Hematologia 2010

59,506 views
59,322 views

Published on

Aula Pratica Laboratorial
Profa Dra Vera Lúcia Ângelo Andrade

Published in: Education
0 Comments
15 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
59,506
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
12,708
Actions
Shares
0
Downloads
939
Comments
0
Likes
15
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Hematologia 2010

  1. 1. UNIFENAS Profa. Vera Ângelo 2010 2006 Hemograma
  2. 2. <ul><li>Hemograma inclui: </li></ul><ul><li>ERITROGRAMA </li></ul><ul><li>- contagem global de eritrócitos - hematócrito </li></ul><ul><li>hemoglobina </li></ul><ul><li>cálculo dos índices hematimétricos </li></ul><ul><li>histogramas de eritrócitos (analisador Coulter ) </li></ul><ul><li>análise do esfregaço sanguíneo </li></ul><ul><li>LEUCOGRAMA </li></ul><ul><li>contagem global de leucócitos - contagem diferencial de leucócitos </li></ul><ul><li>Contagem global de plaquetas </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Orientações para a coleta: </li></ul><ul><li>Jejum (Ideal). Não é necessário. </li></ul><ul><li>Em caso de emergência: 3 h após as principais refeições </li></ul><ul><li>Não realizar após grandes esforços físicos. </li></ul><ul><li>Colocar identificação do paciente, indicação diagnóstica e breve história clínica. Indicar uso de medicamentos. </li></ul><ul><li>- Colher em frasco com anticoagulante EDTA. </li></ul>Hemograma
  4. 4. Hemograma
  5. 6. <ul><li>Hemograma inclui: </li></ul><ul><li>ERITROGRAMA </li></ul><ul><li>- contagem global de eritrócitos - hematócrito </li></ul><ul><li>hemoglobina </li></ul><ul><li>cálculo dos índices hematimétricos </li></ul><ul><li>histogramas de eritrócitos (analisador Coulter ) </li></ul><ul><li>análise do esfregaço sanguíneo </li></ul><ul><li>LEUCOGRAMA </li></ul><ul><li>contagem global de leucócitos - contagem diferencial de leucócitos (neutro, eosino, baso, mono, linfo) </li></ul><ul><li>Contagem global de plaquetas </li></ul>
  6. 7. Eritrograma inclui: <ul><li>Contagem de hemácias: </li></ul><ul><li>São bicôncovas. </li></ul><ul><li>Anucleadas. </li></ul><ul><li>coloração acidófila, mais pálida no centro e coloração um pouco mais escura na periferia. </li></ul><ul><li>Valores variam com sexo e idade. </li></ul><ul><li>Valores normais: 4,5-5,1 x 10 6  L (mulheres). </li></ul><ul><li>4,5-5,9 x 10 6  L (homens). </li></ul>
  7. 9. Eritrograma : <ul><li>Hematócrito: índice definido pelo volume de todas as hemácias de uma amostra sobre o volume total desta amostra. </li></ul><ul><li>Valores variam com o sexo e idade </li></ul><ul><li>Valores de referência: </li></ul><ul><li>35,9-44,6%(mulheres) </li></ul><ul><li>41,5-50,4% (homens). </li></ul>
  8. 10. Eritrograma inclui: A HEMOGLOBINA (Hb) é uma metaloproteína que contém ferro e que permite o transporte de O 2. <ul><li>TIPOS: </li></ul><ul><li>Fetal: Hemoglobina F (α2γ2) </li></ul><ul><li>Adultos: </li></ul><ul><ul><li>Hemoglobina A (α2β2) - O tipo mais comum. </li></ul></ul><ul><ul><li>Hemaglobina A2 (α2δ2) - cadeias δ são sintetizadas no último trimestre após o parto, seu nível normal é 2.5% </li></ul></ul><ul><ul><li>Hemoglobina F (α2γ2) - No adultos a Hemoglobina S </li></ul></ul>
  9. 11. CHCM ( Concentração de Hemoglobina Corpuscular média) é a concentração média de hemoglobina. CHCM baixo (< 32): Anemia hipocrômicas. CHCM alto (> 36): Anemia hipercrômicas (???) CHCM no intervalo de normalidade. As hemácias são consideradas normocrômicas . . Eritrograma inclui:
  10. 12. VCM (Volume Corpuscular Médio): índice que orienta na observação do tamanho das hemácias e no diagnóstico da anemia. VCM baixo: anemia microcítica (< 80fl, para adultos). EX: anemia ferropriva e as síndromes talassêmicas. VCM alto: macrocíticas (> 96fl, para adultos). Ex: anemia megaloblásticas e perniciosa.. VCM normal. (80 - 96fl, para adultos). Não há anemia. Hemácias normocíticas Eritrograma inclui:
  11. 13. Esfregaço sanguíneo : corado por May-Grünwald-Giemsa
  12. 14. ANÁLISE DO ESFREGAÇO: Alterações da cor das hemácias Diminuição da concentração de hemoglobina e conseqüente redução da cor: hemácias hipocrômicas ; Presença de hemácias com diferentes concentrações de hemoglobina chamada de anisocromia ; Presença de grande número de reticulócitos, que caracteristicamente têm uma cor azulada, e que junto com a cor normal, produz a chamada policromasia .
  13. 15. Hipocromia
  14. 16. Policromasia : hemácias jovens. (reticulócitos)
  15. 17. ESFREGAÇO: Alterações no tamanho das hemácias Hemácias de pequeno tamanho: hemácias microcíticas ; Aumento do tamanho das hemácias: hemácias macrocíticas ; ou megaloblásticas. Hemácias de diferentes tamanhos: anisocitose ;
  16. 18. MICROCITOSE Alterações no tamanho das hemácias
  17. 19. MACROCITOSE Alterações no tamanho das hemácias
  18. 20. MEGALOCITOSE Alterações no tamanho das hemácias
  19. 21. Anemia microcitica e hipocromica
  20. 22. POIQUILOCITOSE :   é a denominação da variação das formas das hemácias. Exemplos: Drepanócitos Esferócitos Eliptócitos Hemácias em alvo Esquisócitos Acantócitos Crenadas Etc. ESFREGAÇO: Alteração na morfologia das hemácias
  21. 23. Tipos: 1- Drepanócitos : . <ul><li>Forma de foice . </li></ul><ul><li>Drepanocitose. Anemia falciforme </li></ul>
  22. 24. 2 - Esferócitos <ul><li>Hemácias pequenas de forma esférica e hiper corada. </li></ul><ul><li>Esferocitose hereditária e anemia hemolíticas auto-imune . </li></ul>                            
  23. 25. <ul><li>  Hemácias elípticas e ovaladas. </li></ul><ul><li>Ovolacitose hereditária ou eliptocitose, anemias carenciais   e mais raramente nas talassemias </li></ul>3- Eliptócitosovalócitos                             
  24. 26. 4- Esquisócitos <ul><li>  Fragmentos de hemácias de tamanhos diferentes e com formas bizarras. </li></ul><ul><li>Aparece em casos de próteses valvulares e vasculares, microangiopatias, síndrome hemolítica-urêmica e na coagulação intravascular disseminada. </li></ul>                            
  25. 27. 5- Dacriócitos <ul><li>Hemácias em forma de lágrima, que correm provavelmente por retardo da saída da medula óssea. </li></ul><ul><li>Aparece na metaplasia mielóide, esplenomegalia, na anemia megaloblástica, na talassemia em grande quantidade na mielofibrose . </li></ul>                            
  26. 28. 5- Estomatócitos    <ul><li>Células em forma de “  boca” </li></ul><ul><li>Estomatocitose hereditária Alcoolismo, cirrose, doenças hepáticas obstrutivas Eritrócitos com alterações na bomba de Na/ </li></ul>
  27. 29. 6- Hemácias em alvo (codócitos) <ul><li>células cujas membranas são grandes havendo uma palidez e um alvo central mais corado): aparece em hemoglobinopatias C, E ou S, nas talassemias e em pacientes com doença hepática </li></ul>
  28. 30. <ul><li>  Hemácias pequenas com projeções irregulares. </li></ul><ul><li>Célula peculiar abeta lipoproteinemia hereditária, presente também em outras dislipidemias, na cirrose hepática, na hepatite do recém-nascido, na anemia hemolítica, após esplenectomia . </li></ul>7- Acantócitos
  29. 32. rouleaux
  30. 33. Caso clínico 1
  31. 34. <ul><li>Hemograma inclui: </li></ul><ul><li>ERITROGRAMA </li></ul><ul><li>- contagem global de eritrócitos - hematócrito </li></ul><ul><li>hemoglobina </li></ul><ul><li>cálculo dos índices hemantimétricos </li></ul><ul><li>histogramas de eritrócitos (analisador Coulter ) </li></ul><ul><li>análise do esfregaço sanguíneo </li></ul><ul><li>LEUCOGRAMA </li></ul><ul><li>contagem global de leucócitos - contagem diferencial de leucócitos (neutro, eosino, baso, mono, linfo) </li></ul><ul><li>Contagem global de plaquetas </li></ul>
  32. 35. <ul><li>- contagem global e diferencial de leucócitos e suas alterações quantitativas e qualitativas. </li></ul><ul><li>- os leucócitos totais são expressos em mil/mm3. </li></ul><ul><li>a contagem diferencial é de grande importância, podendo definir perfis patológicos </li></ul><ul><li>Os leucócitos podem ser divididos em granulócitos (mielócito, metamielócito, bastão, neutrófilos, eosinófilos e basófilos), monócitos e linfócitos </li></ul>LEUCOGRAMA
  33. 36. <ul><li>- contagem global e diferencial de leucócitos e suas alterações quantitativas e qualitativas. </li></ul><ul><li>a contagem diferencial é de grande importância, podendo definir perfis patológicos. Os leucócitos podem ser divididos em granulócitos (mielócito, metamielócito, bastão, neutrófilos, eosinófilos e basófilos), monócitos e linfócitos. </li></ul><ul><li>Leucócitos totais: 4,4-11,0 x 103  L. </li></ul><ul><li>Diferencial de leucócitos (valores médios): neutrófilos segmentados (56% de 1800 a 7800), bastonestes (3% de 0 a 700), eosinófilos (2,7% de 0 a 450), basófilos (0,3 de 0 a 200) linfócitos (34% de 1000 a 4800) e monócitos (4% de 0 a 800). LUC(Large unstained cell, que podem representar linfócitos reativos, blastos, precursores linfáticos): 0-5% </li></ul>LEUCOGRAMA
  34. 37. LEUCOGRAMA: <ul><li>Granulócitos leucócitos mais comuns no sangue (55-70%). </li></ul><ul><li>têm núcleo segmentado, com 2 a 5 lobos conectados entre si através de finas fitas de cromatina. </li></ul><ul><li>Pode parecer ser multinucleado. </li></ul><ul><li>O aumento do seu número está relacionado com processos agudos. </li></ul>NEUTRÓFILOS
  35. 38. LEUCOGRAMA: <ul><li>Correspondem a 2-5% do total de leucócitos, e são distinguíveis pelos seus grânulos acidofílicos (vermelho/laranja). </li></ul><ul><li>O núcleo tem usualmente apenas 2 lobos. </li></ul><ul><li>Funções: respostas alérgicas e defesa contra parasitas. </li></ul>EOSINÓFILOS
  36. 39. LEUCOGRAMA: <ul><li>Compreendem menos de 1% do total de leucócitos,e são distinguidos pelos grânulos azul escuro específicos proeminentes que contém histamina, e heparina. </li></ul><ul><li>O núcleo está usualmente obscurecido pelo densidade dos grânulos. </li></ul><ul><li>Estão associados com a resposta imune inata a antígenos externos, assim como na ocorrência de asma e anafilaxias. </li></ul>BASÓFILOS
  37. 40. LEUCOGRAMA <ul><li>São as maiores células vistas no esfregaço sangüíneo e constituem 5 a 8% dos leucócitos. </li></ul><ul><li>Seu núcleo pode ser em forma de “U” com cromatina aparentemente reticular. </li></ul><ul><li>O citoplasma dos monócitos contém numerosos grânulos lisossomais, os quais dão uma aparência acinzentada de vidro fosco. </li></ul><ul><li>Podem sair da corrente sangüínea e se tornar macrófagos tissulares </li></ul>MONÓCITOS
  38. 41. LEUCOGRAMA: <ul><li>É uma célula arredondada ou ovalada com núcleo que ocupa a maior parte da célula. O nucléolo pode estar presente, mas a cromatina densa impede a distinção. </li></ul><ul><li>Em geral, são menores que os monócitos. </li></ul><ul><li>Participam da resposta imune adquirida. </li></ul>LINFOCITOS
  39. 46. <ul><li>Hemograma inclui: </li></ul><ul><li>ERITROGRAMA </li></ul><ul><li>- contagem global de eritrócitos - hematócrito </li></ul><ul><li>hemoglobina </li></ul><ul><li>cálculo dos índices hemantimétricos </li></ul><ul><li>histogramas de eritrócitos (analisador Coulter ) </li></ul><ul><li>análise do esfregaço sanguíneo </li></ul><ul><li>LEUCOGRAMA </li></ul><ul><li>contagem global de leucócitos - contagem diferencial de leucócitos (neutro, eosino, baso, mono, linfo) </li></ul><ul><li>Contagem global de plaquetas </li></ul>
  40. 47. Plaquetas A avaliação das plaquetas pode ser feita de forma quantitativa, expressa em mm 3 , e de modo qualitativo, pela avaliação das características analisadas no esfregaço corado. As alterações quantitativas podem ser tanto o aumento da quantidade de plaquetas, chamada trombocitose , quanto a diminuição, denominada plaquetopenia .
  41. 50. <ul><li>Policitemia: aumento do número de hemácias no sangue. </li></ul><ul><li>Anemia: diminuição do número de hemácias no sangue </li></ul><ul><li>Leucocitose: aumento no número total de leucócitos. </li></ul><ul><li>Leucopenia: diminuição do número total de leucócitos </li></ul><ul><li>Trombocitopenia: diminuição do número normal de plaquetas. </li></ul><ul><li>Pancitopenia: diminuição em número das três populações celulares. </li></ul>Definições
  42. 51. Linfocitose: aumento do número de linfócitos. Linfopenia: diminuição do número de linfócitos. Neutrofilia: aumento do número de neutrófilos. Neutropenia: diminuição do número de neutrófilos. Eosinofilia: aumento do número de eosinófilos. Monocitose: aumento do número de monócitos. Desvio à esquerda: aumento do número de bastões acima de 5/mm³, ou presença de formas mais imaturas como mielócitos e metamielócitos. Definições
  43. 52. neutrofilia
  44. 53. Valores de referência (Checar valores com o laboratório de referência). ( Diagnósticos Clínicos e tratamento por Métodos laboratoriais . Henry JB, 19ª ed Manole LTDA, 1999. pg1459-1460).   Hemácias: 4,5-5,1 x 10 6  L(mulheres), 4,5-5,9 x 10 6  L (homens). Hemoglobina: 12,0-15,6 g/dl (mulheres), 13,5-17,5 g/dl (homens). Hematócrito: 35,9-44,6%(mulheres), 41,5-50,4% (homens). VCM= 80 a 96  m 3 HCM= 27,5 a 33,2 pg CHCM= 33,4 a 35,5 g/dl   Plaquetas: 150 000 a 450 000/ mm 3 Leucócitos totais: 4,4-11,0 x 10 3  L. Diferencial de leucócitos (valores médios): neutrófilos segmentados (56% de 1800 a 7800), bastonestes (3% de 0 a 700), eosinófilos (2,7% de 0 a 450), basófilos (0,3 de 0 a 200) linfócitos (34% de 1000 a 4800) e monócitos (4% de 0 a 800). LUC(Large unstained cell, que podem representar linfócitos reativos, blastos, precursores linfáticos): 0-5%
  45. 54. Considerações finais

×