• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
1º exame gtd 2012 13
 

1º exame gtd 2012 13

on

  • 286 views

 

Statistics

Views

Total Views
286
Views on SlideShare
286
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    1º exame gtd 2012 13 1º exame gtd 2012 13 Document Transcript

    • INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO - DECivil Gestão e Teoria da Decisão Ano Lectivo 2012/2013 1º Exame 14 de Janeiro de 2013 (18:30) Duração: 2h 45m 1 Responda a cada grupo em conjunto separado de folhas (que possa ser destacado dos restantes), preferencialmente agrafado. 2 Identifique todas as folhas (no topo da mesma e deixando uma faixa com cerca de 2cm) com o seu nome e número legíveis. GRUPO I (6 val.) Responda objetiva e sucintamente (máximo de 1 página A4 por questão) às questões seguintes. Transcrições de materiais disponibilizados na página da disciplina não serão classificadas. 1. Como saberá, umas das hipóteses simplificativas em que assenta o PERT consiste em admitir a independência estatística entre as durações das actividades constituintes do projeto. Por palavras suas: a) Explique a razão (ou razões) por que se adopta aquela hipótese. b) Discuta a razoabilidade prática daquela hipótese, nomeadamente tendo em conta que há relações de sequencialidade entre as actividades, e procurando identificar (ilustrando com exemplos) condições susceptíveis de prejudicar ou reforçar a aceitabilidade daquela hipótese. 2. O “erro quadrático médio” é um indicador frequentemente usado na comparação do desempenho (e selecção) de modelos de previsão. a) Justifique a adopção do critério da “minimização do erro quadrático médio”. b) Identifique outros critérios alternativos (ou complementares) que também podem ser usados para seleccionar o modelo de previsão a adoptar (de entre modelos alternativos potencialmente adequados às características da série a analisar), justificando a sua adopção. 3. Na avaliação / decisão multicritério, a avaliação local (segundo cada critério) é baseada em funções de valor. a) Explique o que representam e qual o papel das “funções de valor” no âmbito da avaliação multicritério. b) Há alguma distinção entre esta função de valor e a função de utilidade (usada no contexto da decisão unicritério) ou, pelo contrário, elas são (funcionalmente) equivalentes? Justifique.
    • GRUPO II (5 val.) Considere um empreendimento definido pelas actividades e respectivas precedências directas, médias e variâncias das durações indicadas no quadro seguinte: Atividades A B C D E F G H I J K L M Precedências directas B B B A,D A,D F F C,J H,E,I,K C,J Duração Média (meses) 5 10 1 8 10 9 3 7 4 3 5 8 4 Duração Variância (meses) 4 9 0 8 12 8 4 6 6 0 4 9 6 a) Trace a rede de actividades representativa do empreendimento. b) Considerando as durações médias das actividades, determine a duração total do empreendimento e identifique o caminho crítico. c) Ainda para durações médias, qual o prazo mínimo para a conclusão do empreendimento se: c1) a duração da actividade D aumentasse para 9 meses? c2) a duração da actividade H aumentasse para 10 meses? d) Tendo sido estabelecido um prazo de 34 meses para a conclusão do empreendimento, avalie o risco de incumprimento, utilizando o método PERT. Explicite as hipóteses que admitiu. GRUPO III (4 val.) Uma empresa que comercializa materiais para a construção civil utiliza a política do nível de encomenda para a gestão do stock de portas de segurança NOBRE. A respectiva procura semanal média é de 10 unidades, com um desvio padrão de 3 unidades, sendo o tempo de entrega pelo fornecedor variável, com uma média de 2 semanas e desvio padrão de 0.5 semanas. O custo de aquisição de uma porta NOBRE é de 300 €, mas o fornecedor oferece um desconto de 5% sobre este preço para encomendas de 100 unidades ou mais. A empresa avalia o encargo anual com a manutenção destas portas em stock em 31,2 € por unidade e os custos de rotura em 30 € por unidade (independentemente do tempo de carência). Os encargos fixos com cada encomenda de portas NOBRE são de 100 € (independentemente da quantidade encomendada). a) Determine os valores mínimos do stock de segurança e respectivo nível de encomenda que garantem um risco de rotura inferior ou igual a 10%. Explicite as hipóteses assumidas.
    • b) Para o risco de rotura da alínea anterior, determine a quantidade óptima a encomendar e o intervalo de tempo médio entre encomendas. Nota: Para a resolução da alínea seguinte, considere que obteve em b) uma quantidade óptima a encomendar de 80 unidades. c) O responsável de logística da empresa pondera actualmente a hipótese de passar a utilizar a política de revisão cíclica na gestão do inventário das portas NOBRE, mantendo o risco de rotura de 10% e a mesma dimensão média da encomenda. Verifique por cálculo se esta mudança é economicamente compensadora relativamente à política anterior. Grupo IV (5 val.) O Gabinete de Estudos e Planeamento (GEP) de uma Câmara Municipal tem de decidir sobre a localização de um novo aterro sanitário. Os estudos preliminares identificaram cinco sítios alternativos de localização do aterro, designados por A, B, C, D e E. As localizações alternativas são avaliadas segundo os quatro critérios/atributos seguintes: C1 – Impacto visual na paisagem local. Descritor: expresso numa escala qualitativa com quatro níveis de impacto possíveis: “Muito Reduzido” (IMR), que é o melhor nível, “Reduzido” (IR), “Elevado” (IE) e “Muito Elevado“ (IME), que é o pior nível. Numa escala 0-100, os membros do Gabinete concordaram que:  a passagem de um nível de impacto “Muito Reduzido” (IMR) a “Muito Elevado” (IME) é valorada como 1.3333 vezes superior à passagem de um nível de impacto “Reduzido” (IR) a “Muito Elevado“ (IME); e  a mudança de um nível de impacto “Muito Reduzido” (IMR) a “Reduzido” (IR) é percebida como equivalente à mudança de um nível de impacto “Elevado” (IE) a “Muito Elevado” (IME) . C2 – Facilidade de transporte dos resíduos. Descritor: distância em km do principal centro habitacional ao sítio do aterro. Função de valor: linear entre os níveis de referência de 30 km (pior nível de impacto) e 10 km (melhor nível de impacto), com pontuações de avaliação local, numa escala 0-100, inscritas na coluna intitulada V2 da tabela seguinte. C3 – Risco de contaminação de linhas/cursos de água. Descritor: distância, em km, à linha de água mais próxima. Função de valor: linear entre os níveis de referência de 2 km (pior nível de impacto) e 10 km (melhor nível de impacto), com pontuações de avaliação local, numa escala 0-100, inscritas na coluna intitulada V3 da tabela seguinte. C4 – Custo de construção da infraestrutura do aterro. Descritor: custos previstos expressos em milhões de u.m. (unidades monetárias). Função de valor: tem níveis de referência de 35 milhões (pior nível de impacto) e 12 milhões de u.m. (melhor nível de impacto). Numa escala 0-100, a pontuação de avaliação local para um custo X (em milhões de u.m.) é definida por: V4 ( X )  35  X 100 35  12 As matrizes de impactos/desempenhos e de pontuações de avaliação local (na escala 0-100) das cinco opções de localização estão indicadas na tabela que se segue.
    • Opções (Localização Aterro) Matriz de impactos Matriz de avaliação local C1 C2 C3 C4 V1 V2 V3 V4 A IMR 30 6.8 35.0 100 0 60 0 B IE 16 10.0 26.7 25 70 100 60 C IR 22 2.0 16.4 75 40 0 90 D IE 10 4.4 12.0 25 100 30 100 E IME 16 6.8 20.3 0 70 60 80 No Gabinete de Estudos e Planeamento (GEP) geraram-se os seguintes consensos: -considerando apenas os critérios “Facilidade de transporte” (C2) e “Custo de construção” (C4), as opções (sítios) B e C são equivalentes; -considerando apenas os critérios “Impacto visual” (C1) e “Custo de construção” (C4), as opções (sítios) B e E são equivalentes; -considerando apenas os critérios “Risco de contaminação” (C3) e “Custo de construção” (C4), as opções (sítios) D e E são equivalentes. a) Preencha a primeira coluna da matriz de avaliação local na tabela e faça uma análise de dominância. Nota: Para o que se segue considere as seguintes pontuações de avaliação local: V 1(A)=100, V1(B)=V1(D)=20, V1(C)=80, V1(E)=0. b) Equacione o problema de determinação de um sistema de coeficientes de ponderação (pesos) dos critérios que, para um modelo de soma ponderada, seja compatível com os consensos do GEP. (Nota: não é necessário efectuar os cálculos). c) Faça uma proposta fundamentada para a localização do novo aterro, explicitando os pressupostos. Tome para os coeficientes de ponderação (pesos) dos critérios C1 a C4 os valores de 3/11, 3/11, 2/11 e 3/11, respectivamente. d) Determine qual deverá ser o aumento do peso do critério “Custo de construção” (C4) de forma a que se torne indiferente escolher a opção B ou C. Assuma que se mantém a proporção entre os pesos, tal como definidos na alínea anterior, dos outros critérios (C1, C2 e C3).