Logística Empresarial - Módulo I
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Logística Empresarial - Módulo I

on

  • 6,437 views

Video do Módulo I do Curso de Logística Empresarial preparado pelos responsáveis pelos sites Curso Virtual e iCursos.

Video do Módulo I do Curso de Logística Empresarial preparado pelos responsáveis pelos sites Curso Virtual e iCursos.

Statistics

Views

Total Views
6,437
Views on SlideShare
6,370
Embed Views
67

Actions

Likes
5
Downloads
216
Comments
0

3 Embeds 67

http://logisticaindustrial1990.blogspot.com 59
http://www.udemy.com 6
http://logisticaindustrial1990.blogspot.com.br 2

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Logística Empresarial - Módulo I Presentation Transcript

  • 1. Olá!Seja Bem Vindo ao Módulo I – História e AbordagemInicial, do Curso de LOGÍSTICA EMPRESARIAL, doCURSO VIRTUAL!Neste módulo iremos aprender conceitos sobreLogística, sua importância no desenvolvimento dasempresas, seu papel nos mais diversos setores denegócios, a diferença entre Logística e Gestão daCadeia de Suprimentos, além de uma abordagemhistórica e o profissional de Logística.Esperamos que você aproveite e assimile bem todo oconteúdo apresentado.Bons Estudos e Sucesso!
  • 2. De maneira geral, logística é uma área da administração, responsável pelo transporte earmazenamento de mercadorias e produtos.No entanto, de maneira mais específica, podemos definir logística, utilizando-se da definiçãoadotada pela Council of Supply Chain Management Professionals que a conceitua como“a parte do Gerenciamento da Cadeia de Abastecimento que planeja, implementa econtrola o fluxo e armazenamento eficiente e econômico de matérias-primas, materiaissemiacabados e produtos acabados, bem como as informações a eles relativas, desde oponto de origem até o ponto de consumo, com o propósito de atender às exigências dosclientes”.Assim, qualquer atividade que envolva a movimentação de bens para um lugar certo, em ummomento certo, com preço justo e qualidade assegurada, pode ser descrita dentro do termo“logística”.O mais importante, nesta definição, é que fique claro que o objetivo da logística é assegurarvantagens competitivas na cadeia de abastecimento, que possam gerar, de um lado, asatisfação do cliente e, do outro, a satisfação do processo.É importante destacar também, que a logística possui uma série de variantes, sendo a maisimportante, conhecida como Logística Integrada. Trata-se de um sistema que leva emconsideração a integração das diversas funções logísticas tais como o transporte, oarmazenamento, o controle de estoques, o processamento de pedidos, a comunicação entresetores, a produção, a distribuição para os clientes e o nível dos serviços prestados, dandoênfase especial às questões de redução do custo da cadeia total. Dentro dessa logísticaintegrada, podemos destacar ainda, outras variantes como veremos a seguir:
  • 3. Logística de Abastecimento – Responsável por administrar o transporte de materiais dosfornecedores para a empresa. Responde também pelo descarregamento no recebimento e noarmazenamento das matérias-primas e demais concorrentes, estruturação dos modelos deabastecimento e embalagem de materiais.Logística de Distribuição – Responsável pela administração do centro de distribuição, localização deunidades de movimentação nos seus endereços, abastecimento da área de separação de pedidos,controle da expedição, transporte de cargas entre fábricas e centro de distribuição e coordenação dosroteiros de transportes urbanos.Logística de Manufatura – É a atividade responsável pela administração dos postos de conformação emontagem, conforme cronograma estabelecido pela área de produção. Realiza também odeslocamento dos produtos acabados no final das linhas de montagem para os armazéns.Logística Organizacional – É a atividade logística dentro de um sistema organizacional. Responde portoda a área de organização, planejamento, controle e execução do fluxo de produtos, desde odesenvolvimento e aquisição até produção e distribuição para o consumidor final.Logística Reversa – Esta atividade nasceu da preocupação das empresas e da sociedade comaspectos ambientais. Está ligada diretamente à reciclagem de produtos consumidos, reutilização esubstituição de materiais, descarte de resíduos, reformas, reparos e remanufaturas. É uma atividadeque tem crescido muito, tanto na prática como conceitualmente, principalmente, nas devoluções deprodutos destinados à assistência técnica para consertos e/ou trocas.
  • 4. Historicamente a logística está intimamente ligada à arte da guerra. Segundo o Dicionário Aurélio, o termo vem do francês “logistique” e tem como uma de suas definições: "a parte da arte da guerra que trata do planejamento e da realização de: projeto e desenvolvimento, obtenção, armazenamento, transporte, distribuição, reparação, manutenção e evacuação de material para fins operativos ou administrativos".A Logística era considerada parte do setor estratégico, onde os militares ausavam para o transporte e distribuição de suprimentos e equipamentosutilizados pelas tropas que avançavam pelos campos inimigos.Um bom exemplo para ser destacado aqui é o exército de Alexandre - oGrande, da Macedônia. Seu império, por volta de 376 a.c. alcançou diversospaíses como Grécia, Pérsia e a Índia.Seu êxito não foi fundamentado na sorte ou por ordem dos Deuses, tal comose acreditava na época, mas simplesmente por estratégia e logística.Alexandre criou uma equipe que possuía a missão de estudar as alternativaspara reduzir a resistência das cidades que seriam atacadas. Da mesma forma,montou outra equipe que seguia à frente do exército de 35.000 homens,comprando todos os suprimentos necessários e montando armazénsavançados durante todo o trajeto para atender esses soldados, queconsumiam 100 toneladas de alimentos e 300.000 litros de água por dia.
  • 5. Seus métodos de motivação e gestão de equipes não eram os mais adequados, uma vez que,aqueles que cooperassem, eram poupados e posteriormente recompensados e os que resistiam,eram sumariamente assassinados e saqueados.Com essa estratégia, o exército de Alexandre caminhava em média 32 quilômetros por dia enquantoque outros exércitos deslaçavam-se apenas17 quilômetros, pois dependiam de carros de boi pararealizar o transporte de suprimentos. Isso deu grande vantagem ao exército de Alexandre quechegou a percorrer 6.400 quilômetros, do Egito à Índia.Com características muito semelhantes às atividades industriais, a logística militar passou a serutilizada nas organizações, com grande sucesso, dando origem a logística empresarial.Para que se possa compreender sua evolução recente até os dias atuais, apresentamos umcronograma dividido em quatro fases:
  • 6. Primeira Fase – antes de 1950Após a Segunda Guerra Mundial, inicia-se um crescimento econômico muito rápido, principalmente nosEUA, onde produzia-se e vendia-se muito, devido à demanda reprimida e à prosperidade industrial.Porém, os altos lucros resultantes desse crescimento fizeram com que as empresas se preocupassemapenas com a produção e venda dos produtos, atuando com uma completa ineficiência em estoque edistribuição. Isso prejudicou em muito o desenvolvimento da atividade logística. Desse modo, problemascomo atrasos nas entregas, falta de variedade de produtos, entre outros, foram surgindo e se tornandocada vez mais evidentes.Segunda Fase - entre 1950 e 1970Nesta fase, as empresas começam a adotar nova postura em relação à satisfação do Cliente. Com ummarketing agressivo, as empresas incentivaram seus clientes a consumirem cada vez mais, surgindo anecessidade de oferecer uma maior diversidade de produtos.Essa diversidade se refletia em uma maior quantidade e variedade de produtos de diferentes cores, tipose tamanhos, capazes de satisfazer a crescente demanda da sociedade. Com isso, houve um aumentoconsiderável dos estoques, o que exigiu uma racionalização na cadeia de suprimentos com o objetivo deaumentar os resultados e reduzir os custos. Para tanto, era necessário o aumento das atividades deplanejamento, aproximação entre fornecedores e clientes e o envolvimento de outros setores daempresa no planejamento logístico, que, até então, era centralizado na manufatura.
  • 7. Terceira Fase - entre 1970 e 1990Nesta fase, alguns eventos externos obrigaram as empresas a repensarem seus conceitos, o queacabou por impulsionar a logística. Eventos como competição mundial, falta de matéria-prima,desenvolvimento da informática, inflação, formação dos blocos econômicos, entre outros, fizeram comque empresas que tinham, como único objetivo, vender em grandes quantidades, sem se preocupar comseus custos, tivessem que se voltar para as questões logísticas com mais atenção e cautela, inserindo aatividade, ainda que de maneira primária, dentro de suas estratégias.Quarta Fase - Pós 1990Nesta fase, as empresas compreendem que Logística é a somatória das atividades da Administração deMateriais e a distribuição física. Neste sentido, destaca-se que o interesse pela Logística será crescenteno futuro e que seus conceitos sempre serão alvo de observação, análise e adaptação às necessidadesempresariais para o incremento da eficiência, bem como para a eficácia das empresas sujeitas àsconstantes e aceleradas mudanças em razão dos avanços tecnológicos, das mudanças econômicas edas transformações globais.
  • 8. As empresas encontram-se em um momento desafiador, no qual é preciso crescer, mantendo a competitividade e oferecendo serviços e produtos de qualidade a seus clientes, de forma a atender a todas as suas expectativas. Para isso, muitas empresas adotam medidas de redução de custo como eliminação de cargos, reduzindo com isso seu quadro de colaboradores, controle de ligações telefônicas ou até mesmo, eliminação do cafezinho durante o expediente. Porém, essas medidas, em sua maioria, são realizadas de forma isolada, não garantindo o resultado esperado.Por outro lado, há empresas que buscam essa redução de custos, através de muito planejamento, dentro doqual, encaram a logística como uma ferramenta estratégica bastante competitiva. Geralmente, suas açõesgerenciais são planejadas ecoordenadas de forma integrada, avaliando todo o processo, desde o fornecimento de matéria prima até acerteza de que seus clientes estão realmente satisfeitos. Essas medidas conseguem atingir resultadosexpressivos na redução de custos, em torno de 30% na média e de acordo com as práticas até entãoutilizadas.
  • 9. Neste sentido, o maior exemplo a ser destacado, é o comércio eletrônico. Esta forma de comercializarprodutos tem proporcionado às empresas, um nível de expansão dos seus negócios, nunca antesobservado, gerando diversos benefícios tanto para a empresa quanto para seus clientes. Tais benefíciospodem ser destacados como:•A possibilidade de oferecer seus produtos, para os mais variados clientes, em qualquer parte do mundo;•Eliminação de possíveis intermediários, propiciando assim uma venda direta ao seu consumidor final;•Redução significativa dos custos de estoques e despesas administrativas;•Redução dos custos de comunicação com seus clientes através da interatividade.Porém, para que haja sucesso nesse processo e as partes possam usufruir desses benefícios, é precisoque a empresa desenvolva sua estrutura de logística para realizar todos os processos de formaadequada, acompanhando o pedido desde o seu processamento, passando pela gestão de estoque,rastreamento e entrega ao cliente, inclusive com a logística reversa, como já falamos nesse curso.O não investimento nesse segmento poderá gerar uma série de problemas tanto para a empresa quantopara o cliente. Problemas como uma entrega fora do prazo ou uma falha na informação de status dopedido, com certeza vai deixar o cliente insatisfeito ou, na hipótese de um cliente pessoa jurídica, poderáacarretar problemas operacionais e até mesmo prejuízos. Lembrando que, segundo pesquisas desatisfação de vendas, um cliente satisfeito fala da empresa para uma pessoa enquanto clientesinsatisfeitos, contam para pelo menos cinco pessoas.
  • 10. Como dissemos anteriormente, a logística moderna adotouum conceito de integração que abrange toda a cadeia desuprimentos, desde a matéria prima até a entrega aoconsumidor final. Para que isso ocorra é essencial umgerenciamento logístico de forma a inserir na cadeia omercado, a rede de distribuição, o processo de fabricação ea atividade de aquisição, de tal modo que os clientes sejamservidos com níveis de excelência cada vez mais altos,mantendo os custos cada vez mais baixos.Porém, o ciclo de vida dos produtos tem se tornado cada vezmais curto, produzindo com isso, um mercado mais volátil,onde um produto pode ficar obsoleto poucos meses apósseu lançamento. Isto tem causado sérios problemas para ogerenciamento, uma vez que com a necessidade deinformações mais velozes e precisas, qualquer falha quevenha a ocorrer pode ser fatal para a empresa, além deacarretar prejuízos financeiros.Diante desse cenário, o gerenciamento logístico precisasuperar alguns desafios que veremos a seguir.
  • 11. Just-in-Time – Trata-se de uma filosofia de manufatura baseada naeliminação de toda e qualquer perda e na melhoria contínua da produtividade.Os elementos principais do Just-in-Time são: ter somente o estoquenecessário, quando necessário; melhorar a qualidade tendendo a zerodefeito; redução de tempo e tamanhos de lotes da produção; revisar asoperações e, principalmente, realizando tudo isto a um custo mínimo. Minimizar o Fluxo Logístico A tendência é que as empresas busquem um encurtamento em seu fluxo logístico de forma a permitir a realização de operações adotando o princípio do “Just-in-Time”, tanto na fabricação quanto na entrega, agilizando a colocação do produto no mercado. Proporcionar uma visibilidade mais adequada do Fluxo Logístico Conseguir observar e avaliar todo o fluxo logístico é fundamental para a identificação de possíveis gargalos de produção e para a redução dos estoques. Mas para que isto ocorra, as informações entre os departamentos devem ser compartilhadas.
  • 12. Gerenciar a logística de forma sistêmica O gerenciamento logístico deve ser compreendido como parte de um sistema em que o impacto de uma decisão em qualquer parte do sistema, causará reflexos no todo. É importante que o processo reconheça os inter-relacionamentos e interligações da cadeia de eventos que conectam desde o fornecedor até o cliente.O objetivo principal de qualquer negócio é a satisfação do cliente. Apesar de ser uma ideiaextremamente simples, nem sempre é fácil que os gerentes envolvidos com o planejamento daprodução ou controle de estoque entendam esse objetivo, uma vez que encontram-se distantes doconsumidor final. Por isso, é importante estabelecer uma cadeia de clientes que ligue as pessoas,direta ou indiretamente, em todos os níveis da empresa, ao mercado. Só terá sucesso a empresaque conseguir pensar e agir de forma sistêmica, transformando a logística, de ferramentaoperacional em ferramenta estratégica.
  • 13. A logística está presente em praticamente todos ossetores de negócios. No entanto, destacaremos oque entendemos como setores principais. SegundoAntonio Carlos Alvarenga, autor da obra LogísticaAplicada: Suprimento e Distribuição Física, há cincosetores considerados os mais importantes:indústrias que transformam matéria prima em bruta,empresas atacadistas, empresas varejistas,empresas transportadoras e bancos.
  • 14. Indústrias que transformam matéria prima em bruta – Trata-se das indústrias que transformam matéria prima para outrasindústrias, como as que trabalham com minérios, madeiras,entre outros. Estas empresas dedicam maior atenção à logísticade suprimentos, na qual ocorrem os maiores problemas. Noentanto, a distribuição é mais simples pelo fato de que osinsumos são adquiridos em grandes quantidades e o produtofinal entregue em menor número de destinos.Empresas atacadistas – Neste setor não há fabricação demateriais, apenas a comercialização de produtos prontos, emlarga escala. Por receberem grandes lotes de produtos paraserem vendidos e, também, vender grandes lotes de produtos, asua logística é muito semelhante, tanto na entrada quanto nasaída de mercadorias.
  • 15. Empresas varejistas – Este setor recebe uma grande quantidade de produtos, porém, sua distribuição é feita de forma muito fragmentada, sendo transportado para diversos destinos. Desta forma, o processo logístico de distribuição é bastante complexo, tendo em muitos casos, sérios problemas com roteirização, processamento de informações dos produtos, coordenação e documentação. É importante ressaltar ainda que, em alguns casos, são necessários veículos especiais ou adaptados para realizar o transporte. Empresas transportadoras – As transportadoras trabalham de forma muito parecida com as empresas atacadistas. A principal diferença, no entanto, consiste no volume de armazenamento de mercadorias, uma vez que as transportadoras procuram ter o mínimo de volume, apenas o necessário para efetuar os despachos dentro dos prazos especificados. Não podemos considerar transportadoras, apenas as empresas que transportam grandes volumes.Existem transportadoras que são especializadas em cargas fracionadas, ou seja, trabalham compequenos volumes como pacotes e pequenas caixas. É um processo que requer muita atenção eplanejamento em termos de frota, roteiros, operações nos depósitos, entre outros.
  • 16. BancosPor fim e não menos importantes, estão os bancos que se encontram nessa relação, pelo fato de suastransações bancárias implicarem na emissão de documentos importantes, no qual o transporte deve serrealizado dentro do prazo exigido e com o máximo de planejamento e cuidado.
  • 17. A Gestão da Cadeia de Suprimentos ou em inglêscomo se costuma conhecê-la no mundo corporativo,“Supply Chain Management”, é um tema quemerece ser destacado em nosso curso, pelaconstante confusão gerada com a atividade delogística. Ao contrário do que muitos acreditam, aGestão da Cadeia de Suprimentos e Logística nãosão sinônimos. Trata-se de duas atividadesdistintas, conforme veremos a seguir.
  • 18. A Gestão da Cadeia de Suprimentos tem um conceito muito mais amplo que a logística, sendo esta últimaa parte do processo da cadeia de suprimentos que planeja, implanta e controla, de forma eficiente eeficaz, o fluxo físico, estocagem de materiais, serviços e o fluxo de informações correlacionadas entre oponto de origem e o ponto de consumo, de forma a atender todas as necessidades dos clientes.Enquanto a Logística representa uma integração interna de atividades, a Gestão da Cadeia deSuprimentos representa sua integração externa, pois estende a coordenação dos fluxos de materiais einformações aos fornecedores e ao cliente final. Portanto, podemos afirmar que Gestão da Cadeia deSuprimentos consiste no estabelecimento de relações de parceiras, de longo prazo, entre oscomponentes de uma cadeia produtiva, que passarão a planejar estrategicamente suas atividades epartilhar informações de modo a desenvolverem as suas atividades, inclusive logísticas, de formaintegrada, através e entre suas organizações, possibilitando uma melhora no desempenho conjunto pelabusca de oportunidades, implementada em toda a cadeia, e pela redução de custos para agregar maisvalor ao cliente final.É interessante observar também a definição dada pelo Council of Logistics Management: “Gerenciamento da cadeia de suprimentos é a coordenação estratégica e sistêmica das funções de negócio tradicionais bem como as ações táticas que perpassam essas funções numa companhia e através de negócios dentro da cadeia logística com o propósito de aprimorar a performance de longo prazo das companhias individualmente e da cadeia de suprimentos como um todo”.
  • 19. As empresas que tem conseguido implementar a Gestão da Cadeia de Suprimentos, tem obtido reduçõessignificativas em estoques, otimização de transportes e eliminação de perdas. No entanto, muitasdificuldades existem no processo de implantação desse conceito, como uma profunda análise na culturadas empresas que irão compor a cadeia, compartilhamento de informações ou maneiras de equacionaros diferentes tamanhos e objetivos dos componentes, requerendo tempo, esforços e confiança mútua detodos os elos da cadeia de suprimentos.Voltamos a ressaltar que este capítulo foi inserido no curso, apenas para esclarecer o entendimentoequivocado de que Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos constituem a mesma atividade. Gestãoda Cadeia de Suprimentos poderá ser estudada em um curso especificamente desenvolvido para esteassunto, em vista de sua grande abrangência.Para conhecer mais sobre SCM, acesse: http://www.scribd.com/doc/7023099/SCM-varios
  • 20. O profissional de logística encontra-se hoje em plena evidência, face a importância desse setor para asobrevivência das empresas. Em razão disso, a demandapor profissionais especializados nessa área cresce a cada dia e como consequência, acaba gerandouma carência de profissionais capacitados para suprir as necessidades das empresas. Muito dessacarência, pode ser atribuído ao fato de tratar-se de uma atividade relativamente nova e, como todanovidade no mundo empresarial, sua evolução ocorre em uma velocidade superior àquelas que jápossuem um perfil profissional consolidado.Da mesma forma que há um aumento na demanda por profissionais, ocorre, em paralelo, um aumentono número de cursos para atender esta necessidade, formando com isso, um contingente maior deprofissionais. Como consequências, as empresas passam a exigir profissionais melhor qualificados ecapacitados para interagir com os diversos setores de uma empresa direta ou indiretamenterelacionadas com a atividade de logística, tais como fiscal, compras, comercial e vendas.A empresa espera deste profissional conhecimento de mercado, networking e constante atualização,com o intuito de agregar novidades no processo que possam resultar na diminuição dos gargaloslogísticos, gerando uma melhor performance nos processos e consequentemente, um maior lucro naoperação.Quanto à remuneração, dependerá do porte da empresa e do segmento com valores que podem variarde R$ 3 mil a R$ 25 mil por mês. Com a escassez de mão de obra qualificada, o profissional quepossuir experiência no mercado, tem seu passe valorizado. As empresas, na impossibilidade decontratar esse perfil de profissional, optam por jovens recém-formados que passam a ter aoportunidade de desenvolver uma carreira em velocidade meteórica. Assim, é importante que o recém-formado ou o jovem que esteja pensando em ingressar nesta carreira, se preocupe com algumascaracterísticas que podem diferenciá-lo dos demais.
  • 21. DIFERENCIAIS DO PROFISSIONAL DE LOGÍSTICA:•Boa formação acadêmica (graduação, especialização e mestrado);•Conhecimentos estatísticos e facilidade em trabalhar com números, como calcular ocusto de um caminhão quebrado ou ocioso ou o custo de uma entrega não realizada nadata correta;•Um segundo ou terceiro idioma como inglês e espanhol;•Saber trabalhar sobre constante pressão;•Habilidades em computação;•Habilidades de negociação;•Pró-atividade;•Conhecimentos tributários;•Visão sistêmica do processo, ou seja, todas as interfaces entre os elos da cadeiaprodutiva;•Conhecimento do negócio por qual atua;•Busca por melhorias nos processos e redução de custos;•Conhecimento de soluções tecnológicas que possibilitem uma melhor visibilidade dacadeia de suprimentos como um todo.
  • 22. Apesar da boa remuneração e da possível carreira meteórica que este profissional pode atingir, valeressaltar que esta profissão possui alta carga de responsabilidade. A posição ocupada pode serextremamente delicada, uma vez que eventuais falhas poderão comprometer não apenas sua áreainternamente como também agentes externos à empresa e, na grande maioria dos casos, osprotagonistas de toda a cadeia logística, os clientes. Deve também ser considerado que sua atuaçãoestá sujeita a todos os tipos de intempéries, tais como ações de fiscalização durante o transporte,greves de órgãos públicos, cancelamento de pedidos já processados, embates sócio-culturais no casode logística internacional, programas de redução de custo, reengenharias, ações de concorrentes,conflitos geopolíticos mundiais e outros.Para finalizar, vale destacar uma amostra da constante mudança por qual passa esse mercado. Abaixo,destacamos novas atividades exercidas pelo profissional de logística:•Acompanhamento de custos logísticos para melhoria dos trade offs logísticos (Trade Off é umaexpressão que define uma situação em que há conflito de escolha. Ele se caracteriza em uma açãoeconômica que visa à resolução de um problema, mas acarreta a ocorrência de outro, obrigando umaescolha);•Logística enxuta, objetivando reduções cada vez mais expressivas nos custos;•Atuação na área de Tecnologia da Informação, no desenvolvimento de análise de processos, fluxos erotinas para implementação de sistemas;•Uso da tecnologia principalmente dentro dos setores produtivos, deixando de ser exclusividade dasatividades relacionadas à prestação de serviços (como transportes, armazenagem, atendimento aocliente, e outros);
  • 23. •Dedicação a projetos diversos, que não fazem parte da rotina diária, como a gestão de terceiros(provedores logísticos) e administração dos estoques;•Preocupação com o meio ambiente e como este fator será tratado no sistema produtivo da empresa;•Participação na estratégia da empresa no que se refere a lançamento de produtos/serviços visandoidentificar como operacionalizar a logística dos mesmos. Isto vale também para novas formas deapresentação dos produtos, no que se refere ao tipo de embalagem;•Avaliação da localização de fornecedores, clientes e Centros de Distribuição em função de questõesde custos de movimentação, mão de obra e, principalmente tributos;•Participação em reuniões de Vendas e Operações;•Participação nas estratégias promocionais da organização, visando dar suporte às mesmas quanto àreposição de produtos nas lojas, negociações de compras específicas para este evento.Características pessoais e profissionais para progredir na carreiraO profissional que decide se desenvolver na área de logística precisa adquirir conhecimentosespecíficos e desenvolver suas aptidões e competências de forma consciente e consistente.Consciente porque não basta ter vocação. Vocação sem conhecimento é simplesmente sonho semação consequente. Consistente porque a área exige que o profissional seja um estudioso persistente denovas tendências e tecnologias aplicadas ao negócio, dinamizando e tornando a empresa maiscompetitiva em um mercado de consumidores cada vez mais exigentes e cada vez mais protegidos emseus interesses.
  • 24. Dentre as várias competências, destacamos abaixo aquelas sem as quais o sucesso na atividadeestará seriamente comprometido:Formação Acadêmica: Atualmente, vários são os cursos universitários com ênfase em logística, tantoem faculdades de administração de empresas, economia, marketing, engenharia, tecnologia dainformação como cursos técnicos específicos. Importante ressaltar também, que o profissional quedeseja se destacar na carreira, alcançando cargos de maior relevância, precisa preocupar-se com oprolongamento de seus conhecimentos através de cursos de especialização, pós-graduação emestrado.Liderança: O líder na área de logística, além dos pressupostos normais da função deve adicionar àatividade, conhecimentos técnicos bastante ecléticos, como o domínio de conceitos de contabilidade,custos, administração de negócios, tributário e política comercial. Deve conhecer e aplicar asestratégias mercadológicas da empresa e entender os seus reflexos sobre todas as áreas internas derelacionamento, como produção, planejamento, marketing, custos e administração geral e sobre asáreas externas como parceiros de negócios, fornecedores, agentes de distribuição e consumidoresfinais.Características Pessoais: Destacam-se nas características pessoais do profissional de logística, asseguintes habilidades:•Conhecimento do Negócio – É fundamental ter domínio das várias partes que compõem a sua área deatuação, para conduzir com eficácia as ações inerentes à sua atividade.
  • 25. •Conhecimento Estatístico – Deve ter facilidade em trabalhar com números como o custo de umaentrega não realizada no tempo correto. O trato com números e suas relações é fundamental paradeterminar os pontos de equilíbrio, o estudo para eliminação de gargalos que geram despesas ouaumento de custo, assim como redução de custos e aumento da produtividade.•Conhecimento em Informática – O profissional de logística deve estar atento às atualizaçõestecnológicas, uma vez que softwares e sistemas sofrem atualizações cada vez mais rápidas. Caso nãohaja um esforço para acompanhar estas mudanças, o profissional, assim como o sistema, tornam-seobsoletos.•Negociação – Este profissional é um agente efetivo de negociação da empresa. Pode representar aporta de entrada e de saída no atendimento a toda a sua rede de relacionamento, principalmentequanto a fornecedores e consumidores finais. A habilidade de negociação deste profissional poderá sero diferencial de qualidade da empresa face aos diferentes graus de interesses e necessidades de seusparceiros.•Tomada de Decisão – Não é raro que o profissional de logística tenha que assumir riscos na tomadade decisões complexas. Estas situações carregam em si uma importante dose de estresse podendorepercutir na saúde física e emocional do profissional. É necessário um exercício freqüente para buscarmeios de reequilibrar-se, física e emocionalmente, dia após dia.•Idiomas – A globalização leva, cada vez mais, os negócios a ultrapassarem fronteiras. O domínio deuma segunda ou terceira língua como inglês e espanhol, poderá ser determinante para o sucesso ouinsucesso profissional na carreira.
  • 26. Chegamos ao final de mais uma etapa de nosso curso.Esperamos que você tenha aproveitado todo oconteúdo apresentado.Continue agora no Módulo II.Nos vemos lá!