FLUJOSDETRABAJO
ENLASEMPRESAS
PERIODÍSTICAS
RafaelKlappenbach
rafaelk@cases-assoc.com
cases i associats
OPTIMIZACIÓNDELOS
FLUJOSDETRABAJO
ENLASEMPRESAS
PERIODÍSTICAS
cases i associats
InstitutodePrensadelaSIP BuenosAires,julio...
NOTICIA
cases i associats
¿QUÉES
NOTICIA?
P:
cases i associats
CONTENIDOSQUE
ESTÁNDISPONIBLES
ENVARIOSSITIOS
R:
cases i associats
¿YQUÉES
CONTENIDO?
P:
cases i associats
periodista
Publicaciones
de referencia
Publicaciones
populares
Publicaciones
de interés
general
lectores
{
Valores
editori...
tiempo
profundidadhecho
CICLODELCONTENIDO
Flashes
Livereporting
Consolidaediciónimpresay
unappenriquecido
Másdetalles
Prim...
tiempo
profundidadhecho
Flashes
Livereporting
Consolidaediciónimpresay
unappenriquecido
Másdetalles
Primerasreacciones
Agr...
tiempo
profundidadhecho
Flashes
Livereporting
Másdetalles
Consolidaedicióndigital
Agregavalor
Consolidaediciónimpresay
una...
tiempo
profundidadhecho
Flashes
Livereporting
Másdetalles
Primerasreacciones
Agregavalor Consolidaedicióndigital
Consolida...
tiempo
profundidadhecho
cases i associats
CICLODELCONTENIDO
ESTADOSOB CENSURAHÁ 229 DIAS.PÁG. A10
Planeta
Carvão vegetal
a...
Cadaplataformatienesuspropias
características.
Cadaunadebepreservarsustandard
dereconocimiento.
Encadaunasedebeofrecerlame...
2006 - THE INDEPENDENT
“No news today” el diario se incorpora a RED, una marca
creada por Bono Vox para apoyar el Global F...
2010 - THE INDEPENDENT
“A gadget to die for?”
El día en que el iPad llega a las tiendas del
Reino Unido, el diario denunci...
1996 - CORREIO BRAZILIENSE
“El juego de la mentira”
Para comprender el lío de Clinton con
la becaria.
2000 - CORREIO BRAZI...
1999 - CORREIO BRAZILIENSE
Un día trágico en Río de Janeiro: un apagón,
una inundación e incendio en el aeropuerto.
1998 -...
2002 - CORREIO BRAZILIENSE
“blablabla”
Conversaciones de paz en el Medio
Oriente entre EUA, EU y Russia
FUTEBOL
EXEMPLAR D...
eje
Page 28.
En 80 ans, il s’en est passé des choses chez Ricard.
1932 - 2012.
L’ A B U S D ’ A L C O O L E S T D A N G E ...
cases i associats
Libération comunica en carta a
su lector que el viernes saldrá
con una edición excepcional con
3 bloques...
cases i associats
Guerra en Libia: Información general: Tsunami
2010 - FRANKFURTER ALLGEMEINE
Francia extradita a los gitanos rumanos.
El diario afirma irónicamente:
“Esta medida puede pe...
LASCOSASSON
LOQUESON...
cases i associats
cases i associats
Méxicotambém reata
relaçõescom Honduras
Umclássicodecara
novanoPacaembu
Milionáriosmiram
asuplêncianoSen...
cases i associats
“Os relatórios
financeiros de
fornecedores...
... ou contas a pagar não possibi-
litam o confronto dos s...
cases i associats
CLARÍN
ARGENTINA
PRENSALIBRE
GUATEMALA
Contenidodeúltimahora
yserviciosenunsitioweb
pensadopara
smartpho...
cases i associats
MILENIO
MÉXICO
Aplicacionesnativasque
permitenleerlosmismos
contenidosdelaweb.
cases i associats
MILENIO
MÉXICO
Aplicacionesnativasque
permitenleerlosmismos
contenidosdelaweb.
cases i associats
OGLOBOAMAIS
BRASIL
Contenidosproducidosexclusivamente
paraelaplicativo.
Disponibledelunesaviernesalas18h.
Monitoreo realizado durante cuatro días, de lunes a jueves.
Fueron excluídos los materiales especiales trabajados con ante...
Reunión de la
mañana
10:00 14:3012:30
Reunión de
portada
17:007:00
Edición sobre
las
premaquetas
18:00
Cierre de
algunas
s...
Reuniónde
coordinacióncon
loseditores
14:30
Reunión de
portada
17:007:00 18:00
Cierre de
algunas
secciones de
papel
20:30
...
cases i associats
Amododeconclusión(x6)
cases i associats
Mejorenfocarseenelciclodelcontenido
queenlasplataformas
Distribuircontenidossegúnlas
característicasdeca...
cases i associats
Invertirencalidadparaelmundodigital
escuestióndepesosodeprocesos
Elpeligroesqueelpapelpierdacalidad;el
d...
cases i associats
muchasgracias
RafaelKlappenbach
rafaelk@cases-assoc.com
Rafael klappenbach cases i associats
Rafael klappenbach cases i associats
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Rafael klappenbach cases i associats

247 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
247
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Rafael klappenbach cases i associats

  1. 1. FLUJOSDETRABAJO ENLASEMPRESAS PERIODÍSTICAS RafaelKlappenbach rafaelk@cases-assoc.com cases i associats
  2. 2. OPTIMIZACIÓNDELOS FLUJOSDETRABAJO ENLASEMPRESAS PERIODÍSTICAS cases i associats InstitutodePrensadelaSIP BuenosAires,julio29de2012
  3. 3. NOTICIA cases i associats
  4. 4. ¿QUÉES NOTICIA? P: cases i associats
  5. 5. CONTENIDOSQUE ESTÁNDISPONIBLES ENVARIOSSITIOS R: cases i associats
  6. 6. ¿YQUÉES CONTENIDO? P: cases i associats
  7. 7. periodista Publicaciones de referencia Publicaciones populares Publicaciones de interés general lectores { Valores editoriales importante interesante contenido relevante no relevante hecho = VALORES DE LA MARCA cases i associats
  8. 8. tiempo profundidadhecho CICLODELCONTENIDO Flashes Livereporting Consolidaediciónimpresay unappenriquecido Másdetalles Primerasreacciones Agregavalor Consolidaedicióndigital cases i associats
  9. 9. tiempo profundidadhecho Flashes Livereporting Consolidaediciónimpresay unappenriquecido Másdetalles Primerasreacciones Agregavalor Consolidaedicióndigital Lapropiarepercusiónse transformaennoticia AUDIENCIAYREDESSOCIALES cases i associats CICLODELCONTENIDO
  10. 10. tiempo profundidadhecho Flashes Livereporting Másdetalles Consolidaedicióndigital Agregavalor Consolidaediciónimpresay unappenriquecido +Livereporting +Másdetalles AUDIENCIAYREDESSOCIALES Larepercusiónenelentornodigital reconduceelciclodecontenido. Larelevanciadeestecontenidoseda porelabordajeyelenfoquepropios,o seaporlosvaloresdelamarca. cases i associats CICLODELCONTENIDO
  11. 11. tiempo profundidadhecho Flashes Livereporting Másdetalles Primerasreacciones Agregavalor Consolidaedicióndigital Consolidaediciónimpresay unappenriquecido +Livereporting +Másdetalles AUDIENCIAYREDESSOCIALES cases i associats CICLODELCONTENIDO
  12. 12. tiempo profundidadhecho cases i associats CICLODELCONTENIDO ESTADOSOB CENSURAHÁ 229 DIAS.PÁG. A10 Planeta Carvão vegetal até 2013 0h Lula recua e muda plano de direitos humanos IsraelrejeitapressãodosEUA, Hillaryprotestaecrisepiora Palestinos realizam ‘dia de fúria’ em Jerusalém, enquanto Lula, na Cisjordânia, vê disposição para diálogo Fora do cargo, Dilma poderá ir a inaugurações TRE cassa Arruda por infidelidade Aéreas podem ter até 49% de capital externo CELSO MING PAULO VANNUCHI MINISTRO DE DIREITOS HUMANOS “Só publicaremos novamente o programa após construir largos consensos” JULIO MESQUITA 1891 - 1927 RUY MESQUITA Diretor Tempo na capital 26˚ Máx. 17˚ Mín. Solemuitas nuvensem SãoPaulo HOJE: 78 PÁGINAS * VER TABELA NA PÁGINA A3 DANIEL PIZA ROBERTO DAMATTA A crise nas relações entre EUA e Israel ampliou-se ontem, empanando a visita do presidente Lula ao Oriente Médio, relataocorrespondenteemNovaYork, Gustavo Chacra. O governo america- nocancelouaviagemdeseuenviadoes- pecial à região por causa da decisão is- raelense de manter a construção de ca- sas em Jerusalém Oriental. A região é reivindicadapelospalestinos,quereali- zaram protesto violento na cidade e fo- ram reprimidos. A Casa Branca exigiu queIsraelrecuasse,easecretáriadeEs- tado, Hillary Clinton, cobrou prova de queopaísquerapaz.Opremiêisraelen- se, Binyamin Netanyahu, porém, insis- tiu na construção e negou estar torpe- deando o diálogo com os palestinos. Diante do mal-estar, Hillary reafirmou “o absoluto compromisso com a segu- rança de Israel”, e Netanyahu se disse “comprometido com a paz”. Enquanto isso, Lula encontrou-se com o governo palestino – que, na avaliação do Itama- raty, ainda confia no diálogo, informa a enviadaespecialDeniseChrispimMa- rin. INTERNACIONAL / PÁGS. A12 a A14 Caderno2 A hora de Warhol Mostra na Estação Pinacoteca reunirá 170 obras do artista O presidente Lula mandou alterar vá- rios pontos do decreto que instituiu o terceiroProgramaNacionaldeDireitos Humanos,objetodecríticasgeneraliza- das.Serãomodificadosoartigoquelega- lizaoaborto,oquevetasímbolosreligio- sos em locais públicos e o que prevê a necessidade de ouvir invasores de ter- ras no cumprimento de decisões judi- ciais sobre conflitos agrários. O minis- tro Paulo Vannuchi (Direitos Huma- nos)dissequeéumanovafasedediálo- go sobre o programa. NACIONAL / PÁG. A7 Cinismo e indignação No Brasil, ser puro é perigoso e a canalhice não produz vergonha, mas indignação! CADERNO2 / PÁG. D14 Manipulação do câmbio Pela primeira vez, EUA usam o argu- mento de que a China faz jogo sujo no comércio com política cambial. A ofensiva tem viés protecionista. ECONOMIA / PÁG. B2 A Advocacia-Geral da União avalia que, mesmoforadogovernoapartirdeabril, apresidenciáveldoPT,DilmaRousseff, poderáiraeventosoficiaiscomopresi- dente Lula até julho. Medida é legal, di- zemministrosdoTSE.NACIONAL/PÁG.A4 Esportes O desafio de Assunção Na Libertadores, Corinthians encara o Cerro Porteño, no Paraguai, às 21h50 Apagões emSP dão multade R$ 3,2 milhões G Justificativa O rito da provocação É assim que se fazem e assim que se devolvem provocações: na bola, no correr do jogo e, com humor, nas comemorações. ESPORTES / PÁG. E2 DAN BALILTY/AP NOTAS & INFORMAÇÕES Por que retaliar os EUA O Brasil não podia esperar indefini- damente demonstração de boa vontade de Washington. PÁGINA A3 G Brasil silencia sobre Cuba O Brasil não criticou a situação dos direitos humanos em Cuba e no Irã nas sessões da ONU sobre esses casos nos últimos dias, relata o cor- respondente em Genebra, Jamil Chade. INTERNACIONAL / PÁG. A14 Sistema do Enem tem mais uma falha VIDA / PÁG. A19 METRÓPOLE / PÁG. C7 Tiger Woods diz que volta ao golfe em abril SERGIO CASTRO/AE Confronto. Policiais israelenses imobilizam manifestante palestino: no dia mais violento em meses, conflitos deixaram mais de 100 feridos Agrícola Pimentas. Fazenda em Salto cultiva da dedo-de-moça à mais ardida do mundo Perigo. Trecho urbano da Dutra em Guarulhos está entre os 15 mais críticos. METRÓPOLE / PÁG. C1 Proposta enviada pelo governo ao Congresso amplia de 20% para 49% o limite de capital estrangeiro nas companhiasaéreasbrasileiras.Otex- to facilita a autorização e a cassação de licenças. ECONOMIA / PÁG. B1 ESPORTES / PÁG. E4 OTribunalRegionalEleitoraldoDistri- to Federal cassou ontem o mandato do governador José Roberto Arruda – que sedesfilioudoDEMemdezembro–por infidelidadepartidária.OTREnãoindi- cou quem deve assumir, já que o vice renunciou.AdefesadeArruda,queestá preso,avaliarecorreraoTribunalSupe- rior Eleitoral. NACIONAL / PÁG. A8 O ministro Carlos Minc (Meio Ambiente) quer prazo até 2013 para que siderúrgicas deixem de usar carvão vegetal de áreas nativas do Cerrado. Segundo ele,odesmate“estábeirandoo descontrole”. VIDA / PÁG. A20 %HermesFileInfo:A-1:20100317: Quarta-feira 17 DE MARÇO DE 2010 R$ 2,50* ANO 131. Nº 42519 EDIÇÃO DE estadão.com.br 7 8 9 10 11 12 A FORÇA DO PARTIDO AFAXINAÉTICACHEGAAOFIM. QUEMMANDA,AFINAL?Un texto Heniet volorum et eosse dolendite nonet omnihil molla numquossimus con nonsequis consequ iandist, odis maio. TEXTO JOAO PIRES GUSTAVOLOYOLA “BCESTÁMAIS TRANQUILO QUEOMERCADO” + ENTREVISTA CASUARINA GRUPODESAMBA FAZLANÇAMENTO DONOVOCD + RIO SHOW DIÁRIODE UMAVIAGEM PELOFUTEBOL ARGENTINO + A MAIS 30 .09. 2011
  13. 13. Cadaplataformatienesuspropias características. Cadaunadebepreservarsustandard dereconocimiento. Encadaunasedebeofrecerlamejor experienciaenfuncióndeestas características. cases i associats
  14. 14. 2006 - THE INDEPENDENT “No news today” el diario se incorpora a RED, una marca creada por Bono Vox para apoyar el Global Fund to Fight Aids cases i associats
  15. 15. 2010 - THE INDEPENDENT “A gadget to die for?” El día en que el iPad llega a las tiendas del Reino Unido, el diario denuncia las condiciones de trabajo en las fábricas asiáticas de productos electrónicos. 2012 cases i associats
  16. 16. 1996 - CORREIO BRAZILIENSE “El juego de la mentira” Para comprender el lío de Clinton con la becaria. 2000 - CORREIO BRAZILIENSE Elecciones: “Quién ha salido bien parado Y quién no” cases i associats
  17. 17. 1999 - CORREIO BRAZILIENSE Un día trágico en Río de Janeiro: un apagón, una inundación e incendio en el aeropuerto. 1998 - CORREIO BRAZILIENSE Brasil llega a las semifinales del Mundial. Pero la copa solo llegará en el 2002... cases i associats
  18. 18. 2002 - CORREIO BRAZILIENSE “blablabla” Conversaciones de paz en el Medio Oriente entre EUA, EU y Russia FUTEBOL EXEMPLAR DEASSINANTE w w w . c o r r e i o w e b . c o m . b r Preço:R$ 1,50 Número 14.207 Nesta edição:98 páginas CORREIO BRAZILIENSE QUINTA-FEIRA Brasília,Distrito Federal,11 de abril de 2002 CLASSIFICADOS:342-1000 . ASSINATURA/ATENDIMENTOAOLEITOR:342-1111 . assinante@correioweb.com.br . www.correioweb.com.br/assinaturas . GRITAGERAL:342-1166 LONDRES,1808,HIPÓLITO JOSÉ DA COSTA BRASÍLIA,1960,ASSIS CHATEAUBRIAND BLABLABLÁ TOTAL: 16.803 Imóveis 7.719 Veículos 6.070 Empregos 513 Diversos 2.501 CLASSIFICADOS Divasdepapel Mostrareúneimagensdepin-ups,mulheresdementiraquemarcaramoséculoXX COISAS DAVIDA,PÁGINA 3 PARA HOMENS COLORIDAS, BELAS E CONFORTÁVEIS, HÁ NOVIDADES NO MERCADO DE CUECAS COISAS DAVIDA,PÁGINAS 4 E 5 TEATRO CELULARI E CACÁ CARVALHO ENCENAM SAMUEL BECKETT NA MARTINS PENA PÁGINA 32 Reunidos em Madri com o secretário de Estado dos Estados Unidos, Colin Powell, representantes da União Européia, da ONU e da Rússia conseguiram conversar muito e não decidir nada. O objetivo era encontrar saídas para a guerra entre Israel e palestinos no Oriente Médio.Todos lavaram as mãos. Agora, Powell tem de ir a Jerusalém arrancar um cessar-fogo. Será difícil. Em Haifa, cidade ao norte de Israel, atentado cometido por um palestino matou nove israelenses. TEMA DO DIA, PÁGINAS 6 A 10 EQUIPES DE RESGATE RETIRAM O CORPO DE VÍTIMA DO ATENTADO EFETUADO POR UM HOMEM-BOMBA PALESTINO NUM ÔNIBUS EM HAIFA, NORTE DE ISRAEL. NOVE PASSAGEIROS MORRERAM, ALÉM DO SUICIDA, E 13 FICARAM FERIDOS C M Y K C M Y K ADMINISTRAÇÃO Privatizaçãode cemitérioeleva preçosem300% Enterrarumparenteficoumaisca- ro nos seis cemitérios do Distrito Fe- deral. Quem gastava R$ 329,83 com umsepultamentoterádedesembol- saratéR$915pelotúmulomaissim- ples. A nova tabela de preços come- çou a valer ontem e pegou de sur- presa os brasilienses. Houve muitas reclamações contra o reajuste. PÁGINA 14 ABORTOBRASILIENSES RECORREM AO PRÓ-VIDA PARA ABORTAR FETOS MALFORMADOS PÁGINAS 18 A 20 COPA DO BRASIL BRASILIENSEVENCEOFLUPOR1XO E AGORA PODE EMPATAR NO RIO PÁGINA 40 NA EUROPA RONALDO SERÁ O TITULAR, HOJE, EM JOGO DA INTER PÁGINA 39 SUCESSÃO OPFLdizestar “nolimite” comRoseana A ‘‘greve’’ do PFL esta semana, que paralisou a pauta de votações da Câmara, pode ter sido a última demonstração de solidariedade com a ex-governadora e presiden- ciável Roseana Sarney. Os pefelistas querem vê-la explicar definitiva- mente o envolvimento nos escân- dalos da Sudam. PÁGINAS 22 E 23 ECSTASYADOLESCENTE É PRESO EM CASA, NA ASA SUL, COM 50 COMPRIMIDOS DA DROGA DA MODA EM BRASÍLIA PÁGINA 16 Reprodução Gili Nechushtan /AFP   cases i associats
  19. 19. eje Page 28. En 80 ans, il s’en est passé des choses chez Ricard. 1932 - 2012. L’ A B U S D ’ A L C O O L E S T D A N G E R E U X P O U R L A S A N T É . À C O N S O M M E R A V E C M O D É R A T I O N .E C M O D É RICARDESTUNEMARQUEENREGISTRÉEDE PERNOD-RICARDS.A.–FRANCE2012 (Publicité) COMMENT DEVIENT-ON MOHAMED MERAH Au Sénégal, Sall pourrait détrôner Wade Second tour dimanche de la présidentielle. PAGE 10 Affaire Bettencourt: de Maistre écroué L’expert-comptable de l’héritière de L’Oréal a été placé en détention provisoire. PAGES 16-17 Degas, corps et femmes Le peintre a consacré une large part de son art au nu. Exposition à Orsay. PAGES 24-25 Le verdict du juge Thiel Le magistrat antiterroriste livre un bilan amer du quinquennat Sarkozy et cosigne une BD. CAHIER CENTRAL leMagPAGES 2-9 TF1.DR •1,50 EURO. PREMIÈRE ÉDITION NO9601 SAMEDI 24 ET DIMANCHE 25 MARS 2012 WWW.LIBERATION.FR IMPRIMÉ EN FRANCE / PRINTED IN FRANCE Allemagne 2,20 €, Andorre 1,50 €, Autriche 2,80 €, Belgique 1,60 €, Canada 4,50 $, Danemark 26 Kr, DOM 2,30 €, Espagne 2,20 €, Etats-Unis 5 $, Finlande 2,60 €, Grande-Bretagne 1,70 £, Grèce 2,60 €, Irlande 2,35 €, Israël 19 ILS, Italie 2,20 €, Luxembourg 1,60 €, Maroc 16 Dh, Norvège 26 Kr, Pays-Bas 2,20 €, Portugal (cont.) 2,30 €, Slovénie 2,60 €, Suède 23 Kr, Suisse 3 FS, TOM 410 CFP, Tunisie 2,20 DT, Zone CFA 1 900 CFA. cases i associats
  20. 20. cases i associats Libération comunica en carta a su lector que el viernes saldrá con una edición excepcional con 3 bloques e 3 portadas en uno solo cuaderno. Así lo exigen las noticias: - La guerra en Libia - La actualidad - El desastre nuclear en Japón
  21. 21. cases i associats Guerra en Libia: Información general: Tsunami
  22. 22. 2010 - FRANKFURTER ALLGEMEINE Francia extradita a los gitanos rumanos. El diario afirma irónicamente: “Esta medida puede perjudicar la salud de Europa” 2010-FRANKFURTER ALLGEMEINE París defiende la extradición de los gitanos y el diario sigue con la ironía: “Sin alas, mejor un casco” cases i associats
  23. 23. LASCOSASSON LOQUESON... cases i associats
  24. 24. cases i associats Méxicotambém reata relaçõescom Honduras Umclássicodecara novanoPacaembu Milionáriosmiram asuplêncianoSenado No palanque, Lula oferece asilo a iraniana condenada 17 ex-colônias africanas ainda sãodependentes Dilma diz que é preciso ‘racionalizar o Estado’ Fatiado Tesouronos recursosdo BNDES crescemaisde 500% Proporção de dinheiro federal passa de 6% em 2001 para 40% em 2009 Copa 2014: desperdício à vista ESTADOSOB CENSURAHÁ 366 DIAS.PÁG. A15 DOMINGO Tempo na capital 25˚ Máx. 17˚ Mín. Chovea partirda tarde 224 PÁGINAS * VER TABELA NA PÁG. A3 TIRAGEM: 320.236 O presidente Lula disse, em comício com Dilma Rousseff em Curitiba, que oferecerá abrigo à iraniana Sakineh Ashitiani, condenada à morte por ape- drejamentoemrazãodesupostoadulté- rio.Apósterditoquenãopoderiainter- ferir porque seria “avacalhação”, Lula declarou que, se Sakineh “está causan- do incômodo” no Irã, “nós a recebería- mos” no Brasil. Dizendo que “só Deus” podetirar a vida, Lula afirmou que ape- laria ao “amigo” Mahmoud Ahmadine- jad, presidente do Irã. NACIONAL / PÁG. A8 Há 50 anos, 17 países africanos obti- nhamsua independência das potências europeias.GovernoscomoodeSenegal e o de Benin preparam eventos polêmi- cosparacomemorar,relataocorrespon- denteemGenebra,JamilChade.Maso continente continua dependente eco- nomicamente. INTERNACIONAL / PÁG. A16 NUDEZ COMO DIVERSÃO Ementrevista aoEstado, a candida- taàPresidênciaDilmaRousseff(PT) disse que é possível conciliar gastos públicoseinvestimentos.Maselade- fende a “racionalização do Estado”, compresençamaisfortedosetorpri- vado.“OBNDESnãoprecisateresse tamanho.” NACIONAL / PÁGS. A12 e A13 Internet “Nós não vamos substituir o setor privado. Até porque não dá.” JULIO MESQUITA 1891 - 1927 RUY MESQUITA Diretor FABIO MOTTA/AE Presente nos grandes negócios fecha- dos no País nos últimos meses, o BN- DESdepende cada vez mais do Tesou- ro,informaLuAikoOtta.Aproporção de recursos dos cofres federais, que era de 6% em 2001, chegou a 40% em 2009, num total de R$ 144,3 bilhões, um salto de 566%. A fatia deverá ser ainda maior neste ano, porque foram injetadosmaisR$80bilhõesdedinhei- ropúblico.Para fortalecer o BNDES,o Tesouro emitiu títulos pelos quais pa- ga taxa de mercado, mas esse dinheiro é emprestado pelo banco pela Taxa de JurosdeLongoPrazo,bemmaisbaixa. Adiferençaconfigurasubsídio, banca- do pelos cofres federais e cujo valor é desconhecido. ECONOMIA / PÁG. B1 A moda de se exibir em câme- ras na internet vem crescen- do entre jovens brasileiros. Todas as noites é possível encontrar câmeras transmitindo ao vivo, pelo Twitter, cenas de adolescentes que, sem serem forçadas, mostram o cor- po em busca de audiência. Nem as autoridades sabem como lidar com o fenômeno. METRÓPOLE / PÁG. C1 ANDRE LESSA/AE Paulistânia Clô é 100% São Paulo IreneRavachese vêcomoacarada cidade.Pág. C8 FERNANDOHENRIQUECARDOSO Caraoucoroa? O voto decidirá entre dois modelos de sociedade. Um mais centraliza- dor e burocrático, outro mais com- petitivo e meritocrático. ESPAÇO ABERTO / PÁG. A2 INTERNACIONAL / PÁG. A18 VISÃO GLOBAL Mais uma iraniana Agora é Sakineh que nos lembra da intolerá- vel repressão, escreve Azar Nafisi. INTERNACIONAL / PÁG. A22 23h15 Escola: reserva antecipada NOTAS & INFORMAÇÕES Negócio de oportunidade Causa estranheza a Caixa ser a fonte de empréstimo de R$ 2 bi- lhões para a Petrobrás. PÁG. A3 NACIONAL / PÁG. A4 C2DOMINGO A inglesa Liz Calder conta como idealizou a Festa Literária de Paraty A mulher por trás da Flip Candidatas a financiamentos de R$ 4,8 bilhões do BNDES, as obras dos estádios para a Copa de 2014 reúnem indíciosdesuperfaturamento,desper- dício de recursos e negócios arrisca- dos para os cofres públicos, informa a repórter Marta Salomon. Até sexta- feira,oComitêOrganizadorcontabili- zava o início das obras em apenas me- tadedas12arenaspré-selecionadaspa- ra o Mundial. O palco de São Paulo segue indefinido. ESPORTES / PÁG. E8 aliás,O caso dos documentos vazados retrata a crise da inteligência dos EUA, diz o premiado repórter Tim Weiner DORA KRAMER Luiz Felipe Scolari tenta a primeira vitória na volta ao Palmeiras. Adil- sonBatistaestreianoCorinthians.O duelo dos treinadores é a atração do clássico de hoje.ESPORTES / PÁG. E1 Classificados ofertas Ana Carla Oliveira mudou Maria Clara de escola após ter se arrependido; para os pais, o processo de escolha costuma ser angustiante – são muitos os fatores a serem considerados. Os melhores colégios de SP já têm reservas para 2014. VIDA / PÁG. A24 13.696 Ronda ostensiva O PT, que mal consegue se manter na legalidade, é que se arvora em patrulheiro dos limites da liberdade de expressão. NACIONAL / PÁG. A8 MARCOSDEPAULA/AE 86 páginas %HermesFileInfo:A-1:20100801: 1 DE AGOSTO DE 2010 R$ 4,00* ANO 131. Nº 42656 EDIÇÃO DE estadão.com.br 7 8 9 10 11 12 AMIR KHAIRMARIA RITA KEHL ESTADOSOB CENSURAHÁ 372DIAS.PÁG. A16 Tempo na capital 22˚ Máx. 8˚Mín. Sole diminuição denuvens 120 PÁGINAS (26 DE CLASSIFICADOS) * VER TABELA NA PÁGINA A3 MudaperfilimobiliáriodeSP ‘CarreiradeKakácorreurisco’ Justiça tributária O Brasilprecisa reduzirasdisparida- destributárias. Quem ganhaaté dois saláriosmínimos paga 49%em tribu- tose,acimade30 salários,26%. ECONOMIA / PÁG. B2 8% Chávez envia representante à posse na Colômbia YOANI SÁNCHEZ Ibopemantém diferençade 5pontosa favordeDilma Petista aparece com 39% das intenções de voto, contra 34% do tucano, que lidera no Sul do País Educação sentimental Mais que qualquer escritor, a geração de meninos compositores dos festi- vais de MPB fez a educação sentimen- tal de quem tem hoje mais de 50. C2+MÚSICA / PÁG. D16 SÁBADO Só resta a sombra do líder O regresso de Fidel Castro, em vez de despertar o temor que faz tremer até os bravos, desperta, quando muito, terna compaixão. INTERNACIONAL / PÁG. A20 Festa por Adoniran Com ajuda de alimentos, persiste a inflação zero JULIO MESQUITA 1891 - 1927 RUY MESQUITA Diretor Salário médio inicial sobe 27% em sete anos G O governo da Venezuela aumentou a compra de alimentos brasileiros para conter o desabastecimento no país, a pouco mais de um mês da eleição. Só a venda de açúcar subiu 700% no primeiro semestre ante igual período de 2009. Nos mercados subsidiados pelo gover- no, costuma faltar todo tipo de produto básico. INTERNACIONAL / PÁG. A18 ‘Síndromedafaltade celular’jáafetausuários Durante a pane, Gol priorizou voos fretados O presidente eleito da Colômbia, Juan Manuel Santos, toma posse hoje, mas, antesmesmodeassumirocomandodo país, já havia começado a negociar a re- composição das relações diplomáticas comaVenezuelaeoEquador,informaa enviada especial Tânia Monteiro. Via portador especial, ele encaminhou car- taaHugoChávezeRafaelCorreaconvi- dando-os para a cerimônia de posse. O governo venezuelano informou ontem queochancelerchavistaNicolasMadu- ro vai à festa da posse, em Bogotá. Para Santos,oacenosignificaqueaVenezue- la quer negociar o reatamento com o novo governo. INTERNACIONAL / PÁG. A19 Sabático O enigma da poesia FerreiraGullar eseu novolivro,Em AlgumaParteAlguma Concebida para surpreender, apresentação de bailarinos simula o ‘Trem das Onze’ para celebrar Adoniran Barbosa, na Estação da Luz. METRÓPOLE / PÁG. C7 WERTHER SANTANA/AE ECONOMIA / PÁG. B4 é a intenção de voto na candidata do PV, Marina Silva ECONOMIA / PÁGS. B1 e B3 Emcrise,Venezuela compramais alimentosbrasileiros 0h15 NOTAS & INFORMAÇÕES A desmoralização do Enem O vazamento de dados de candida- tos confirma que pouca coisa fun- ciona bem na educação.PÁG. A3 Estadinho Vilões em ação Eles dominam a cena em Meu Malvado Favorito EsportesEsportes VIDA / PÁG. A26 METRÓPOLE / PÁG. C6 De molho.De molho. Kaká deixaKaká deixa hospital nahospital na Bélgica ondeBélgica onde teve o joelhoteve o joelho operadooperado C2+música Popular e erudito Francis Hime, Fábio Zanon e Nelson Ayres falam sobre concerto Robert Crumb na Flip. PÁG. S5 JULIEN WARNAND/EFE PesquisadoIbopefeitaparaoEstado e a TV Globo, encerrada horas antes doprimeirodebateentreospresiden- ciáveis, aponta Dilma Rousseff (PT) com 39% das intenções de voto, cinco pontosporcentuaisàfrentedotucano José Serra (34%) – a margem de erro é de dois pontos, para cima ou para bai- xo.Oresultadoéomesmodapesquisa doIboperealizadaumasemanaantes. Marina Silva (PV) é a preferida de 8%. A rejeição ao tucano atinge 24%, con- tra 19% de Dilma. Ela lidera por 38% a 28% entre eleitores com renda fami- liardeatéumsaláriomínimo.Nafaixa decincosaláriosoumais,apetistaapa- rece com 40%, e Serra, com 36%. O tucanovaimelhornoSuldoPaís,onde liderapor42%a34%.OIbopetambém mediu a expectativa de vitória – para 47%, a petista será eleita, e 32% apos- tam em Serra. NACIONAL / PÁG. A4 Afaltadeterrenoseosentraveslegais estãomudandooperfilimobiliárioem São Paulo. Pela primeira vez, a Região Metropolitana (as cidades do ABCD, alémdeOsascoeGuarulhos)estácon- centrandomaislançamentosdoquea capital. No caso dessas cidades, 30% dos compradores são paulistanos que resolvem migrar. Os imóveis chegam acustaraté30%menosquenacapital. Para urbanistas, a tendência piora os deslocamentos. METRÓPOLE / PÁG. C1 Kakáquaseencerrouacarreiraporter atuado com lesão na Copa do Mundo, disse um dos médicos que participa- ramdacirurgia nojoelhoesquerdodo jogador, na Bélgica. O médico da sele- ção, José Luiz Runco, negou o risco e afirmouqueocolegaquis“tirarprovei- to” de ter operado Kaká. PÁGS. E1 e E2 Ricardo Gomes. O técnico não teve ocontratorenovadocomoSãoPaulo. O clube procura substituto.PÁG. E3 %HermesFileInfo:A-1:20100807: 7 DE AGOSTO DE 2010 R$ 2,50* ANO 131. Nº 42662 EDIÇÃO DE estadão.com.br 7 8 9 10 11 12 ESTADOSOB CENSURAHÁ 229 DIAS.PÁG. A10 Planeta Carvão vegetal até 2013 0h Lula recua e muda plano de direitos humanos IsraelrejeitapressãodosEUA, Hillaryprotestaecrisepiora Palestinos realizam ‘dia de fúria’ em Jerusalém, enquanto Lula, na Cisjordânia, vê disposição para diálogo Fora do cargo, Dilma poderá ir a inaugurações TRE cassa Arruda por infidelidade Aéreas podem ter até 49% de capital externo CELSO MING PAULO VANNUCHI MINISTRO DE DIREITOS HUMANOS “Só publicaremos novamente o programa após construir largos consensos” JULIO MESQUITA 1891 - 1927 RUY MESQUITA Diretor Tempo na capital 26˚ Máx. 17˚ Mín. Solemuitas nuvensem SãoPaulo HOJE: 78 PÁGINAS * VER TABELA NA PÁGINA A3 DANIEL PIZA ROBERTO DAMATTA A crise nas relações entre EUA e Israel ampliou-se ontem, empanando a visita do presidente Lula ao Oriente Médio, relataocorrespondenteemNovaYork, Gustavo Chacra. O governo america- nocancelouaviagemdeseuenviadoes- pecial à região por causa da decisão is- raelense de manter a construção de ca- sas em Jerusalém Oriental. A região é reivindicadapelospalestinos,quereali- zaram protesto violento na cidade e fo- ram reprimidos. A Casa Branca exigiu queIsraelrecuasse,easecretáriadeEs- tado, Hillary Clinton, cobrou prova de queopaísquerapaz.Opremiêisraelen- se, Binyamin Netanyahu, porém, insis- tiu na construção e negou estar torpe- deando o diálogo com os palestinos. Diante do mal-estar, Hillary reafirmou “o absoluto compromisso com a segu- rança de Israel”, e Netanyahu se disse “comprometido com a paz”. Enquanto isso, Lula encontrou-se com o governo palestino – que, na avaliação do Itama- raty, ainda confia no diálogo, informa a enviadaespecialDeniseChrispimMa- rin. INTERNACIONAL / PÁGS. A12 a A14 Caderno2 A hora de Warhol Mostra na Estação Pinacoteca reunirá 170 obras do artista O presidente Lula mandou alterar vá- rios pontos do decreto que instituiu o terceiroProgramaNacionaldeDireitos Humanos,objetodecríticasgeneraliza- das.Serãomodificadosoartigoquelega- lizaoaborto,oquevetasímbolosreligio- sos em locais públicos e o que prevê a necessidade de ouvir invasores de ter- ras no cumprimento de decisões judi- ciais sobre conflitos agrários. O minis- tro Paulo Vannuchi (Direitos Huma- nos)dissequeéumanovafasedediálo- go sobre o programa. NACIONAL / PÁG. A7 Cinismo e indignação No Brasil, ser puro é perigoso e a canalhice não produz vergonha, mas indignação! CADERNO2 / PÁG. D14 Manipulação do câmbio Pela primeira vez, EUA usam o argu- mento de que a China faz jogo sujo no comércio com política cambial. A ofensiva tem viés protecionista. ECONOMIA / PÁG. B2 A Advocacia-Geral da União avalia que, mesmoforadogovernoapartirdeabril, apresidenciáveldoPT,DilmaRousseff, poderáiraeventosoficiaiscomopresi- dente Lula até julho. Medida é legal, di- zemministrosdoTSE.NACIONAL/PÁG.A4 Esportes O desafio de Assunção Na Libertadores, Corinthians encara o Cerro Porteño, no Paraguai, às 21h50 Apagões emSP dão multade R$ 3,2 milhões G Justificativa O rito da provocação É assim que se fazem e assim que se devolvem provocações: na bola, no correr do jogo e, com humor, nas comemorações. ESPORTES / PÁG. E2 DAN BALILTY/AP NOTAS & INFORMAÇÕES Por que retaliar os EUA O Brasil não podia esperar indefini- damente demonstração de boa vontade de Washington. PÁGINA A3 G Brasil silencia sobre Cuba O Brasil não criticou a situação dos direitos humanos em Cuba e no Irã nas sessões da ONU sobre esses casos nos últimos dias, relata o cor- respondente em Genebra, Jamil Chade. INTERNACIONAL / PÁG. A14 Sistema do Enem tem mais uma falha VIDA / PÁG. A19 METRÓPOLE / PÁG. C7 Tiger Woods diz que volta ao golfe em abril SERGIO CASTRO/AE Confronto. Policiais israelenses imobilizam manifestante palestino: no dia mais violento em meses, conflitos deixaram mais de 100 feridos Agrícola Pimentas. Fazenda em Salto cultiva da dedo-de-moça à mais ardida do mundo Perigo. Trecho urbano da Dutra em Guarulhos está entre os 15 mais críticos. METRÓPOLE / PÁG. C1 Proposta enviada pelo governo ao Congresso amplia de 20% para 49% o limite de capital estrangeiro nas companhiasaéreasbrasileiras.Otex- to facilita a autorização e a cassação de licenças. ECONOMIA / PÁG. B1 ESPORTES / PÁG. E4 OTribunalRegionalEleitoraldoDistri- to Federal cassou ontem o mandato do governador José Roberto Arruda – que sedesfilioudoDEMemdezembro–por infidelidadepartidária.OTREnãoindi- cou quem deve assumir, já que o vice renunciou.AdefesadeArruda,queestá preso,avaliarecorreraoTribunalSupe- rior Eleitoral. NACIONAL / PÁG. A8 O ministro Carlos Minc (Meio Ambiente) quer prazo até 2013 para que siderúrgicas deixem de usar carvão vegetal de áreas nativas do Cerrado. Segundo ele,odesmate“estábeirandoo descontrole”. VIDA / PÁG. A20 %HermesFileInfo:A-1:20100317: Quarta-feira 17 DE MARÇO DE 2010 R$ 2,50* ANO 131. Nº 42519 EDIÇÃO DE estadão.com.br 7 8 9 10 11 12
  25. 25. cases i associats “Os relatórios financeiros de fornecedores... ... ou contas a pagar não possibi- litam o confronto dos saldos contábeis com os controles au- xiliares destas contas. Em virtu- de da impossibilidade deste con- fronto, não foi possível concluir sobre a adequação dos saldos registrados nestas rubricas em 31 de dezembro de 2006.” “... O registro da movimenta- ção dos ingressos vem sendo realizado de forma sintética e não analítica (por contrato), o que impossibilita a constatação da adequação dos saldos regis- trados nestas rubricas em 31 de dezembro de 2006.” “... A cooperativa realizou operações comerciais com ter- ceiros. Entretanto, a atividade desenvolvida para estes tercei- ros não está abrangida no obje- to social previsto no estatuto da cooperativa.” Nacional TRECHOS G Procurado pela reportagem do Estado, o ex-ministro da Casa Ci- vil José Dirceu delegou a tarefa de responder às acusações do corretor de valores Lúcio Funaro a seu advogado, José Luís de Oliveira Lima. “(Funaro) É uma pessoa com a qual o ministro jamais teve qual- quer contato pessoal, telefônico ou por terceiros e essas afirma- ções são levianas, desprovidas de qualquer documento”, decla- rou o advogado. “Esse senhor não merece credibilidade.” Em nota, o Grupo Almeida Jú- nior afirmou que, por ser sócio majoritário do Shopping Neuma- rkt, tinha preferência na compra quando o Portus decidiu, em 2004, vender sua participação no empreendimento. O fundo de pen- são dos servidores do setor por- tuário fundo detinha 20% das fra- ções ideais do shopping. “Os valores da oferta foram objeto de avaliação independente promovida pela própria Portus e os empreendedores exerceram seu legítimo direito de preferên- cia”, informa o texto da nota divul- gada ontem. Por intermédio de sua assesso- ria de imprensa, a corretora ASM Asset Management limitou-se a declarar que as afirmações de Funaro são irresponsáveis e le- vianas. A assessoria da Direção Nacio- nal do PT avisou que o tesoureiro do partido, João Vaccari Neto, não vai se pronunciar sobre as denúncias envolvendo fundos de pensão. O advogado do tesoureiro, Luiz Flávio D’Urso, não respondeu aos telefonemas feitos pela re- portagem. / R.R. Oposição articula CPI para tentar desgastar tesoureiro do PT Fausto Macedo Auditoria independente aponta “fragilidadenoscontroles inter- nos” , “retenções técnicas sem identificação de documentos”, “prática administrativa que im- possibilitaanálisedoINSSelibe- raçãodeescrituras”,“tributosfe- derais sujeitos a questionamen- tos” e outros problemas nas de- monstrações contábeis da Coo- perativaHabitacionaldosBancá- rios (Bancoop), alvo de investi- gação da promotoria criminal. Aperícia,contratadapelapró- pria Bancoop em cumprimento aacordocomoMinistérioPúbli- co,abrangeuobalanço patrimo- nial da cooperativa, relatórios desobras e perdas, mutações do patrimônio líquido e fluxos de caixa referentes aos exercícios de 2005, 2006, 2007 e 2008. Para o advogado Valter Pica- zio Jr., que defende 18 entidades decooperadossupostamentele- sados por fraudes, a auditoria “é umaconfissãodapráticadeocor- rênciasgravesdegestão,temeri- dades administrativas”. “Ascontasrelativasatodoses- ses exercícios foram aprova- das”, rechaça Pedro Dallari, ad- vogadodaBancoop.“Namedida em que uma empresa de audito- ria examina o balanço e dá a sua aprovação é porque não consta- tou irregularidades, mesmo que possa fazer alguma recomenda- ção ou ressalva”. Ostécnicosconsideraramare- levânciadossaldos,ovolumede transaçõeseosistemacontábile de controles internos. Avalia- ram práticas e estimativas mais representativas adotadas pela administração da Bancoop. “Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre es- tas demonstrações contábeis”, assinala a Terco Grant Thorn- ton, que cuidou da auditoria. A análise das operações de 2008 destaca que “a realização dos valores a receber é incerta e dependerá do sucesso do desfe- cho das negociações e ações de cobrança em andamento”. O documento informa que a cooperativa realizou operações comerciaiscomterceirosenvol- vendo a prestação de serviços de construção civil – é citada a Empresa Municipal de Urbani- zação (Emurb). “Entretanto, a atividade desenvolvida para es- testerceiros não está abrangida no objeto social previsto no es- tatutodacooperativa,emvirtu- de da possibilidade da ocorrên- cia de perdas ou por eventuais impostosincidentes”,dizorela- tório. ValterPicazioJr.avaliaaaudi- toria como “documento incon- troverso, que aponta inúmeras ilegalidades”. “Se há irregularidades na ges- tão a empresa de auditoria não emite parecer favorável”, retru- ca Pedro Dallari, da Bancoop. “Uma auditoria aprova ou rejei- taascontas.Todososexercícios da Bancoop foram aprovados. As contas, desde 2005, foram aprovadasduasvezesacadaano, pela empresa de auditoria e, de- pois, pela assembleia geral dos cooperados.” Dallariressaltaa“absolutatrans- parência”dacúpuladaBancoop. “Os relatórios de auditoria são encadernados e encaminhados aos cooperados. São informa- çõespúblicas.Ofatodeoscoope- rados terem acesso a esses da- dosdeauditoriaepoderemfazer críticasmostraa lisurae atrans- parência da cooperativa.” Perícia vê ‘problemas contábeis’ na Bancoop PEDRO DALLARI: “As contas relativas a todos esses exercícios foram aprovadas” ADVOGADO DA BANCOOP Cronologia. Entenda a prisão de José Roberto Arruda Advogadode Dirceuvê acusaçãoleviana estadão.com.br/e/a4 Rodrigo Rangel / BRASÍLIA Em depoimentos prestados ao Ministério Público Federal em2005, ocorretor de valores Lúcio Bolonha Funaro acusou odeputadocassadoeex-minis- tro da Casa Civil José Dirceu de ter se beneficiado pessoal- mente em negócios fechados porfundosdepensãosobcon- trole do PT. Funaro afirma que, em duas operações do Portus – fundo de pensão dos servidores do setor portuário–,DirceueoPTteriam recebido, “por fora”, comissões deR$5,5milhões,valorsuperior ao divulgado na época. Nos depoimentos, Funaro aponta o atual tesoureiro do PT, JoãoVaccariNeto,comorespon- sável por gerenciar os negócios dos fundos de pensão ligados ao partido.Vaccariéalvodeumpe- dido de quebra de sigilo bancá- rio,feitopelopromotorJoséCar- losBlat,por suspeitadeenvolvi- mentoemumsupostodesviode recursosdaCooperativaHabita- cional dos Bancários (Bancoop) para o PT. Investigado por participação noescândalodomensalão,Funa- ro mantém há quatro anos acor- do de delação premiada com o Ministério Público Federal. Nos depoimentos, aos quais o Esta- do teve acesso, ele detalha as operações que teriam beneficia- doDirceueoPTecausadoprejuí- zosmilionáriosafundosdepen- são como o Portus e o Petros, dos funcionários da Petrobrás. Os personagens citados pelo corretorsãoosmesmosquepro- tagonizaram o escândalo do mensalão. Em novembro de 2005, Funaro se refere a Vaccari como homem de confiança de DirceueDelúbioSoares,otesou- reiro do mensalão. Shopping. Um dos negócios a queocorretorserefereéavenda deaçõesdeumshoppingnacida- decatarinensedeBlumenau.Fu- naroafirmaqueoPortusvendeu sua participação no Shopping Neumarkt justamente no mo- mentoemqueoativoestavame- lhorando sua rentabilidade e que o negócio foi fechado “com ointuitodereceberrecursospa- ra o ministro José Dirceu”. DeacordocomFunaro,atran- sação foi fechada com uma offshore (empresa sediada em paraíso fiscal) de propriedade do sócio majoritário do shop- ping. O Neumarkt pertence ao Grupo Almeida Júnior, dono de quatroshoppingsemSantaCata- rina.“Paracomprovarapéssima operaçãodofundobastaverque o comprador, após dar uma ínfi- ma entrada, pagaria o restante do saldo devedor apenas com os dividendosdascotascompradas da Fundação Portus”, declarou Funaro. A transação se deu em 2004, um ano antes de estourar o escândalo do mensalão petis- ta. O grupo Almeida Júnior con- firmaonegócio,masnegaterda- do propina a Dirceu e ao PT. Pedágio. Para adquirir as ações doPortusemcondiçõesfacilita- das, prosseguiu Funaro, o pedá- gioeradeR$500mil.Odinheiro deveria ser entregue a represen- tantes deDirceue do PT – o cor- retorafirmaqueadireçãodofun- do, na ocasião, já estava a cargo deindicadosdoex-ministro.Diz queelepróprioseinteressoupe- lo negócio, “financeiramente muitoatraente”,masdesistiuao saber que era preciso pagar a su- posta propina, que nos depoi- mentosele chama de “porfora”. Na mesma época, em 2004, diz o corretor, o Portus vendeu uma participação em outro em- preendimento imobiliário, des- sa vez em Joinville (SC). Nesse negócio, o “por fora” teria sido de R$ 5 milhões. Ao se referir a outras transa- çõesqueteriamporobjetivofavo- receroPT,elesugeriuaosprocu- radores “intensa investigação” sobreacorretoraASMAssetMa- nagement, com sede no Rio. Ele lança suspeitas, em especial, so- breumfundodedireitoscreditó- riossubscrito“emquasesuatota- lidade” pelos fundos de pensão ligados ao partido. Corretor acusa Dirceu e PT de ganhar ‘por fora’ R$ 5,5 mi de fundo de pensão G Protesto Pelo menos um terço dos cooperados afirma que não recebeu o imóvel e menos da metade dos empreendimentos foi concluída G Defesa Trabalho, contratado pela própria cooperativa, aponta “fragilidade nos controles internos” e várias outras falhas estadão.com.br JF DIORIO/AE–23/2/2010 Clarissa Oliveira Diantedasériededenúnciasque envolvem o novo tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, a oposi- ção já começa a propor que seja aberta uma investigação sobre o petista e a Cooperativa Habita- cional dos Bancários (Bancoop) no Congresso Nacional. Parlamentares admitem que as chances de instalar uma Co- missão Parlamentar de Inquéri- to (CPI) são mínimas em ano eleitoral. Ainda assim, insistem no discurso de que uma apura- çãosefaznecessária.“Essasacu- sações se arrastam desde 2006. Se não conseguimos avanços poroutrasvias,ocaminhocorre- toéainvestigaçãocongressual”, diz o líder do DEM no Senado, José Agripino Maia (RN). Na Assembleia Legislativa paulista, os partidos estão na fa- sedeescolhadosnomesqueirão compor a CPI da Bancoop. O mais provável é que a comissão sejapresididapelodeputadoSa- muel Moreira (PSDB), seguindo a tradição da Casa de entregar o posto ao autor do requerimento de criação da comissão. Moreira apresentou o pedido de abertura da CPI da Bancoop em 2008. Mas a instalação só foi autorizadapelopresidentedaAs- sembleia, deputado Barros Mu- nhoz (PSDB), no último dia 9. A contar da data de publicação do ato no Diário Oficial, ocorrida nodia10,ospartidostêmumpra- zo de quinze dias para definir a listadeintegrantesdacomissão. Dirceu. Acusado de ter se beneficiado em negócios do PT INFOGRÁFICO/AEFONTE: ENTIDADES DE COOPERADOS DA BANCOOP O TAMANHO DO ROMBO l Caso Bancoop também é alvo de inquérito civil da Promotoria do Patrimônio Público e Social 3.000 não receberam o imóvel 5.600 receberam, mas estão com dificuldades (imóveis inacabados e problemas de documentação) 46 8.600 EMPREENDIMENTOS COOPERADOS 5 inacabados e transferidos para outras construtoras 9 inacabados 13 descontinuados (houve lançamento, mas as obras não foram iniciadas) 18 empreendimentos concluídos 1 em obra R$ 100miDESVIADOS Na mira. Em depoimentos ao Ministério Público Federal, Lúcio Bolonha Funaro aponta personagens do escândalo do mensalão e afirma que tesoureiro petista, João Vaccari Neto, seria responsável por gerenciar negócios do partido ligados ao setor %HermesFileInfo:A-4:20100316: A4 TERÇA-FEIRA, 16 DE MARÇO DE 2010 O ESTADO DE S. PAULO 1.O que governo vai fazer? Vai bloquear R$ 21,8 bilhões do Orça- mento para garantir o cumprimento da meta de superávit primário 2.Por que será feito o bloqueio? O bloqueio das ver- bas orçamentárias será feito porque a receita líquida ficará R$ 17,77 bilhões abaixo do previsto, em R$ 712,8 bilhões 3.De onde vem a pressão? Com o reajuste dos benefícios acima do salário mínimo, o déficit da Previdência chegará a R$ 47 bilhões – R$ 3,968 bilhões aci- ma do estimado. 4.Quanto será o gasto com pessoal? Os gastos com pessoal serão de R$ 167,57 bilhões, menos que os R$ 168,97 bilhões calcula- dos inicialmente Adriana Fernandes Renata Verissimo / BRASÍLIA Depois de enfrentar sucessivas quedas de receitas ao longo de 2009, a Receita Federal conse- guiuobternoprimeirobimestre recorde histórico na arrecada- çãodeimpostos e contribuições federais,consolidandooproces- soderecuperaçãoiniciadonofi- nal do ano passado. Pelaprimei- ravez,depoisdacrisefinanceira, a arrecadação acumulada em 12 meses voltou a registrar cresci- mentoainda pequeno,de0,21%, mas suficiente para o governo projetar um ganho de receita de 12%,acimadainflação,esteano. Nos dois primeiros meses de 2010, entraram R$ 126,56 bi- lhões para os cofres do Fisco. O resultadomostraumcrescimen- to real (acima da inflação medi- dapeloIPCA)de13,46%emrela- ção ao primeiro bimestre de 2009, considerado o período mais crítico de impacto da crise financeira internacional na eco- nomia brasileira. No ano passa- do, o país estava em recessão no primeiro trimestre. Em fevereiro, de acordo com dadosdivulgadosontempelaRe- ceita, a arrecadação foi recorde para o mês e somou R$ 53,54 bi- lhões,comaltade13,23%. Emja- neiro,aarrecadaçãotambémfoi, mas ainda não revertia a queda acumulada nos últimos 12 me- ses.Atéjaneiro,asreceitasadmi- nistradas pela Receita acumula- vamumaquedade0,62%,rever- tendo em fevereiro para um ga- nhode0,21%.OsecretáriodaRe- ceita Federal, Otacílio Cartaxo, garantequeoprimeirobimestre marca o início da recuperação plena da arrecadação. “O resultado do bimestre ze- rou as perdas acumuladas no ano passado, que foram seve- ras”, comentou. As receitas do governocomtributosfoiumdos últimos indicadores econômi- cos a reagir à saída da crise. Além da recuperação da ativi- dadeeconômicaeoiníciododes- montedasreduçõesdoIPI,con- cedidasduranteacrise,aarreca- dação do bimestre foi reforçada pelo pagamento antecipado de ImpostodeRendadaPessoaJurí- dica(IRPJ)edaContribuiçãoSo- cial sobre o Lucro Líquido (CSLL). Receita Federal já arrecada mais do que antes da crise Economia Hidrelétrica polêmica Usina de Belo Monte vai a leilão no dia 20 de abril PARAENTENDER Decisão de conselho da Anatel Aprovado projeto de Emília Ribeiro, que determina desbloqueio de celular gratuito Governo bloqueia R$ 21,8 bilhões do Orçamento no maior corte da era Lula Objetivo da medida, segundo o Ministério do Planejamento, é garantir o cumprimento da meta de superávit primário de 3,3% do PIB INDICADORES VAR. (%) COTAÇÃO DÓLAR 1 1,19 R$ 1,7860 EURO 1 0,25 R$ 2,4320 BOVESPA 1 0,04 69.697,33 pontos Pág.B4 Pág.B16 estadão.com.br Primeiro bimestre tem recorde histórico na arrecadação: alta de 13,5%; no acumulado de 12 meses, alta é de 0,21% Pág. B13 Edna Simão / BRASÍLIA Nomesmodiaemquea Recei- ta informou que a arrecada- çãobateurecordenoprimeiro bimestre,oministrodoPlane- jamento, Paulo Bernardo, anunciou que serão bloquea- dos R$ 21,805 bilhões do orça- mentodesteano.Oajusteéne- cessário para adequar as des- pesas com a previsão de arre- cadação de impostos prevista naLeideDiretrizesOrçamen- tárias (LDO), que está muito acima das novas projeções de receita feitas pelo governo. O bloqueio de recursos – o maior feito no governo Lula, se- gundoBernardo–temcomoob- jetivo mostrar compromisso, mesmo em um ano eleitoral, com o cumprimento da meta de superávitprimárioequivalentea 3,3%doPIBnesteano.Ouseja,é uma medida de cautela, disse. “Temosquecumprirumsupe- rávitprimárioeestamosajustan- do as despesas para chegar ao equilíbrio de que precisamos”, explicou. Para o ministro, essa projeção mais “dura” e “conser- vadora” minimiza erros e possi- bilita a liberação de orçamento nodecorrerdoano,seasituação se modificar. O governo já anunciou que cumpriráameta fiscaldeste ano semrecorreraosartifícioscontá- beis que utilizou no ano passa- do,comooabatimentodegastos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O minis- tro, no entanto, não descarta a possibilidade de abater até R$ 33,538 bilhões do cálculo para cumprimento da meta. Se isso acontecer, o superávit primário pode chegar a 2,33% do PIB que, mesmo assim, o compromisso será dado por cumprido. O economista da consultoria Tendências Felipe Salto avalia que a dedução de investimentos dametadosuperávitprimáriose- ráessencialparaocumprimento da meta fiscal, porque o ajuste noOrçamentoestáconcentrado em redução da estimativa de ar- recadação–enãoemcortesefeti- vos de gastos. “O governo deu umaboasinalização,masnãose- rá suficiente para cumprir a me- tasemabatimento”,disseSalto. Somentea previsãodearreca- dação menor do que a prevista na Leio Orçamentária responde por 81,5% dos R$ 21,805 bilhões que estão sendo bloqueados. Na LDO, aprovada no final do ano passado, a previsão era que a re- ceita líquida fechasse 2010 em R$730bilhões. Esse número,no entanto,foirevisadoontempara R$ 712,8 bilhões. OutrosR$3,968bilhõesforam bloqueados devido à perspecti- va de um déficit maior da Previ- dência Social, que deve atingir R$ 47 bilhões. SegundoPauloBernardo,odé- ficit será maior que o previsto por causa do reajuste dado este ano para as aposentadorias com valor acima de um mínimo. Bernardofezquestãodedesta- car que não haverá bloqueio nos investimentosdoPAC,naeduca- ção e saúde. As áreas que serão afetadas só serão conhecidas no final do mês. Mas assim como aconteceu em anos anteriores, as emendas dos parlamentares, que neste ano somam R$ 15,894 bilhões, deverão sofrer mais com a limitação do governo. Uma boa notícia é que as des- pesasprevistascompessoaltive- ram uma ligeiraqueda. Na LDO, a previsão era de R$ 168,976 bi- lhões. Agora, esse número re- cuou para R$ 167,570 bilhões. SERGIODUTTI/AE–16/6/2008 RICARDO MORAES / REUTERS *Receitas administradas pela Receita Federal do Brasil EM RECUPERAÇÃO Arrecadação acumulada* INFOGRÁFICO/AE VARIAÇÃO ANTE 12 MESES ANTERIORES 2009 MAR 2010 JAN 0,21% FEV Desempenho dos principais tributos – fevereiro de 2010 Cofins/ Pis-Pasep Receita previdenciária Cide-Combustíveis IR na fonte- Rendimentos do Trabalho IOF IPI (exceto vinculado à importação) Imposto de Importação / IPI IR pessoa física IRFonte-rendimentosderesidentesnoexterior IR Fonte – outros rendimentos IR fonte – rendimentos de capital IRPJ / CSLL Outras receitas administradas 12.718 16.829 680 4.183 1.897 1.832 2.093 612 489 424 1.113 7.816 1.367 IMPOSTOS EM MILHÕES DE REAIS VARIAÇÃO REAL EM % 25,39 11.17 1.748,85 13,86 23,75 18,77 8,01 17,97 - 6,47 -12,92 -20,49 -12,65 -124,46 FONTE: RECEITA FEDERAL -7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 & NEGÓCIOS Cofres fechados. ‘Temos de cumprir um superávit primário’, disse Paulo Bernardo %HermesFileInfo:B-1:20100319: B1 SEXTA-FEIRA, 19 DE MARÇO DE 2010 O ESTADO DE S. PAULO 7 8 9 10 11 12 FELINOSSILVESTRESBRASILEIROS 20 onçasapareceram em áreas urbanas de SP e MG nos últimos dois anos 200 animaissilvestres vivem na Associação Mata Ciliar, em Jundiaí, especializada em reintegrá-los à natureza. Desses, 64 são felinos 3 câmerasmonitoram as onças Anhanguera e Goiabeira, 24 horas por dia. Biólogos estudam o seu comportamento 4 filhotesé quanto uma onça-parda fê- mea pode gerar a cada gestação. Eles ficam com a mãe até completarem 2 anos 350 km²é a extensão da Área de Proteção Permanente Jundiaí- Cabreúva, um dos últimos re- manescentes de Mata Atlânti- ca na região 14milhõesde metros quadrados de área rural em Cabreúva se transformaram em áreas urbanas CONSERVAÇÃO Ursos são transferidos para o sul do Brasil Os ursos-de-óculos (Tremarctos ornatus) Sara e Ney, do Parque Ecológico de São Carlos, a 230 quilômetros da capital, estão de mudança. Os dois, nascidos em julho de 2009, vão para o zoo de Porto Alegre. “Sara até tem um futuro marido à sua espera”, disse Fernando Magnani, biólo- go do parque. A transferência é necessária para a preservação da espécie. CLIMA Ilhas Maldivas podem estar em crescimento As Maldivas, que se torna- ram símbolo do perigo do aquecimento global, com a ameaça de desaparecimento, podem estar aumentando de tamanho. Paul Kench, geólo- go da Universidade de Aukland, na Nova Zelândia, estuda o arquipélago. “Elas são como um organismo vi- vo, mudando constantemen- te”, disse Kench à revista ale- mã Der Spiegel. / ANDREA VIALLI 1. O que é o projeto Água na Jarra? É uma iniciativa para incentivar a substitui- ção da água engarrafada pe- la água tratada pela conces- sionária pública e filtrada, servida em recipientes reuti- lizáveis. O foco é promover essa troca em restaurantes, eventos, empresas e tam- bém estimular as pessoas a adotarem esse hábito no seu dia a dia. 2. Quais são os proble- mas relacionados ao consumo de água engarrafada? Os problemas estão relaciona- dos à forma como essa água chega até o consumidor. Para produzir a garrafa são gerados impactos ambientais relevan- tes, além dos efeitos indiretos gerados pelo transporte da água engarrafada e pelo descar- te da embalagem. Mesmo que essa garrafa seja reciclada, o impacto ainda é grande. 3. Os restaurantes estão aderindo à causa? Alguns restaurantes aderiram e outros estão em processo de adesão. A aceitação dos clientes à água servida na jarra é surpreenden- te. Procuramos estabelecimen- tos e chefs sensíveis à causa ambiental. No site aguanajarra. com.br damos visibilidade a esses estabelecimentos, no nos- so guia de restaurantes. economista e criadora da iniciativa “Água na Jarra” Atitude correta é isolar área e acionar resgate PLANETA Letycia Janot, G Panorama Condomínioavançaemhábitatdeonça Rápida expansão de cidades do interior de São Paulo leva ao crescimento do número de aparições de felinos e lobos em áreas urbanas G Onça-parda Puma concolor, também conhecida como suçua- rana (acima). Pode pesar 75 kg, vive nas Américas e está ameaçada de extinção por causa da perda do seu hábitat. G Gato- mourisco Herpailurus yagoua- roundi. Por causa de seu pequeno porte (mede até 70 cm) o felino (esq.) é muito con- fundido com o gato doméstico. G Gato-palheiro Leopardus colocolo. Também conheci- do como gato-dos-pampas, é pequeno (até 6 kg) e tem hábitos noturnos. É o menos estudado dos felinos silvestres que vivem no Brasil. Sua pelagem é cinzenta, com as patas escuras. G Jaguatirica Leopardus pardalis. Felino (à direita) de médio porte, chega a pesar até 16 kg. Animal soli- tário e de hábitos noturnos, a jaguatirica aparece em to- dos os biomas do Brasil. O que fazer ao se deparar com umaonçanoquintaldecasa?Es- pecialistas ouvidos pelo Estado afirmam que a melhor maneira deagirémanteracalmaedeixar o caminho livre para que o ani- mal tente voltar para o lugar de onde veio. Em seguida, acione a ajudadaPolíciaMilitarAmbien- tal, do Corpo de Bombeiros ou do zoológico mais próximo. “A atitude mais correta é iso- laraáreaondeaonçaestáepedir oresgate.Apiorcoisaasefazeré atrair vizinhos e curiosos para perto, pois isso faz com que o animal se sinta acuado”, diz Ro- gério Cunha De Paula, do Cen- tro Nacional de Conservação e PesquisadeMamíferosCarnívo- ros(Cenap).Eleexplicaqueaon- ça-parda, a mais avistada em áreas urbanas, dificilmente ata- cao serhumano. “Ela temmedo do homem. Seu instinto será sempre o de fuga.” Deacordocom o biólogoFeli- peFeliciani, daAssociaçãoMata Ciliar, as onças-pardas são ani- mais de andar silencioso e hábi- tosnoturnos.“Essesanimaises- tão tendo de percorrer distân- cias cada vez mais longas para encontraralimento”,diz.Por is- so, ele recomenda evitar cons- truir galinheiros e outros cria- dourosde aves próximos aáreas de remanescentes de mata. Código florestal. Para Fernan- do Azevedo, pesquisador da ONG Pró-Carnívoros, a apari- ção de onças tende a se tornar ainda mais frequente à medida em que ocorrem desmatamen- tos.Eletemequeaflexibilização do Código Florestal, aprovada por comissão especial na Câma- ra dos Deputados, agrave mais o problema nos próximos anos. “Se essas alterações passarem a valer,seráumdurogolpenaspo- pulaçõesdeonças,queperderão ainda mais seus hábitats.”/ A.V. G Faça a sua parte Nunca compre animais silvestres, pois isso estimula a ação de criminosos que traficam e maltratam esses bichos. Leia. Curso ensina a fazer moda com sustentabilidade TRÊS PERGUNTAS PARA... FELIPE FELICIANI BIÓLOGO DA ONG MATA CILIAR “A reintegração de um animal como uma onça-parda no ambiente não é simples. As fêmeas se reintegram mais facilmente, mas os machos brigam por território.” CRISTINA ADANIA DOUTORA EM FELINOS PELA USP “O avanço dos condomínios residenciais reduz o hábitat dos animais, pois as poucas áreas com mata nativa que ainda restam estão sendo suprimidas. Os bichos não têm para onde ir.” Andrea Vialli Em uma manhã de segunda-fei- ra,emsetembrode2009,Anhan- guera parou o trânsito. A onça- parda,ummacho,foiatropelada na altura do km 71 da rodovia de mesmo nome. Quebrou cani- nos, sofreu contusões e hoje é monitorada 24 horas por veteri- nários. Aguarda a chance de vol- tar à natureza. Sua história se assemelha à de Goiabeira, outra onça-parda. O felino foi encontrado no quintal de uma casa em Jundiaí (SP). Acuado por humanos, subiu em uma goiabeira e ali ficou até ser capturado pelo Corpo de Bom- beiroselevadoàAssociaçãoMa- ta Ciliar, que mantém o Centro BrasileiroparaConservaçãodos Felinos Neotropicais e abriga também Anhanguera. Oaceleradoprocessodeurba- nização de regiões do interior paulista, como Jundiaí, Vinhe- do,LouveiraeCampinas,estáfa- zendocomqueumacenainusita- da se torne cada vez mais co- mum: a aparição de onças em áreasurbanas.Apenasnosúlti- mos dois meses, três onças- pardasapareceramnessasre- giões. E, no último fim de se- mana, também dois lobos- guarás. Segundo informações do CentroNacionaldeConser- vação e Pesquisa de Mamí- ferosCarnívoros(Cenap), ligado ao Ministério do MeioAmbiente,nosúlti- mos três anos tem ocorrido uma mé- dia de três apari- ções de onças em áreas ur- banizadas a cada dois meses. “Nos meses de inverno, espe- cialmente entre julho e setem- bro, esses encontros se tornam maisfrequentes.Hámuitasquei- madas, o que provoca um deslo- camentomaiordosanimais”,ex- plica Rogério Cunha de Paula, analistaambientaldoCenap.Se- gundo a ONG Pró-Carnívoros, nos últimos dois anos foram re- gistradas20 aparições deonças- pardas em áreas urbanas de São Paulo e Minas Gerais. “Os ani- mais estão encurralados”, resu- meFernandoAzevedo,pesquisa- dor da Pró-Carnívoros. Condomínios. Além das queimadas,aexpan- sãodoscondomí- nios residen- ciais–muitoscomapeloecológi- co–edoscanaviaisestáreduzin- do o hábitat dos animais. “É um problema sério. Em 12 anos de atividades,nuncahavíamosrece- bidochamadospararesgataron- ças. Há um ano isso se tornou comum”, diz Cristina Adania, coordenadora de fauna da Asso- ciação Mata Ciliar. Doutora em felinospelaUniversidadedeSão Paulo (USP), a veterinária criti- ca a expansão dos condomínios que avançam sobre áreas rema- nescentes de Mata Atlântica. “Aspessoas querem viver próxi- masànatureza,masseassustam quandosedeparamcomumma- caco ou onça no quintal. São os bichos que estão em uma encru- zilhada”, diz Cristina. “As pou- cas áreas verdes que sobraram viraram jardins particulares dos condomínios”, critica. A Secretaria do Meio Am- biente de São Paulo, quecompartilhacomosmunicí- pios o licenciamento ambiental dos condomínios, minimiza o problema. “A maioria dos em- preendimentos usa áreas degra- dadas,ondeapaisagemjáfoimo- dificada, evitando ao máximo a supressão da vegetação”, diz ClaudiaSchaalmann,especialis- ta em fauna da Coordenadoria deBiodiversidadeeRecursosNa- turais da secretaria. Ela adverte, porém, que é preciso que os em- preendimentos monitorem a fauna e implantem corredores que facilitem o deslocamento dos animais. estadão.com.br/planeta RONALD ZAK/AP PLUMAGEM } DIVULGAÇÃO DIVULGAÇÃO G Risco Flamingo (Phoenicopterus spp) se refresca no zoológico de Viena, na Áustria. A ave chega a medir 1,5 m de comprimento. Estrada. A onça Anhanguera aguarda a soltura Engajada. Letycia incentiva a troca de garrafa por filtros estadão.com.br De mudança. Ursos estão chegando à idade de reprodução FOTOS: TIAGO QUEIROZ/AE %HermesFileInfo:A-26:20100801: A26 Vida DOMINGO, 1 DE AGOSTO DE 2010 O ESTADO DE S. PAULO
  26. 26. cases i associats CLARÍN ARGENTINA PRENSALIBRE GUATEMALA Contenidodeúltimahora yserviciosenunsitioweb pensadopara smartphones. Eldiseñoseadaptaala resoluciónytamañode losdispositivos.
  27. 27. cases i associats MILENIO MÉXICO Aplicacionesnativasque permitenleerlosmismos contenidosdelaweb.
  28. 28. cases i associats MILENIO MÉXICO Aplicacionesnativasque permitenleerlosmismos contenidosdelaweb.
  29. 29. cases i associats OGLOBOAMAIS BRASIL Contenidosproducidosexclusivamente paraelaplicativo. Disponibledelunesaviernesalas18h.
  30. 30. Monitoreo realizado durante cuatro días, de lunes a jueves. Fueron excluídos los materiales especiales trabajados con anterioridad. Contenidofirmadoenlahomepage 08:00 14:00 20:00 ELPAÍS NYTIMES TELEGRAPH CORRIEREESTADÃO 90% 100% 80% 34% 85% 94% 78% 29% 87% 96% 81% 29% 56% 35% 76%
  31. 31. Reunión de la mañana 10:00 14:3012:30 Reunión de portada 17:007:00 Edición sobre las premaquetas 18:00 Cierre de algunas secciones 20:30 Cierre 23:00 primeras decisiones sobre el papel { pico de producción desmovilización de algunas áreas. Trabajo intenso en otras Orientaciónalproductoimpreso Elcicloacostumbraaserde18-19horas Ritmos y flujos de trabajo
  32. 32. Reuniónde coordinacióncon loseditores 14:30 Reunión de portada 17:007:00 18:00 Cierre de algunas secciones de papel 20:30 Cierre del papel 23:30 Reunión de la mañana con algunos coordinadores 10:00 Optimizaciónconfocomultiplataforma Reunión de coordinación con presencia de algunos editores 12:30 Ritmos y flujos de trabajo Reuniónde planificaciónde contenidoscon focoenlo DIGITAL Reuniónde planificación confocoenel IMPRESO
  33. 33. cases i associats Amododeconclusión(x6)
  34. 34. cases i associats Mejorenfocarseenelciclodelcontenido queenlasplataformas Distribuircontenidossegúnlas característicasdecadaplataforma Buscaralinearelworkflowdela redacciónconelciclodelcontenido Laproduccióndelaredaccióndebeseragnóstica Editarnoescerrarpáginas.Laediciónesunprocesocontinuoqueempiezaenlaagenda Atenderallectorendiferentesmomentosyatravésdedistintosmedios 1 2 3
  35. 35. cases i associats Invertirencalidadparaelmundodigital escuestióndepesosodeprocesos Elpeligroesqueelpapelpierdacalidad;el desafíoeslograrallíperiodismopremium Ladificultadesmásculturalquede organización;elcambiodebeprovocarse Nuestrodiferencialestáenperiodismopapel.Olocompramosnuevooloreenfocamos Lasredaccionesseacomodan;sólouncambiodesdelacúpulalograráreconvertirlas Losmediosdigitalesseasemejaránmásalperiodistmofast-food;elpapelal periodismogourmet 4 5 6
  36. 36. cases i associats muchasgracias RafaelKlappenbach rafaelk@cases-assoc.com

×