Os Instrumentos na Idade Média

13,226 views
12,905 views

Published on

1 Comment
3 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
13,226
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
135
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Os Instrumentos na Idade Média

  1. 1. IDADE MÉDIA (500d.C - 1450)
  2. 2. IDADE MÉDIA (500d.C. – 1450) <ul><li>Dão-se profundas alterações na sociedade. Começam a surgir centros económicos e sociais que mais tarde se vão transformar em grandes cidades. </li></ul><ul><li>Ao longo de séculos, os cantos litúrgicos foram sendo transmitidos oralmente, ocasionando interpretações variadas conforme os povos, as suas culturas e os seus hábitos musicais. </li></ul><ul><li>Foi então que o Papa Gregório Magno sentindo a necessidade de unificar e fortalecer o Cristianismo, reuniu alguns cânticos religiosos e outros que compôs numa colectânea a que deu o nome de A ntifonário . Ao modo de cantar destes cânticos deu-se o nome de Canto Gregoriano . </li></ul><ul><li>As escolas de canto cristão funcionavam nos conventos e mosteiros. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>O Papa S. Gregório Magno, século VI, fez uma selecção de cânticos religiosos e outros que compôs, com base em textos religiosos, numa colectânea a que deu o nome de Antifonário. </li></ul><ul><li>Ao modo de cantar destes cânticos em forma de oração, deu-se o nome de CANTO GREGORIANO .( Aud.28 CD2 Oficina da música 6º ano) </li></ul><ul><li>Foi a primeira música a ser escrita, podendo assim ser transmitida com precisão ao longo de gerações. </li></ul><ul><li>O Canto gregoriano é uma forma coral monódica e sem acompanhamento instrumental, sem compasso, sem tempo forte ou fraco, com ritmo e possuía tantos modos quantas as notas da escala . </li></ul><ul><li>Só no Sec.XII a polifonia aparece para ornamentar o Canto Gregoriano assim como são a introduzidos progressivamente outros instrumentos musicais além do Órgão. </li></ul>
  4. 4. Desenvolvimento da notação musical. <ul><li>No canto gregoriano era utilizada a escrita musical NEUMÁTICA. </li></ul><ul><li>Este tipo de escrita utilizava sinais (pontos, vírgulas, travessões, etc.) que apenas indicava a direcção da linha melódica. Era como um auxiliar de memória. </li></ul><ul><li>O Monge Guido D’Arezzo (991-1050) sugeriu o uso de uma pauta musical formada por quatro linhas. </li></ul><ul><li>Este monge apontava para as articulações dos dedos com a palma da mão virada para os seus alunos. Cada uma das articulações representava uma nota musical. Os alunos cantavam as notas com os intervalos apresentados pelo seu professor. </li></ul>
  5. 5. Escrita neumática
  6. 6. <ul><li>O Monge e professor italiano GUIDO D,AREZZO (991-1050d.C.) sugeriu o uso da pauta com 4 linhas e atribuiu nome às notas, usando as primeiras sílabas de cada verso de um hino a S. João Baptista - «Sancte Ioannes». </li></ul>
  7. 7. Notação musical <ul><ul><ul><ul><ul><li>SANCTE IOANNES </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Ut queant laxis Re sonare fibris Mi ra gestorum Fa muli tuorum, Sol ve polluti La bii reatum, Só mais tarde se introduziu o Si com a junção das primeiras letras de S ancte I oannes. </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  8. 8. Este poema significa: <ul><li>S.João </li></ul><ul><li>Para que teus servos, </li></ul><ul><li>Possam ressoar claramente </li></ul><ul><li>As maravilhas dos teus feitos </li></ul><ul><li>Limpa os nossos lábios impuros </li></ul><ul><li>Ó S.João </li></ul>
  9. 9. MÚSICA PROFANA <ul><li>A partir do século XI desenvolveu-se a música popular (profana), muitas vezes ligadas à dança. </li></ul><ul><li>A música profana era executada não só pelo povo, como também pela aristocracia. </li></ul><ul><li>O POVO - cantavam e dançavam melodias e ritmos associados ao trabalho, Canções de Ofício. </li></ul><ul><li>As canções da aristocracia eram executadas pelos Trovadores, Menetréis e Jograis. </li></ul>
  10. 10. Música Profana (CD 2 aud.29 -Oficina da Música 6º Ano) <ul><li>Trovadores – eram normalmente nobres letrados que escreviam os seus próprios poemas e respectivas músicas. </li></ul><ul><li>Menestréis – eram cantores e poetas da corte. </li></ul><ul><li>Jograis – eram cantores, instrumentistas e acrobatas tinham a função de distrair e divertir as pessoas. Andavam de terra em terra a apresentar os seus espectáculos onde incluíam também animais amestrados. </li></ul><ul><li>Os temas da música trovadoresca eram o amor, a natureza e as cruzadas. </li></ul>
  11. 11. INSTRUMENTOS MUSICAIS <ul><li>Órgão: além do órgão da igreja, havia o órgão portátil, que podia ser carregado. </li></ul><ul><li>Rebeca: instrumento em forma de pêra, com 3 cordas para serem friccionadas por um arco. </li></ul><ul><li>Viela de roda: instrumento no qual uma roda movida a manivela fazia as cordas vibrarem, e um teclado em conexão com as cordas melódicas respondia pela diferenciação dos sons. </li></ul><ul><li>Cítola ou cistre: instrumento de 4 cordas de arame </li></ul><ul><li>Viela: maior que as violas modernas, possuía um cavalete achatado. </li></ul>
  12. 13. <ul><li>Saltério: dotado de cordas que eram tocadas com bicos-de-pena, um em cada mão </li></ul><ul><li>Charamela: instrumento de sopro e palheta dupla, antepassado do oboé. </li></ul><ul><li>Galubé e tamboril: flauta e tambor de duas faces, tocados por uma só pessoa. </li></ul>

×