• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Slides aula 19
 

Slides aula 19

on

  • 13,090 views

 

Statistics

Views

Total Views
13,090
Views on SlideShare
13,090
Embed Views
0

Actions

Likes
2
Downloads
332
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Slides aula 19 Slides aula 19 Document Transcript

    • Aula 19 Eletroquímica Reações de Oxiredução • O Zn adicionado ao HCl produz a reação espontânea Zn(s) + 2H+(aq) ! Zn2+(aq) + H2(g) • O número de oxidação do Zn aumentou de 0 para 2+. • O número de oxidação do H reduziu de 1+ para 0. • O Zn é oxidado a Zn2+ enquanto o H+ é reduzido a H2. • O H+ faz com que o Zn seja oxidado e é o agente de oxidação. • O Zn faz com que o H+ seja reduzido e é o agente de redução. • Observe que o agente de redução é oxidado e o agente de oxidação é reduzido.
    • Reações de Oxiredução Células Voltaicas • A energia liberada em uma reação de oxi-redução espontânea é usada para executar trabalho elétrico. • Células voltaicas ou galvânicas são aparelhos nos quais a transferência de elétrons ocorre através de um circuito externo. • As células voltaicas são espontâneas. • Se uma fita de Zn é colocada em uma solução de CuSO4, o Cu é depositado no Zn e o Zn dissolve-se formando Zn2+. • À medida que ocorre a oxidação, o Zn é convertido em Zn2+ e 2e-. Os elétrons fluem no sentido do anodo onde eles são usados na reação de redução.
    • Células Voltaicas • O funcionamento de uma célula voltaica requer quatro elementos imprescindíveis: ✓ uma área onde ocorre a reação de oxidação, área anódica: anodo; ✓ uma área onde ocorre a reação de redução, área catódica: catodo; ✓ uma ligação metálica que une ambas as áreas e por onde fluem os elétrons resultantes da reação anódica: condutor ✓ um eletrólito em contato simultâneo com as mesmas áreas por onde fluem os íons resultantes de ambas as reações: eletrólito. Células Voltaicas • Os elétrons fluem do anodo para o catodo. • Conseqüentemente, o anodo é negativo e o catodo é positivo. • Os elétrons não conseguem fluir através da solução, eles têm que ser transportados por um fio externo. Zn(s) | Zn2+(aq) || Cu2+(aq) | Cu(s) Ecell = 1.103 V
    • Células Voltaicas • Os ânions e os cátions movimentam-se através de uma barreira porosa ou ponte salina. • Os cátions movimentam-se dentro do compartimento catódico para neutralizar o excesso de íons carregados negativamente (Catodo: Cu2+ + 2e- ! Cu, logo, o contra-íon do Cu está em excesso). • Os ânions movimentam-se dentro do compartimento anódico para neutralizar o excesso de íons de Zn2+ formados pela oxidação. Células Voltaicas
    • Visão molecular dos processos eletródicos • Considere a reação espontânea de oxi-redução entre o Zn(s) e o Cu2+(aq). • Durante a reação, o Zn(s) é oxidado a Zn2+(aq) e o Cu2+(aq) é reduzido a Cu(s). • No nível atômico, um íon de Cu2+(aq) entra em contanto com um átomo de Zn(s) na superfície do eletrodo. • Dois elétrons são transferidos diretamente do Zn(s) (formando Zn2+(aq)) para o Cu2+(aq) (formando Cu (s)). Células Voltaicas Visão molecular dos processos do eletrodo
    • Células Voltaicas Visão molecular dos processos do eletrodo Células Voltaicas
    • Potencial de eletrodo • O fluxo de elétrons do anodo para o catodo é espontâneo. • Os elétrons fluem do anodo para o catodo porque o catodo tem energia potencial elétrica mais baixa do que o anodo. • A diferença de potencial (ddp): é a diferença no potencial elétrico. • A ddp é medida em volts. • Um volt é a diferença potencial necessária para conceder um joule de energia para uma carga de um coulomb: Potencial de eletrodo • A força eletromotiva (fem) é a força necessária para empurrar os elétrons através do circuito externo. • Potencial de célula: Ecel é a fem de uma célula. • Para soluções 1 mol/L a 25 °C (condições padrão), a fem padrão (potencial padrão da célula) é denominada E°cel. Cu(s) + 2Ag+(aq) Cu(s) + Zn2+(aq) Cu2+(aq) + 2 Ag(s) No reaction
    • Potencial padrão de eletrodo Potenciais-padrão de redução (semi-célula) • Os potenciais padrão de redução, E°red são medidos em relação ao eletrodo padrão de hidrogênio (EPH). • Os dados eletroquímicos são convenientemente colocados em uma tabela. Potencial padrão de eletrodo Potenciais-padrão de redução (semi-célula) • O EPH é um catodo. Ele consiste de um eletrodo de Pt em um tubo colocado em uma solução 1 mol/L de H+ onde H2 é borbulhado através do tubo. • Para o EPH, determinamos 2H+(aq, 1 mol/L) + 2e- ! H2(g, 1 atm) • O E°red do EPH foi definido como sendo zero. • A fem de uma célula pode ser calculada a partir de potenciais padrão de redução:
    • Potencial padrão de eletrodo Medindo os potenciais padrão de redução anodo catodo catodo anodo
    • Medindo os potenciais padrão de redução Potenciais-padrão de redução (semi-célula) • Considere Zn(s) ! Zn2+(aq) + 2e-. Podemos medir o Ecell em relação ao EPH (catodo): • E°cell = E°red(catodo) - E°red(anodo) • 0,76 V = 0 V - E°red(anodo). • Conseqüentemente, o E°red(anodo) = -0,76 V. • Os potenciais padrão de redução devem ser escritos como as reações de redução: Zn2+(aq) + 2e- ! Zn(s), E°red = -0,76 V Medindo os potenciais padrão de redução Potenciais-padrão de redução (semi-célula) • As reações com E°red < 0 são oxidações espontâneas em relação ao EPH. • Quanto maior a diferença entre os valores de E°red, maior é o E°cel. • Em uma célula voltaica (espontânea) o E°red(catodo) é mais positivo do que E°red(anodo). • Lembre-se
    • Medindo os potenciais padrão de redução Potenciais-padrão de redução (semi-célula) • Uma vez que o E°red = -0,76 V, concluímos que a redução do Zn2+ na presença do EPH não é espontânea. • A oxidação do Zn com o EPH é espontânea. • A variação do coeficiente estequiométrico não afeta o E°red. • Portanto, 2Zn2+(aq) + 4e- ! 2Zn(s), E°red = -0,76 V. • As reações com E°red > 0 são reduções espontâneas em relação ao EPH. Medindo os potenciais padrão de redução
    • Agentes oxidantes e redutores • Quanto mais positivo o E°red, mais forte é o agente oxidante à esquerda. • Quanto mais negativo o E°red, mais forte é o agente redutor à direita. • Uma espécie na parte esquerda superior da tabela de potenciais padrão de redução oxidará espontaneamente uma espécie que está na parte direita inferior da tabela. • Isto é, o F2 oxidará o H2 ou o Li; o Ni2+ oxidará o Al (s). Agentes oxidantes e redutores
    • Baterias: Produzindo eletricidade através de reações químicas • Uma bateria é um recipiente contendo uma fonte de força eletroquímica com uma ou mais células voltaicas. • Quando as células são conectadas em série, maiores FEMs podem ser alcançadas. Baterias: Produzindo eletricidade através de reações químicas Oxidação: Zn(s) ! Zn2+(aq) + 2 e- Redução: 2 MnO2(s) + H2O(l) + 2 e- ! Mn2O3(s) + 2 OH- Reação ácido-base: NH4+ + OH- ! NH3(g) + H2O(l) Reação de precipitação:NH3 + Zn2+(aq) + Cl- ! [Zn(NH3)2]Cl2(s) Redução: 2 MnO2(s) + H2O(l) + 2 e- ! Mn2O3(s) + 2 OH- A reação de oxidação pode ocorrer em duas etapas: Zn(s) ! Zn2+(aq) + 2 e- Zn2+(aq) + 2 OH- ! Zn (OH)2(s) Zn (s) + 2 OH- ! Zn (OH)2(s) + 2 e-
    • Baterias: Produzindo eletricidade através de reações químicas Bateria de chumbo e ácido • Uma bateria de carro de 12 V consiste de 6 pares de catodo/anodo, cada um produzindo 2 V. Redução: PbO2(s) + 3 H+(aq) + HSO4-(aq) + 2 e- ! PbSO4(s) + 2 H2O(l) Oxidação: Pb (s) + HSO4-(aq) ! PbSO4(s) + H+(aq) + 2 e- PbO2(s) + Pb(s) + 2 H+(aq) + HSO4-(aq) ! 2 PbSO4(s) + 2 H2O(l) E°cell = E°PbO2/PbSO4 - E°PbSO4/Pb = 1,74 V – (-0,28 V) = 2,02 V Baterias: Produzindo eletricidade através de reações químicas
    • Baterias: Produzindo eletricidade através de reações químicas Pilhas alcalinas • Anodo: tampa de Zn: Zn(s) ! Zn2+(aq) + 2e- • Catodo: pasta de MnO2, NH4Cl e C: 2NH4+(aq) + 2MnO2(s) + 2e- ! Mn2O3(s) + 2NH3(aq) + 2H2O(l) • O bastão de grafite no centro é um catodo inerte. • Em uma bateria alcalina, o NH4Cl é substituído por KOH. Baterias: Produzindo eletricidade através de reações químicas Pilhas alcalinas Zn(s),ZnO(s)|KOH|Ag2O(s),Ag(s) Zn(s) + Ag2O(s) ! ZnO(s) + 2 Ag(s) Ecell = 1,8 V
    • Baterias: Produzindo eletricidade através de reações químicas Células de combustível • A produção direta de eletricidade a partir de combustíveis ocorre em uma célula de combustível. • Nos vôos à lua da Apollo a célula de combustível H2-O2 era a fonte primária de eletricidade. • Catodo: redução de oxigênio: 2H2O(l) + O2(g) + 4e- ! 4OH-(aq) • Anodo: 2H2(g) + 4OH-(aq) ! 4H2O(l) + 4e- Baterias: Produzindo eletricidade através de reações químicas Células a combustível O2(g) + 2 H2O(l) + 4 e- ! 4 OH-(aq) 2{H2(g) + 2 OH-(aq) ! 2 H2O(l) + 2 e-} 2H2(g) + O2(g) ! 2 H2O(l) E°cell = E°O2/OH- - E°H2O/H2 = 0,401 V – (-0,828 V) = 1,229 V " = "G°/ "H° = 0,83
    • Espontaneidade de uma reação redox Eletroquímcia e termodinâmica: W e G • Podemos demonstrar que • O #G é a variação da energia livre, n é a quantidade de matéria de elétrons transferidos, F é a constante de Faraday e E é a fem da célula. • Podemos definir • Já que n e F são positivos, se #G < 0 logo E > 0. Espontaneidade de uma reação redox Trabalho elétrico • Energia livre é uma medida da quantidade máxima de trabalho útil que pode ser obtida de um sistema. • Sabemos que • Se o trabalho é negativo, então o trabalho é executado pelo sistema e E é positivo.
    • Espontaneidade de uma reação redox Trabalho elétrico • A fem pode ser pensada como uma medida da força motriz para um processo redox. • Em uma célula eletrolítica, uma fonte externa de energia é necessária para fazer com que a reação ocorra. • Para impelir a reação não-espontânea, a fem externa deve ser maior que a Ecel. • Da física: trabalho tem como unidades watts: 1 W = 1 J/s ou C.V/s Efeito da concentração: Equação de Nernst • Os potenciais de uma célula estão relacionados às concentrações dos reagente e à temperatura; • Uma célula voltaica é funcional até E = 0, ponto no qual o equilíbrio é alcançado. • O ponto no qual E = 0 é determinado pela concentração das espécies envolvidas na reação redox. • A equação de Nernst corrige o potencial padrão para concentrações fora das condições padrão a 298 K.
    • Efeito da concentração: Equação de Nernst "G = "G° + RT ln Q -nFEcell = -nFEcell° + RT ln Q RT Ecell = Ecell° - ln Q nF Aplicando o log e calculando as constantes 0.0592 V A equação de Nernst: Ecell = Ecell° - log Q n Efeito da concentração: Equação de Nernst • Que se reordena para fornecer a equação de Nernst: • A equação de Nernst pode ser simplificada coletando todas as constantes juntas usando uma temperatura de 298 K: 0.0592 [Produtos] E = E° " logQ e Q= n [Reagentes] • Lembre-se que n é quantidade de matéria de elétrons. !
    • Efeito da concentração: Equação de Nernst potencial de céluale a constante de equilíbrio (K) • Um sistema está em equilíbrio quando #G = 0. • A partir da equação de Nernst, no equilíbrio e a 298 K (E = 0 V e Q = Keq): 0.0592 0 = E° " logK eq n nE° logK eq = 0.0592 ! Aplicações do efeito da concentração Pilhas de concentração • Podemos usar a equação de Nernst para produzir uma célula que tem uma fem baseada apenas na diferença de concentração. • Um compartimento consistirá de uma solução concentrada, enquanto o outro tem uma solução diluída. • Exemplo: Ni2+(aq) 1,00 mol/L e Ni2+(aq) 1,00 $10-3 mol/L. • A célula tende a igualar as concentrações do Ni2+(aq) em cada compartimento. • A solução concentrada tem que reduzir a quantidade de Ni2+(aq) (para Ni(s)), logo, deve ser o catodo.
    • Aplicações do efeito da concentração Pilhas de concentração Eletrólise: provocando reações não espontâneas • As reações não espontâneas necessitam de uma corrente externa para fazer com que a reação ocorra. • As reações de eletrólise são não espontâneas. • Nas células voltaicas e eletrolíticas: ✓ a redução ocorre no catodo e ✓ a oxidação ocorre no anodo. ✓ No entanto, em células eletrolíticas, os elétrons são forçados a fluir do anodo para o catodo. Galvânica Zn(s) + Cu2+(aq) ! Zn2+(aq) + Cu(s) EO2/OH- = 1,103 V Eletrolítica Zn2+(aq) + Cu(s) ! Zn(s) + Cu2+(aq) EO2/OH- = -1,103 V
    • Eletrólise: provocando reações não espontâneas • Nas células eletrolíticas, o anodo é positivo e o catodo é negativo. (Em células galvânicas, o anodo é negativo e o catodo é positivo.) Eletrólise: provocando reações não espontâneas Eletrólise com eletrodos ativos • Eletrodos ativos: os eletrodos que fazem parte da eletrólise. • Exemplo: a galvanização eletrolítica.
    • Eletrólise: provocando reações não espontâneas Eletrólise com eletrodos ativos • Considere um eletrodo de Ni ativo e um outro eletrodo metálico colocado em uma solução aquosa de NiSO4: • Anodo: Ni(s) ! Ni2+(aq) + 2e- • Catodo: Ni2+(aq) + 2e- ! Ni(s). • O Ni se deposita no eletrodo inerte. • A galvanoplastia é importante para a proteção de objetos contra a corrosão. Eletrólise: provocando reações não espontâneas
    • Eletrólise: provocando reações não espontâneas Eletrólise da água
    • Eletrólise: provocando reações não espontâneas Aspectos quantitativos da eletrólise • Queremos saber a quantidade de material que obtemos com a eletrólise. • Considere a redução do Cu2+ a Cu. Cu2+(aq) + 2e- ! Cu(s) ✓ 2 mol de elétrons se depositarão em 1 mol de Cu. ✓ A carga de 1 mol de elétrons é 96.500 C (1 F). ✓ Uma vez que Q = it, a quantidade de Cu pode ser calculada pela corrente (i) e tempo (t) levado para a deposição. Corrosão: Células voltaicas indesejadas Corrosão do ferro • Uma vez que E°red(Fe2+) < E°red(O2), o ferro pode ser oxidado pelo oxigênio. • Catodo: O2(g) + 4H+(aq) + 4e- ! 2H2O(l). • Anodo: Fe(s) ! Fe2+(aq) + 2e-. • O oxigênio dissolvido em água normalmente provoca a oxidação de ferro. • O Fe2+ inicialmente formado pode ser ainda mais oxidado a Fe3+, que forma a ferrugem, Fe2O3. xH2O(s).
    • Corrosão: Células voltaicas indesejadas Corrosão: Células voltaicas indesejadas Em meio neutra: O2(g) + 2 H2O(l) + 4 e- ! 4 OH-(aq) EO2/OH- = 0,401 V 2 Fe(s) ! 2 Fe2+(aq) + 4 e- EFe/Fe2+ = -0,440 V 2 Fe(s) + O2(g) + 2 H2O(l) ! 2 Fe2+(aq) + 4 OH-(aq) Ecell = 0,841 V Em meio ácido: O2(g) + 4 H+(aq) + 4 e- ! 4 H2O (aq) EO2/OH- = 1,229 V
    • Corrosão: Células voltaicas indesejadas Corrosão: Células voltaicas indesejadas • A corrosão pode ser impedida através do revestimento do ferro com tinta ou um outro metal. • O ferro galvanizado é revestido com uma fina camada de zinco. • O zinco protege o ferro uma vez que o Zn é o anodo e Fe é o catodo: Zn2+(aq) +2e- ! Zn(s), E°red = -0,76 V Fe2+(aq) + 2e- ! Fe(s), E°red = -0,44 V • Com os potenciais padrão de redução acima, o Zn é mais facilmente oxidável do que o Fe.
    • Corrosão: Células voltaicas indesejadas Proteção contra a corrosão Proteção catódica • Para a proteção do encanamento subterrâneo, um anodo de sacrifício é adicionado. • O tubo de água é transformado no catodo e um metal ativo é usado como o anodo. • Freqüentemente, o Mg é usado como o anodo de sacrifício: Mg2+(aq) +2e- ! Mg(s), E°red = -2,37 V Fe2+(aq) + 2e- ! Fe(s), E°red = -0,44 V
    • Proteção contra a corrosão Proteção contra a corrosão
    • Fim da Aula