Aprenda finanças pessoais e investimentos na prática

4,137 views
3,939 views

Published on

Apresentação do curso ministrado pelo Renatrader, da Renascença DTVM, corretora home broker com sede em São Paulo.

Published in: Economy & Finance
1 Comment
7 Likes
Statistics
Notes
  • não é tão fácil ter bons lucros em investimentos, eu estudo muito sobre investimentos e sei o quanto é dificil, eu já tenho um bom resultado, mas isso foi com muito esforço, inclusive vou deixar um link de umas aulas que fiz recentemente e me ajudou bastante COPIAR E COLAR NO NAVEGADOR:
    LINK: http://bit.ly/investidor1
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
4,137
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
7
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aprenda finanças pessoais e investimentos na prática

  1. 1. 2011Renascença DTVMEquipe Renatrader[APRENDA FINANÇAS PESSOAISE INVESTIMENTOS NA PRÁTICA]Conceitos fundamentais em finanças pessoais e em investimentos parainvestidores iniciantes.
  2. 2. 1PrefácioParabéns, você chegou onde muitos gostariam de estar, no caminho para umfuturo melhor, pensando em cuidar de suas finanças pessoais e cultivarinvestimentos para seu futuro.Neste material serão abordardos em duas partes os conceitos fundamentaisem finanças pessoais e em investimentos.Estruturar adequadamente as finanças pessoais é o ponto de partida dequalquer pessoa que deseja se tornar o investidor: é preciso ter as contas emdia para poupar e começar a investir.Uma vez com as finanças pessoais organizadas, muitas alternativas deinvestimento surgem para o investidor. Não existe o melhor investimento,existe apenas o melhor ou pior investimento para cada perfil de investimento,para cada tipo de estratégia. Na segunda parte desta apostila sãoapresentados os conceitos sobre investimentos.O investidor que souber lidar com estes dois grandes assuntos, finançaspessoais e investimentos, estará bem inserido no contexto de investimento esem dúvida pronta para investir de forma consciente.Desejamos a você leitor, uma leitura tranqüila direta e esclarecedora.Atenciosamente,Márcio Rodrigues, professor Renatrader RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  3. 3. 2Índice Página PARTE 1: FINANÇAS PESSOAIS 4 Capítulo 1: Conceitos de finanças pessoais 5 1.1 Valor presente e valor futuro 5 1.2 Autoconhecimento 7 1.3 Planejando o futuro 9 1.4 Metas e objetivos financeiros 10 Capítulo 2: Montando seu orçamento 9 2.1 Identificando as receitas 12 2.2 Identificando as despesas 12 2.3 Despesas no Brasil 13 2.4 Definindo as prioridades 13 2.5 Definindo o orçamento 15 Capítulo 3: Consumo e suas “armadilhas” 19 3.1 Consumo de bens de baixo valor 19 3.2 Consumo de bens de alto valor 20 3.3 Comportamento no momento da compra 22 Capítulo 4: Imposto de Renda 25 4.1 Regra geral do imposto de renda 25 4.2 Preenchendo a declaração 27 Capítulo 5: Uso consciente do crédito 30 5.1 Tipos de crédito 30 5.2 Tipos de financiamento 32 5.3 Usando o crédito corretamente 33 PARTE 2: INVESTIMENTOS 35 Capítulo 6: Produtos de investimentos 36 6.1 Tesouro Direto 36 6.2 Debêntures 37 6.3 Ações e opções 37 6.4 Fundos de Índice negociados em bolsa 41 6.5 Outros produtos de investimento 42 Capítulo 7: Decisões em investimentos 43 7.1 Perfil de investidor 43 7.2 Tipo de estratégia 45 7.3 Análise fundamentalista 47 7.4 Análise técnica 51 Capítulo 8: Gerenciando investimentos 58 8.1 O conceito da diversificação 58 RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  4. 4. 38.2 Usando stops 598.3 Trocando de investimento 618.4 Plano de investimento 628.5 Tributação 63 Capítulo 9: Usando o home broker 659.1 Função do Renatrader 659.2 Abrindo a conta 659.3 Operando Tesouro Direto 679.4 Operando na BM&FBOVESPA 689.5 Acompanhando a conta 699.6 Lendo um relatório 719.7 Usando um gráfico 72 Anexos 73I Teste de Perfil de Investidor 73 Bibliografia 75 RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  5. 5. 4PARTE 1: FINANÇAS PESSOAISNa parte 1 deste material são apresentados os conceitos mais importantespara entender as finanças pessoais com objetivo de ajudar o investidor aorganizar-se financeiramente.Nos três primeiros capítulos são apresentados os conceitos essenciais paraorganizar as finanças pessoais e controlar as contas do dia a dia, tanto receitascomo despesas.No quarto capítulo o investidor será apresentado às regras de imposto derenda, parte importante do controle das finanças pessoais.Usar conscientemente o crédito está relacionado ao tratamento das finançaspessoais e é assunto do quinto capítulo.Capítulo 1: Conceitos de finanças pessoaisCapítulo 2: Montando seu orçamentoCapítulo 3: Consumo e suas “armadilhas”Capítulo 4: Imposto de RendaCapítulo 5: Uso consciente do crédito RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  6. 6. 5Capítulo 1: Conceitos de finanças pessoais1.1 Valor presente e valor futuro A necessidade de se preocupar com as finanças pessoais surge danecessidade temporal do dinheiro, ou seja, de poupar um determinado valorhoje para usar este valor no futuro. Esta necessidade pode surgir por vários motivos, como: • Formação de patrimônio particular/familiar; • Preocupação em preservar o poder de consumo; • Preocupação em melhorar o padrão de vida; • Ter uma reserva para maior segurança financeira; • Pagar à vista a aquisição de um bem. Como é racionalmente preferível sempre utilizar um recurso financeirohoje ao invés de utilizar no futuro, o esforço de poupança só faz sentido paraalguém se houver uma remuneração pelo tempo que a poupança fiquedepositada, de forma a compensar essa abstinência. Por outro lado, alguma outra pessoa pode pensar de maneira diferentee preferir adiantar um gasto futuro ao estar disposto a pagar para isto. Estapessoa pode querer investir em um negócio rentável ou simplesmente desejautilizar um bem agora ao invés de preferir poupar para consumir. Estas duas pessoas, ao se encontrarem, podem fazer uma troca: apessoa com poupança empresta ao devedor o valor desejado em troca de umaremuneração pelo tempo do empréstimo. A essa remuneração chamamos juros, e o valor será tanto maiorquanto maior for o risco de o devedor não honrar o compromisso com ocredor. Quanto maior o prazo, maior o peso dos juros, em proporção aotempo. Os juros são, portanto, o elo entre o valor presente (o quanto valeagora determinada aplicação ou dívida) e o valor futuro (o quanto valerádeterminada aplicação ou dívida). Os juros podem ser imputados de formasimples ou composta.Juros Simples Os juros simples são cobrados por período sempre sobre o valorpresente (ou podemos neste caso chamar de montante), de acordo com aseguinte relação:Onde: RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  7. 7. 6VF = Valor FuturoVP = Valor presenten = Períodosi = taxa de jurosJuros Compostos Os juros compostos são cobrados de forma escalonada, ou seja, apóscada período, o valor devido de juros passado passa a ser incorporado ao adamontante, novos juros para novos períodos são então cobrados sobre o valororiginal e sobre os juros incorporados, cobrando assim, juros sobre juros: cobrando-seOnde:VF = Valor FuturoVP = Valor presenten = Períodosi = taxa de juros No Brasil, prevalece o padrão de remuneração e cobrança de juros sobforma composta. O padrão de capitalizaçãoComparativos varia de país para país. O gráfico a seguir ilustra o comparativo entre as duas formas decapitalização em função do tempo: Para a construção do gráfico foi utilizado um capital inicial de 100,00aplicado a uma taxa de 300% ao período, por 1,5 períodos. Para comparar astaxas, o intervalo adotado para cada ponto do gráfico é de 0,1 períodos. do Nota-se que ao capitalizar em períodos menores que o da taxa de juros seé mais rentável utilizar a capitalização por juros simples. Capitalizar emperíodos maiores que o da taxa de juros é mais rentável nos j juros compostos. RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  8. 8. 7 Em outras palavras, podemos dizer que aplicar em algo que rende 10%ao ano por 6 meses é mais rentável em regime de capitalização simples.Aplicar em algo que rende 10% ao ano por 2 anos é mais rentável em regimede capitalização composta. Invertendo-se a ordem da fórmula, é possível obter ainda o valorpresente a partir das mesmas fórmulas: Para capitalização composta: Para capitalização simples: Esta inversão pode ser particularmente útil para casos onde se deseja,por exemplo, calcular o valor presente de uma dívida ou estimar o valor deuma poupança hoje para atingir um objetivo financeiro.1.2 Autoconhecimento O autoconhecimento é a etapa de definir algumas característicaspessoais que influenciam as decisões em finanças pessoais. Responda às perguntas abaixo para conhecer um pouco mais sobrecomo efetuar seu planejamento financeiro: a. Qual o valor dos meus rendimentos? b. Qual o valor dos meus gastos? c. Com qual idade pretendo me aposentar? d. Qual a minha idade atual? e. Quão estável é minha renda? f. Quantas pessoas dependem da minha renda? g. Qual a rentabilidade dos meus investimentos? Ao responder à pergunta A e B, a diferença entre os valores dá a priorio valor de saldo mensal livre para investimentos. Sobre a diferença A menos B: • Para quem apresentar esta diferença como um valor negativo em suas próprias finanças, alerta máximo: é preciso rever os gastos imediatamente; • Para quem apresentar esta diferença com o valor zero (ou muito próximo disso), um aviso: apesar de a situação ser confortável no curto prazo, é importante notar que no longo prazo não se forma patrimônio sem investimento; • Para quem apresentar esta diferença com um valor positivo, é preciso ainda assim verificar se a velocidade da poupança atende às expectativas. RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  9. 9. 8 Ao responder à pergunta C e D, a diferença entre os valores dá otempo que o indivíduo tem para atingir sua meta para aposentadoria ouindependência financeira. Quanto maior o valor da diferença, mais flexível pode ser o plano paraaposentadoria, exigindo menores esforços financeiros no presente. Para quem deseja encontrar um ponto de equilíbrio desse nível deinvestimento em relação à renda, recomenda-se geralmente o intervalo de10% a 30% do valor da renda média para investimento. A proporção do valorem investimento vai depender diretamente dos objetivos financeiros doindivíduo. O conceito de estabilidade da renda é um tanto quanto vasto. Demodo geral pode-se dizer que profissionais autônomos têm menorestabilidade da renda, enquanto profissionais da iniciativa privada e públicatem maior estabilidade. Ainda comparando profissionais da iniciativa privadacom os da iniciativa pública, o segundo tem normalmente uma carreira estávelcom renda estável. De modo geral pode-se dizer que, quanto mais instável a renda, maiordeve ser a folga da diferença entre A e B, como forma de compensar ainstabilidade da renda. Para uma situação de renda instável, como no caso de autônomos(como advogados, dentistas, médicos e outros), free-lancers, micro-empresários, vendedores, prestadores de serviço, recomenda-se utilizar a Profissionais que prestammédia de rendimento mensal obtido através da base anual. serviço por unidade de demanda. Exemplo: Para uma situação de renda mais estável, como no caso de tradutores de livros.funcionários de empresas privadas, o indivíduo precisa estimar todos osrendimentos do ano, inclusive receitas eventuais como o décimo terceiro eeventuais bonificações. Para profissionais com profissão mais rotativa como professores,programadores ou mesmo de difícil recolocação profissional, é importantereforçar a parte de reservas financeiras. Nem todos os profissionais da iniciativa pública possuem estabilidadede emprego. Por isso, também precisam montar uma reserva, ainda quemenor que profissionais expostos a risco maior de empregabilidade e osautônomos. Um valor entre seis a doze vezes o gasto médio mensal é algonormalmente suficiente para cobrir boa parte do risco de renda da maior partedas pessoas. Note como ainda assim esta é uma conta imprecisa, uma vez serimpossível mensurar todos os riscos reais. Como alternativa, as pessoas podemainda contratar seguros para mitigar o risco de situações específicas, comoveremos mais adiante. RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  10. 10. 9Exemplo 1Um indivíduo, vendedor autônomo da indústria, com renda média de R$3.000,00 e gasto médio mensal de R$ 2.800,00, tem 45 anos e pretende seaposentar aos 65 anos. Responda: a) Qual valor de poupança para imprevistos recomendado para este indíviduo? Tendo como base ser um indíviduo exposto a uma profissão mais arriscada (vendedor autônomo), neste caso recomenda- se 12 x 2800 = R$ 33.600,00 aplicados em investimentos de alta liquidez, como a poupança. b) Sem contar o rendimento, qual valor estimado de poupança com base na sobra de renda mensal? A sobra de renda mensal está no valor médio de R$ 200,00. Faltam 20 anos para ele se aposentar. Com base nisso, a poupança estimada é de 20 x 12 x 200 = R$ 48.000,00. c) Qual o valor recomendado de investimento para este indivíduo? No momento este indíviduo consegue poupar apenas 6,66% do valor da renda. Recomenda-se um valor maior de poupança, cerca de 25% para este indíviduo. Observação: neste exemplo não foram analisadas as necessidades de investimento do investimento do indivíduo.1.3 Planejando o futuro O nível de investimentos e suas rentabilidades vão definidir como seráo futuro financeiro do um indivíduo. Planejar o futuro envolve então oplanejamento financeiro dos investimentos. Além da estratégia em si de investimento (que será apresentada emcapítulo posterior), planejar os investimentos significa definir como será ofluxo de investimentos e suas proporções: uma vertente diferente da gestãodos investimentos. O planejamento envolve a decisão sobre quatro variáveis: • Capital inicial; • Aportes parciais; • Rentabilidade esperada; • Tempo. Estas variáveis se relacionam através da fórmula de capitalizaçãocomposta, e a partir dela, pode-se estimar o patrimônio que será formado peloindivíduo. A variável “Rentabilidade esperada” é a única que foge do controle doindivíduo, por ser dada pelo mercado. Isso significa dizer que, ainda que oplanejamento seja bem executado, o retorno pode ser diferente do esperado RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  11. 11. 10(para mais ou para menos) devido à flutuação na rentabilidade dosinvestimentos.Exemplo 2Qual o patrimônio esperado para um indivíduo que tem um capital inicial deR$ 5.000,00 e pretende fazer aportes de R$ 500,00 ao mês por 3 anos cujarentabilidade esperada é de 10% ao ano? Para responder a esta pergunta é necessário utilizar uma planilha eletrônica ou calculadora financeira. O valor é encontrado capitalizando o capital inicial pelo prazo e os aportes iniciais de acordo com a época de aplicação. O resultado vai ser aproximadamente um patrimônio de R$ 26.909,59. Calculado pelo software Microsoft Excel. O investidor que deseja se expor menos a estas flutuações derentabilidade, deve migrar mais investimentos para categorias que variammenos a rentabilidade, ou seja, renda fixa. O ideal é que o indíviduo faça sempre um planejamento financeiropara despesas futuras esperadas, como a compra de um carro, casa, viagens emesmo bens de maior valor, como TVs e geladeiras. Este valor poupado e investido deve ficar reservado, e para os casos deemergência, usar a poupança feita para casos de emergência.1.4 Metas e objetivos financeiros Os objetivos financeiros são os resultados esperados para osinvestimentos quem têm como meta atender aos objetivos dos indivíduos. Definir as metas de vida ajuda a definir os objetivos financeiros dosinvestimentos. Isso muito porque com metas concretas, fica mais fácil planejare executar o plano, enquanto se a meta fosse apenas o patrimônio financeiro.Metas mais flexíveis podem interferir no nível de risco do investimento, bemcomo tempo: em metas de longo prazo o indivíduo pode tentar comporinvestimentos de risco maior para aumentar sua rentabilidade esperada.Exemplo 3Um indivíduo pretende comprar uma casa de R$ 200 mil em 10 anos. Qualdeve ser o plano de investimento sem capital inicial se ele pretende investirem produtos que rendem 10% ao ano? Para responder a esta pergunta é necessário utilizar uma planilha eletrônica ou calculadora financeira. Para este caso tem-se o valor RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  12. 12. 11 futuro e pretende-se encontrar as parcelas que comporão o investimento feito ao longo de 10 anos. O resultado vai ser aproximadamente uma parcela mensal de R$ 992,76. Calculado pelo software Microsoft Excel. Faça um planejamento baseado em seus sonhos para o futuro, eorganize numa ordem de prioridade que reflita suas reais necessidadespresente. Este é um começo para definir o mapa de suas finanças pessoais. RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  13. 13. 12Capítulo 2: Montando seu orçamento2.1 Identificando as receitas Para aqueles indivíduos que possuem uma formação mais complexa derenda, o trabalho em finanças pessoais começa antes, através da identificaçãodas receitas. Para aqueles que possuem empresa, o primeiro passo é separar ascontas da empresa das contas pessoais. É comum para este tipo de indivíduomisturar as contas, o que pode ser prejudicial para a pessoa e para a empresa:o indivíduo pode estar utilizando dinheiro da empresa além do esperado paragastos pessoais e vice-versa. Após este passo, algumas pessoas podem ainda ter dificuldade emlidar com muitas receitas, a exemplo de médicos com consultório, que podemreceber por várias vezes no mês. Neste caso, o indivíduo pode trabalhar asreceitas do seu orçamento na base mensal ou semanal e trabalhar a previsãode despesas com base nos rendimentos médios mensais dos últimos 12 meses. Para aqueles que possuem uma renda pré-determinada, o já bemconhecido salário, o orçamento mensal passa a ser conseqüência direta destevalor. Além da renda mensal, a pessoa pode ainda contar com outrosrecebimentos eventuais, como o adicional por férias e décimo terceiro salário. Para rendimentos com valor desconhecido, porém esperados, como osplanos de PLR, o indivíduo pode trabalhar com a expectativa de valor menorque o real esperado, apenas como forma de não trabalhar com um rendimento Participação nos Lucros emaior que o real. Resultados. Muitas empresas têm dado participação nos Eventuais bonificações não esperadas só podem entrar no orçamento lucros aos seus funcionários.das receitas após o recebimento, de forma a beneficiar o orçamento, mas oindivíduo não pode contar com seu recebimento.2.2 Identificando as despesas A identificação e categorização das despesas é fator determinante paraorganização das finanças pessoais, uma vez que seu impacto é direto sobre oresultado do orçamento e consequentemente, no nível de investimento doindivíduo. São duas as grandes categorias de despesas: • Recorrentes: despesas que se repetem na base do orçamento (base mensal, por exemplo). São subcategorias: o Alimentação: gastos gerais com alimentação, desde que apenas para suprir necessidades básicas; o Educação: cursos, faculdades, seminários e livros; o Habitação: aluguéis, condomínios e financiamentos; RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  14. 14. 13 o Lazer: bem-estar geral, como viagens, passeios e consumo de bens de entretenimento; o Financiamentos gerais de longo prazo: gastos feitos para aquisição adiantada de bens sob forma de parcelamento; o Saúde: gasto conhecido com saúde de utilização obrigatória, como dentista e uso periódico de remédios; o Transporte: deslocamento essencial, como trajeto ao trabalho. • Não-recorrentes: despesas que são temporárias, eventuais e também as imprevistas. São subcategorias: o Compra de bens: compra de bens de maior valor financeiro; o Impostos anuais: como IPTU, IPVA e IR; o Impostos esporádicos: venda de bens e movimentações com investimentos; o Lazer: viagens eventuais, eventos como espetáculos; o Manutenção em bens: como do imóvel e de veículos; o Saúde: gastos com imprevistos de saúde, como remédios e internações; o Social: correspondem a necessidades de socialização, como gastos com datas comemorativas e presentes. Algumas observações sobre como classificar adequadamente osgastos. O lançamento de gastos com alimentação só pode conter gastosessenciais de alimentação, como almoço no trabalho e jantar em casa. Gastosde alimentação em locais não essenciais como restaurantes mais sofisticados emesmo uma saída breve com os amigos devem entrar na conta de lazer e/ousocial. Nos gastos com Habitação só podem entrar as contas que são demanutenção da moradia. Reformas e reparos são não recorrentes e entram naconta de manutenção de bens. Gastos correntes de Saúde reúnem gastos com planos de saúde egastos essenciais para aqueles que dependem de medicação (exemplo:diabéticos e hipertensos). Esportes praticados a título de lazer devem entrar naconta de lazer, e não nas contas de saúde. Na conta de Transporte é importante separar os gastos de transporteassociados ao emprego, muito comum em alguns casos: vendedoresautônomos, engenheiros de campo, advogados e corretores são algunsexemplos de profissões que podem ter gastos grandes com deslocamento.Nestes casos recomenda-se separar estes gastos ainda na parte das receitas. Os gastos com financiamentos devem estar em linha com asnecessidades dos indivíduos e não pode ser uma grande conta do orçamento,pois podem ser uma fuga de receita que deveria estar alocada em outroslançamentos. Prefira sempre poupar para comprar ao invés de financiar.Gastos sociais possuem grande sazonalidade, se acumulam em épocas defestas (Natal e Dia das Mães, por exemplo), mas possuem uma média mensal. RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  15. 15. 14Quem espera ter algum grande gasto com presentes, por exemplo, deve seplanejar para isso para não estourar o orçamento no mês do gasto.2.3 Despesas no Brasil Um bom ponto de partida para quem quer elaborar um mapa de suasfinanças pessoais é observar o que outras pessoas estão fazendo. Pensandonisso, neste tópico apresentam-se os dados da POF, Pesquisa de OrçamentosFamiliares, feito em 2008/2009 pelo IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia eEstatística. A partir do POF o leitor pode ter uma idéia de como se compõem osgastos e rendimentos das famílias brasileiras e, portanto, qual sua situação aoredor desta média. A seguir será mostrada apenas parte dos dados dapesquisa. Segundo pesquisa do IBGE1, “75% das famílias declararam algum graude dificuldade para chegar ao fim do mês com seus rendimentos. Na classecom rendimentos até R$ 830, cerca de 88% indicaram algum grau dedificuldade e 31,1%, muita dificuldade. Na classe com mais de R$ 10.375, 28%tinham algum grau de dificuldade e 2,6%, muita dificuldade”. Esse dado deve ser usado como alerta pelo leitor, pois demonstra umarealidade pouco percebida: o brasileiro, mesmo de alta renda, tem dificuldadesem controlar suas finanças pessoais. O gráfico a seguir dá idéia de como se distribuem os gastos das famíliasbrasileiras:Fonte: IBGE Na categoria outros poderiam ser alocados gastos como lazer,imprevistos, viagens, sociais, seguros financiamentos e outros. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008/2009, IBGE, 2010.1 RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  16. 16. 15 Apenas para comparativo com um país mais desenvolvido, o gráfico aseguri ilustra a mesma divisão de despesas de uma família norte-americana nomesmo período da pesquisa brasileira:Fonte: BLS2 Pode-se notar que não há uma diferença substancial das despesas dapopulação brasileira em relação à americana. Quanto à participação dasdespesas consumo na renda, estas representam 78,06% dos rendimentostotais médios. No Brasil, o consumo representa 81,3% da despesa total para osrendimentos médios familiares. O gráfico a seguir demonstra esse dado:Fonte: IBGE Bureau of Labor Statistics, 2010, EUA2 RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  17. 17. 16 Uma parcela muito pequena da renda é utilizada para aumento deativo, através da aquisição de bens ou investimentos. Outro dado importante é a grande variedade de rendimentos dasfamílias brasileiras por região. O rendimento médio familiar no sudeste équase o dobro do valor do nordeste. O gráfico a seguir exibe este comparativo:Fonte: IBGE Estes gráficos devem ajudar ao leitor a entender a realidade brasileirae principalmente a balizar suas finanças pessoais sobre o que se tem praticado.Vale lembrar que este não é um cenário ideal, uma vez que o reflexo destarealidade é o fato de tal situação gerar desconforto para fechar o orçamentofamiliar em boa parcela das famílias brasileiras. A sugestão é a de que o leitor deva diminuir proporcionalmente suasdespesas com incremento da parte alocada pra crescer os investimentos,voltados para aumentar os ativos.2.4 Definindo as prioridades A ordem de importância de cada gasto pesa sobre as preferências doindivíduo, casal ou família, variando muito de caso para caso. Para um indivíduo jovem, por exemplo, pesa muito mais o gasto emeducação do que com lazer. O jovem casal passa a se preocupar mais comhabitação e menos com educação, já para um casal de maior idade, pode pesarmuito o quesito saúde e lazer ao invés de educacional. Neste material, ressaltamos, porém que, feita a devida proporção devalor gasto com cada tipo, a disciplina passa ser o fator fundamental docontrole das finanças pessoais. Para organizar as prioridades, recomenda-se ao leitor que definaobjetivos de curto prazo e de longo prazo. O orçamento deve refletir os RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  18. 18. 17desejos e necessidades de curto prazo sem comprometer os planos de longoprazo, de forma a satisfazer o interesse dos indivíduos ao longo do tempo. Uma boa maneira de se executar um orçamento desta maneira érevisar anualmente o orçamento e sempre repensar nas alteraçõesnecessárias, fruto de aprendizado e de alinhamento de necessidades pessoaise/ou familiares.2.5 Definindo o orçamento O orçamento conta ainda com mais dois itens além dos apresentadosanteriormente: despesas com segurança financeira e investimentos. Por segurança financeira, refere-se à contratação de seguros como,seguros de vida, seguro de bens (imóveis e veículos), seguro de eletrônicos(como notebooks e celulares) e até seguro desemprego privado. Profissionais liberais que não A tabela a seguir sugere o formato de um orçamento bem abrangente: trabalham apoiados na CLT brasileira, e sim através de Tipo Nome Observação contrato de prestação de Crédito Rendimentos brutos Salário ou pró-labore serviço, podem contratar Débito Gastos com a profissão Para autônomos serviços privados de seguro desemprego junto aos Débito Impostos sobre rendimentos bancos. Débito Impostos eventuais a recolher Nunca atrase seus impostos Saldo Rendimento profissional líquido Crédito Pensões recebidas Crédito Aluguéis recebidos Crédito Gratificações Crédito Reembolsos Crédito Rendimento de investimentos Saldo Rendimento Total Líquido Débito Aluguel / Parcela do imóvel Débito Condomínio Débito Conta de Luz Débito Conta de Água Débito Supermercado do mês Débito Transporte essencial Combustíveis ou vale-transporte Débito Planos de saúde Débito Gastos diretos com educação Parcela da faculdade (exemplo) Débito Gastos indiretos com educação Livros, eventos, seminários... Resultado após gastos recorrentes Saldo e essenciais Débito Conta de Telefonia Débito Conta de TV a cabo Débito Conta de Celular Débito Conta de Internet Débito Academia Resultado após gastos recorrentes Saldo não essenciais Débito Reparo não previsto do carro RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  19. 19. 18 Débito Reparo não previsto na residência Débito Gastos não previstos de saúde Saldo Resultado após gastos imprevistos Débito Bens de consumo Exemplo: roupas Débito Restaurantes Débito Presentes Débito Passeios e viagens Débito Entretenimento Resultado após gastos com lazer e Saldo bem estar Débito FinanciamentosCrédito ou Despesas Financeiras Juros pagos ou rendidos na conta Débito Débito Parcela dos seguros Crédito Resgate de investimento Débito Aplicação em investimentoCrédito ou Saldo do mês anterior Débito Saldo Saldo final do mês na conta Experimente incluir seus gastos no modelo proposto. Monte o seuorçamento e, dependendo do caso, apague os campos não utilizados databela, assim você simplifica seu orçamento. Comece como um exercício e logo você terá montado seu próprioorçamento. RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  20. 20. 19Capítulo 3: Consumo e suas “armadilhas”3.1 Consumo de bens de baixo valor O consumo de bens de baixo valor pode ser definido pelo escopo dosbens que cabem dentro do orçamento mensal: compreende desde o consumode um cafezinho até a aquisição de um pequeno eletrodoméstico. Como características dos consumos de bens de baixo valor, podemoscitar: • Baixo impacto nas finanças pessoais: a compra de um bem de baixo valor cabe dentro do orçamento doméstico. • Forma de pagamento: normalmente à vista ou financiado pelo cartão de crédito; • Alto desvio dos preços: para bens de baixo valor, o intervalo de preços entre o comércio que vende mais barato e o comércio que vende mais caro varia muito, é bom estar atento aos preços; • Alto nível de consumo: são bens que são consumidos rapidamente, poucos duram mais do que o prazo de um orçamento mensal. São exemplos de bens que podem ser considerados de baixo valor: • Pequenos bens duráveis: pequenos eletrônicos e pequenos eletrodomésticos. • Itens de supermercado: como alimentos e itens de higiene; • Vestuário: roupas e calçados; • Itens de lazer e educação: livros e itens de bem-estar. A seguir serão explicados alguns aspectos da decisão de aquisição debens de baixo valor.Efeito escala Repare bem que alguns itens no supermercado custam mais baratoquando adquiridos em pacotes maiores. Esse desconto marginal ocorre comfreqüência e é conhecido como efeito escala: quanto mais se compra, menorfica o custo unitário na aquisição. Ao consumir bens de baixo valor, o indivíduo deve preferir consumiruma quantidade maior de bens por transação, para bens de alto nível deconsumo. Isso normalmente significa um desconto por conta da escala dacompra. Ao considerar a compra em grandes quantidades para se aproveitar doefeito escala, o indivíduo deve evitar a compra por impulso pela quantidade,evitando assim estourar seu orçamento. Após a compra o indivíduo tambémdeve se disciplinar em consumir conforme o planejado, caso contrário, oconsumo adiantado anula a economia gerada pelo efeito escala. RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  21. 21. 20Promoções As promoções ajudam as finanças pessoais, mas ao se deparar comuma promoção, avalie bem as suas necessidades para evitar uma compra porimpulso. O leitor também pode adiantar uma aquisição através de umapromoção, contanto que o consumo no ato da promoção não afete seuorçamento. Ao adiantar uma aquisição, lembre-se de alterar seu plano deconsumo, uma vez que o consumo adiantado em relação ao previsto podeafetar as finanças pessoais e podendo até prejudicar as suas finanças (ao invésde ajudar com o desconto da promoção). Caso o leitor compre produtos em uma promoção e isso resulte numconsumo exagerado, o resultado será um prejuízo no plano de orçamento doleitor.3.2 Consumo de bens de alto valor Os bens de alto valor são bens que fogem do escopo do orçamentodoméstico e envolvem, para sua aquisição, um esforço pessoal e empenho decaixa de vários meses, seja sob forma de poupança para pagamento à vista,seja para um financiamento. Como características dos consumos de bens de alto valor, podemoscitar: • Alto impacto nas finanças pessoais: a compra de um bem de alto valor pode mudar drasticamente o panorama das finanças do indivíduo e/ou família; • Forma de pagamento: apesar da negociação à vista ser disponível, normalmente utilizam-se formas de financiamento como leasing, CDC, boleto ou carnê de financiamento3; • Baixo desvio de preços: para bens de alto valor, o intervalo de preços entre o comércio que vende mais barato e o comércio que vende mais caro varia muito, é bom estar atento aos preços; • Alto desvio das qualidades: apesar do baixo desvio de preços, as qualidades dos produtos mudam bastante, bem como os serviços agregados como garantia, entrega e suporte técnico relativo ao bem adquirido; • Baixo nível de consumo: são bens normalmente de vida útil extensa, poucos duram menos que um ou dois anos. São exemplos de bens que podem ser considerados de alto valor: • Grandes bens duráveis: grandes eletrodomésticos (como geladeira) e eletrônicos de bem-estar na residência (como televisores); O Capítulo 5 trata de explicar as modalidades de investimento.3 RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  22. 22. 21 • Veículos: como carros e motos; • Imóveis: como o residencial e de veraneio; • Bens de capital: equipamentos e aparelhos utilizados por autônomos4.Descontos Bens de alto valor têm um processo de venda demorado, e devido aovalor mais elevado, uma única negociação faz muita diferença para o resultadofinanceiro de qualquer comércio individual. Por este motivo, com bens demaior valor os vendedores sempre estão dispostos a brigar pelo preço davenda. O leitor pode-se utilizar sempre que possível, do seu poder debarganha para disputar descontos junto aos vendedores. Pagamento à vistapode também ser um grande diferencial na hora de conseguir um desconto.Financiamento Cuidado com os valores dos financiamentos ao comprar bens de maiorvalor. Sempre questione todos os valores agregados ao financiamento paraobter sempre a taxa real cobrada pelo financiamento. O capítulo 5 deste material trata em detalhe sobre as características dofinanciamento.Serviços agregados Ao comprar um bem de alto valor é comum a prática (ainda que ilegal)da tentantiva de venda casada, principalmente de serviços como: • Garantia extendida: equipamentos eletrônicos em geral; • Suporte técnico: principalmente na compra de computadores e portáteis; • Planos de dados: para compras de celulares e eletrônicos que utilizam dados de internet. • Seguros: para bens de uso externo no geral; Avalie antes do momento da compra a necessidade real de serviçosagregados que deverão ser contratados e outros bens que deverão sercomprados para utilização adequada do bem de alto valor. Alguns itens realmente são essenciais e sua falta pode inviabilizar aaquisição, portanto, devem ser considerados também nas projeções deorçamento, como manutenção do carro e planos de telefonia móvel. Apesar de não ser componentes do orçamento doméstico, por ser parte da decisão4de despesa do indivíduo, também entra na nossa análise de consumo. RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  23. 23. 22 Pondere bem as necessidades dos itens dispensáveis, os serviçosagregados podem comprometer uma fatia considerável do planejamento daaquisição.3.3 Comportamento no momento da compra Um dos momentos mais difíceis para a sustentação de um plano definanças pessoais se dá no momento da compra de bens. Afinal, na hora dascompras, nosso ímpeto por consumo pode falar mais alto e quase sempre nosfazendo comprar além do planejado. Este tópico tem por objetivo ajudar oleitor a adequar seu comportamento favorecendo ao controle financeiropessoal. São três os momentos onde diversas atitudes comportamentais devemser trabalhadas para ajudar as finanças do leitor: • Antes da compra; • Durante a negociação da compra; • Na pós-compra.Antes da compra Faça uma lista antes de ir às compras. Assim você evita o consumo porocasião, geralmente motivado por impulso e pode inclusive economizar tempoao ser mais direto nas intenções de compra. Verifique se você já não possui os bens que deseja comprar. Isso valemuito para situação de compras de supermercado e vestuário. Ao saber quenão é necessário comprar (além do que é necessário), o leitor evita as comprasmotivadas por impulso de bens que já são possuídos (e inclusive ainda nãoforam consumidos). Faça uma pesquisa de preços em mais de um lugar. Conformeabordado no tópico 3.1, os preços dos bens de baixo valor variam muito, eapesar de individualmente a diferença ter baixo impacto sobre o orçamento,na somatória do orçamento mensal, essas pequenas diferenças podem ter umgrande impacto. Se por um lado a pesquisa pode demandar um pouco mais detempo, por outro lado, o ganho da poupança no longo prazo pode serextremamente valioso. Para compras de maior valor, faça um plano de consumo: crie umapoupança para adquirir bens de maior valor. Mesmo quando a intenção decompra ainda não esteja formada, algumas aquisições são mais ou menosprevisíveis em certos intervalos de tempo. Isso pode ser feito a partir do prazomédio para troca de alguns bens: • Celular: 2 anos; • Vestuário: 2 anos; • Computador: 3 anos; • Televisão: 5 anos; RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  24. 24. 23 • Carro: 5 anos; • Geladeira: 10 anos. Planeje também os custos de manutenção e serviços agregados.Muitos bens de maior valor exigem outras despesas agregadas, por exemplo: • Celulares exigem planos de ligação e/ou dados; • Veículos exigem manutenções periódicas, bem como seguros e tributos; • Peças de vestuário podem exigir ajustes e tratamento especial de lavanderia.Durante a negociação Evite socializar com o vendedor durante a negociação, ou seja, eviteeventual ligação de qualquer natureza com o vendedor. Isso pode ser usadocomo uma armadilha emocional que o vendedor pode explorar para forçar ofechamento do negócio. Associação a times de futebol, localidade da residência, local de estudofrequentado, locais freqüentados da infância, amizades em comum ou atéeventual parentesco de nome são alguns dos itens de socialização maisexplorados pelos vendedores para tornar a hora da negociação menos racionale mais emocional. Por falar em emoção, evitar expor suas emoções com os produtosajuda a manter o poder de barganha com o comprador. Mostrar algum vínculoemocional com o produto (como a sensação de alívio ao encontrar o produtodesejado) permite que o vendedor explore a falha do controle emocional docomprador. Não feche o negócio imediatamente. Quando estiver certo da compra,espere (mais um dia, por exemplo) antes de fechar o negócio. Isso dará tempoao leitor de pensar mais racionalmente sobre a intenção de compra e sobresua real necessidade ou mesmo em relação ao comércio atual pretendido paraefetuar a aquisição.No pós-compra Para se precaver de qualquer problema com o bem adquirido, sempremantenha um arquivo com os comprovantes das compras efetuadas de bensainda em utilização. Guarde também a documentação anexa, como manuais ecertificados de garantia. Não esqueça também de guardar acessórios recebidos com o bemadquirido, como cabos, baterias e capas de proteção. Isso ajuda a conservar obem adquirido e valoriza o bem numa possível venda futura. RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  25. 25. 24 Em caso de uma aquisição financiada, sempre pague em dia asparcelas do financiamento contratado para a aquisição do bem. Isso evitamaiores complicações na parte de restrição ao crédito do seu nome. Todos estão sujeitos ao acaso quanto a defeitos nos produtos quecompramos: roupas, celulares, computadores, carros e etc. Para se precaverdestes momentos e evitar assim um prejuízo com a aquisição, sempre tenha amãos os dados da garantia do bem adquirido. Não esqueça também de pesar a própria qualidade do produto, e aqualidade dos serviços agregados ao produto, monitore constantementereclamações de outros usuários dos produtos que você possui e faça da suaexperiência também um aprendizado para novas aquisições. RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  26. 26. 25Capítulo 4: Imposto de Renda4.1 Regra geral do imposto de renda No Brasil (assim como em outros países) todos os contribuentes devemprestar contas com a Receita Federal. A Declaração Anual de Ajuste, tambémconhecido como Declaração do Imposto de Renda, ou simplesmente Impostode Renda, recai tanto pessoas (Pessoas Físicas) como empresas (PessoasJurídicas) e é um imposto cobrado para ajuste de tributos pagos,transferências de renda e declaração de bens ao fisco. O Imposto de Renda é estruturado de forma a tributar as maioresrendas, isentar quem já pagou outros impostos durante o ano e fiscalizar asmutações no patrimônio pessoal. Neste capítulo serão abordadas somente asregras referentes ao Imposto de Renda para Pessoas Físicas.Obrigatoriedade Devem entregar a Declaração de Imposto de Renda: • Nível de renda: quem recebeu rendimentos tributáveis cuja soma foi superior a R$ 22.487,255 ou rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte cuja soma foi superior a R$ 40.000,00; • Ganho de capital: quem obteve ganho de capital na venda de bens ou direitos, sujeito à incidência de imposto, ou realizou operações em bolsa de valores, mercadorias, futuros e similares; • Atividade rural: quem obteve receita bruta superior a R$ 112.436,25 Mesmo que as operações em ou pretende compensar em 2010 ou posteriormente, prejuízos bolsa tenham sido isentas do anteriores ou mesmo de 2010; pagamento de imposto. • Bens e direitos: quem teve posse ou propriedade em 31/12/2010 de bens ou direitos de valor total superior a R$ 300.000,00; • Residência: passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês e assim se encontrava em 31/12/2010. Ficam dispensados os contribuintes fora das condições descritasanteriormente e aqueles identificados como dependentes em declaraçãoapresentada por outra pessoa física. Podem ser declarados como dependentes6, cônjuge ou companheiro,filhos e enteados, parentes familiares (irmãos, netos, bisnetos, pais, avós ebisavós), menor pobre, tutelados e curatelados. O contribuinte classificado como isento da Declaração de Imposto deRenda ainda assim deve enviar a Declaração Anual de Isento a partir de agostodo ano da entrega. Para o ano base 2010.5 Para maiores detalhes, confira o website da Receita Federal.6 RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  27. 27. 26Tabela Regressiva A tributação do Imposto de Renda segue a metodologia conhecidacomo Tabela Progressiva, que aumenta a alíquota de imposto quanto maior arenda do indivíduo. A tabela atual foi aprovada pela Lei nº 11.482, de31/05/2007, e alterada pelo artigo primeiro da Medida Provisória nº 528, de25/03/2011. A tabela é construída com base nos rendimentos médios dosbrasileiros. O primeiro intervalo é o de rendimento isento de alíquota, cujarenda fica livre de qualquer imposto. A partir do segundo intervalo de renda, ocontribuinte deve pagar uma alíquota proporcional à sua renda. Desta alíquotadevida, o contribuinte pode deduzir impostos sobre a renda pagos durante oano. Quanto maior a renda, maior a alíquota e maior a parcela a deduzir.Caso o imposto a pagar seja menor que o imposto pago, o contribuinte temdireito a restituição de imposto de renda e recebe um pagamento da ReceitaFederal. Caso o imposto a pagar seja maior que o imposto pago durante o ano,o contribuinte tem a obrigação de pagar o valor da diferença do imposto derenda anual. Para as declarações de 2012 com base nos rendimentos de 2011, atabela tem a seguine estrutura: Base de cálculo anual dos Parcela a deduzir do Alíquota rendimentos (em R$) Imposto de Renda (em R$) Até 18.799,32 - - De 18.799,33 até 28.174,20 7,50% 1.409,95 De 28.174,21 até 37.566,12 15,00% 3.523,01 De 37.566,13 até 46.939,56 22,50% 6.340,47 Acima de 46.939,56 27,50% 8.687,45 Já estão definidas também as tabelas para os anos de 2013, 2014 e2015. A seguir ilustra-se também a tabela para as declarações de 2013 combase nos rendimentos de 2012: Base de cálculo anual dos Parcela a deduzir do Alíquota rendimentos (em R$) Imposto de Renda (em R$) Até 19.645,32 - - De 19.645,33 até 29.442,00 7,50% 1.473,40 De 29.442,01 até 39.256,56 15,00% 3.681,55 De 39.256,57 até 49.051,80 22,50% 6.625,79 Acima de 49.051,80 27,50% 9.078,38 O leitor pode buscar outras tabelas previstas para exercícios seguintesno website da Receita Federal7. http://www.receita.fazenda.gov.br/aliquotas/TabProgressiva2012a2015.htm7 RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  28. 28. 274.2 Preenchendo a declaraçãoDocumentação necessária Para elaborar adequadamente sua Declaração de Imposto de Renda,tenha em mãos (se houver): • Cópia da Declaração do ano anterior; • Informes de rendimentos de salários, pró-labore, lucros, alugéis e etc; • Informes de rendimentos de instituições financeiras; • Informes de outras rendas recebidas, como resgate de FGTS, heranças, doações e indenizações; • Comprovantes de pagamento de previdência social e privada; • Comprovantes de compra e venda de bens e direitos; • Comprovante de despesas médicas e odontológicas; • Comprovantes de despesas com educação; • Comprovantes de doações efetuadas; • DARFs8 pagas.Forma de entrega A partir de 2011, a Declaração de Imposto de Renda não pode mais serentregue sob forma física9, através de formulários preenchidos manualmente.A Declaração só pode ser entregue sob forma de arquivo através da internetou através de disquete. Para efetuar a declaração é preciso ter o software DIRPF da ReceitaFederal que pode ser baixado diretamente pelo seu website10. Para entregaatravés da internet, baixei também o software Receitanet. Para entregaatravés de disquete, grave a declaração e entrege o disquete em agências doBanco do Brasil ou da Caixa Econômica Federal.Prazo de entrega O prazo para entrega da Declaração de Imposto de Rendanormalmente corre de 1º dia útil de março até o último dia útil de abril.Durante este prazo, o horário para entrega: • Pela internet: durante todo o dia, exceto das 1:00:00 às 5:00:00 (horário de Brasília). No último dia, o horário de entrega se encerra às 23:59:59; • Por disquete: no horário das agências bancárias. Para o contribuinte que entregar em atraso a Declaração obrigatória, opagamento em atraso deve ser efetuado com multa no valor de 1% ao mês- Documento de Arrecadação de Receitas Federais8 Receita Federal9 http://www.receita.fazenda.gov.br10 RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  29. 29. 28calendário pró-rata (proporcional ao prazo) apurado sobre o valor do impostodevido. O valor mínimo da multa é de R$ 165,74 com valor máximo de 20% doimposto de renda devido.Tipos de Declaração A Declaração tem duas modalidades para fins de deduções legais:simplificada e completa. Na Declaração Simplificada, o contribuinte não precisa comprovar suasdeduções, já que o valor padrão compreende deduções de valor até R$13.317,09. Na Declaração Completa, os contribuintes com deduções legaismaiores que R$ 13.317,09 podem declarar suas deduções e apresentar seuscomprovantes de pagamento. O contribuinte pode escolher: se a restituição for maior no modeloSimplificado do que na Completa, o investidor entrega a Declaração no modeloSimplificado; se a restituição for maior no modelo Completo do que naSimplificado, o investidor entrega a Declaração no modelo Completo. Estaanálise também pode ser aplicada analogamente para o caso do contribuintecom imposto a pagar.Orientações gerais Algumas orientações gerais para checar antes e enviar sua Declaraçãoà Receita Federal: Não deixe para enviar na última hora, o sistema de recebimento das Declarações da Receita Federal pode sofrer lentidões por excesso de tráfego, o que pode prejudicar seu envio se for feito apenas no final do prazo; Guarde todos os comprovantes utilizados na Declaração por pelo menos cinco anos após o envio da Declaração; Compare no próprio software da Receita qual o melhor modelo de Declaração para seu caso: Simplificada ou Completa; Compare no próprio software da Receita a melho maneira de declarar o cônjuge ou companheiro como dependente; Não se esqueça de declarar rendimentos de aplicações financeiras que justifiquem a variação patrimonial; Informe também as dívidas de financiamento contraídas para aquisição de bens de maior valor, o que inclusive justifica a variação patrimonial; Faça uma checagem passo a passo de todos os itens: verifique os valores declarados para deduções como gastos com saúde e educação; Registre os bens pelo valor adequado, principalmente em negociações com imóveis.Pagamento e restituição RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  30. 30. 29 Após o cálculo via software da Declaração de Imposto de Renda, casohaja valor a restituir, a restituição só pode ocorrer em uma conta detitularidade do cotribuinte declarando. Também pode ser utilizada uma contaconjunta. A conta para depósito é indicada ainda na Declaração a ser enviada. Para o contribuinte que tiver Imposto de Renda a pagar, o própriosoftware da Receita Federal gera a DARF que deve ser paga até o último diaútil do mês de abril. RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  31. 31. 30Capítulo 5: Uso consciente do crédito5.1 Tipos de créditoCartão de crédito O cartão de crédito é a modalidade mais popular para operações decrédito em curto prazo de baixo valor, notadamente mais voltado paraconsumo. No cartão de crédito o consumidor paga eletronicamente por umatransação e após o prazo de um mês, recebendo uma fatura de consumodevido à operadora do cartão. O cartão de crédito é um dos maiores vilões das finanças pessoais, umavez que o pagamento das compras com cartão de crédito adianta o prazer doconsumo e posterga seu pagamento. Muitos consumidores acabam perdendoo controle do consumo levados pelo prazer das compras sem pesar o efeito nafatura e no orçamento doméstico, uma vez que o débito só virá no vencimentoda fatura. Soma-se a isso o fato de os juros do cartão de crédito ser altíssimos emcomparação com outras modalidades de crédito contratadas. Enquanto astaxas de juros básicas da economia flutuam entre 10% e 15% ao ano, faturasem atraso no cartão de crédito podem ser oneradas a estes mesmopercentuais na base mensal (o que para o valor de 10% ao mês, representa umjuros de 213% ao ano).Cheque especial O cheque especial é a operação de crédito ativada automaticamentequando a conta do correntista no banco se torna zerada. Isso o transforma dasituação de credor depositante (quem tem saldo em conta bancária) paradevedor. O cheque especial também é um grande vilão das finanças pessoais,pois ativa uma operação de crédito de forma automática. Esse tipo de operação acaba sendo mais danosa às finanças pessoaispelo fato dos juros serem contabilizados já no dia seguinte à operação,enquanto no cartão de crédito os juros passam a ser cobrados no atraso dopagamento da fatura apenas.Parcelamento no varejo O parcelamento oferecido pelas redes varejistas também é uma formade crédito. Algumas redes oferecem o parcelamento com juros e outras oparcelamento sem juros: em ambos os casos está imbutido o custo dodinheiro. Isso porque o parcelamento da venda de produtos gera um débitopara o pagamento de fornecedores sem o crédito do recebimento pela venda(que vai ocorrer de forma financiada). Por este motivo, o pagamento à vistapossui um grande poder de barganha para a negociação de descontos. RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  32. 32. 31 Uma grande vantagem do parcelamento no varejo é a sua praticidade.O parcelamento no varejo simplifica o processo de compra à prazo, uma vezque não é preciso contratar um parcelamento bancário para então adquirir umbem. Uma grande desvantagem é o fato de que esta facilidade podeestimular o consumo não-planejado, uma vez que o pagamento envolvefinanças futuras e dá uma falsa sensação de controle uma vez que “a parcelacabe no orçamento”. É importante lembrar que, mesmo para financiamentos,é importante planejar o consumo.Financiamento bancário Para as situações em que o comércio não apresenta uma solução deparcelamento no momento da compra, o consumidor pode ainda optar pelofinanciamento bancário. Dentro da modalidade de financiamento bancário, o consumidor deveestar atento às taxas de juros, que podem variar bastante de instituição parainstituição. Dar informações sobre o perfil de consumidor ou até sobre o tipode bem pode ajudar a baixar a taxa de juros. Na hora de contrair um financiamento bancário, verifique tambémoutros custos agregados à contratação do financiamento, como o IOF (Impostosobre Operações Financeiras) e a TAC (Taxa de Abertura de Crédito).Contabilize os custos adicionais no pagamento e busque calcular o seu impactosobre o financiamento como forma de juros: é o que conhecido no mercadocomo CET, Custo Efetivo Total.Financiamento estudantil Algumas modalidades de financiamento possuem apoiogovernamental, como o financiamento estudantil. No Brasil, o FIES, Programa de Financiamento Estudantil, temprioridade em financiar a graduação em Ensino Superior a estudantes que nãotem condições de financiar integralmente seus estudos. Além do EnsinoSuperior, o FIES também atende a estudantes de Mestrado, Doutorado, EnsinoTécnico e mesmo Ensino Médio. O financiamento é concedido junto à Caixa Econômica Federal e aseleção dos candidatos e das Instituições de Ensino Superior é feita pelo MEC(Ministério da Educação).Financiamento de veículo Existem duas modalidades para financiamento de veículos: o CDC e oleasing. O leasing é a modalidade de financiamento onde, o banco adquire ocarro e “aluga” para o dono. A parcela serve então como um aluguel do bem. RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  33. 33. 32Após determinado período de aluguel, o banco transfere o bem para oproprietário. O CDC, Crédito Direto ao Consumidor, é a modalidade onde o bancoempresta o dinheiro ao comprador do veículo, com garantia no próprioveículo. Como no leasing o risco é menor (pois o veículo fica em nome dobanco), os juros costumam ser menores. Já a vantagem do CDC é apossibilidade de quitação adiantada da dívida e a possibilidade de se negociaro veículo antes do prazo de quitação da dívida, uma vez que o veículo está emnome do proprietário.Financiamento imobiliário São duas as modalidades de financiamento imobiliário no Brasil:financiamento bancário e financiamento pelo Sistema Financeiro de Habitaçãopela Caixa Econômica Federal. Para ambos os casos o consumidor deve consultar antes: • Taxa nominal e taxa efetiva total; • Valor mínimo e máximo do imóvel que pode ser financiado; • Valor mínimo e máximo do montante financiado; • Prazo máximo do financiamento; • Sistema de amortização (assunto do próximo tópico); • Renda mínima e renda máxima; • Modelo de reajuste da parcela (se houver).5.2 Tipos de financiamentoOs tipos de financiamento que podem ser contratados usando diferentesmodelos de amortização. Os principais sistemas de amortização são: • Sistema americano: pagamento de principal e juros ao final do período; • Sistema Price: sistema onde o valor da parcela se mantém constante até o final do pagamento; • Sistema SAC: sistema onde o valor da amortização se mantém constante até o final do pagamento.Sistema PriceO sistema Price foi criado de forma a pagar uma dívida com um valorconstante nas parcelas.A fórmula geral da parcela no sistema Price é dada pela fórmula: RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  34. 34. 33Onde:PMT = Valor da parcelaVP = Valor presente da dívidai = taxa de jurosn = número de períodosSistema SACO Sistema SAC, abreviação para Sistema de Amortização Constante, comosugere o nome paga um valor constante de amortização da dívida. Os jurosdecrescem conforme e amortização avança sobre o principal de forma que aparcela decresce também, conforme chga-se ao prazo final do financiamento.A fórmula geral da parcela no sistema SAC é dada pela fórmula:Onde:PMT = Valor da parcelaVP = Valor presente da dívidai = taxa de jurosn = número de períodosk = número do período analisado5.3 Usando o crédito corretamenteUsar bem o crédito pode ser extremamente vantajoso para o consumidor,desde que este uso seja feito com planejamento e disciplina. Algumasorientações gerais para usar seu crédito corretamente: Tenha um controle dos gastos no cartão de crédito além da fatura, principalmente para saber seu nível de gasto durante o prazo anterior ao recebimento da fatura, isso é essencial para controlar o orçamento; Caso vá centralizar os gastos no cartão de crédito, prefira os cartões que oferecem bonificações por consumo (contanto que isso não resulte em consumo fora de controle); Concentre os gastos em um ou dois cartões de crédito, para simplificar o controle e ter maior poder de barganha com a operadora de cartão de crédito; Não faça apenas o pagamento mínimo da fatura, isso implica em cobrança de altos juros para os valores com pagamento postergado; RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  35. 35. 34 Escolha uma data de vencimento de fatura do cartão de crédito que seja similar aos seus próprios fluxos de caixa, com intervalo de folga para pagamento; Prefira sempre o financiamento bancário ao invés do cheque especial, caso as contas do mês excedam o saldo em conta bancária; Cuidado com o parcelamento no cartão de crédito, ela imbute juros altos; Num financiamento, sempre compare o Custo Efetivo Total entre as alternativas; Registre cuidadosamente os financiamentos adquiridos e guarde com cuidado as parcelas a pagar. Lembre-se de planejar o orçamento considerando os financiamentos; Prefira pagar à vista sempre que tiver saldo bancário. Se não puder pagar totalmente à vista, veja a possibilidade de pagar uma entrada. Quanto menos financiamento, melhor para seu orçamento; No financiamento imobiliário, sempre considere uma folga financeira na renda, principalmente para considerando casos de financiamentos com possibilidade de reajuste nas taxas de juros.RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  36. 36. 35PARTE 2: INVESTIMENTOSNa parte 2 deste material são apresentados os conceitos sobre teoria eprática de investimentos.No capítulo 6, o investidor aprenderá como tomar uma decisão deinvestimento baseado em perfil, estratégias de mercado e objetivo deinvestimento.No capítulo 7 serão apresentados os produtos de investimento que surgemcomo alternativa ao investidor na composição de uma carteira deinvestimento.No capítulo 8 o investidor aprenderá como gerenciar seus investimentos deforma a balancear uma carteira de investimento de acordo com as flutuaçõesde mercado e o comportamento dos investimentos.O capítulo 9 é essencialmente prático e ensina o investidor a praticar seusinvestimentos diretamente no home broker.Capítulo 6: Produtos de investimentosCapítulo 7: Decisões em investimentosCapítulo 8: Gerenciando investimentosCapítulo 9: Usando o home broker RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  37. 37. 36Capítulo 6: Produtos de investimentos6.1 Tesouro Direto O Tesouro Direto é o canal de investimento em títulos públicosfederais. Através do Tesouro Direto o investidor pode comprar e vender títulosda dívida pública, através de uma corretora de valores. Os títulos públicos federais são uma alternativa de investimento emrenda fixa. Negociam-se diariamente títulos com taxas pré-fixados e pós-fixados. Para comprar e vender títulos públicos federais, o investidor obtemacesso ao site do Tesouro Direto através da conta em uma corretora: com aconta aberta em uma corretora com a habilitação em Tesouro Direto, oinvestidor recebe também uma senha de acesso ao canal do Tesouro Direto.Após fazer suas compras diretamente no site do Tesouro Direto, a liquidaçãofinanceira ocorre na conta do investidor na corretora. São três os tipos de títulos públicos federais emitidos pelo governo: • LTN: Letras do Tesouro Nacional; • LFT: Letras Financeiras do Tesouro; • NTN: Notas do Tesouro Nacional. A tabela a seguir ilustra alguns tipos de títulos emitidos pelo TesouroNacional, com valores, vencimento e rentabilidades: Título Vencimento Taxa(a.a.) Preço Unitário Dia Indexados ao IPCA NTNB Principal 150515 15/05/2015 6,58% R$ 1.567,29 NTNB 150515 15/05/2015 6,57% R$ 2.043,10 NTNB 150517 15/05/2017 6,42% R$ 2.042,57 NTNB 150820 15/08/2020 6,43% R$ 1.994,78 NTNB Principal 150824 15/08/2024 6,12% R$ 922,72 NTNB 150824 15/08/2024 6,20% R$ 2.019,36 NTNB Principal 150535 15/05/2035 5,78% R$ 527,47 NTNB 150535 15/05/2035 6,00% R$ 2.086,80 NTNB 150545 15/05/2045 5,81% R$ 2.143,30 Prefixados LTN 010112 01/01/2012 12,30% R$ 922,17 LTN 010113 01/01/2013 12,70% R$ 816,61 LTN 010114 01/01/2014 12,80% R$ 722,51 LTN 010115 01/01/2015 12,89% R$ 638,33 NTNF 010117 01/01/2017 12,78% R$ 924,45 NTNF 010121 01/01/2021 12,73% R$ 886,95 Indexados à Taxa Selic LFT 070315 07/03/2015 0,00% R$ 4.645,24 LFT 070317 07/03/2017 0,00% R$ 4.645,24 Atualizado em: 19/04/2011 17:50:10 Fonte: Tesouro Nacional RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  38. 38. 37 O pagamento da compra de títulos públicos federais se dá através dedébito em conta do investidor na corretora de valores. No caso de vencimentoou venda do título, o crédito também ocorrerá na mesma conta.6.2 Debêntures Debêntures são títulos de dívida emitidos pelas empresas. Através deuma corretora de valores o investidor pode comprar e vender debêntures,negociadas na BM&FBOVESPA. As debêntures são uma alternativa de investimento em renda fixa.Negociam-se diariamente títulos com taxas pré-fixados e pós-fixados. As compras podem ser feitas em emissões das empresas (mercadoprimário) ou através da negociação direta no BOVESPAFIX (mercadosecundário), sistema de negociação de renda fixa da BM&FBOVESPA. O pagamento da compra de debêntures se dá através de débito emconta do investidor na corretora de valores. No caso de vencimento ou vendada debênture, o crédito também ocorrerá na mesma conta.6.3 Ações e opções Ações são títulos de propriedade emitidos pelas empresas. Através deuma corretora de valores o investidor pode comprar e vender ações,negociaçadas na BM&FBOVESPA. As ações são a principal alternativa do investimento em renda variável. As compras de ações podem ser feitas através de emissões primárias esecundárias (mercado primário) ou através de negociação direta no segmentoBOVESPA (mercado secundário), sistema de negociação de ações e opções daBM&FBOVESPA. O mercado primário refere-se à colocação inicial do título, onde orecurso captado junto ao mercado de capitais vai direto para a empresa. Já omercado secundário refere-se à transação deste título, onde um titular comprade outro investidor que deseja desfazer-se do investimento. A imagem a seguir ilustra o funcionamento da estrutura de negociaçãodo mercado secundário: RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  39. 39. 38 A CBLC é a Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia e cumpre opapel de agente de liquidação e custódia. É a empresa responsável peloregistro de transações e registro de posse e transferências de valoresmobiliários negociados na BM&FBOVESPA.Estrutura de negociação As ações negociadas na bolsa de valores são identificadas por códigosde negociação, onde cada código identifica o tipo de ativo e suascaracterísticas. A imagem a seguir ilustra a formação do código de um ativo negociadona BM&FBOVESPA: São os principais números utilizados para identificar os ativos: • 3: Ações Ordinárias Nominativas (ON), dão direito a voto e dividendo após a PN receber dividendos; • 4: Ações Preferenciais Nominativas (PN), não dão direito a voto e dão direito prioritário à dividendo; • 5: Ações Preferenciais Tipo A, ações com direitos adicionais, conforme estatuto da empresa; RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  40. 40. 39 Composições de ações. • 6: Ações Preferenciais Tipo B, ações com direitos adicionais, conforme Agregados de ações ON e PN negociadas sob forma de um estatuto da empresa; ativo único. • 11: Número livre. Identificam ativos como, as units, os ETFs, os fundos imobiliários com cota negociada em bolsa e as BDRs; • 1 e 9: direitos de subscrição de ON e recibos de direitos de subscrição de ON, respectivamente; Brazilian Depositary Receipts, papéis negociados no Brasil • 2 e 10: direitos de subscrição de PN e recibos de direitos de subscrição que representam empresas que abriram capital fora do de PN, respectivamente. Brasil. São as principais letras utilizadas para identificar o tipo de negociação: • Sem código: identifica negociação à vista normal; • F: lote fracionário, quantidade menor que o lote-padrão de negociação do ativo; Normalmente o lote-padrão é • T: operação a termo em Reais (R$); de 100 ações. • D: operação a termo em Dólares (US$); • L: negociação sob forma de leilão especial.Exemplos de códigos de ativos: • PDGR3: ações ON em lote padrão, negociadas à vista da empresa PDG Realty; • LAME4F: ações PN em lote fracionário, negociadas à vista da empresa Lojas Americanas; • USIM5: Ações PNA em lote padrão, negociadas à vista da empresa Usiminas; • ELET6: Ações PNB em lote padrão, negociadas à vista da empresa Eletrobras; • BOVA11: ETFs de Ibovespa em lote padrão, negociadas à vista; • MILK11: BDRs em lote padrão, negociadas à vista da empresa Laep Investimentos. O processo de liquidação da compra de ações leva três dias úteis, ouseja, o prazo entre comprar (ou vender) e ter de fato a custódia registrada emseu nome (ou transferida, no ato da venda), tem o prazo estabelecido em trêsdias úteis pela CBLC. O pagamento da compra de ações se dá através de débito em conta doinvestidor na corretora de valores. No caso da venda das ações, o créditotambém ocorrerá na mesma conta.Proventos Os proventos são as diferentes formas de remuneração que umaempresa pode pagar aos seus acionistas. As formas de proventos atualmenteexistentes são: dividendos, juros sobre capital próprio (abreviado como JSCP),direitos de subscrição e bonificações. O dividendo é uma parcela do lucro da empresa pago em dinheirodiretamente ao investidor. Como este é calculado contabilmente como uma RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  41. 41. 40parcela do lucro líquido de imposto, o dividendo é pago ao investidor isento deimposto. O juro sobre capital próprio é uma remuneração paga em dinheirodiretamente ao investidor cujo lançamento contábil para a empresa indicauma despesa financeira. Isso faz com que o juro sobre capital próprio sejatributado na conta do investidor, pago diretamente na fonte na alíquota de15%. A bonificação é o provento pago sob forma de ações: o investidorrecebe da empresa mais ações proporcionalmente às ações que já possui. Doponto de vista contábil, a distribuição de ações é uma aquisição com valor zeroe no caso da venda, gera um lucro no valor da venda para as ações recebidasna bonificação. O direito de subscrição é o provento distribuído aos acionistasproporcionalmente às ações que já possui. O direito de subscrição pode sernegociado ou exercido: neste caso o investidor acaba optando por comprar asações nas quais possui direito a um determinado preço. A subscrição só serávantajosa se o preço de mercado for inferior ao preço de direito de subscrição. Os direitos de subscrição negociados geram um lucro no valor davenda, para fins tributários. Já na venda das ações subscritas, vale o preço naqual foi feita a subscrição.Opções As opções são um tipo de derivativo onde existe o direito, mas não aobrigação de comprar determinado ativo a um determinado preço em uma (ouaté) determinada data. As opções negociadas na bolsa de valores são identificadas por códigosde negociação, onde cada código identifica o tipo de ativo objeto e suascaracterísticas. A imagem a seguir ilustra a formação do código de uma opçãonegociada na BM&FBOVESPA: RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  42. 42. 41 A tabela abaixo ilustra as letras e os vencimentos existentes naBM&FBOVESPA: Mês de vencimento Opções de compra Opções de venda Janeiro A M Fevereiro B N Março C O Abril D P Maio E Q Junho F R Julho G S Agosto H T Setembro I U Outubro J V Novembro K W Dezembro L X Os preços de vencimento das séries negociadas nem sempre segueestritamente o valor indicado no código. Isso significa dizer que, um preço deexercício (também chamado de strike) pode ser diferente do valor númeronegociado. Uma PETRE26 pode ter exercício em 25,12 (como efetivamentepossuiu em 02/05/2011) ao invés dos aparentes 26,00, como indica seucódigo. Isso ocorre por ajustes de preços que um ativo pode vir a sofrer nodecurso da vida de uma opção. As opções seguem ainda a lógica de precificação. Apesar da livrenegociação para definição de preços, como o preço decorre de um ativoadjacente, existe diversos modelos de precificação que buscam indicar aoinvestidor o preço adequado para determinado derivativo, dependendo dassuas características. Atualmente o modelo mais utilizado para precificação deopções é o modelo Black&Scholes.6.4 Fundos de Índice negociados em bolsa Os fundos de índice negociados em bolsa, também conhecidos pelasigla ETF (do inglês, Exchanged Traded Fund), são fundos de investimento quebuscam replicar o desempenho de um índice de ações específico, cujas cotassão adquiridas diretamente nas bolsas de valores. Novidade no Brasil, os ETFs já possuem longa data em mercadosestrangeiros. Os ETFs são uma alternativa em renda variável para o investidorque deseja apostar no desempenho de um índice e, portanto ter umdesempenho passivo em renda variável. A tabela a seguir resume os ETFs atualmente negociados naBM&FBOVESPA: Código Nome DescriçãoBOVA11 ISHARES BOVA CI ETF de IbovespaBRAX11 ISHARES BRAX CI ETF de IBrX-100CSMO11 ISHARES CSMO CI ETF de ações do setor de consumo RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  43. 43. 42MILA11 ISHARES MILA CI ETF de ações de médias e grandes empresasMOBI11 ISHARES MOBI CI ETF de ações do setor imobiliárioSMAL11 ISHARES SMAL CI ETF de ações de pequenas empresasFIND11 IT NOW IFNC CI ETF de ações do setor financeiro PIBB11 PIBB CI ETF de IBrX-50 Para facilitar a negociação dos ETFs junto ao pequeno investidor,atualmente a BM&FBOVESPA determina o lote-padrão em dez ETFs.6.5 Outros produtos de investimento São outros produtos de investimento também acessíveis ao pequenoinvestidor: • Clubes de investimento; • Fundos de investimento; • Fundos de investimento imobiliário com cotas na bolsa de valores; • Contratos futuros. Clubes de investimento são grupos de investidores reunidos através deuma conta cujo objetivo de investimento é comum. A gestão de um clube deinvestimento geralmente é feita normalmente pelos seus integrantes,chamados de cotistas. Os fundos de investimento são também um grupo de investidoresreunidos com um objetivo comum de investimento, mas dessa vez a gestão éterceirizada. A gestão de um fundo de investimento sempre é feita por umaequipe de gestão contratada. Os fundos de investimento imobiliário com cotas negociadas na bolsade valores são fundos voltados para investimentos em aluguéis de imóveiscomerciais e eventualmente sua negociação. Os contratos futuros são derivativos negociados no segmento BM&Fda BM&FBOVESPA. São acessíveis hoje aos investidores, tanto os contratospequenos (chamados de “minis”) como os contratos maiores (chamados de“cheios”). Os contratos futuros são uma alternativa de investimento de maiorrisco, pois oferecem retorno alavancado. Os contratos futuros não exigemtodo o capital movimentado numa transação, apenas uma margem, e por isso,podem dar ganhos e prejuízos (em situações de extrema volatilidade) maioresque o saldo financeiro do investidor. RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  44. 44. 43Capítulo 7: Decisões em investimentos :7.1 Perfil de investidor Encontrar seu próprio perfil de investidor é o primeiro passo para prioquem deseja iniciar qualquer investimento. Pensando nisso, confira ao final domaterial o Anexo I, um teste de perfil preparado para o leitor que desejacomeçar a investir. São basicamente três tipos de perfis de investidor: • Conservador: nãoaceita investimentos de risco; • Moderado: prefere uma carteira equilibrada entre investimentos de baixo risco e alto risco; • Arrojado: prefere investimentos de risco. São exemplos de composição de uma carteira de inves investimento por tipode perfil: • Conservador: carteira composta por no mínimo de 75% em renda fixa e até 25% en renda variável; • Moderado: carteira composta em média de 50% em renda fixa e de 50% em renda variável; • Arrojado: carteira composta por no mínimo de 75% em renda variável e até 25% em renda fixa. A imagem abaixo ilustra uma curva que relaciona o perfil e o risco eretorno comum relativo esperado para cada perfil: Ao definir o perfil de investidor, o investidor pratica um exercício dereflexão: o perfil de investidor dirá quais investimentos combinam mais com a erfilprópria personalidade do investidor. Um investidor com perfil conservador pode se sentir extremamentedesconfortável ao investir em ações, mesmo que o retorno seja atrativo, damesma forma que um investidor com perfil arrojado pode se sentir insatisfeito ue RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  45. 45. 44e frustrado ao investir em fundos de renda fixa, mesmo que seja um bomfundo de renda fixa. Parte do perfil do investidor pode ser definida pelo prazo deinvestimento. Prazos mais alongados de investimento em investimentos derisco podem se tornar investimentos mais tranqüilos, uma vez que ao investirno longo prazo, exista uma tendência natural a retornos positivos. A tabela a seguir ilustra primariamente esta hipótese, com base nosretornos do Ibovespa nos últimos 15 anos11 (até 2010): Índice Bovespa, principal Retornos12 acumulados no período indicador do desempenho do Ano IBOV Anual Bianual Trianual Quadrianual mecado de ações do Brasil. 1995 4.299 -1,26% 1996 7.040 63,76% 61,69% 1997 10.196 44,83% 134,2% 1998 6.784 -33,46% -3,64% 55,81% 1999 17.091 151,93% 2000 15.259 -10,72% 124,93% 49,7% 2001 13.577 -11,02% 2002 11.268 -17,01% -26,16% 66,10% 2003 22.236 97,34% 45,7% 2004 26.196 17,81% 132,48% 2005 33.455 27,71% 2006 44.473 32,93% 69,77% 100,0% 294,68% 2007 63.886 43,65% 2008 37.550 -41,22% -15,57% 2009 68.588 82,66% 54,2% 2010 69.304 1,04% 84,56% 1,04% 55,83%Períodos em 37,50% 37,50% 0,00% 0,00%baixa: Não foi considerado nesta simulação o efeito da inflação ou o descontodos retornos pela taxa de juros livre de risco. Apesar de um prazo mais alongado para o resgate favorecer oinvestimento de risco, existe um limite dado pela idade do investidor, tantopelo fato de a idade limitar o prazo máximo para investimento como pelo riscode recuperação do patrimônio arriscado (e perdido) numa aposta de risco. Mesmo dentro de um perfil, podem existir sutis variações nacomposição da carteira de investimento, por motivos como: • Mais conhecimento do investidor sobre um tipo de produto; Para avaliar somente durante o plano Real.11 Com dados do Economática.12 RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  46. 46. 45 • Boa oportunidade de rendimento de momento; • Apenas preferência natural. Dois investidores podem ser considerados de perfil moderado comuma carteira metade em renda fixa e metade em renda variável com aseguinte composição: • Investidor A: 10 mil reais em fundos DI e 10 mil reais em ações; • Investidor B: 10 mil reais em títulos públicos federais e 10 mil reais em ETFs. Para este caso, conforme as volatilidades dos ativos variem (tanto derenda fixa como de renda variável) o risco das carteiras podem ter ligeiradiferença, apesar de ambas serem classificadas como moderadas.7.2 Tipo de estratégia Além do perfil de investimento, que definirá a quanto de risco oinvestidor deseja se expor, outra decisão de investimento se refere ao tipo deabordagem que o investidor terá ao efetuar operações, notadamente nasoperações em renda variável. São os tipos mais presentes de perfis estratégicos: • Day-trader; • Swing-trader; • Position trader; • Hedger; • Arbitrador.Day-trader Perfil de estratégia voltado para operações de prazo inferior a um dia,daí o nome day-trader, também traduzido como operador intradiário. O day-trader pode operar uma única vez ou várias vezes durante o dia com um ativoou mais. O day-trader busca pequenas variações de preços observando umatendência de preços para o dia em determinado ativo. Normalmentedesprende um acompanhamento intensivo das cotações de mercado e paraatuar adequadamente, precisa de forte preparo psicológico.Swing trader O swing trader é o operador de curto prazo. Normalmente atua emsituações de sobrerreação nos preços, comprando papeis com forte expansãoem alta ou após incomuns sequências de quedas. O raciocínio também é válidoanalogamente para uma situação de queda. Utilizam diversas ferramentas de RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  47. 47. 46análise diferentes ao mesmo tempo, como notícias, fundamentos, gráficos erelações quantitativas13. O swing trader aposta em grandes variações de preços (contra ou afavor da tendência principal) em curtos intervalos de tempo, aproveitandooportunidades eventuais nos ativos: o swing trader pode tanto atuarintensivamente em uma semana como ficar várias aguardando novasoportunidades. Utilizam principalmente o modelo de análise técnica.Position trader O position trader é o operador de longo prazo. Recebe este nome pordizer-se que é o investidor que se “posiciona” em determinado ativo por umlongo período de tempo, meses ou anos. Atuam normalmente em oportunidades de investimento através daanálise da estratégia de longo prazo da empresa e por isso é muito comumutilizar-se da análise fundamentalista.Hedger A estratégia hedger busca posições em ativos de forma que o riscogeral da carteira seja muito baixo em comparação ao risco médio do mercadoem que atua. O hedger utiliza-se essencialmente de análise quantitativa paraexecutar suas operações. Muito das operações de hedge utiliza-se dederivativos ou da relação entre ativos correlacionados.Arbitrador O arbitrador busca aproveitar-se de distorções de preços que possamexistir no preço de um ativo em dois mercados distintos. O arbitrador tambémpode se utilizar de operações sintéticas, operações estruturadas que simulam acondição de comportamento de outro ativo, para se aproveitar das mesmasoportunidades de arbitragem. O arbitrador utiliza-se de vários modelos de análise e é fundamentalpara seu sucesso uma rápida capacidade de execução em mercados com altaliquidez com baixo custo operacional. Modelo de análise que busca relações estatísticas e/ou matemáticas eventualmente13presentes nos ativos. RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES
  48. 48. 477.3 Análise fundamentalista A análise fundamentalista é o modelo de análise de ativos que decideos momentos de compra e venda baseada nas projeções de fluxo de caixaesperados para o negócio da empresa. A análise fundamentalista define modelos para projetar valores dereceita, margens financeiras e operacionais, analisar o setor no qual acompanhia está inserida e aspectos macroeconômicos, nível de risco daeconomia e da empresa, tudo para definir se o atual valor da companhiareflete ou não adequadamente o futuro do negócio. A análise fundamentalista se divide basicamente em três partes: • Análise econômica; • Análise gerencial; • Análise financeira e contábil.Análise econômica A análise econômica consiste em avaliar o macroambiente econômico(macroeconomia) e o ambiente econômico particular da empresa(micreconomia). Este item avalia a relação das variáveis globais e seu impactosobre o universo da empresa. A análise macroeconômica observa as relações entre os indicadoreseconômicos como inflação, taxa de câmbio, taxas de juros, nível de emprego,indicadores de atividade industrial entre outros. O primeiro grande direcionador da economia é o crescimento do PIB.O PIB (Produto Interno Bruto) é a soma em valor de mercado de todos os bense serviços produzidos em determinada região em determinado intervalo detempo. O PIB é um medidor universal de crescimento econômico, poisincorpora todas as particularidades gerais e serve para comparar, por exemplo,um mesmo país em épocas diferentes ou mesmo países diferentes na mesmaépoca. A tabela a seguir ilustra os valores de PIB das principais economias domundo: País Valor (Em US$) % PIB Mundial Estados Unidos 14.657.800 23,30% China 5.878.257 9,34% Japão 5.458.872 8,68% Alemanha 3.315.643 5,27% França 2.582.527 4,11% Reino Unido 2.247.455 3,57% Brasil 2.090.314 3,32% Itália 2.055.114 3,27% RENATRADER: A SUA PORTA DE ENTRADA NA BOLSA DE VALORES

×