Escola de Profetas - João Batista, o precursor do Nazareno

35,406 views
34,765 views

Published on

Biografia de João Batista, o precursor do Nazareno, Jesus Cristo. Aula ministrada na Comunidade Evangélica Unção Profética de Davi, Estrada do Porto Velho, 370 - Cordovil - RJ.
www.facebook.com/uncaoprofeticadedavi

Published in: Spiritual
0 Comments
13 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
35,406
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
264
Comments
0
Likes
13
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Escola de Profetas - João Batista, o precursor do Nazareno

  1. 1. Escola de Profetas Comunidade Evangélica Unção Profética de Davi Ministério Pastor Fabiano Bezerra www.uncaoprofeticadedavi.com
  2. 2. Introdução João Batista foi um dos mais destacados personagens do Novo Testamento, pois introduziu o ministério terreno de Jesus com dignidade e grandeza. Seu nome em hebraico significa favor de Deus. Ele vivia de maneira semelhante a outro importante personagem bíblico: Elias. Tal como o profeta no AT, João Batista combateu tenazmente a hipocrisia, a desonestidade e a maldade existentes em sua época, opondo-se abertamente ao pecado.
  3. 3. Origens de João Batista Somente o Evangelho de Lucas relata com detalhes a vida de João Batista. Por exemplo, somente este Livro cita os nomes dos pais do profeta (Lc 1.5). Também relata que sua mãe, Isabel, que era prima de Maria, mãe de Jesus (Lc 1.36), era estéril e que tanto ela como seu esposo Zacarias eram avançados em idade (Lc 1.7). Tal condição pesava muito no coração de Isabel, pois, naquela época, era vergonhoso para uma mulher não ter filhos (1 Tm 2.14, 15; Gl 4.27; Sl 113.9).
  4. 4. Origens de João Batista • Propósito de seu nascimento Lucas detalha a mensagem que o anjo Gabriel trouxera ao sacerdote, revelando o tríplice propósito de seu nascimento (Lc 1.14-17). O aparecimento repentino e inesperado do anjo deixaram Zacarias em estado de choque (Lc 1.12). Como ele não acreditou que seriam pais, mesmo sendo eles idosos, Gabriel o repreendeu, dizendo que ele não poderia mais falar até que tudo fosse cumprido. Zacarias ficou mudo até a circuncisão de João Batista (Lc 1.18-20; 59-64).
  5. 5. Origens de João Batista Lucas também deixa claro que, no sexto mês de gravidez de Isabel, o anjo Gabriel foi enviado a Maria, mãe de Jesus (Lc 1.26,27). Então, é provável que a diferença de idade entre Jesus e João Batista era de mais ou menos seis meses. Outro fato extraordinário aconteceu quando Maria foi visitar Isabel. Assim que esta entrou em seu lar, a criança saltou do ventre e Isabel foi cheia do Espírito Santo e testificou que ela era “bendita entre as mulheres e que bendito era o fruto do seu ventre” (Lc 1.41-42).
  6. 6. Hábitos e personalidade de João Batista João permaneceu no deserto até o início de seu ministério em Israel (Lc 1.80). Seu hábitos, tanto na vestimenta como no modo de vida eram muito rústicos (Mt 3.4). Assim como Elias, que também tinha a mesma forma de se vestir (2 Rs 1.8). Seus hábitos alimentares também eram diferenciados, pois os componentes principais da sua dieta eram gafanhotos e mel silvestre, iguarias encontradas no deserto com abundância (Lv 11.22; 1 Sm 14.25-29).
  7. 7. Hábitos e personalidade de João Batista João não tinha o hábito de meias palavras e condenava com veemência o que era errado e imoral (Mt 3, 7-10; 14.4). Tal como ele, a igreja hoje carece dos valentes servos de Deus que denunciam o pecado dos poderosos e mantenham sua integridade a todo custo (Jo 15.18-22).
  8. 8. O Ministério de João Batista Todos os Evangelhos descrevem que o tema principal da pregação de João Batista era o arrependimento (Mt 3.2; Mc 1.4; Lc 3.3-4; Jo 1.23), pois os profetas do AT já anunciavam a sua vinda (Is 40.3; Ml 4.5). Era evidente que o seu ministério consistia em anunciar o advento do Messias (Jo 1. 19-34). Elementos de sua pregação: • • • • Exortação ao arrependimento; Reconhecimento de que Cristo era superior a ele (Mt 3.11); Denúncia pública dos pecados dos fariseus (Lc 3.8); Proclamação da eternidade de Cristo (Jo 1.15); Seu sacrifício (Jo 1.29, 36) e do advento do Espírito Santo (Jo 1.33).
  9. 9. O Ministério de João Batista Observações importantes sobre seu ministério: • • • Ele foi o último dos profetas da antiga aliança, o que significava o advento de um novo período na história da humanidade: a dispensação da graça (Lc 16.16); Ele era chamado de Batista porque essa era uma característica de seu ministério: fazer descer as águas todos os que desejassem assumir publicamente sua condição de pecador (Lc 3.2,3). O arrependimento e a confissão dos pecados eram confirmados por esse batismo, seguindo um costume comum no Judaísmo. Porém, o teor do batismo de João era o sacrifício de Cristo; Ele foi o arauto das boas novas, encarregado de anunciar a mensagem divina (Mt 3.1).
  10. 10. Grandes momentos de João Batista 1. João Batiza Jesus (Mt 3.13); Quando o Mestre se aproxima dele, o profeta diz: “eu careço de ser batizado por ti, e vens a mim?” (Mt 3.14), reconhecendo que Jesus era superior a ele (Mt 3.11). 2. João perde seus seguidores (Jo 3.22-30); Após o batismo, Jesus começou a pregar e a atrair muitos seguidores, inclusive os de João. Alguns dos seus companheiros se ressentiram, mas ele lhes advertiu: “é necessário que ele cresça e eu diminua”.
  11. 11. Grandes momentos de João Batista 3. João deseja confirmar a natureza do Messias (Mt 11.15); Estando na prisão, João enviou dois de seus discípulos para perguntar ao Senhor se ele era o Messias prometido ou se viria outro depois dele. Jesus fez valer as Suas obras, como a cura de cegos, coxos, leprosos e da ressureição dos mortos, bem como a pregação do Evangelho (Lc 7.22, 23). As Suas obras já mostrava que Ele era o Messias anunciado por João Batista. 4. João tem sua morte decretada (Mc 6.21,25; Mt 14.6-8). Por conta de sua reprovação pública a respeito do pecado de Herodes (Lc 3.19; Mc 6.17-19). Com isso, Herodias, sua mulher, queria vê-lo morto, conseguindo seu intento (Mc 6.19, 20; 21-29).
  12. 12. João Batista e Jesus Cristo O relacionamento de João e Jesus foi muito específico, provocadas pela natureza de seus ministérios, a saber: • Eles eram primos (Lc 1.34-36. 56, 57); • Por algumas ocasiões, João foi confundido com Jesus (Mt 14.1,2; 16.13,14); • Jesus comparou João Batista a Elias (Mt 17.11-13); • Jesus declarou que João Batista foi o maior homem nascido de mulher (Mt 11.11; Lc 7.28). Diante disso, é muito importante notar que, embora fossem contemporâneos e tivessem características em comum, seus ministérios eram diferentes: João era o precursor do Messias e Jesus era o próprio Messias.
  13. 13. CONCLUSÃO Em João 1.6 está escrito que houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João, lhe assegurando a autenticidade do ministério desse grande homem, que foi um exemplo de zelo e obediência à vontade Dele. Porém, lembremos que Jesus foi muito superior a ele: Jesus é a Palavra, João era o mensageiro; Jesus é eterno, João era temporal; Jesus é Deus, João foi enviado por Ele. João foi morto e sepultado por seus discípulos, mas Jesus ressuscitou e é o Salvador da humanidade.

×