Your SlideShare is downloading. ×
0
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Linguagem Visual
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Linguagem Visual

2,273

Published on

Evolução na Linguagem Visual

Evolução na Linguagem Visual

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,273
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
127
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Desde os escritos e pinturas nas cavernas, passando pelas inscrições dos Faraós do Egito, os papiros da Biblioteca de Alexandria e os escritos em pergaminho da Idade Média, eram produzidos apenas os originais das obras.
  • 2. <ul><li>Arte Egípcia – “Arte para a eternidade” </li></ul><ul><li>Intensa relação com cerimônias fúnebres e com a morte </li></ul><ul><li>Escultor era considerado como “aquele que mantém vivo” </li></ul><ul><li>Racional / Lógica / Esquemática </li></ul><ul><li>Influência da matemática e do “quadriculado” dos papiros </li></ul><ul><li>Horror Vacui (evitar espaços vazios) </li></ul><ul><li>Falso Afresco (têmpera aplicada sobre argamassa seca) </li></ul>
  • 3.  
  • 4. Túmulo de Chnemhotep. Aprox. 1900 a.C. Perto de Beni Hassan, Egito
  • 5. <ul><li>Arte Grega – “O grande despertar” </li></ul><ul><li>(cerca de 500 a.C.) </li></ul><ul><li>Influência e ruptura com a arte egípcia (1500 a.C.) </li></ul><ul><li>Desligamento do conhecimento/lógica </li></ul><ul><li>Revolução baseada no olhar/sentir </li></ul><ul><li>Escorço (técnica inovadora, uso da perspectiva) </li></ul>
  • 6.  
  • 7. <ul><li>Arte Grega – “O reino do belo” </li></ul><ul><li>(até sec. I d.C.) </li></ul><ul><li>Artista X Artífice </li></ul><ul><li>Admiração das obras de arte </li></ul><ul><li>Preocupação estética com a forma humana, mas não </li></ul><ul><li>com a expressão facial </li></ul>
  • 8.  
  • 9. <ul><li>Arte Cristã Primitiva e Medieval </li></ul><ul><li>(a partir do sec. IV) </li></ul><ul><li>Constantino reconhece o cristianismo como religião oficial do Império Romano </li></ul><ul><li>“ Idade das Trevas” (400 a 1400) </li></ul><ul><li>Influências greco-romana, cristianismo, arte bizantina, culturas do norte da Europa </li></ul>
  • 10. <ul><li>Arte Cristã Primitiva e Medieval </li></ul><ul><li>(a partir do sec. IV) </li></ul><ul><li>Papa Gregório (sec. VI) incentiva a pintura religiosa: “A pintura pode fazer pelos analfabetos o que a escrita faz para os que sabem ler” </li></ul><ul><li>Orientação para arte clara e simples </li></ul><ul><li>Métodos sofisticados aplicados de maneira primitiva proposital </li></ul>
  • 11.  
  • 12.  
  • 13. A invenção do papel no século VIII d.C. propiciou uma superfície mais flexível para a reprodução de imagens. Xilografia - Durante muito tempo os tipos (letras) e as ilustrações foram talhados em madeira, formando um só bloco. Por volta do século XI d.C. os chineses passaram a talhar pequenos blocos com caracteres individuais, criando assim os primeiros tipos móveis para reprodução.
  • 14. A xilografia foi o primeiro método usado na Europa no início do século XV. Até então, a reprodução de obras literárias ficava a cargo de monges e escribas.
  • 15. Geralmente as bibliotecas da época (Mosteiros, Conventos, Bibliotecas Reais e etc) possuíam apenas os originais das obras. É até desnecessário dizer mas pode-se perceber que o ato da leitura e escrita ficava a cargo de alguns poucos ligados ao clero e a nobreza.
  • 16. <ul><li>A Igreja Militante (Sec. XII) </li></ul><ul><li>Bispos e Nobres eram os novos senhores feudais </li></ul><ul><li>Importância da construção das igrejas. Robustos edifícios de pedra, propósito de “combater as forças das Trevas” </li></ul><ul><li>Arte segue o Estilo ROMÂNICO, função decorativa e de transmissão dos ensinamentos da Igreja </li></ul><ul><li>Pintura serve como “forma de escrita por imagens” </li></ul>
  • 17.  
  • 18. <ul><li>A Igreja Triunfante (Sec. XIII) </li></ul><ul><li>“ Agitação” artística européia difere completamente das “duradouras” concepções artísticas orientais </li></ul><ul><li>Estilos não duram mais milhares de anos </li></ul><ul><li>Surgimento do Estilo GÓTICO (transição entre Idade das Trevas e Renascimento) </li></ul>
  • 19.  
  • 20. Em 1454, na Alemanha, Gutenberg imprime uma bíblia utilizando tipos móveis de metal. Conhecida como a Bíblia de Gutenberg era possível se escrever uma página, palavra após palavra, através do rodízio de letras. Esse processo logo se espalhou por toda a Europa e em pouco tempo a leitura começou a influenciar a população européia. RENASCIMENTO
  • 21. Rogier van der Weyden. Descida da Cruz. 1435. 220x260cm
  • 22.  
  • 23. Sandro Botticelli. O nascimento de Vênus. 1485-86. 175x280cm
  • 24. Rafael Virgem no prado 1505
  • 25. A palavra “ gótico ” foi primeiro usada pelos críticos de arte italianos da Renascença para caracterizar o estilo que eles consideravam bárbaro e que, na opinião deles, fora introduzido na Itália pelos godos , que destruíram o Império Romano e saquearam suas cidades. (GOMBRICH, 1979, p. 302) O drama humano tornou-se elemento básico na pintura Barroca e era em geral encenado com gestos teatrais muitíssimo expressivos, sendo iluminado por um extraordinário claro-escuro e caracterizado por fortes combinações cromáticas . (BECKETT, 2006, p. 173)
  • 26. Caravaggio. S. Mateus (versão rejeitada). 1598 Caravaggio. S. Mateus (versão aceita). 1600
  • 27. “ Põem aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; aproxima também a tua mão, e põe-na no meu lado; e não sejas incrédulo, mas crente” (S. JOÃO, XX, 27)
  • 28. Caravaggio. Tomé, o Incrédulo. 1600
  • 29. Velázquez. Las meninas. 1656
  • 30. A revolução industrial tomava conta da Europa em 1850 e os avanços da época também foram transferidos para a área gráfica. As prensas e máquinas gráficas passaram a utilizar além da força de homens, moinhos e animais, a força do vapor, o que mecanizou e automatizou ainda mais o processo gráfico. PROCESSO FOTOGRÁFICO
  • 31. Eadweard Muybridge Movimento de um cavalo a galope 1872
  • 32. Théodore Géricault Corrida de cavalos em Epsom 1821
  • 33. O século 20 se inicia e com ele surge o Offset . Um equipamento no qual as chapas de impressão não entram em contato direto com o papel a ser impresso. As chapas de impressão são instaladas em um cilindro e transferem (offset) a imagem para um cilindro de borracha limpo. À medida que o cilindro com a chapa roda, este entra em contato com a borracha limpa, transferindo a imagem para a borracha. Esta, também girando, transfere a imagem para a folha de papel, que é alimentada por outro conjunto de cilindros.
  • 34.  
  • 35. As chapas de impressão do offset adquirem o texto ou imagens a serem impressas após terem sidas sensibilizadas pelo fotolito. O fotolito é uma mídia plástica feita de acetato. A “grosso modo&quot; podemos dizer que a fotolitagem seria basicamente a fotografia e revelação da página com o material original nessa mídia de acetato. Este acetato é colocado sobre a chapa a ser sensibilizada e, através de um processo de incidência de luz, a chapa que irá para a máquina de offset passa a conter o texto e/ou as imagens a serem reproduzidas.
  • 36. Atualmente, as máquinas flexográficas além de realizarem as impressões, também são capazes de, por exemplo, realizar uma impressão em plástico, embalar e selar o produto. Isto pois as impressoras flexográficas são montadas com laminação interna, facas para corte, embaladora e unidade de colagem em uma única linha de produção. Não seria necessário dizer que esta linha de produção reduz em muito os custos gráficos de uma embalagem.
  • 37.  
  • 38. Exemplos de impressoras...
  • 39. INDÚSTRIA CULTURAL Reprodutibilidade técnica Valor da arte Arte X Artesanato
  • 40. Pablo Picasso, Les Demoiselles d’Avignon (1907)
  • 41. Pablo Picasso Galo Novo 1938
  • 42. Pablo Picasso Galinha com pintos 1941
  • 43.  

×