Manuela Barreto Nunes

6,950 views

Published on

Published in: Business, Education
3 Comments
10 Likes
Statistics
Notes



  • <b>[Comment posted from</b> http://bibliobeiriz.wordpress.com/2009/05/]
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Manuela, muy buena presentación. Hace las preguntas correctas para iniciar el viaje de descubrimiento de las nuevas lecturas. Moito obrigado, Enzo.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Excelente apresentação e «leitura» do problema da «leitura e dos jovens!»

    Fantástico. Elisabete Fiel (Coordenadora da BE de Campo Maior)
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
6,950
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3,383
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
3
Likes
10
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Manuela Barreto Nunes

  1. 1. Manuela Barreto Nunes Conclusões - Recomendações OEIRAS A LER
  2. 2. “ No meio do caminho tinha uma pedra tinha uma pedra no meio do caminho tinha uma pedra no meio do caminho tinha uma pedra. Nunca me esquecerei desse acontecimento na vida de minhas retinas tão fatigadas. Nunca me esquecerei que no meio do caminho tinha uma pedra Tinha uma pedra no meio do caminho no meio do caminho tinha uma pedra.” Carlos Drummond de Andrade OEIRAS A LER
  3. 3. A PEDRA OEIRAS A LER
  4. 4. OU O ENIGMA OEIRAS A LER
  5. 5. Os jovens lêem ? O que lêem os jovens? OEIRAS A LER
  6. 6. O que significa ler no século XXI? OEIRAS A LER
  7. 7. Os jovens que frequentam as bibliotecas públicas… … são leitores ? … que tipo de leitores são? OEIRAS A LER
  8. 8. As bibliotecas públicas … … promovem leitores? OEIRAS A LER
  9. 9. As questões, os problemas, são levantados a partir das constatações, algumas delas contraditórias entre si, das comunicações apresentadas: OEIRAS A LER
  10. 10. <ul><li>Existem políticas nacionais e/ou </li></ul><ul><li>regionais </li></ul><ul><li>de promoção da leitura em todos </li></ul><ul><li>os países representados no Encontro. </li></ul><ul><li>A leitura é pois uma preocupação </li></ul><ul><li>dos governos das nações </li></ul>OEIRAS A LER
  11. 11. 2. As bibliotecas públicas são reconhecidas como parceiros naturais e incontestados de todas as políticas de promoção da leitura; OEIRAS A LER
  12. 12. 3. Existem, em consequência, numerosas iniciativas de promoção da leitura para públicos jovens , desenvolvidas pelas bibliotecas públicas , muitas vezes em parceria ou envolvendo as escolas, as bibliotecas escolares , as famílias , as autarquias…; OEIRAS A LER
  13. 13. 4. Ao mesmo tempo, nos últimos 20 ou 30 anos, o número de bibliotecas públicas aumentou multiplicaram-se as ofertas , diversificaram-se os suportes , as bibliotecas aproximaram-se dos cidadãos… a frequência terá aumentado? ; OEIRAS A LER
  14. 14. 5. No que diz respeito à edição para jovens, esta experimentou um aumento sem precedentes nos últimos 15 anos, bem assim como o número de prémios literários e as feiras do livro para crianças e jovens: a oferta do mercado é pois bastante elevada e diversificada. OEIRAS A LER
  15. 15. 6. A literatura para jovens , os hábitos culturais dos jovens, os hábitos de leitura, o uso das bibliotecas, ganharam estatuto de cidadania académica : multiplicam-se os estudos e a investigação. OEIRAS A LER
  16. 16. 7. Não são ainda, no entanto, muito claras as consequências dos estudos, da diversidade da oferta e das actividades de promoção da leitura, nomeadamente no que diz respeito à efectiva criação de hábitos de leitura, isto é, de leitores com percursos de leitura sustentados e duradouros; OEIRAS A LER
  17. 17. 8. Efectivamente, parece que a « proximidade espacial do livro não aboliu a distância social e cultural na  leitura   » ; (Max Butlen) OEIRAS A LER
  18. 18. As contradições são muitas: Os jovens lêem ou não lêem Os jovens são utilizadores das bibliotecas públicas ou não são utilizadores das bibliotecas públicas OEIRAS A LER
  19. 19. 9. Os inquéritos sociológicos continuam a demonstrar uma diminuição dos hábitos de leitura a partir da adolescência ; OEIRAS A LER
  20. 20. 10. No entanto, os mesmos estudos também demonstram que os adolescentes lêem e, além disso, são os maiores utilizadores de bibliotecas ; OEIRAS A LER
  21. 21. 11. Os jovens não lêem, porém, aquilo que os mediadores da leitura consideram “leitura”: os jovens lêem B.D. , Novelas gráficas, revistas, lêem todo o dia na Internet , lêem e-mails, sms, jogos, e preferem a fantasia ; OEIRAS A LER
  22. 22. 12. Os jovens lêem de uma forma nova, inédita na História: lêem de forma interactiva, lêem frases curtas, diálogos, mensagens rápidas, valorizando a ligação do texto com a imagem; Lêem muito, mas lêem menos literatura do que o convencionalmente esperado OEIRAS A LER
  23. 23. 13. de uma certa maneira, as novas leituras implicam comunicação e acção: a Web 2.0 veio permitir a auto-produção e promover a escrita e a edição autónomas ; OEIRAS A LER
  24. 24. 14. O uso das bibliotecas pelos jovens é considerado marcadamente instrumental, e muitos bibliotecários queixam-se da escolarização das bibliotecas públicas ; OEIRAS A LER
  25. 25. 15. No entanto, as bibliotecas públicas são cada vez mais frequentadas por jovens, nomeadamente para o uso dos computadores e da Internet ; OEIRAS A LER
  26. 26. 16. Porém, os jovens têm sido o “ parente pobre” de muitas bibliotecas: os espaços juvenis confundem-se com os infantis e, apesar da multiplicação de iniciativas, os adolescentes são muitas vezes esquecidos como destinatários de actividades específicas ; OEIRAS A LER
  27. 27. 17. Os jovens precisam de se apropriar do espaço na biblioteca, de criar comunidade e identidade, de participar em acções específicas ; OEIRAS A LER
  28. 28. 18. A imagem social do leitor, para os jovens, é negativa; OEIRAS A LER
  29. 29. 19. As bibliotecas públicas continuam a trabalhar para a classe média e a reproduzir o mainstream; As bibliotecas públicas têm dificuldade em atingir os públicos mais desfavorecidos: a divisão cultural e social continua a existir. OEIRAS A LER
  30. 30. 19. As políticas de promoção da leitura, a diversificação da oferta de equipamentos, a multiplicação do mercado editorial, a variedade de iniciativas da animação, a intensa actividade das bibliotecas públicas, não resultaram numa valorização social da leitura entre os públicos jovens, nomeadamente entre aqueles que mais necessitam de adquirir hábitos de leitura. OEIRAS A LER
  31. 31. RECOMENDAÇÕES (resolver o enigma com perguntas, ou ir dando chutos à pedra do caminho) OEIRAS A LER
  32. 32. <ul><li>Os conceitos de leitura </li></ul><ul><li>e de leitor(es) </li></ul><ul><li>com que os bibliotecários </li></ul><ul><li>e os mediadores da leitura </li></ul><ul><li>em geral trabalham… </li></ul><ul><li>… continua a ser válido </li></ul><ul><li>no mundo contemporâneo? </li></ul><ul><li>Será que as “novas formas” de leitura </li></ul><ul><li>promovem mais o consumo do que a </li></ul><ul><li>Cidadania, ou o contrário? </li></ul>OEIRAS A LER
  33. 33. <ul><li>Repensar os conceitos de leitura </li></ul><ul><li>e de leitor </li></ul><ul><li>como base para prosseguir projectos </li></ul><ul><li>e planos de promoção da leitura </li></ul><ul><li>entre os jovens; </li></ul><ul><li>valorizar diferentes </li></ul><ul><li>leituras. </li></ul>OEIRAS A LER
  34. 34. <ul><li>O que lêem os jovens hoje? </li></ul><ul><li>Como lêem? </li></ul><ul><li>Onde lêem? </li></ul><ul><li>Porque lêem? </li></ul>OEIRAS A LER
  35. 35. 2. Realizar estudos comparáveis sobre os hábitos de leitura dos jovens, considerando as novas formas de leitura e não apenas a partir dos pressupostos do conceito tradicional de leitura OEIRAS A LER
  36. 36. 2.1. Dispor, nas bibliotecas, de colecções variadas, em suportes e géneros, para públicos jovens, e usar a Internet, nomeadamente através da Web 2.0, como suporte de leitura, difusão, produção e comunicação. OEIRAS A LER
  37. 37. <ul><li>Os jovens usam a </li></ul><ul><li>Biblioteca Pública? </li></ul><ul><li>Porquê? Para quê? </li></ul><ul><li>Em que é que a B.P. satisfaz </li></ul><ul><li>ou antecipa </li></ul><ul><li>os seus hábitos culturais </li></ul><ul><li>e sociais? </li></ul><ul><li>Como pode a B.P. estabelecer </li></ul><ul><li>relações duradouras com </li></ul><ul><li>os adolescentes? </li></ul>OEIRAS A LER
  38. 38. 3. Produzir investigação rigorosa sobre os hábitos de consumo cultural e relacionamento social dos adolescentes e jovens adultos e a oferta da biblioteca nessas vertentes OEIRAS A LER
  39. 39. 3.1. Criar espaços específicos para jovens, ou mesmo bibliotecas só para jovens?: promover a apropriação do espaço , a criação de identidade , o estabelecimento de relações próprias, individuais ou em grupo. Mas atenção às sociedades fechadas e egoístas: promover a relação com pessoas de outras idades. OEIRAS A LER
  40. 40. 3.2. Definir estratégias para “ criar comunidade ” na biblioteca (Michele Gorman): ler em voz alta , criar comunidades de leitores , comunidades de criadores cidadania . OEIRAS A LER
  41. 41. 3.3. Assumir a multiplicidade dos suportes e dos media, e a diversidade sem tabus, como parte integrante da biblioteca, isto é, da promoção da leitura. OEIRAS A LER
  42. 42. 3.4. Os projectos de promoção da leitura deverão ser concebidos e desenvolvidos em articulação pelas várias instituições de acesso à leitura das comunidades nacionais e locais. OEIRAS A LER
  43. 43. Como combater a má imagem social da leitura? Como atrair os jovens à biblioteca? Como dessacralizar a leitura e a biblioteca? OEIRAS A LER
  44. 44. 4 . Resolver o problema cultural : usar técnicas de marketing e de publicidade que efectivamente cheguem às pessoas comuns ; não ter medo da vida real e dos seus protagonistas para promover a leitura. OEIRAS A LER
  45. 45. 4 . 1. Fazer chegar as bibliotecas às zonas habitadas/frequentadas pelas classes mais desfavorecidas. OEIRAS A LER
  46. 46. 4.2. Tornar a leitura popular ; OEIRAS A LER
  47. 47. 4.3. Assumir o carácter híbrido da biblioteca e da leitura; OEIRAS A LER
  48. 48. 5. Encarar o problema social : construir a biblioteca e organizá-la como um espaço de proximidade : não distanciar os bibliotecários dos utilizadores, não criar muros ou barreiras, abrir o espaço, as concepções, a convivência. OEIRAS A LER
  49. 49. 5.1. Pensar a biblioteca como um espaço e um serviço social. OEIRAS A LER
  50. 50. «Caminante, no hay camino Se hace camino al andar.» Antonio Machado OEIRAS A LER

×