• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
R ps corporativas nic 108
 

R ps corporativas nic 108

on

  • 689 views

 

Statistics

Views

Total Views
689
Views on SlideShare
325
Embed Views
364

Actions

Likes
0
Downloads
6
Comments
0

1 Embed 364

http://moodleg.uel.br 364

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    R ps corporativas nic 108 R ps corporativas nic 108 Presentation Transcript

    • Relações Públicas Corporativas 06 NIC 108 Universidade Estadual de Londrina www.profrenatomartins.com www.uel.br/nead profrenatomartins@gmail.com
    • EMENTA: • Relações Institucionais, Empresariais e Corporativas. • Imagem, Identidade e Reputação. • Gestão de crises. • Relações Públicas Internacionais. OBJETIVOS: • Apresentar ferramentas da Com. na Gestão de RP Corporativa. • Proporcionar os conceitos de Governança Corporativa. • Capacitar para utilizar os processos e ferramentas de comunicação para diagnosticar potenciais riscos. • Prevenir e gerenciar uma crise corporativa. • Apresentar os conceitos de RP Internacionais.
    • Procedimentos de Ensino: Aula expositiva apresentada em PowerPoint e com suporte EaD. 20% do programa será ministrado a distância no Sistema MOODLE Apresentação e estudo de casos e vídeos. Palestras. Atividades discentes: Estudo e apresentação de textos presenciais e em EaD. Apresentação de seminários. Pesquisa em jornais e revistas especializadas e na Internet. Trabalhos individuais e em grupos presenciais e em EAD. Formas e critérios de avaliação: Seminários. Trabalhos individuais e em grupos. Atividades em sala de aula e postados no Sistema MOODLE. Provas*.
    • O conteúdo da disciplina está disponível no Sistema MOODLE http://www.uel.br/nead/portal/pages/moodle-uel.php e no site do professor Renato Martins http://www.profrenatomartins.com/  Todas as atividades* deverão ser postadas no MOODLE dentro dos prazos estabelecidos * Atividades são as tarefas solicitadas como atividade complementar obrigatória da aula para validar a presença do alunos.
    • Trabalho da Disciplina: Seminário sobre 1 dos temas da CC para apresentação no dia  17 de Setembro de 2013  Grupos de até 04 pessoas – Parte teórica com apresentação de caso em 30’ (avisar ao professor sobre qualquer necessidade)
    • As principais funções da Comunicação Corporativa: (ARGENTI:2006) 1) Gerenciamento da reputação, 2) Propaganda Corporativa e ações em Da sociedade, 3) Relações com a mídia, 4) Comunicação de Marketing, 5) Comunicação Interna, 6) Relações com os investidores, (*) 7) Responsabilidade social, 8) Relações com o governo (*) e 9) Gerenciamento de Crise.  Trabalho da Disciplina 
    • Atividades no Sistema e discussão em sala 1. Case Le Travel Store – Despedida depois de 37 anos de funcionamento http://vimeo.com/69211280 2. Case Catálogo Promocional da Embraer – Catálogo que voa http://comunicadores.info/2013/06/20/um-catalogo-de-avioes-que-tambem-voa/ 3. Case Catupiry - 100 anos depois http://www.slideshare.net/renadri/catupiry-100-anos-comunicao-corporativa 4. O que os RPs fazem que os Jornalistas mais detestam? http://www.slideshare.net/HubSpot/shit-pr-peopledo
    • Área de Comunicação Corporativa aumenta 300% em dez anos Folha de São Paulo, 04/10/2012. Morris Kachani
    • • Crescimento da CC • As áreas específicas • As principais agências Assessoria de Imprensa - 75% Eventos Corporativos - 70% Comunicação Interna - 62% Pesquisa e Avaliação - 53% Patrocínios - 13% Relações com Investidores - 10% Relações Governamentais - 9%
    • Folha de São Paulo, 04/10/2012. Morris Kachani Em um momento de redefinição do modelo de negócios dos veículos de mídia, outro segmento de comunicação tem crescido a um ritmo de 15% nos últimos cinco anos. As agências de comunicação corporativa faturaram R$ 2 bilhões em 2011. Em 2001, eram R$ 500 milhões, em valores atualizados. Salários mais altos De acordo com Francisco Soares Brandão, sócio-fundador da FSB, ganha-se mais em comunicação corporativa. "Aqui, o céu é o limite. Os resultados são medidos pela produtividade", afirma. A Aberje acaba de finalizar um relatório mostrando que, nas corporações, um diretor de comunicação recebe em média R$ 51 mil. Uma secretária, R$ 5,8 mil.
    • Folha 29/09/2012 Falta mão de obra especializada em Comunicação Corporativa A formação acadêmica em oferecida pelas Universidades contempla muito timidamente o mercado de comunicação empresarial. Há uns poucos MBAs, e só. "Mais da metade dos alunos graduados acabam indo para essa área, mas a formação que recebem ainda é focada no trabalho em veículos de comunicação", afirma Gisele Lorenzetti, presidente da Abracom, entidade que agrega as agências. A percepção no mercado é que falta mão de obra especializada -- capacidade de interlocução com diferentes culturas, conhecimento sobre a regulação do Estado e direitos internacionais, entre outros, são requisitos.
    •  COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL  COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL  COMUNICAÇÃO CORPORATIVA EMPRESA = ORGANIZAÇÃO = CORPORAÇÃO Em inglês, “corporation” é “uma empresa de negócios”, conforme o dicionário Oxford (5th ed, p. 260).
    • Comunicação Corporativa A comunicação corporativa é o setor responsável pela execução de todas as formas de divulgação e gerenciamento das atividades de relacionamento de uma organização. Está sob sua responsabilidade a imagem e a postura da instituição perante seus públicos em situações cotidianas ou de emergência. É responsável pela Comunicação Interna e Externa e deve seguir um padrão de imagem conforme o estilo de marca e atitude que a empresa deseja expressar. É necessário entender e respeitar a identidade da empresa, para que não haja distorções na percepção do público, que deve sempre ser positiva.
    • A Comunicação Corporativa ocupa-se da análise do ambiente em que a corporação se insere, identificando e conhecendo as especificidades dos diversos públicos com os quais se relaciona. A CC desenvolve estratégias de comunicação adequadas para atingir esses públicos e obter resultados alinhados aos objetivos organizacionais, sem perder de vista as mudanças no mundo globalizado.
    • A evolução do termo CC se deve as novas necessidades e expectativas dos públicos, que deixaram de ter o posicionamento passivo e complacente do início do século vinte, para assumir e demonstrar suas vontades, exigências ou carências e demandar atenção cada vez mais individualizada.
    • A Comunicação Corporativa é uma visão estratégica da atividade diária da Comunicação, e como tal, necessita de um Planejamento Estratégico. A análise de cenário (SWAT)  Pontos Fortes e Fracos,  Ameaças e Oportunidades
    • Estratégico: A direção a ser seguida. Definido pela Presidência ou Direção. Tático: Função da Gerência. Coordena, implementa e controla o plano, para cumprimento do direcionamento estratégico proposto. Operacional: Implementa ações necessárias ao cumprimento das decisões estratégicas definidas nos níveis superiores.
    • A análise de cenário (SWAT) - (FOFA) Strength, Wheak, Opportunit e Threat
    • A Matriz BCG é um sistema da Boston Consulting Group para analisar portfólio de produtos baseado no seu ciclo de vida – CVP. É utilizada para alocar recursos em gestão de marcas (Brand), planejamento e análise de portfólio. É uma forma de representação da integração da empresa nas variáveis externas e internas Análise Ambiental (Matriz BCG)
    • Uma empresa necessita produtos com diferentes taxas de crescimento e participação no mercado. Produtos com alto crescimento exigem grandes investimentos para crescer. Produtos de baixo crescimento geram fluxo de caixa e ambos são necessários. A Matriz BCG apresenta mais de uma estratégia para os produtos e equilibra a carteira de negócios. Permite uma representação visual dos produtos e serviços, suas avaliações as nas tomadas de decisão Análise Ambiental (Matriz BCG)
    • Atividade para próxima aula Faça uma análise, através da Fórmula SWOT de • Onde trabalha • Onde estagia • Onde frequenta • Negócio do seus pais • Trabalho de seus pais Apresentação para próxima aula – max 10’
    • Relações Públicas Corporativas
    • Comunicação Integrada (Visão Estratégica) A Comunicação Integrada é a gestão das atividades do composto de ferramentas comunicacionais de uma organização, nas varias mídias, que permita a viabilização da missão e visão organizacional, que consolide a sua imagem agregando valor à junto aos seus públicos de interesse (os stakeholders). COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL COMUNICAÇÃO ADMINISTRATIVA COMUNICAÇÃO INTERNA COMUNICAÇÃO MERCADOLÓGICA
    • O termo Institucional (Comunicação e RP) passou a ser utilizado atualmente como Corporativo devido a fase pela qual passam as organizações (empresas) no seu aspecto mais importante, mercadológico, a chamada “globalização”. Comunicação Institucional é entendida como um processo de comunicação que utilize os mais diversos meios para promover uma empresa ou organização, mas sem mostrar especificamente uma marca, seus produtos ou serviços.
    • Relações Institucionais ou Corporativas Relações Públicas é uma atividade profissional de contínuos relacionamentos, o que significa manter um “relacionamento” (interagir), que por sua vez envolve uma “relação”. Pode-se definir “relação” como uma conexão entre dois lados, de modo que a modificação de um deles modifique o outro. Para o Aurélio (1998), “é a ligação íntima de coisas ou pessoas”. Ainda no Aurélio, no sentido de Relações Públicas, relação “é o intercâmbio de informações (ação), entre uma instituição (empresa ou órgão) e sua clientela ou grupo social, a fim de estabelecer bom entendimento humano.
    • • PROPAGANDA • PUBLICIDADE • PROMOÇÃO DE VENDAS • MERCHANDISING • RELAÇÕES PÚBLICAS • EVENTOS • DESIGN • ASSESSORIA IMPRENSA • MARKETING DIRETO • MIDIA DIGITAL • NO MEDIA (ALTERNATIVA) • GESTÃO DE CRISES • MIDIA TRAINNING • RESPONSABILIDADE SOCIAL Os principais instrumentos das RPs Corporativas
    • Os 4 Rs das Relações Públicas Prof. Manoel Marcondes Neto Reconhecimento Relacionamento Reputação Relevância
    • RECONHECIMENTO O reconhecimento é a propriedade de uma organização, um produto, uma marca, um indivíduo ou uma causa deve ser identificado por seus públicos de interesse (stakeholders) como distinto, qualificado, único, e ser assim reconhecido pelo conjunto maior desses públicos: a sociedade. Não se trata apenas de reconhecimento de marca – um atributo de mercado, (posicionamento) mas sim de reconhecimento social – base da atividade de relações públicas. Quando se fala sobre o atleta do século XX, logo sabemos que se fala de Pelé.
    •  Identidade Corporativa  Branding  Propaganda Institucional  Imagem de Marca
    • A Identidade Corporativa é um importante instrumento de comunicação. É o resultado do esforço empreendido em torno da criação de uma identidade corporativa – matéria dos campos do design e da linguística que dá origens a logomarcas. Uma organização é uma “pessoa jurídica”, ou seja, é um individuo com data e certidão de nascimento, sede social e objeto social. Fruto de um contrato social e tem uma razão social, ou seja, um nome. É bastante complexo “batizar” um organização e seus produtos e serviços. É preciso ser original, diferente, comunicar uma certa ideia, não ser ofensivo ou mesmo “chacota” em qualquer idioma. A escolha do nome da empresa, das cores que a representarão, a logotipia a seu utilizada em toda a sua comunicação, do “design” completam o conjunto de tarefas iniciais de comunicação a que um empreendimento deve se lançar. É importante pensar-se nesses elementos no início da empresa. Isto poupa reviravoltas, retrabalho e gastos.
    • O branding serve de guia para qualquer estratégia de marketing, sem o qual a tendência ao fracasso de uma marca é bastante provável. A questão da importância da marca e sua introdução na mente do consumidor deveria ser a preocupação entre as organizações. É de tamanha importância a ponto de surgirem inúmeras pesquisas de recall (da recordação de marcas), mensurando as mais lembradas na mente dos consumidores. Além dessas marcas, consideradas “top of mind”, buscou-se identificar também como os profissionais poderiam medir seus esforços ou redirecionar investimentos na busca de uma melhor posição. Ser o primeiro na mente do consumidor é um diferencial de grande relevância no mercado atual, em qualquer segmento de atividades. Al Ries e Jack Trout, criadores do conceito de “posicionamento”, sustentam que segmentos maduros suportam apenas duas marcas concorrentes.
    • A imagem de uma marca usa a logomarca como um dos principais símbolos da organização, e existe uma ambiência construída que a envolve, também no campo simbólico, e que ajuda a distinguir a identidade corporativa de uma organização – muitas vezes – sem lançar-se mão de uma comunicação explícita. Uma logomarca é visual, com cor e tipologia gráfica e, para estabelecer uma imagem de marca, deve-se usar outros sentidos, como a audição e o olfato. É normal o uso de perfumes e fragrâncias em cadeias de lojas – de alimentos a vestuário – fator que atrai o consumidor ainda no corredor do shopping. Algumas redes, além do olfato, criaram suas próprias “rádios” internas. Foi-se o tempo em que a FM fazia a cabeça dos gerentes comerciais. Hoje as cadeias “assinam” uma “trilha sonora” – e os clientes “sintonizam tais rádios na internet em seu dia a dia, bem longe das compras e do consumo. Mas continuam fruindo de uma imagem de marca. Atualmente trata-se, até , de ir além dos sentidos, estudando-se a “gestalt” e a sinergia entre dois ou mais sentidos e sua resultante no cérebro humano – é o chamado neuromarketing.
    • A propaganda institucional é o instrumento tradicional da comunicação organizacional. As publicações tradicionais como jornais e revistas são os preferidos pelos planejadores de mídia, para veicular um anúncio institucional. Anúncios institucionais são utilizados em aniversários, fusão ou aquisição, uma nova filial ou fábrica ou sempre que o tema principal é a própria organização, sua história e sua gente – sobretudo para se constituir as “melhores empresas para trabalhar”. É um instrumento com grande investimento, quase sempre com publicação do anúncio em página inteira. É também utilizado para amenizar crises de imagem – algum tempo depois da ocorrência, que tenta reconstruir algum laço rompido com a comunidade por causa de, por exemplo, um acidente ou uma disputa jurídica. Na televisão (ou cinema) as inserções institucionais são mais longas que um comercial comum. São formatos podendo chegar a três minutos – chamados “infomerciais” ou publieditoriais”, o informe publicitário.
    • RELACIONAMENTO Principal atividade de Relações Públicas, o relacionamento constitui função que tem início no pós-guerra sob o enfoque de "negócios públicos" (public affairs) em governo, em empresas e no terceiro setor. É a matéria-prima das Relações Públicas. O relacionamento de uma organização com seus stakeholders é assunto específico que demanda gestão especializada. Isto porque interesses antagônicos entre dois ou mais grupos reunidos sob a influência de uma mesma organização.
    •  Comunicação Interna  Atendimento ao Público  Ouvidoria/Ombusman  Mediação/Negociação
    • As organizações procuram manter uma comunicação interna permanente e eficaz. Em pleno século XXI, muitas das iniciativas relacionadas à comunicação interna ainda nascem no RH – um fato “clássico”. Por sua vez, os RPs atuam em denominadas como “gestão com pessoas”. A função desse setor é construir e manter diálogo construtivo e positivo com os colaboradores. Afinal, uma organização é uma reunião de Pessoas, seu principal ativo. No Brasil, algumas organizações usam o termo “endomarketing” – sem qualquer sentido nos países de língua inglesa! Por essa lógica, o trabalho mercadológico que cuida de produtos deveria chamar “exomarketing”. Instrumentos de marketing (pesquisas, incentivo, veículos de comunicação dirigida) junto ao público interno das organizações tem outra definição e conta com uma série de autores e pesquisadores, sobretudo na área da Psicologia Organizacional: Internal Marketing Orientation.
    • A organização deve assegurar-se de que está levando a mesma mensagem para todos os públicos; O mais desafiador stakeholder é aquele que pensamos mais conhecido: o público interno. Para Paulo Clemen, em pesquisa da Casa do Cliente, em parceria com a ABRH sobre comunicação interna: 88% das empresas consideram a comunicação interna extremamente importante; 44% das empresas entregam a comunicação interna à área de Recursos Humanos; 42% consideram “objetiva” a comunicação de sua empresa; 21% consideram “multidirecional” (da “tiros” para todos os lados); 18% consideram-na como um “turbilhão” (muita comunicação mas pouca informação); 10% consideram-na “perdida” (não há endereçados próprios – quem quer falar a “todo mundo” fala com ninguém); 8% acham-na uma comunicação tipo “boca no trombone” (todos falam e ninguém se entende).
    • O Profissional de RP que trabalha com o consumidor, precisa primariamente fazer uma análise junto com a empresa que pretende estabelecer este relacionamento. O que a empresa pretende? Ela quer apenas evitar problemas? Ela quer satisfazer o consumidor que reclama? Será que ela está buscando benefícios permanentes? Se estiver, pode iniciar a construção do signo através de um relacionamento sólido com o consumidor, elaborado de maneira que alimente toda a empresa com os seus dados, corrigindo áreas problemáticas e trabalhando para gerar na empresa uma atitude preventiva neste relacionamento. Ou seja, ao mesmo tempo em que a empresa tenta compreender o consumidor, ela faz um levantamento das suas expectativas para agregar mais valor ao que ele esperava e assim satisfazê-lo. Como fazer isso?
    • Recolhendo informações, permeando as mudanças, agindo como um catalisador, provocando mudanças nas áreas de produção e de operação de uma empresa. Para isso, muitas vezes uma empresa decide chamar a ajuda de um ombudsman, que é a minha função no Grupo Pão de Açúcar. A tarefa consiste em ouvir os clientes e buscar a melhor forma de solucionar os problemas por eles trazidos. A partir desse trabalho são levantadas informações que irão embasar melhorias no atendimento. Tentamos convencer os funcionários de que vale a pena para eles atender bem o cliente. Aí vocês me perguntam: “E não é assim que se trabalha?” Não no Brasil. Aqui o cliente é visto como o chato que desarruma a loja. Para vocês terem uma idéia, o Grupo Pão de Açúcar tem 164 lojas só na área de supermercados. Mais as subsidiárias, são 244. No total, são vinte mil funcionários. Perceberam a dificuldade da coisa?
    • REPUTAÇÃO Mais efetivo resultado daquilo que chamamos “Relações Públicas Plenas”, a reputação é um bem intangível de toda e qualquer pessoa, mas crítico para aqueles que precisam conquistar e manter-se em evidência num mercado; um atleta, um cientista, um autor, uma ONG, uma empresa, um partido, um governante. O esforço de manutenção de uma reputação – algo que se constroi ao longo de toda uma trajetória e que está sujeito a implosão num súbito golpe de sorte, a chamada crise de imagem pública – é a missão, além do próprio interessado, “dono” da reputação, do relações-públicas. E alimenta-se de uma sólida e permanente comunicação; consistente, perene, coerente, presente, proativa, concisa e solidária.
    •  Estudo dos Públicos  Divulgação  Gestão de Crise  Imagem Pública  Comunicação Institucional
    • RELEVÂNCIA A relevância de um indivíduo ou organização, num determinado momento e contexto, no âmbito de um dado ambiente ou mercado, é dada, ou medida, como um “retrato instantâneo” de sua imagem institucional. Tal situação – transitória – é fruto, principalmente, das ações e atitudes recentes e, quando “clicada”, denota certa dose de distinção em relação à “planície” da concorrência. Uma vez obtida, relevância – que, aliás, é o critério de seleção dos mecanismos de busca na internet – poderá ser mantida com, além de atitudes diante de fatos e instituições coerentes com os valores expressos, ações constantes, cuidadosamente planejadas e comunicadas. Ressaltar-se na paisagem, tornar- se distinto, acima da concorrência, exige esforços consideráveis e permanentes.
    •  Pesquisa de Opinião  Marketing Social  Eventos (próprios e de terceiros)  Patrocínios (Mkt Cultural e Esportivo)
    • GESTÃO DE CRISE
    • COMUNICAÇÃO MERCADOLÓGICA INTERNACIONAL RELAÇÕES PÚBLICAS INTERNACIONAIS CULTURA E MULTICUTURALISMO PROJETO DE PESQUISA TERCEIRA LINGUAGEM
    • REPUTAÇÃO CORPORATIVA = IMAGEM (CONCEITO) + GESTÃO + SAÚDE FINANCEIRA + LIDERANÇA E INOVAÇÃO + PÚBLICOINTERNO