O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares:
           Metodologias de Operacionalização (Parte I)

   Introduçã...
vez que os indicadores “apontam para as zonas nucleares da BE”, como indicador de Processo
escolhi o indicador B.1 – Traba...
Indicador B.3 - Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos, no
âmbito da leitura e da literacia.



...
OBJECTOS DE AVALIAÇÃO: - Avaliar os progressos dos alunos nas competências de leitura e literacia.
        GRELHAS   DE   ...
Domínio B   Página 5
Domínio B   Página 6
QUESTIONÁRIOS




Domínio B       Página 7
Domínio B   Página 8
Domínio B   Página 9
Domínio B   Página 10
Neste processo deverá ainda proceder-se a uma análise e comunicação da
informação tratada, identificar as limitações e pro...
Documentos Consultados:
- Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar (Novembro 2009)
- Texto da Sessão
- Basic Guide t...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

SessãO 5 O Modelo De Auto AvaliaçãO Raquel

1,079

Published on

Sessão 5 - O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de Operacionalização (Parte I) - Domínio B

Published in: Technology, Travel
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,079
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
11
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

SessãO 5 O Modelo De Auto AvaliaçãO Raquel

  1. 1. O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: Metodologias de Operacionalização (Parte I) Introdução “Ler é viajar sem um cêntimo, é conhecer o inimaginável. É não estar sozinho, porque se tem sempre alguém que nos fala de outras pessoas e de outros lugares. Sonhos e aventuras desejadas serão sempre encontrados e, também, o conhecimento, pois o livro tem tudo”. Ermelinda S. Silva Aos olhos de alguns dos nossos alunos a leitura é, sem sombra de dúvida, uma fonte de sonhos, de aventuras e de conhecimento. Para os Ler, para quê? restantes alunos, aqueles que não vêem a leitura Para saber, conhecer; com esses olhos, é necessário que a BE promova Para me instruir, descobrir; actividades que estimulem o prazer de ler e o gosto Para pesquisar, interpretar… pela leitura. Ao obrigarmos os alunos a lerem não Ou será: conseguimos atingir o que pretendemos, uma vez Para sonhar, pensar; que para obtermos os “frutos” do que queremos, o Para colorir, construir; Para imaginar, desenhar; “prazer de ler”, devemos fazer com que os nossos Para sentir, exprimir… alunos sintam que vale a pena desenvolver o gosto pela leitura. Desta forma, o papel dos professores e Ou simplesmente: da BE são muito importantes para mobilizar os Para me emocionar… alunos para a leitura. Desta forma e tendo em conta a importância É para tudo isto da promoção leitura, para a realização deste E um pouco mais… trabalho, optei pela escolha do domínio B – Leitura Lê e descobre-te na leitura! e Literacia. Após a escolha do domínio foi então Bernardete Oliveira necessário proceder à escolha de dois indicadores, um de Processo e outro de Impacto/Outcome. Uma Domínio B Página 1
  2. 2. vez que os indicadores “apontam para as zonas nucleares da BE”, como indicador de Processo escolhi o indicador B.1 – Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura na escola/agrupamento e como indicador de Impacto optei o indicador B.3 – Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos, no âmbito da leitura e da literacia. PLANO DE AVALIAÇÃO Indicador B.1 - Trabalho da BE ao serviço da promoção da leitura na escola/agrupamento. OBJECTOS DE AVALIAÇÃO: - Avaliar o fundo documental da BE e a renovação do mesmo. - Aferir a participação dos alunos em actividades relacionadas com a leitura. FACTORES CRÍTICOS DE SUCESSO EVIDÊNCIAS INTERVENIENTES ONDE RECOLHER? CALENDARIZAÇÃO Estatísticas de Equipa da BE * A BE disponibiliza uma requisição do fundo Ao longo do ano colecção variada e adequada documental e de novas lectivo. aos gostos, interesses e aquisições. necessidades dos utilizadores. Estatísticas de Equipa da BE utilização da BE para * A BE promove acções actividades de leitura. formativas que ajudem a desenvolver as Estatísticas da Equipa da BE competências na área de actividade “Passaporte leitura. de Leitura”. Docentes, * A BE está informada Registos de actividades alunos e Equipa relativamente às linhas de no âmbito do PNL. da BE orientação a actividades propostas pelo PNL e Questionários realizados 3º Período Docentes e desenvolve as acções aos alunos (QA2) e aos discentes implicadas na sua docentes (QD2). implementação. Domínio B Página 2
  3. 3. Indicador B.3 - Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos, no âmbito da leitura e da literacia. Domínio B Página 3
  4. 4. OBJECTOS DE AVALIAÇÃO: - Avaliar os progressos dos alunos nas competências de leitura e literacia. GRELHAS DE - Avaliar as vantagens da utilização do livro e da leitura para a realização dos OBSERVAÇÃO trabalhos escolares, para a aquisição de conhecimento e de forma recreativa. FACTORES CRÍTICOS DE SUCESSO EVIDÊNCIAS INTERVENIENTES ONDE RECOLHER? CALENDARIZAÇÃO Estatísticas de requisição Ao longo do ano Equipa da BE * Os alunos usam o livro e a domiciliária. lectivo. BE para ler de forma recreativa, para se informar ou Estatísticas de utilização Equipa da BE para realizar trabalhos da BE em actividades de escolares. leitura. * Os alunos, de acordo com o Trabalhos realizados Equipa da BE seu ano/ciclo de escolaridade, pelos alunos. manifestam progressos nas competências de leitura, lendo Grelha de observação – Equipa da BE e mais e com maior Utilização da BE (O3 e O4). docentes profundidade. Análise dos resultados dos No final de cada Discentes e alunos na disciplina de período. Equipa da BE LPO. Domínio B Página 4 Questionários realizados 3º Período Docentes e aos alunos (QA2) e aos discentes docentes (QD2).
  5. 5. Domínio B Página 5
  6. 6. Domínio B Página 6
  7. 7. QUESTIONÁRIOS Domínio B Página 7
  8. 8. Domínio B Página 8
  9. 9. Domínio B Página 9
  10. 10. Domínio B Página 10
  11. 11. Neste processo deverá ainda proceder-se a uma análise e comunicação da informação tratada, identificar as limitações e proceder ao levantamento das necessidades. DESENVOLVIMENTO DO PROCESSO No que concerne ao desenvolvimento do processo será necessário:  proceder à recolha e tratamento da informação;  proceder à análise dos dados;  proceder à descrição da situação;  identificar a relação com os standards de desempenho ou benchmarks;  identificar os pontos fortes e fracos;  proceder à definição e priorização de acções de melhoria;  proceder à redacção e divulgação do relatório final de avaliação. Após a recolha e tratamento da informação será necessário realizarmos o cruzamento de dados e aferir o nível de desempenho (nível 1, 2, 3 ou 4) em que a BE se situa. A Equipa da BE procederá ainda a uma reflexão sobre o trabalho desenvolvido e deverá apresentar os pontos fortes e os pontos fracos, sendo estes últimos, alvo de melhoria. Será ainda necessário elaborar um Relatório Anual da BE a apresentar em Conselho Pedagógico, de modo a que possa ser utilizado internamente, na auto-avaliação da escola e como fonte de informação para a avaliação externa. Tendo em conta os pontos fracos, deverá ainda ser elaborado um Plano de Acção de melhoria a aplicar no ano lectivo seguinte. O Relatório Anual da BE deverá incluir a informação mais pormenorizada e fundamentada relativa ao domínio avaliado, no entanto, as actividades a realizar na BE deverão incluir todos os domínios. Este relatório encontra-se estruturado em três secções: Secção A – Destinada à apresentação da avaliação do domínio que, no âmbito da aplicação do Modelo, foi objecto de avaliação; Secção B – Destinada a apresentar uma informação simplificada acerca do perfil de desempenho da BE nos domínios que testemunham o desempenho da BE nas diferentes áreas de funcionamento; Secção C – Destinada à elaboração de um resumo que forneça uma visão global da BE, através do preenchimento de um quadro síntese dos resultados obtidos e das acções a implementar. Domínio B Página 11
  12. 12. Documentos Consultados: - Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar (Novembro 2009) - Texto da Sessão - Basic Guide to Program Evaluation - Oficina de Leitura (Edições Asa) Formanda: Raquel Sequeira Turma: DRELVT - T2 Domínio B Página 12

×