Cores E TransparêNcias
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Cores E TransparêNcias

on

  • 4,520 views

 

Statistics

Views

Total Views
4,520
Slideshare-icon Views on SlideShare
2,357
Embed Views
2,163

Actions

Likes
0
Downloads
81
Comments
0

7 Embeds 2,163

http://profarenataruiz.wordpress.com 2091
http://renataruiz.wordpress.com 56
http://webcache.googleusercontent.com 5
http://www.slideshare.net 4
http://renatamruiz.wordpress.com 4
http://64.233.163.132 2
url_unknown 1
More...

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Cores E TransparêNcias Cores E TransparêNcias Presentation Transcript

    • CORES E TRANSPARÊNCIAS
    • CORES E TRANSPARÊNCIAS   Diferenças básicas entre a cor que você vê na tela e a cor impressa;   Aplicação das cores no InDesign   Transparências
    • CORES  As cores que você visualiza no monitor não serão as cores impressas em uma folha.  As cores visualizadas na tela não são “confiáveis”, você precisa de uma referência segura para saber que cor aplicar. Essa referência pode ser obtida junto à gráfica que irá imprimir seu trabalho: a tabela de cores que ele adota.
    • AMBIENTE DE EDITORAÇÃO   Como estamos em um ambiente de editoração, nosso maior objetivo é criar documentos que serão impressos. Assim, ao pensarmos em cores, automaticamente, pensaremos em tintas.   No processo de pré-impressão, cada cor presente no documento é decomposta em quatro cores básicas (chamadas cores de processo ou de escala): Ciano, Magenta, Amarelo e Preto (CMYK ou Cian, Magenta, Yellow, blacK).
    • AMBIENTE DE EDITORAÇÃO   Paracada cor básica é impressa uma retícula, em filme (e em negativo), através de fotocompositoras (imagesetters). A retícula é alinhada com uma chapa de impressão, fotossensível. Em seguida, ela é bombardeada com um foco de luz concentrado, sensibilizando a chapa (chapa queimada). Ao final, teremos quatro chapas de impressão, uma para cada cor.   Cada chapa é presa a um cilindro que, por sua vez, é engatado na prensa tipográfica (offset). Se a prensa for monocromática, imprimirá uma cor de cada vez. Em prensas policromáticas, os quatro cilindros são engatados em seqüência e a página passa de um para o outro diretamente.
    • COMO APLICAR?   Seas cores que visualizamos no monitor não são confiáveis, como relacioná-las com as tintas que serão utilizadas? Como definir uma cor a ser aplicada, se ela não pode ser avaliada juntamente com outras telas do monitor?
    • CORES NO INDESIGN  Esta questão foi minimizada, não resolvida, através do gerenciamento de cores.  O espectro de cores que o monitor consegue reproduzir é chamado gamut do monitor.  Essa limitação interfere quando nos referimos a tintas. Nenhuma imagem impressa poderá reproduzir as cores que os olhos são capazes de ver. Por quê? Porque a faixa de cores que a combinação das tintas CMYK é capaz de reproduzir é menor que a do olho humano.
    • CORES NO INDESIGN   Omesmo acontece com os monitores,que trabalham no modo RGB (Red, Green e Blue – Vermelho, Verde e Azul). O gamut RGB é capaz de reproduzir 16 milhões de cores, bem mais que o gamut CMYK, e aí ocorre uma discrepância. E como resolvemos isso?
    • CORES NO INDESIGN  O InDesign oferece duas alternativas. A primeira é o gerenciamento de cores, que tenta conciliar as diferenças existentes entre os dispositivos.  A segunda é permitir você trabalhar com um modo de cor. Quando você escolhe ou “cria” uma cor, pode fazê-lo no modo CMYK, o InDesign exibirá apenas na tela apenas as cores do gamut CMYK, ainda que o gamut RGB seja maior. Com isso, teoricamente, as cores que você visualizar ao escolhê-las, estarão dentro do gamut imprimível e poderão ser usadas com segurança.
    • GAMUT  Gamut nada mais é que a escala de cores que um sistema de cor pode exibir ou imprimir. Uma cor que pode ser mostrada nos modelos RGB ou HSB, pode estar fora do gamut (portanto não será impressa) de uma configuração CMYK .  O gamut de cores em RGB compreende as cores que podem ser exibidas no monitor, já o gamut de cores de CMYK corresponde as cores disponíveis para impressão, sendo o menor de todos os modos;
    • CORES NO INDESIGN   Então, para que servem os outros dois modos, RGB e LAB? E o CMYK?
    • RGB  Mistura as cores básicas (vermelha, verde e azul. A soma delas forma o branco puro, e por isso elas são chamadas aditivas. Cada um dos componentes (canais) de cor pode variar de 0 a 255, onde o valor corresponde a um nível de luminosidade.  O branco puro corresponde a R=G=B=255 e o preto puro a R=G=B=0.  Utilização: não utilizado na mídia não- impressa, por exemplo em CD-ROMs e Internet.
    • CMYK   Trabalha através da combinação percentual (0% a 100%). A tinta preta, na realidade, só é utilizada pelo fato de a combinação das três primeiras (ciano, magenta e amarelo) não resultar m preto puro (por isso, são chamadas cores subtrativas).   Devido ao monitor mostrar apenas cores RGB, assim, o InDesign simula as cores CMYK quando você trabalha neste modo.
    • LAB   Foi concebido a não depender do dispositivo monitor, impressora, scanner, etc, através do controle de três atributos – luminosidade (L) e mais dois componentes cromáticos: A para verde ou vermelho e o B para azul ou amarelo.Possui o maior gamut, abrangendo até os outros dois.   Utilizado em imagens de alta qualidade.
    • APLICANDO CORES   OInDesign herdou uma característica do Photoshop. A caixa de ferramentas traz o seletor na forma de dois quadros, que indicam as cores para preenchimento (fill) e traçado (stroke). Traçado Preenchimento
    • A PALETA SWATCHES  Você pode nomear cores que serão vinculadas pelo Indesign ao objeto.  Por padrão, o InDesign define seis amostras CMYK.  As amostras não editáveis não podem ser removidas, enquanto que as outras podem.  A amostra PAPER simula a cor do papel em que o documento será impresso.
    • CRIANDO UMA AMOSTRA DE COR   Você pode criar de três maneiras diferentes: 1.  Através da interface NEW COLOR SWATCH; 2.  Duplicando uma amostra já existente e editando-a; 3.  A partir de uma cor sem nome aplicada a um objeto
    • BIBLIOTECA DE CORES DE PADRÃO INDUSTRIAL   Você pode escolher uma amostra com base em uma tinta específica. Quando você escolhe uma cor a partir de uma biblioteca, o InDesign utiliza o nome dessa cor e não permite que você o edite.
    • NOVA TONALIDADE   Vocêpode criar uma amostra de tonalidade a partir de qualquer amostra de cor presente na paleta Swatches.
    • A PALETA DE COR   Está ligada a paleta gradiente   Traz uma opção de adicionar a cor criada na paleta Swatches   Não pode selecionar uma cor a partir da biblioteca, mas você pode criar uma cor sem nome e transformá-la em amostra.
    • GRADIENTE   Um gradiente ou degradé consiste na transição gradual de uma cor para outra.   É possível definir se haverá ou não cores intermediárias através de elementos chamados paradas de cor (colors stops).   Você também pode criar gradientes em textos.
    • TRANSPARÊNCIAS   Você pode controlar o nível de opacidade das cores dos objetos e criar efeitos envolvendo transparências e ainda, podem imprimí-las.   Pode aplicar em qualquer objeto de layout. Só não é possível especificar valores diferentes de transparência no preenchimento e no traçado de um mesmo objeto.
    • A PALETA TRANSPARENCY   Window > Transparency   A aplicação é bem simples: você seleciona o objeto e especifica o nível de opacidade na caixa Opacity.