• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Convite à  Rede de colaboração
 

Convite à Rede de colaboração

on

  • 1,111 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,111
Views on SlideShare
1,092
Embed Views
19

Actions

Likes
0
Downloads
11
Comments
0

3 Embeds 19

http://redejatrophanet.ning.com 9
http://jatrophanetwork.ning.com 9
http://www.slideshare.net 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Convite à  Rede de colaboração Convite à Rede de colaboração Presentation Transcript

    • AGREGANDO COMPETÊNCIAS NA CADEIA PRODUTIVA DO BIODIESEL Convite de Rede de colaboração do jagunço Riobaldo UFV www.redejatrophanet.ning.com
    • PROGRAMA DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO: Adensamento tecnológico do Pinhão-manso:micorrização para aumento da produtividade e remoção de compostos anti- nutricionais como fonte de proteína à ração animal. EXECUTORES: BIOVALE ENERGIA]UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA Apoio: BIOERG]Secretaria de Ciência e Tecnologia e Ensino Superior do Estado de Minas Gerais
    • REUNIÃO DE COMPETÊNCIAS Congregando capacitações, competências e interesses diversos no ESTRATÉGIA aprimoramento de oleaginosa (pinhão- manso) - aportando recursos e difundido INOVAÇÃO PRODUTIVIDADE conhecimento e tecnologia. Os benefícios da rede são de grande importância em função da AGLOMERAÇÃO complementariedade de capacitações DESEMPENHO PRODUTIVA COMPOSIÇÃO ECONÔMICA entre os diversos agentes, conferindo (CLUSTER) eficiência e celeridade no desenvolvimento de projetos. Parcerias com Centros de AMBIENTE DE ESPECIALIZAÇÃO NEGÓCIOS Conhecimento e organizações internacionais podem dinamizar, COLABORAÇÃO diminuir a curva de aprendizagem dessa potencial oleaginosa, aportando competitividade e acelerando o programa de bio-diesel de Minas e do Brasil. “ Por que é que todos não se reúnem, para sofrer e vencer juntos, de uma vez?” (Riobaldo]Guimarães Rosa)
    • A VIDA É MUTIRÃO DE TODOS PARTICIPANTES ATUAIS BIOVALE ENERGIA & LOGÍSTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA – BIOAGRO/FUNARBE UNIVERSIDADE DE MONTES CLAROS - UNIMONTES EPAMIG – EMPRESA DE PESQUISA DE AGROPECUÁRIA DE MG BIOERG-Escritório de Bioenergia de Minas Gerais]Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia e Ensino Superior “A vida inventa! A gente principia as coisas, no não saber por que, e desde aí perde o poder de continuação - porque a vida é mutirão de todos, por todos remexida e temperada." Riobaldo
    • O PROJETO EM CURSO: BioVale Energia e Universidade Federal de Viçosa estão desenvolvimento projeto de adensamento tecnológico do pinhão-manso com o apoio da FAPEMIG por meio do Termo de Outorga processo CAG-12]09 OBJETIVO: estabelecer bancos de germoplasma da oleaginosa pinhão-manso para produção de biodiesel, micro-propagação de tecido em escala, avaliação e seleção de fungos micorrízicos eficientes. Paralelamente, selecionar micro-organismos e identificar métodos capazes de remover os compostos anti-nutricionais da torta para ser utilizada na alimentação animal. OBJETIVOS ESPECÍFICOS 1. Estabelecer os bancos de germoplasma 2. Estabelecer o processo de multiplicação adequado para produção de mudas de macaúba e pinhão-manso de qualidade; 3. Avaliar a diversidade microbiana e de Fungos Micorrízicos Arbusculares em solos sob cultivo de pinhão-manso; 4. Avaliar o efeito de diferentes FMAs sobre o crescimento, o estabelecimento e o desenvolvimento de mudas de e pinhão-manso; 5. Avaliar os diferentes métodos de manejo no desenvolvimento e na produtividade de pinhão- manso; 6. Avaliar métodos de remoção de elementos anti-nutricionais da torta do pinhão-manso para a sua utilização como ração animal AGREGE SUAS COMPETÊNCIAS NESSES OBJETIVOS E OUTROS PROJETOS DE ADENSAMENTO AGRONÔMICO E TECNOLÓGICO DO PINHÃO-MANSO, PARTICIPANDO DOS GRUPOS DA REDE JATROPHA E]OU CRIANDO NOVOS GRUPOS
    • TECNOLOGIA COMO AGENTE DE MUDANÇA O atendimento das demandas resultantes do cumprimento da lei 11.097 de 13/01/2005 que dispõe sobre a adição de biodiesel ao óleo diesel comercializado no Brasil a partir de 2008 exige a ampliação de fontes alternativas deste combustível renovável. Entre as alternativas destaca-se o pinhão-manso (Jatropha curcas L.) pelas potencialidades para o cultivo sob condições de estresses ambientais, bem como, pelo alto teor de óleo nas sementes. Essa espécie representa, assim, uma cultura absolutamente viável para pequenas propriedades rurais que utilizam apenas a mão-de-obra familiar e o uso de tecnologias de baixo custo. DESAFIO:o estabelecimento de banco de germoplasma para futuros estudos de melhoramento e seleção de variedades adaptadas para diferentes condições e com características desejadas são essenciais para o sucesso desta cultura. As redes de colaboração são vitais. Os resultados a serem obtidos com a consecução de projetos colaborativos de pesquisa e desenvolvimento pode ser utilizado como um elemento crucial para estimular um sistema circular combinando efeitos ecológicos, econômicos e de geração de renda (HEN. 1994 O grande mercado energético brasileiro e mundial poderá dar sustentação a um imenso programa de geração de emprego e renda a partir da produção do biodiesel. A atividade é economicamente viável além de ser socialmente e ambientalmente correta. "...a cabeça da gente é uma só, e as coisas que há e que hão de haver são demais de muitas, muito maiores diferentes, e a gente tem de necessitar de aumentar a cabeça, para o total.“ Riolbaldo, G.Rosa
    • VANTAGENS DO PINHÃO-MANSO Trata-se de uma espécie perene, monóica e pertencente à família das Euforbiáceas, a mesma da mamona. O gênero Jatropha tem 170 espécies conhecidas. Trata-se de um arbusto de crescimento rápido, que pode atingir 4 m de altura.. É uma planta caducifólia que atinge seu clímax produtivo aos 4 anos e permanece produtiva por pelo menos 40 anos. Seu óleo é inodoro, incolor, muito fluido, porém solidificando-se a -10 ºC, solúvel em benzina e água e insolúvel em álcool 96 ºC.. Estima-se que a planta produza cerca de 2 toneladas de óleo por hectare, com 84% do poder calórico do petrodiesel. O co-produto principal do pinhão-manso é a torta, rica em N, P, K e matéria orgânica, empregada como fertilizante e tendo efeito nematicida. Quando destoxificada pode ser usada como ração animal, a semelhança da torta de mamona, contendo 57% de proteína. A casca dos pinhões pode ser usada como carvão vegetal e matéria-prima para papel (Éguia, 2006). Em termos edafoclimáticos, o pinhão-manso pode ser classificado como planta rústica, pouco exigente, vegetando e produzindo melhor em altitudes entre 600 e 800 m, com um mínimo de precipitação anual de 600 mm e sob temperaturas médias moderadas a altas, típicas das regiões semi-áridas. Por ser perene, ela não exige o preparo anual do solo. E caso de baixa densidade de chuva, o Pinhão Manso não morre, podendo produzir normalmente no ano seguinte. É uma cultura existente de forma espontânea em áreas de solos pouco férteis e de clima desfavorável à maioria das culturas alimentares tradicionais, o pinhão manso pode ser considerado uma das mais promissoras oleaginosa para obtenção de Biodiesel devido a sua alta produtividade. Ensaios feitos com o óleo extraído do pinhão-manso, comparando-o com o diesel, deram bons resultados. Num motor diesel, para gerar a mesma potência, o consumo de óleo do pinhão foi 20% maior e o ruído mais suave . Rústica, de fácil manejo, com óleo de qualidade para biodiesel em alto teor nas sementes (38%), Adequada ao consórcio com cultivos alimentares ou outro cultivo agro-energético por ser arbustiva e plantada em espaçamentos largos. Produz bem em terras de pouca fertilidade. Sua colheita se estende por cerca de seis meses. É uma planta socialmente ambientalmente e correta Tais vantagens credenciam o pinhão-manso como espécie apropriada para cultivo em pequenas propriedades com mão-de-obra familiar, gerando renda e fixando o homem no campo.
    • MICORRIZAÇÃO O pinhão-manso micorrizado tem funcionado muito bem na recuperação de terras ambientalmente vulneráveis e não cultiváveis usando tecnologia micorrízica por mais de uma década na Índia. A associação de mudas com fungos “micorrízicos arbusculares” (FMAs) contribui para o desenvolvimento vegetal, refletindo não apenas no aumento da biomassa e na morfogênese radicular, mas também no controle biológico às pragas e doenças. Na eficácia de utilização de água e nutrientes e na redução do estresse durante o transplantio das mudas para o campo.Portanto, o projeto pode ter grande impacto nas regiões de desertificação e áreas degradadas, particularmente no semi-árido do Brasil e regiões de áreas degradadas pela atividade econômica mineral. A multiplicação das mudas por cultura de tecidos, ou clonagem, garante a produção de mudas uniformes, reduzindo em doze meses o processo em relação ao método convencional de plantio de mudas por sementes de duração aproximada de dois anos para início da produção. Ao se realizar a inoculação das mudas com fungos “micorrízicos arbusculares”, essas mudas podem ser formadas em até 7 meses. Além da aceleração do crescimento, essa técnica in vitro de produção de mudas de pinhão manso micorrizado resulta em uma produtividade e biomassa mais elevadas, da ordem de 30%. A associação de mudas com fungos “micorrízicos arbusculares” (FMAs) contribui para o desenvolvimento vegetal, refletindo não apenas no aumento da biomassa e na morfogênese radicular, mas também no controle biológico às pragas e doenças. Na eficácia de utilização de água e nutrientes e na redução do estresse durante o transplantio das mudas para o campo.
    • UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA DEPARTAMENTO DE MICROBIOLOGIA BIOAGRO A produção de mudas micropropagadas micorrizadas de pinhão-manso representa uma alternativa viável para produção de mudas de qualidade, aumentando o potencial biotecnológico no processo produtivo. Embora cientificamente comprovado o papel da associação micorrizica no incremento nutricional e necessidade de água das plantas em laboratório, o principal gargalo para sua aplicação ampla consiste na sua produção massiva para atender a vasta necessidade. A A B C Figura 3. Pinhão-manso: (A) Crescimento in vitro de mudas a partir de sementes e (B) Explantes de parte B aérea obtidos de plantas micropropagadas. Figura 1. (A) Viveiro; (B) Área com cultivo de Pinhão-manso; (C) planta com 1 ano hi a he e hi B 0,5 mm D 100 m v a NI I A 2 mm C 10 m E 2 mm Figura 4. Desenvolvimento de plantas de pinhão-manso (Jatropha curcas L.) Figura 2. Micorriza e esporos de Fungos Micorrízicos Arbusculares (FMAs) em pinhão-manso. A: vesículas (v) e hifas intra- inoculadas (I) e não inoculadas (NI) com Glomus clarum (fungo radiculares (hi); B e C: arbúsculos(a); D e E: esporos de FMAs. micorrízico arbuscular) em casa de vegetação. Projeto ferro-verde Acelerando a produção – antecipando o futuro www.biovale.teiaslive.net – biovaleenergia@gmail.com
    • DESTOXIFICAÇÃO DA TORTA A torta de pinhão-manso consiste em até 62 % da massa das sementes (GHANDI et al., 1995) e é um subproduto da extração do óleo é um material complexo e apresenta uma composição em biomassa diversificada com celulose, hemicelulose, lignina, extrativos, água, sais minerais (SRICHAROENCHAIKUL et al., 2007) e ésteres de forbol (MAKKAR & BECKER, 1997). A torta contém ainda curcina, uma proteína altamente tóxica similar de rícino oriundo da extração do óleo da mamona, tornando-a imprópria para a alimentação animal (GOEL et al., 2007). Contundo, a destoxificação desses resíduos permite a utilização como suplemento alimentar ricos em proteínas na alimentação de aves, suínos, bovinos e até mesmo para peixe (GUBITZ et al., 1999). Com isso, o obstáculo crucial no estabelecimento de J. curcas como uma cultura comercial, seria superado por destoxificação das sementes e do próprio óleo (HAAS et al., 2002). A avaliação do potencial de destoxificação da torta de pinhão-manso por micro-organismos e outros métodos, bem como o entendimento desse processo, abrirá novos rumos para a utilização desses resíduos como substrato para produção de outros alimentos e ração animal, além de contribuir para a redução do impacto ambiental.
    • AGREGANDO SUAS COMPETÊNCIAS Descreva as atividades e competências de sua entidade de pesquisa em relação aos objetivos do projeto (conforme modelo das páginas 12 e 13 e como pode agregar conhecimento na aceleração de seus resultados. Discrimine o orçamento requerido para desenvolvimento das atividades propostas: 1. DESPESAS DE CAPITAL Equipamento e material permanente (nacional e importado) Obras e instalações 2. MATERIAL DE CONSUMO 3. DESPESAS DE PESSOAL Pesquisadores e bolsistas (tipos) 4. DESPESAS DE CUSTEIO Bibliografias, software, viagens, consultorias, diárias, custos de importação, manutenção etc)
    • Metas, atividades, indicador de resultado Metas Físicas Entidade e Atividades Indicador Físico de Duração Responsável Execução Prevista Início Térmi no Banco de germoplasma Coleta de material Banco de germoplasma Identificação de material montado e em Importação de materiais funcionamento Micropropagação de Testar diferentes métodos de micropropagação Propagação do material em pinhão manso Selecionar meios de cultura que favoreçam o cultura de tecidos definido desenvolvimento do pinhão manso in vitro Coleta e identificação de Coleta de amostras de solo nos plantios de pinhão Coletado material de FMA manso de diferentes regiões diferentes regiões e Extração de esporos de FMA identificados os FMA de Multiplicação em casa de vegetação maior ocorrência Identificação do FMA Multiplicação in vitro de FMA Avaliação da colonização Coleta de FMA em plantios de pinhão manso Ter avaliado a percentagem por FMA Avaliação da percentagem de colonização de colonização por FMA em plantios de diferentes regiões Multiplicação de FMA in Multiplicação de FMA de maior ocorrência in vitro Ter conseguido multiplicar vitro Definir meios de cultura adequados para pelo menos 6 espécies de multiplicação de FMA FMA in vitro Miropropagacao de Inoculação de pinhão manso desenvolvido na Processos de inoculação pinhão manso cultura com o FMA crescido in vitro definido para os diferentes micorrizado fungos ou pelo consorcio de fungos
    • Metas, atividades, indicador de resultado Metas Físicas Entidade e Atividades Indicador Físico de Duração Prevista Responsável Execução Início Término Seleção de FMA com Avaliação da percentagem de Ter selecionado os pelo menos 3 potencial para utilização sobrevivência das plantas isolados de FMA que em escala comercial Avaliação do crescimento das beneficiam a sobrevivência e plantas desenvolvimento das plantas Transferência das plantas Avaliação da percentagem de Avaliado a percentagem de para o campo sobrevivência das plantas sobrevivência e produtividade Avaliação do crescimento das de pinhão manso plantas Avaliação da diversidade Coleta de amostras de solo no Diversidade microbiana avaliada microbiana e da campo permanência do FMA Avaliação pelo método de DGGE inoculado no campo Avaliação pelo métodoFAME Distribuição de mudas de Realização de dia-de-campo Ter agricultores familiares qualidade para os Realização de treinamentos utilizando mudas agricultores familiares específicos micropropagadas micorrizadas Destoxificação da torta Tratamento da torta com Efeito da torta tratada sobre microorganismos e outros métodos os parâmetros de fermentação ruminal in vitro Efeito da torta na digestibilidade de alimentos in vitro Efeito da torta na digestibilidade in vivo Análises bromatológicas