Psicopatia E Mídia

5,894 views

Published on

Published in: Health & Medicine
0 Comments
6 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
5,894
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
311
Actions
Shares
0
Downloads
207
Comments
0
Likes
6
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Psicopatia E Mídia

  1. 1. Universidade Federal Fluminense – MedicinaPsiquiatria e Psicopatologia Forense<br />Psicopatia e Mídia<br />“Os bons fazem os que bons apenas sonham”<br />Transtornos de personalidade, psicopatia<br />e serial killers<br />MORANA, Hilda C P; Stone, M H; Abdalla-Filho, E<br />Rev Bras Psiquiatr. 2006;28(Supl II):S74-9<br />
  2. 2. Psicopatia e Mídia<br />Psiquiatria e Psicopatologia Forense<br />Prof. Alexandre Valença<br />Amon Sousa<br />Ana Maria Neiva<br />Bernardo Avellar<br />Renato Moura<br />Talita Sposito<br />
  3. 3. O que é psicopatia?<br /><ul><li>Termo psiquiátrico-forense
  4. 4. Exacerbação de transtornos de personalidade</li></li></ul><li>Psicopatia<br />as características do psicopata<br /><ul><li> Loquacidade/charme superficial
  5. 5. Auto-estima inflada
  6. 6. Mentira patológica
  7. 7. Controle/manipulação
  8. 8. Falta de remorso ou culpa
  9. 9. Insensibilidade/falta de empatia
  10. 10. Frágil controle comportamental
  11. 11. Comportamento sexual promíscuo
  12. 12. Delinqüência juvenil</li></li></ul><li>Transtornos de Personalidade<br />Os oito tipos classificáveis<br /><ul><li>Paranóide
  13. 13. Esquizóide;
  14. 14. Anti-social
  15. 15. Emocionalmente instável –impulsivo e borderline
  16. 16. Histriônico -Prevalece egocentrismo, a baixa tolerância a frustrações; teatralidade e superficialidade.
  17. 17. Anancástico;
  18. 18. Ansioso
  19. 19. Dependente.</li></li></ul><li>Etiologia orgânica<br />dos Transtornos de Personalidade<br /><ul><li>Fatores genéticos;
  20. 20. Persistência de ondas lentas nos lobos temporais;
  21. 21. Danosemáreascomo o lobo frontal, o hipotálamo e o sistemalímbico;
  22. 22. Hipofunção da amídala em TP Anti-Social.</li></li></ul><li>Etiologia orgânica<br />dos Transtornos de Personalidade<br />↑[ Testosterona ]<br />Comportamento mais agressivo<br />↑[ Serotonina ]<br />Comportamento mais sociável<br />
  23. 23. Etiologia ambiental-orgânica<br />dos Transtornos de Personalidade<br />
  24. 24. Indiferença ao sofrimento<br />Fatores ambientais e orgânicos<br />Sadismo<br />Extremo Narcisismo<br />Regiões cerebrais relacionadas à empatia significativamente deficientes<br />
  25. 25. Etiologia Social<br />Da psicopatia<br />Disfunção neurobiológica<br />Estímulo social e educativo negativo<br />
  26. 26. Ambiente Social<br />Causas das Psicopatia<br />A predisposição genética se concretizaria em uma criança que mostra o déficit emocional. Tal criança possui assim um sistema mental deficiente na percepção das emoções e dos sentimentos, na regulação da impulsividade e na experimentação do medo e da ansiedade. Nos casos em que os pais realizam de forma muito competente suas tarefas educacionais, essas características biológicas podem ser compensadas ou canalizadas para atividades socialmente aceitas. <br />
  27. 27. Psicopatia<br />Conceitos-Chave<br /><ul><li> Pessoas comuns costumam ter impulsos cruéis, mas ao contrário dos psicopatas, conseguem dominá-los em vez de transformá-los em atos.
  28. 28. Estima-se que 5,8% dos homens e 1,2% das mulheres apresentem sinais de do distúrbio e psicopatia propriamente dita, em algum momento da vida.
  29. 29. O problema é comumente diagnosticado na faixa dos 26 aos 40 anos.; acima dessa idade a incidência diminui.</li></li></ul><li>Nem todo psicopata é um serial killer<br />
  30. 30. Psicopatia<br />Conceitos-Chave<br /><ul><li> Estima-se que 20% dos presidiários que cometeram crimes violentos tenham tendências psicopatas.
  31. 31. Em presídios de segurança máxima dos Estados Unidos, este valor sobe para cerca de 50% dos presidiários.
  32. 32. No Brasil, não há estatísticas específicas sobre esse assunto.</li></li></ul><li>Psicopatia<br />Conceitos-Chave<br /><ul><li> O distúrbio de personalidade dissocial é mais comum em meninos que meninas.
  33. 33. Devidos às normas de socialização: as garotas são ensinadas com maior frequência e ênfase a controlar a expressão evidente de raiva.
  34. 34. O início dos sintomas antissociais nos meninos surge por volta dos 7 anos; já nas meninas, aparecem por volta dos 13.
  35. 35. Devido a diferenças biológicas entre sexos. </li></li></ul><li>Psicopatia no meio forense <br />Observação do comportamento<br />Relação perito-periciando<br />Perícia<br />
  36. 36. Referência quanto a capacidade de empatia e resposta emocional:<br /><ul><li>Entendem os fatos, mas não se importam
  37. 37. Processos emocionais como uma segunda língua
  38. 38. Conhecem as palavras, mas não a música</li></ul>Perícia<br />
  39. 39. Exames psicológicos<br />O PCL - R, (PsychopathyChecklistRevised), de autoria de Robert D. Hare. Introduzido pela psiquiatra Hilda Morana - FMUSP<br />Perícia<br />
  40. 40. PCL - R pretende diferenciar os psicopatas dos não-psicopatas com vistas a não prejudicar a reabilitação dos chamados criminosos comuns.<br />A Escala Hare PCL-R é composta por:<br /><ul><li>Manual critérios para pesquisa
  41. 41. Caderno de pontuação
  42. 42. Roteiros para entrevistas e informações
  43. 43. Protocolos
  44. 44. 86,5% dos serial killers preenchem os critérios de Hare ( estudo de Stone)</li></ul>Perícia<br />
  45. 45. Entrevista com familiares do periciando pode ser útil, buscando histórias de vida<br />Perícia<br />
  46. 46. Para a Psiquiatria Forense Brasileira, a psicopatia não é considerada doença mental, e sim perturbação da saúde mental (CID-10; DSM-IV-TR)<br />Determinação<br />Entendimento <br />Responsabilidade penal e capacidade civil<br />
  47. 47. De acordo com o entendimento do juiz<br /><ul><li>semi-imputabilidade ?
  48. 48. Hospital para tratamento?
  49. 49. Tratamento ambulatorial?</li></ul>Responsabilidade penal e capacidade civil<br />
  50. 50. Responsabilidade penal e capacidade civil<br />Polêmicas:<br /><ul><li>Dificuldade do tratamento </li></ul>(Medida de Segurança)<br /><ul><li>Potencialmente perigosos se soltos ou presos
  51. 51. Aplicação de tratamento dependendo da punição e não do quadro médico-psiquiátrico.</li></li></ul><li>Psicopatia na MídiaCinema e Televisão<br />
  52. 52. Psicopatia na MídiaCinema e Televisão<br />
  53. 53. Psicopatia na MídiaCinema e Televisão<br />
  54. 54. Psicopatia na MídiaRevista Veja Novembro 2009<br />
  55. 55. Psicopatia na MídiaMente e Cérebro Novembro 2009<br />
  56. 56. Viabilidade depende de:<br />Natureza e gravidade da patologia<br />Grau de invasão e impacto<br />Saúde prévia, comorbidades, fatores de risco<br />Momento do diagnóstico<br />Experiência da equipe<br />Local adequado<br />Conhecimento científico<br />Tratamento<br />
  57. 57. Tratamento<br />Desafio terapêutico: <br />Psicopatas X transtorno anti-social sem psicopatia<br />Alívio da sintomatologia<br />Lítio<br />Anticonvulsivantes<br />Antipsicóticos<br />Antidepressivos<br />Psicoterapia <br />

×