Práticas pru
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Práticas pru

on

  • 1,693 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,693
Views on SlideShare
412
Embed Views
1,281

Actions

Likes
2
Downloads
49
Comments
0

4 Embeds 1,281

http://ratosdotecnico.blogspot.pt 1268
http://www.ratosdotecnico.blogspot.pt 8
http://ratosdotecnico.blogspot.com 4
http://feeds.feedburner.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Práticas pru Práticas pru Document Transcript

    • úanorknizc .nrrití rto I ' ,J F ry,o Jo lnn. 1)-o.,L" iLr** i ."r no, 't/rr,t,t,)ç! r". Ç-zr,oy.c 'l ii í'l] i { {.,;,. ,Íi t,. : : '- ililnoc,ptc a ,tr. Ul o.,Ar,LlÀi{ . Fí- ôf :', ':,''li a l.;:::.,, À ÉWJê [*h* L ,l*{,f,"** d*.{ , t.**o r0 cku,r,ru 4^lt - &,uuojdí I r;S* J çY1for - 5;;çrrir-1 a 'L:t),,,t t ru-rkulrs qn!,t ei rl_,,,ri;* {c'ht t Nt^tb*.ScWtk: n r !,r.r,r u,} - l*L;nr a nutaç iyuc cic t'rc-' nçChu i- I çtoS't ,ti i ,*.|,r*ü1 fi'.1l^^/(. ,s, grrcàuyrt t tli.r)- - rl ,l &fl,tl"tctí.r,teq ,WrJr.Lrrr Vi tt,to,.i.rtan l,,Ju; ^nrtlo, lr il' Ie.lr*.d J e L rthnoq í{c:[ru íttWalto -' (r,-^ I 1! L d^ | )íí t, i .: ,! .t'' -^.tt.., , ; L ca,r[o1náf''" !t 0tr,'i' hr11,.l.{n.'r [onl,, tt,,n -', l-: 't I I !ann;h'0, t!I[r,,*-{"Y- {c.1 i lu-o r' ' );1. .r'.','j'l el -i ,, ís.-.), i:, I :,ttl.I r. .' 'l ', ! 'tÍ,. ,i "l: Í- à.$r. {^^,"Ao"drl. - ,^ar^r1r,J-ar;u )+aI,tta,tr,'oh *rd*y,: bt^x. fl.fr!kz^ i.'. l '{n v r .l )t ,tüW,t- ,g nn"cz.ütr {,r r tl ',, t *}"&*ijà
    • !'b* Us (o[r,^o [o rur,n 1tr,,rc ei.uro h t ?*n 9-lr í1^ü,^^^r.r^ AG{LL ( lonl. - oüssipo I {* yonhn t rrr) - Lisr, )),rJJ f.C lO b,.oo, tarua'o á**r*1. D (t) tnu! r,rrt} I ÂÀr,i.rto Lnc 1.) I ôu",y.,lN {-i1.;:,r';' /,qP.-í Q <Ít/.,. !., l A .'lt 1-d) I ')r-tt.{ô.i''.>r : . 'i ôDÍrú_ Itt,pm |ryobw*u"n.lur U i. 0í I i'.rr .J1 1i,, t - {ocwi ^t (r)) lCVjt, - , QanaoÀr lcÀ^^À,lnÀ 3 ' tn-41 Atllí)- '1,0 /1..i *1 'rr (,tcL , tn*t '^í' XG: /t) r'Ul,,uuü-,-v.st - it1 ," :,-: - 'x.it:oJ/i,^'{.:: , liat,q,,...,.i': r.i) b*oo Ç* ,rra,rl L*no*oL ü{r,r, t !trn[vu,ta,^, vln/ic )rqAkxt'. twLt).uts[,r,,;,, àr,,,o*, íttcnív)htu^in Cauta e-(e üu ObqrUL^On 6 lo.a[ e tousíxuirt a,w g4(ó* " '. aztÔ'.tt glcwo foÍh^ 4^^^^ü tÀÍi9,l.ükc[.r$. rtanovoJoyro §rti. .Btúd" Íro.wcrnnhco - i*Ly!*rL't.F - * VoJr,r,,lia5i; &10 ver. iô f l[.1" lc lr Vüir:fl,^, laItr d,., 'tt.aot:,s 1-.7 .ti )) : 0vigrlt'çft,(,c rfl lr"ti-lrt:o Yr*"e ii p$A:ço lal*tr, lro, l,, /.i$,ixu - o^ôlo) *pw!{r,' anõ yc<íia Ibui { clr0 rn t ,rLr,l*( ,i ln"r C /Y5 t^ lt t u x tlt cr .(. 11,,,
    • tv.qt, tuui- l*[ruol cÀ"à itlo hc 5,k ç.,r-ttJ . J, {r*..*"t J, U lrob /1NJ t:.C llüo 0 X lLUrc) y'L.h*J,,& a L f ovtc ,ol n Uvr c^ (i^tt oJ. MnusZÃ^*: fioun G'à"l,,tnroLrw q,t[n ttr,ul rl(r^^xrrúrt ril y,reletko Fr* Le Ujús & d{tXc f ' tont tohob.[üitu ",1*L ttrur ha Li , kn l,ou Lat[,4 , /r(rtJc,À A OifrU,1tC11 ínfl""u1' 14 - í {. ,ô,: fl - 0Ír ; a.,,." t iÍrr,q y I !''l ?.CC | ]. ' rrr oicr I 4 r t1 : :../..,,: ,,.1- /-t; j i.-.,_ I Í í5 a,'.t , ,v' 1-.,/t ia 1,, À, L 'I [.tt,),<+,,"r r.,/,til-:r -! - /lJ-i() § .,. tj):,. i ?nt,tú,u*u ui ( {oÍt J, S.nt, ._. lç*ao.nar,l.^s nr*|. a L^ ',, i ,I ,,,'/ , ':.t Í, :rtt1.t . t. r)/ / ". , c, ,",r " f roSi,tr«:i o* cr,,o l^a,r i[< zxLolsivc lcflcne1» +r,,rlt- oubraaí.lrr|r f mn;trhUv,cran ,1,41cs Nnrr^r*. e y6* Fo !i )À â/"iê t r*rrlrl, [c L t cnnur-[cn f]/tíiucc(,u u,{ u*5* Ancs r;I-.trr (t*t) Usu,- LÍ.d" L: q1,-r*. ?sír e/,Ç gl a^âlnrn^. ,nb"w,c *) À,r^*[u ô nivolo^^ àc)ô t r.'J"! ct {acknr, ,*L*, ^- $,*tv, itrwroi ir ;r,,. i{:'' { {; ra, - ''' 'r l i',râ i,' çü t,, 4 i .1,Jt r.5, ,,:-/ , rf?t, ) 2, a ,,,, o'o.4, ,*,C')tr '-?r-S .t ,"' 'r, . /tt|tttt.: í,§/./-P.-l . :p :- ): à,t^ J*& ). . '§Eut (oor,r q.^Àf Nlnvtc .Àla.nazrr,t Pil rU^I. V,, on iann to J. .1o., [ú*v' u*o*,, ç"U sÍr tecor"L cij" Laa l,-r.^{, i , ,*r1 .r or, , /,.. ,)f .; 0a-,- ,i( ;i , k Lu..
    • - l^^"c)^r".ât,ÁL/ 1v.L ^nor.nü t^ t,t L flÂort'vr tl Úa 1vt't1l- o /^/vt &nu U t; ?('6f'{'üc ,tn,'ti ' U l, /r^^^ $z..h ['* 9-, [L- L; Á,wac é $J. * U t*rk Lil^tr ! t (vcccfl ^.^JWÇ )'^^"W '+^ t' ^ o obçzawJott jn* [onauo ru,*b, ü Nqí-Â (§nm o ul,tllox unb*u hor* t ^^^r orl"'[. ê, f Ur^ (À oA^^c obl*.ho -^* ?* t"" í 8^ 'rv^lcyr*^ [o 1w'ft't' y*ã1ato 00 lcn,15o dos fu.oir o ,,,iit^roÁ,p y ,lr- anlo, !ça14c Art att ,;*r ,,,tl,r,tv raori[rr,iq $/vv() 1 [ 4r*"" ** u {rr,u aÍr.rcr {, ,,,lkrry t*r-^r*V sq^nno),ur- J.., - fu^^bib ;,#ffi*"? 4^^ovQ Vrí*q anbonr&ct v, t I '. 7,a ftrttaui i, : ntouo^rr,'rr,-l rl i L»< ú) L,l {f" I f,,o.I .r ,exa.,> 6aa,." viel ( a- o,í acoLpü & - fumcs lo - siarofih;ib - íüe dL,[rJ üp*S' ' * l;sL*W, hn, * + - "";- Il, b,e.b blwl W,*,ffi,****r. W*@ a tvúGrtrq,k d,pru^tt que w Lrr,X o a) <,r*,q,,,o^J @^üa,grUntor locot, qfícv*r I.ó . cl,G-iÁ o c{ovrtu goL r"o-Ln c i, o^U , fdrr+ ,,*!t y l*(oct - w.c>,r^lw;"'^,'^a l - 50 (*h 6;;, ê v* ov .4rr* t& *Ll N "s-*^'[- +J o obvnvoJon c ouhos cbie.(4, A{corwha.oa,rrrl^h V[os {oru D4rv1r. ,t&I""1 rtrrurrt a !o u , [-[r{^úrl,r'u td{zp: vonl,'cal c/ Lo'ty^nt t govi ,, n^nlo, Lxhn*["., uLçn l" ,n^o<ra1n b^lrclt vic , Lr.onnl"r^r,I.L ^o alr^nt^qa,,uu"tu Jo up - L^,.i^^^iç,, Jos rta,.os L c,^nvefurr. - "rçs,.;ta"a^o^,.to t c^".J." L ;enkcrtet - co^1,'^^^-'Ja§" l. -- [o-.Lar rtot"r^ ào, (cÍseior {d sobu,elro.tto
    • Planeamento Reqional e Urbano Exercício 4 : Demografia A cidade de Belavida tem registado a seguinte evolução populacional ao longo das últimas décadas: 1 00 000 90 000 80 000 70 000 60 000 50 000 40 000 30 000 20 000 10 000 0 '1900 1910 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1980 1990 2000 2010 0 gabinete de planeamento urbanístico da Câmara Municipal caracterizou a situação actual (2001) da cidade da seguinte forma: . . . . . . . . . SuperÍície global dacidade = 935 ha; Superfície de espaços erpeclantes não ocupados = 110 ha; SuperfÍcie bruta = 655 ha; Superfície de equipamentos = í31 ha; Superfície de arruamentos = 96,8 ha; Superfície de vias principais = 76,8 ha; Supeúície de estacionamento = 88 ha; Superfície de implantação de construçóes = í56,1 ha; Volunretria total = 930 x 10a m3 (60% desünado a habitação). Lvnt A cidade de Betavida possui actualmente um Plano de Urbanizaçãffie estipula no seu regulamento o seguinte conjunto de parâmetros urbanísticos a aplicar ao licenciamento de operaçÕes urbanísticas: . r . Numero médio de pisos s 3 pisos; Densidade habitacional liquida S 34 Fogos/ha; Capitação de equipamentos à 24 mz/hab. Estes parâmetros foram definidos com base nos seguintes pressupostos, que ainda hoje se consideram válidos: . . Dimensão média dos fogos = 100 mz/Fogo; Altura média entre pisos = 3 metros. Departamenlo de Engenharia Civil e Arquitectura - SecÇão de Urbanismo, Transportes, Vias e Sistemas
    • O referido Plano de Urbanização previa, para o ano de 2001, uma população total de 55 000 habitantes' Face aos desvios detectados entre a situaçâo aclual e a situação preconlzada no Plano, iniciou-se o prooessq de revisão deste instrumentos de gestâo territorial tendo-se traçado dois cenários tendenciais de desenvolvimento urbano contrastado. Os cenários desenvolvidos têm por base o seguinte: Cenária deva a A: Evolução demográÍica seguindo o modelo exponencial. Previsão de que este crescimento se movimentos migratórios (com taxa anual de saldo migratório de 1%). Tendência para o decréscimo da capitaçâo da área coberta de habitaçâo para20 m2 / hab, Cenário B : EvoluÇão demográfica seguindo o modelo logístico por forma a atingir uma população limite de 80 000 habitantes. Manutenção do actual (2001) valor da capitação de área coberta de habitaçâo. Tendo por base a informaçáo apresentada, calcule: a) Os desvios urbanísticos actuais (2001) em relação aos indicadores que o Plano de Urbanização preconizava para Belav ida. b) Os limites superior e inÍerior da população de Betavidapara o ano de 2020, de acordo com os dois cenários de desenvolvimento urbano acima referidos. c) O Saldo Fisiológico previsto pelaCenárioÁ para o período d) 0 20ü '242CI. Índice de utilização líquido a adoptar nos pedidos de licenciamento para a actual superfície de espaços expectantes, por forma a absorver os acréscimos de população motivados pela concretização de cada um dos cenários de desenvolvimento. Em qualquer dos cenários consÍdere que a superfície de vias principais será de 10o/o da supeÚÍcie de para equipamento espaÇgs expectantes e que se exigirá, em cada operaçáo urbanística, a cedência de 1,5 m2 por m2 de área de construçã0, Dépaname"io de E-sê"haria civil e Arquilectura - secÇão de urbani§mo, Transportes, viâs ê sist€mas
    • &lo ViI. E:cnottro Áৠ: Ay a rr. -- tto *. [r1o1os lnc l3s tobol = h. 6ssh. áhi la V, h, 16,1 16, â?t = âq z t3l h. = - = íg ?. 24 -}'^, *;I" ,l3o x ro ra) â (anÃ*,to 6o/, ) / = too *, /lnyo Â^ To,F ;/ hn6t{rn A ffi* il; ,,zll,.á 16 _ h l §61l ha tw ^:o L fsos 33 *r,1 Dl,ratl A 34 F?r/[no 4q ú lia ,Irf, ,^ig =tI a'c 'h 1 Zo at lhab ?oo Prr, = r§ 0b W .*otrJo lrÀhco r<-- *od b1 o.c-h trto, unu^irl.'crl .o,^^ , unta,,",t^.sl.,ca qr,,ô^u{i'ot , ng aruiU,o t, çrJor á Ur6 àJc =ufuOrl 2oo't . ?iso: ' D.ur:. a! tq r:r' /mu /tna ,Copnl Ulh *2lhc6 ml a^iJ,o L [is.u ,.qq'. i3 VUU =rAi /oot Vwt. , Inq,,r,, 130 xro t' : ltc,txro4xzxp,- (,) pr^: 1)q1q,rfrto, J, I t tt, (y lr, Ad hrfwr íAc (,) 7 fliroü hal lqq 4,,{ : rLy Q- . /,oq + - âir tyr: _ Arf (:) ; 6rI_ F= 13 1 - e,í. /Ac{hd) Ac &r") tXloàr2; ZtZ,t),a ÍAr (.fqo) : I Í "), 1 hq : 9,7 xog 1I[, ÀàI, lr ho
    • 9 [^*lo J, pfl rcÍ( tazo yu, 0., z ._ i, urnáw,ot
    • S4,tl" {nUo ':', l j,., ' t ii , toy.. .+ 26rr - 2o2o uucrub ; t" t 'i ) .t 1,, ') / A l,_ r'I r-i ) T u Arf z l- il oÍ es p, ços e< yec{a*rh 107. Ary *gt 6lq= tt,luaz /Ac .r.r ,' ,' ,
    • 1,§ # r*z q 4 t *74 fu(: S4Zot§ nr''} 440 xroâ - I,l' & A5r ü,*f*o I s w x tÔ -B13o3o - o"l , jjzu9 - fr: 8t :o: ,*7 r*rl -- 7 4+611o 3,06 )6q?ô loç(tou): Aq- - Àg 110 - Arp 0lí Y 6152q ho! Lhc. i As{ Aon A6 I ltÍo8i / l, J ll0 " 0tzÍos,tt NLE tY Íhc A:l o * tfuol ifuo) Lrton I = 8tZ í6§rrr ô, {}, § (?,3 },a {?úxroü - 6J = : ttt181,r : r too : L8, 6 *l lh"b 28,6í ( e«7q1 00Íq , tat 6srou)
    • Exercício LUZBOA í. A Zona Ocidental da cidade de Luzboa, com um total de 200 hectares, está sujeita a um Plano de Pormenor (PP) que tem como objectivos a reabilitação e revitalização desta área, de forma a inverter a tendência de regressão demográfica e económica a que tem estado sujeita. Tendo em conta as características da área de intervenção, o PP identifica duas categorias distintas de espaços: Áreas a Consolidar, onde se promove a reabilitação física do edificado e do elpaço público consolidãdo existente; e Áreas a Reconverte4 que integram parcelas de terenos parcial ou totaimánte desocupados para os quais se prevê alteraçâo de usos e/ou ampliação do edificado, propondo-se, designâdamente, a oferta de habitação para população jovem e de novas áreas para a Íixação de comércio e serviços. Em função da programação estabelecida para a execução do PP, prevista a partir de 20O8, ilustra-se, no Gráfico 1, a evolução da área bruta de construção total (excluindo área de equipamentos) e, no Gráfico 2, a evolução do número de Íogos, que se estima que aumente nos próximos 10 anos a uma taxa média bianuàl aproximadamente constante. - Evolução da área bruta de construção total edificada Gráfico 2 - Evolução do núrnero de fogos para os próximos 10 (excluindo área de equipamentos) para os próximos 20 anos, de anos, de acordo com o programa de execução do PP. acordo com o programa de execução do PP. Gráfico í ( x 1000 m2) (Fogos) 2.000 8.000 7.000 1.500 6.000 // '1.000 s.ooo I i 4.ooo t'-3.000f 500 ",' n /.' I 0 + r--J --j 2008 2012 2016 2020 2024 2028 Tabêla de dados: zooel zopl zorol zozol zoztl a) 2oza ffi ,-f .-r --, --. -r zooel 2o1ol zolzl I --: zotql Sabendo que o índice de utiliTíção bruto máximo admitido no PP é de 0.9 e estimando que a dimensão média dos fogos seja de 100 m', determine: ar) Qual o aumento esperado da densidade habitacional para o ano 2O13? az) Qual a superfície de áreas comerciais e de serviços prevista para o mesmo ano? b) ll1 ü7 b- Calcule a dimensão média da família prevista para 2018, sabendo que em 2008 se estima que a população residente seja de 5400 habitantes e que nos anos seguintes a taxa de crescimento média anual seja constante e igual a12o/o. Considere, ainda, que a percentagem média de fogos ocupados em 2008 é de 65% e quê esta percentagem terá um crescimento a uma taxa anual constante de 3Yo- ü"r^lo Àc. s l. fotc 2ot3 e hrbil-arno-J : í Ac mçat I Lq( fiagab b Fx{*^ r,^áü. kt"
    • 2- Para a categoria de espaço Áreas a Reconverter o PP define os seguintes índices urbanísticos: . . . indice de utilização líquido máximo = 1.4 Percentagem dê ocupação liqulda máxima = 30% Parâmetro dê cedência para êquipamentos: 70 % da área bruta de construção cêdida sm têrreno ou 30% da área bruta dê construção cêdida êm área edificada . Usos: Piso térreo - comércio e serviços; rêstantes - habitação; Para uma parcêla de 10 hectares que se encontra actualmente desocupada e para a gual o PP propÕe o traçado de uma via principal que ocupa cerca de 5000 m2, determine: a) Qual o número médio de pisos guê poderão ser construídos, admitindo que as cedências para equipamentos se efectuam em terreno? b) Qual o número de fogos atribuídos ao proprietário da referida parcela caso concretize as cedências em terreno ou área edificada. Em ambas as situaçÕes, considere que a dimensão média dos fogos é de 100 m2. c) Proponha um perftl transversal-tipo cotado e legendado para uma via distribuidora local inserida nesta parcela, de Íorma a que contemple arborização nos passeios e oferta de estacionamento na via pública. Justifique a proposta apresentada. FORMULARIO ír.torces E pARÂMETRos URBANÍsncos Densidade DoDulacional íd) d= P/S Densidade habitacional íDl D=FlS lndice de utalizacão {i} lndicê volumétrico a= íi-l i" >4,/ S =: Vr/ S Percentaqem de ocuoacão do solo (pl p=(4"/ S) " í00 CaDitâcãô de áreas dê êouhrâmêntos íC-^) C--=S--/P DEMOGRAFIA Taxa de natalldade (n) n=N/Pn Taxa de mortalidade (ô) õ=O/Po Taxa de saldo Íisiolóqico (TSF) TSF= SF / Taxa de miorâcão íTml Tm=§lllD- indice de envêlhêcimento Pop.>65/Pop.0a'19 Po no topo Pop. > 65 / Pop. total na base Pop.Oa19/Pop.total Relação de dependência (Pop. 0 a í9 + Pop. > 65) / Pop. idosos Poo. > 65 / Poo. 20 a 64 lôvens 20 a 64 PoD-Oâí9/PoD-20ã64 Rêlecão dê fêrtilldedê Poo. Fem. 15 e 49 / Poo. Fem. Total Rêlâcãô dê aciividâdê Poo. 20 â 64 / PôD- Totâl Modêlos de Droieccão ooDulacional ExDonêncial P=â+bt P=aÚ Loqístico P= lf.t(1 +êa+bt Línêar Lei dê lúalthus P. = P^ í 1+ tc I
    • E<rncrr.o Lutgoâ § ift : 26ha P'P' [,i*0, o.rr"['L | ,*ro, , Monnvrnlet it;$«r : {v. Ào ãua h-t tsta os §rtÃP,at^a Dinna ^^"iJl. Dt*c Jo, aa,rtlds ?l^c , os gt'6À**ot íto a^'Lot comslat* -. J-b -ffi ',r -- jL J*Yrlh* €xii*r'r-l'*r'3uâ : 1,31§ü!ri;'-6&x t,0? DVr! {ser3); §hoi : ti,, Jffi. : 1, 3 4 *) tonn - t{ ; á, (} $ *, {n3-, fr,1*,*+S-xr*h ? gnv(tos FrG ?oqt Ar* (eor* I 465 {Zor11 i't tr'j1 : '" í. hc Ízore} ,,íl?r,,6ÍrôJ Í1 4' ÍÍ- - b, (Sohra : a il,Í} fu,rn, ry[] :'l,att' = r§ i M''úa / eort ,1, f ? :irl?of?4*í f;o.u q' byt = too *z lh, , + DrpL{mo}} l ell;*» (cxo{[o ;ruc ü g) a^^o, evoL^'cv t,.s = o,l Du,ç! Zo co,r,rtru,,,ça, bt à, o*? t |ft l*o t*r);'o u4^^'^'9 k$*Z' ' , t - /rxo: i;cyes, (to.t} fh- : } & 3§ 7' {oçor di*o 4,o16Ô3t{ q t?4 , (oAoz) l-Jo,l
    • ' I l'-.,,1 t.1 J/ T)( : -,. U^- ^-ol^ J. /ruU^ *,.t^ zoe fT üH&/ k "e^,v ?oof : trÀoo ha[ , lara C Àrltrrr.rr,tto a;lr4ç,"l "{oXot ou{cJo, tr u j't I ' t. 1-,1t' : lL Y ZooÍ : 6s Z ',')/'r' 't-,'.: i ,1, ,: !." -rl crur ür,"il^h '. 3/.
    • í.19 ,OOO: 2.r,..' lO6o.: t)tJ,,Vcío', 'ul t i* c{ l'ir, i,,Oí ', '5 boO lr, :i^o?'.' : o l0 / r cl -- Düu i"o+r* ?+ ) /' . -/.1.0, t,; ,.., fw,o: -l- . ?o { n . {.il 'r' {10'g'' : it, l"+ Z lr*,rt )Í,ití.^n'{ )r;,' /ott : .l t^i/íllIl -_.vt Ju,n A^rt l^! ' * 7op61 { I + Lt'it a,.,:zl,'4 5 13oô xo,$1-:3; fog.,io;;r '7frt8) í, 1i6 , /-í n i i / ou{ !vst§.} 6"t* :5 !t,,,,r,: 2,63 ---.-:_:__ V 2) '1'$.'r í:*,ü..-_ 0,6§ í 4 I n i?o,t 1 loOO: 't. 7 ,,r I lr^,a Áuot a. t&clmvtnka Trlarax ; í,t üj már : 3oZ lry AL^c'o ,/aguig,rnr".realrs : 1loY ü. 6W Lr*}, L O*trlu,r.;ib Crü.J, a, J.r*o oü la á*c 6,*II & 3o/. uJoJ" ?i§a frwo rto:[aan(er + coo,$Íu^Jír crü.Jo tuv éua.t:l,r'r"L c.5 l.u5;k1O - P* = ). dc çl <oyQa»urt[rs ,.^ Crrr flr, , b*ru^ o ífiç ÍA; t."- ) ) {,t i, &i üf,Í íe" L,J. Í'Or"-. 2h l),e4 ) ") + íA" Av1 :t y i |íf ,L, fr:t.- Anl 1,? I't 0, I t.: r .* 6 ô v f, 1 o,i [. [',,] ,nc : u) í'!l : u! ,-( ô,§ o,? (1,q t^ 11 rrç g,ij.'i c-t P$ , /,.t1119 1,r .!.t, (r'J íi, : i,i, v &:l lo,14i {t'"} l?l io I i 1, I Ifr I ir! i' l-. irí íl) luril -. i., ,,,i41q ,Í a ; rLg? I I I )i Ytw í k 1A; t;,1t+tll : _lríl 4 i'l 111h Y'')
    • 4 &,* ^ *;ü. Jo ffr, , too 'l*"z
    • PLANEAMENIO REGIONAL E URBANO ExercÍcio 1. Na zona do Bairro Mais Alto, centro histórico da cidade Metropolis, tem-se verificado um processo de 2 çaracterizam, respectivamente, a evolução da população residente e a evolução da fixação de áreas comerciais e de serviços, observada nas últimas revitalização demográfica e económica. Os gráficos 1 e decadas. Gráfico I - Evolução da População Residente (Populaçáo Toial) l (FbFra,a) l m .tl trm 4m l T m I 1m l , l 0 '+-=----l 1S1 i 1@ -+ Gráfico 2 - Evolução 1S 1W das áreas comerciais e de serviços (Grrlssv{rz} 191 (m2 de mt área total construção) '' {jm. l l*i LI I 4m1 il rm,l 1975 1m 15 1m 1S5 m ffi *1O l O Plano de Pormenor do Bairro Mais Alto (PP) caracterizou a situação em 2010 da seguinte forma: . . . . ' Area de solo líquida (Asriquiou) = 30 ha Área total de implantação (IAi1 = 15 Area de equipamentos = 12 ha a Taxa de motorização = 1,5 veículos/fogo n, Perfil transversal médío dos arruamentos = I m - I 4rea dê estacionamento-na via públ[ca = 1,5 ha Área de vias princípais = ilYo Áreade solo bruta (Aso.,t") Dimensão média da família = 2,5 hab/fogo Evolução da população sêgue um modelo exponencial Com o objectivo de minimizar os efeitos negativos da ocupação do espaço público com estacionamento, o PP propõe a construÇão de 3 parques subterrâneos de utilização pública localizados sob praças na periferra imediata do centro historico, cuja área totalde implantação é de 1,2 ha. O PP estipula, ainda, no seu regulamento os seguintes parâmetros e índices a aplicar no licencíamento de operaçÕes urban ísticas: lST. DECivil. §ecção de Urbanismo, Transportes, Vias e Sistemas
    • PLANEAMENTO REGIONAL E URBANO Limite máximo de áreas comerciais e de serviços (só permitidas no R/C) = 60% da área total de implantação das construções 1 lugar de estacionamento (na via públlca ou em parque subterráneo)/ 100 m2 de área total cte construção de coméÍcio e de serviços no máximo de pisos para estacionamento em cave = 4 índice bruto de utilízação do solo = 1,4 I : Tendo em conta a situaçâo caraclerizada em 2010, a) Calcule o número de lugares de estacionamento em falta, face às necessidades decorrentes do aumento da população residente e das novas áreas comerciais e de serviços, apos concluída a construção dos novos parques de estacíonamento subterrâneo, prevista paru 2015. Considere que a oferta actual de lugares de estacionamento existente na via pública deverá ser reduzida para 50% e que um lugar de estacionamento na via pública ocupa 5m x 2,5m. b) Calcule a partir de que ano a capacidade das Escolas Básicas do 10 Ciclo (EBí) actualmente existentes no Bairro Mais Alto não será suficiente, face ao crescimento previsto para este escaláo etário (6 a 9 anos). Considere os seguintes dados e admita que a tendência da evolução da taxa de crescimento do referido escalão etário se manterá constante na proxima década. . . c) Capacidade das EBl = 288 alunos População 6 - 9 anos (2001) = . Tx. de crescimento escalão 6-9 anos (9112OO1) = 25% 2í5 habítantes Verifique se a regra dos 45o é cumprida no Bairro Mais Alto. Considere que a altura entre pisos é de 3m. d) Calcule o número de fogos desocupados em 20íípsabendo que o valor médio da área coberta por fogo e de 80m2. e) Desenhe uma proposta de implantaçâo para o espaço actualmente ocupado por quarteiráo fechado com 80mX 60m que o PP do Bairro Mais Alto propÕe demolir, especificando os seguintes elementos: . . , . Frente e profundidade dos edifícios Número de edifícios Número de fogos/piso e respectivas tipologias habitacionais (Considere que apenas o piso térreo é afecto a comércio e serviços). Área total de logradouro Densidade habitacional líquida (Gonsidere que Númêro de pisos transversal médio dos arruamentos = I o Perfil m) Justifique a proposta apresentada. lST. DECivil. Secçáo de Urbanismo, Transportes, Vias e Sistemas
    • Sa,rlrro t{a,l /}lh oto Erltrr : Ail ; 3o h, í-hi 4,^/h Zoo4 r§ ha ' frq, lZh' Di* n^^rl 2 Z,S l^r I íA'rl z i'í 4u( 3 fx h, mn Ll-o eY^^!t^a'ovl ' oro§ Â.r[ ganlxos xtJcan?r^eos ,urrOhrtitertU : l,Sfurl lop | íAi =12ha ,rv.ax Àc.S 4rr[uol^*^e^rV . b7. Zhi / ,eo nnz Zkc.s Í5,r^.*o) r't2 rwéxirvao & f iro. euo. ,S[oao-,0,*.r^Ç, !À)/t [Â,rnn c*aoiomqan^r,u.b , üwt lJb a^t^ ac[.^ôI uLeit pÇke soZ t esfadoana,vtl.r,to i , ,vn- xz,í * ng .l[o*o*r.,^&{rt?J r, o At cN,J-Á^çfl Zoon 4'1"r ' Pf 2ac1 -r , nrl*r,.o " [lc s 2m ') n'o* , i l. ccttJc- >4 ,fnu azrarr'.r-r.ali6 I urtr o^o*{c,v,r...l_,3{p l*{*'s An-e@i:.i"í*-.à a'naw*ls"'^v» J rr' tr, -a4^./1 zoog ld+§t flopu.lo1il vt 0l kç.,x ) t^ouirto ç-qtAn.*r* t t)*-§ ."%,b P 0': -(i,trzrf4)Í í.Püooq) li^9 o, oZ6qZaqJ§4 :a f'g' s /D rs , ) I' .-- P* =) /r ),b:íLtoÍ9 o1 Ãto-20 :) fiti r,01?t§6t62 oçL,{ *o i I'ab ; $6lf llab i6li ? 3 Llt 4, I &Srt ;,; v{,ruilo,r: itaít,2*1,í ' §l}6,, rlact,tlOJ lnob;Nalr.v Ll scb a s0 § sr?; l^,,.Saws {afil íM = ff + üf
    • (.2orÇ1 rs | iJ '|a0,.- 1L, : t *l*ü 4'. n,ôr Q)il '.t r Í^ o lt jt , AU rl ê-il '''|: ' ;)i cn íolr . i, ü l,n,lrf/, i i lt n',ú i r ANZ .ií',,tat{o J Pr olbl I ' 'iA - q,4 -' o ll? ll : ,''{ /Jr,-^. -4! v , Yçl t,q I b: -Õtoít*Íi$44?l 'l' t') r_.^.. a'5, 2a", 7 .t't t' t n,, ' t,: iC5;í 1 n^l 4'Z 1 lrqon 1 j ,l 00 ,or'l frc t , itúi. 10 6, 7 | , y,1.nlc '- -tí s": r ] | t- :1r nr0co!s'*ôfti .n'io,t§ : sr?] I ?o( llt à' í..u40,i:! o, '. rsr3 t)jíÁ/1tJ .J í,t.ro. I x 4,Inc .' o/ii 'r, : :i-OO ' ',.a.,,,í I ÀN2 (x 2,í)*2 ,4 rr 14 : ltt.tJ': /.r. ^Yr':' i { i .,r 4r.t í./ t 1 60ô l'. lí 1 11",.- tr'r't ( G't( z /v{i .u, t').;.t, '? |.^*z l,fO b.,,q6Íir; !, I /ic lti?r,s it ,', A/v'l -' 'l ,2nc = 110úO l/{l0;4[ , ,.,iJ,l.i ': í ,* í i i Nri'l 'it17l tj,rtll: I "/r i í&c|:-.tr,,.t : I'ylrúüÜ - ;7'ilj] tvt'
    • ) l* - ?op 1 tl U c$tu^^ú'^^ç, *-' I*ft Mc fox;',,tc Litad' ,ac brJ ha5 6-1 (?@t) 7 cr.rsL = 7í7 {r ').'l' . ' .. o Sl t.[ )Y" l' t7,'/ 3- graus?' r^_- 3 i! r,') i I os a i.,. i, i '' 4 l.1 1i
    • » l,;" , 4,,,1 ') Isu*1oJo' , ?o ,,*2
    • PLANEAMENTO REGIONAL E URBANO Exercício 1. Ao longo das últimas décadas, a cidade de Halcoxeúq com uma superfície de 644 hectares, tem-se caracteiizado por um crescimento populacional moderado, verificando-se que em 2008 a populaçáo residente era de 71.300 habitantes. Apesar desta tendência de estabilização demográfica, a superfície das áreas urbanizadas tem aumentado e o valor do índice de utilização do solo bruto tem vindo a aproximar-se do limite máximo estabelecido no actual Plano de Urbanização (luo,,,o'1 = 0.7) . O Gráfico 1 ilustra a evolução da área total de construção edificada nos últimos anos. GráÍico í- Erolução da área total de construção A necessidade de revisão do Plano (IAc ; 1t Ou m'1. 4 3.100.000 de Urbanização (PU) em vigor ácêntuou-se dada a possibilldade de localização na região de um novo aeroPorto internacional. Este facto irá provocar alteraçÕes nas tendências urbanísticas de crescimento, designadamente: na oferta de postos de emPrego, na 1 fixação de nova população residente e, consequentemente, 0 1983 1988 í993 1998 2003 na oferta do mercado imobiliário. Neste contexto, foram estudados dois cenários de evolução para os 10 anos seguintes que assentam nos seguintes pressupostos: Cenário A - Não construção do novo aeroporto internacional . A evolução da população do concelho não sofrerá alterações significativas, . , . mantendo-se as tendências 2008. de crescimento de verificadas em A evolução da área total de construção (IAc ) continuará a seguir a tendência registada desde 1983; O índice de utilização do solo bruto (lus*1o) em vigor no actual PU mantém-se constante; O investimento municipal programado até 2018, no âmbito do novo PU, para a manutenção e reÍorço das redes de infra-estruturas de hierarquia superior é de 88 milhões de euros. Cenário B - Construção do novo aeroporto internacional . A evoluçáo da população resultará essencialmente de saldos migratórios positivos induzidos pelo aumento da oferta de emprego no concelho, sendo traduzida pela seguinte exprêssâo: Pt onde, P = 57657,8554x í,00002 P pt - População residente; - postos dê irabalho (directa Tatrela 'l - tAc € indirectamenle relacionados com o novo aeroporto internacional) . (m2) 2008 3.100.000 2010 2012 3"409.063 2014 4.202j87 2016 a) . 3.500.555 4.401.000 . número de postos de trabalho actualmente existente na cidade de Halcoxete (14.260) irá aumentar nos próximos 10 anos a uma taxa de crescimento bianual constante de7%De acordo com o prograrna de execução do PU a taxa de crescimento da área total de construçáo (IAc) manter-se-á aproximadamente constante durante o período de execução do Plano. A tatela 1 ilustra os valores programados até 201ô. o investimento municipal previsto até 2018, necessário à realizaçãO o das novas infra-estruturas programadas no âmbito do PU eà manutenção e reforço das redes existentes será de 233 milhÕes de euros. que a Em funçáo dos investimentos programados em cada um dos cenários, determine qual o valor promotores privados como taxa municipal de Câmara Municipal de HalcoxeÍe deverá cobrar aos
    • PLANEAMENTO REGIONAL E URBANO urbanizaÇão*, de forma a que o financiamento da execução do respectivos equipamentos estruturas fique 100% assegurado pelas receitas decorrentes da colecta desta taxa, e infra- a1) caso se concretize o Cenário A; a2) caso se concretize o Cenário B. * taxa cobrada pela Câmara Municipal aos promotores privados com o objectivo de co-financiar a realizaçâo das infra-estruturas gerais de promoção pública que irão beneficiar o solo privado, sendo definida em €lm'de área total de construçâo (IAc). b) No caso da construção do novo aeroporto se verificar na região, estime a percentagem de fogos ocupados prevista para2018, admitindo que apenas 80o/o da.área total de construção (fAc) se destina ao uso habitacional, que o valor médio da área coberta por fogo deverá situar-se nos 100 m'e que a dimensão média da família se estima em 2,5 habitantes/fogo. 2. Os serviços técnicos da Câmara Municipal de Halcoxefe estão a elaborar um Plano de Pormenor que abrange uma superfície com cerca de 10 ha. Para esta área de expansão, o actual Plano de Urbanização em vigor estabelece os seguintes parâmetros e índices urbanísticos: , . . . Número de pisos < 4; índice de ocupação do solo líquido (loriquioo) s 60%; Parâmetro de cedência de equipamentos = 6A m2l'lz} m' de área total de construção (IAc). Parâmetro de dimensionamento de lugares de estacionamento na via pública = llugar/ 4O0 m2 de área total de construçáo (IAc). Tendo em conta que as vias principais previstas correspondem a 5o/o da superfície abrangida pelo PP determine, a) A área de estacionamento na via publica que o PP terá que prever. b) A largura mínima dos arruamentos locais de forma a que se cumpra a regra dos 45o, supondo que no PP seria admissível uma diminuição do índice de ocupação do solo líquido para 5oo/o (mantendo-se a área total de construção constante). Proponha um perfil transversal-tipo cotado e legendado de forma a que contemple arborização nos passeios e estacionamento na via pública. Justifique a proposta apresentada.
    • Exor6ao 1}Jcocl. lrr, 6tt La , ?w llrrg : &^ruinio to t,la[ ?{ 0,? A tttww/lot l*L* 2A. eôü^ A t c*rtrirr,^-c^lo /n.*o5^^^ú* t g^- ot^ zü ü ,11íJ kr{irt, (i$orn'n,n*ri) J.r*[, , fu ainv.}Í;",^mtu a{í zo$ = g ínaaillrã.r {, u)to, (omãr,io o '?, r)6§?, ,S-A x ' 9Çu = ?ao -) - 24. {+"U10 q,o,,o Z?t n) loro ÍHu . t 61,qyo,+ 3 4os saç ga orr,7 ; to,{ ha. tr[ -_Ç ( tc/ oOtr tuL arb[ = !^( + '- z+J{o y t te [ - - o,t2tllyo?32, ff-lt {ton1 > EIoYCIoÔ {+ oÂ+ü'zorr L , ho3o?oJ J. lnobollu (pt?,xt ,,rrot lo o,"o) b.^aoJ eu * é/n^, L*a{2e.7 Í ô0 K 41 ^ 8Y coo (osh., ^r.nllra=, keooç-nrd 2k tzogi - o- ZB3 e^nbo^taaJb; t{ilt t /*,r"lhJ,, ft: sy .a -{ *uoslb_ í + Pf ui[''ç I t *^ bia,rr^,! L lZ, . à v.ü ,r,,,,ruto dé ZotB = à /. f 'n^l ,)
    • w ,) o*fJ* t) v. tsu,' toY. ít' Aal'{a5n " Ç1rc'r' t',.''i d o OC ..'t ,l- c- tab:otu ; zS h"b / try
    • 'r, ': l.; i - ii: . r'l l l:" t .t ', i._ '1- /-.- 1 (*iÀ 4 J;{ ! Alq : L; Av1 = íf'to[,,u 6ot. I Vo *z IAL esl* uf : ,l h^Saa / 6a,nz o,o§ tr koo,* ?.4 ) .':.', "
    • Ü lo,rq on*^n*mf" '1 trts') 0 ZDc= cb , rurr;§ot ;
    • - Jr*fu Êrc.n«iub Í1on-" {I I -- {o hr At"ht 0l vorr,ta,r^1. e*Vo [UÇol : iSxrorur 20, a§ lOf Mrrtt e 60 ls çol-aois *l*h' ' ,l / vont À, q) d' 2o í,!.t ít 1IJ Çi1 w §.ç@ a^i,r".,,ias eryiganir^'o^a'h e .--à iZí'€ | ,*t'L n,or., Lí, xs,,' a^lu'O^b f lr; / 1a ,r *a3r L j t**L ltt11 , o í) *),] t { 3 ütr 3t) - -5 1 -tÍ,-lÍl ^:'.'it r,i't,;) ''" i 1 0ff foCI t ---I *_k ilr,,r . t1 4.i ttri (,.lítrô <ltitt ' .Ú/ t:' .í]í) t fn§j,'(.;o,j {' ? . ri bf ***', !r, ? ; t*ç u i ü' - - rli lql trlttu,tat r) I íon goo : a':t {v} ? $; , (.;t b; Z?,',1 - oLt i í4 , i0.4. :' D,{,j|Õ,ll !,;f, sc$ ,.v.t'rvt atr.',rt,"lo! qr) &.locitlc na.ráúlmc > lZü0 ,rt*b /L:^ i 0 ju l ,tl .,,,i",.. , '. 1:, ,ug Õ{ i"t .C.'/! j orb{ ; }*,. -4} 3,$a 2;{a - i,t,.!,,il,r*l! t0O'/. P;;56: h: ^f f"! tI * rq ';:'Â : 3 j.//! ,,,.o *)" ir]Üi.: zJ.ltl,(') ;.t".
    • IL, ul{,*rl J,o, ü*üs ü6) : z). A4^o: Zo+o L u, a) : 2o *"a eta-ya,lul, lh| loI h = * 6o 'n*z I4%o Lo( êq 7oo 4 7 lI' 2 nz)hab t:
    • ) Atrt* ehr§, : 6ha -- 1§ +V'llh, 4"t : tt. í '^'lloyo il ; r , a, ', .rr, t- ., !i , o,ts íttst tf*l Ar1 :- o rú lL" T1or, l,i, - ,1 ]., rt. ln*r,r,nrJ >1a*-)
    • S) f# fna^r,vz.o/ h1,,
    • Planeamento Regional ê UÍbano Exercício "Monte Verde" O Concelho de Monte Verde, situado junto ao Litoral, a cerca de 100 km a norte do concelho de 100 ha Lisboa, tem registado um desenvolvimento 60 hábl hâ 15 J das zonas rurais. com 35 000 habitantes, tem moderado caracteristico Actualmente ----{" ) í'" ,//," apresentado uma evolução populacional regular, /V --- seguindo de perto o modelo linear. Na sua qualidade de técnico municipal Íoi-lhe hâ l8hauhá f;iÍr" 45ha t 5ohab/ha I solicitado um parecer sobre um pedido de loteamento com as seguintes caracterÍsticas: . . . Área de solo bruta = Área de solo líquida = llllt I Aglomerados populacionais existentes E Loteamento Proposto ha; talha reüculada regnlari Ruascom perlilransvcÍsatconsiantêdeImà Íaixadercdaganrcoln 0m + passeiosdeÍ mcom aràorizaçâo, perÍazmdo 28% da área de solo líquida; . . r l,lrimàro de Iotes =?2001 índice médio de ocrPação de cada lote = {0%; índice de utilizaçao fiquido = 0,58. a) Com base na informação supracitada, analise do ponto de vista quantitativo e qualitativo, o referido loteamento, Refira-se, nomeadamente, aos parâmetros de ocupação do solo, rede viária e equipamento. b) Por forma a garantir uma capitação de equipamento de 25m21 hab., calcule a população máxima que seria possível alojar, mantendo as características do loteamento. Qual a fuea total a ceder pelo loteador ao municipio caso seja aprovado o projecto? c) Quais os outros aspectos a ter em conta pelo município na apreciação deste processo face aos impactos que este empreendimento iria provocar? lllora; Não há qualquer servidão administrativa ou restrições de utilidade pÚblica na zona abrangida pelo loteamento. Departamento de Engenharia Civil - Secçáo de Urbanização e Sistemas