Colaboração no Jornalismo Digital:
passado, presente e futuro
@rafaelsbarai
Novembro/2010
Provocações
@rafaelsbarai
Novembro/2010
• Falso alarme da propagação de “Web 2.0”
• Imprecisão de nomenclaturas: Jornalismo Colaborativo, Participativo,
Grassroot...
Participação: colaboração ou cooperação?
• A web proporciona a criação de diferentes níveis de contribuição para a
constru...
• Não é uma prática recente. A internet apenas reforçou e potencializou o
“recurso”
- 1690: Publick Occurrences Both Forre...
- 2001-2008: período de “amadurecimento virtual” - inovação nem
sempre gera rentabilidade. Vários sites fechados: Scoopt, ...
Por que o OhmyNews sempre é uma referência?
• Criado em 22 de fevereiro de 2000
• Todas conteúdos do site eram escritos po...
Por que o OhmyNews sempre é uma referência?
• Uma amostra para comprovar sua importância. Em 2002, a maioria dos
veículos ...
Modelos e modelos... Mas sem um “canal oficial”
@rafaelsbarai
Novembro/2010
• Colaborar pressupõe
sazonalidade, hiperlocal...
Pelo Twitter...
@rafaelsbarai
Novembro/2010
• Colaborador ou fonte?
Esqueçam plataformas e pensem em conceitos!
• Não reinventem a roda
• Não produzam modelos de negócios colaborativos mirab...
Para pensar
"Parto do pressuposto que meus leitores
sabem mais do que eu: eles são em maior
número – eu sou um só"
Dan Gil...
Obrigado!
@rafaelsbarai
http://derepente.com.br
http://flavors.me/rafa
http://slideshare.com/rafaelsbarai
@rafaelsbarai
No...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Colaboração e Jornalismo Digital - Newscamp 2010

2,598

Published on

Conversa sobre a colaboração e a participação interagente no Jornalismo Digital - Newscamp 2010

Published in: News & Politics, Technology
1 Comment
3 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
2,598
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
1
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Colaboração e Jornalismo Digital - Newscamp 2010"

  1. 1. Colaboração no Jornalismo Digital: passado, presente e futuro @rafaelsbarai Novembro/2010
  2. 2. Provocações @rafaelsbarai Novembro/2010
  3. 3. • Falso alarme da propagação de “Web 2.0” • Imprecisão de nomenclaturas: Jornalismo Colaborativo, Participativo, Grassroots (de base), Open Source (Código Aberto) ou Cidadão • Minha dissertação: Jornalismo Colaborativo, caracterizado pela produção da informação realizada por cidadãos, por meio de textos, fotos e vídeos, distribuídos pela rede, sob uma plataforma centralizada informativa e dependente de seus princípios estabelecidos. Os termos de usos descritos nos Websites possuem diferentes formatos, sendo caracterizados por organizações centralizadas ou descentralizadas . A criação de conteúdo é aberta a todos, desde que possuam competências necessárias para contribuir para uma produção considerada relevante ao formato pré- estabelecido no ambiente virtual. “A era da Colaboração” @rafaelsbarai Novembro/2010
  4. 4. Participação: colaboração ou cooperação? • A web proporciona a criação de diferentes níveis de contribuição para a construção de um conteúdo 1) Cooperação: complexo, restrito, extremamente direcionado a um grupo e com um custo para que se possa beneficiar uma ou mais pessoas. O processo não é visto individualmente (o conceito do conjunto prevalece sobre o esforço pessoal). Uma divisão de trabalho na qual cada um é responsável por parte da solução de um problema 2) Colaboração: possui uma postura de tolerância e um processo de negociação constante em busca de um produto final. Ocorre uma interação mútua ou unilateral descentralizada. uma comunicação interpessoal e pressupõe que indivíduos trabalhem juntos e com um mesmo objetivo, porém pessoas são avaliadas individualmente @rafaelsbarai Novembro/2010
  5. 5. • Não é uma prática recente. A internet apenas reforçou e potencializou o “recurso” - 1690: Publick Occurrences Both Forreign and Domestick, o primeiro jornal publicado na continente americano, já era formatado para incluir a participação do “leitor” - 2000: “boom” da “colaboração” – criação de inúmeras plataformas digitais destinadas à participação do interagente. Entre eles, o OhmyNews Participação do cidadão @rafaelsbarai Novembro/2010
  6. 6. - 2001-2008: período de “amadurecimento virtual” - inovação nem sempre gera rentabilidade. Vários sites fechados: Scoopt, Soitu.es, Scribble Sheet, Backfence. Um erro aplicado em alguns projetos: sites prepotentes que queriam substituir o “Jornalismo Tradicional”. - Hoje: sobrevivem projetos ligados a empresas de mídia (iReport, da CNN e os canais dos ‘grandes portais’) ou modelos independentes e abertos, que usam dados dos “porões da web” para unir à participação do cidadão conectado. Ex: Outside.in, projeto do escritor Steven Johnson. Trata-se de um agregador de conteúdo envolvendo blogs e canais mainstream correspondentes a bairros específicos dos Estados Unidos. Foi comprado pela CNN Participação do cidadão @rafaelsbarai Novembro/2010
  7. 7. Por que o OhmyNews sempre é uma referência? • Criado em 22 de fevereiro de 2000 • Todas conteúdos do site eram escritos por cidadãos, de todo o mundo, mas editados, corrigidos e posteriormente publicado por jornalistas • Checagem envolve trocas de e-mails sobre dados e informações, ao passo que mínimos detalhes das informações são explicados ao responsável pelo conteúdo • Recompensa: pagava o cidadão pelo conteúdo produzido (lembra do estímulo, motivação?) • Encontros anuais entre alguns colaboradores: sentimento de pertencimento ao grupo – uma das sensações mais antigas do ser humano @rafaelsbarai Novembro/2010
  8. 8. Por que o OhmyNews sempre é uma referência? • Uma amostra para comprovar sua importância. Em 2002, a maioria dos veículos de comunicação defendeu o governo vigente - candidato da situação -, enquanto o OhmyNews e “a nova sociedade digitalizada” ascendeu com a idéia de eleger Roh Moo-hyun, tido como irrelevante pela grande imprensa. Roh acabou sendo eleito e sua primeira entrevista coletiva foi concedida ao OhmyNews. A iniciativa trouxe maior prestígio ao site. • Em OhmyNews, há a efetiva colaboração, um processo que envolve participar, dialogar, avaliar, checar e validar. Portanto, há um compromisso do cidadão conectado junto ao site. @rafaelsbarai Novembro/2010
  9. 9. Modelos e modelos... Mas sem um “canal oficial” @rafaelsbarai Novembro/2010 • Colaborar pressupõe sazonalidade, hiperlocalidade?
  10. 10. Pelo Twitter... @rafaelsbarai Novembro/2010 • Colaborador ou fonte?
  11. 11. Esqueçam plataformas e pensem em conceitos! • Não reinventem a roda • Não produzam modelos de negócios colaborativos mirabolantes. Antes de tudo, esqueça a plataforma que será criada ou usada e pense no conceito • Motivação, estímulos: palavras-chave para criar o sentimento de pertencer a uma marca do Jornalismo. Compreender por que as pessoas colaboram é essencial. O ser humano é um ser social e precisa obrigatoriamente de um processo de interação diário • O participante surge de um processo que não começa e nem termina apenas no envio de uma contribuição • Falta “inteligência de software” ao Jornalismo. Quando isso ocorrer, a colaboração será mais efetiva, mais pontual – e mais interessante@rafaelsbarai Novembro/2010
  12. 12. Para pensar "Parto do pressuposto que meus leitores sabem mais do que eu: eles são em maior número – eu sou um só" Dan Gillmor @rafaelsbarai Novembro/2010
  13. 13. Obrigado! @rafaelsbarai http://derepente.com.br http://flavors.me/rafa http://slideshare.com/rafaelsbarai @rafaelsbarai Novembro/2010

×