Classificação do relevo

6,401 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
6,401
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
105
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Classificação do relevo

  1. 1. RELEVO DO BRASIL<br />Classificação<br />Profa. Raquel P. R. de Avila<br />
  2. 2. Base Geológica<br />O Brasil é formado predominantemente por terrenos antigos, datados do Pré-Cambriano, recobertos em grandes extensões por espessos mantos sedimentares antigos e recentes<br />
  3. 3. Relevo <br />O planeta formou sua crosta através da solidificação de materiais ígneos que sofreram rugosidades nos primeiros momentos de existência<br />Ocorrências como soerguimentos, dobramentos, fraturas, vulcanismos, rebaixamentos, intensa erosão e sedimentação + alterações climáticas deformaram a casca<br />O relevo se constrói por agentes internos da Terra e se destrói pelos agentes externos<br />
  4. 4. Relevo do Brasil<br /> As baixas altitudes que caracterizam o relevo brasileiro devem-se ao fato de seu território:<br />Ser formado, em grande parte, por terrenos muito antigos;<br />Ter sofrido intenso desgaste por processos erosivos;<br />Não apresentar dobramentos modernos (Cenozóico)<br />É um país de planaltos e planícies baixas, hoje, dividas em planícies verdadeiras e depressões relativas.<br />
  5. 5. Relevo do Brasil<br />Temos 41% do território abaixo de 200 metros, 56% entre 200 e 900 metros e, apenas 2,5% de 900 até 1.200 metros de altitude.<br />Somente 0,5% do nosso território ultrapassa a cota de 1.200 metros acima do nível do mar.<br />As regiões mais acidentadas, principalmente no sudeste, demonstram um antigo local de grande atuação interna da terra mas já trabalhado pela erosão a ponto de serem definidos como mar de morros (relevo de formas arredondadas)<br />
  6. 6. As diversas classificações do relevo no Brasil<br /> Com a tecnologia, muitas definições foram se alternando em virtude de novas descobertas. Vejamos:<br />
  7. 7. Classificação de AROLDO DE AZEVEDO<br /> A primeira grande aceitação de classificação do relevo, foi feita pelo professor Aroldo de Azevedo, no século XX. Na sua versão, a altitude de 200 metros separaria as formas aplainadas dos planaltos e planícies. Assim, o Brasil teria dois grandes planaltos (Guianas e Brasileiro) que abrangeriam 60% do território nacional. As planícies, seriam 4: a Amazônica, a do Pantanal, a Costeira e a Gaúcha (ou Pampeana); ocupando os 40% restantes do território.<br />
  8. 8.
  9. 9. Classificação deAZIZ AB’SABER<br /> Após a metade do século XX, surgiu a classificação do professor AzizAb’Saberque aproveitou a anterior mas acrescentou conceitos sobre o material predominante na superfície da forma do relevo. <br /> Nos planaltos, deveria predominar o material desgastado em detrimento do acumulativo, e nas planícies, o inverso – o predomínio do material sedimentar acumulativo ao trabalho do desgaste. <br /> Segundo esta classificação, seriam 7 planaltos e 3 planícies.<br />
  10. 10.
  11. 11. Classificação de JURANDYR ROSS<br />Mais recentemente, após o trabalho de levantamento aerofotogramétrico da região amazônica (1970), num projeto chamado Radam – expandido para todo o país/ Radambrasil, o professor Jurandyr Ross identificou uma novidade em relação às antigas classificações; surgiram as depressões, além dos já conhecidos planaltos e planícies.<br />Nessa classificação surgiram 28 unidades distintas do relevo (11 planaltos, 11 depressões e 6 planícies). Os critérios utilizados pelo professor nesta classificação foram a altitude, as formas aplainadas, o material de formação e a sua origem geológica.<br />
  12. 12.
  13. 13. Complementação<br />Para que você possa acompanhar os conceitos e definições das últimas aulas não esqueça de realizar a leitura da apostila (até a página 4) + a apresentação de slides e vídeos que já estão no email terceiro2011a@gmail.com<br />

×