. Acompanharpor 3 anos.5- Fratura corono-radicular sem exposição: -é rara; fratura em bisel, entrando no ligamento periodontal -Tratamento multidisciplinar – gengivectomia; não tem que fazer endodontia;6- Fratura Radicular: -Não é muito comum; -o que esta dentro do alvéolo não é deslocado, o que desloca é o que estapara fora dele. -pode ser horizontal ou obliqua -quanto mais para apical a fratura for, melhor o prognostico, pois na partecoronária ficará a maior parte de sustentação. -mobilidade ou deslocamento -Teste de vitalidade alterado por causa do trauma, fazer radiografias emdiversas angulações, -Tratamento: em dente sem deslocamento, não precisa tratar; tendodeslocamento, deve reposicionar o dente e ficar com imobilização flexível (por meiode um splint – colocar um fio de nylon para unir os dentes, que nem a barraortodôntica) por 4 semanas . Quando mais rápido atender o paciente, melhor oprognóstico. -Se for muito para cervical, deve reposicionar e colar com fio ortodôntico,fazendo uma imobilização rígida. Avaliar se ocorre a cicatrização do traço defratura. -Cicatrização do traço de fratura: cicatrização por tecido calcificado,cicatrização por tecido conjuntivo (o organismo identifica como se fossem 2 raízes ecomeça a formar ligamento periodontal na região de fratura), cicatrização com ossoe tecido conjuntivo, ou tecido inflamatório (ausência da cicatrização, por necrose). - Se entre um traço de fratura e outro houver um tecido, só seria possíveltratar metade do dente, então o dente passaria a ser um dente com ápice aberto. Otratamento seria como se fosse fazer uma apicificação.
  • Lesões aos tecidos de sustentação: 1- Luxações: -Além de fraturar a coroa, o dente movimentou dentro do alvéolo A) Concussão: -Traumas como cotoveladas no dente -Não há deslocamento dentro do alvéolo -Causa edema e hemorragia no ligamento periodontal -Geralmente sem dor, sem seqüelas; o dente fica um pouco mais sensível àpercussão e mastigação. -O paciente não costuma procurar o dentista por isso, por ser um traumaleve. O tratamento é só acompanhar. B) Subluxação: -ruptura de fibras do ligamento periodontal, causando um sangramento -Não desloca no alvéolo -Dente sensível a percussão e mastigação -Imobilizar com um splint por 2 semanas -Prognóstico: necrose pulpar (forame apical atrésico); obliteração pulpar -Conseqüências: *Necrose: Dente fica mais escuro *Metamorfose cálcica: o dente calcifica e fica intratável. C) Luxação Lateral: -dente desloca para palatina (lingual) ou vestibular e o ápice em direçãocontrária; pode quebrar a tábua óssea -Rompimento do ligamento periodontal e do suprimento neurovascular dapolpa -Área de compressão do ligamento periodontal e do osso  geram áreas denecrose devido à falta de nutrição; pode haver reabsorção radicular. -Diagnóstico: visual; dente normalmente preso na nova posição; percussãocausando um som alto e metálico (devido à anquilose); teste de sensibilidade negativo;radiografia (periapical com ângulos variados e oclusal) -Tratamento: reposicionamento do dente (provavelmente terá que exercermuita pressão); imobilização semi-rígida por 4 semanas; monitoramento da vitalidadepulpar; acompanhar; coroa fica descolorida; Dente com ápice fechado, tratamentoendodôntico; se tiver ápice aberto, fazer apicificação D) Luxação extrusiva: -forças oblíquas deslocam o dente para fora do alvéolo no sentido axial, masnão sai completamente do alvéolo (as fibras gengivais mantêm o dente no alvéolo) -Rompimento do ligamento periodontal e do suprimento neurovascular dapolpa -Diagnóstico: dente alongado, com certa mobilidade; radiografias;
  • Tratamento: reposicionar o dente no alvéolo se o paciente aparecer dentro de24h (mais que isso, pode formar coagulo e não vai dar pra reposicionar); imobilizaçãosemi-rígida por 2 semanas; monitorar sensibilidade pulpar -Dente com ápice aberto, ver se continua formando a raiz; faz os testes e senecrosar fazer apicificação; -Dente com ápice fechado, tem grandes chances de necrosar, fazertratamento endodôntico E) Luxação intrusiva: -Rompimento de todo o ligamento periodontal e fratura o alvéolo -Prognóstico: entre 5 e 10 anos esse dente será perdido -Diagnóstico: em adultos, observar a diferença na altura dos dentesafetados; teste de sensibilidade negativo, teste de percussão – som alto e metálico -Tratamento: dente aberto – aguardar por 3 semanas a erupção espontâneae reposicionamento ortodôntico, monitorar a vitalidade pulpar; dente fechado –reposicionamento ortodôntico ou cirúrgico (puxar com o fórceps); -Prognóstico depende do tipo de trauma (gravidade), ver se tem várias lesões,avaliar o estagio de desenvolvimento radicular; -Seqüelas: necrose, calcificação pulpar; reabsorção radicular2-Avulsão: -Resulta de um impacto frontal que expele o dente do alvéolo -O prognostico depende do período do dente fora do alvéolo e da conservação dodente nesse período -O re-implante deve ser imediato; Deve pegar o dente pela coroa, colocar em ummeio liquido e levar ao dentista; Evitar esfregar o dente pois irá retirar o ligamentoperiodontal e ira dificultar que ele volte a se formar. -Dentes decíduos não devem ser re-implantados pois representam risco pro germepermanente ; -Deve limpar o alvéolo e curetá-lo antes de re-implantar, -Tratamento: tempo fora do alvéolo deve ser menor de 60 minutos; se estivercontaminado, lavar com solução salina e mantê-lo em solução; dente com ápice aberto –cobrir com minociclina para tentar fazer uma re-vascularização; Dente com ápicefechado – tratar endodônticamente 7 a 10 dias depois. -Tratar com antibiótico sistêmico: tetraciclina (menos quando dente estiver emformação), penicilina -Imobilizar com splint flexível por 2 semana