Cubatão – da poluição ao exemplo de controle
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Cubatão – da poluição ao exemplo de controle

on

  • 4,110 views

pos-graduação em Gestão Ambiental UNISAL por Rafael Mossolim

pos-graduação em Gestão Ambiental UNISAL por Rafael Mossolim

Statistics

Views

Total Views
4,110
Views on SlideShare
4,110
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
51
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Cubatão – da poluição ao exemplo de controle Cubatão – da poluição ao exemplo de controle Presentation Transcript

  • Cubatão – da poluição ao exemplo de controle da poluição Grupo: Rafael Mossolin, João Júlio, Mirian e Mara
  • Cubatão – da poluição ao exemplo de controle da poluição• Cubatão localiza-se 57 km da capital paulista, pertence a região da Baixada Santista
  • Industrialização de Cubatão/SPFonte: "Entre estatais e transnacionais: o Pólo Industrial de Cubatâo“-Tese de doutorado (UNICAMP) Joaquim Miguel Couto• Em 1955 forte industrialização da cidade, iniciou a atividade de refino de petróleo; Refinaria Presidente Bernardes - Cubatão (RPBC)• Início dos anos 1960 a instalação da Companhia Siderúrgica Paulista (Cosipa); bairro de Piaçaguera.
  • Fonte: Instalações da Cosipa em Cubatão Foto: Cosipa, cerca de 1990• Desmatamento de 4 milhões km para construção da COPISA; e dos mangues,• Construção do Complexo Portuário da Cosipa em Cubatão, atingindo a vida marítima,
  • • Caso Rhodia ( produção tetracloreto de carbono e pencloroetileno).- Em 1974, morte de dois funcionários mortos por intoxicação de penclroetileno,- Em junho de 1993, depois de encontrado um lixão de quinze mil toneladas de resíduos químicos quase puros, dentro da fábrica da Rhodia,
  • • Nas décadas seguintes muitas indústrias sem preocupação ambiental instalaram nas proximidade da COPISA.• Química Industrial Medicinalis (1949) proximidade do Rio Perequê, produção de cloro e soda cáustica• Cimento Santa Rita (1968)• Ultrafértil S/A - Indústria e Comércio de Fertilizantes (1970), optou-se por uma área bem próxima à raiz da Serra do Mar, maiores produtor mundial de fertilizantes nitrogenados
  • “Vale da Morte” – Chuva acida e doenças• Um levantamento da poluição do ar na década de 80, apontava para o lançamento de cerca de 1.300 toneladas por dia de poluentes particulados líquidos e gasosos na atmosfera de Cubatão.• Por décadas, as cerca de 25 indústrias do município lançaram toneladas de resíduos petroquímicos, siderúrgicos, de fertilizantes e diversos produtos químicos altamente poluentes na atmosfera, nos rios, solo e manguezais.
  • • Nas décadas de 70 e 80, o polo industrial de Cubatão, na baixada santista em São Paulo, ficou conhecido como a região mais poluída do mundo. O solo, os rios e os manguezais, que formam o ecossistema da região, receberam indiscriminadamente outras toneladas de resíduos poluentes e contaminantes.
  • Industrialização Anos 70
  • Chuva-Ácida em Cubatão• Em CUBATÃO as partículas são transportadas pelos ventos precipitando sobre a FLORESTA DA SERRA DO MAR.
  • Doenças da Poluição• A chuva ácida libera metais tóxicos que estavam no solo. Esses metais podem alcançar rios. A ingestão de água potável acidificada, por longos períodos, pode causar a doença de Parkinson e de Alzheimer, a hipertensão, problemas renais, pulmonares e principalmente danos ao cérebro. Em Cubatão, provocou o nascimento de muitas bebes anencefálicas. Fonte:
  • O combate à poluição em Cubatão• Generalização: os problemas de Cubatão não se manifestavam de forma semelhante em todas as regiões.• 1972: primeira rede de monitoramento de qualidade do ar – apenas monitores passivos.  taxa de sulfuração  poeira sedimentável.• 1977: medições das concentrações de SO2 e poeira total em suspensão - amostras coletadas a cada 24 horas.
  • • 1981: rede automática de monitoramento, com dados obtidos a cada hora.• 1984: plano de controle de emissões atmosféricas  levantamento inicial das fontes de poluição ambiental.  níveis toleráveis no prazo de 5 anos  atividades junto as empresas da região - reduzir e monitorar a poluição.  CETESB: especificou equipamentos, instalações e procedimentos de produção, para que cada fonte atendesse aos padrões estipulados.• Os gastos com controle da poluição atmosférica chegaram aos US$ 700 milhões, mas os resultados foram altamente positivos.
  • • 230 fontes de poluição do ar.• Exigências de controle para cada fonte - padrões de emissão .• O programa foi posto em prática, visando abater:  Poluentes que acarretam situações episódicas e/ou violações de padrões legais de qualidade do ar;  Poluentes fitotóxicos, visando proteger a vegetação da Serra do Mar;  Poluentes odoríferos causadores de incomodo à população.• 1985/1987: medição de taxas de sulfatação.• Maiores índices: área industrial, diminuindo gradativamente em direção ao planalto.
  • • SO2: já não se apresentava como um problema de poluição primária.• Final de 1990: 206 fontes já se encontravam sobre controle
  • • Pontos fortes  Inventário de fontes de emissão bem estabelecido entre a Cetesb e as indústrias, e atualizado anualmente.  Controle eficiente das emissões atmosféricas, com procedimentos de acompanhamento, análise e auditoria dos sistemas de controle.• Pontos fracos  Situação geográfica e climática desfavorável à dispersão dos poluentes do ar.  Tendências de aumento do tráfego de veículos pesados com reflexos na qualidade do ar por emissões difusas.
  • • Estudos identificaram os poluentes mais críticos, o que permitiu orientar as ações de controle da poluição com vistas à proteção dos ecossistemas afetados.• Medidas de contenção das encostas, proteção das drenagens e de revegetação da Serra do Mar, por meio de plantios manuais e de semeaduras aéreas, complementaram as ações de recuperação ambiental de Cubatão.• Outra estratégia consistiu na elaboração de um Programa de Educação Ambiental, incentivando a participação da comunidade na gestão e no controle do seu próprio meio.
  • Cubatão na década de 2000Medidas de controle ambiental• Redução da poluição do ar e da água;• Proteção das drenagens e da revegetação da Serra do Mar;• Contenção das encostas;• Foram criados programas de gerenciamento de riscos;• E implantação de planos de ação e emergência; Fonte: Revista Veja – Setembro/2011
  • Investimento das industrias na questão ambiental• Os investimentos foram superiores a um bilhão de dólares• Os sistemas de controle foram implantados em 100% das fontes• Maior ponto positivo foi no ecossistema aquático e para pesca. Foto: Final de tarde no sambaqui do Cubatão, local para camping
  • Monitoramento do controle da poluição• Monitoramento on-line pela Cetesb.• Contratação de empresas especializadas. Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental
  • Nova ameaça ao ar de Cubatão• Crescimento do tráfego de caminhões no sistema Anchieta Imigrantes.• Aumento do comércio exterior.• Infraestrutura de acesso na chegada a região. Foto da Rodovia Anchieta - ImigrantesFonte: http://www.abtlp.org.br
  • Referência Bibliográfica• A história da poluição do sedimento na Baixada Santista. Disponível em: http://www.labjor.unicamp.br/midiaciencia/article.php3?id_article=715. Acesso em: 20 abr. 2010.• ALONSO, Cláudio D.; GODINHO, R. A Evolução da Qualidade do Ar em Cubatão. Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental – CETESB. São Paulo, 1992.• CRESPILHO, Frank Nelson. Desenvolvimento sustentável para um Brasil limpo. Universidade de São Paulo, Instituto Química de São Carlos, 2002.• COUTO, Joaquim Miguel Histórias e Lendas de Cubatão. Tese de Doutorado Disponível em: http://www.novomilenio.inf.br/ cubatao/ch014e.htm. Acesso em: 18 abr. 2010.• FILHO, João Baptista Galvão. O Fenômeno Cubatão. O Estado de São Paulo. Março1987. Disponível em: www.consultoriaambiental.com.br. Acesso em: 20 ABR 2010.• Poluição em Cubatão – Qualidade do ar, das águas e riscos ambientais. 2008. In: HTTP://poluicaoemcubatao.blogspot.com acessado em 19 jun. 2012.• Revista Cidades do Brasil. Recuperação Ambiental. Fevereiro 2000. Edição 06. Disponível em: http://www.cidadesdobrasil.com.br/cgi-cn/indice.cgi?cl=099105100097100101098114. Acesso em: 19 ABR 2010.• ROSA, Andreza Mirella; NASS, Bárbara Ayako; PACHECO, José Dimas C. Santos. Responsabilidade sócio ambiental. Lins – SP, 2009.• SILVA, Wanilson Luiz; MATOS, Rosa Helena R. Geoquimica e índice de geoacumulação de mercurio em sedimentos em superficie do estuário de Santos – Cubatão (SP). Quim. Nova, Vol. 25, No. 5, 753-756, 2002.• VARELA, Carmen Augusta. Instrução de politicas ambientais, casos de aplicação e seus impactos. EAESP/FGV/NPP - NÚCLEO DE PESQUISAS E PUBLICAÇÕES, 2001.