A FamíLia Cristã
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

A FamíLia Cristã

on

  • 11,155 views

 

Statistics

Views

Total Views
11,155
Views on SlideShare
11,143
Embed Views
12

Actions

Likes
8
Downloads
618
Comments
2

2 Embeds 12

http://www.pastorpolini.com.br 9
http://www.tudomulher.com.br 3

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • como baixar?
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • bom
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

A FamíLia Cristã A FamíLia Cristã Document Transcript

  • A Família Cristã Pastor José Polini Presidente da Assembléia de Deus em Ponta Grossa – PR
  • A FAMÍLIA CRISTÃ “Assuntos do jovem e da família, inclusive o sexo e a vida afetiva em geral”, À luz da Bíblia, da ciência e da moral. Leitura bíblica base: “Mas, como é santo Aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver”. “Que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra”. (1 Pedro 1. 15 e 1 Tessalonicense 4.4)
  • SUMÁRIOS DE ASSUNTOS I. O jovem Cristão Ante a Bíblia e o Sexo II. Os Quatro Problemas Básicos do Jovem III. Nossas Quatro Necessidades Básicas Sociais, IV. Os Quatros Problemas Básicos da Humanidade, V. O Amor em Suas Quatro Formas, VI. O impulso Sexual Natural, VII. As Cinco Situações do Solteiro, VIII. Os Agentes Causais da Prática Sexual, IX. Namoro e Noivado, Permissividade e Suas Conseqüências, X. A Vida Conjugal, XI. A personalidade. Os Temperamentos. Os Instintos, XII. O Porte Cristão, XIII. Vícios e Drogas, XIV. Prevenção e Terapia de Problemas na Família, XV. As Tentações, XVI. Nossa Vida Psíquica, XVII. A Depressão, XVIII. Os complexos, XIX. O sexo Normal, e Pervertido. Pecados do Sexo, XX. O Casamento, XXI. Aconselhamento Pastoral, XXII. Viva para Jesus, XXIII. As Maiores Perguntas da Vida, XXIV. Observações Finais, XXV. Seminário da Família,
  • I. O JOVEM CRISTÃO ANTE A BÍBLIA E O SEXO 1. Os objetivos destes estudos 1) A prevenção de problemas do jovem e da família em geral, á luz de Pv 22.3: “O avisado vê o mal e esconde-se, mas os simples passam e sofrem a pena”. (Referencia idêntica Pv 27.12). 2) A terapia de problemas e de males já instalados na vida e no lar. Terapia essa, á luz de Ef 5. 18 “E não vos embriagueis com vinho, no qual há devassidão, mas enchei-vos do Espírito”. Rm 13.14 “Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo; e não tenhais cuidado da carne em suas concupiscências”. * De nada adianta escondermos dos jovens as coisas que lá fora são sabidas de todos. * É Melhor explicar tudo, orientando com segurança e com base bíblica. * Hoje os pais não podem mais isolar seus filhos das influencias externas perniciosas, como no passado, por causa do volume e diversidade da comunicação social de massa. 2. As crises sócias atuais e a família cristã * O Jovem cristão e o mal da contextualização social. * As rápidas mutações de hoje, seu alcance instantâneo e global, e seus efeitos nos padrões de comportamento na sociedade. * Por exemplo, a mudança de plano (= local), no namoro. Até em tempos recentes era a moça que atraía e trazia o rapaz para seu plano, no sentido romântico; isto é, namorava a maior parte do tempo em casa. Hoje é o inverso. É o rapaz que conduz a moça para seu plano; para o mundo masculino. O namoro é praticamente todo o tempo fora de casa. * Ante o exposto, apresentamos a seguir uma série de situações adversas com que se defronta a Igreja de Deus perante o mundo; situações estas, expostas aqui, para consideração e julgamento dos que praticam o verdadeiro cristianismo bíblico. 1) A família cristã (e conseqüentemente a Igreja de Deus) e a presente sociedade materialista, desumanizada e indiferente a Deus. 2) A família cristã e a liberdade sexual. Isto equivale a dizer sexo livre. Permissividade, fornicação e prostituição livres. A liberdade sexual é a chamada Nova Moralidade. Seu principal mentor é John Fletcher. A Nova Moralidade é uma filosofia de vida que rejeita a lei moral divina, exposta na Bíblia, e gravada em nossa consciência, por Deus. É uma total mudança de comportamento quanto aos padrões morais estabelecidos por Deus para a família. Numa pesquisa (1981), feita entre a juventude brasileira, acerca de “sexo pré-marital”, a maioria absoluta de moças e rapazes de todas as idades respondeu “SIM”, para as relações sexuais antes do casamento.
  • Um dos resultados maléficos da liberação sexual é a reincidência incontrolável das doenças venéreas, resultantes de: * Sexo pré-marital e precoce. * Pluralidade de parceiros. * Corrupção generalizada dos hábitos sexuais tradicionais, transformando toda a geografia sexual do corpo humano. * 4.000 casos de doenças venéreas, por dia, somente em São Paulo. * 50 milhões de casos de doenças venéreas em todo o mundo, por dia. * Ver também a quantidade cada vez maior de mães e pais solteiros, com seus problemas sócias, como resultado disso. Vivemos hoje num tempo de um sempre crescente relaxamento moral, refletido no ambiente erotizante, e na permissividade geral e aberta tão nociva à família cristã. Isto pode ser visto e sentido: * Nas músicas e na danças erotizantes. * Nos trajes provocantes, expondo o corpo direta e indiretamente. * Na permissividade ostensiva, à plena luz. * Nos meios de comunicações de massa (rádio, TV, Internet, filmes, gravações, periódicos). * Comércio propagandista do sexo, promovendo somente a visão consumista do mesmo. O que diz a Palavra de Deus sobre a liberação sexual e o fim dos tempos. Lc 17.26 “Como aconteceu nos dias de Noé, assim também será nos dias do Filho do homem”. Gn 6.11-12 “A terra porém estava corrompida diante de Deus, e cheia de violência”. “Viu Deus a terra, e eis que estava corrompida; porque toda carne havia corrompido e seu caminho sobre a terra”. Lc 17.28-30 “Como também da mesma forma aconteceu nos dias de Ló”, “Assim será no dia que o Filho do homem se manifestar”. 2 Pe 2.7 “E livrou o justo Ló, atribulado pela vida dissoluta daqueles perversos”. 3) A família cristã e o aborto generalizado (e breve legalizado). 4) A família cristã e o divórcio legalizado. O divórcio é uma das feridas mais dolorosas da vida. No Brasil, o divórcio funciona sob leis restritivas; mas em paises como os Estados Unidos há mais de um milhão de divórcios por ano. 5) A família ante a literatura obscena e livre, bem como a TV pornográfica. 6) A família e a educação sexual na rede escolar. (Nossa posição neste particular). 7) A família cristã e a “Liberação Feminista”. A Palavra de Deus neste sentido. Ef 5.22-24 “Vós mulheres, submetei-vos a vossos maridos, como ao Senhor. Mas, assim também as mulheres o sejam em tudo a seus maridos”. 1 Tm 2.12 “Pois não é permito que a mulher ensine
  • nem tenha domínio sobre o homem, mas que esteja em silêncio”. Gn 3.16 “E o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará”. A “Liberação Feminista” é calcada no ódio e no ataque ao homem. Ela favorece o “casamento aberto”, em prática em muitos países onde o Movimento Feminista é Volumoso. No casamento aberto à mulher casada pode ter os amantes que quiser, tendo entretanto um marido legal, por causa dos possíveis filhos e da estabilidade da família. Entre as solteiras há liberação sexual à vontade. * Uma das reivindicações da “Liberação Feminista” é aniquilar a virgindade. * A base bíblica da virgindade: Dt 22.14,20-21 “...E contra ela divulgar má fama , dizendo: Tomei esta mulher e, quando me cheguei a ela, não achei sinais de virgindade. Se Porém, esta acusação for confirmada, não se achando na moça sinais de virgindade, levarão a moça à porta da casa do pai, e os homens da sua cidade a apedrejarão até que morra; porque fez loucura em Israel, prostituindo-se na casa de seu pai. Assim exterminarão o mal do meio de ti”. O principio da virgindade continua de pé: pois no Novo testamento a Igreja é comparada a uma “virgem pura” sendo desposada por Cristo, para ser Dele (2 Co 11.2). Isto de acordo com a tipologia de Lv 21.12,14, onde Deus proíbe o casamento de um sacerdote com moça desvirginada. E o sacerdote era tipo de Cristo (Hb 4.14). 8) A família cristã (e conseguintemente o jovem cristão) e a escala de religiões e seitas, bem como filosofias de vida, de crença, de atitude, de posicionamento, etc. O ensino de fé cristã no lar é um desafio aos pais cristãos, visto que o mundo destrói essa fé, uma vez que ele jaz no maligno (1 Jo 5.19). Isto é, o mundo faz exatamente o contrario da Igreja, educado e culto como for. 9) A família cristã e a toxicomania em escala nacional e mundial. Isto também é um sinal dos últimos tempos à Vinda de Jesus. (Ler Ap 22.15). O termo “feiticeiro”, segundo o original, implica também o sentido de drogas, conforme a pratica de viciados em entorpecentes. 10) A família cristã e a perversão generalizada. Um dos últimos avisos da Palavra de Deus trata disso (Ap 21.9; 22.15). Sobre a prática sexual depravada dos últimos dias, ler Rm 1.24-28; Gn 13.13; 18.20 a 19.8, comparando tudo isso com 2 Pe 2.6-8 e Jd v.7. 11) A família cristã e o “conflito de gerações”. Isto é, entre as pessoas de diferentes idades na mesma família, quanto a comportamento do dia- a-dia (atitudes e pontos de vista entre pais e filhos, avós e netos, tios e sobrinhos, etc).
  • 12) A família cristã (e conseguintemente o jovem cristão) e o “conflito cultural”. Defasagem no senso de valores. Problemas de avaliação por causa de cultura. 3. O quase total despreparo e desinformação do rapaz e da moça sobre seus assuntos * É de pasmar a ignorância dos jovens quanto ao conhecimento sistemático de seus assuntos e problemas, ligados à sexualidade e à vida amorosa. * Eles procuram conhecer muita coisa, exceto os seus próprios fatos; seu comportamento intimo amoroso. Eles e elas se preparam para quase tudo nesta vida, menos para o casamento que se segue a um namoro e noivado repletos de fatos sociais e amorosos que vão influir decisivamente na felicidade do casamento. * Esta ignorância resulta numa série interminável de males físicos, sociais e espirituais para o jovem e seu futuro lar, caso venha se casar. * Causas básicas desta desinformação: 1) Orientação negativa e infantil sobre assuntos do sexo, tipo: “você não pode saber disso”, mas não se explica por que não pode. 2) Orientação fragmentada sobre o assunto; tipo colcha de retalhos. 3) Orientação falsa, mas dita e aceita como cientifica, quando nada tem de cientifica. DEVEMOS DISCERNIR DE UMA VEZ POR TODAS O QUE É CIÊNCIA E O QUE É PRESSUPOSTO OU FILOSOFIA SOBRE A CIÊNCIA. Pressuposto ou hipótese, ou filosofia sobre a ciência, não é ciência. 4) Preconceitos sobre o sexo. Isso, por causa da sua atual deturpação. Mas Deus não criou o sexo deturpado como está. Exemplos de Preconceitos sobre o sexo: * Muitos casais (inclusive evangélicos), pensam que o sexo não faz parte do plano divino para o casal. * “O sexo é pecaminoso”. Ora, pecaminoso é o ser humano todo, e não somente à parte do sexo. Rm 7.18 “Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; com efeito, o querer o bem está mim, mas o efetuá-lo não está”. Tg 1.14 “Cada um, porém, é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência”. * “Fulano caiu em pecado”. Se esta frase quer dizer pecado do sexo, isto equivale dizer que os demais pecados não são pecados. Ou então estamos maximizando os pecados do sexo e minimizando todos os demais. Isto é preconceito contra o sexo. É má compreensão do assunto, sob o enfoque bíblico. * “O pecado original de Adão e Eva foi o ato conjugal”. Ora muito antes da queda (que ocorreu em Gênesis 3), Deus dissera ao casal: “Multiplicai-vos e enchei a Terra”.
  • 5) Tabus infundados. É outra causa dessa desinformação. Puritanismo irracional, hipócrita, ignorante (no casal). Vitorianismo. Falso pudor e falsa santidade na vida conjugal. Por exemplo: separação do casal, dias antes da Ceia do Senhor, como se pratica sexual do casal fosse pecado. * A infelicidade conjugal de inúmeros casais vem do descumprimento de 1 Co 7.3-5. “O marido pague à mulher o que lhe é devido, e do mesmo modo a mulher ao marido. A mulher não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim o marido; e também da mesma sorte o marido não tem autoridade sobre o seu próprio corpo, mas sim a mulher. Não vos negue um ao outro, senão de comum acordo por algum tempo, a fim de vos aplicardes à oração, e depois vos ajuntardes outra vez, para satanás não vos tente pela vossa incontinência”. 6) Decepções e maus exemplos sofridos por cônjuges, ou observados por solteiros na vida de casais, na área em apreço. 7) Posição extremada e repressão espiritual dos crentes do tipo “supersanto” sobre o assunto da sexualidade, sob o falso ensino de que “basta ser cheio do Espírito Santo, e fica tudo resolvido”. Geralmente os que pensam e ensinam assim são problemáticos e ocultam problemas sérios na área que estamos tratando. 4. O Sexo e a Sexualidade * Só um mentecapto negará a realidade, a importância e o papel do sexo no gênero humano. * Nenhum ser humano normal e com instintos normais, está isento dos fatos e fenômenos sexuais. * Étimo de “sexo”. Vem do latim sexus, do verbo secare=cortar, secionar, separar, distinguir. Semanticamente: as diferenças entre macho e fêmea. * Definição geral de sexo. É tudo o que diferencia o homem da mulher. Essa diferenciação dá- se em quatro sentidos: 1) Sentido morfológico: Diferenças anatômicas. 2) Sentido fisiológico: Diferenças funcionais. Aqui entram também os caracteres sexuais primários e secundários, como genitais, voz, glândulas mamárias, distribuição de pelos, gestos, atitudes, reações, desempenho e funções orgânicas, considerando o seu aspecto físico. 3) Sentido biológico. Diferenças bioquímicas. É o caso das hemácias, da temperatura do corpo, dos hormônios, das batidas do coração, etc. 4) Sentido psicológico. Aqui estão as maiores diferenças. É imensa a diferença emocional entre o homem e a mulher.
  • * Toda essa diferenciação vem do fato de Deus ter feito o homem e a mulher para finalidades especificas. Deste modo, um completa o outro; um foi feito para o outro. * Informações complementares sobre o Sexo e a Sexualidade. 1) No sentido estrito “sexo” é a parte fisiológica dos seres humanos, e “sexualidade”, é a parte psíquica. De modo mais amplo, “Sexualidade” é a dimensão da nossa personalidade ativada pelo sexo. 2) O sexo não é apenas uma função biológica da pessoa; ele envolve a mente e as emoções dela. 3) No homem, o sexo é mais biológico do que afetivo. 4) Na mulher, o sexo é mais afetivo do que biológico e está intrinsecamente ligado ao papel da maternidade. 5) O homem é um ser basicamente lógico, a mulher é um ser basicamente emotivo. Por isso a mulher guarda mais facilmente datas que envolvem suas emoções; e o homem, datas puramente históricas. 6) Deve ser pelo fato da mulher ser tão emotiva que Deus ordena repetidas vezes na Bíblia, que o homem, antes de tudo, ame sua mulher. 7) O homem é mais racional - A mulher é mais intuitiva. O homem é mais pratico naquilo que executa. A mulher vê mais o lado estético das coisas. O homem vê mais o conjunto das coisas – A mulher cuida mais dos detalhes. 8) A Bíblia destaca o fato de que o homem é diferente da mulher desde o nascimento. Lv 12.2-5 “Aqui vemos que ao nascer um menino em Israel, a mãe se purificava 40 dias; se fosse uma menina, o período era de 80 dias, isto é, o dobro”. Lv 27.1-8 – Quando votos feitos a Deus, envolviam pessoas, a avaliação para o resgate (por dinheiro), diferia entre o homem e a mulher. A avaliação do homem era de 60 siclos; e da mulher era de 30 siclos. A avaliação era feita pelo sacerdote. Portanto, qualquer “Movimento Unissex” é de origem maligna, para se opor ao plano eterno de Deus. 9) Todas as coisas vivas do universo devem sua vida ao principio do sexo: * Reino Vegetal – Plantas, vegetais, árvores em geral. * Reino Animal – Animais, peixes, aves, insetos. * Gênero Humano – Para se construir uma família é preciso sexo. 10) O sexo é uma dádiva de Deus, para ser utilizado conforme os princípios expostos na Sua Palavra, e um desses princípios é que ele (o sexo) só se realiza através do casamento. 5. A Igreja e a Sexualidade
  • A Igreja resolveu ignorar o assunto da sexualidade, para seu próprio prejuízo, quando a Bíblia aborda o assunto a partir dos seus primeiros capítulos. Alguns exemplos dentre os muitos do Antigo e do Novo Testamentos: * Gn 1.27 “Criou, pois, Deus o homem à sua imagem a imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou”. (ARC). Que quer dizer, na realidade, a expressão “macha e fêmea” com tudo o que isto encerra? * Gn 1.28 “Então Deus os abençoou e lhes disse:“Frutificai e multiplicai-vos, enchei a Terra...”. Como se dá essa multiplicação, senão através da reprodução do gênero humano?”. * Gn 2.7,22 – Aí está declarado que Deus “formou” tanto homem como a mulher, como eles são, e com o que têm. Isto é, com sua biotipia e psiquismo peculiares. Como seriam Adão e Eva, antes de sofrerem os males da queda? * Gn 2.24 – Aqui temos a instituição do casamento estabelecida por Deus, como meio de companheirismo, de prazer amoroso do casal, e de prossecução da espécie humana. Que implica cada dessas três coisas, senão sexualidade? * Gn 4.1 – “Conheceu Adão a Eva, sua mulher; e ela concebeu...” Há exemplo mais direto de sexualidade na vida conjugal do que este? * Lv caps 15, 18, 20 – Leis e normas sobre sexualidade do homem e da mulher. A “imundícia” mencionada no cap. 15, não se refere a pecado, mas ao cerimonial da lei, quanto a ir ao tabernáculo. Lição espiritual: evitar poluição moral, impureza moral. Lição social: leis sanitárias, contágio, infecção. (Todas as leis cerimoniais do Antigo Testamento têm uma aplicação espiritual no Novo Testamento. Ler Rm 15.4). * Dt 24.5 – “Homem recém casado não sairá à guerra, nem se lhe imporá qualquer encargo; por um ano ficará livre em sua casa e promoverá felicidade à mulher que tomou”. (ARA) Noutras palavras: um ano de lua de mel! Para o homem fazer a mulher feliz. De fato, para a Psicologia e a Sociologia conjugal, o primeiro ano do casamento é vital para a consolidação do mesmo. * Pv caps. 5 a 7 – Sérias advertências da Palavra de Deus ligadas ao sexo. * Ct de Salomão – Considerando sob o plano humano e terreno, têm aqui descrição do amor conjugal. * Mt 5.27, 28, 32 – Jesus aqui abordou o assunto com toda a clareza e franqueza. No v.28, o termo coração refere-se ao lado psicológico do sexo. * Jo cap. 2 – Jesus prestigiando e abençoando um casamento. E note-se que aí, Ele efetuou o seu primeiro milagre (Jo 2.11). A primeira benção registrada na Bíblia foi à criação (Gn 1.22). A segunda foi para o primeiro casal (Gn 1.28).
  • * 1 Co 7 (todo) – O trecho mais rico da Bíblia sobre a sexualidade em torno do casamento. Os vv. 3, 4, 5, 7 são de capital importância para a felicidade do casamento. São prescrições que todo verdadeiro casamento não pode deixar de pôr em prática. Além do tratamento do assunto como mostramos acima, a Bíblia contem farto exemplário de casos ilustrativos, como: * Sansão e Dalila (Jz caps. 14 a 16). * Davi e Bate-Seba (2 Sm caps. 11 e 12). * José e a mulher de Potifar (Gn cap. 39). * O caso de Amnon e Tamar (2 Sm cap. 13). Há também muitas outras ricas passagens bíblicas, como: * Ex 20.14, 17. * Dt 22.13-30; 24.1-5; 25.5-10. * 1 Ts 4.1-8. * Hb 13.4. 6. A Bíblia e o comportamento geral humano * Foi Deus que criou o homem e a mulher, e que instituiu o casamento. Portanto, para obter os melhores resultados, “siga as instruções do fabricante”. Se isto funciona com produtos humanos, muito mais em se tratando de Deus. * O problema básico de inúmeras famílias hoje, é que deixam o MANUAL DE COMPORTAMENTO DA FAMÍLIA (A BÍBLIA), e o trocam por outros, produzidos inteiramente pelo homem. Estão seguindo manuais e plantas de construção do lar, feitos pelos modernos psicólogos, psiquiatras, sociólogos, antropólogos e outros profissionais. Muitos desses estudiosos e profissionais são infensos a Deus e à sua Palavra, senão a maioria absoluta. Outros declaram sua fé em Deus, mas são liberais e modernistas, quanto ao cristianismo bíblico e conservador, vivendo segundo o curso deste mundo espiritualmente tenebroso. Muitos conselhos destes homens são bons, mais inúmeros outros são maus; logo, o edifício da família construído segundo a planta deles: O será um edifício frágil. O será um edifício defeituoso. Podemos obter sugestões de livros e homens, mas só Deus pode nos dar sabedoria e direção para dirigir o lar e educar os filhos. * A Bíblia continua a ser o manual divino para comportamento geral humano, inclusive na área afetiva e sexual. Todos os princípios normativos nesse sentido estão na Bíblia.
  • * Você, jovem, tem lido a diariamente a Bíblia? Se você tem lido, não se queixe de perturbações emocionais e mentais. A Bíblia continua a ser a melhor terapêutica para tais problemas. * A Palavra de Deus tem o poder de sanar e santificar nossa mente e nossos pensamentos (ler Sl 119.9 e Hb 8.10). 7. a Gravidade da Situação Acentua-se a gravidade de situação quando consideramos: * Mais de 85% dos jovens do mundo vive hoje nos países em desenvolvimento, e o Brasil, sozinho, é responsável por cerca de 50% dos jovens da América Latina e 80% do Cone Sul. No caso do Brasil, observa-se a passagem por um período de grande "onda jovem", ou seja, de ampliação dessa faixa etária. Conforme a tabela abaixo demonstra, a população jovem pode ter se reduzido do ano de 1990 até 2000, mas a grande proporção do subgrupo de 15 a 24 anos de idade persiste, trazendo novos desafios para a sociedade brasileira. * Taxa de fecundidade - De 1980 a 2000, aumentou em 15% o índice de gravidez na adolescência na faixa de 15 a 19 anos de idade. No total, são cerca de 700 mil adolescentes (10 a 19 anos de idade) tornando-se mães a cada ano. (Fonte: IBGE, 2000) * HIV/aids - Desde o início da década de 1980 até 2002, foram registrados cerca de 258 mil casos de aids no país. Desse total, 5.597 são adolescentes de 13 a 19 anos de idade. Verificou- se o crescimento dos casos de HIV/aids entre meninas de 13 a 19 anos de idade nos últimos anos, constituindo hoje cerca de 63% dos casos nesse grupo etário. (Fonte: Ministério da Saúde, 2002). * A Igreja é responsável perante Deus e a sociedade pela segura orientação da sua juventude e de todos à sua volta. É MUITO MELHOR QUE OS ASSUNTOS E PROBLEMAS DO JOVEM E DO LAR SEJAM TRATADOS EM CASA E NA IGREJA, DO QUE O NOSSO POVO SER MAL ORIENTADOS LÁ FORA, POR COLEGAS E PRELETORES INIDÔNEOS. A ORIENTAÇÃO QUE O NOSSO POVO ESTÁ TENDO É A DE ANÚNCIOS, NOVELAS, LITERATURA PORNOGRÁFICA, COLEGAS PERVERTIDOS, ETC. PRECISAMOS DE ORIENTADORES QUE CONHEÇAM A VERDADE DE DEUS, E QUE TENHAM PREPARO E CONHECIMENTO SISTEMÁTICO DO ASSUNTO.
  • * Um preletor inadequado agrava ainda mais a situação, porque o assunto é especifico e delicado. A experiência de um jovem não serve para outro, porque em todo o mundo não há duas pessoas psiquicamente iguais, nem mesmo gêmeos univitelinos! Mudanças psicofísicas estão ocorrendo e os jovens não as entendem. 8. Por que os Congressos, confraternizações e encontros de jovens não tratam mais desse assunto? Por que não providenciam pessoas qualificadas e competentes para palestras, exposições e estudos nesta área? Aqui fica o lembrete. 9. Sinais de Perigo! Sinais de Alerta! * A multiplicações da iniqüidade em nossos dias. Mt 24.12 “E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará”. Esfriando e morrendo o amor, o que restará? A desumanização. É o que estamos vendo ocorrer em todas as áreas da vida. * A contaminação da Igreja, em meio a uma geração ímpia e indiferente a Deus, como atual (ler Is 6.3, 5, 7 e At 2.40). Tal contaminação é também vista na linguagem figurada de Jesus, ao lavar os pés dos discípulos, em Jo 13.5, 9, 10. * O ecumenismo. É o movimento religioso que visa unir os segmentos do Cristianismo sob um só grande grupo, com base na premissa de que “todos somos irmãos”. Todos somos irmãos em Adão; em Cristo, não. Somos irmãos em Cristo quando nascemos de novo, segundo a Palavra de Deus, e pela instrumentalidade do Espírito Santo. É a conversão ou regeneração espiritual. * O mundanismo se alojando cada vez mais na Igreja. É o secularismo e o profissionalismo religiosos tomando conta de crentes leigos e do próprio ministério. Em muitos lugares, a Igreja está perdendo sua marca distintiva, e adotando a filosofia de vida do mundo, mesmo religioso, mas ímpio. A religiosidade sem Deus é igual ou pior do que a incredulidade aberta. II. OS QUATRO PROBLEMAS BÁSICOS DO JOVEM 1. O problema gregário * É o problema do grupo de convivência do jovem.
  • * Jovens normais detestam o isolamento. * Se o jovem crente não faz parte de um grupo de convivência dentro da Igreja, ele será tentado a ingressar noutro lá for, e aí é que está o perigo. Perigo de más companhias. Perigo dos maus ambientes. * É aqui que vale um verdadeiro e santo amigo. (Ler Pv 17.9; 18.24b, 27.6). * “Irmãos e amigos” (Sl 122.8). O célebre exemplo de Davi e Jônatas (1 Sm 23.16). * Deus é o elo que deve unir verdadeiros amigos (1 Sm 20.23,42). Perguntaram certa vez a Henry Ford, o pai da industria automobilística, qual o segredo do seu sucesso. Ele respondeu: “Eu tive um amigo que me ajudou”. * Cuidado com os falsos amigos; amigos de conveniência (Pv 14.20; 18.24 a). * Cuidado com os “falsos irmãos” (2 Co 11.26 b). 2. O Problema da Comunicação * A chave para se conhecer qualquer coisas é o amor e a comunicação. * Inúmeros casamentos fracassaram porque seus cônjuges não se conheciam um ao outro devidamente (não se comunicavam) antes do casamento. * Sem comunicação a pessoa começa a morrer por dentro. 1) Comunicação no lar. Comunicação com a família. Entre pais e filhos. Entre irmãos. 2) Comunicação com o próximo. Aqui, o encanto das cartas pessoais. O Telefone, o automóvel e o avião, encurtando as distâncias e aproximando as pessoas, quase eliminaram as cartas pessoais, mas elas devem ser reativadas. São insubstituíveis. Quando um dos parceiros fica calado e recusa comunicar-se, namorado, casal, etc. 3) Comunicação com a comunidade; com a Igreja. Perguntamos: Juntos para quê? Para se comunicarem! 4) Comunicação com Deus. Esta é uma multiforme comunicação. * Como os jovens se conhecerão e discutirão assuntos legítimos, e de seu interesse, sem comunicação entre si e sem camaradagem cristã e sadia? * A Bíblia e a comunicação cristã. Hb 13.16 “Não vos esqueçais da comunicação”. Em Ec 4.12 “O cordão de três dobras não se quebra tão de pressa”. Lc 10.1 “E mandou de dois em dois” Por que Jesus enviou seus discípulos de dois em dois? Rm 12.13 “Comunicai com os santos nas suas necessidades”. É a comunicação cristã no sentido de assistência.
  • Mt 25.40 “E responder-lhe á o Rei: ‘Em verdade vos digo que, sempre que o fizestes a um destes meus irmãos, mesmo dos mais pequeninos, a mim o fizeste’ ”. 3. O Problema afetivo-sexual * Adolescentes e jovens não entendem as profundas mutações por que estão passando seus corpos e mentes. Estas transformações alteram todo o seu comportamento social e emocional. * Um conselheiro ou consultor incompetente aumentará mais ainda a confusão. * Colegas (eles e elas) não têm maturidade para aconselhar nessa área, porque os problemas são individuais e específicos. Quer dizer, a experiência de um não serve para ninguém mais, a não ser superficialmente. 4. O Problema vocacional * Orientação quanto ao ministério Evangélico, se for o caso. * Orientação quanto aos estudos, carreira, profissão, esta é a regra geral, mesmo que o jovem tenha chamada para o ministério. * Alguém já disse que o “o diabo tenta todo o mundo, mas que o preguiçoso tenta o diabo”. Imaginem como o preguiçoso não tenta as demais pessoas... Esse quatro assuntos do jovem são melhor tratados dentro da Igreja. Que estamos fazendo em favor do jovem nesse sentido? (Que se saiba, praticamente nada!). III. NOSSAS QUATRO NECESSIDADES BÁSICAS SOCIAIS 1. a Necessidade de SER CONHECIDO * Não se pode amar de fato e com segurança, o que não se conhece. * Toda pessoa numa roda desconhecida, tem desejo de conhecer as demais pessoas que a cercam, e também de dar-se a conhecer a essas pessoas. 2. A necessidade de SER INTEGRADO * É o desejo imanente de todo ser humano normal, o de pertencer; de integrar-se. * O ser humano normal só se realiza no grupo. * Todo ser humano normal só ser realiza no grupo. * Todo ser humano normal é por natureza gregário. (ler Ec 4.9-12; Is 41.6). Ex-drogados. Ex-presidiários. Pai e mães solteiros (e agora crentes). Irmãos estrangeiros entre nós.
  • Irmãos estudantes, militantes, profissionais, que se transferem. 3. A Necessidade de SER COMPREENDIDO * O ser humano agüenta mais facilmente as pressões e tensões da vida, quando sabe que pelo menos uma pessoa o compreende. * Toda pessoa ao voltar-se para si, sente necessidade de ser compreendida, quanto ao seu modo de ser e de agir. 4. A necessidade de SER AMADO * Toda pessoa normal carece de, e deseja receber e retribuir, amor. Amor dos pais, dos filhos, dos irmãos, dos parentes, dos colegas, dos amigos, dos vizinhos, dos entes queridos, do pastor, das ovelhas. * Até os animais respondem ao carinho. * Não somos máquinas que se ligam e se desligam; somos pessoas que respondem ao amor, ou que podem se fechar ao desamor. IV. OS QUATRO PROBLEMAS BÁSICOS DA HUMANIDADE Esses problemas são: 1. Medo * Não medo infantil, de tipo manha, mas medo mórbido, psicógeno. Suas conseqüências: 1) Esse medo inibe o fluxo normal emotivo e desativa o sexo. mulheres são mais vitimas disso, por sua natureza; mas, homens também. 2) Esse medo causa a morte da energia humana, seja ela qual for, pois afeta a composição química dos tecidos (hormônios). 3) Esse medo é de origem maligna, e foi a primeira conseqüência da queda, no Édem. (Gn 3.10. ler também 1 Tm 1.7 e 1 Jo 4.18). 2. Ansiedade * É a ansiedade angustiosa. Ela tira o sossego, bloqueia o ânimo e escurece o futuro da pessoa. * Esses dois primeiros (medo e ansiedade) vêm da falta de fé em Deus e constituem pecado. * Cura: FÉ EM DEUS, com na base nas promessas da Sua Palavra. 3. Solidão * Na solidão ambiental, mas psíquica, sentimento total abandono. * Se a pessoa é nervosa e emocional, a solidão agrava muito o problema nervoso e emocional. Nesse caso, a primeira linha de defesa é um bom, fiel e santo amigo, para comunicar-se, e mais a oração. 4. Crueldade
  • * Crueldade em todos os sentidos. * Esses dois últimos problemas (solidão e crueldade) vêm da falta de amor. * Cura: AMOR demonstrado e sentido. Todos esses problemas têm quase sempre sua origem na infância e são esvaziados no ser humano a partir da adolescência. CRISTO É A RESPOSTA PARA TODOS ELES, DIRETAMENTE E ATRAVÉS DA IGREJA. V. O AMOR EM SUAS QUATRO FORMAS 1. O amor sob quatro formas ou manifestações não é uma teoria ou filosofia, mas uma realidade. 2. O amor sob suas diferentes formas é a maior necessidade do ser humano. 3. O amor dá a vida, força, sentido e dinamismo. Sem amor perde-se à vontade de viver. Amor é a forma mais sublime de viver. 4. Mateus 24.12. Aqui Jesus ao tratar dos tempos difíceis que precederá a Sua volta ao mundo, declarou: “E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará”. O amor cada vez mais está desaparecendo da humanidade, por toda parte. O seu vazio está sendo ocupado. * Pelo Materialismo, pelo secularismo, pela desumanização, e * Pelo profissionalismo, em lugar do vocacionalismo, nas profissões e nas relações humanas. 5. O amor e suas quatro formas * Os sábios gregos foram os primeiros a estudar de modo sistemático e cientifico os fenômenos afetivos que constituem o amor. * A língua grega se presta admiravelmente para tais estudos, por sua inigualável capacidade de expressão. Ainda hoje vemos os efeitos desses estudos dos gregos em todas as áreas da Ciência, através do imenso vocabulário de origem grega. * As quatro formas em que se manifesta o amor: amor instintivo, amor afetivo, amor fraternal, e amor divino. 1) AMOR INSTINTIVO * No grego Eros = atração física. * O amor instintivo identifica-se com a paixão popular, romântica. (não paixão no sentido estritamente científico, de que trataremos mais adiante). * O amor instintivo tem origem no instinto sexual e é centrado no corpo e nas formas do ser amado. É um amor carnal, sensual, sensorial. * O amor instintivo reinando sozinho, torna-se puramente erótico, egoísta e interesseiro. * Esse tipo de amor é instantâneo ao iniciar e ao terminar, é instável, ele é inseguro, porque depende de emoções e não primeiramente de confiança no ser amado.
  • * Já o verdadeiro amor afetivo, de que trataremos a seguir, é lento ao iniciar e ao terminar –s e isto ocorrer, é estável enquanto existir. * Aqui vai um sério aviso: O amor “Eros” existindo sozinho, um dia não muito distante, começará a esfriar, e por fim morrerá, restando apenas a desilusão. Ele, existindo sozinho, não resiste ao tempo, nem as mutações psíquicas, morfofisiológicas e sociais do ser amado. * O AMOR INSTINTIVO É UM AMOR LEGÍTIMO QUANDO MANTIDO DENTRO DE SEUS LIMITES. * No mundo atual, “Eros” é o amor mais comum, apesar de ser o mais desvalioso dos quatro. * Quase todos os adolescentes e jovens, por falta de ensinamento, ao namorar, não sabem fazer a diferença entre namoro instintivo e namoro afetivo. Depois, pagam caro por isso. * O Amor instintivo tipo “Eros” ilustrado na Bíblia: 2 Sm 13.1,14,15 “...Uma Irã formosa, cujo nome era Tamar; Amnon, filho de Davi, amou-a. Depois Amnon, a aborreceu com grandíssimo aborrecimento, porque maior era o aborrecimento com que a aborrecia, do que o amor com que a amara”. Vê-se aqui, que a paixão é descontrolada, ao passo que o amor de fato, é controlado. A simples paixão não busca qualidade de caráter no ser amado; enquanto que o verdadeiro amor busca primeiramente isso. A pura paixão é cega; o autêntico amor, não. Ele tem bons olhos. * Outro exemplo do amor tipo “Eros”: 1 Rs 11.1 “Ora, o rei Salomão amou muitas mulheres estrangeiras, além da filha de Faraó...”. É evidente tratar-se aí, do amor tipo “Eros”, que se torna insensato, louco, sem medir as conseqüências que sobrevirão. É o caso, por exemplo, da mocinha que se apaixona por um marginal, e diz: “Ninguém tem nada com isso: o problema é meu!”. Isso jamais é amor de fato; é desconhecimento dos fatos do verdadeiro amor; é paixão descontrolada. * Outro registro bíblico do tipo “Eros”, é o da mulher de Potifar pelo jovem hebreu José (Gn 39.7-20). Vemos aí, que o amor puramente erótico, quando não correspondido, se transforma em ódio, detestação e perseguição. * O amor tipo “Eros” não é mencionado por nome, na Bíblia. E é bom que não o seja, senão os carnais torceriam os fatos. 2) AMOR AFETIVO * No grego storge = amor romântico, amor familiar, amor conjugal, amor domestico, amor afetivo. * O amor afetivo une almas, une vidas, une corações, e não apenas corpos. * É o amor materno, paterno, filial, conjugal, afetivo, romântico.
  • * Esse amor é objetivo; isto é, comunica-se ao ser amado. Uma pessoa não vai saber automaticamente que é amada; é preciso que o amor que dizemos ter seja expresso. Casais precisam expressar esse amor (se de fato têm). * O amor afetivo é sacrificial e desinteressado. Ele transmite ao ser amado. * O amor afetivo exige disciplina mútua entre os que se amam. * O amor afetivo exige lealdade total de ambas as partes. * O amor afetivo é realista; ele não vive de palavras nem de emoções, nem de sonhos, mas de fatos. * O amor tipo “storge” é gradativo; é diferente da paixão erótica, que é súbita no seu inicio e no seu termino. * No amor afetivo, você faz questão de ser perante o ser amado o que você de fato é. Você faz questão de ser aceito como é, e não simplesmente como a pessoa queria que você fosse. Na paixão puramente erótica já não é assim. Entra o fingimento, onde a pessoa procura ser o que não é, e como resultado disso, logo mais perde sua própria identidade, e fica confuso e em apuros. * O puro amor afetivo envolve respeito, honra, dignidade e admiração pela pessoa amada. A pessoa amada sente-se segura, mesmo quando estão sós. Repetimos: quem de fato ama, respeita o outro, pois amar afetivamente é mais do que experimentações, mais do que emoções, mais do que sonhar acordado, mais do suspirar. * Em resumo: Amar (afetivamente) é dar a vida; isto é VIVER PARA O OUTRO; é comprometer-se é ser altruísta (o inverso do egoísmo). Se não há comprometimento não há amor. É possível dar-se sem amar; mas é impossível amar sem dar-se. 3) AMOR FRATERNAL * No grego phileo = amor fraternal, amizade, afeição. * Amor fraternal como “phileo”, é o amor ao próximo, seja este do mesmo sexo, raça, idade, ou não. * Amor fraternal é o amor filantrópico (filantrópico vem de phileo). * É o amor social, amor humanitário, amor patriótico, amor generoso, amor altruísta, amor cívico, amor comunitário. * O amor fraternal é essencial nas relações humanas; entre as nações, famílias, associações, vizinhos, etc. * Todo o casal necessita deste tipo de amor. Em cantares de Salomão 5.1, o esposo chama a esposa de irmã, o que implica amor fraterno. * O amor tipo “phileo” = amor fraterno, é muito mencionado na Bíblia.
  • 4) AMOR DIVINO * No grego “ágape” = amor divino. * Deus é a personificação deste amor (1 Jo 4.8,16). Quão precioso e sublime é este amor, então. * Cristo é o maior exemplo deste amor (Jo 3.16; Rm 5.8). * A perfeita descrição deste amor (1 Co 13). * Este amor divino habitando em nós é o sinal da nova vida em Cristo em nós (1 Jo 3.14). * É com este amor divino “ágape”, que Deus quer que o marido ame sua mulher. Assim diz a Bíblia em Ef 5.25. “Vós maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a Igreja”. (O amor mencionado aí, é “ágape”, no original). * Então, o marido amar sua mulher, não é uma opção; é um mandamento. Se esse amor do marido ou da mulher enfraquecer, é preciso que orem a Deus nesse sentido! * O amor “Eros”, o amor “storge” e o amor “phileo”, são formas de amor imanentes em nós desde o berço, mas “ágape” não! Este passa a operar em nós a partir da habitação do Espírito Santo em nosso ser, na nossa conversão a Deus (Gl 5.22). * A dinâmica do amor divino em nossa vida. Para isto, basta ler Lc 10.27. Esta dinâmica é a seguinte: - Amor primeiro a Deus, como amor total. - Amor em segundo lugar ao próximo. (Para você saber quem é o próximo, leia Lc 10.29-37). - Amor em terceiro lugar a nós mesmo. Temos mesmo este amor em nossa visa? Quem tem este amor, não pratica o mal quanto à pessoa amada; seja solteira, seja casada. Em Rm 13.10 está escrito que o amor não pratica o mal, e o amor aí mencionado é o “ágape”; o amor que flui de Deus. 6. Observações finais sobre o amor em geral * Que tipo de amor tendes em vossa vi? Examinai-vos agora diante de Deus! * Gostar é apenas uma etapa do amor, mas ainda não é amor. * Interesse apenas pela beleza física da outra pessoa, não é amor. * Paixão simplesmente, não é amor. * Carinho e afeição são etapas do amor, mas não é amor. * Temos apenas amizade, afeição, paixão, ou apenas gostamos, e achamos que só isto é amor? * Amamos de fato a Deus, com amor “ágape”? Ou apenas “gostamos” de Deus (phileo), como declarou Pedro certa vez, quando Jesus o interrogou a respeito do amor? (Jo 21.15,16).
  • * Estamos, infelizmente, na era do “amor profissional”. Nas etiquetas de produtos, nos estabelecimentos comerciais vêem-se as frases: “Feito com amor”; Dirija seu carro com amor”; “Abasteça seu carro com amor”; “Atendimento bancário com amor”. Isto é zombaria com algo tão sério! * SE NÃO COLOCARMOS VERDAEIRO AMOR EM TUDO O QUE FIZERMOS PARA DEUS, PARA O PRÓXIMO E PARA NÓS, MUITO CEDO A NOSSA VIDA SE VAI; PORQUE SÓ O AMOR CONSERVA. (ler 1 Co 16.14 e Cl 3.23 a respeito disto). VI. O IMPULSO SEXUAL NATURAL 1. O sexo e seu impulso normal * O sexo saiu perfeito das mãos do Criador, mas com a entrada do pecado, na queda de Adão, ele foi transtornado. * A partir de então, o efeito deletério e sempre crescente do pecado na natureza humana, vem deturpando grandemente o sexo e seu impulso natural. * A causa fundamental do impulso sexual. Hormônios circulando na corrente sanguínea. 2. Aqui será necessária uma noção elementar dos nossos sistemas nervosos, pois através deles é que flui impulso sexual: SISTEMA NERVOSO SEDE FUNÇÃO Sistema Nervoso Medula ] Atos inconscientes da vontade. Autônomo (SNA) Espinhal Impulso sexual reflexo. (Este impulso sexual é PSICOFÍSICO). Sistema Nervoso Nervos (Sensores, Ações e reações do ser humano. Periférico (SNP) sensação) (Motores, motilidade) Sistemas Nervoso Central (SNC) Encéfalo Atos conscientes da vontade. Impulso sexual nervoso. (Este impulso sexual é FISIOPSÍQUICO). Estes três sistemas nervosos combinam-se e interpenetram-se de modo profundo, complexo, misterioso e maravilhoso. Muitos neurofisiologistas combinam os três sistemas em dois. 3. como se vê acima, o impulso sexual é duplo * Um é reflexo e inconsciente. * Um é nervoso e consciente.
  • 4. O impulso sexual reflexo * É instintivo, e pode ocorrer inconscientemente, inclusive durante o sono. * Como reflexo, ele parte da medula espinhal para os órgãos genitais. É, pois, psicofísico. 5. O impulso sexual nervoso * Este é um ato consciente. * Esta forma de impulso parte do cérebro para a medula espinhal, acionando a seguir o sistemas sexual. * É, pois, fisiopsíquico. 6. Outros fatores que contribuem para acentuar o impulso sexual 1) Há demônios que operam na área do sexo, corrompendo-o, pervertendo-o, brutalizando-o, instigando-o, etc. Os 4.12 “O meu povo consulta ao seu pau, e a sua vara lhe dá resposta, porque o espírito de luxuria os enganou, e eles, prostituindo-se, abandonaram o seu Deus”. 2) A natureza humana não convertida, não submissa a Cristo (quando se trata de um crente), é outra fonte de fraqueza. (ler Tg 1.14,15; Gl 5.19; Rm 7.18). É essa natureza adâmica como acima descrita, que a Bíblia chama de “carne”. 3) Certos condimentos em exagero também estimulam o sexo,; agem como afrodisíacos. 4) Pressão demorada de bexiga cheia, sobre os nervosos da região que atuam sobre os genitais. 5) Banho muito quente é calmante para o cansaço, mas estimulante para os nervos. 6) Imagens visuais e imagens mentais fixas (Sl 101.3). 7. Excitação não erótica Causas: * Impulso sexual reflexo ou inconsciente. * Bexiga cheia por algum tempo, pressiona o feixe de nervos que comandam os genitais. * Irritação no trato urogenital. * Priapismo (anormalidade). * Hiperestesia masculina ou feminina (anormalidade) 8. A infância e o sexo
  • * Criança normal é inativa e inocente quanto ao sexo devido à glândula pineal, ou epífise, situada na parte posterior da base do crânio. Essa glândula freia as atividades das glândulas reprodutoras. * Exceto, se a criança for pervertida ou anormal. 9. A puberdade e o sexo * Puberdade precoce. Problemas. * Puberdade retardada. Problemas. * As idades e o sexo: IDADE FÍSICA; IDADE AFETIVA, IDADE MENTAL. 10. A idade madura e o sexo * A idade madura nada tem a ver com a sexualidade, a não ser a redução de atividade. * O sexo e o climatério dela e dele (45-50; 40-55 anos). Menopausa (na mulher). * São fenômenos biológicos e psíquicos, visíveis, na mulher. É um quadro clínico configurado, por exemplo: -Ovulação cessa -Hormônios alteram-se - Bitipia altera-se. Sintomas mais comuns da menopausa: irritabilidade, depressão, insônia, calores. Andropausa (no homem). * É uma etapa da vida, de duração variável, repleta de fenômenos psíquicos perturbadores, envolvendo: Vida sentimental, apatia, insônia, baixo desempenho sexual (que pode agravar-se pela sublimação). Como enfrentar e superar a andropausa. Muitos homens zombam disso e por isso entram em crise, e experimentam tragédias, por não se prepararem psiquicamente para esta fase se sua vida. 11. O sexo é uma dádiva de Deus, para ser utilizado conforme as leis da sua Palavra. Ele é uma força poderosa, para o bem ou para mal, depende de como o homem escolhe expressá-la. VII. AS CINCO SITUAÇÕES DO SOLTEIRO
  • Na adolescência ou na juventude (ou em qualquer idade), o solteiro pode se encontrar numa das cinco situações. 1. Celibato continente * Definição. É a condição do solteiro (moço ou moça) permanecer isento de fornicação e quaisquer outras práticas sexuais ilícitas a fim dele/dela viver para Deus e fazer a sua obra. *O que a Bíblia diz no sentido da continência do solteiro: Mt 19.12b “...e outros a si mesmo se fizeram eunucos por causa do reino dos céus”. 1 Co 7.7b “...Mas cada um tem de Deus o seu próprio dom, um deste modo, e outro daquele”. Aqui a palavra usada no original para dom é charisma, isto é, um dom divino da mesma natureza dos dons espirituais de 1 Co 12. Vê-se pois que muitos servos e servas de Deus recebem Dele um dom especial para permanecerem no estado de celibato continente, sem quaisquer problemas. (“charisma”vem de charis = graça). * O celibato é um estado nobre e digno. Milhares de casados são hoje infelizes porque casaram extemporaneamente. * Boatos falsos sobre continência sexual. Infelizmente boatos falsos sobre a abstinência sexual têm perturbado muitos jovens mal informados. Esses boatos nada têm de cientifico, é claro. - Alguns deles são: Desmaios de moça = falta de marido (!) - Continência do rapaz = esquenta a cabeça e dá uma loucura (!). * Toda prática sexual extraconjugal constitui grave pecado contra Deus. Isso inclui também a fase da vida pré-marital do jovem. 2. Celibato incontinente * É a condição do solteiro (rapaz, moça ou viúva), tornar-se impuro, profano, praticante do sexo, ilicitamente, contrariando a Palavra de Deus. 3. Casamento Feliz * Milhares de jovens ingressam nessa condição, desfrutando de um casamento feliz, mas os fracassos atualmente são tantos no casamento, que o melhor não ignorar o assunto e estudá-lo, como estamos fazendo neste momento! * Atualmente as pesquisas revelam que de 5 casamentos, 3 fracassam, mas a tendência é aumentar esse índice. Fatores causais de infelicidade da parte dos cônjuges:
  • 1) Impiedade dos cônjuges. 2) Despreparo geral para o casamento. 3) Secularização do casamento. 4) Falta de seriedade para o casamento. 5) Casamento feito sem amor. 6) Infidelidade no casamento. *Tudo o que é bom nesta vida, o diabo ataca, e o casamento não será uma exceção. Daí a necessidade de ambos os cônjuges viverem para Deus. Em 1 Coríntios 7, onde a Bíblia trata com profundidade do casamento, satanás aparece no meio (ler 1 Co 7.5). 5. Solteirismo * É uma síndrome psíquica, decorrente do estacionamento do ser humano, na sua evolução afetiva (isto é na evolução do amor); estacionamento esse, ocorrido geralmente na faixa dos 3 aos 6 anos de idade. * Solteirismo e celibato. Não confundir os dois, portanto. (celibato é o estado normal de solteiro, mas, sem problemas ou anomalias psíquicas). VIII. OS AGENTES CAUSAIS DA PRÁTICA SEXUAL São cinco os agentes causais da prática sexual. 1. A causa comercial * É o caso degradante da prostituição, e quem o corpo da mulher é comerciado pelo homem, através da prática sexual. * Devemos fazer tudo o que pudermos para ajudar a erradicar essa chaga social, moral e espiritual. * De nada adianta condenar o fato, sem nada fazer para saná-lo. * Isso é farisaísmo; santimônia. 5. A causa erótica * É a prática sexual sem amor, por puro prazer carnal; sem base e sem motivação amorosa. * É “glutonaria” carnal e insaciável – por algum tempo (Gl 5.21). * A prática sexual sem amor é puro sensualismo, transformando o homem e a mulher em seres sub-humanos, bestiais. É o sexo animalesco, como cão e a cadela que têm coito, mas não sabem o que é amor.
  • * O sexo erótico infelizmente é o que predomina hoje no mundo, numa sociedade materialista e hedonista como a atual. * Homens e mulheres sem temor de Deus, estão se tornando em “máquinas de ter relações sexuais por puro erotismo”, como alguém propriamente já definiu. 3. A causa biológica * É a prática sexual simplesmente para a reprodução para a perpetuação da espécie; para manter a árvore-genealógica. * O sexo deve ter uma causa mais elevada para a usa prática na vida do casal, à altura da dignidade daquele. 4. A causa involuntária * Esta causa está diretamente ligada à Psicologia legal. * Trata-se dói coito efetuado à força, por constrangimento, por intimidação, por engano quanto à natureza do ato, e por sedução. 5. A causa amorosa * É a prática do sexo tendo como causa primária o amor mútuo entre o casal. Mais uma vez repetimos: Toda prática, experiência ou aventura amorosa, pré-marital e extraconjugal, é pecado à luz da Palavra de Deus. IX. NAMORO E NOIVADO, PERMISSIVIDADE E SUAS CONSEQÜÊNCIAS 1. O namoro *É a fase do conhecimento para o casamento. * O namoro não deve jamais ser passatempo, mas o inicio da procura de uma companheira (ou companheiro) para a jornada da vida. * Não havendo sucesso no namoro, também não haverá sucesso no casamento. Não se enganem os jovens aqui... * A “lei dos dois RR”, ao começar um namoro: Primeiro “R”- a razão em primeiro lugar. É pensar antes de amar. Segundo “R” – o romance amoroso em segundo lugar. É amar após raciocinar. Por que os jovens, no namoro, não usam a razão antes do coração? Isso evitaria muitos problemas, muito remorso, muita dor de coração, muito suspiro tardio... Por que não fazem assim?
  • 1) Por causa da imaturidade da juventude. 2) Por não ouvir conselhos sábios por quem sabe dar. O jovem precisa distinguir a realidade da fantasia. Precisa distinguir o romance do realismo. São duas coisas diferentes. * O grande cristão, Dr. Alberto Mazoni, disse: “É pena que em nossa vida não tenhamos a um só tempo, as virtudes da mocidade e a sabedoria da maturidade”. 2. Namorar para passar tempo * É namorar sem propósito; é namorar por brincadeira. * É brincar com o coração e os sentimentos dos outros. * Em todo namoro deste tipo, um dos parceiros é fingido (ele ou ela). No dia do rompimento do namoro, o coração do parceiro sincero ficará despedaçado, e quem irá consertar isso? * Há uma lei Bíblica em Gl 76.7, que afirma: “Tudo o que o homem semear, isso também ceifará”. * O Namoro sem propósito é o mesmo que flerte. Toda pessoa habituada em flerte, tende a continuar fazer isso, após o casamento, quando isso dará em desastre! 3. O descontrole de não poder ficar sem namorar * Há rapazes e moças que são desequilibrados ou doentes emocionais nesse assunto de namoro, isto é, não podem ficar um instante sem namorar. Se não estiverem namorando, ficam inquietos e descontrolados. 4. Namoro misto – o que é? * Namoro misto não é apenas namorar um descrente; é mais do que isto. * Se o namorado ou namorada é crente, mas não salvo, o namoro continua misto, e constitui grave desobediência a Deus (2 Co 6.14-18). * Males do namoro misto... Quem namora um descrente, namora também com seus pecados, seus vícios, seus problemas morais, seu mundanismo, e tudo mais. “Quem namora um filho do diabo, terá problemas com seu futuro sogro”. 5. Presentes de namorados * Presentes, dá quem quer. Presente dado não deve ser motivo de compromisso, nem de se esperar especial consideração ou direitos.
  • 6) Despesas com namorada * É um caso idêntico ao anterior. 7. Namoro de criança * É algo ridículo, deve ser desestimulado. * Trata-se de amor instintivo; não afetivo. 8. O Noivado * É a fase da decisão para o casamento. (O casamento mesmo é a fase da união). * O noivado não deve ser curto, mas também não deve ser longo demais. * O noivado não é legalização para permissividade dos noivos e experiências sexuais, só pelo fato de discutirem seus assuntos com franqueza. * A preparação para o casamento. * Os noivos deverão a todo o custo, procurar aconselhamento pré-nupcial e curso de preparação para casamento dentro da igreja evangélica. Isso será de capital importância, sob todos os pontos de vista, para o futuro casal, inclusive futuros filhos. Sem tal orientação, se cumprirá nesses futuros casais o que está escrito em Jr 31.29 “Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos se embotaram”. Cada noivo deverá saber que a experiência nupcial e subseqüente de um casal, não serve para outro (casal). 9. A permissividade no namoro e no noivado * O amor do casal, deve começar, no namoro – no plano espiritual. Deve continuar, no noivado – no plano social. Deve realizar-se, no casamento – no plano físico. Muitos casais têm hoje problemas porque começaram seu namoro no plano físico, e depois querem continuar no plano espiritual, invertendo a ordem das coisas, e ainda pedem a Deus que abençoe, sem reconhecerem seu erro e sem se arrependerem disso. A Palavra de Deus adverte: Pv 6.27,28 “Podem alguém tomar fogo no seu seio, sem que os seus vestidos se queimem? “Ou andará alguém sobre as brasas, sem que se queimem os seus pés?” Pv 20.21 “A herança que no principio é adquirida às pressas, não será abençoada no seu fim”. Aí fica o aviso da Palavra de Deus para os transgressores.
  • Permissividade é o abuso da liberdade na área amorosa. Permissividade no namoro e no noivado não é o “amor aperfeiçoado”, de 1 Jo 4.12 (ARA), pois “O amor não pratica o mal contra o próximo” (Rm 13.10 – ARA). O amor permissivo é baixo em qualidade, apesar de parecer grande em quantidade. É muito mais amor instintivo do que afetivo. 10. A liberdade e seu exato conceito 1 Co 6.12 “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convêm. Todas as coisas me são lícitas; mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas”. Aqui está o verdadeiro conceito de liberdade individual: * Liberdade não é fazer o que se quer, mas o que se deve fazer. * Liberdade sem disciplina, não é liberdade; é anarquia. * Liberdade sem responsabilidade, não é liberdade; é desordem. * Liberdade sem controle, não é liberdade; é libertinagem. * Liberdade sem autoridade, não é liberdade; é abuso, descompostura. * Liberdade sem limite, passa a ser uma “prisão”. Por exemplo: Uma pessoa que fuma três maços de cigarros por dia, porque é “livre”, já é um escravo do vicio. Um homem que pratica sexo simplesmente por instinto, torna-se vítima dele. Namorados e noivos que dão vazão ao instinto sexual na permissividade, perdem forças e tornam-se presas dele. Isso é liberdade? Isso é amor real? * No namoro e no noivado, o carinho é lícito até o ponto em que não desperte paixões, desejos e atos incontroláveis. * Nesse ponto, namorados e noivos deverão saber os passos que levam à fornicação total e à prostituição, se os limites do carinho amoroso não forem respeitados. Esses passos são: 1) Carinho. 2) Carícias. 3) Permissividade total. 4) Descontrole. 5) Fornicação/ Prostituição. Se o carinho não tiver limite respeitado, ele leva às carícias (relacionamento este reservado aos casais), e daí para frente, um passo conduz a outro. 11. A verdadeira liberdade tem lei que a controla * A Bíblia fala em Tg 1.25 e 2.12, da “lei da liberdade”; isto é, a liberdade tem lei. Ilustrações:
  • 1ª) A roda de um carro só está livre para rodar quando está presa no seu lugar, no veículo. 2ª) A máquina de um trem só está livre para funcionar quando está quando está sobre os trilhos. Saiu dos trilhos o desastre é certo. 1 Pe 2.16 “Como livres que sois, não usando, todavia, a liberdade por pretexto da malicia, mas vivendo como servos de Deus”. Aqui vemos que o maior inimigo da liberdade é a anarquia. 12. A verdadeira liberdade 1) É disciplinada, tem autodisciplina. 2) Não prejudica o próximo. 3) Sabe escolher. 4) Sabe respeitar o direito dos outros. 5) Tem limites definidos. 6) Não precisa ser vigiada por terceiros. X. A VIDA CONJUGAL 1. O conceito bíblico de matrimônio Gn 2.24 “Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á a sua mulher, e serão uma só carne”. * Este conceito é confirmado no Novo Testamento (Mt 19.5). 2. O estabelecimento da família por Deus Ef 5.23 “Porque o marido é a cabeça da mulher, como também Cristo é a cabeça da igreja, sendo Ele próprio o salvador do corpo”. * Deus estabeleceu a família, segundo o principio da chefia. * O homem como “cabeça” da mulher, indica posição mais elevada em relação a ela (pois a cabeça fica acima do corpo), mas não superioridade. * A passagem de Gn 2.24, diz: “Serão uma só carne”. Onde está a idéia masculina de superioridade absoluta em relação à sua esposa? 3. O dever fundamental do esposo e da esposa * O esposo: amar e liderar. * A esposa retribuir o amor do marido, obedecê-lo e respeitá-lo. 4. O relacionamento e ajustamento conjugal
  • * É a área mais difícil do matrimônio. * É aceitar o outro como ele é, enquanto procuramos melhorar, por amor. 5. Fases do relacionamento conjugal (possíveis) 1) Fase do encontro (isto é, da descoberta do outro cônjuge) na lua-de-mel. 2) Fase da desilusão (aí pode ocorrer o primeiro conflito) ainda na lua-de-mel. 3) Fase da compreensão do outro cônjuge (e vice-versa). 4) Fase de aceitação do outro cônjuge como ele é, enquanto cada um procura melhorar, por amor. 6. Diferenças afetivo-sexuais entre o homem e a mulher * Os cônjuges precisam conhecer essas diferenças, para um perfeito ajustamento e felicidade conjugal. * Como reagem os homens e as mulheres no despenho sexual, sabendo-se que o homem é um ser basicamente lógico, e a mulher é um ser basicamente emotivo? (Mostrar aqui gráfico, com a curva de desempenho afetivo-sexual, mostrando as diferenças nesse sentido, entre o homem e a mulher). 7. À mulher é primeiramente ordenado que obedeça a seu marido. “Como convém no Senhor” (Cl 3.18). E que “A esposa respeite a seu marido” (Ef 5.33 ARA). E a Bíblia diz mais. Diz que é para mulher obedecer em tudo (Ef 5.24). Esta plena obediência da mulher ao marido só será possível quando a mulher, antes de ser submissa ao marido, já for ao Senhor. 8. Ao homem, é ordenado por Deus, primeiramente que ame a sua mulher (Ef 5.25,28; Cl 3.19). Aí está dito: “Maridos, amai vossas mulheres”. * Trata-se de um mandamento bíblico para os maridos! Não uma opção! Significa que se o marido que perdeu o amor pela esposa, deve orar a Deus para que a ame. Se ele perdeu o amor, é talvez por nunca teve o amor “Ágape”, como aparece ordenado em Ef 5.25. 9. O homem sente-se valorizado, quando respeitado pela mulher. A mulher sente-se mais valorizada quando amada pelo marido. Um, é um caso mais de reputação (o marido); o outro é um caso mais de amor (a mulher).
  • 10. A Bíblia sempre ordena ao homem que primeiramente ame sua mulher. Isso não quer dizer que a mulher não ame o marido inicialmente, mas que O AMOR FEMININO É, EM PRINCÍPIO, RETRIBUITIVO, sendo essa retribuição multiplicada. A mulher tem mais capacidade de amar do que homem, e também tem mais capacidade de suportar sofrimento do que o homem. 11. No relacionamento do casal, o homem é o principal iniciador amoroso. Em Dt 24.5, quando a Bíblia fala primeiro ano do casamento, diz que o marido “Proverá a felicidade à mulher”. Isto é, ele deve tomar a dianteira, no sentido de fazer a mulher feliz. 12. O par deve sempre como eternos namorados, havendo para isso, expressividade através: * Da comunicação entre os dois. * Da recreação dos dois. (Sobre a recreação e o lazer, ler 1 Cr 29.22; Ex 24.11; Mc 6.31,32; Jo 10.23). * Da demonstração de amor e consideração mútua. 13. O amor do casal terá que ser sempre cultivado e protegido, senão virá a sofrer e até morrer, pois trata-se de amor humano. (Assim como o nosso amor espiritual pode esfriar. Ler Mt 24.14; Ap 2.4; 3.16). 14. Prejudica muito o relacionamento afetivo-sexual do casal: 1) Trabalho excessivo dele/dela. 2) Falta de tempo para os dois. 3) Ignorância dos fatos Social. 4) Orientação errada (recebida assim). 5) desamor. 6) Egoísmo. 7) Pressa em tudo. XI. A PERSONALIDADE. OS TEMPERAMENTOS. OS INSTINTOS 1. A personalidade. Noções * Personalidade é o nosso total modo peculiar de ser, caracterizado pelas nossas ações, reações e expressividade.
  • * Outra definição sumária: É o conjunto de qualidades físicas, intelectuais e psíquicas que caracterizam o individuo. Todo individuo tem, pois, personalidade, que pode ser ideal, medíocre, má, deturpada. 2. Os componentes da personalidade São quatro em resumo: Biótipo, caráter, temperamento e o “Eu”. 1) Biótipo. * É o aspecto morfofisiológico da personalidade. * Parte é herdado; parte é formado através de muitos fatores contribuintes. * Sua aceitação pelo portador. (nem sempre é aceitado, e daí surgem muitos problemas subjetivos, inclusive complexos). 2) Caráter. * É a expressão da personalidade; seu aspecto subjetivo. * É a característica estática ou subjetiva da personalidade. * É formado pelo: -Meio-ambiente do lar (os pais; a família em geral). -Meio-ambiente da comunidade. -Meio-ambiente do trabalho. -Meio-ambiente da religião e sua prática. -Comunicação de massa (o que lê, o que se vê – a televisão, por exemplo – e o que se ouve). -Estado socioeconômico do indivíduo. * Pode ser mudado, mas...Não é fácil! Jesus pode mudá-lo milagrosamente num instante (2 Co 5.17), e continuar mudando-o, à medida que nos rendemos a Ele (Ler Fp 1.6 e 2 Co 3.18). 3) Temperamento. * É o aspecto dinâmico ou objetivo da nossa personalidade. * É aquilo que em nossa personalidade nos faz diferentes dos outros, nos faz únicos no universo. * É herdado dos pais e parentes próximos, na árvore genealógica. * Não pode ser mudado, mas pode e ser controlado. * O Espírito Santo quer controlá-lo, à luz de Ef 5.18-21. * O temperamento é a expressão do nosso biótono, isto é, nossa vitalidade individual. * Fazem parte do temperamento os instintos (literalmente impulsos), dos quais nos ocuparemos logo a seguir.
  • * Temperamentos, instintos hormônios estão relacionados entre si (como veremos a seguir), por isso também se define o temperamento como “O aspecto fisiológico-endócrino do indivíduo”. 4) O “Eu”= “Ego” * É o aspecto espiritual da personalidade. * É a pessoa consciente de si mesma. Correspondente à nossa consciência. * O “Eu”, na psicologia aplicada à religião, pode ser considerado quanto a quatro tipos de indivíduos: -O descrente (não nascido de novo, conforme Jo 3.5). -O crente espiritual. -O crente carnal. - O desviado da fé cristã. 3. Os temperamentos * O nosso temperamento é herdado e congênito, e não pode ser mudado. * Pode ser, sim, controlado pelo Espírito Santo, à medida que progride a nossa Santificação. * O estudo do assunto revela que o nosso temperamento é herdado: -50% dos pais. -1/4 dos avós. -3/16 dos bisavós. -1/16 dos trisavós. A Palavra de Deus diz: “Até a terceira e quarta geração” (Ex 20.5). * Vantagens de estudar e conhecer o nosso temperamento: 1) Conhecemos a nós próprios. Por que somos assim? 2) Conhecemos melhor o nosso próximo e deste momento podemos melhor compreendê-lo. 3) Somos levados a reagir convenientemente às situações subjetivas. 4) Vigiamos a nós próprios quanto a comportamento, em relação a nós e aos outros. * Os primeiros estudos científicos do temperamento foram feitos pelo médico grego Hipócrates (460-370 a.C). Sua classificação e nomenclatura dos temperamentos até hoje. Hipócrates foi o maior médico da antiguidade. 4. Os quatro tipos gerais de temperamentos * Há quatro tipos gerais de temperamentos, sendo todos nós uma combinação desses tipos, predominando um deles no individuo, marcando-o assim: 1º) Temperamento introvertido. (Nomenclatura tradicional: MELANCÓLICO).
  • Traços gerais da pessoa introvertida: * É perfeccionista (isto é, tem tendência a viver procurando defeitos nos outros). * Quer tudo perfeito; quer fazer tudo perfeito e entra em conflito consigo mesmo, por causa disso. * É organizado na vida e no trabalho. * É calado, fala pouco. * É muito sensível. * É sacrificial em relação ao próximo. * É quieto. * É propenso à depressão, ao mau humor, a ficar amuado, ao mau gênio, à rabugice. * Facilmente fica zangado com os outros consigo mesmo, e daí a insônia. * É tendente a ser pessimista. * Guarda ressentimento. * Tem tendência a ser intrometido; quer ver e ouvir tudo o que se passa à sua volta, e por isso, às vezes, torna-se antipático. Por causa disso, se não vigiar, torna-se malicioso e colecionador de defeitos alheios. * O introvertido, se não praticar autocrítica, estará sempre carrancudo, tanto no aspecto facial na voz, mas tem bom coração, apesar da má impressão. É ESTE SEU TEMPERAMENTO PREDOMINANTE? 2º) Temperamento extrovertido: (Nomenclatura tradicional: COLÉRICO). Traços gerais do indivíduo extrovertido: * É afetivo, decidido, pratico, “vivo”, definido. * Tem espírito de liderança (e quando ignora isso, torna-se insuportável em casa, na escola, no trabalho, no lazer, em viagens, ou onde quer que seja). * É sempre apressado e apressado em tudo. * É tendente a gostar de música “viva”. * É otimista. * É tendente hiperestesia. * É tendente a falar muito – quando deve e quando não deve. * Às vezes fala quando devia ficar calado e cala quando devia falar, e por isso entra em conflito consigo próprio. * É ESTE O SEU TEMEPREAMENTO PREDOMINANTE? 3º) Temperamento superextrovertido. (Nomenclatura tradicional: FLEUMÁTICO). Traços gerais do indivíduo superextrovertido:
  • * É submisso, frio, calmo, lento, passivo, parado. * Aprecia muito as artes e a Natureza. * Costuma se atrasar com tudo e apressar os outros. * É tendente a gostar de música dolente. * É organizado no trabalho e na vida. * Costuma perder as suas coisas e culpar os outros. * Tem tendência inata a ser bruto, ditador, mau, insensível e preguiçoso. * É ESTE O SEU TEMPERAMENTO PREDOMINANTE? 4º) Temperamento superextrovertido. (Nomenclatura tradicional: SANGÜINEO). Traços gerais do temperamento superextrovertido: * É emocional; chora com facilidade; é afetuoso; é brincalhão; é alegre; é animado. * Conversa quase sempre tocando as coisas e as pessoas. * Consegue com facilidade desenvolver as técnicas de orador, humorista, vendedor, etc. * É gregário, é explosivo (dá “curto-circuito” num instante, e por isso perde crédito, o respeito e a confiança de seus pares). * É precipitado. Não mede as conseqüências de atos impensados. * É imprudente na vida amorosa, nas finanças, nos negócios, nos compromissos etc. Quando se arrepende é tarde! * É propenso a irá e a cólera instantânea, mas depois não guarda ressentimentos. * É propenso à fraqueza de vontade; à abulia1. * É tendente a hiperestesia2 * É tendente ao cansaço fácil (por causa da muita e constante perda de energia física, emotiva e, mental). * Não descobre, nem admira as belezas naturais: um pôr de sol, o murmurar de um regato, o canto das aves, o sorriso de uma criança, etc. * É ESTE O SEU TEMPERAMENTO PREDOMINANTE? 5. Observações finais sobre o temperamento 1) A ignorância do nosso tipo de temperamento é uma das causas geradoras de conflitos de personalidade (geralmente chamados de incompatibilidade). Daí vêm as sociopatias (= mau relacionamento social com quem quer que seja). 2) Conheça o seu temperamento para melhor entender-se a si mesmo; para aceitar-se e para relacionar-se bem com os demais. Do contrário, virão as sociopatias. 1 perda total ou parcial da vontade 2 Sensibilidade excessiva e dolorosa.
  • 3) Não queira julgar os demais à luz do seu próprio temperamento! 4) Não devemos confundir temperamento com: -Má educação; má formação social. -Disfunções orgânicas do indivíduo. -Defeitos do caráter, que vêm de distúrbios afetivos ocorridos na infância e má formação social. 5) solução para nossas deficiências temperamentais: “Enchei-vos do Espírito” (Ef 5.18). -Uma vida alegre (Ef 5.19). -Uma vida de gratidão (Ef 5.20). Gratidão gera gratidão. -Uma vida interiormente submissa (Ef 5.21). 6. Os instintos e os temperamentos Noções gerais: 1) Os instintos são formas de energia emotiva cristalizada que impulsiona os temperamentos. 2) Os instintos são congênitos; implantados na criatura para capacitá-la a fazer instintivamente o que for necessário, independente de reflexão, para manter e preservar a vida natural. 3) A alma vive a sua vida natural através dos instintos. 4) Dos seis principais instintos, um deles é o instinto sexual que se ocupa da autoperpetuação do gênero humano. 5) Os nossos instintos saíram perfeitos das mãos do criador, mas a queda adâmica os transformou e os perverteu. 6) É o abuso desses poderosos instintos que dá origem a todo pecado no ser humano (isto é, o mau uso, a perversão, a distorção deles), uma vez que a alma vive a sua vida natural através deles. 7) Quanto ao instinto sexual, há grandes diferenças afetivo-sexuais, noivar e casar ignorando isso, é envolver em sérias complicações. 8) Os seis principais instintos, suas autênticas finalidades e as conseqüências do seu mau uso. INSTINTO FINALIDADE PREVERSÃO / CORRUPÇÃO 1. Defensivo Prevenção. Egoísmo. Ódio. Vingança. Violência. 2. Aquisitivo Possessão de bens. Materialismo (no sentido Bíblico). Cobiça. Avareza. 3. Conservativo Alimentação e recreação Glutonaria> Indiferentismo
  • em geral. Vaidade. Hedonismo. Ludismo. 4. Sexual. Prazer físico e amoroso, e Impureza. Depravação. perpetuação do gênero Eromanias. Hedonismo do humano. sexo, como no paganismo. As “fobias”, as “filias”, as “manias”e os “ismos” relacionados com o sexo. 5. Domínio. Prepotência. Tirania. Administração. Egocentrismo. Autocracia (= falsa liderança ou chefia). 6. Gregário. Poluição Moral. Relaxamento Associação. Comunicação. moral. Falsas filosofias de Cooperação vida comunitária. 7. A endocrinologia e os instintos e os temperamentos * A endocrinologia trata das nossas glândulas de secreção interna, isto é, hormônios. * Essas glândulas produzem e lançam na corrente sangüínea seus hormônios, dinamizando os instintos e afetando decisivamente o temperamento do indivíduo. * Em caso de disfunção dessas glândulas (atrofia, hipertrofia, etc), todo o comportamento do indivíduo nos múltiplos aspectos da sua vida é afetado, mui especialmente a área afetiva - social. 8. as nossas principais glândulas de secreção endócrina 1) A hipófise * É a glândula mestra; ela comanda todas as demais. Ela é o centro de controle de nível hormonal do organismo. Local: base do crânio. Função principal: crescimento em geral (é também chamada Pituitária). 2) A Tireóide * Local: parte anterior do pescoço, sobre o conduto laringo-traqueal. Função principal: Metabolismo, nutrição. 3) As Supra-renais * Local: Acima dos rins. Função principal: nervos, sexo (principalmente caracteres sexuais secundários). Fonte adicional de hormônio masculino. Produz adrenalina – hormônio que estimula o sistema nervoso e eleva a pressão arterial. 4) O Pâncreas
  • Local: parte superior do abdômen, por trás do estomago. Função: digestão. Produz a insulina, que tem função importante no metabolismo doas açucares pelo organismo. Promovem a formação e armazenagem de gorduras, glicogênio e proteínas. 5) As Gônadas. São pares, no homem e na mulher. Local: Na mulher, são internas, comumente chamadas de ovários. No homem, são externos, comumente chamadas testículos. Função Principal: Atividade sexual, reprodução. As gônadas produzem vários hormônios, todos controlados pela hipófise. XII. O PORTE DO CRISTÃO 1. O porte cristão em geral Dt 22.5 “Não haverá traje de homem na mulher, e não vestirá o homem vestido de mulher, porque quem faz isto é abominação ao Senhor teu Deus”. Ef 5.8 “Pois outrora éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor; andai como filho da luz”. Fp 1.27 “Somente portai-vos dum modo digno do Evangelho de Cristo...”. Sf 1.8 “E acontecerá que, no dia do sacrifício do Senhor, hei de castigar os príncipes, e os filhos do rei, e todos os que se vestem com vestiduras estranhas” (ARC). 2 Co 5.10 “Porque é necessário que tudo sejamos manifestos diante do Tribunal de Cristo, para que cada um receba o que fez por meio do corpo, segundo o que praticou, o bem ou mal. 2. Quanto à moda anticristã e a conduta em geral do cristão * Não devemos permitir que o mundo sem Deus, determine o nosso modo de proceder. * A Igreja que permite cada crente viver como quiser logo se tornará espiritualmente morta, infrutífera e sem poder de Deus. 1 Co 6.12,19,20 “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convêm. Todas coisas me são licitas; mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas”. “Ou não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que habita em vós, o qual possuís da parte de Deu, e que não sois de vós mesmo?” “Porque fostes comprados por preço; glorificai pois a Deus no vosso corpo”. * Lc 8.27 “Logo que soltou em terra, saiu-lhe ao encontro um homem da cidade, possesso de demônios, que havia muito tempo não vestia roupa, nem morava em casa, mas nos sepulcros”. * Jo 14.30 “Já não falarei muito convosco, porque vem o príncipe deste mundo e ele nada tem em mim”. 3. O Transvestismo (do francês travesti = usar roupa do sexo oposto).
  • * O transvestismo (ou travestimos) é uma forma de auto-rejeição. * Os praticantes disso nada sentem de errado quanto à razão, pois o problema é de ordem espiritual. Jr 8.12 “Porventura se envergonham de terem cometido abominação? Não; de maneira nenhuma se envergonham, nem saem que coisa é envergonhar-se”. 4. Gíria e pornografia * “Gíria é um vocabulário parasita, empregado por membros de um grupo ou categoria social, preocupados em se distinguirem da massa regular de falantes de uma língua” – Matoso Câmara. “Gíria é a linguagem particular de um grupo, caracterizada por deformações intencionais, criações anômalas e transformações semânticas, de caráter burlesco3, jocoso4 ou depreciativo” – Celso P. Luft. * A fala – meio de comunicação por excelência. A fala e a afetividade. A fala pode inibir ou cooperar na afetividade e na sexualidade, especialmente na vida do casal. * As piadas impróprias e obscenas, a linguagem obscena. Lc 6.45 “O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem; e o homem mau, do seu mau tesouro tira o mal; pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca”. (Portanto linguagem suja, vem de um coração sujo). Pv 6.12 “O homem vil, o homem iníquo anda com a perversidade na boca”. Pv 15.1 “A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira”. Ct 5.16 “O seu falar é muitíssimo suave; sim ele é totalmente desejável”. XIII. VÍCIOS E DROGAS 1. Argumentos e desculpas dos viciados e toxicômanos * “Independência”. Não ficar preso a um código de conduta. * “Agressão”. Acham que ser toxicômano é uma forma de agredir a família e a sociedade. * “Fuga”. Acham que as drogas “desligam” o usuário da realidade. * “Ser diferente”. Acham que toda sociedade é hipócrita, e nas drogas, eles vivem num mundo diferente. * “Parecer Social”. Quase sempre, é o caso do fumante. 2. Causas que conduzem o jovem às drogas 3 Grotesco; ridículo; caricato; zombeteiro. 4 Chistoso; trocista; faceto; que provoca o riso.
  • 1) Desmoronamento do lar 2) Solidão. * A constante ausência dos pais com a desculpa de compromissos sociais, resulta em solidão (externa e interna) para os filhos. * Pais que se comunicam com os filhos. * O Professor, por sua vez, na escola “dá aula”, mas não se comunica com o aluno. (Foi-se esse tempo!). 3) Falta de amor. * A atual desumanização do ser humano em todas as atividades da vida é uma dura realidade. * Não havendo amor na família, principalmente dos pais para com os filhos, os jovens buscarão um amor errado no sexo, na permissividade e no amor livre. * O jovem vendo-se por fim frustrado no amor errado, no sexo e no amor livre, torna-se presa fácil das drogas, do crime e da delinqüência. Não é somente os filhos que devem se voltar para seus pais, os pais também devem se voltar para seus filhos. Ml 4.6 “E ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos aos pais, para que Eu não venha, e fira a terra com maldição”. 3) Hipocrisia em geral * É o predomínio da mentira, gerando no jovem a descrença, a desilusão e decepção. * É a mentira no lar, na escola, na política, no comércio, na empresa, no namoro, etc. Esses jovens precisam conhecer a VERDADE – Jesus. Essa VERDADE não implantada, nem transplantada, mas aceita pela fé evangélica. 4) Lista parcial de vícios e drogas * Fumo. O fumo tem efeito ainda mais danoso nas mulheres. O fumante fuma: 1º) Por solicitação social (isto é, por motivação externa – fora dele). 2º) Em seguida, ele fuma por pressões biológicas (isto é, motivação interna – dentro dele). O hábito inicial de fumar tem sua origem na busca de uma satisfação psicológica, porém, por causa do seu efeito narcótico, o fumo passa a influir no campo biológico do indivíduo. “Se Deus quisesse o homem fumando, teria posto uma chaminé na sua cabeça”. * Álcool. O álcool é tóxico. O álcool e seus diversos nomes, conforme a estratificação social dos viciados. Como os alcoólatras geralmente se iniciam: um trago – um copo – uma garrafa.
  • Maconha Provoca desordem mental e física, agressividade, violência, desequilíbrio do sistema nervoso central e depressão. Põe o viciado em estado de transe. * Heroína. Provoca depressão e violência. * Cocaína. Tem efeitos semelhantes aos da maconha. É anestésico. Incita à violência. * “Bolinhas” São anfetaminas e barbitúricos5. Provoca confusão mental. É o fator motivante de festas selvagens, assaltos, delinqüência em geral, violentas competições esportivas, etc. * LSD (Lysergic Acid Diethylamide). Em instantes põem em total desordem os sentidos, a mente e os nervos. Provoca lesões cerebrais permanentes. Provoca distúrbios genéticos com sérias conseqüências para a progênie, por lesar os cromossomos. É tóxico violento e destruidor. * Outras drogas. DMT, Metedrina, Barbitúricos, Mescalina. Morfina. Pentobarbital, Secobarbital, STP. Todas são altamente nocivas e de efeito destruidor, a curto, médio e longo prazo. 5) As drogas e o comportamento de seus usuários Cada tipo de droga usada, determina um comportamento do usuário. Quatro grandes grupos de drogas: 1) Drogas criminógenas. Elas induzem ao crime; levam a um comportamento agressivo e violento. Elas colocam o usuário na marginalidade. Nesse grupo está a maconha, a heroína e as anfetaminas. 2) Drogas alucinógenas.Provocam à alucinação. Nesse grupo está a maconha, o LSD, o STP, o pentobarbital etc. 3) Drogas erógenas. Provocam incontrolável excitação sexual. É o caso da metedrina, benzedrina, bifetamina, e outras da classe denominada “Bolinhas”. 4) Drogas egógenas. Suscitam egotismo, arrogância, valentia, prepotência e falsa capacidade para resolver pela força, seja o que for, com que se depare o usuário. Neste grupo está o álcool, a maconha, STP, o DMT, etc. 6) Conseqüências dos vícios e drogas no indivíduo * Efeitos nocivos e destruidores, momentâneos, imediatos e remotos no viciado. 5 Substância de ação sedativa e hipnótica.
  • -Efeitos no físico. Exemplo: intoxicação, hepatite, cirrose, nefrose, uremia, etc. -Efeitos nos nervos. -Efeitos na mente. -Efeitos na vida social. -Efeitos na vida espiritual. * Ciclo vicioso do efeito principal das drogas: Excitação/ Depressão no viciado. (Excitação aqui tem o sentido de ativação, instigação, incitação). * Uma geração de idiotas e sexomaníacos. Esta é outra conseqüência funesta do uso de entorpecentes em escala nacional e internacional: uma geração de loucos e sexomaníacos. Pais e filhos de cérebro lesado, agressivo, com tendências destruidoras e suicidas, de emoções amorosas incontroláveis, etc. 7) Remédios estupefacientes em lugar de tóxicos Atualmente, devido a repressão das autoridades, os viciados em drogas estão consumindo cada vez mais os remédios estupefacientes, em lugar dos tóxicos, como: Diempa, Diazepan, algafan, Pambernil, Optalidon, etc. 8. Recuperação e reintegração na igreja, de ex-drogados, ex-presidiários, mães e pais solteiros, prostitutas (novos convertidos) * Drogados que se convertem precisam de cuidado especial por parte da igreja local, do contrário tenderão a voltar ao submundo das drogas, da marginalidade e do crime. * A igreja local deve ter um Grupo de Aconselhamento e Integração, que seja espiritual e idôneo sob todos os aspectos, para cuidar da integração espiritual e social, bem como do discipulado bíblico de ex-drogados, ex-presidiários, mães solteiras, pais solteiros, ex-prostitutas etc; que se convertem, para que se aprofundem na vida cristã e se encham do Espírito Santo e da Palavra de Deus, passando a viver uma vida vitoriosa em Cristo, e ajudando a ganhar para Jesus outros pecadores da mesma classe. * Outra razão porque os que se convertem (do grupo acima) precisam de tratamento especial na igreja, é porque poderão introduzir influências negativas no corpo da igreja local, tão profundo e envolvente é o efeito das drogas nas suas vidas. Por influência disso (mas nem sempre), uma geração de surdos está emergindo nas igrejas, com seus tímpanos lesados devido a instrumentos ligados a todo volume, confundindo barulho louco com louvor a Deus. Ali não há harmonia, nem sinfonia, nem melodia, mas simplesmente
  • barulho louco, ensurdecedor. Um exame profundo do assunto revelará a ação de influencias externas nisso. * Alguns textos Bíblicos para consideração. 1 Cr 16.42 “...Que faziam ressoar trombetas e címbalos e instrumentos de música de Deus” (ARA). Sl 33.3 “Entoai-lhe novo cântico, tangei com arte e com júbilo” (ARA). Sl 47.7 “Deus é o Rei de toda a terra, salmodiai com harmonioso canto” (ARA). 9. Textos Bíblicos aplicáveis ao se tratar com toxicômanos * Sl 31. * 1 Jo 1.7,9. * Jo 8.36. * Pv 13.15. * Ap 22.15. XIV. PREVENÇÃO E TERAPIA DE PROBLEMAS NA FAMILIA Segue-se uma série de focos geradores de problemas na família, de pontos de atrito, de elementos de segregadores6 do lar. Essas causas que levam à delinqüência juvenil, têm origem geralmente na infância, pois é aí que ocorre a formação do bom ou mau caráter. A formação básica do caráter ocorre na infância, a saber: * 50% até aos 3 anos de idade. * 75% até aos 5 anos de idade. * 100% até aos 7 anos de idade. Focos geradores de problemas comportamentais no lar (especialmente na adolescência e juventude). 1. Falta de amor no lar * Disso vem, em parte, a desintegração da personalidade dos filhos. * Não havendo amor dos pais para com os filhos, ao atingirem a adolescência, os jovens buscarão um “amor errado” no sexo, na permissividade e no amor livre. * O desamor no lar da parte dos pais e responsáveis, pode resultar em indivíduos sempre insatisfeitos, aconteça o que acontecer. 2. Abandono da educação familiar por parte dos pais 6 Afastar, apartar etc.
  • * Ausência, portanto, de formação cristã (espiritualidade), formação social (disciplina, obediência) e formação moral (ética). Pv 16.6 “Pela misericórdia e pela verdade expia-se a homens e pelo temor do Senhor os homens se desviam do mal”. * Indisciplina no lar, pelo fato dos pais adotarem o princípio do behaviorismo7, isto é, permitir que a criança faça tudo o que for ditado por sua natureza, sem ser jamais molestada. Sobre a disciplina, ler Pv 13.14; 19.18; 22.6; 23.23,24; 29.15-17. * Dizer que não disciplina os filhos porque os ama, isso é sentimentalismo dos pais; ao mesmo tempo, disciplinar sem amor é tirania. * O Behaviorismo é de origem diabólica, para subverter o plano de Deus em relação ao ser humano. É dar a criança tudo o que ela quiser; ou deixá-la fazer o que quiser. 1 Rs 1.5,6 “Então Adonias, filho de Hagite, se exaltou e disse: Eu reinarei. E preparou para si cavalos e cavaleiros, e cinqüenta homens que corressem adiante dele. Ora, nunca o seu pai o tinha contrariado, dizendo: “por que fizeste assim?” Além disso, era mais moço do que Absalão”. Aí temos um filho revoltado contra a autoridade, todo voluntarioso, e tentando usurpar o poder pela força. O versículos 6 dá as suas causas fundamentais dessa maneira de proceder: “Nunca o seu pai o tinha contrariado...” * Impulsos infantis sem controle, sem disciplina, são as causas mais comuns dos problemas sociais com o que o mundo se debate. O controle comportamental do ser humano tem que ser cuidado na infância. * O lugar certo para criança aprender a obedecer é no lar, enquanto pequena. Se a criança não aprender a obedecer no lar, também não obedecerá mais tarde, na escola, às autoridades, aos chefes, aos superiores, às leis do país, etc. * Inúmeros pais têm sofrido vexames por causa de seus filhos, quando fora de casa... A IGREJA E A ESCOLA SÃO OS PRIMEIROS LUGARES ONDE A CRIANÇA MOSTRA O QUE APRENDEU EM CASA! * Os Dez mandamentos (Ex 20.3-17) são resumo da lei de Deus. De que consta este resumo? – De tremendos NÀOS! Será, então, que sabemos educar mais do que Deus, que não queremos empregar NÃOS? A obediência não é algo comunicado; é aprendido através da disciplina, aplicada de modo sábio, correto e com amor. Hb 5.8 “Ainda que era Filho, aprendeu a obediência por meio daquilo que sofreu...” * Pais ímpios, maus e alienados de Deus, não quer dizer que seus filhos terão de ser assim também. Amom, rei de Judá, foi um dos homens mais ímpios e perversos que o mundo já viu, 7 Aplicação da psicologia ao estudo objetivo dos estímulos e reações puramente físicas verificadas no indivíduo, desprezados os fatos anímicos.
  • no entanto seu filho Josias, desde pequeno andou no temor do Senhor, fazendo o que era agradável diante de Deus (2 Rs, cap. 21 a 23). 3. Pais ultra-severos Crianças problemas geralmente são frutos de cinco tipos de lares: 1) Lares rígidos demais. 2) Lares moles demais. 3) Lares sem mãe (mãe trabalha fora o dia todo). 4) Lares sem pai (pai nunca é visto, nem se comunica com os filhos). 5) Lares em que a criança vai para escola cedo demais na vida. As leis deviam ser modificadas nesse sentido! A criança pequena devia ficar mais tempo com sua mãe, que mais do que ninguém influi na formação do seu caráter. Ler Pv 10.1; 15.20; 29.15, onde a mãe é posta em relevo em relação ao comportamento e futuro dos filhos. 4. Más companhias * É muito importante para a nossa vida a escolha das nossas companhias. * Você sabe escolher suas companhias? Ao escolher considere 2 Co 6.17 e 1 Co 15.33. * A Profunda e sincera amizade entre Davi e Jônatas: “O Senhor seja entre mim e ti”(1 Sm 20.42). Isto é, Cristo deve ser o elo que deve unir dois amigos ou amigas cristãos. * Más companhias têm sido a infelicidade de muita gente. 5. Falta de comunicação dos pais com os filhos, me vice-versa. * Isto tem que começar a partir do nascimento da criança. * Tratamento respeitoso e carinhoso no lar. Em Mt 21.29, o filho respondeu ao pai, com palavras “Sim, Senhor” (ARA). 6. O divórcio, desquite, separação. * Sempre haverá reflexos negativos e duradouros sobre os filhos; pior ainda se pequenos. * O divórcio, desquite e separação são das feridas mais dolorosas da alma. * Um novo casamento e suas implicações para a progênie8. 7. Falso conceito de liberdade por parte dos filhos A verdadeira liberdade: * Envolve autodisciplina. A verdadeira liberdade não precisa ser vigiada por terceiros. * Envolve autoridade. Ela respeita e sabe exercer autoridade. * Sabe escolher. Se, ao fazermos uso da nossa liberdade não soubermos escolher, poderemos sofrer pelo resto da vida. 8. Namoro instintivo e namoro afetivo 8 Origem, procedência, ascendência, geração, prole, progenitura.
  • * Conheça a diferença entre namoro instintivo e namoro afetivo. * O namoro instintivo é comum entre adolescente até aos 18 anos. * O instinto não traz consigo o afeto, mas o afeto traz consigo o instinto. * Há muito amor por aí, entre moças e rapazes, que é puramente instintivo, sem nada (nada mesmo) de afetivo. Os maiores focos disso são atualmente a escola, os passeios e as festas selvagens. * Noivado e casamento à base de amor instintivo terão complicações sérias quanto à estabilidade e perenização desse noivado e desse casamento. 9. Mentalidade má orientada * É o mesmo que o pensamento mau orientado; orientado para o mal. * É o modo errado de sempre pensar; sempre mentalizar as coisas. * É o modo errado de ver as coisas. * Os maiores responsáveis por esse mal, na infância e na adolescência (e em todas as idades), são principalmente a televisão e a imprensa. * O pensamento mau orientado resulta em mudança de mentalidade quanto ao modo de ver e viver a vida e interpretar os fatos do dia-a-dia; e é isso o que ocorre em relação às novelas, filmes, literatura afetiva, romances, revistas etc. 10. Casamentos feitos sem amor verdadeiro Este é outro tremendo foco gerador de problemas para todos da família. 11. Ação direta e indireta do espírito do anticristo O Nome da ao anticristo em 2 Ts 2. 8,9 é “iníquo”, uma palavra que no original significa “aquele que se opõe `ordem, à lei e ao direito; subversivo; o promotor da desordem, etc”. 1 Jo 4.3 “Mas é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que havia de vir; e agora está no mundo”. XV. AS TENTAÇÕES 1. Definição de tentação * Tentação no sentido bom, isto é, como provação divina, para o nosso bem. Gn 22.1 “E aconteceu depois destas coisas, que tentou Deus a Abraão, e disse: Abraão! E ele disse: Eis me aqui” (ARC). Tg 1.13 “Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém, tenta”. * Tentação no sentido mal: instigação para pecar dizer ou praticar o mal. Esta tentação pode advir do mal em nós residente:
  • Tg 1.14 “Cada um, porém, é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência”. A tentação também ocorre como ação direta do diabo sobre o ser humano: 1 Co 7.5 “...para que satanás não vos tente...” 2 Co 2.11 “Porque não ignoramos os seus ardis”. 1 Ts 3.5 “... receando que o tentador vos tivesse tentado...” Um dos nomes do diabo é tentador por ser esta uma atividade predileta. 2. Fatores conducentes à tentação 1) Depressão. A depressão coopera com a tentação. Depressão é uma forma de abatimento em nosso estado neuropsíquico. É o oposto da alegria, do entusiasmo. O viver normal requer alegria. (Logo mais trataremos com mais propriedade a depressão). 2) Fraqueza em qualquer sentido. Isso também abre caminho para a tentação. 3) Doença prolongada.Isso pode facilitar a tentação. 4) Nossa própria natureza humana, pecaminosa, herdade de Adão. Isto é visto em Tg 1.14 e Rm 7.18. 5) Más companhias. Isso tem induzido milhares e milhares à tentação. Uma má companhia já é uma tentação Pv 1.10 “Filho meu, se os pecadores te quiserem seduzir, não consintas”. (Ler vv. 11-19). 3. Como vencer a tentação 1) Ore a Deus imediatamente ao sentir que está sendo tentado. (2 Pe 2.9; Hb 2.18; 1 Co 10.12,13). 2) Confie nas promessas da Palavra de Deus. (Ap 3.10; Mt 4.4,7,10). 3) Afaste-se (se possível) do local da tentação. (Ef 4.27; Sl 101.3; 2 Tm 2.22). 4) Busque ajuda de um irmão e amigo. (Ec 4.12) cuidado com os falsos irmãos, nessas horas (Sl 41.9; 2 Co 11.26; Cl 2.4). 5) Procure ocupar-se imediatamente (2 Sm 11.2). Todo o desocupado sempre se ocupa muito com a vida dos outros. Torna-se muito observador do que não devia observar. 6) Resista ao diabo, pela fé em Cristo, e baseado na Palavra de Deus (Tg 4.7; 1 Pe 5.8,9; Rm 16.20). 7) Aprofunde-se sempre em Jesus Cristo (Lc 8.13; Mc 4.33). 4. Nenhuma Pessoa com instintos normais está isenta de tentações, inclusive tentações sexuais. 5. Ser tentado não é pecado; pecado é ceder à tentação. 6. Quem é mais tentado * Em combate, o ataque mais forte é dirigido contra o pelotão mais forte.
  • * O temporal quando se abate, atinge primeiro os pontos mais altos do terreno, os montes. XVI. NOSSA VIDA PSÍQUICA 1. A Higiene Mental * Higiene mental, psicologia, é a ciência que visa preservar de sociopatias o indivíduo, através da profilaxia9 emocional e da manutenção do equilíbrio neuropsíquico. * A calma e o sossego interior são indispensáveis ao equilíbrio da vida afetiva. Sobre isso, a Bíblia diz: Pv 14.30 “O coração com saúde é a vida da carne...” (ARC) Pv 15.13 “O coração alegre aformoseia o rosto, mas com a tristeza do coração o espírito se abate” (ARA). Pv 17.22 “O coração alegre é bom remédio, mas o espírito abatido faz secar os ossos” (ARA). Vemos aqui, o que a ciência atesta. Pessoas predispostas e anormais quanto à saúde nervosa e mental, quem as suportará? Nem elas próprias, nem os outros! 2. Higiene Mental da Afetividade, e Higiene Mental do Pensamento Das cinco áreas da higiene mental, estudaremos estas duas, visto que se interpenetram e completam-se. O psiquismo é a parte principal do nosso ser! E, esta nossa vida psíquica consiste de três distintos poderes ou faculdades da alma. O INTELECTO É o poder intelectivo reside no intelecto. É o poder de saber, É o poder de saber. Exemplo do de aprender, de conhecer. É também chamado poder poder intelectivo (Jo 8.32). cognitivo. Considerar aqui a maravilhosa faculdade da linguagem humana, que reside no intelecto! Aí reside a inteligência, que consiste de percepção, reflexão e memória. Aí se processam as funções e fenômenos intelectivos ou cognoscitivos. A AFETIVIDADE É o poder afetivo. Aí se processam as funções ou fenômenos É o poder de sentir (não no afetivos ou sensitivos. A afetividade é também chamada sentido sensorial, psíquico, sensibilidade. Os fenômenos afetivos são fixados na afetivo): Pv 4.23; 14.30; Ex memória mais facilmente e por mais tempo, e talvez por toda 35.36. a vida. A VONTADE É o poder volitivo. Aí se processam as funções ou É o poder de querer, de fenômenos volitivos ou ativos. A vontade pode controlar escolher, de decidir: Jo 7.17; Js nossas ações, mas não controla nossas emoções. 9 Parte da medicina, que trata das medidas preventivas contras certas enfermidades.
  • 24.15; Ap 22.17; Jo 5.6; Mt 19.17-21; Dt 30.19. 3. Classificação dos seres humanos quanto à vida psíquica Todos os seres humanos são classificados em 3 grupos, quanto à vida psíquica: * Os normais * Os anormais * Os predispostos 4. A vida psíquica normal A nossa vida psíquica normal (que em resumo, significa nossa vida TOTAL), depende do equilíbrio, da proporcionalidade, do entrosamento e da harmonia desses três poderes. Disso depende a nossa vida NORMAL psicossomática. 5. A importância dos fenômenos afetivos em nossa vida Quanto ao alcance e abrangência, os fenômenos afetivos vêm em primeiro lugar, uma vez que eles ativam e equilibram as funções intelectivas e as volitivas! Isso vem mencionado primeiro, ao tratar a Bíblia do intelecto, afetividade e vontade, em: Lc 10.27 “...Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento; e amarás o teu próximo como a ti mesmo”. “Coração e alma”..........referem-se à afetividade. Isso está mencionado primeiro! “Forças” .......................refere-se à vontade. Isso está referido em segundo lugar. “Entendimento”.............refere-se ao intelecto. Isso está referido em terceiro lugar. * A Bíblia trata, pois, do homem na sua integridade em bases gerais. A psicologia apenas desenvolve bases. * Em Lc 10.27, é mencionado primeiro o poder afetivo do ser humano, destacando o amor; mostrando assim sua essencial importância e papel em nossa vida. * Para se ter uma idéia do alcance do poder afetivo em nossa vida, basta observar que a nossa vontade pode controlar nossas ações, mas não nossas emoções. (ver Ec 8.8 na versão ARC). 6. Nossa vida afetiva Significa toda a dimensão da nossa personalidade ativada pela afetividade. A nossa vida afetiva abrange três grandes grupos de funções: as emoções, as paixões e os sentimentos. 1) AS EMOÇÕES. * Podem ser positivas ou negativas (eufóricas ou disfóricas). * Emoções positivas: alegria, gozo, felicidade, esperança, gratidão, surpresa (boa) etc. * Emoções negativas: medo, ira, remorso, preocupação, tristeza, surpresa (má), etc. * Algumas fontes geradoras de emoções: - Os impulsos.
  • - Atitudes cristalizadas pela prática. - Complexos. - Circunstâncias (o que são). - A consciência do bem e do mal (que a pessoa venha ter). - O relacionamento com Deus e a operação do Espírito Santo em nós (convencendo do pecado, alegrando a alma, impelindo para o trabalho e para obediência, capacitando, santificando, etc). * Fenômenos afetivos. Alguns fenômenos afetivos: Amor – zanga – apatia – indiferença – alegria – vergonha – pânico – cinismo – felicidade – complacência – espanto – prazer – ódio – tristeza - repulsa – horror – tédio – pavor – desprezo – admiração – saudade – lembrança – satisfação – desconfiança – desgosto – insatisfação – ciúme – medo – orgulho – melancolia – nojo – revolta – riso – independência – cansaço físico – cansaço mental – confiança – segurança – calma – adoração – angustia – paixão – ira – fervor – acanhamento – ansiedade – frustração – crítica – cólera – sentimento de cautela – sentimento de estar preso – sentimento de liberdade – sentimento de solidão etc. * Os três principais fenômenos afetivos do ser humano: AMOR, ÓDIO, MEDO. Eles comandam tudo em nossa vida! O ciclo vicioso do MEDO: Medo + Ansiedade + Angústia + Ira + Cólera + Colapso. (Ler na ARA: Jó 3.25; Pv 10.24; Sl 3.7,8). A ira pode ser: 1) Diabólica (1 Sm 19.20). 2) Carnal humana (Gl 5.20). 3) Patológica. * As emoções disfóricas e as doenças. 75 % das doenças originam-se de emoções disfóricas. * As emoções e a glândula mestra a hipófise. As emoções atuam diretamente na glândula mestra, e assim afetam todas as demais. Emoções negativas, dependendo da sua classe: - Desativam o sexo. - Provocam indigestão; digestão difícil. - Úlceras em geral, especialmente no estômago. - Interferem na pressão arterial. - Prisão de ventre crônica (constipação10) - Vaginismo. - Sono anormal, ou insônia, etc. 10 Estado mórbido caracterizado por defluxo, tosse, prisão de ventre, etc.
  • 2) AS PAIXÕES. (Paixões aqui se trata de idéia louca ou atitude descontrolada de dois coitados desparafusados...Não!). *As paixões podem ser positivas ou negativas. * Emoções positivas: as principais são amor e o ódio. Existe o amor positivo (amar o que é bom, justo, direito). Existe o amor negativo (amar o que é mau, injusto, ruim, impróprio), (ver Jo 3.19 e 2 Tm 4.10). É o caso do crente salvo que namora incrédulo. É amor, mas é amor negativo, errado, para com Deus e para com a própria pessoa. Do mesmo modo existe: - Memória positiva e negativa; - Vontade positiva e negativa; - Desejo positivo e negativo etc. * O ódio positivo e o ódio negativo. Jesus e o ódio positivo (Mc 3.5; 10.14. ver também Ef 4.26). Ódio negativo é o ódio contra Deus, contra o bem, contra a justiça, contra o direito, etc. O ódio positivo é um mecanismo de defesa contra o insulto, a injuria, o desafio, o erro, o mal, o pecado, etc. * Amor e ódio não podem ser ambivalentes, isto é, não coexistem os dois! (Ler Mt 6.24; 1 Jo 4.20). Ninguém pode amar e odiar ao mesmo tempo! 3) OS SENTIMENTOS. Encerram as mais nobres funções da vida psíquica. Há três classes de sentimentos: * Sentimentos estéticos. Amor à beleza, à arte, à música, à poesia, `a literatura, à profissão (fazer aquilo que se gosta). * Sentimentos éticos. Amor à verdade, ao direito, à ordem. * Sentimentos religiosos. Amor a Deus, adoração a Deus, fidelidade a Deus, amor às coisas de Deus, consagração a Deus. 7. Agentes causais perturbadores do poder afetivo 1) Agentes hereditários - São herdados. 2) Agentes constitutivos - São eventuais. 3) Agentes complexais - São instalados. 4) Agentes Mentais - Pensamentos e memória.
  • 5) Agentes espirituais - demônio agindo. 8. Perturbações mentais (= Psicopatias) mais comuns * Todos nós, sem exceção (menos Adão e Eva), nascemos com deficiências físicas e psíquicas, devido aos efeitos deletérios do pecado. * As psicopatias dificultam e ou impedem o indivíduo de viver em sociedade. * As psicopatias mais comuns, são de dois tipos: orgânicas e funcionais. Orgânicas: Lesão cerebral por alcoolismo, acidentes, drogas, etc; tumores cerebrais etc. Funcionais: Hereditariedade, violação e/ ou quebra do espectro de resistência mental para afetiva na infância, infância conflituosa, etc. * Psicopatias mais comuns e primárias. 1) DEPRESSÃO. É uma perturbação mais neurótica do que psicótica. Isto é, ela é mais uma perturbação emocional, do que mental. (É tratada em separado logo a seguir). 2) PSICOSE. * É uma forma de depressão crônica. * Neste grupo está o paranóico (que é ególatra, perseguidor, obcecado, megalômano) sem, contudo ter alucinações. 3) RETARDAMENTO. * Aqui está o idiota, imbecil. * É inércia mórbida das faculdades mentais. * A origem pode ser doença materna na gravidez. * Viciados em tóxicos podem facilmente gerar filhos retardados. 4) DEMÊNCIA. * Inexistência ou perda da capacidade mental e emocional. 9. Perturbados mentais no Brasil Em pesquisa científica, ficou provado que 10% da população brasileira é constituída de perturbados mentais, com distúrbios diversos! Significa que temos mais de 12 milhões de débeis mentais, muitas das vezes sem o tratamento profissional adequado. Causas principais do mal, no Brasil (e no mundo), segundo a mesma pesquisa: 1) Latrogenia. 2) Poluição Sonora. 3) Tensão emocional afetiva (não satisfeita). 4) Causas orgânicas (desnutrição, lesões, acidentes, toxicomania etc). 5) Causas funcionais (hereditariedade, violação do espectro mental). 6) Ansiedade angustiosa.
  • 7) Quebra das leis naturais (sono, descanso, excesso de trabalho). 8) Quebra das leis divinas (Dt 28. 15,28; Rm 1.22; Sl 41.14). 9) Ação de demônios operando na mente e no corpo. 10. O Pensamento 1) O pensamento na Bíblia: Fl 4.8 “Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo que amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isto o que ocupe o vosso pensamento”. Cl 3.2 “Pensai nas coisas lá do alto, mas não nas que são aqui da terra”. 2 Co 10.5 “Levando cativo todo o pensamento à obediência de Cristo”. Sl 26.2 “Examina-me, Senhor, e prova-me, sonda-me o coração e os pensamentos”. Mt 22.37 “E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu de todo o teu coração, de toda a tua lama, e todo o teu pensamento” (ARC). 2) O poder do pensamento “O pensamento conduz ao ato; o ato conduz ao hábito, o hábito conduz ao caráter, o caráter conduz ao destino”. (Isto é, o destino humano da pessoa). Pv 23.7 “Porque, como imagina em sua alma, assim ele é” (ARA). A imaginação é um estagio do pensamento. 3) A importância do pensamento. * O pensamento é algo continuo em nós, até durante o sono. Por isso ele pode ser consciente ou inconsciente. Ct 5.2 “Eu dormia, mas o meu coração velava”. (ler também Sl 16.7; 2 Tm 1.3) Vemos aqui, a importância da mente santificada, pois o pensamento é elaborado pelo espírito através da mente. A mente do crente necessita de guarda, proteção divina: “E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e as vossas MENTES em Cristo Jesus” (Fl 4.7 ARA). * O pensamento alimenta a mente, assim como o pão alimenta o corpo. O pensamento sendo como é, algo continuo, o que é a QUALIDADE e a DURAÇÃO de determinado pensamento. 4) O pensamento e a fala. A fala é a expressão do pensamento. MT 15.18 “O que sai da boca, vem do coração...”. 5) O pensamento e a meditação. * O pensamento pode ser espontâneo ou dirigido. * O pensamento quando dirigido ou orientado é chamado de meditação. Fontes de meditação: 1) A Palavra de Deus (Js 1.8; Sl 1.2; Sl 119).
  • 2) Nossa felicidade futura (Cl 3.2). 3) A natureza ou a criação (Gn 24.63) 4) Nossos sentidos físicos. Eles são canais de comunicação da alma. 5) Nosso arquivo da memória (Lc 16.25). 6) O pensamento e a imaginação * Imaginação é o pensamento fixo, transformado em imagem e projetado na tela da mente. * O neurótico transforma a imaginação em visão. (Até na igreja acontece isso). * A imaginação mórbida conduz a obsessão – uma idéia fixa doentia; uma mania. 7) Controle do pensamento Jr 4.14 “Lava o teu coração da malícia, ó Jerusalém para que sejas salva! Até quando hospedarás contigo os teus maus pensamentos?”. Há três formas de controle de pensamentos: - Controle natural, isto é, autocontrole. - Controle psicoterápico, isto é, por tratamento. - Controle sobrenatural, pelo Espírito Santo, pela fé na Palavra de Deus. Cura, limpando a fonte dos pensamentos! (Base Bíblica – 2 Co 10.5 (ARA); Et 4.7,8 (ARA); Sl 119.9). * Mude seu modo de pensar! (se for preciso). * “Meditação Transcendental” ou ioga – Não! Por quê? * Os grandes pensadores gregos da antiguidade, como Sócrates, Platão, Aristóteles, até hoje não superados (secularmente). Por quê? O grande mal de hoje, a era da automação, da tecnologia, da cultura, da explosão industrial, desse mundo chamado de pós-moderno: NINGUÉM QUER PENSAR, NINGUÉM QUER CRIAR, NINGUÉM QUER OBSERVAR! * Quem controla o pensamento, controla a fala. 8) O pensamento mal orientado. * O resultado em mentalidade má orientada. * É o modo errado de pensar, de mentalizar, de abordar mentalmente as coisas, de ver as coisas pelos olhos da mente, de formar imagens mentais, quadros mentais. * Os maiores responsáveis por esse mal são os meios de comunicação de massa, especialmente a televisão e a imprensa. * O pensamento mal orientado (= orientado na direção errada da vida) resulta em mudança de mentalidade, e é o que ocorre através das novelas, filmes, comentários, literatura afetiva: revistas, jornais, romances, televisão, etc.
  • XVII. A DEPRESSÃO A Depressão. 1) É um distúrbio neuropsíquico oriundo quase sempre de emoção disfóricas. 2) Depressão é oposto da alegria, entusiasmo, do otimismo (que deve ser o nosso viver normal). 3) A depressão, tornou-se em nossos tempos, uma enfermidade emocional recorrente, a curtos intervalos. Ela tornou-se epidêmica em nossos tempos. A quinta questão de saúde publica do mundo. 4) Ninguém é imune à depressão Ela é universal. * O caso de Jó (Jó 3.1,11). * O caso de Moisés (Nm 11.15). * O caso de Elias (1 Rs 19.4). * O caso de Jonas (Jn 4.3). * O caso de Jeremias (Jr 20.9). 5) Causas da depressão. Elementos depressores. * Falta de amor. Sentimento de culpa. Fé vacilante. Ressentimento (contra si mesmo, contra os outros, contra Deus). Desilusão (é subjetiva). Decepção (é objetiva). Tentação. Desumanização. Violação da consciência. Emoções disfóricas (a causa principal). Pecado não confessado. Frustração. 6) Sintomas comuns da depressão: Abatimento psicofísico. Tristeza sem causa. Choro sem causa. Sentimento de abandono. Dificuldade de concentrar naquilo que faz. Desgosto e mágoa. Insônia. Melancolia. Sentimento de auto indignidade e de auto-rejeição. Desespero. Desejo de morrer. 7) A depressão pode ser de origem demoníaca. * O rei Saul (1 Sm 16.14). * Um rapaz comum (Lc 9.39). Portanto fuja do espiritismo, da macumba, etc. 8) A depressão crônica leva: * Ao auto-isolamento. * À auto-rejeição. * À autodestruição (suicídio). 9) A depressão e os ciclos depressivos, no homem e na mulher. * No homem pode ocorrer nos revezes, doença, frustrações.
  • * Na mulher é mais propensa à depressão, por ser mais emotiva e por causa do fenômeno soma-topsíquico da menstruação (tanto o período, como o ciclo daquela). Daí, muitos crimes passionais femininos (tanto homicídio, como suicídio), serem praticados durante a menstruação. 10) A depressão e a ira. A ira sempre integra o processo depressivo. 11) A depressão e o impulso sexual. A depressão inibe o impulso sexual e desativa o sexo! Isto, por causa do seu efeito inibidor nos hormônios. 12) A depressão e os anticoncepcionais. Em grande parte das mulheres, a depressão torna sem efeito os contraceptivos. 13) A depressão e as cores. * A Psicromática – uma ciência. * A Psicromática tem muita importância na depressão. AMARELO – Movimento, atividade, inquietação, calor. VERMELHO – Energia, disposição. AZUL – Paz, calma. BRANCO – Paciência. CINZA – Dúvida, descrença. BEGE – Submissão, abulia, capricho. VINHO – Indecisão, vacilação. ROSA – Puerilidade, candura. VERDE – Otimismo, confiança. PRETO – Contrariedade, resignação, renúncia. 14) Pessoas predispostas à depressão. -Portadores de problemas emocionais. Para esses, a primeira linha de defesa é um bom e antigo amigo para comunicar-se, pois a solidão agrava a depressão. “Um bom amigo é sempre um conselheiro”. 15) Quem pode suportar a depressão? Pv 18.14 “O espírito firme sustém o homem na sua doença, mas o espírito abatido quem o pode suportar?” (ARA). 2 Co 7.10 “...Porque a tristeza segundo Deus produz arrependimento para a salvação que ninguém traz pesar; mas a tristeza do mundo produz morte”. 16) A Depressão e seu tratamento e cura.
  • * Medicamentos. São paliativos e na da mais. Psicotrópicos, a antidepressivos, tranqüilizantes, etc. * Psicoterapia. Alívio (?) temporário apenas. * Confiança em Deus e Oração. Tudo baseado nas promessas da Palavra de Deus para seus Filhos. Textos Recomendados: - Sl 56.3; Is 40.29-31; Ef 5.18; 2 Tm 2.1; Sl 73; Mt 6.25-34; e a Epistola de Filipenses (toda), considerando, além da mensagem divina, o contexto histórico em que se achava o escritor – o Apostolo Paulo. XVIII. OS COMPLEXOS 1. Definição. Complexo é qualquer forma de pensar e agir, por emoção recalcada e não pela razão. * É uma forma de reação inconsciente impregnada de energia recalcada. * Exemplos: A pessoa não se perdoar porque não realizou naquilo que queria ser na vida. A perder oportunidades que não mais voltarão. (Ler aqui 1 Co 7.21; Cl 4.5 (ARA); 1 Rs 20.39,40). 2. Os complexos têm origem geralmente na infância. 3. Os complexos se manifestam sob a forma de: * Opiniões e sentimentos exagerados, de si mesmo, negativos ou positivos, como: Recalques, revolta e ressentimentos: Contra si mesmo, contra o próximo (quem quer que seja), e até contra Deus (ver Hb 12.15). * Complexo de culpa (culpa por omissão; culpa por comissão). * Complexo de Édipo: Fixação na mãe (na infância). * Complexo de Eletra: Fixação da filha no pai (na infância). Efeito psicológico destes dois últimos complexos: amor sexual recalcado, reprimido, podendo resultar em amor platônico permanente. Efeito moral destes últimos complexos, parasitismo (dele ou dela); preguiça, psicógena. 4. Muitos complexos surgem na idade jovem adulta quando nos comparamos com outros. 2 Cor 10.12 “Porque não ousamos classifica-nos, ou comparar-nos com alguns que se louvam a si mesmo, mas eles, medindo-se consigo mesmo, e comparando-se consigo mesmo, revelam insensatez”. 5. Os complexos mais comuns.
  • * Os de inferioridades. Decorrem de insegurança pessoal, falta de confiança em si mesmo, (Ler Fp 4.13). No namoro, por exemplo, o complexo de inferioridade se revela sob a forma de ciúme exagerado, irracional, louco, doentio, absurdo, estúpido. A pessoa assim, acha que não é capaz de manter o amor da pessoa amada. * Os de superioridade. São formas disfarçadas do complexo de inferioridade. É o caso da ostentação, orgulho, altivez, convencimento, soberba, vaidade, exaltação, exibição, pavonice, presunção, pedantismo. Quem realmente é superior, não faz questão de demonstrar e alardear isso; os outros que descubram isso por si mesmo! 1 Pe 5.5 “...Cingi-vos todos de humildade, porque Deus resiste sos soberbos, contudo aos humildes concede Sua graça”. 6. É preciso muito tato, maturidade, paciência, amor e sabedoria, para tratar com pessoas complexadas. XIX. O SEXO NORMAL E PERVERTIDO. PECADOS DO SEXO 1. Quanto à prática do sexo, há três tipos gerais de indivíduos: normais, anormais, predispostos. * Indivíduos normais. São racionais, equilibrados, dosados em todos os aspectos físicos e emocionais do sexo, tanto quanto a si, como quanto ao seu parceiro (se casado). * Indivíduos anormais. São anômalos, transviados, pervertidos quanto ao sexo. * Indivíduos predispostos. Pessoas portadoras de tendências e inclinações nesse sentido, e que uma vez diante de situações favoráveis e repetidas, bem como diante de pressões, logo se tornam anormais, podendo permanecer assim, ou voltar ao estado de predisposição para nova incidência. 2. O sexo perfeito e o anormal O sexo saiu perfeito, quando o Criador o implantou no homem, no principio, mas o pecado que veio pela queda do homem, o transformou como hoje se vê e a história o comprova. 3. A continência masculina e feminina do solteiro. É o ensino bíblico desde o principio. A fidelidade dos cônjuges nesse sentido. Textos bíblicos sobre o assunto: 1 Co 6.15-20; 1 Co 3.17; 1 Ts 4.4, 5; 1 Pe 1.15, 16; Lv 20.7. 4. A “Nova Moralidade”. * É ativada pelos demônios da impureza sexual. (Os 4.12,13). * É imoralidade, o relaxamento moral com outro nome.
  • * É a diabólica filosofia de vida da “Liberação sexual”. 5. A perversão sexual procede de cinco diferentes anomalias no ser humano. 1º) As erofobias. Aversão doentia, cristalizada, na área afetivo-sexual. Situa –se nos sentidos da pessoa. 2º) As erofilias. Paixão afetivo-sexual desenfreada e crônica. São popularmente chamadas taras. Situa-se na área dos instintos da pessoa. 3º) As eromanias. Desordem mental e emocional na área afetivo-sexual. Neste grupo está o paranóico e o maníaco sexual e seus crimes passionais. As eromanias situam-se na área da mente da pessoa. 4º) Os eroísmos. São convicções deturpadas na área afetivo-sexual, que resultam em principio e práticas igualmente deturpadas. Situam-se na área da mente, do intelecto da cognição11. 6. Desvio e perversão do sexo. 1) Rm 1.24-28 (ARA) “Por isso Deus entregou tais homens à imundícia, pelas concupiscências de seus próprios corações, para desonrarem seus corpos entre si”. Pois eles mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura, em lugar do Criador, o qual é bendito eternamente. Amém. Por causa disso os entregou Deus as paixões infames; porque até as suas mulheres mudaram o modo natural de suas relações intimas, por outro contrario a natureza. Semelhantemente, os homens também, deixando o contado natural da mulher, se inflamaram mutuamente na sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo em si mesmo a merecida punição do seu erro”. (Ler também 1 Co 10.8; Ef 5.12; Gn 19.5; 1 Rs 14.24; Ap 21.8; 22.15; Gl 5.19 – obras da carne). 2) Vícios e pecados os mais diversos são vencidos quando os combatemos frontalmente, mas os pecados do sexo e da concupiscência são vencidos quando fugimos deles e nos refugiamos no sangue libertador e purificador de Jesus. (Ler aqui 1 Co 6.18; 2 Tm 2.21; 1 Jo 1.7,9; Gn 39.12- exemplo). 3) LISTA PARCIAL DE PERVERSÕES E DESVIOS SEXUAIS. (1) Masturbação (ou Onanismo, devido a Onã, em Gn 38.9) * É um desvio ou transvio do sexo. * Definição: É toda auto-excitação ou auto-satisfação sexual efetuada por qualquer meio, exceto pelo ato heterointerpessoal. * Índice de masturbação: 95% entre os rapazes e 80% entre as moças. * É A MASTURBAÇÃO INÓCUA? – veja a seguir, as más conseqüências da masturbação crônica, como vicio, no sistema sexual do rapaz e da moça, sob três aspectos: (a) ASPECTO INDIVIDUAL. 11 Ato de adquirir um conhecimento.
  • * É um desvio ou transvio do sexo normal. O ato sexual normal é interpessoal; a masturbação é pessoal. * É um mecanismo de fuga; um escapismo de problemas de desajustes da personalidade, hereditários ou adquiridos quase sempre na infância. Distúrbios da personalidade. * É uma quebra de 1 Co 7.4 “poder sobre o seu próprio corpo”. (b) ASPECTO SOCIAL. * É uma evidencia de puerilidade social (e também espiritual). * Um possível fracasso no primeiro desempenho sexual nupcial, devido ao habito de ejaculação precoce, e daí, um possível fracasso do casamento, logo no seu inicio. * Como vício, o indivíduo torna-se dependente dele, mesmo depois do casamento. * Minimização do ato sexual normal e natural. Este é outro problema da masturbação. * Egoísmo no ato conjugal. O masturbador quase sempre busca sua auto-satisfação sexual sem se preocupar com o seu cônjuge. (c) ASPECTO ESPIRITUAL. * É uma evidencia de puerilidade espiritual. * É um pecado de impureza. Toda masturbação esta atrelada, no homem, à sua memória visual e mental (presente e passada). Na mulher, ela está ligada à memória mental (lembrança). * Sentimento de culpa. * Tentação maligna; ataque maligno. Pode ser. (2) Prostituição/ Fornicação (Os 5.4 “espírito de prostituição”). * É o delito da prática sexual ilícita, pré ou extramatrimonial. * A prostituição masculina é comumente chamada de fornicação. * A prostituição feminina é comumente chamada de prostituição. * O termo no original é pornéia como em Mt 19.9ª; 1 Co 6.9,10,18; Gl 5.19b; 1 Ts 4.3. De “pornéia” derivam os termos como pornografia, etc. * Fornicação não é apenas a prática sexual com estranhos, mas também entre namorados e noivos antes do casamento. (3) Adultério. * É a prática sexual ilícita com cônjuge que não é seu. * O termo no original é moichéa, em Mt 19.9b; 15.19; Mc 7.21; Gl 5.19ª. * Há, pois, diferença de significado entre os termos fornicação e adultério na Bíblia. (4) Homossexualismo. * O masculino é chamado pederastia ou uranismo. Grande parte dos ídolos da TV e outros meios mundanos de diversão estão neste grupo.
  • * É descrito em Rm 1.27 (que deve ser lido imediatamente). * É proibido no Antigo Testamento e punido com morte (Lv 18.22; 20.13; Dt 23.17,18). * É igualmente condenado no Novo Testamento: (1 Co 6.9; 1 Tm 1.10; Ap 21.8; 22.15). * Os termos “cães” e “porcos” em Apocalipse 22.15; Dt 23.18; Mt 7.6, referem-se a esta abominação. * Este é um dos pecados que caracterizou a vida em Sodoma, trazendo julgamento divino sobre todos os pecados ali. É o pecado de sodomia (Gn 19.5,24,25; 1 Co 6.9; Jd 7). * Infelizmente já criaram eufemismos12, tentando assim mascarar e amenizar a abominação e malignidade deste pecado, a saber: transexualidade, 3º sexo, gay, etc. * RELACIONAMENTO ENTRE A DOENÇA DE “AIDS” EM RM 1.27 E 1 CO 3.17ª. Rm 1.27 “Homens com homens, e recebendo em si mesmos a merecida punição do seu erro”. 1 Co 3.17 “Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá; porque o santuário de Deus, que sois vós, é sagrado”. - AIDS é a sigla de Acquired/ mune Deficiency Syndrome, isto é, “Síndrome da Imunodeficiência Adquirida”. - AIDS é a doença venera do Século XX. - A AIDS é transmissível nos homossexuais e lésbicas, pelo sangue (transfusão), por contaminação, pelo sêmen, pelo beijo (saliva). - A AIDS não tem cura; ela destrói totalmente os glóbulos que imunizam o corpo. - Os usuários de drogas, também contraem a doença de AIDS. - Centenas de homossexuais masculinos e femininos estão morrendo em toda parte. * O homossexualismo feminino. É descrito em Rm 1.26 “Porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas, por outro contrário à natureza”. É chamado de lesbianismo, por causa da famosa poetisa grega Safo, que fundou uma escola para moças, nas ilhas gregas de Lesbos. Safo amou uma das moças, e não sendo correspondida, afogou-se. Daí provém o nome lesbianismo. * O linfogranuloma venéreo. Até pouco tempo esta moléstia se localizava nos genitais, mas com a pratica pervertida do sexo bucal, tanto o linfogranuloma venéreo, como outras moléstias do mesmo grupo, estão se transferido para a boca e garganta. O tecido da boca e da garganta favorece a proliferação das bactérias destas moléstias venéreas. As práticas sexuais pervertidas hoje, produziram um novo mecanismo de transmissão de agentes patogênicos venéreos, por causa das mudanças tópicas, quanto ao corpo, nas relações sexuais. As mudanças tópicas na chamada “geografia do corpo humano”. 12 Ato ou maneira de expressar uma idéia triste ou desagradável por meio de uma palavra ou expressão suave.
  • * Fatos sobre o homossexualismo masculino e feminino. a) Causas. - Ambiente depravado e promiscuo. - Consentimento do responsável. - “Necessidade” (isto é, falsa necessidade de meio de vida). - Má formação da personalidade na infância. Por exemplo: Mãe severa e pai mole, passivo. Mimo em demasia, ou energia em demasia dos pais (procedimento extremado). Educação má orientada, como: brinquedo, roupas e atividades do sexo oposto. Imaturidade emocional. Total dependência da mãe. b) Fatos sobre o homossexualismo. - Não tem origem congênita. - Não tem origem hormonal (se bem que pode haver predisposição constitucional, em conseqüência de distúrbios hormonais). - Não é irreversível. - O homossexual (homem ou mulher) pode ser liberto disso, num instante, por Deus, através da conversão (1Co 6.9,11). - Taxa de homossexuais no Brasil: entre 6% e 8 % dos brasileiros têm relacionamentos homossexuais. * Deus resolveu o problema da solidão e necessidade de companhia de Adão, não criando outro homem, mas criando uma mulher – Eva. Isto, desde o inicio da Bíblia, e de uma vez para sempre, condena a idéia de homem se unir a homem, e mulher a mulher. * O homem não é escravo eterno do meio-ambiente. Exemplo: Os piores reis de Judá foram Manassés e Amom, avô e pai do bom e piedoso rei Josias. Manassés e Amom foram ímpios, maus, idólatras, feiticeiros, sanguinários, etc. Entretanto, Josias, cedo na sua vida, buscou a Deus e viveu no seu temor (2 Rs caps. 21 a 23; 2 Cr caps. 34, 35). (5) Sadismo Sexual. Sentir prazer em aplicar torturas nos outros, ou velos sofrer. Uma perversão sexual objetiva. (6) Masoquismo sexual. Sentir prazer em ser torturado. Uma perversão subjetiva. (7) Fetichismo. Esta perversão sexual está ligada a objetos da pessoa desejada. Ver, tocar, ou cheirar, morbidamente, anormalmente, tais objetos. (8) Escopofilia ou Voierismo.
  • Sentir prazer em apenas ver o corpo da pessoa desejada (e nada mais). (9) Satiríase/ Ninfomania (o mesmo que hiperestesia). Desejo sexual exagerado, doentio mórbido, descontrolado. Insaciabilidade sexual. - A hiperestesia masculina é chamada satiríase. - A hiperestesia feminina é chamada ninfomania. (10) Zoofilia ou Bestialismo. (também chamada zooerastia). Prática sexual diversa, com animais. Os povos pagãos do Antigo Testamento, à volta de Israel praticavam isso, tanto homens como mulheres. (Ler Ex 22.19; Lv 18.23; 20.15,16; Dt 27.21). (11) Incesto. Prática sexual ilícita (seja ela qual for) entre parentes consangüíneos, afins ou adotivos. É sexo anormal. (12) Necrofilia ou vampirismo. Práticas sexuais com cadáveres exumados ou preservados para isso. (13) Pedofilia. Abuso sexual (qualquer que seja) com criança. (14) Gerontofilia. Práticas sexuais anormais com velhos, por parte de adolescentes. (15) Taras. A tara é um desejo sexual anormal, doentio, descontrolado, desenfreado e crônico, situado na área do instinto sexual da pessoa (instinto esse, pervertido). Algumas das taras mais comuns: * Analfilia. É o coito anal. * Cuninlingofilia. É o coito bucal do homem transviado sexualmente. * Felatofilia. É o coito bucal da mulher anormal sexualmente. * Estupro ou violação. É o crime do coito efetuado contra a vontade; à força. Outros crimes passionais estão na mesma categoria. 4) A recomendação Bíblica quanto a este assunto: 1 Tm 6.11 e 1 Ts 4.3-8. 5) A vida sexual normal do casal. Ler 1 Co 7.2-5; Hb 13.4. 6) Efésios 5.25, e as práticas sexuais pervertidas. Ef 5.25 “Maridos amai vossas mulheres, como também Cristo amou a Igreja, e a si mesmo se entregou por ela”. À luz deste texto bíblico, não se pode admitir aberrações na prática sexual
  • marido-mulher. Qualquer delas é condenável e pecaminosa. “Como Cristo amou a Igreja” diz o texto. XX. O CASAMENTO 1. Cinco perguntas para o solteiro, nelas meditar e levar a Deus em Oração. 1) Devo ou não casar? * Ninguém é obrigado casar... * O celibato é também um estado nobre e digno. 2) Quando devo casar? * Considerar aqui a maturação e a maturidade da pessoa. * Evite-se um casamento extemporâneo13. * Idade ideal para casar: Rapaz – 24 a 26 anos; Moça – 19 a 22 anos. * Que é “flor da idade” (para moça) em 1 Co 7.36? (20 anos). * O Brasil é histórico em casamentos prematuros, especialmente para moças. * Diferenças de idade entre os futuros cônjuges. * O CASAMENTO É PARA A VIDA INTEIRA, LOGO, PARA QUE TANTA PRESSA EM ESCOLHER UM MARIDO, OU UMA ESPOSA? 3) Com quem devo casar? É uma decisão muito séria esta – a de convidar alguém para compartilhar a nossa vida enquanto durar. 4) Estou preparado para-casar? * Situação sócio-econômica. * Orientação pré-nupcial. Exemplo: moça com fator Rh negativo no sangue e rapaz com Rh positivo. Resultado: em caso de gravidez, o sangue da gestante se imunizará, produzindo anticorpos que destruirão os glóbulos vermelhos do sangue do feto. * Moradia e mobília. * Meio de vida garantido. 5) Por que quero casar? Exemplos impróprios: * Rapaz quer casar, primeiramente para ter alguém que lhe faça as coisas. * Rapaz quer casar porque precisa de uma mulher. * Moça quer casar, simplesmente para ter liberdade, ou amparo. 13 Que vem fora do tempo.
  • * Ambos querem casar para darem uma satisfação para a sociedade. 2. Propósitos divinos no casamento. * Deus teve (e tem) propósitos definidos ao instituir o casamento. * Casar ignorando esses propósitos divinos é não saber o que está fazendo. * Se quisermos agradar a Deus no matrimônio devemos conhecer e observar esses propósitos divinos. Aqui estão alguns deles: 1) Companheirismo e complementação mútua do casal. (Gn 2.18; 1 Co 11.9,11). * O casamento quebra o isolamento da vida humana. * Mas, a solidão de Adão foi resolvida por Deus, não pela criação de mais um homem, mas de uma mulher. 2) Satisfação amorosa e mútua do casal (Ec 9.9). A pessoa que nega o prazer que o sexo (no sentido pleno) proporciona ao casal, é um doente, um mentecapto, um hipócrita, um anormal. 3) Propagação do gênero humano (Gn 1.28). 4) Preservação da pureza moral, na família e na sociedade (1 Co 7.2). Se não fosse o casamento, o que seria da espécie humana? O mundo seria um prostíbulo geral. 5) Estabelecimento do lar (Mt 19.5). É através do casamento que o marido e mulher deixam seus pais, e constituem um novo lar. 6) Ser um meio de falar de Cristo e da sua Igreja (Ef 5.31,32). Isto é da mais alta importância. 3. O matrimônio feliz. * Não estamos falando de felicidade espiritual; isso vem da salvação e da comunhão do crente com seu Senhor. Estamos falando da felicidade conjugal. * Não estamos falando de casamento perfeito, porque não existe isso, pelo fato de não haver no mundo duas pessoas perfeitas, sem falhas. Todos nós temos falhas; uns mais, outros menos; umas de uma maneira, outros de outra. * Causas básicas dessa felicidade conjugal. 1) Piedade dos cônjuges diante de Deus (Pv 31.30). Cônjuges que vivem para Deus, podem vencer juntos na crise. 2) Amor pleno e mútuo dos dois (Pv 10.12). * Amor não é causa única da felicidade conjugal, mas é a principal. * Cuidado com os casamentos sem amor, arranjados por casamenteiros, parentes, pais, conselheiros, “profetas” etc. Profecia não foi dada para direção (1 Co 14.3).
  • 3) Maturidade dos dois. * Maturidade Social e maturidade espiritual. * Maturidade psíquica, social e espiritual. * 90% dos conflitos conjugais estão aqui: imaturidade da mulher, do marido, dos dois. * A maturidade dos dois é importantíssima para o continuo e necessário ajustamento conjugal. * É importante a compreensão das diferenças temperamentais individuais. 4) Ajustamento Conjugal Esta é a área mais difícil e demorada do matrimônio, e pode levar a vida toda. Principais causas dessas dificuldades: 1º) O marido e a mulher vieram de universos sociais totalmente diferentes. 2º) A não-observância pelo marido e mulher, de 1 Co 7.3-5. 4. O matrimônio infeliz * Tudo o que é bom o diabo atacará, e o casamento não será uma exceção. * Em 1 Co 7, onde a Bíblia trata do casamento, o diabo aparece no meio do assunto (v.5). Mas a infelicidade também vem do próprio cônjuge. * Causas de um casamento infeliz: 1) Casamento feito sem amor. - Casamento sem base amorosa. - Casamento arranjado. - Casamento feito por instintividade sexual. - Casamento feito por simples desejo de casar. - Casamento desses não resistirá aos embates da vida. Não perdurará. 2) Infidelidade conjugal (Hb 13.4; Pv 5.15; 12.4). - Infidelidade dele ou dela. - A infidelidade destrói o amor pela sua base (Ml 2.14, 15). - Ai do amor quando ocorre a infidelidade. 3) Casamento misto (2 Co 6.14,15; Dt 7.3; Ed 9.12). - Quem casa com um não-salvo, além de desobediência a Deus, casa também com as suas descrenças, seus problemas, seus pecados e seus vícios. - Certo ditador disse: “quem casa com um filho do diabo terá problemas com seu sogro!”. - Casamento misto não é só de crente com incrédulo. Se o futuro cônjuge é crente mas não salvo, o casamento continua misto, portanto dará em casamento misto. Você sabia disto? 4) Ciúme infundado, sem causa, doentio. * Esse tipo de ciúme não significa amor.
  • * Ele decorre de insegurança, desconfiança, complexos, distúrbios emocionais ocorridos na infância e agora esvaziados no casamento. * Esse tipo de ciúme tem estragado muitos lares e muitos problemas 5) Conflitos de personalidade. * Esses conflitos resultam em brigas infundadas, discussões, agressões, grosserias e, por fim, a desintegração do casamento, bem como da personalidade dos filhos. * Aqui o admirável poder das palavras: “errei”; “desculpe”; “perdoe”; “obrigado”, da parte dos cônjuges. * Principais focos de conflitos de personalidade no matrimônio: (1) Má saúde FÍSICA, NERVOSA, MENTAL, ESPIRITUAL. (2) Ignorância do autotemperamento. (3) Precocidade ou retardo, mental e/ ou físico. (4) Estacionamento afetivo na infância. (Na adolescência, namora para ser querido, aceito, apenas). (5) Má formação social, ou deseducação. (6) Complexos. (Físicos – biotipia; mentais – julgar-se inferior em raciocínio). (7) Casamento misto. (8) Senso de valores defasado (devido à má formação social recebida). (9) Reações violentas instantâneas (tipo “curto-circuito”): Na fala, nos atos (Resposta para isso Gl 5.22). (10) Ignorância cultural dos fatos sociais. (11) Ciúme doentio. (12) Manejo de dinheiro. (13) Relacionamento Social com parentes e amigos. (14) Defasagem de idade. (15) Tédio, emburramento. (16) Sublimação (no trabalho secular; no trabalho da igreja). (17) Egoísmo. 6) Filhos. * Tê-los ou não. * Religião. * Sua disciplina e criação em geral (ler Pv 13.24; 19.18).
  • * Os males do Behaviorismo14. (Na criação dos filhos, é deixar que a criança faça tudo o que lhe é ditado pela natureza). Ora, impulsos infantis não disciplinados, são a causa mais comum dos atuais desajustes sociais. * Criança não satisfeita em suas perguntas: - Como jovem, poderá ser: - Um “ponto de interrogação” insuportável. - Um especulador (não perguntador). * Criança mimada em demasia. Como jovem, poderá ser: - Um jovem “problema”. - Um caráter desenfreado. 7) Sexo. Não havendo harmonia conjugal aqui, também não haverá em nada mais na vida. Distúrbios sexuais. * Impotência masculina. - Quase sempre de origem emocional, portanto, de tratamento psicoterápico, como: Esgotamento mental. Medo de fracasso no desempenho sexual. Conflitos agudos no lar. Falta de amor (resulta em APATIA, isto é, inapetência emotiva e afetiva). - Somente cerca de 10% dos distúrbios são de origem somática, como: Bebida alcoólica, drogas e esgotamento físico. * Frigidez feminina. Número elevadíssimo de mulheres. Quase sempre de origem emocional. Causas principais: - Grosserias. Isso desativa o sexo, no homem, momentaneamente. Na mulher, pode ser permanente, até que a ofensa seja perdoada. - Desajustes sociais. Menina criada sem carinho, sem amor, sem família, sem segurança, que teve trauma nervoso na infância e, mais tarde, trauma amoroso. Para tais casos, o melhor tratamento é o psicoterápico, pois trata-se de disfunção emocional. A Bíblia tem a resposta para tais casos. - Perversões sexuais da parte do marido. É a outra da causa da frigidez feminina. - Depressão. É outro agente inibidor, tanto na mulher, como no homem. A depressão desativa o sexo inibindo o fluxo normal emotivo. - Eroísmo como: 14 Aplicação da psicologia ao estudo objetivo dos estímulos e reações puramente físicas verificadas no indivíduo, desprezados os fatos anímicos.
  • Sexo como “direito” do marido. Sexo como “dever” da esposa. * Anomalias físicas, sexuais e distúrbios orgânicos, tanto do homem como da mulher. - Disfunção endócrina. - Hermafroditismo. - Nanismo agenésico15; agenésia. - Mongolismo. - Cretinismo. * Inibição de fundo psíquico, como: - Ignorância dele/ dela. - falso pudor (quase sempre dela). - Ansiedade ligada à frustração. - Fatores de ordem religiosa, educacional, ou ética. 8) “Incompatibilidade” entre os cônjuges. A chamada “incompatibilidade” não é outra coisa senão: - Ausência de amor afetivo. - Imaturidade diversa. - Falta de compreensão do que é o outro parceiro. - Má vontade de um, ou dos dois. 9) Finanças. * Em inúmeros casais, finanças domesticas é um campo de batalha! * Controle e manipulação das finanças da família, quem terá? * Gastos, por quê e onde? * Um cônjuge econômico; o outro esbanjador. Não adianta! * Falta constante de dinheiro: incompreensão daí. 10) Saúde e higiene. * Saúde física, mas também saúde em geral. * A importância do exame pré-nupcial para a saúde em geral (aplicar Jr 31.29: “Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos se embotaram”). Doenças pré-conjugais desconhecidas ou ocultadas do outro cônjuge. * A relação de causa e efeito entre a circuncisão, o câncer uterino entre senhoras judias. * A Bíblia e a profilaxia16 das doenças, já em Gênesis. 15 Que não pode gerar. 16 Parte da medicina, que trata das medidas preventivas contras certas enfermidades.
  • * Quase 90% das senhoras judias não têm câncer uterino por causa da circuncisão dos homens, a qual previne a formação de esmegma. * O mau cheiro proveniente da falta de banho e roupas sujas e suadas. As mulheres, por natureza são muito cuidadosas aqui (se bem que há algumas porquinhas, mas é raro). Muitos homens não ligam para esta parte e criam problemas conjugais. * Não me refiro ao cheiro corporal, característico de cada pessoa. Esse cheiro varia de acordo com a idade da pessoa. * Esse tipo de cheiro individual tem muita importância em certos aspectos afetivos, uma vez que o perfume esta ligado a afetividade, e por isso facilmente memorizável pela vida inteira. * É oportuno dizer que a maioria dos animais é excitado sexualmente pelo olfato, sendo isso impercebível ao elemento humano. * É obnóxio17 não somente o desleixo e descuido pessoal, mas também o descuido e desleixo ambiental da casa toda e do espaço à sua volta. 11) Parentes. * Sim, às vezes podem constituir em infelicidade para um casal. * Levar a sério Mt 19.5, onde a Bíblia fala em “deixará pai e mãe, e se unirá a uma mulher...” Não se trata de abandonar pai e mãe, mas deixar. * Procurar sempre manter as boas relações com todos os parentes, se possível. Todos precisamos uns dos outros! * Faça-se todo o possível para que a unidade da família seja preservada. 12) Defasagem excessiva de idade. * Pode ser uma causa de infelicidade no matrimônio. Se não for no principio, poderá ser pouco tempo depois. * Até 10 anos de diferença, pode ser considerado normal. * O homem e a mulher a partir dos 60 anos começam a olhar para o seu passado, mas, como sempre, de maneiras diferentes. * Se um homem de 60, casa com uma moça de 20-25, ele olha para as realizações do passado, e ela sonhadora para o futuro... 13) Sublimação do marido; da mulher. * Isso trará sem duvida infelicidade para o casal. Talvez não, nos primeiros anos, mas a seguir, sim. * A sublimação pode estar ligada a casa, aos filhos, ao emprego, à carreira, etc. 5) Conselhos aos que pretendem casar 17 Que se sujeita a punição, submissão, servil.
  • É melhor ficar solteiro (ou solteira) a vida toda do que ter um lar desfeito por um casamento infeliz! 1) NÃO TE CASES POR RIQUEZAS. * Não podes comprar a felicidade conjugal por ouro ou prata. * Pessoas casadas, das mais infelizes do mundo, são ricas. * Pessoas casadas, das mais felizes da terra, são pobres. * O dinheiro pode comprar uma casa mas não pode comprar um lar. * O dinheiro pode comprar um marido (ou esposa), mas não o seu amor. * Não te cases com alguém só porque ele (ou ela) tem dinheiro. 2) NÃO TE CASES SÓ PORQUE TODOS CASAM. * Casar assim, é fazer do casamento uma moda; uma experiência, e dará logo em desastre. 3) NÃO TE CASES COM ALGUÉM DOENTE DE CIÚME. * Ciúme deste tipo não é amor; é desconfiança, insegurança, imaturidade, complexo de inferioridade. * Este ciúme é doentio; é anormal. * Este tipo de ciúme piora depois do casamento. * Este tipo de ciúme piora com a idade. * A Bíblia diz que “no amor não há temor; antes, o perfeito amor lança fora todo o temor” (Jo 4.18). Isto não quer dizer que não tenhamos ciúme do que é nosso, mas ciúme normal, no sentido de zelo, cuidado, precaução, provisão, proteção. 4) NÃO TE CASES COM ALGUÉM COMPROVADAMENTE PREGUIÇOSO/ PREGUIÇOSA. * Preguiça deste tipo é psicógena, é parasitismo, geralmente vinculado ao complexo de Eletra, ou de Édipo. * Alguém portador deste tipo de preguiça também não pára no emprego. Um rapaz assim, jamais cuidará do sustento da família. 5) NÃO TE CASES COM UM INCRÉDULO/ INCRÉDULA. * É um pecado ir ao altar de Deus tendo um descrente ao lado. * É melhor ir para o céu sozinho, do que ir para o inferno acompanhado. * Há rapazes (e moças) que se tornam crentes para conseguirem o coração do outro. Antes ficar solteirão (ou solteirona) do que cair num logro desses. Considerar bem o que diz a Bíblia em Dt 7.3 e 2 Co 6.14,15. 6) NÃO TE CASES SEM APROVAÇÃO DE DEUS. * Casar sem a aprovação de Deus é casar fora da vontade de Deus.
  • * O fato de existir intenso amor entre rapaz e a moça, não quer dizer que o namoro ou noivado seja da vontade de Deus, porque o amor já existe em nosso coração, desde que ele aflora na adolescência. O QUE FAZER ENTÃO? Submeter este namoro ou noivado à vontade de Deus. * Uma vez que Deus instituiu o casamento, Ele quer te guiar nesse assunto. * Podes obter sugestões de livros, psicólogos e sociólogos, mas só Deus te dará graça e sabedoria para fazeres a escolha que convém a Ele. 7) NÃO TE CASES POR CAUSA DA IDADE. * A moça é mais tendente a casar por causa da idade. No entanto ela se conserva mais jovem do que o rapaz solteiro, por razões óbvias. (Já a mulher casada tende a envelhecer mais depressa, entretanto sobrevive quase sempre ao marido). 8) NÃO TE CASES POR CAUSA DA OPORTUNIDADE. * A moça é mais tendente a isso, por causa da desproporção numérica entre moças e rapazes. (proporções: Fora da igreja: 5 moças x 1 rapaz. Na igreja: 7 moças x 1 rapaz). 9) NÃO TE CASES SEM AMOR TOTAL E MÚTUO. * Só o amor perdura quando tudo mais falhar, envelhecer e fenecer. 10) NÃO DEIXEM DE PRATICAR DIARIMENTE O CULTO DOMÉSTICO. * Isso significa buscar a Deus, depender de Deus e adorar a Deus juntos, e, portanto, juntamente serão abençoados. 6. Tipos de pais. Seis tipos gerais: * Pai “ideal” * Pai “patrão”. * Pai “juiz”. * Pai “policia”. * Pai “carrasco”. * Pai “cobrador”. 7. Tipos de filhos. Seis tipos gerais de filhos: * Filho “ideal”. * Filho “rebelde”. * Filho “desobediente”. * Filho “ingrato”. * Filho “pródigo”
  • * Filho “cobrador”. 8. Tipos de maridos. Treze tipos gerais de maridos: * Ditador. Manda sozinho, sem ouvir a opinião da esposa, nem se ninguém. Não dá satisfação de seus atos. É tirano cruel. Sem amor. * Democrático. Ouve e pondera opiniões antes de agir. * Teimoso. Nunca admite que está errado. Na sua estupidez, julga-se sempre infalível. * Insensível. É frio, mau, torturador. * Silencioso. Este governa sem comunicação. Massacra com seu silêncio doentio. * Explosivo. Dá “curto-circuito” num momento, e de vez em quando, mas logo passa a tempestade. Perde o respeito da esposa e dos filhos, e dos vizinhos e só governa pela força e pela ameaça. Ninguém crê no seu amor, mesmo que o tenha. * Crítico. Vê sempre tudo errado. Sabe mais do que todo mundo junto. Ninguém sabe fazer nada direito. É sarcástico. Quando precisa de ajuda, ninguém gosta de dar. * Negligente. Não leva nada a sério em casa: esposa, filhos, obrigações, compromissos, etc. É gastador. Não se preocupa com o futuro da família. * Indeciso. Não toma decisões. Outros tomam decisões por ele. Quase tudo fica para fazer na família. * Hipócrita. Fala bem da mulher e dos filhos na ausência, mas é hostil, calado e briguento na presença. * Ciumento (sem causa). É imaturo, desconfiado, inseguro. * Ideal. Fiel. Firme nas atitudes, porém equilibrado. 9. Tipos de esposas. Treze tipos gerais de esposas: * Ideal. Cuidadosa. Piedosa. Amorosa. Caprichosa. Trabalhadora. Previdente. Econômica. Obediente. Fiel. * Resignada. * Malcriada. É briguenta e respondona. Só fica brigando com o marido, e ele com ela, até ao ponto de ameaças. É do tipo Zípora, a esposa de Moisés. Não tem temor. * Opiniosa. * Punidora. Pune o marido de várias maneiras. * Fofoqueira. * Irresponsável. * Pródiga. Perdulária. Gastadeira sem poder.
  • * Reclamadora. * Parcial com os filhos. Favoritismo no lar quanto aos filhos. * Dominante, autoritária, madona, voluntariosa. A esposa que tentar dirigir e controlar a família, mais cedo ou mais tarde pode ter um colapso nervoso ou enlouquecer, por tentar dirigir uma coisa que Deus não planejou para ela. XXI. ACONSELHAMENTO PASTORAL 1. O segredo do sucesso em clínica pastoral ou aconselhamento nessa área, é CONFIDENCIA A TODO CUSTO + QUALIFICAÇÃO + IDONIEDADE. 2. Todo conselheiro terá que ser um bom e paciente ouvinte. 3. Pergunta de julgamento – Que estamos fazendo de concreto para orientar e assistir os jovens, casais jovens, e famílias em geral, das nossas igrejas, diante de tudo o que acabamos de expor? Quem se levantará para ajudar nesse sentido? (Pv 22.3; 27.12). 4. A verdade é que não estamos praticamente fazendo nada para orientar a nossa juventude, assisti-la e responder suas perguntas. Somente proibir isto e aquilo, e dizer “não pode”, ou “está errado”, não propriamente aconselhar biblicamente falando. XXII. VIVA PARA JESUS 1. Pontos fracos e fortes. Todo ser humano, seja quem for, tem pontos fortes e fracos na vida em geral. Você não é exceção! Ou você pensa que é? Identifique e reforce seus pontos fracos, do contrário eles serão brechas expostas ao Inimigo, e onde ele costuma atacar. 2. Quando você pecar, reconheça que pecou e não fique com desculpas tolas, como fizeram Adão e Eva. Isso só complica a situação. Chame o pecado de pecado, e não de outras coisas, como faz o mundo. Faça isso humilhado e arrependido diante de Deus, e Ele o perdoará (Sl 51.4; 1 Jo 1.9). Levante-se e recupere-se daquela queda! Faça isso logo, do contrário o pecado o dominará, o orgulho tomará conta de você, e será muito difícil a sua volta para Deus. O doente físico procura o médico – por que não o doente espiritual? (Lc 5.31,32). 3. Deus está sempre pronto a perdoar o pecado arrependido e contrito (Sl 86.5; Lc 15.2). 4. Viva uma vida consagrada a Deus. Milhares de crentes são salvos mas não são consagrados, daí a Bíblia fala em: * Homem natural (1 Co 2.14). Quem é ele? * Homem carnal (1 Co 3.1). Quem é ele? * Homem espiritual (1 Co 3.1). Quem é ele?
  • Consagração é dedicação, amor total a Deus. Viva no temor de Deus. “Pelo temor do Senhor os homens evitam o mal” (Pv 16.6). O crente pela fé em Deus torna-se livre, e pelo amor a Deus, torna-se servo. 5. Sobre a vida consagrada. Sobre a vida consagrada, ler: 1 Ts 5.23; 1 Rs 20.4; 2 Sm 19.38; 2 Cr 7.14; Rm 8.2; 12.1,2; Ef 5.18. Não seja um cristão de fachada! De exterioridades! Veja que 1 Ts 5.23, diz: “espírito, alma e corpo”, isto é, todo o nosso ser. Cresça sempre em Cristo! Todo crescimento é sempre resultado de uma transformação (2 Co 3.18). XXIII. AS MAIORES PERGUNTAS DA VIDA 1. Que farei de Deus? * Tem a ver com atua salvação pessoal. * Tua escolha e decisão ao lado de Jesus. * Que farei de Jesus Cristo? Aceitá-Lo ou rejeitá-Lo? 2. Que farei da minha vida? * Tem a ver com a tua vocação, teu trabalho, tua carreira, teu futuro na vida. * Pode ser a vocação ministerial. * Pode ser a vocação material, secular. * É muito sério isto na vida! 3. Com quem compartilharei a minha vida? * Tem a ver com a escolha do teu futuro cônjuge (se for o caso). * Uma má escolha poderá ter más conseqüências pelo resto da vida. * Nossas escolhas revelam o nosso caráter, bem como onde está o nosso coração. XXIV. OBSERVAÇÕES FINAIS 1. Comissão de orientação e aconselhamento. * A igreja local deve ativar esta comissão. * Esta comissão deve ser competente e idônea em todos os sentidos. * A igreja deve fazer ver aos jovens os benefícios e recompensas espirituais, morais, sociais que terão ao andarem nos caminhos do Senhor, segundo as Escrituras Sagradas. 2. Congressos, encontros e confraternizações de Jovens. Incluam esses assuntos do jovem e da família cristã nos seus temários. 3. Três flagelos que atualmente fustigam a juventude em todo o mundo. Jovens fujam desse trio satânico:
  • 1) Sexomania. (Lembrem-se: quem ama, respeita ao mesmo tempo). 2) Toxicomania. 3) feitiçaria (sob inúmeras formas e mistificações). 4. Que haja na igreja e na comunidade. * Perdão mútuo entre casais e filhos em conflito. * Oração constante diante de Deus, pela família e o lar (Sl. 73.13).