Your SlideShare is downloading. ×
Aula03 calcula
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Aula03 calcula

1,496

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,496
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
63
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. TREINAMENTO E IMPLANTAÇÃO DE  TREINAMENTO E IMPLANTAÇÃO DE TREINAMENTO E IMPLANTAÇÃO DE  IMPLANTAÇÃO SISTEMAS DE CUSTEIO CALCULA www.calculaonline.com
  • 2. 2. Dinâmica do Curso Terceiro dia: 04/03/2009 →Parte V: Custeio Baseado em Atividades →Parte VI: Introdução ao CALCULA →Parte VI: Introdução ao CALCULA 1. Funcionamento geral do CALCULA 2. Meu CALCULA 3. Módulo de Cadastro do CALCULA 4. Atividades no CALCULA D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 2
  • 3. TERCEIRO DIA Parte V: Custeio Baseado em  Atividades 1. Custo ABC Baseado em: PAMPLONA, E. de O.; GONÇALVES JÚNIOR, C.; MAUAD, L. G., Custos. UNIFEI: 2006 – Ú www.iem.unifei.edu.br/edson www.cleber.unifei.edu.br www.mauad.unifei.edu.br FERREIRA, J. A. S.; Contabilidade de custos. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007. MARTINS, E. Contabilidade de Custos. São Paulo: Atlas. 2006
  • 4. Sumário 1. Objetivos de aprendizagem Visão corporativa moderna 2. Visão corporativa moderna 3. Sistema ABC D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 4
  • 5. 1.  Objetivos de aprendizagem Com esse curso pretende‐se: → é i d C B d →apresentar o que é o sistema de Custos Baseados em  Atividades (ABC); →demonstrar os passos para aplicação do ABC. D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 5
  • 6. Sumário 1. Objetivos de aprendizagem Visão corporativa moderna 2. Visão corporativa moderna 3. Sistema ABC D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 6
  • 7. 2.  Visão corporativa moderna As características de custos das empresas estão  mudando ao longo dos tempos: mudando ao longo dos tempos →inadequações do sistema tradicional de custos ao Novo  A bi t d P d ã Ambiente de Produção D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 7
  • 8. 2.  Visão corporativa moderna As características de custos das empresas estão  mudando ao longo dos tempos: mudando ao longo dos tempos →Custos Indiretos vêm aumentando continuamente Componentes do Valor Agregado 80% CIF 70% 60% 50% 40% 30% MOD 20% 1855 1870 1885 1900 1915 1930 1945 1960 1975 Fonte: Miller e Vollmann (1985) D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 8
  • 9. 2.  Visão corporativa moderna Funções básicas dos sistemas de custeio tradicionais: Avaliação de estoques Controle Operacional Medição de Custos de Produtos Subversão dos Sistemas de Contabilidade Gerencial: Demonstrações financeiras D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 9
  • 10. 2.  Visão corporativa moderna Qual a causa da situação apresentada? →complexidade dos sistemas de produção; →avanço tecnológico; →avanço tecnológico; →grande diversidade de produtos e modelos fabricados  na mesma planta industrial. l d l Qual a conseqüência dessa situação? q ç →necessidade de um tratamento adequado dos CIP aos  produtos e ou serviços; produtos e ou serviços; →necessidade de sistemas de custeio que contribua  como ferramenta para a competitividade. D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 10
  • 11. 2.  Visão corporativa moderna Exemplo de uma empresa de confecções: Produtos Produção Preço Custos Diretos Tempo Prod por und Tempo Prod por und (Tec., Aviam., MOD)     Corte e Costura      Acabamento Camisetas         18.000 u C i t 18 000 $ 10,00 $ 10 00 $ 3,75 $ 3 75 0,30 h 0 30 h 0,15 h 0 15 h Vestidos 4.200 u $ 22,00 $ 5,75 0,70 h 0,60 h Calças 13.000 u $ 16,00 $ 4,25 0,80 h 0,30 h Custos Indiretos  Despesas Aluguel g $ $  24.000 Administrativas $ $  50.000 Energia Elétrica $  42.000 Com Vendas $  43.000 Salários Supervisão $  25.000 Comissões $  24.020 Mão‐de‐obra indireta $  35.000 Total: $117.020 Depreciação $  32.000 Material de consumo $  12.000 Seguros $  20.000 TOTAL $190.000 D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 11
  • 12. 2.  Visão corporativa moderna Atribuição do CIP diretamente aos produtos – sem  departamentalização: departamentalização DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS Camisetas Vestidos Calças TOTAL ç Vendas $ 180.000 $  92.400 $ 208.000 $480.400 Custo Prod. Vendidos $ 142.010 $  58.921 $ 135.969 $336.900 Lucro Bruto $   37.990 $  33.479 $   72.031 $143.500 Despesas Administ D Ad i i t $  50.000 $ 50 000 Despesas Vendas $  67.020 Lucro antes IR $  26.480 D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 12
  • 13. 2.  Visão corporativa moderna Atribuição do CIP diretamente aos produtos – com  MAPA DE RATEIO DOS CUSTOS INDIRETOS DE FABRICAÇÃO Produção _______ Serviços ________    departamentalização: departamentalização Corte e Costura C C Acabam A b Adm Ad prod Al d Almox Compras  C Totais T i Aluguel 6.000 5.000 4.200 4.600 4.200 $  24.000 Energia Elétrica 14.000 11.000 5.000  5.500 6.500 $  42.000 Sa á os Supe Salários Superv 7.000 000 5 500 5.500 5 50 5.250  3 350 3.350 3 900 3.900  $ 5 000 $  25.000 Mão‐de‐obra ind. 12.000 7.900 6.700  3.400 5.000  $  35.000 Depreciação 9.500 9.100 4.900  4.500 4.000  $  32.000 Mat de consumo 4.200 3.000 1.800  1.000 2.000  $  12.000 Seguros S 4.900 4 900 4.700 4 700 2.000  2 000 6.000 6 000 2.400  2 400 $  20.000 $ 20 000 Subtotal 1: 57.600 46.200 29.850  28.350 28.000  $190.000 Rateio Compras 9.500 7.500 5.000 6.000 (28.000) Rateio Almoxarifado 11.950 14.400 8.000 ( (34.350)) Rateio Adm Produção 23.950 18.900 (42.850) Total 103.000 87.000 $190.000 Horas produtivas 18.740 h 9.120 h Custo por hora        5,4963 $/h $/ 9,5395 $/h $/ Camisetas $ 1,65 (0,3 h) $ 1,43 (0,15 h) $ 3,08 Vestidos $ 3,85 (0,7 h) $ 3 85 (0 7 h) $ 5,72 (0,6 h) $ 5 72 (0 6 h) $ 9,57 $ 9 57 Calças $ 4,40 (0,8 h) $ 2,86 (0,3 h) $ 7,26 D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 13
  • 14. 2.  Visão corporativa moderna Atribuição do CIP diretamente aos produtos – com  departamentalização: departamentalização DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS Camisetas Vestidos Calças TOTAL Vendas $ 180.000 $  92.400 $ 208.000 $480.400 Custo Prod. Vendidos $ 122.000 $  64.348 $ 149.615 $336.900 Lucro Bruto $   57.064 $  28.052 $   58.385 $143.500 Despesas Administ $  50.000 Despesas Vendas Despesas Vendas $  67.020 $ 67 020 Lucro antes IR $  26.480 D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 14
  • 15. Sumário 1. Objetivos de aprendizagem Visão corporativa moderna 2. Visão corporativa moderna 3. Sistema ABC D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 15
  • 16. 3.  Sistema ABC Principal característica: →método de custeio que procura reduzir as distorções  é d d d d provocadas pelo rateio arbitrário dos custos indiretos. Esquema básico: D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 16
  • 17. 3.  Sistema ABC ATIVIDADES Como se gastou? Comprar  Aluguel materiais E CUSTEIO Energia  Porque se gastou? elétrica Controlar  a  stou? produção OS ETOS DE Água CUSTO O que se gas Telefone Cortar  matéria‐ OBJE prima Mão‐de‐obra Material de  Montar  Montar consumo produto Outros Primeiro Estágio P i i E tá i Segundo Estágio S d E tá i Custeio das atividades Custeio dos objetos D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 17
  • 18. 3.  Sistema ABC Passos para aplicação: →1. Identificação das atividades relevantes: d f d d d l atividades ‐ ações que utilizam recursos: humanos,  t i i t ló i fi i d i materiais, tecnológicos e financeiros para se produzir  bens ou serviços; concentradas nos centros de custo (departamento) de  concentradas nos centros de custo (departamento) de Custos serviços. dades Para cada atividade deve‐se  Ativid atribuir o respectivo custo e  identificar o direcionador Primeiro Estágio D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 18
  • 19. 3.  Sistema ABC Passos para aplicação (cont.) →2. Atribuição de custos às atividades: b d à d d custos das atividades: todos os sacrifícios de recursos  ái d há l ( lá i necessários para desempenhá‐la (salários + encargos;  materiais; depreciação; energia; etc) fonte de dados: razão geral da empresa; estudos de  fonte de dados: razão geral da empresa; estudos de Custos engenharia (mapeamento de processos) e outos  Formas de atribuir custos às atividades:  alocação direta (quando existe uma identificação  clara, direta e objetiva de itens de custos com certas  dades atividades); Ativid  rastreamento (alocação com base na identificação da  relação de causa e efeito entre a ocorrência da  atividades e a geração dos custos);  rateio (usado apenas quando não há possibilidade de  i ( d d ã há ibilid d d Primeiro utilizar nenhum dos critérios anteriores). Estágio D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 19
  • 20. 3.  Sistema ABC Passos para aplicação (cont.) →3. Identificação e seleção do direcionador: d f l d di i d direcionador: é o fator que determina o custo de uma  ti id d ( j é d d i d t ) atividade (ou seja, é a verdadeira causa dos seus custos); fator que determina ou influencia a maneira como os  produtos  consomem (utilizam) as atividades produtos “consomem” (utilizam) as atividades. Custos  Direcionadores:  Primeiro estágio (identifica a maneira como as Primeiro estágio ‐ (identifica a maneira como as  atividades consomem recursos e serve para custear as  dades atividades – recursos x atividades);  Segundo estágio ‐ (identifica a maneira como os  g g ( Ativid produtos consomem atividades e serve para custear  os produtos – atividade X produto);  quantidade de direcionadores: depende do grau de  precisão desejado e da relação benefício/custo (pode  Primeiro variar para cada empresa). Estágio D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 20
  • 21. 3.  Sistema ABC Passos para aplicação (cont.) →4. Atribuir custos dos recursos às atividades: b d à d d cada CIP deve receber um direcionador de recurso; exemplos: aluguel (área utilizada); enegia elétrica  (consumo efetivo); salário e MOI (alocação direta via  folha de pagamento); etc. folha de pagamento); etc Custos  Crítica ao ABC:  Rateio ‐ (alocação dos custos de forma altamente  arbitrária e subjetiva. Os critérios de rateio não  dades indicam necessariamente uma relação verdadeira dos  custos com a atividade ou produto); custos com a atividade ou produto); Ativid  Rastreamento – (procura analisar a verdadeira  relação entre o custo e a atividade por meio do  direcionador de recursos, ou seja, o que efetivamente  mede  o custo de maneira racional e analítica); Primeiro Estágio D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 21
  • 22. 3.  Sistema ABC Passos para aplicação (cont.) →5. Atribuir custos das atividades aos produtos: b d d d d necessário levantar a qualidade e a quantidade de  ê i d di i d d ti id d í d ocorrência dos direcionadores de atividades por período  e por produto; Custos Atividades Produtos P Primeiro Estágio E tá i Segundo Estágio D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 22
  • 23. 3.  Sistema ABC Direcionadores de atividade: Para Gilligan (1990) “O P Gilli (1990): “O componente mais importante do ABC é o  t i i t t d ABC é direcionador de custos, pois eles que causam os produtos a serem  diferentes, a se moverem diferentemente e a absorver custos indiretos  diferentemente” Para O’Guin (1991): “A seleção dos direcionadores de  segundo estágio é o ponto crucial de um projeto ABC ... são  d á i é i ld j ã eles que determinam a acurácia e a complexidade do  sistema sistema” Para Turney (1992): “A compreensão e  a administração dos  direcionadores de custos são decisivos ao  direcionadores de custos são decisivos ao aperfeiçoamento...” Para Nakagawa (1994):  A análise dos direcionadores ... é  Para Nakagawa (1994): “A análise dos direcionadores é essencial para o processo de melhoria contínua ...” D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 23
  • 24. 3.  Sistema ABC Exemplos de direcionadores de segundo estágio: →Número de inspeções,  →Número de inspeções → Número de recebimentos,  →Número de trocas de ferramentas número de →Número de trocas de ferramentas, número de  “setups”, tempo de “setup”,  Tempo de processamento,  → Tempo de processamento → Tempo de armazenamento em conjunto com  quantidade armazenada, quantidade armazenada,  → Número de pedidos de clientes, número de chamadas  telefônicas,  , → Número de peças para montar, número de mudanças  na engenharia,  → Número de unidades boas ou ruins produzidas. D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 24
  • 25. 3.  Sistema ABC Exemplo da empresa de confecções – ABC: →Passo: 1. Identificação das atividades d f d d d Departamentos Atividades Compras Comprar materiais Desenvolver fornecedores Almoxarifado Receber materiais Movimentar materiais Adm da Prod. Ad d P d Programar produção P d ã Controlar produção Corte e costura Corte e costura Cortar Costurar Acabamento Acabar Despachar produtos D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 25
  • 26. 3.  Sistema ABC Exemplo da empresa de confecções – ABC: →Passo: 2. Direcionadores de custo primeiro estágio d d á Custos Indiretos  Direcionador de recursos Aluguel área utilizada pela atividade Energia Elétrica medidores nos deptos e Hora‐máquina Salários Supervisão folha de pagto, registro de tempo e entrevista Mão‐de‐obra indireta Mão de obra indireta folha de pagto, registro de tempo e entrevista folha de pagto registro de tempo e entrevista Depreciação valor dos ativos depreciáveis usados pelas atividades Material de consumo Material de consumo direta às atividades conforme requisições direta às atividades conforme requisições Seguros valor dos bens segurados D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 26
  • 27. 3.  Sistema ABC Exemplo da empresa de confecções – ABC: →Passo: 3. Custo das atividades d d d Departamentos Atividades Custos Direcionadores Compras Comprar materiais $ 16.000 Num. de pedidos Desenvolver fornecedores $ 12.000 Num de fornecedores Almoxarifado Al if d Receber materiais R b t i i $ 12.350 $ 12 350 Num de recebimentos Num de recebimentos Movimentar materiais $ 16.000 Num de requisições Adm da Prod. Programar produção $ 16.000 Num de produtos Controlar produção $ 13.850 $ Num de lotes d l Corte e costura Cortar $ 29.000 Tempo de corte Costurar $ 28.600 Tempo de costura Acabamento Acabar $ 14.000 Tempo de acabamento Despachar produtos $ 32.200 Apontamento de tempo Total $190.000 D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 27
  • 28. 3.  Sistema ABC Exemplo da empresa de confecções – ABC: →Passo: 4. Atribuir custo das atividades aos produtos b d d d d Direcionadores Di i d _Fatores de consumo de atividades_ F t d d ti id d Camisetas Vestidos Calças Total Num. de pedidos de compra 150 400 200 750 Num de fornecedores 2 6 3 11 Num de recebimentos 150 400 200 750 Num de requisições 400 1.500              800 2.700 Num de produtos 1 1                  1 3 Num de lotes 10 40 20 70 Tempo de corte Tempo de corte 2.160 h 2.160 h 882 h 882 h 2.600 h 2.600 h 5.642 h 5.642 h Tempo de costura 3.240 h 2.058 h 7.800 h      13.098 h Tempo de acabamento 2.700 h 2.520 h 3.900 h 9.120 h Apontamento de tempo Apontamento de tempo 25 h 25 h 50 h 50 h 25 h 25 h 100 h 100 h D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 28
  • 29. 3.  Sistema ABC Exemplo da empresa de confecções – ABC: →Passo: 5. Custo das atividades d d d Atividades Custos Custo por direcionador Comprar materiais $ 16.000 $ 21,33 / pedido Desenvolver fornecedores $ 12.000 $ 1.090 / fornecedor Receber materiais R b i i $ 12.350 $ 12 350 $ 16,47 / recebimento $ 16 47 / bi Movimentar materiais $ 16.000 $ 5,93 / requisição Programar produção g p ç $ 16.000 $ 5.333 / produto p Controlar produção $ 13.850 $ 197,86 / lote Cortar $ 29.000 $ 5,14 / hora Costurar $ 28.600 $ 28 600 $ 2,18 / hora $ 2 18 / hora Acabar $ 14.000 $ 1,54 / hora Despachar produtos $ 32.200__ $ 322,00 / hora Total $190.000 D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 29
  • 30. 3.  Sistema ABC Exemplo da empresa de confecções – ABC: →Representação gráfica: áf Recursos (Custos) Aluguel Área Atividades Comprar Num de Pedidos de compra 21,33 $ / pedido 21 33 $ / did 150 400 200 Produtos Camisetas Vestidos Calças D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 30
  • 31. 3.  Sistema ABC Exemplo da empresa de confecções – ABC: →Demonstração do Resultado: d l d Produtos  Custos Dir Produtos Custos Dir Custos Ind Custos Ind Custo unit Custo unit Preço Lucro Bruto Lucro Bruto Margem Camisetas    $ 3,75  $  2,66 $   6,41 $ 10,00 $ 3,59 35,9% Vestidos $ 5,75  $17,33 $ 23,08 $ 22,00 ($ 1,08) ‐4,9% Calças $ 4,25  $ 4,25 $  5,33 $ 5,33 $   9,58 $ 9,58 $ 16,00 $ 16,00 $ 6,42 $ 6,42 40,1% ____Demonstração de resultados__ Camisetas Vestidos Calças Total Vendas $ 180.000 $  92.400 $ 208.000 $480.400 Custo Prod. Vendidos $ 115.406 $  96.948 $ 124.546 $336.900 Lucro Bruto Lucro Bruto $   64.594 $ 64 594 ‐$   4.548 $ 4 548 $   83.454 $143.500 $ 83 454 $143 500 Despesas Administ $  50.000 Despesas Vendas $  67.020 Lucro antes IR L t IR $  26.480 $ 26 480 D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 31
  • 32. 3.  Sistema ABC Exemplo da empresa de confecções – ABC: →Comparação gráfica entre sistemas de custos: áf d 25 23,08 22 20 15,32 P reço 15 C usto t 10 Tradicional C usto A B C 5 0 C amisetas V estidos C alças D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 32
  • 33. 3.  Sistema ABC Resumo: Custos C Atividades A i id d Passo 1. Especificação das Atividades • BPA (Análise do Processo Empresarial) • Cadeia de Valor Passo 2. Os Custos a Serem Rastreados Primeiro • Análise do Razão Geral • Agrupamento de Custos Estágio Passo 3.  Seleção dos Direcionadores de Primeiro Estágio  Passo 3. Seleção dos Direcionadores de Primeiro Estágio ou “Direcionadores de Recursos”  Passo 4.  Cálculo dos Custos das Atividades D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 33
  • 34. 3.  Sistema ABC Segundo estágio: custeio dos objetos de custo Atividades Produtos P d 1. Definição dos Objetos de Custos • Produtos linhas de produtos Produtos, linhas de produtos • Clientes, Grupos de Clientes • Serviços, Linhas de serviços 2. Os Grupos de Custos de Atividades 3. Seleção dos Direcionadores de Segundo Segundo Estágio ou “Direcionadores de Atividades  Estágio 4. Cálculo dos custos dos Objetos de Custos  4 Cál l d d Obj d C D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 34
  • 35. 3.  Sistema ABC Esquema geral: R1 . . . R 1j . . . R 1o . . . R i1 . . . R ij . . . R ip . . . R m1 . . . R mj . . . R mq G R 1 =  R 1j G R i =  R ij G R m = R mj DR1 DRi DRm A1 . . . A 1j . . . A 1o . . . A i1 . . . A ij . . . A ip . . . A n1 . . . A nj . . . An G A 1 =  A 1j G A i =  A ij G A n =  A nj DA1 DAi DAn O1 O2 . . . Oj . . . Ok D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 35
  • 36. 3.  Sistema ABC Objetivo do Custeio ABC visto até aqui: H →custear produtos para fins de avaliação de estoques  d f d l d A para atender às legislações fiscal e societária  por isso que foi feito a inclusão dos custos fixos e  f f l d f 1 estruturais no custo das atividades; 2 em alguns casos, permitia‐se o uso de rateios quando   l iti d t i d 3 não fosse possível a alocação direta ou ratreamento ABC é mais do que um simples sistema de custeio de  produtos: d →é uma ferramenta de gestão de custos (mais amplo). D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 36
  • 37. 3.  Sistema ABC O ABC possibilita a análise de custo sob duas visões: →visão econômica de custeio (Primeira versão do ABC): ô d ( d ) visão vertical – apropria os custos aos objetos de custeio  i d ti id d li d ái por meio das atividades realizadas nos vários  departamentos. →visão de aperfeiçoamento de processos (Segunda  →visão de aperfeiçoamento de processos (Segunda versão do ABC): visão horizontal capta os custos do processo por meio visão horizontal – capta os custos do processo por meio  das atividades realizadas nos vários departamentos  funcionais; permite que os processos sejam analisados, custeados e  p ç p p aperfeiçoados por meio de melhoria de desempenho na  execução das atividades. D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 37
  • 38. 3.  Sistema ABC ABC e Reengenharia: →deve ser implementado por meio de uma análise de  processos; →ao analisar processos para identificar e selecionar os  direcionadores de custos, o ABC poderá, já na fase de  implantação, propiciar economias que justifiquem a  p ç ,p p q j q relação benefício‐custo do projeto; →ABC pode ser um instrumento de mudanças, mas as  pessoas precisam ter disposição e motivação para  promover essas mudanças D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 38
  • 39. 3.  Sistema ABC ABC e Análise de Valor: →deve ser realizada sempre sob a óptica do cliente  (interno ou externo, ou seja, daquele que recebe ou  ( , j , q q utiliza o bem ou serviço gerado pela atividade); →os custos devem ser reportados por atividades que  →os custos devem ser reportados por atividades que adicionem ou não valor para o cliente: atividades que não adicionam valor: aquelas que  poderiam ser eliminadas sem afetar os atributos do  produto ou serviço (inspecionar, conferir, retrabalhar,  armazenar, movimentar materiais, etc) D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 39
  • 40. 3.  Sistema ABC Exemplo da empresa de confecções – ABC: →Versão 2 – Alocação de despesas pelo ABC: l d d l custos dos produtos (incluindo as atividades das áreas de  d d d d t á i) vendas e adm, desde que rastreáveis); custo dos principais processos. Áreas Á Atividades i id d Custos Direcionadores Di i d Administração Efetuar registros fiscais $   7.000 Num. de registros Pagar Fornecedores $ 10.000 Num de cheques emit. Receber Faturas $ 33.000 Num de faturas emitid. Total $ 50.000 Vendas Visitar clientes $ 30.000 Num de visitas Emitir pedidos $ 13.000 Num pedidos de venda Total $ $ 43.000 Total $ 93.000 D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 40
  • 41. 3.  Sistema ABC Exemplo da empresa de confecções – ABC: →Versão 2 – Atribuição dos custos das atividades aos  b d d d d produtos: Direcionadores Fatores de consumo de atividades Camisetas Vestidos Calças Total Num. de registros 600 700 800 2.100 Num de cheques emit. 200 275 500 975 Num de faturas emitid Num de faturas emitid. 200 250 360 810 Num de visitas 150 250 600 1.000 Num pedidos de venda 250 300 400 950 D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 41
  • 42. 3.  Sistema ABC Exemplo da empresa de confecções – ABC: →Versão 2 – Custo das atividades: d d d Atividades Custos Total Custo por direcionador Custo por direcionador Efetuar reg. fiscais  $  7.000 2.100 $ 3,33 / registro Pagar fornecedor $ 10.000 975 $ 10,26 / cheque Receber fatura $ 33.000 810 $ 40,74 / recebimento Visitar cliente  $ 30.000 1.000 $ 30,00 / visita Emitir pedido Emitir pedido $ 13 000 $ 13.000 950 $ 13 68 / pedido $ 13,68 / pedido Total $ 93.000 de posse desses dados pode‐se apurar o custo unitário  de posse desses dados pode se apurar o custo unitário de cada produto conforme a técnica explanada  ,j q p anteriormente, já que as atividades e os departamentos  produtivos já foram custeados. D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 42
  • 43. 3.  Sistema ABC Exemplo da empresa de confecções – ABC: →Versão 2 – Demonstração do Resultado: d l d Produtos  Custos Dir Custos Ind Custo unit Preço Lucro Bruto Margem Camisetas $ 3 75 Camisetas    $ 3,75  $ 2 66 $  2,66 $ 6 41 $   6,41 $ 10 00 $ 10,00 $ 3 59 $ 3,59 35 9% 35,9% Vestidos $ 5,75  $17,33 $ 23,08 $ 22,00 ($ 1,08) ‐4,9% Calças $ 4,25  $  5,33 $   9,58 $ 16,00 $ 6,42 40,1% Produtos    Custos Dir P d t C t Di CIF e Desp CIF D Custo total C t t t l Preço P Lucro unit.    Margem L it M Camisetas      $ 3,75  $   4,28 $  8,03 $ 10,00 $ 1,97 19,7% Vestidos $ 5,75  $ 24,85 $ 30,60 $ 22,00 ($ 8,60) ‐39,1% Calças $ 4,25  $ 4 25 $   9,67 $ 9 67 $ 13,92 $ 13 92 $ 16,00 $ 16 00 $ 2,08 $ 2 08 13,0% 13 0% Demonstração de resultados__ Camisetas Vestidos Calças Total ç Vendas $ 180.000 $  92.400 $ 208.000 $480.400 Custos diretos $   67.500 $  24.150 $   55.250 $146.900 Custos das atividades Custos das atividades $   77.026 $ 104.362 $ 125.632 $ 77 026 $ 104 362 $ 125 632 $307.020 $307 020 Lucro antes IR $   35.474 $  ‐36.112 $   27.118 $  26.480 D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 43
  • 44. 3.  Sistema ABC Gestão Total dos Custos (TCM): →é uma filosofia de gerenciamento de todos os recursos  da empresa e das atividades que consomem estes  p q recursos; →princípios básicos: →princípios básicos: Análise do Processo do Negócio (BPA)  Custeio Baseado em Atividades (ABC)  Aperfeiçoamento Contínuo. p ç D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 44
  • 45. 3.  Sistema ABC Gestão Total dos Custos (TCM): →engloba a gestão baseada em atividades (ABM); Fonte: Turney (1992) D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 45
  • 46. 3.  Sistema ABC Utilização do ABC no Brasil: 6% 1% 7% Não ouviram Falar 12% Não se interessaram Estão avaliando Estão avaliando 4% Decidiram não utilizar 33% Decidiram utilizar Estão implantando 9% Estão utilizando Decidiram abandonar 28% D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 46
  • 47. TERCEIRO DIA Parte VI: Introdução ao CALCULA 1. Funcionamento geral do CALCULA g Baseado em: PAMPLONA, E. de O.; GONÇALVES JÚNIOR, C.; MAUAD, L. G., Custos. UNIFEI: 2006 – Ú www.iem.unifei.edu.br/edson www.cleber.unifei.edu.br www.mauad.unifei.edu.br FERREIRA, J. A. S.; Contabilidade de custos. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007. MARTINS, E. Contabilidade de Custos. São Paulo: Atlas. 2006
  • 48. Sumário 1. Objetivos de aprendizagem O que é o CALCULA? 2. O que é o CALCULA? 3. Qual o objetivo do CALCULA? 4. A implantação do CALCULA é complexa? D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 48
  • 49. 1.  Objetivos de aprendizagem Com esse curso pretende‐se: → é CALCULA →apresentar o que é o CALCULA q g p →monstrar quais os resultados gerais podem ser obtidos  com o CALCULA. D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 49
  • 50. Sumário 1. Objetivos de aprendizagem O que é o CALCULA? 2. O que é o CALCULA? 3. Qual o objetivo do CALCULA? 4. A implantação do CALCULA é complexa? D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 50
  • 51. 2.  O que é o CALCULA? CALCULA: →é um web service d é b de gestão destinado às micro,  d d à pequenas e médias empresas. →ou seja, o CALCULA “software” que funciona  exclusivamente pela internet. Ferramenta de gestão específica para: →i) controlar o processo produtivo;  →ii) controlar custos; e  →ii) controlar custos; e →iii) formar preços de venda.  D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 51
  • 52. Sumário 1. Objetivos de aprendizagem O que é o CALCULA? 2. O que é o CALCULA? 3. Qual o objetivo do CALCULA? 4. A implantação do CALCULA é complexa? D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 52
  • 53. 3.  Qual o objetivo do CALCULA? Ser uma ferramenta de gestão que possibilite: →mobilidade total das informações empresariais de  bld d ld f d forma segura, prática e a um custo muito reduzido. Especificamente o CALCULA cria condições para que  gestores tomem decisões acertadas e forme o preço  de venda, usando, basicamente, três tipos de  informações: →i) operacionais (ligadas à produção de bens e ou  prestação de serviços); e →ii) de custo (baseados em atividades – Activity‐Based  Cost); e →iii) gerenciais (Activity‐Based Management ‐ ABM) D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 53
  • 54. Sumário 1. Objetivos de aprendizagem O que é o CALCULA? 2. O que é o CALCULA? 3. Qual o objetivo do CALCULA? 4. A implantação do CALCULA é complexa? D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 54
  • 55. 4.  A implantação do CALCULA A implantação do CALCULA não é complexa. Entretanto, para que o CALCULA seja usado como uma  ferramenta de gestão efetiva, alguns cuidados na  implantação devem ser tomados. Os cuidados a serem tomados são descritos no tutorial  que cada um recebeu. Qual a maior dificuldade: Q →na verdade a maior dificuldade na implantação do  CALCULA está na forma de interpretar os dados que a está na forma de interpretar os dados que a  empresa deseja controlar. D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 55
  • 56. 4.  A implantação do CALCULA Passos na implantação do CALCULA: D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 56
  • 57. TERCEIRO DIA Parte VI: Introdução ao CALCULA 2. Meu CALCULA Baseado em: PAMPLONA, E. de O.; GONÇALVES JÚNIOR, C.; MAUAD, L. G., Custos. UNIFEI: 2006 – Ú www.iem.unifei.edu.br/edson www.cleber.unifei.edu.br www.mauad.unifei.edu.br FERREIRA, J. A. S.; Contabilidade de custos. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007. MARTINS, E. Contabilidade de Custos. São Paulo: Atlas. 2006
  • 58. Visão Geral D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 58
  • 59. TERCEIRO DIA Parte VI: Introdução ao CALCULA 3. Módulo de Cadastro do CALCULA Baseado em: PAMPLONA, E. de O.; GONÇALVES JÚNIOR, C.; MAUAD, L. G., Custos. UNIFEI: 2006 – Ú www.iem.unifei.edu.br/edson www.cleber.unifei.edu.br www.mauad.unifei.edu.br FERREIRA, J. A. S.; Contabilidade de custos. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007. MARTINS, E. Contabilidade de Custos. São Paulo: Atlas. 2006
  • 60. Visão Geral D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 60
  • 61. www.calculaonline.com www.ddms.com.br dd b www.andremedeiros.unifei.edu.br
  • 62. INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS Iniciar a coleta de informação da empresa. →Nessa etapa, o interessante é seguir os itens que  é constam no menu de cadastro. O primeiro passo e o mais importante é definir com a  empresa quais os objetos de custeio que serão  controlados.  →Ou seja, a empresa quer saber o custo final de que? →Dos serviços que ela presta? →Dos clientes que ela possui? q p →Dos produtos comercializados? →Dos itens fabricados?  Essa é a pergunta que norteará  →Dos itens fabricados? – Essa é a pergunta que norteará todo o processo de implantação do CALCULA. D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 62
  • 63. INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS Na seqüência, deve‐se coletar quais as principais  unidade de medidas utilizada pela empresa. unidade de medidas utilizada pela empresa Solicitar à empresa o organograma funcional  →onde consta os departamentos e os responsáveis por  cada departamento – pois os responsáveis  possivelmente serão usuários do CALCULA; D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 63
  • 64. INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS Definir, dentro de cada departamento, quais são as  principais atividades executadas. principais atividades executadas →Ou seja, quais as atividades que geram custo aos  bj t d t i objetos de custeio; e  →quais as atividades que geram custo às demais  atividades  i id d →nessa etapa aconselhamos que seja executado um  d ã d mapeamento de processo, casa a empresa não adote  um. Pois isso facilita a identificação das atividades que  geram ou não valor. geram ou não valor D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 64
  • 65. INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS Outro ponto fundamental é detalhar o plano de  contas da empresa.  contas da empresa Aconselhamos, se possível solicitar ao setor contábil o  plano de contas que eles já utilizam.  Isso facilita pois tanto a estrutura gerencial quanto  contábil estarão conversando sobre o mesmo assunto. Caso isso não seja possível, é necessário fazer um  j p , levantamento dos principais gastos e classificá‐los em  um plano de contas. p D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 65
  • 66. INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS O passo seguinte é definir quais são os custos diretos  dos produtos/serviços prestados.  dos produtos/serviços prestados →Dependendo do tipo de objeto de custeio será  ái f d t d i / té i i necessário fazer o cadastro de insumos/matéria‐prima.  →Por exemplo, serviço de limpeza, deve‐se cadastrar  como insumo os produtos de limpeza necessários. i d d li ái Definir quais os recursos produtivos estão disponíveis  na empresa.  →Esses recursos serão usados para direcionar os custos  de primeiro estágio  →por exemplo: qual a área total disponível, número total  de empregados, entre outros. D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 66
  • 67. INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS Para terminar essa etapa, deve‐se fazer o cadastro  das famílias de produtos/serviço e especificamente  das famílias de produtos/serviço e especificamente dos produtos/serviços. D03 ‐ Treinamento e Implantação de Sistemas de Custeio ‐ CALCULA 17/3/2009 67

×