Métodos Matemáticos em Biologia de POpulações

2,533 views

Published on

Quarta aula do curso de verão em métodos matemáticos em biologia de populações no IFT-UNESP em 2/2008.

Fourth lecture on Mathematical Methods in POpulation Biology ( in portuguese). Feb'08, given at the Institute for Theoretical Physics in São Paulo. Undergrads level.

Published in: Travel, Technology
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,533
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
33
Actions
Shares
0
Downloads
140
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Métodos Matemáticos em Biologia de POpulações

  1. 1. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelos Métodos Matemáticos em Biologia de Glórias e Misérias Vegetação em Populações regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Roberto André Kraenkel Histerese Glóris e Misérias Instituto de Física Teórica-UNESP São Paulo http://www.ift.unesp.br/users/kraenkel Aula IV
  2. 2. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações A aula de hoje R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias 1 Epidemias Vegetação em Histórias... regiões Semi-áridas Modelos Regiões semi-áridas e áridas Glórias e Misérias Modelo Histerese Glóris e Misérias
  3. 3. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações A aula de hoje R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias 1 Epidemias Vegetação em Histórias... regiões Semi-áridas Modelos Regiões semi-áridas e áridas Glórias e Misérias Modelo Histerese Glóris e Misérias 2 Vegetação em regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  4. 4. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Parta logo, vá para longe e tarde em voltar. (Hipócrates). Epidemias Histórias... Modelos A Peste de Atenas. Glórias e Misérias • A peste de Atenas foi uma Vegetação em epidemia que grassou em regiões 430(AC) em Atenas, durante Semi-áridas a Guerra do Peloponeso. Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  5. 5. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Parta logo, vá para longe e tarde em voltar. (Hipócrates). Epidemias Histórias... Modelos A Peste de Atenas. Glórias e Misérias • A peste de Atenas foi uma Vegetação em epidemia que grassou em regiões 430(AC) em Atenas, durante Semi-áridas a Guerra do Peloponeso. Regiões semi-áridas e áridas Modelo • Foi relatada por Tucídides: Histerese calores, sufocamento, Glóris e Misérias convulsões , necroses dos dedos, ..morte.
  6. 6. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Parta logo, vá para longe e tarde em voltar. (Hipócrates). Epidemias Histórias... Modelos A Peste de Atenas. Glórias e Misérias • A peste de Atenas foi uma Vegetação em epidemia que grassou em regiões 430(AC) em Atenas, durante Semi-áridas a Guerra do Peloponeso. Regiões semi-áridas e áridas Modelo • Foi relatada por Tucídides: Histerese calores, sufocamento, Glóris e Misérias convulsões , necroses dos dedos, ..morte. • 1/3 da população foi dizimada.
  7. 7. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Parta logo, vá para longe e tarde em voltar. (Hipócrates). Epidemias Histórias... Modelos A Peste de Atenas. Glórias e Misérias • A peste de Atenas foi uma Vegetação em epidemia que grassou em regiões 430(AC) em Atenas, durante Semi-áridas a Guerra do Peloponeso. Regiões semi-áridas e áridas Modelo • Foi relatada por Tucídides: Histerese calores, sufocamento, Glóris e Misérias convulsões , necroses dos dedos, ..morte. • 1/3 da população foi dizimada. Pericles, inclusive.
  8. 8. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Parta logo, vá para longe e tarde em voltar. (Hipócrates). Epidemias Histórias... Modelos A Peste de Atenas. Glórias e Misérias • A peste de Atenas foi uma Vegetação em epidemia que grassou em regiões 430(AC) em Atenas, durante Semi-áridas a Guerra do Peloponeso. Regiões semi-áridas e áridas Modelo • Foi relatada por Tucídides: Histerese calores, sufocamento, Glóris e Misérias convulsões , necroses dos dedos, ..morte. • 1/3 da população foi dizimada. Pericles, inclusive. • Não se sabe que doença foi a causadora da epidemia.
  9. 9. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Parta logo, vá para longe e tarde em voltar. (Hipócrates). Epidemias Histórias... Modelos A Peste de Atenas. Glórias e Misérias • A peste de Atenas foi uma Vegetação em epidemia que grassou em regiões 430(AC) em Atenas, durante Semi-áridas a Guerra do Peloponeso. Regiões semi-áridas e áridas Modelo • Foi relatada por Tucídides: Histerese calores, sufocamento, Glóris e Misérias convulsões , necroses dos dedos, ..morte. • 1/3 da população foi dizimada. Pericles, inclusive. • Não se sabe que doença foi a causadora da epidemia.Tifo epidêmico é a mais provável. transmitida entre animais e o homem por meio de piolhos.
  10. 10. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Parta logo, vá para longe e tarde em voltar. (Hipócrates). Epidemias Histórias... Modelos A Peste de Atenas. Glórias e Misérias • A peste de Atenas foi uma Vegetação em epidemia que grassou em regiões 430(AC) em Atenas, durante Semi-áridas a Guerra do Peloponeso. Regiões semi-áridas e áridas Modelo • Foi relatada por Tucídides: Histerese calores, sufocamento, Glóris e Misérias convulsões , necroses dos dedos, ..morte. • 1/3 da população foi dizimada. Pericles, inclusive. • Não se sabe que doença foi a causadora da epidemia.Tifo epidêmico é a mais provável. transmitida entre animais e o homem por meio de piolhos. • A epidemia aparentemente veio se alastrando a partir da África.
  11. 11. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Parta logo, vá para longe e tarde em voltar. (Hipócrates). Epidemias Histórias... Modelos A Peste de Atenas. Glórias e Misérias • A peste de Atenas foi uma Vegetação em epidemia que grassou em regiões 430(AC) em Atenas, durante Semi-áridas a Guerra do Peloponeso. Regiões semi-áridas e áridas Modelo • Foi relatada por Tucídides: Histerese calores, sufocamento, Glóris e Misérias convulsões , necroses dos dedos, ..morte. • 1/3 da população foi dizimada. Pericles, inclusive. • Não se sabe que doença foi a causadora da epidemia.Tifo epidêmico é a mais provável. transmitida entre animais e o homem por meio de piolhos. • A epidemia aparentemente veio se alastrando a partir da África.
  12. 12. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Dizem alguns que a única garantia contra os germes é a fuga. (Bocaccio, no Decameron). Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em • A peste é uma doença regiões Semi-áridas infecciosa causada pela Regiões semi-áridas e áridas bactéria Yersinia pestis. Modelo Histerese Glóris e Misérias
  13. 13. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Dizem alguns que a única garantia contra os germes é a fuga. (Bocaccio, no Decameron). Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em • A peste é uma doença regiões Semi-áridas infecciosa causada pela Regiões semi-áridas e áridas bactéria Yersinia pestis.Há Modelo três formas; Histerese Glóris e Misérias
  14. 14. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Dizem alguns que a única garantia contra os germes é a fuga. (Bocaccio, no Decameron). Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em • A peste é uma doença regiões Semi-áridas infecciosa causada pela Regiões semi-áridas e áridas bactéria Yersinia pestis.Há Modelo três formas; Histerese Glóris e Misérias • pneumônica, afetando os pulmões e sendo transmissível entre humanos.
  15. 15. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Dizem alguns que a única garantia contra os germes é a fuga. (Bocaccio, no Decameron). Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em • A peste é uma doença regiões Semi-áridas infecciosa causada pela Regiões semi-áridas e áridas bactéria Yersinia pestis.Há Modelo três formas; Histerese Glóris e Misérias • pneumônica, afetando os pulmões e sendo transmissível entre humanos. • bubônica, inflamando os gânglios, transmitida por pulgas infectadas a aprtir de ratos.
  16. 16. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Dizem alguns que a única garantia contra os germes é a fuga. (Bocaccio, no Decameron). Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em • A peste é uma doença regiões Semi-áridas infecciosa causada pela Regiões semi-áridas e áridas bactéria Yersinia pestis.Há Modelo três formas; Histerese Glóris e Misérias • pneumônica, afetando os pulmões e sendo transmissível entre humanos. • bubônica, inflamando os gânglios, transmitida por pulgas infectadas a aprtir de ratos. • septisêmica, espalhando para todos os órgãos pela corrente sangüínea.
  17. 17. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Dizem alguns que a única garantia contra os germes é a fuga. (Bocaccio, no Decameron). Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em • A peste é uma doença regiões Semi-áridas infecciosa causada pela Regiões semi-áridas e áridas bactéria Yersinia pestis.Há Modelo três formas; Histerese Glóris e Misérias • pneumônica, afetando os pulmões e sendo transmissível entre humanos. • bubônica, inflamando os gânglios, transmitida por pulgas infectadas a aprtir de ratos. • septisêmica, espalhando para todos os órgãos pela corrente sangüínea. • Não tratadas, são fatais.
  18. 18. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Dizem alguns que a única garantia contra os germes é a fuga. (Bocaccio, no Decameron). Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em • A peste é uma doença regiões Semi-áridas infecciosa causada pela Regiões semi-áridas e áridas bactéria Yersinia pestis.Há Modelo três formas; Histerese Glóris e Misérias • pneumônica, afetando os pulmões e sendo transmissível entre humanos. • bubônica, inflamando os gânglios, transmitida por pulgas infectadas a aprtir de ratos. • septisêmica, espalhando para todos os órgãos pela corrente sangüínea. • Não tratadas, são fatais.Antibióticos são eficientes contra a peste .
  19. 19. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Dizem alguns que a única garantia contra os germes é a fuga. (Bocaccio, no Decameron). Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em • A peste é uma doença regiões Semi-áridas infecciosa causada pela Regiões semi-áridas e áridas bactéria Yersinia pestis.Há Modelo três formas; Histerese Glóris e Misérias • pneumônica, afetando os pulmões e sendo transmissível entre humanos. • bubônica, inflamando os gânglios, transmitida por pulgas infectadas a aprtir de ratos. • septisêmica, espalhando para todos os órgãos pela corrente sangüínea. • Não tratadas, são fatais.Antibióticos são eficientes contra a peste . • Devem ser ministrados em poucas horas...
  20. 20. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias. R.A. Kraenkel A chegada, o progresso e o resultado da doença, tudo era questão de meia-hora. Epidemias (E.A. Poe, em A Máscara da Morte Vermelha). Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  21. 21. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias. R.A. Kraenkel A chegada, o progresso e o resultado da doença, tudo era questão de meia-hora. Epidemias (E.A. Poe, em A Máscara da Morte Vermelha). Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em regiões • Houve três grandes Semi-áridas pandemias de peste; Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  22. 22. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias. R.A. Kraenkel A chegada, o progresso e o resultado da doença, tudo era questão de meia-hora. Epidemias (E.A. Poe, em A Máscara da Morte Vermelha). Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em regiões • Houve três grandes Semi-áridas pandemias de peste; Regiões semi-áridas e áridas • A peste de Justiniano, (541 Modelo D.C.), espalhando-se a partir Histerese de Constantinopla e matando Glóris e Misérias 25% da população da região mediterrânea.
  23. 23. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias. R.A. Kraenkel A chegada, o progresso e o resultado da doença, tudo era questão de meia-hora. Epidemias (E.A. Poe, em A Máscara da Morte Vermelha). Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em regiões • Houve três grandes Semi-áridas pandemias de peste; Regiões semi-áridas e áridas • A peste de Justiniano, (541 Modelo D.C.), espalhando-se a partir Histerese de Constantinopla e matando Glóris e Misérias 25% da população da região mediterrânea. • A peste negra, (1347), entrando pela Sicília, matou 1/3 da população européia.
  24. 24. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias. R.A. Kraenkel A chegada, o progresso e o resultado da doença, tudo era questão de meia-hora. Epidemias (E.A. Poe, em A Máscara da Morte Vermelha). Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em regiões • Houve três grandes Semi-áridas pandemias de peste; Regiões semi-áridas e áridas • A peste de Justiniano, (541 Modelo D.C.), espalhando-se a partir Histerese de Constantinopla e matando Glóris e Misérias 25% da população da região mediterrânea. • A peste negra, (1347), entrando pela Sicília, matou 1/3 da população européia. • A terceira pandemia, começando na China em 1855 e matando 12 milhões de pessoas na China e Índia.
  25. 25. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias. R.A. Kraenkel A chegada, o progresso e o resultado da doença, tudo era questão de meia-hora. Epidemias (E.A. Poe, em A Máscara da Morte Vermelha). Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em regiões • Houve três grandes Semi-áridas pandemias de peste; Regiões semi-áridas e áridas • A peste de Justiniano, (541 Modelo D.C.), espalhando-se a partir Histerese de Constantinopla e matando Glóris e Misérias 25% da população da região mediterrânea. • A peste negra, (1347), entrando pela Sicília, matou 1/3 da população européia. • A terceira pandemia, começando na China em 1855 e matando 12 milhões de pessoas na China e Índia. • Ainda existe a peste hoje em dia, mas não de forma epidêmica.
  26. 26. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias. R.A. Kraenkel A chegada, o progresso e o resultado da doença, tudo era questão de meia-hora. Epidemias (E.A. Poe, em A Máscara da Morte Vermelha). Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em regiões • Houve três grandes Semi-áridas pandemias de peste; Regiões semi-áridas e áridas • A peste de Justiniano, (541 Modelo D.C.), espalhando-se a partir Histerese de Constantinopla e matando Glóris e Misérias 25% da população da região mediterrânea. • A peste negra, (1347), entrando pela Sicília, matou 1/3 da população européia. • A terceira pandemia, começando na China em 1855 e matando 12 milhões de pessoas na China e Índia. • Ainda existe a peste hoje em dia, mas não de forma epidêmica. Entre 1987 e 2001 houve 2847 mortes por peste no mundo.
  27. 27. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias. R.A. Kraenkel A chegada, o progresso e o resultado da doença, tudo era questão de meia-hora. Epidemias (E.A. Poe, em A Máscara da Morte Vermelha). Histórias... Modelos Glórias e Misérias A Peste. Vegetação em regiões • Houve três grandes Semi-áridas pandemias de peste; Regiões semi-áridas e áridas • A peste de Justiniano, (541 Modelo D.C.), espalhando-se a partir Histerese de Constantinopla e matando Glóris e Misérias 25% da população da região mediterrânea. • A peste negra, (1347), entrando pela Sicília, matou 1/3 da população européia. • A terceira pandemia, começando na China em 1855 e matando 12 milhões de pessoas na China e Índia. • Ainda existe a peste hoje em dia, mas não de forma epidêmica. Entre 1987 e 2001 houve 2847 mortes por peste no mundo.
  28. 28. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Algumas Grandes Epidemias Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias Vegetação em regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias Figure: A peste no Brasil de 1980 a 2005. A maioria dos casos e dá em áreas rurais do Nordeste e de Minas Gerais. Entre 1980 e 2005, houve seis mortes.
  29. 29. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Algumas Grandes Epidemias Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias Vegetação em regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias Figure: A peste no Brasil de 1980 a 2005. A maioria dos casos e dá em áreas rurais do Nordeste e de Minas Gerais. Entre 1980 e 2005, houve seis mortes.
  30. 30. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Algumas Grandes Epidemias Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias Vegetação em regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias Figure: A peste no Brasil de 1980 a 2005.
  31. 31. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Algumas Grandes Epidemias Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias Vegetação em regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias Figure: A peste no Brasil de 1980 a 2005. A maioria dos casos e dá em áreas rurais do Nordeste e de Minas Gerais.
  32. 32. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Algumas Grandes Epidemias Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias Vegetação em regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias Figure: A peste no Brasil de 1980 a 2005. A maioria dos casos e dá em áreas rurais do Nordeste e de Minas Gerais. Entre 1980 e 2005, houve seis mortes.
  33. 33. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  34. 34. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas • A gripe espanhola foi uma epidemia do virus da gripe Regiões semi-áridas e (influenza A) particularmente severa e mortífera. áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  35. 35. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas • A gripe espanhola foi uma epidemia do virus da gripe Regiões semi-áridas e (influenza A) particularmente severa e mortífera. áridas Modelo • Ocorreu entre 1918 e 1919. Histerese Glóris e Misérias
  36. 36. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas • A gripe espanhola foi uma epidemia do virus da gripe Regiões semi-áridas e (influenza A) particularmente severa e mortífera. áridas Modelo • Ocorreu entre 1918 e 1919. Histerese • Atingiu praticamente todas as regiões do mundo. Glóris e Misérias
  37. 37. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas • A gripe espanhola foi uma epidemia do virus da gripe Regiões semi-áridas e (influenza A) particularmente severa e mortífera. áridas Modelo • Ocorreu entre 1918 e 1919. Histerese • Atingiu praticamente todas as regiões do mundo. Glóris e Misérias • Ao redor de 50 milhões de pessoas morreram. 500 milhões (1/3 da população do mundo) foram infectadas.
  38. 38. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas • A gripe espanhola foi uma epidemia do virus da gripe Regiões semi-áridas e (influenza A) particularmente severa e mortífera. áridas Modelo • Ocorreu entre 1918 e 1919. Histerese • Atingiu praticamente todas as regiões do mundo. Glóris e Misérias • Ao redor de 50 milhões de pessoas morreram. 500 milhões (1/3 da população do mundo) foram infectadas. • A doença se transmite de pessoa para pessoa.
  39. 39. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas • A gripe espanhola foi uma epidemia do virus da gripe Regiões semi-áridas e (influenza A) particularmente severa e mortífera. áridas Modelo • Ocorreu entre 1918 e 1919. Histerese • Atingiu praticamente todas as regiões do mundo. Glóris e Misérias • Ao redor de 50 milhões de pessoas morreram. 500 milhões (1/3 da população do mundo) foram infectadas. • A doença se transmite de pessoa para pessoa. • Em São Paulo, a primeira morte ocorreu em 21 de outubro de 1918.
  40. 40. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas • A gripe espanhola foi uma epidemia do virus da gripe Regiões semi-áridas e (influenza A) particularmente severa e mortífera. áridas Modelo • Ocorreu entre 1918 e 1919. Histerese • Atingiu praticamente todas as regiões do mundo. Glóris e Misérias • Ao redor de 50 milhões de pessoas morreram. 500 milhões (1/3 da população do mundo) foram infectadas. • A doença se transmite de pessoa para pessoa. • Em São Paulo, a primeira morte ocorreu em 21 de outubro de 1918.Em final de novembro, a epidemia já definhava.
  41. 41. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas • A gripe espanhola foi uma epidemia do virus da gripe Regiões semi-áridas e (influenza A) particularmente severa e mortífera. áridas Modelo • Ocorreu entre 1918 e 1919. Histerese • Atingiu praticamente todas as regiões do mundo. Glóris e Misérias • Ao redor de 50 milhões de pessoas morreram. 500 milhões (1/3 da população do mundo) foram infectadas. • A doença se transmite de pessoa para pessoa. • Em São Paulo, a primeira morte ocorreu em 21 de outubro de 1918.Em final de novembro, a epidemia já definhava. • O Carnaval de 1919 ficou famoso pela euforia!
  42. 42. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas • A gripe espanhola foi uma epidemia do virus da gripe Regiões semi-áridas e (influenza A) particularmente severa e mortífera. áridas Modelo • Ocorreu entre 1918 e 1919. Histerese • Atingiu praticamente todas as regiões do mundo. Glóris e Misérias • Ao redor de 50 milhões de pessoas morreram. 500 milhões (1/3 da população do mundo) foram infectadas. • A doença se transmite de pessoa para pessoa. • Em São Paulo, a primeira morte ocorreu em 21 de outubro de 1918.Em final de novembro, a epidemia já definhava. • O Carnaval de 1919 ficou famoso pela euforia! • Fim da gripe espanhola.
  43. 43. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas • A gripe espanhola foi uma epidemia do virus da gripe Regiões semi-áridas e (influenza A) particularmente severa e mortífera. áridas Modelo • Ocorreu entre 1918 e 1919. Histerese • Atingiu praticamente todas as regiões do mundo. Glóris e Misérias • Ao redor de 50 milhões de pessoas morreram. 500 milhões (1/3 da população do mundo) foram infectadas. • A doença se transmite de pessoa para pessoa. • Em São Paulo, a primeira morte ocorreu em 21 de outubro de 1918.Em final de novembro, a epidemia já definhava. • O Carnaval de 1919 ficou famoso pela euforia! • Fim da gripe espanhola. • Fim da Grande Guerra.
  44. 44. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Epidemias: histórias R.A. Kraenkel Epidemias Aqueles dias, ninguém que os tenha vivido poderá jamais esquecê-los. (Pedro Histórias... Dantas). Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A Gripe Espanhola. regiões Semi-áridas • A gripe espanhola foi uma epidemia do virus da gripe Regiões semi-áridas e (influenza A) particularmente severa e mortífera. áridas Modelo • Ocorreu entre 1918 e 1919. Histerese • Atingiu praticamente todas as regiões do mundo. Glóris e Misérias • Ao redor de 50 milhões de pessoas morreram. 500 milhões (1/3 da população do mundo) foram infectadas. • A doença se transmite de pessoa para pessoa. • Em São Paulo, a primeira morte ocorreu em 21 de outubro de 1918.Em final de novembro, a epidemia já definhava. • O Carnaval de 1919 ficou famoso pela euforia! • Fim da gripe espanhola. • Fim da Grande Guerra. • Tudo de bom!.
  45. 45. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelos Matemáticos R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelo Simples: hipóteses Modelos Glórias e Misérias • Para constrir um modelo matemático elementar para uma Vegetação em regiões epidemia vamos começar com algumas simplificações . Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  46. 46. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelos Matemáticos R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelo Simples: hipóteses Modelos Glórias e Misérias • Para constrir um modelo matemático elementar para uma Vegetação em regiões epidemia vamos começar com algumas simplificações . Semi-áridas Regiões semi-áridas e • A população tem um número constante de indivíduos. áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  47. 47. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelos Matemáticos R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelo Simples: hipóteses Modelos Glórias e Misérias • Para constrir um modelo matemático elementar para uma Vegetação em regiões epidemia vamos começar com algumas simplificações . Semi-áridas Regiões semi-áridas e • A população tem um número constante de indivíduos. áridas Modelo • A população é espacialmente homogênea. Histerese Glóris e Misérias
  48. 48. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelos Matemáticos R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelo Simples: hipóteses Modelos Glórias e Misérias • Para constrir um modelo matemático elementar para uma Vegetação em regiões epidemia vamos começar com algumas simplificações . Semi-áridas Regiões semi-áridas e • A população tem um número constante de indivíduos. áridas Modelo • A população é espacialmente homogênea. Histerese Glóris e Misérias • Com isto, definimos implicitamente estalas de tempo e de espaço para o nosso modelo.
  49. 49. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelos Matemáticos R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelo Simples: hipóteses Modelos Glórias e Misérias • Para constrir um modelo matemático elementar para uma Vegetação em regiões epidemia vamos começar com algumas simplificações . Semi-áridas Regiões semi-áridas e • A população tem um número constante de indivíduos. áridas Modelo • A população é espacialmente homogênea. Histerese Glóris e Misérias • Com isto, definimos implicitamente estalas de tempo e de espaço para o nosso modelo. • Dividimos os indivíduos de nossa população em três categorias:
  50. 50. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelos Matemáticos R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelo Simples: hipóteses Modelos Glórias e Misérias • Para constrir um modelo matemático elementar para uma Vegetação em regiões epidemia vamos começar com algumas simplificações . Semi-áridas Regiões semi-áridas e • A população tem um número constante de indivíduos. áridas Modelo • A população é espacialmente homogênea. Histerese Glóris e Misérias • Com isto, definimos implicitamente estalas de tempo e de espaço para o nosso modelo. • Dividimos os indivíduos de nossa população em três categorias: • S susceptíveis;
  51. 51. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelos Matemáticos R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelo Simples: hipóteses Modelos Glórias e Misérias • Para constrir um modelo matemático elementar para uma Vegetação em regiões epidemia vamos começar com algumas simplificações . Semi-áridas Regiões semi-áridas e • A população tem um número constante de indivíduos. áridas Modelo • A população é espacialmente homogênea. Histerese Glóris e Misérias • Com isto, definimos implicitamente estalas de tempo e de espaço para o nosso modelo. • Dividimos os indivíduos de nossa população em três categorias: • S susceptíveis; • I infectados;
  52. 52. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelos Matemáticos R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelo Simples: hipóteses Modelos Glórias e Misérias • Para constrir um modelo matemático elementar para uma Vegetação em regiões epidemia vamos começar com algumas simplificações . Semi-áridas Regiões semi-áridas e • A população tem um número constante de indivíduos. áridas Modelo • A população é espacialmente homogênea. Histerese Glóris e Misérias • Com isto, definimos implicitamente estalas de tempo e de espaço para o nosso modelo. • Dividimos os indivíduos de nossa população em três categorias: • S susceptíveis; • I infectados; • R recuperados (imunes ou falecidos)
  53. 53. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelos Matemáticos R.A. Kraenkel Epidemias Histórias... Modelo Simples: hipóteses Modelos Glórias e Misérias • Para constrir um modelo matemático elementar para uma Vegetação em regiões epidemia vamos começar com algumas simplificações . Semi-áridas Regiões semi-áridas e • A população tem um número constante de indivíduos. áridas Modelo • A população é espacialmente homogênea. Histerese Glóris e Misérias • Com isto, definimos implicitamente estalas de tempo e de espaço para o nosso modelo. • Dividimos os indivíduos de nossa população em três categorias: • S susceptíveis; • I infectados; • R recuperados (imunes ou falecidos)
  54. 54. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelo de Kermack & R.A. Kraenkel McKendrick (1927) Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias Vegetação em regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas A taxa de variação per capita dos susceptíveis é proporcional ao Modelo Histerese número de infectados: Glóris e Misérias dS = −rSI dt sendo r a taxa de infecção .
  55. 55. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelo de Kermack & R.A. Kraenkel McKendrick (1927) Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias Vegetação em regiões A taxa de variação per capita dos infectados é proporcional ao Semi-áridas Regiões semi-áridas e número de infectados menos a taxa de remoção (recuperados áridas Modelo imunes ou mortos). Histerese Glóris e Misérias dS = −rSI dt dI = −rSI − aI dt
  56. 56. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelo de Kermack & R.A. Kraenkel McKendrick (1927) Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias Vegetação em A taxa de variação per capita dos recuperados é constante. regiões Semi-áridas dS Regiões semi-áridas e áridas = −rSI Modelo dt Histerese Glóris e Misérias dI = −rSI − aI dt dR = aI dt
  57. 57. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Modelo de Kermack & R.A. Kraenkel McKendrick (1927) Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias Temos portanto três equações para três variáveis: Vegetação em regiões Semi-áridas dS Regiões semi-áridas e = −rSI áridas Modelo dt Histerese Glóris e Misérias dI = −rSI − aI dt dR = aI dt A NALISEMOS - LAS !
  58. 58. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias Vegetação em regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  59. 59. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  60. 60. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e d(S + I + R) áridas =0 Modelo Histerese dt Glóris e Misérias
  61. 61. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e d(S + I + R) áridas = 0⇒S + I + R = N Modelo Histerese dt Glóris e Misérias onde N é a população total, constante.
  62. 62. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e d(S + I + R) áridas = 0⇒S + I + R = N Modelo Histerese dt Glóris e Misérias onde N é a população total, constante. • Vamos ser mais precisos no problema que queremos analisar:
  63. 63. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e d(S + I + R) áridas = 0⇒S + I + R = N Modelo Histerese dt Glóris e Misérias onde N é a população total, constante. • Vamos ser mais precisos no problema que queremos analisar: • Inicialmente, em t = 0, temos:
  64. 64. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e d(S + I + R) áridas = 0⇒S + I + R = N Modelo Histerese dt Glóris e Misérias onde N é a população total, constante. • Vamos ser mais precisos no problema que queremos analisar: • Inicialmente, em t = 0, temos: S(0) = S0 ,
  65. 65. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e d(S + I + R) áridas = 0⇒S + I + R = N Modelo Histerese dt Glóris e Misérias onde N é a população total, constante. • Vamos ser mais precisos no problema que queremos analisar: • Inicialmente, em t = 0, temos: S(0) = S0 , I(0) = I0 e
  66. 66. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e d(S + I + R) áridas = 0⇒S + I + R = N Modelo Histerese dt Glóris e Misérias onde N é a população total, constante. • Vamos ser mais precisos no problema que queremos analisar: • Inicialmente, em t = 0, temos: S(0) = S0 , I(0) = I0 e R(0) = 0 .
  67. 67. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e d(S + I + R) áridas = 0⇒S + I + R = N Modelo Histerese dt Glóris e Misérias onde N é a população total, constante. • Vamos ser mais precisos no problema que queremos analisar: • Inicialmente, em t = 0, temos: S(0) = S0 , I(0) = I0 e R(0) = 0 . • Ou seja, temos um certo núero de infectados (I0 ) e de susceptíiveis (S0 ).
  68. 68. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e d(S + I + R) áridas = 0⇒S + I + R = N Modelo Histerese dt Glóris e Misérias onde N é a população total, constante. • Vamos ser mais precisos no problema que queremos analisar: • Inicialmente, em t = 0, temos: S(0) = S0 , I(0) = I0 e R(0) = 0 . • Ou seja, temos um certo núero de infectados (I0 ) e de susceptíiveis (S0 ). • Dados r, a, S0 e I0 , queremos saber se haverá ou não uma epidemia.
  69. 69. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e d(S + I + R) áridas = 0⇒S + I + R = N Modelo Histerese dt Glóris e Misérias onde N é a população total, constante. • Vamos ser mais precisos no problema que queremos analisar: • Inicialmente, em t = 0, temos: S(0) = S0 , I(0) = I0 e R(0) = 0 . • Ou seja, temos um certo núero de infectados (I0 ) e de susceptíiveis (S0 ). • Dados r, a, S0 e I0 , queremos saber se haverá ou não uma epidemia. Ou seja, se I(t) > I0 para algum tempo t.
  70. 70. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo I R.A. Kraenkel dS dI dR Epidemias dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Histórias... Modelos Glórias e Misérias • Primeiramente notemos que, se somarmos as três equações Vegetação em regiões teremos: Semi-áridas Regiões semi-áridas e d(S + I + R) áridas = 0⇒S + I + R = N Modelo Histerese dt Glóris e Misérias onde N é a população total, constante. • Vamos ser mais precisos no problema que queremos analisar: • Inicialmente, em t = 0, temos: S(0) = S0 , I(0) = I0 e R(0) = 0 . • Ou seja, temos um certo núero de infectados (I0 ) e de susceptíiveis (S0 ). • Dados r, a, S0 e I0 , queremos saber se haverá ou não uma epidemia. Ou seja, se I(t) > I0 para algum tempo t.
  71. 71. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos Glórias e Misérias Vegetação em regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  72. 72. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias Vegetação em regiões Semi-áridas Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  73. 73. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese Glóris e Misérias
  74. 74. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas Modelo Histerese • Se S0 < a/r então Glóris e Misérias
  75. 75. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas • Se S0 < a/r então Modelo ˆ dI ˜ Histerese dt 0 < 0. Glóris e Misérias
  76. 76. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas • Se S0 < a/r então Modelo ˆ dI ˜ Histerese dt 0 < 0. Glóris e Misérias • Se S0 > a/r então
  77. 77. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas • Se S0 < a/r então Modelo ˆ dI ˜ Histerese dt 0 < 0. Glóris e Misérias • Se S0 > a/r então ˆ dI ˜ dt 0 >0
  78. 78. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas • Se S0 < a/r então Modelo ˆ dI ˜ Histerese dt 0 < 0. Glóris e Misérias • Se S0 > a/r então ˆ dI ˜ dt 0 > 0 (Epidemia!)
  79. 79. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas • Se S0 < a/r então Modelo ˆ dI ˜ Histerese dt 0 < 0. Glóris e Misérias • Se S0 > a/r então dI 0 > 0 (Epidemia!) ˆ ˜ dt • Por outro lado, S < S0 para todo t, pois dS/dt < 0.
  80. 80. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas • Se S0 < a/r então Modelo ˆ dI ˜ Histerese dt 0 < 0. Glóris e Misérias • Se S0 > a/r então dI 0 > 0 (Epidemia!) ˆ ˜ dt • Por outro lado, S < S0 para todo t, pois dS/dt < 0. • Assim, se S0 < a/r
  81. 81. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas • Se S0 < a/r então Modelo ˆ dI ˜ Histerese dt 0 < 0. Glóris e Misérias • Se S0 > a/r então dI 0 > 0 (Epidemia!) ˆ ˜ dt • Por outro lado, S < S0 para todo t, pois dS/dt < 0. • Assim, se S0 < a/r então S(t) < a/r para todo t
  82. 82. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas • Se S0 < a/r então Modelo ˆ dI ˜ Histerese dt 0 < 0. Glóris e Misérias • Se S0 > a/r então dI 0 > 0 (Epidemia!) ˆ ˜ dt • Por outro lado, S < S0 para todo t, pois dS/dt < 0. • Assim, se S0 < a/r então S(t) < a/r para todo t dI = −rSI − aI = I(rS − a) < 0 dt
  83. 83. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas • Se S0 < a/r então Modelo ˆ dI ˜ Histerese dt 0 < 0. Glóris e Misérias • Se S0 > a/r então dI 0 > 0 (Epidemia!) ˆ ˜ dt • Por outro lado, S < S0 para todo t, pois dS/dt < 0. • Assim, se S0 < a/r então S(t) < a/r para todo t dI = −rSI − aI = I(rS − a) < 0 dt e portanto I(t) < I0 e não há epidemia.
  84. 84. Métodos Matemáticos em Biologia de Populações Análise do modelo II R.A. Kraenkel dS dI dR dt = −rSI dt = −rSI − aI dt = aI Epidemias Histórias... Modelos • Notemos inicialmente que em t = 0: Glórias e Misérias » – Vegetação em dI regiões = −rS0 I0 − aI0 = −I0 (rS0 − a) Semi-áridas dt 0 Regiões semi-áridas e áridas • Se S0 < a/r então Modelo ˆ dI ˜ Histerese dt 0 < 0. Glóris e Misérias • Se S0 > a/r então dI 0 > 0 (Epidemia!) ˆ ˜ dt • Por outro lado, S < S0 para todo t, pois dS/dt < 0. • Assim, se S0 < a/r então S(t) < a/r para todo t dI = −rSI − aI = I(rS − a) < 0 dt e portanto I(t) < I0 e não há epidemia. • Se S0 > a/r haverá epidemia ( pois dI 0 > 0). ˆ ˜ dt

×