Terminologias

2,710 views
2,652 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,710
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
18
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Terminologias

  1. 1. 11 12- ALGUMAS DAS TERMINOLOGIAS MAIS USUAIS: O objetivo das terminologias contábeis é uniformizar o entendimento de determinados termos que serão utilizados: • GASTO – sacrifício que a entidade arca para a obtenção de um bem ou serviço, representado por entrega ou promessa de entrega de ativos (normalmente dinheiro). O gasto se concretiza quando os serviços ou bens adquiridos são prestados ou passam a ser de propriedade da empresa. Exemplos: gastos com mão-de-obra (salários e encargos); gasto com aquisição de matérias-primas para industrialização; gasto com setores administrativos; gasto com aquisição de máquinas e equipamentos. • DESEMBOLSO – pagamento resultante da aquisição de um bem ou serviço. Pode ocorrer concomitantemente ao gasto (pagamento à vista) ou depois deste (pagamento a prazo). Os gastos podem ser: INVESTIMENTOS, CUSTOS ou DESPESAS. • INVESTIMENTO – gasto com bem ou serviço ativado em função de sua vida útil ou de benefícios atribuíveis a períodos futuros. Exemplos: aquisição de móveis e utensílios; aquisição de imóveis; despesas pré-operacionais; aquisição de marcas e patentes e aquisição de matéria-prima. • CUSTO – gasto relativo a bem ou serviço utilizado na produção de outros bens ou serviços; são todos os gastos relativos à atividade de produção. Exemplos: salários do pessoal da produção; matéria-prima utilizada no processo produtivo; combustíveis e lubrificantes usados nas máquinas da fábrica; aluguéis e seguros do prédio da fábrica; depreciação dos equipamentos da fábrica; gastos com manutenção das máquinas da fábrica. ATENÇÃO: A matéria-prima adquirida pela indústria enquanto não utilizada no processo produtivo, representa um investimento e estará ativada numa conta do Ativo Circulante; no momento em que é requisitada pelo setor de produção, é dada baixa na conta do Ativo e ela passa a ser considerada um custo, pois será consumida para produzir outros bens ou serviços. • DESPESA – gasto com bens e serviços não utilizados nas atividades produtivas e consumidos com a finalidade de obtenção de receitas. Exemplos: Salários e encargos sociais do pessoal de vendas e do escritório de administração; energia elétrica consumida no escritório; gasto com combustíveis e refeições do pessoal de vendas; contas telefônicas do escritório de vendas; aluguéis e seguros do prédio da administração. ATENÇÃO: Custo x Despesa – regra simples Todos os gastos realizados com o produto até que este esteja pronto são custos; a partir daí, são despesas. Gastos com embalagens são custos se realizados no âmbito do processo produtivo (o produto é vendido embalado); são despesas se realizados após a produção (o produto pode ser vendido com ou sem embalagem). • PERDA – gasto não intencional decorrente de fatores externos fortuitos ou da atividade produtiva normal da empresa. Exemplos: perdas com incêndio, obsoletismo de estoques etc. RECEITA – entrada de elementos para o ativo sob a forma de dinheiro ou direitos a receber, correspondente normalmente à venda de bens ou serviços. Ganho: lucro, proveito, vantagem; (osni moura, contabilidade comercial- pag. 165)

×