PRÁTICAS DISCURSIVAS NA CONTEMPORANEIDADE: <br />O DISCURSO COMO AGENTE DE MUDANÇAS <br />O que o YouTube, blogs e a produ...
Introdução<br />Nesse trabalho procuro apresentar uma abordagem didática que utiliza blogs, o YouTube e vídeos digitais ca...
Essas tecnologias recentes tem um potencial para transcender o livro texto e o material impresso, dando voz ao aluno e pro...
“Yes, technology is just a tool, but, like all tools, it mediates and transforms human activity.”<br />	(Warschauer, 2005)...
Princípios<br />Nessa proposta o discurso é entendido dentro de uma perspectiva social, e não apenas lingüística, sendo a ...
Um breve histórico de call*<br />*Computer-Assisted Language Learning<br />(Aprendizagem assistida por computador)<br />6<...
Os três estágios de CALL<br />7<br />
“O crescimento da comunicação mediada por computadore a internet, acima de qualquer coisa, que reformularam os usos de com...
Hoje em dia o mais novo e mais fértil solo para possibilidades no aprendizado de língua em Tecnologia da Informação e Comu...
No início a internethospedava websites, programas e aplicativos que tem sido chamados de ‘read-only’,ou ‘somente leitura’,...
“A Web está evoluindo para tornar-se mais uma área para trabalhar em uma rede social e de idéias. Alunos negociam signific...
O que é um blog? Pra que blog?<br />Oportunidade de tornar tarefas como ‘redação’ mais significativas, comunicativas, autê...
 Os alunos podem se beneficiar ao ler a produção do colega não só como insumo, mas como uma forma de interação social, com...
14<br />
15<br />
16<br />
17<br />
O que é o YouTube? Pra que isso?<br /> O YouTube pode ser uma fonte democrática de insumo com discursos autênticos diverso...
Pra que vídeos caseiros?<br />Oportunidade para experimentação, estímulo à criatividade, construção de conhecimento atravé...
20<br />
“Incorporando o objetivo de agenciamento em CALL possibilitamos que o computador seja para os alunos um meio de deixar sua...
No segundo caso, os alunos estão envolvidos em unir diversas mídias de forma criativa para compartilhar com uma vasta audi...
A razão para estudar inglês então torna-se não apenas adquiri-lo como um sistema interno, mas para ser capaz de usar o ing...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

O que o YouTube, blogs e a produção de vídeos caseiros podem acrescentar ao livro didático no ensino de Inglês?

890 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
890
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
6
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O que o YouTube, blogs e a produção de vídeos caseiros podem acrescentar ao livro didático no ensino de Inglês?

  1. 1. PRÁTICAS DISCURSIVAS NA CONTEMPORANEIDADE: <br />O DISCURSO COMO AGENTE DE MUDANÇAS <br />O que o YouTube, blogs e a produção de vídeos caseiros podem acrescentar ao livro didático no ensino de Inglês como língua estrangeira no Brasil? <br />Raquel Rodrigues<br />17ºInPLA <br />2009<br />1<br />
  2. 2. Introdução<br />Nesse trabalho procuro apresentar uma abordagem didática que utiliza blogs, o YouTube e vídeos digitais caseiros produzidos e editados pelos alunos para complementar o livro didático no ensino de inglês como língua estrangeira no Brasil.<br />2<br />
  3. 3. Essas tecnologias recentes tem um potencial para transcender o livro texto e o material impresso, dando voz ao aluno e proporcionando uma percepção e produção de discurso, de natureza socioconstitutiva e dialógica que permeia a vida contemporânea e pode promover mudanças, com interações sociais que se constroem e são construídas a partir do discurso (BAKHTIN, 1929; FAIRCLOUGH, 1992; VYGOTSKY, 1978). <br />3<br />
  4. 4. “Yes, technology is just a tool, but, like all tools, it mediates and transforms human activity.”<br /> (Warschauer, 2005)<br />“Sim, a tecnologia é só uma ferramenta, mas, como todas as ferramentas, media e transforma a atividade humana.”<br />4<br />
  5. 5. Princípios<br />Nessa proposta o discurso é entendido dentro de uma perspectiva social, e não apenas lingüística, sendo a linguagem produto da interação do texto, seus interlocutores e do meio social em que estão inseridos (HALLIDAY, 1985).<br />Esse trabalho pretende mostrar a produção de discursos multimodais e sua inserção em seus contextos específicos de modo que possam contribuir para o empoderamento e agenciamentodos alunos (FAIRCLOUGH, 1992).<br />5<br />
  6. 6. Um breve histórico de call*<br />*Computer-Assisted Language Learning<br />(Aprendizagem assistida por computador)<br />6<br />
  7. 7. Os três estágios de CALL<br />7<br />
  8. 8. “O crescimento da comunicação mediada por computadore a internet, acima de qualquer coisa, que reformularam os usos de computadores para o aprendizado de língua. (...) com a rede (www), alunos de várias línguas tem acesso a uma quantidade de informação na língua-alvo sem precedentes, assim como possibilidades de publicar e distribuir sua própria produção de informação multimodal para uma audiência internacional.”<br /> (Warschauer & Healey, 1998)<br />8<br />
  9. 9. Hoje em dia o mais novo e mais fértil solo para possibilidades no aprendizado de língua em Tecnologia da Informação e Comunicaçãoparece ser a talWeb 2.0, termo cunhado por O’Reilly (2005) que é usado no meio para se referir a serviços como o blogs e YouTube, entre outros oferecidos na internet que ganharam destaque nos últimos anos.<br />O ‘2.0’ designa uma segunda geração de interações na rede, aplicativos e comunidades virtuais.<br />9<br />
  10. 10. No início a internethospedava websites, programas e aplicativos que tem sido chamados de ‘read-only’,ou ‘somente leitura’, um trocadilho com uma especificação dada a um tipo de documento que não pode ser alterado. Isso mudou e o que vemos são formas colaborativas e interativas de produzir e compartilhar conhecimento na mesma medida que se recebe.<br />10<br />
  11. 11. “A Web está evoluindo para tornar-se mais uma área para trabalhar em uma rede social e de idéias. Alunos negociam significados e conexões dentro dos espaços sociais e redes de idéias dentro da Web 2.0, trocam e criam conteúdo, e colaboram de novas formas.” (Duffy, 2007). <br />Outra afirmação é que “saindo da réplica da mídia impressa (e das metáforas do livro), a rede começa a desenvolver sua própria identidade, menos focada no produto (como a impressão era) e mais voltada para o processo (como a vida é).” (Alm, 2006)<br />11<br />
  12. 12. O que é um blog? Pra que blog?<br />Oportunidade de tornar tarefas como ‘redação’ mais significativas, comunicativas, autênticas e sociointerativas. <br /> Os alunos podem se expressar de modo mais espontâneo por um lado, devido à mídia e seu gênero, e por outro lado ter uma preocupação maior com a forma por estar tornando sua produção escrita pública, na internet. <br />12<br />
  13. 13. Os alunos podem se beneficiar ao ler a produção do colega não só como insumo, mas como uma forma de interação social, compartilhando suas idéias com os colegas e o mundo.<br /> O professor dá mais voz ao aluno, dando-lhe uma audiência internacional irrestrita e assim promovendo oportunidade para agenciamento e empoderamento.<br />13<br />
  14. 14. 14<br />
  15. 15. 15<br />
  16. 16. 16<br />
  17. 17. 17<br />
  18. 18. O que é o YouTube? Pra que isso?<br /> O YouTube pode ser uma fonte democrática de insumo com discursos autênticos diversos passiveis de observação, formulação de hipóteses e análise crítica em torno da forma, do conteúdo/ sentido e do uso da língua. <br /> Pode ser usado para introduzir o tema de uma lição contextualizando o aprendizado e engajando os alunos,ou substituir um lead-in do livro já datado. <br />18<br />
  19. 19. Pra que vídeos caseiros?<br />Oportunidade para experimentação, estímulo à criatividade, construção de conhecimento através de interação social e exercício de agenciamento.<br /> Oportunidade para andaimento e lingualização durante o processo criativo.<br /> Compartilhado no YouTube o vídeo pode ser acessado por qualquer pessoa no mundo. <br /> A mídia é outra, com apelo visual e desenvolvendo outras habilidades também relevantes no século 21. <br />19<br />
  20. 20. 20<br />
  21. 21. “Incorporando o objetivo de agenciamento em CALL possibilitamos que o computador seja para os alunos um meio de deixar sua marca no mundo. Como exemplo devemos considerar a diferença entre ser o autor de um texto (i.e. escrever um texto para o professor) e ser autor de um documento multimídia que será disponibilizado na Internet.<br />21<br />
  22. 22. No segundo caso, os alunos estão envolvidos em unir diversas mídias de forma criativa para compartilhar com uma vasta audiência internacional – e talvez até ajudando a ser o autor das regras pelas quais multimídia é criada, dada a atual explosão criativa de novas formas de expressão online. Auxiliando seus alunos a desempenhar proposta de tal autoria - realizando uma atividade significativa para uma audiência verdadeira – o professor está ajudando o aluno a exercer seu agenciamento. <br />22<br />
  23. 23. A razão para estudar inglês então torna-se não apenas adquiri-lo como um sistema interno, mas para ser capaz de usar o inglês para ter um impacto real no mundo.”<br /> (Warschauer, 2004)<br />23<br />

×