Juventude e Educação do Campo - por Marcos Marques

5,276 views

Published on

Apresentação do painel "Juventude e Educação do Campo", realizado na V Jornada Nacional do Jovem Rural e apresentado por Marcos Marques, professor de Sociologia da Educação do Instituto de Educação de Angra dos Reis (IEAR/UFF). Saiba mais sobre a V Jornada: http://www.redejovemrural.com.br

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
5,276
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2,042
Actions
Shares
0
Downloads
43
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Juventude e Educação do Campo - por Marcos Marques

  1. 1. Marcos Marques de Oliveira (UFF) Painel: Juventude e Educação do Campo
  2. 2. Espírito da V Jornada...  ‘Toda ação principia mesmo é por uma palavra pensada’.  Guimarães Rosa
  3. 3. Metas da V Jornada... 1. Ruptura com o isolacionismo. 2. Reflexão a partir da diversidade. 3. Pauta de ações futuras.
  4. 4. Painel + Grupo de Trabalho...  A partir dos trabalhos desenvolvidos e da sistematizações...  Estabelecer a agenda de ações em defesa da causa, com a perspectiva de participação de instâncias e poderes públicos formalizados.
  5. 5. Juventude nos movimentos rurais...
  6. 6. Tendências... 1. Elisa Guaraná (UFRRJ) 1. Reordenação da categoria ‘juventude rural’: combate aos estereótipos e afirmação de sua identidade como trabalhador, camponês e/ou agricultor familiar.
  7. 7. Tendências... 2. Antonio Munarim (UFSC) 1. Consolidação dos movimentos de renovação da Educação do Campo: uma complexa rede de sujeitos que lutam pela ‘ampliação’ do Estado brasileiro às demandas políticas e pedagógicas da população campesina.
  8. 8. O que é juventude?  ‘A juventude é só uma palavra’. (Pierre Bourdieu)  ‘O significado da juventude, na sociedade, é sempre o mesmo?’ (Karl Mannheim)  ‘A própria definição da categoria é um problema sociológico’. (Marília Spósito)
  9. 9. O que é juventude?  ‘A juventude é uma condição social e ao mesmo tempo um tipo de representação’ (José Luiz Peralva)  Os homens passam e a cultura ‘fica’. E por quê não fica da mesma forma? (Karl Mannheim)  A experiência juvenil não é um fenômeno meramente geracional. Implica fazer parte de grupos sociais e culturais específicos.
  10. 10. Políticas públicas para juventude...  1950-1980: ampliação da educação e uso do tempo livre  1970-1985: controle social de setores juvenis mobilizados;  1985-2000: combate à pobreza e prevenção do delito (1985-2000);  1990...: inserção de jovens no processo produtivo.
  11. 11. Política Nacional de Juventude (2006)...  19 programas de diversos Ministérios  Apenas 3 voltados para a juventude camponesa (Nossa Primeira Terra, Pronaf Jovem e Saberes da Terra).
  12. 12. Juventude ou juventudes? • 49 milhões no campo (27% dos brasileiros). • Dois quais 4,5% são jovens rurais (8 milhões).
  13. 13. Qual o tamanho do Brasil Rural?
  14. 14. Qual o tamanho do Brasil Rural?
  15. 15. O Brasil rural oficial...  30 milhões de pessoas no campo.  30% da população adulta analfabeta.  34% dos jovens (15 a 17) fora da escola.
  16. 16. Cor, gênero e condição social (rural/urbana) Fonte: IBGE. Pnad (2006) 55,5 52,2 31 40,0 48 25 0 10 20 30 40 50 60 Pardos Masculino Indigente / Pobres Rural Urbana
  17. 17. Taxas de atendimento Educação Infantil /Creche 6,98% Educação Infantil/Pré-Escola 66,80% Ensino Fundamental 91,96% Ensino Médio 18,43% EJA – Ensino Fundamental 4,34% EJA – Ensino Médio 3,10% Acesso à Educação Básica no Campo Censo Escolar INEP/2011 Censo IBGE/2010 Ministério da Educação • 6,3 milhões de matrículas no campo (12,4% do total de estudantes matriculados) Nos últimos 5 nos foram fechadas 13.691 escolas do campo
  18. 18. Infraestrutura do Ensino Fundamental – Brasil 2005 (em %) Fonte: MEC/INEP. 48,2 19,2 53,8 40,3 75,9 43,5 99,9 99,8 6,1 0,7 5,6 2,6 7,4 1,1 71,5 84,5 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 BibliotecaLab.Ciências Q uadraSala de V ídeoC om putadores Internet Energia Elétrica Esgoto Urbana Rural 71,37% das escolas tem turmas multisseriadas (22% das matrículas)
  19. 19. Formação docente no Ensino Fundamental Fonte: MEC/INEP. 12,5 87,5 46,7 53,1 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 Ensino Médio Superior Completo Urbano Rural
  20. 20. População: faixa etária/residência 15,9 14,5 13,1 23,7 22,6 10,2 19,5 17,7 12,1 20,6 19,7 10,4 0 5 10 15 20 25 0 a 9 10 a 17 18 a 24 25 a 39 40 a 49 Mais de 60 Urbana Rural Fonte: IBGE. Pnad 2006. Elaboração DIEESE
  21. 21. Política de exclusão e evasão...
  22. 22. Que fazer?
  23. 23. Resoluções da IV Jornada  Efetivação da Lei de Educação no Campo, instituída pelo Decreto de 04/11/2010.  Reconhecimento de que os elevados índices de analfabetismo das áreas rurais têm como um dos seus principais motivos a predominância do ensino tradicional e regular, que são distantes de sua realidade. Fator que incentiva o aumento do êxodo rural.
  24. 24. Resoluções da IV Jornada  Valorização das escolas/projetos educativos que estejam próximos das comunidades campesinas, enfocando conteúdos diagnosticados pela população local, e que valorize o conhecimento empírico da família.
  25. 25. Resoluções da IV Jornada  Reconhecimento da autonomia administrativa, política e pedagógica na co-gestão dos CEFFAs, com previsão orçamentária para o financiamento dos mesmos.
  26. 26. Resoluções da IV Jornada  Fortalecimento das modalidades de ensino técnico profissional e superior no meio rural, com ampliação de acesso e priorizando as tradições familiares em sua unidade produtiva, possibilitando ao jovem a permanência no campo a partir do acesso a novos conhecimentos.
  27. 27. Resoluções da IV Jornada  Reconhecimento e financiamento das licenciaturas em Educação do campo, assim como a garantia de uma formação continuada. Se houver necessidade de revisão, que seja ao fim das primeiras turmas formadas.
  28. 28. Resoluções da IV Jornada  Criação de um Programa Nacional de formação de professores, gestores, coordenadores pedagógicos, conselhos escolares e conselhos de educação, levando em conta o que já existe no país sobre formação, e que conte com as universidades e também com a colaboração das instituições que utilizam a metodologia de Educação do Campo, incluindo as de Alternância.
  29. 29. Resoluções da IV Jornada  Reconhecimento, pelo MEC e pelo CONSED, dos registros dos técnicos formados pelos cursos em Agroecologia e pelos cursos em Tecnologia Agroflorestal, novos profissionais que estão colaborando para o fortalecimento de uma produção agrícola mais justa e sustentável.
  30. 30. Resoluções da IV Jornada  Criação e o financiamento das experiências existentes de formação de Agroecologia e permacultura na agricultura familiar.  Revisão da Lei de ATER, visando garantir uma assessoria técnica e uma extensão rural que informe os agricultores acerca das possibilidades que agreguem valor aos produtos da agricultura familiar, assim como potencialize a utilização racional das matérias-primas.
  31. 31. Resoluções da IV Jornada  Garantia de assistência técnica permanente para a agricultura familiar, assegurando a formação de jovens para que se tornem sujeitos de desenvolvimento no campo.  Política Nacional de Comunicação Social voltada para o campo, contando com a participação efetiva da sociedade civil organizada, pondo em relevo, por exemplo, a luta pelo reconhecimento e consolidação das rádios comunitárias.
  32. 32. Resoluções da IV Jornada  Construção de uma política nacional de reconhecimento e valorização da cultura do jovem rural.
  33. 33. Manchete...  Com R$ 1,8 bi por ano, Pronacampo resgatará dívida histórica com população rural, diz ministro 21/03/2012 17:12 - Portal Brasil
  34. 34. Promessa...  ‘Temos 76 mil escolas e 342 mil professores no campo. O que nós identificamos primeiro é o fechamento acelerado de escolas rurais, só nos últimos cinco anos foram 13.691 escolas fechadas.  Às vezes, o problema é a evasão da população, mas muitas vezes é uma política para reduzir custos e isso acaba penalizando jovens que tem que percorrer distâncias cada vez mais longas para ter acesso à escola’, disse o Ministro.
  35. 35. Ações: • Transporte Escolar (8 mil ônibus, 2 mil lanchas e 180 mil bicicletas) • Construção de escolas (3 mil novas escolas até 2014) • Mais Educação Campo (10 mil escolas participantes até 2014) • Formação inicial de professores (formar 45 mil professores até 2014) PRONACAMPO DOU de 04/02/2013 (nº 24, Seção 1, pág. 28)
  36. 36. • Formação continuada de professores (formar 40 mil professores até 2014) • Pronatec Campo (180 mil educandos até 2014) • PNLD Campo (3,15 milhões de estudantes atendidos) • PDDE Campo (30.409 escolas atendidas até 2014) • PDDE Água (9 mil escolas atendidas até 2014) • Educação digital (26.343 projetores, 12.000 laboratórios e 50.425 laptops) PRONACAMPO DOU de 04/02/2013 (nº 24, Seção 1, pág. 28)
  37. 37. Ministério da Educação
  38. 38. Questões que ficam...  Será que avançaremos numa política de Educação do Campo que não coloque o agricultor na subalternidade?
  39. 39. Questões que ficam...  Será que se fortalecerá uma perspectiva de política educacional que possa espelhar positivamente seu grupo, suas tradições culturais, modos de pensar, de sentir e de se relacionar, traduzindo o campo como lugar de vida e de produção humana?
  40. 40. Questões que ficam...  Enfim, uma política que atenda à diversidade complexa das populações campesinas:  agricultores familiares, extrativistas, pescadores artesanais, ribeirinhos, assentados e acampados da reforma agrária, trabalhadores assalariados rurais, quilombolas, caiçaras, povos da floresta, caboclos e outros que produzam suas condições materiais de existência a partir do trabalho no meio rural.
  41. 41. Esperança desconfiada...
  42. 42. Notícias do Brasil...
  43. 43. Obrigado! marcos_marques@id.uff.br Prof. Adj. II de Sociologia e Educação do Campo DED/IEAR/UFF Programa de Pós-Graduação em Educação FEUFF
  44. 44. fb.com/redejovemrural @redejovemrural youtube.com/redejovemrural flickr.com/jovemrural Siga a Rede redejovemrural.com.br

×