Gramática
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Gramática

on

  • 10,673 views

Conceitos de Gramática.

Conceitos de Gramática.

Statistics

Views

Total Views
10,673
Views on SlideShare
10,672
Embed Views
1

Actions

Likes
4
Downloads
357
Comments
2

1 Embed 1

http://www.mefeedia.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • viva la langue
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • É PRECISO QUE APRENDAMOS A USAR NOSSA LÍNGUA. NÃO PARA DISCRIMINAR QUEM POR VENTURA FALA DIFERENTE. MAIS PARA MELHOR NOS COMUNICARMOS.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Gramática Presentation Transcript

  • 1. GRAMÁTICA
  • 2. Gramática  (do  grego : γραμματική,  transl.   grammatiké , feminino  substantivado  de  grammatikós ) é o  conjunto  de  regras individuais usadas para um determinado uso de uma  língua , não necessariamente o que se entende por seu uso "correto". É ramo da  Lingüística  que tem por objetivo estudar a forma, a composição e a inter-relação das palavras dentro da oração ou da frase, bem assim o seu apropriado ou correto uso. Pode ser o estudo e a descrição dos fatos lingüísticos, e pode ser o documento que registra esse estudo. “ Gramática é o conjunto sistemático de normas para bem falar e escrever, estabelecidas pelos especialistas, com base no uso da língua consagrado pelos bons escritores” (Franchi 1991 apud Travaglia, 2006, p. 24).
  • 3. Gramática Interna É o conjunto de regras da língua que cada falante domina, mesmo inconscientemente e independentemente de sua escolaridade. – Filhinha, você quer ir pra escolinha com a vovó? (fala da avó). – Eu vô ( vou) com o papai, porque o carro dele é mais gande. – Uai, Sofia, o carro da vovó é muito maior... (fala da babá). – Não, o carro do papai é mais bonito. – Mas, Sofia, o carro da vovó é novinho... (fala da babá). – Eu vô (vou) no carro do papai porque o carro dele é todo azulzinho e combina com a roupa da escolinha... – Vamos, filhinha, o papai chegou. Põe a roupinha. – Eu não sabo pô, não, vovó. Me ajuda, vovó.
  • 4.  
  • 5. Gramática Descritiva Procura simplesmente descrever os usos das regras da língua e buscar razões para esses usos, sem a preocupação de rotular os empregos em “certo” e “errado”. A gramática descritiva e o ensino reflexivo têm de apoiar-se na gramática internalizada dos alunos: eles só podem efetivamente observar o que conhecem e dominam, como locutores ou interlocutores.
  • 6. A tinta de escrever A tinta de escrever é um líquido com que a gente suja os dedos quando vai fazer uma lição. A gente podia fazer a lição com lápis mas com lápis era muito fácil e por isso a professora não deixa. Assim, a gente tem que tomar muito cuidado porque com tinta o erro nunca mais sai. E uma coisa que eu não sei é como um vidrinho de tinta tão pequeno pode ter tanto erro de português. FERNANDES, Millôr. Conpozissõis Imfãtis. Rio de Janeiro: Nórdica, 1976. p.17.
  • 7. Gramática Normativa Seu foco é exclusivamente o estudo das regras de uso da norma culta da língua.
    • Confusão entre norma culta e modalidade escrita da língua.
    • A norma culta tem formas escritas e formas orais.
    • A norma culta é um entre vários dialetos de uma língua
    • A gramática normativa cria o ensino chamado prescritivo.
    Sintaxe é a parte da gramática que estuda a organização das palavras na formação de unidades significativas. Cuida das funções, da colocação, da concordância e da regência dos termos na oração. Semântica é o estudo do significado das palavras. Pragmática é o ramo da Lingüística que estuda as condições de produção dos enunciados, tendo o contexto como um de seus conceitos básicos.
  • 8. A gramática natural da língua é um sistema de regras para a fala flexível, as pessoas podem variar a fala dependendo da situação e do lugar em que estão , todavia a língua varia dependendo da classe social, da idade, do nível escolar, da região etc. Por isso não existe uma língua certa, o que existe são variações linguísticas , porem os tradicionalistas só aceitam a norma culta e para eles todas as outras variedades são equivocadas. A aquisição da linguagem pela criança é inconsciente, ela faz uma verificação de hipóteses, do que ouve e as falhas são apagadas e as hipóteses corretas são arquivadas em sua mente.A partir da gramática internalizada na criança ela esta apta para falar e construir frases.
  • 9.
    • A ineficiência da abordagem prescritiva verifica-se pela manutenção de diferentes entraves:
    • o insucesso escolar;
    • a falta de gosto pela leitura;
    • a resistência em escrever
    • a memorização momentânea de nomenclaturas gramaticais para fazer provas;
    • o medo de errar que induz o aluno a escrever pouco para que erre menos;
    • o sentimento de inferioridade e incapacidade perante a própria língua.
  • 10. O professor e gramático Bechara (2002, p. 16), salienta: “ o ensino dessa gramática escolar normativa, é válido, como o ensino de uma modalidade ‘adquirida’, que vem juntar-se (não contrapor-se imperativamente!) a outra, ‘transmitida’, a modalidade coloquial ou familiar”. “ A grande missão do professor de língua materna é transformar seu aluno num poliglota dentro de sua própria língua, possibilitando-lhe escolher a língua funcional adequada a cada momento de criação”.
  • 11. E o Professor?
  • 12. Criar as oportunidades para que os alunos ampliem cada vez mais seus usos da língua, nas mais variadas situações sociocomunicativas. O contato com textos dos diversos gêneros, dos próprios alunos ou alheios, atividades de produção e de reorganização de textos, de transposição de dialetos e registros são formas essenciais desse tipo de ensino-aprendizagem da língua chamado produtivo , que procura sobretudo desenvolver a competência discursiva do aluno , seja como locutor, seja como interlocutor.
  • 13. Acreditamos que, no exercício de sua prática docente, o professor de língua portuguesa tem de propor atividades de gramática de uso (este tipo de gramática busca desenvolver os princípios de uso dos recursos das diferentes variedades da língua); gramática reflexiva (na qual, busca-se uma reflexão voltada para a explicitação das unidades lingüísticas, assim como, os efeitos que tais unidades podem produzir nos textos); gramática teórica (é uma sistematização teórica, de caráter legislativo e metalingüístico, a respeito da língua) e gramática normativa (dita as normas de uso da língua segundo a variedade culta, padrão). (Cf. Travaglia, 2006).)
  • 14.
    • Só existe língua se houver seres humanos que a falem
    • Língua X Gramática Normativa
    • * Uma receita de bolo não é um bolo
    • * O molde de um vestido não é um vestido.
    • * Um mapa-múndi não é o mundo.
  • 15. O objetivo da escola, no que diz respeito à língua, é formar cidadãos capazes de se exprimir de modo adequado e competente, oralmente e por escrito, para que possam se inserir de pleno direito na sociedade e ajudar na construção e na transformação dessa sociedade. (Marcos Bagno)