Your SlideShare is downloading. ×
Pilates para o cérebro
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Pilates para o cérebro

348

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
348
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. . PILATES PARA O CÉREBRO Leia até o final, é muito interessante.
  • 2. ESTÁ ESQUECIDO? Qual o nome do filme daquela atriz belíssima?... Sim! Alta, cabelos negros, trabalhou algumas vezes com aquele ator maravilhoso… Como é mesmo o nome dele? Aquele que trabalhou naquela peça de teatro famooosa. Já sabe de quem falo?
  • 3. ASSIM COMEÇAMOS
    • A partir dos trinta anos, em geral, começamos a notar pequenos esquecimentos:
    • Qual o nome dele? Conheço-o muito bem.
    • A que horas é o encontro? Às 5:00 ou 5:30?
    • Como isso funciona mesmo?
    • Onde deixei minhas chaves?
    • Em que andar estou estacionado?
    • Roubaram meu carro!!! Daí, nos damos conta que saímos por outra porta do centro comercial…
    30
  • 4. Ainda que estes pequenos esquecimentos não afetem nossa vida,nos causam ansiedade. Com terror, pensamos que o cérebro começa a atrofiar, e preocupa-nos ficar como aquela tia idosa, que recorda com pequenos detalhes tudo sobre sua infância, mas não se lembra do que fez ontem.
  • 5. Se isto te parece familiar, não se preocupe. Tenha esperança. As pessoas, equivocadamente, relacionam a idade com a falta de memória. Os neurocientistas têm comprovado que: A perda de memória de curto prazo não se deve à idade ou à morte dos neurônios e sim, à redução do número de conexões nervosas.
  • 6. Assim como se atrofia um músculo sem uso, os dendritos também atrofiam se não são usados com frequência. Consequentemente, a habilidade do cérebro para receber nova informação é reduzida. O exercício ajuda muito a alertar a mente. Também existem vitaminas e remédios que fortalecem a memória. Entretanto, nada como fazer com que nosso cérebro fabrique seu própio alimento: As neurotrofinas
  • 7. AS NEUROTROFINAS São moléculas que mantêm as células nervosas saudáveis. Quanto mais ativas as células do cérebro, maior quantidade de neurotrofinas elas produzem, gerando mais conexões entre as áreas cerebrais.
  • 8. QUE PODEMOS FAZER?
    • O que necessitamos é fazer pilates com os
    • neurônios:
    • esticá-los,
    • surpreendê-los,
    • sair de sua rotina,
    • apresentar-lhes novidades inesperadas e
    • divertidas através das emoções, do olfato, da visão, do tato, do paladar e da audição.
    • O resultado? O cérebro se torna mais flexível,
    • mais ágil, e sua capacidade de memória aumenta.
  • 9. PROVAVELMENTE VOCÊ PENSA… Eu leio, trabalho, faço exercícios e mil coisas durante o dia… Minha mente deve estar muito estimulada. A verdade é que a vida da maioria de nós, converte-se em uma série de rotinas.. O caminho para o trabalho, a hora que come ou volta para casa, o tempo que passa no carro, os programas que vê na televisão…
  • 10. AS ATIVIDADES ROTINEIRAS SÃO INCONSCIENTES Fazem com que o cérebro funcione automaticamente e requeira o mínimo de energia. As experiências passam pelas mesmas estradas neuronais já formadas. Não há produção de neurotrofinas.
  • 11. ALGUNS EXERCíCIOS QUE EXPANDEM SUBSTANCIALMENTE OS DENDRITOS E A PRODUÇÃO DE NEUROTROFINAS:
    • TENTE , ao menos uma vez por semana, tomar uma ducha com os olhos fechados. Só com o tato, localize as torneiras, ajuste a temperatura da água, pegue o sabonete, o xampu, creme de barbear... Verá como suas mãos notarão texturas que nunca havia percebido.
    • Utilize a mão NÃO dominante. Coma, escreva, abra a pasta, escove os dentes, abra a gaveta…
  • 12.
    • Leia em voz alta: diferentes circuitos serão ativados, além dos que usa para ler em silêncio.
    • Troque suas rotas: passe por diferentes caminhos para ir ao trabalho ou para casa .
  • 13.
    • Modifique sua rotina. Faça coisas diferentes. Saia, conheça e fale com pessoas de diferente idades, trabalhos e ideologias. Experimente o inesperado. Use as escadas ao invés do elevador. Saia para o campo, caminhe, ouça .
  • 14.
    • Troque a localização de algumas coisas. Mude, por exemplo, a lixeira de lugar, e você verá o número de vezes que vai atirar o lixo no antigo local.
    • APRENDA uma habilidade. Qualquer coisa; pode ser fotografia, culinária, yoga, estudar um novo idioma. Se você gosta de quebra-cabeças ou figuras, cubra um olho para perder a percepção de profundidade, de modo que o cérebro tenha que buscar outras rotas.
  • 15.
    • Identifique objetos. Coloque no carro, uma xícara com várias moedas diferentes e tateie a mão para que, enquanto esteja parado em um semáforo, com os dedos trate de identificar cada uma.
    • Porque não abrimos a mente e provamos esses exercícios tão simples que, de acordo com os estudos de Neurobiologia do Duke University Medical Center , ampliam nossa memória?
    • Com sorte, nunca mais voltaremos a perguntar:
    • Onde dexei minhas chaves?
  • 16. Espero que tenha gostado. E não se esqueça de passar um dia FANTÁSTICO

×