Your SlideShare is downloading. ×
Market trend 2013
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Market trend 2013

233
views

Published on

Material de Aula do Prof. Renato Martins …

Material de Aula do Prof. Renato Martins
Disciplina RPs Corporativas, NIC 108

Published in: Education

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
233
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. 10 TENDÊNCIAS DE CONSUMOMarket Trend 2013
  • 2. 1. PRESUMERS• Os consumidores vão abraçar ainda mais formas de participar do financiamento e (pré) lançamento de novos produtos e marcas.• 2013 terá consumidores entusiasmados abraçando dois novos modelos de consumo: PRESUMERS e CUSTOWNERS.• PRESUMERS gostam de se envolver, financiar e promover produtos e serviços antes que eles sequer existam. Graças as plataformas de crowdfunding e novas tecnologias de manufatura cada dia mais acessíveis (empreendedorismo), os próximos meses suprirão estes consumidores.
  • 3. 1. PRESUMERS & CUSTOWNERS• As cifras gastas por PRESUMERS em plataformas de crowdfunding passaram de USD 530 milhões em 2009, para USD 1,3 bilhões em 2011 e USD 2,8 bilhões em 2012. (Fonte: The Economist, 05/2012)• O que vêm pela frente depois de PRESUMERS? Que tal CUSTOWNERS? Consumidores que deixam de lado o consumo passivo de produtos e passam a financiar e investir (quando não comprando parte) de suas marcas preferidas.• Estes consumidores espertos ligados a negócios normalmente buscam retorno financeiro e emocional. Por isso apenas marcas que são acessíveis, amigáveis, honestas, confiáveis, transparentes e mais “humanas” se mostrarão dignas do entusiasmo de CUSTOWNERS.
  • 4. Leon Bonds: juros pagos como vouchers de comidaA cadeia inglesa de fast-food saudável Leon criou Leon Bonds, para angariarGBP 1,5 milhão através de seus clientes (ao invés de investidores corporativos) paraajudar a expansão da marca em novos locais. Investidores receberam o pagamentodos juros em libras £eon (créditos para gastar no restaurante).
  • 5. 2. EMERGENTES• Marcas emergentes do mundo todo estão atendendo aos desejos da classe média emergente do mundo todo.• Nas duas últimas décadas mercados desenvolvidos atendiam às necessidades de países emergentes, e mercados emergentes satisfaziam o desejo de países desenvolvidos; agora é uma explosão de produtos e serviços de mercados emergentes para mercados emergentes.• Marcas brasileiras e chinesas que já atendem a classe média na Turquia, Índia ou África do Sul. Ou vice-versa.
  • 6. 2. EMERGENTES• Estas marcas de mercados emergentes já possuem experiência em mercados de rápida ascensão e já estão acostumadas a atender classes médias (cada vez mais poderosas).• As próximas potências de mercado de massa virão de mercados emergentes.• Em 2013 o PIB de mercados emergentes irá ultrapassar o de mercados desenvolvidos pela primeira vez (de acordo com Purchasing Power Parity). São USD 44,2 trilhões versus USD 42,7 trilhões. (Fonte: IMF, outubro de 2012)• Um bom exercício para qualquer empreendedor com ambições globais (atuante ou não em um mercado emergente): pergunte-se quem são os novos players mais potentes da sua indústria.
  • 7. Amazonas Sandals: chinelos brasileiros na China Em outubro de 2012, a marca brasileira Amazonas Sandals anunciou planos de abrir uma loja em Guangzhou, na China, no início de 2013. Amazonas Sandals usa matéria-prima bruta de árvores seringueiras do Brasil, e a borracha de suassandálias são feitas com 80% de material reciclado.
  • 8. 3. MOBILE MOMENTS• Vivendo a vida multi-hyper-tasking: porque micro-conveniências, mini- experiências e snacks digitais irão dominar 2013.• Para os que perguntam quais serão os próximos passos de “mobile”, um insight comportamental já dá dicas: em 2013, consumidores usarão os seus aparelhos celulares para maximizar cada momento. A vida urbana significa que mesmo o menor espaço de (micro) tempo não será temporário, sempre há espaço para mais conteúdo, conectar-se, consumir ou buscar mais diversão.• O próximo ano será uma explosão de MOBILE MOMENTS: produtos, serviços e experiências que permitam os consumidores amantes de mobile a adotar um estilo de vida multi-hyper-tasking.
  • 9. 3. MOBILE MOMENTS• Pesquisa com usuários de smartphones (EUA) descobriu que 63% dos entrevistados do sexo feminino e 73% do sexo masculino não passam mais de uma hora sem checar o telefone. (Fonte: Harris Interactive, 06/2012)• Usuários de celulares entre 18 e 24 anos trocam, em média, 109.5 mensagens por dia, mais de 3.200 por mês. (Fonte: Pew Research Centre, setembro de 2012)• Estudo sobre usuários da Android revelou que mesmo checando os celulares uma hora por dia, o tempo médio de visita aos aplicativos é de um pouco mais de um minuto. (Fonte: DFKI, novembro de 2011)• E como aplicar MOBILE MOMENTS? Aproveitar todas essas tendências e adicionar um toque de maximização de estilo de vida, de experiências únicas; uma dimensão MOBILE MOMENTS.
  • 10. Plataforma de pesquisa de mercado mobile para países em desenvolvimentoJana permite que usuários de telefones celulares em países em desenvolvimentoparticipem de pesquisas de mercado através de SMS em troca de prêmios, comominutos para ligação. Como resultado de sua parceria com operadoras de telefoniacelular, hoje o serviço atende quase 3,5 bilhões de pessoas em mais de 100 países
  • 11. 4. VIDA INTERIOR• É hora dos produtos que retribuem.• Com ou sem recessão, no longo prazo a missão da marca será manter atividades ecologicamente sustentáveis.• Uma mini-eco-tendência para 2013: o fenômeno de produtos e serviços que possuem uma vida por dentro. Ao invés de serem descartados ou reciclados (por outras pessoas), eles podem ser plantados e cultivados. Imaginem quanto eco-status e eco-histórias desse tipo.• É claro que produtos NEW LIFE INSIDE não irão resolver os desafios de sustentabilidade no mundo. Haverá um grande valor simbólico em criar o novo, uma vida através de um produto de consumo.• Até mesmo declarações simbólicas ou divertidas, sobre os seus valores farão ruído entre os seus consumidores. Especialmente se elas forem vistas como expressões de uma intenção ainda maior.
  • 12. O lápis que quer ser uma planta Sprout é um lápis que quer ser uma planta quando crescer. Assim que fica pequenodemais para ser usado ele pode ser plantado: uma cápsula com uma semente no topodo lápis é dissolvida com contato com a água, permitindo que a semente germine e cresça.O projeto arrecadou mais de USD 35.000 de mais de 2.000 investidores PRESUMERSquando o “funding” foi encerrado em setembro de 2012.
  • 13. 5. APPSCRIPTIONS• Tecnologias digitais são a nova medicina, médicos passam a recorrer a aplicativos para melhorar os resultados de tratamentos.• Além do DIY HEALTH* (já são mais de 13 mil aplicativos de saúde disponíveis na app store da Apple) o mais importante é saber qual é o melhor. Já que é uma questão de saúde, devem ser precisos e seguros.• Os consumidores se voltarão para profissionais e instituições médicas para pedir conselhos sobre as novas tecnologias e aplicativos médicos. Os profissionais receitam os melhores apps (como remédios) como parte do tratamento. Para provedores de saúde, estes “remédios digitais” reduzem custos tornando o consumidor mais consciente sobre a sua saúde, melhoram resultados, e permitem monitoramento de sinais antecipados.• * DIY HEALTH trata de consumidores que usam a tecnologia para rastrear, gerenciar, monitorar e melhorar a sua saúde. Geralmente de maneira informal e auto imposta.
  • 14. Proteus Digital Health: sensor de medicamento ingerível aprovado pelo FDAO FDA/EUA autorizou venda para Proteus Digital Health, o sensor ingerível que controla sepacientes estão tomando os seus remédios. O sensor é ativado (e carregado) através do fluidoestomacal, e as informações sobre a saúde do paciente são analisadas através de umaplicativo smartphone que alerta se o medicamento não for ingerido no período determinado.
  • 15. 6. CELEBRATION NATION• Ostentando as culturas que estão na moda.• O capital cultural global continua a ser alterado tão dinamicamente quanto o seu equivalente financeiro. Mercados emergentes exportarão orgulhosamente e farão questão de disseminar sua cultura e história. Símbolos, estilos de vida e tradições que eram menosprezadas (ou negadas) serão orgulho para consumidores locais, e objeto de interesse para consumidores globais.• Se não faz parte de uma CELEBRATION NATION, está na hora de criar parcerias com marcas inovadoras de mercados emergentes e trazer parte desse mundo. Se já faz parte de um destes mercados, atente para a tendência MADE FOR CHINA (IF NOT BRIC) e respeite as culturas locais.
  • 16. NE-TIGER: moda de luxo "Da China para o Mundo"A primeira marca de moda de luxo chinesa, NE-TIGER, é conhecida pelos designs étnicosinspirados em uma mistura oriente/ocidente. Em setembro de 2012 o criador da marca,Zhang Zhifeng fez um discurso entitulado “Da China para o Mundo”, antes de apresentara sua última coleção de alta costura “Huafu” em Milão, na Itália.
  • 17. 7. DATA MYNING• Consumidores querem ‘bons’ dados e não ‘muitos’ dados.• Se dados são recursos, em 2013 espere que consumidores comecem a exigir valor.• As discussões ao redor da “big data” (abundância de informações sobre consumidor e hábitos de compra) se resumiam ao uso de dados de consumidores a favor dos negócios. Compradores perspicazes esperam ter controle e fazer o melhor uso dos seus próprios dados, e procurar marcas que usem esta informação proativamente para oferecer ajuda e conselhos sobre como melhorar o seu estilo de vida e/ou economizar dinheiro.• A fronteira entre marcas que oferecem serviços válidos (e quase invisíveis) e aquelas que sufocam consumidores com ofertas agressivas de serviços assustadores é uma linha tênue. Compradores gostam de se sentir servidos, mas não observados.
  • 18. Cignifi: pontuação a partir do uso de dados em celularesA americana Cignifi desenvolve soluções para a análise de estatísticas relacionadas aouso de dados em celulares. Através de ligações, mensagens e recargas, a empresa analisao estilo de vida de do usuário e cria um perfil de risco de crédito. O serviço completou seupiloto no Brasil e está pronto para acessar dados da classe média brasileira de 100 milhõesde pessoas que têm acesso limitado a produtos de serviços financeiros.
  • 19. 8. MAIS UMA VEZ, FEITO AQUI• Manufatura local é a nova economia de serviços.• Manufatura volta para casa, se “casa” significar um mercado desenvolvido.• A busca de consumidores por NEWISM, a expectativa de poder ter o produto certo na hora certa, preocupação com sustentabilidade e o desejo por STATUS STORIES. Tudo isso combinado com a popularização de manufatura local.• Consumidores abraçam o AGAIN MADE HERE, bem-vindos por executivos preocupados com o aumento do custo da mão-de-obra chinesa e cadeias de abastecimento globais cada vez mais frágeis.• 76% prestam atenção na frase “Fabricado nos EUA” em etiquetas e estão mais dispostos a comprar estes produto. (Fonte: Perception Research, julho de 2012)• PRESUMERS e AGAIN MADE HERE se retro-alimentam. A mudança na mecânica e economia de modelos de negócios de manufatura farão com que o termo “local” signifique muito mais do que artesanato ou culinária.
  • 20. Tesla Model S: feito na CalifórniaEm 2012 foram entregues os primeiros Tesla Model S, produzidos na Califórnia.O carro é alimentado por bateria de lítio ionizada e vai de 0 a 100 km/h em 4.5 segundos,proporcionando alto desempenho. O Model S possui um painel touchscreen com acessowireless à internet (sincronizado com vários smartphones), permitindo que o usuáriocontrole sistemas de navegação, música e temperatura.
  • 21. 9. NU FRONTAL• Não apenas transparentes, mas nus e orgulhosos• O que esperar da mega-tendência de transparência? Marcas devem passar de ‘não ter nada a esconder’, à provar e mostrar proativamente que não têm nada a esconder. É mais do que declarações sobre “valores” e “cultura”, é assumir uma posição clara e direta com resultados concretos.• Nem todos são tão exigentes assim. Conforme a ideia de transparência se consolida como um fator higiênico, aqueles que não fazem questão esperam que marcas mostrem as suas credenciais éticas e ambientais para aqueles que realmente se preocupam com isso.• A porcentagem de consumidores que confiam em negócios que fazem “a coisa certa” caiu de 56% em 2011 para 53% em 2012. (Fonte: Edelman, 01/2012)
  • 22. 9. NU FRONTAL• A proporção de pessoas que acreditam que marcas fazem uma contribuição para a melhoria de suas vidas é de 8% na Europa e 5% nos EUA. 57% na China e 30% América Latina. (Fonte: Havas, 02/2012)• 69% dos consumidores americanos são inclinados a comprar marcas que discutem abertamente os seus resultados, contra 31% que comprariam de marcas que falam de suas missões. (Fonte: Cone Communications, 10/2012).• 44% dos norte-americanos acreditam nos planos ecologicamente corretos de empresas. (Fonte: Cone Inc., 03/2012).• Embora a maior parte dos exemplos que se seguem estarem relacionados à alimentação, a mensagem é clara... Apenas marcas que confiam em seu produto serão capazes de assumir o FULL FRONTAL.
  • 23. Falhas e conquistas sócio-ambientais reveladas em relatórioA marca de cosméticos eco-friendly Natura oferece uma lista completa de todos os seusobjetivos socioambientais em seu relatório anual. No final do ano passado, objetivos comoa redução de consumo de água, tempo de treinamento de funcionários e a diminuição deresíduos sólidos foram categorizados como “Não alcançados”, e em 2012.
  • 24. 10. DEMANDING BRANDS (MARCAS EXIGENTES)• O desejo de marcas serão uma ordem para consumidores.• Observe uma mudança ousada na relação entre marcas responsáveis e ambiciosas em 2013. Marcas conectadas que já buscam um futuro mais sustentável e são responsável exigirão que consumidores também contribuam, ganhando respeito dos mais exigentes.• Consumidores não tomarão partido de marcas a não ser que acreditem na causa. Ao se posicionar como uma DEMANDING BRAND, seja 100% transparente e sincero ou continue sendo uma SERVILE BRAND.• Uma coisa é ser exigente apenas para chamar a atenção de seus consumidores, outra é fazer exigências fundamentadas e de forma frequente.
  • 25. Vitória: doe sangue para colorir uniformes Para promover campanha de doação de sangue, o clube de futebol Vitória revelou osnovos uniformes em julho de 2012. Apesar da camisa do time ser em vermelho e preto,o novo uniforme era branco com listras pretas. Fãs foram encorajados a doar sangue paraque a cor vermelha voltasse às camisas. Durante o campeonato as quatro listras se tornarãovermelhas uma de cada vez, conforme o banco de sangue alcançar a meta estipulada.
  • 26. Têndencias As quatro formas de aplicar tendências de consumos. Analise como cada tendência pode beneficiar o seu negócio e pergunte se elas podem:• Influenciar ou moldar a visão da sua empresa.• Inspirar você a criar conceitos de novos negócios, uma empreitada totalmente diferente ou uma nova marca.• Agregar um novo produto, serviço ou experiência para um segmento específico de consumidor.• Inspirar campanhas e ações de marketing e ajudar a entender consumidores que vivem determinada tendência inovadora.