CPA - 20  CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL       ANBIMA – SÉRIE 20                                                               ...
                                         RECOMENDAÇÕES    Esta apostila foi elaborada pelo professor Edgar Abreu.   A  i...
                             SOBRE O AUTOR                                                    Edgar Abreu                 ...
 As melhores apostilas                    s do merca                             ado de gra                               ...
                                                                      Sumário        MÓDULO 1 – PRINCÍPIOS BÁSICOS DE ECON...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                       edgarabreu@yahoo.com.br                                ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                     edgarabreu@yahoo.com.br                                  ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                         edgarabreu@yahoo.com.br                              ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                    edgarabreu@yahoo.com.br                                   ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                      edgarabreu@yahoo.com.br                                 ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                      edgarabreu@yahoo.com.br                                 ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                           edgarabreu@yahoo.com.br                            ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                     edgarabreu@yahoo.com.br                                  ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                       edgarabreu@yahoo.com.br                                ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                     edgarabreu@yahoo.com.br                                  ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                      edgarabreu@yahoo.com.br                                 ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                     edgarabreu@yahoo.com.br                                  ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                                                edgarabreu@yahoo.com.br       ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                                                edgarabreu@yahoo.com.br       ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                        edgarabreu@yahoo.com.br                               ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                     edgarabreu@yahoo.com.br                                  ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                    edgarabreu@yahoo.com.br                                   ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                     edgarabreu@yahoo.com.br                                  ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                      edgarabreu@yahoo.com.br                                 ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                    edgarabreu@yahoo.com.br                                   ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                     edgarabreu@yahoo.com.br                                  ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                     edgarabreu@yahoo.com.br                                  ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                      edgarabreu@yahoo.com.br                                 ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                      edgarabreu@yahoo.com.br                                 ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                      edgarabreu@yahoo.com.br                                 ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                      edgarabreu@yahoo.com.br                                 ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                    edgarabreu@yahoo.com.br                                   ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                      edgarabreu@yahoo.com.br                                 ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                     edgarabreu@yahoo.com.br                                  ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                       edgarabreu@yahoo.com.br                                ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                      edgarabreu@yahoo.com.br                                 ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                     edgarabreu@yahoo.com.br                                  ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                    edgarabreu@yahoo.com.br                                   ...
CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20                                     edgarabreu@yahoo.com.br                                  ...
CER                                RTIFICAÇ                                       ÇÃO ANBI                                ...
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Cpa 20 apostila
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Cpa 20 apostila

22,271

Published on

Apostila para ANBID

0 Comments
11 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
22,271
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
11
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Cpa 20 apostila"

  1. 1. CPA - 20 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA – SÉRIE 20     http://www.edgarabreu.com.br    AUTOR: PROF. EDGAR ABREU (edgarabreu@yahoo.com.br)  ULTIMA ATUALIZAÇÃO: 02 de MARÇO de 2011  PRÓXIMA ATUALIZAÇÃO: 15 de JUNHO de 2011 (A APOSTILA É ATUALIZADA CONFORME MEUS ALUNOS PRESTAM A PROVA E  ME ENVIAM INFORMAÇÕES SOBRE QUESTÕES QUE CONSEGUEM LEMBRAR) 
  2. 2.   RECOMENDAÇÕES    Esta apostila foi elaborada pelo professor Edgar Abreu.   A  instituição  ANBIMA  não  tem  algum  envolvimento  ou  responsabilidade  com  a  elaboração e publicação deste material.   Este material é o mesmo utilizado em nossos cursos preparatórios para certificação CPA  20. Caso tenha interesse em fazer algum dos nossos cursos, entre em contato com o   Autor   Esta apostila foi elaborada com auxílio de alguns profissionais que prestaram a prova do  CPA ‐ 20.    É o material mais focado para prova de Certificação da CPA 20 e o UNÍCO material de   qualidade disponibilizado GRATUITAMENTE no Brasil.     Porque um material tão bom assim de graça?    1. Quem estuda por uma apostila, possui tempo e disciplina para estudo, assim não  necessita fazer um curso presencial.    2. Esta  é  a  minha  forma  de  ajudar   as  pessoas  para  contribuir  com  um  mundo  melhor.       O  custo  deste  material  é  o  pedido  que  faço  para  você  profissional  do  mercado  em    ajudar  o  próximo  com  o  que  estiver  ao  seu  alcance.  Assim,  certamente  viveremos  em   um mundo melhor.      Qualquer  Dúvida  que  tenham,  pode  tirar  direto  com  o  autor  pelo  e‐mail:   edgarabreu@yahoo.com.br   Muito sucesso em seus estudos!  OBS:  Antes  de  começar  os  seus  estudos,  verifique  se  esta versão da apostila é a mais atualizada. Este material encontra‐se  disponível  para  download  no  meu  site: www.edgarabreu.com.br   
  3. 3.   SOBRE O AUTOR    Edgar Abreu   Edgar Abreu é mestrando em Economia pela UNISINOS – RS, graduado   em  Matemática  Licenciatura  pela  PUC‐RS,  com  especialização  em   Educação a Distância pelo SENAC‐RS e especialização em Finanças pela  UFRGS. Possui as certificações da Anbid CPA‐10 e CPA‐20 e também a   certificação  de  Agente  Autônomo  de  Investimento,  concedida  pela   ANCOR.  Ex.  funcionário  do  Banco  do  Estado  do  Rio  Grande  do  Sul,  atualmente trabalha como consultor de finanças pessoais e leciona em   cursos de preparação para certificação CPA 10, CPA 20, CEA, ANCOR e   preparatório  para  concursos  públicos.  Mais  informações  no  site:  www.edgarabreu.com.br       Este material está de acordo com o Edital da ANBIMA para certificação CPA ‐20 versão 9.5        PUBLICAÇÕES                 
  4. 4.  As melhores apostilas s do merca ado de gra aça para d download d e agora t também c com opção o de comprar “ “impressaa”.  Apostila a On nline (Grá átis) P&B Colorida C CPA 10 Clique Aq C qui R$ 20,0 00 R$ 29,00 CPA 20 Clique Aq C qui R$ 26,0 00 R$ 37,00 ANCORR Clique Aq C qui R$ 19,0 00 R$ 26,00 CEA Clique Aq C qui R$ 30,0 00 R$ 43,00MA FINA AT ANCEIRA - Concu A urso Clique Aq C qui R$ 14,0 00 R$ 20,00 CONHC. B C BANCÁR RIOS BB - B Clique Aq C qui R$ 33,0 00 R$ 45,00 Concurso o PQO EM E BREV   VE . VÍDEO A AULAS E SIMULADOS ONLINE E   Tenha todas as qquestões que disponibilizamos nas apostilas de form online n ma  Nossos simulados possuem feedback da maioria das ques s s m a stões, assim você enc m contra a respost de cada questão m ta a mais facilita ada  Oferece emos a poossibilidade que você teste esta ferrament de forma gratúita e ta  Curso c completo e vídeo a em aulas expliccativas, gra avadas com foco na prova. m  Ao com mprar um s simulado vo poderá resolver as questõe quantas vezes quiser dentro de ocê á es s um perríodo de 45 dias. 5 CER RTIFICAÇÕ ÕES SIMU ULADO VÍDEEO ONLINE AULAAS CPA – 10 R$ 80,00 8 R$ 150 0,00 CPA – 20 R$ 120,00 1 R$ 290 0,00 ANCOR Em breve Em br reve CEA Em breve Em br reve PQO Em breve Em br reve Conhec cimentos Bancário Em breve Em br reve Matem mática Financeira Em breve Em br reve Accesse: ht ttp://ed dgarabre eu.com. .br  
  5. 5.    Sumário     MÓDULO 1 – PRINCÍPIOS BÁSICOS DE ECONOMIA, FINANÇAS E ESTATÍSTICA ........................................................ 01  MÓDULO 2 – FUNDOS DE INVESTIMENTO ............................................................................................................. 18  MÓDULO 3 – DEMAIS PRODUTOS DE INVESTIMENTO ............................................................................................ 35  MÓDULO 4 – TRIBUTAÇÃO .................................................................................................................................... 61  MÓDULO 5 – ÓRGÃOS REGULAÇÃO, AUTO‐REGULAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E PARTIPANTES DO MERCADO ............... 67  MÓDULO 6 – COMPLIANCE LEGAL, ÉTICA E ANÁLISE DO PERFIL DO INVESTIDOR ................................................... 75  MÓDULO 7 – MENSURAÇÃO, GESTÃO DE PERFORMANCE E RISCO ........................................................................ 86  RESUMOS  ............................................................................................................................................................. 97  .    SIMULADOS  ....................................................................................................................................................... 100  SIMULADO 1  .............................................................................................................................. 101  SIMULADO 2  .............................................................................................................................. 109  SIMULADO 3  .............................................................................................................................. 120  SIMULADO 4  .............................................................................................................................. 132  SIMULADO EXTRA  ...................................................................................................................... 143  GABARITO  .................................................................................................................................. 158  ESQUEMAS DE AULA  .................................................................................................................. 160   
  6. 6. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br    MÓDULO 1. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE ECONOMIA, FINANÇAS E  ESTATÍSTICA (PROPORÇÃO: DE 5% A 10%)  O que esperar do MÓDULO 1 ? Neste capitulo teremos no mínimo 3 questões de prova e no máximo 6 questões de prova. Em geral teremos 1 questão de matemática financeira e 1 questão de estatística. Por isso não perca muito tempo nestes conteúdos se tiver dificuldades. As questões de matemática e estatística não necessitam de cálculos para sua resolução, apenas o conceito é cobrado. 1.1. CONCEITOS BÁSICOS DE ECONOMIA – 3 A 4 QUESTÕES PIB (PRODUTO INTERNO BRUTO)O PIB (Produto Interno Bruto) é a soma de todos os bens e serviços produzidos em um paísdurante certo período. Isso inclui do pãozinho até um avião produzido pela Embraer, por exemplo.O índice só considera os bens e serviços finais, de modo a não calcular a mesma coisa duasvezes. A matéria-prima usada na fabricação não é levada em conta. No caso de um pão, a farinhade trigo usada não entra na contabilidade.O PIB é obtido pela equação:PIB = Consumo + Investimentos + Gastos do Governo + Saldo da Balança Comercial(Exportação – Importação) COPOM Criado em Junho de 1996; Junho de 1999 o Brasil passou a adotar as “Metas de Inflação” (definida pelo C.M.N) Índice utilizado na meta: IPCA É composto atualmente é diretoria colegiada do BACEN – (7 Diretores + 1 Diretor Presidente) É o Copom quem define a taxa de juros “Selic – Meta” e também a existência ou não do Viés. Uma vez definido o viés, compete ao presidente do BACEN a tarefa de executar Reunião em dois dias (terças e quartas), Sendo o primeiro dia reservado para apresentação de dados e discussões e no segundo dia acontece a votação e definição da taxa de juros. Calendário de reuniões (8 vezes ao ano) divulgado em até o fim de Outubro, podendo reunir- se extraordinariamente, desde que convocado pelo Presidente do Banco Central. Divulgação da ATA de reunião em 6 dias úteis em português e 7 em Inglês;www.edgarabreu.com.br  Página 1  
  7. 7. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br   Caso a Inflação (medida pelo IPCA) ultrapasse a meta estipulada pelo C.M.N (somado o intervalode tolerância), o Presidente do Banco Central deve explicar os motivos do não cumprimento dameta através de uma Carta Aberta ao Ministro da Fazenda; SELIC META X SELIC OVERA taxa Selic Over taxa apurada no Selic, obtida mediante o cálculo da taxa média ponderada eajustada das operações de financiamento por um dia, lastreadas em títulos públicos federais ecursadas no referido Sistema na forma de operações compromissadas.A taxa Selic Meta é Definida pelo Copom, com base na Meta de Inflação. É a Selic – Meta queregula a taxa selic over assim como todas as outras taxas do Brasil.Comentário: A selic over pode ser alterada diariamente (dias úteis), pois se trata de uma médiadas taxas de negociação dos TPF, enquanto a Selic Meta só é alterada pelo Copom, através dereuniões ordinárias ou Extraordinárias CDI (CERTIFICADO DE DEPÓSITO INTERFINANCEIRO) Os Certificados de Depósito Interbancário são os títulos de emissão das instituições financeiras, que lastreiam as operações do mercado interbancário. Suas características são idênticas às de um CDB, mas sua negociação é restrita ao mercado interbancário. Sua função é, portanto, transferir recursos de uma instituição financeira para outra. Em outras palavras, para que o sistema seja mais fluido, quem tem dinheiro sobrando empresta para quem não tem A taxa média diária do CDI é utilizada como parâmetro para avaliar a rentabilidade de fundos, como os DI, por exemplo. O CDI é utilizado para avaliar o custo do dinheiro negociado entre os bancos, no setor privado e, como o CDB (Certificado de Depósito Bancário), essa modalidade de aplicação pode render taxa de prefixada ou pós-fixada CDI X SELICwww.edgarabreu.com.br  Página 2  
  8. 8. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br    TR (TAXA REFERÊNCIAL)A TR representa a Taxa Básica Financeira (TBF), que e calculada em função da taxa mediados CDB, deduzida de um redutor (R), da seguinte forma:  1  TBF   TR    1  R A TR e utilizada na remuneração dos títulos da divida agrária (TDA), dos recursos das cadernetasde poupança e do FGTS.É competência do BACEN calcular e divulgar a TR IPCA (ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR AMPLO) A ponderação das despesas das pessoaspara se verificar a variação dos custos foi definida do seguinte modo  Índice Oficial de inflação do Brasil Tipo de Gasto Peso % do Gasto  Calculado pelo IBGE.Alimentação 25,21  Divulgado mensalmenteTransportes e 18,77  Utilizado como referência para META de inflação definida pelocomunicação CMN para o COPOMDespesas pessoais 15,68Vestuário 12,49Habitação 10,91  População-objetivo do IPCA abrange as famílias com rendimentosSaúde e cuidados 8,85 mensais compreendidos entre 1 (hum) e 40 (quarenta) salários-pessoais mínimos, qualquer que seja a fonte de rendimentos, e residentesArtigos de residência 8,09 nas áreas urbanas das regiões metropolitanas de Belém, Total 100,00 Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba e Porto Alegre, Brasília e município de Goiânia: IGP-M (ÍNDICE GERAL DE PREÇOS DO MERCADO) Calculado pela FGV. Divulgado mensalmente IGP-M/FGV é composto pelos índices:  60% do Índice de Preços por Atacado (IPA),  30% Índice de Preços ao Consumidor (IPC)  10% Índice Nacional de Custo de Construção (INCC)O índice que mais afeta o IGP-M é o IPAComentário: O que difere o IGP-M/FGV e o IGP-DI/FGV é que as variações de preçosconsideradas pelo IGP-M/FGV referem ao período do dia vinte e um do mês anterior ao dia vintewww.edgarabreu.com.br  Página 3  
  9. 9. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br   do mês de referência e o IGP-DI/FGV refere-se a período do dia um ao dia trinta do mês emreferência TAXA DE CÂMBIOTaxa de câmbio é o preço de uma unidade monetária de uma moeda em unidades monetárias deoutra moedaPTAX é a taxa que expressa à média das taxas de câmbio praticada no mercado interbancário.Divulgada pelo BACEN.TODAS as operações devem ter registro OBRIGATÓRIO no SISBACEN pelas instituiçõesautorizadas por ele a atuar POLÍTICA MONETÁRIAConjunto de medidas adotadas pelo Governo visando adequar os meios de pagamento disponíveisàs necessidades da economia do país, bem como, controlar da quantidade de dinheiro emcirculação no mercado e que permite definir as taxas de juros.Instrumentos: Depósito compulsório Operações de Redesconto Open market (operações de mercado aberto) DEPÓSITO COMPULSÓRIO Representa uma parcela dos recursos depositados nos bancos que não pode ser aplicado, devendo ser depositadas no banco central; Limita a criação de moedas feita pelas instituições monetárias; Atualmente existe 3 tipos de compulsórios: Compulsório sobre depósito á vista, depósito à prazo e poupanças; IMPORTANTE:  O CMN determina as taxas de recolhimento compulsório das instituições financeiras;O BACEN recebe os depósitos compulsórios das instituições financeiras OPERAÇÃO DE REDESCONTO É a taxa de juros cobrada pelo Banco Central pelos empréstimos concedidos aos bancos; IMPORTANTE: o O CMN Regulamenta as operações de redesconto;O BACEN Realiza operações de redesconto às instituições financeiras OPEN MARKET (MERCADO ABERTO) É a compra e ou venda de T.P.F (Título Público Federal) executada pelo BACEN;www.edgarabreu.com.br  Página 4  
  10. 10. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br    É o instrumento mais ágil e eficaz que o governo dispões para fazer política monetária; IMPORTANTE: o O CMN Estabelece Normas (Normatiza) para a compra e venda de T.P.F; o O BACEN efetua a compra e venda de T.P.F;Comentário: É sem dúvida o melhor e, mas eficaz instrumento para fazer política monetária doBACEN, por ter um resultado imediato e confiável CONSEQÜÊNCIAS DA POLÍTICA MONETÁRIA M1 INFLAÇÃO PIB AUMENTAR ( ) Compulsório e Redesconto ou REDUZ REDUZ REDUZ VENDER T.P.F REDUZIR ( ) Compulsório e Redesconto ou COMPRAR T.P.F AUMENTA AUMENTA AUMENTA POLÍTICA FISCALConjunto de medidas adotadas pelo Governo, dentro do orçamento do Estado, que visam obter asrendas indispensáveis à satisfação das despesas públicasChamamos de política fiscal as decisões do governo sobre como e quanto irá arrecadar de tributos(impostos, taxas e contribuições) e sobre quanto e de que forma irá gastar os recursos disponíveisContas do Setor Público: Despesas Superávit/ Receita não Déficit Impostos financeiras Primário Pagamento de juros sobre a dívida pública Superávit Déficit Nominal POLÍTICA CAMBIALwww.edgarabreu.com.br  Página 5  
  11. 11. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br   Política federal que orienta o comportamento do mercado de câmbio e da taxa de câmbio O Brasil adota um regime de Política Cambial Flutuante SUJA sem Banda Cambial. Em um regime de taxas perfeitamente flutuantes o Bacen não intervém no mercado, permanecendo inalterado as reservas internacionais. RESERVAS INTERNACIONAISAs Reservas Internacionais de um país são formadas por ativos em moedas estrangeiras, comotítulos depósitos bancários, ouro, etc., que podem ser usados para pagamentos de dívidasinternacionais. BALANÇO DE PAGAMENTOSÉ o registro das transações de um país com o resto do mundo. No Brasil, os valores sãoexpressos em dólares americanos, mesmo quando são efetuados com outros países que não osEUA. Duas grandes contas formam o balanço de pagamentos de um país:a) Conta Corrente:  engloba os registros de três outras contas: a balança comercial, a conta de serviços e rendas e as transferências unilateraisBalança comercial: Registra o comércio de bens, na forma de exportações e importações.Quando as exportações são maiores que as importações temos um superávit na BalançaComercial. Um déficit ocorre quando as importações são maiores que as exportações.Conta de Serviços e Rendas: inclui os pagamentos/recebimentos relacionados com o comérciode bens, como fretes e seguros, as receitas/despesas com viagens internacionais, o aluguel deequipamentos, os serviços governamentais, a exportação e importação de serviços e opagamento/recebimento de juros e de lucros e dividendos.Transferências Unilaterais: contabilizam o saldo líquido das remessas de recursos ou doaçõesfeitos entre residentes no Brasil e residentes em outros paísesb) Conta de Capitais: registra o saldo líquido entre as compras de ativos estrangeiros porresidentes no Brasil e a venda de ativos brasileiros a estrangeiros Balança de  Exportação Importação Comercial Balança  Conta de Serviços  Transferências  Conta Corrente Comercial e Rendas unilateraiswww.edgarabreu.com.br  Página 6  
  12. 12. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br    Balança de  Conta  Contas de  Pagamentos Corrente Capitais 1.2. CONCEITOS BÁSICOS DE FINANÇAS – 1 A 2 QUESTÕES  TAXA DE JUROS NOMINAL E TAXA DE JUROS REALSe considerarmos que um valor aplicado em certo fundo de investimento, obteve 15% de lucro noano de 2007. Se considerarmos também, que a inflação acumulada no ano de 2007 foi de 4,5%,assim o ganho REAL deste cliente foi inferior ao lucro NOMINAL (APARENTE).Taxa nominal: 15%Inflação: 4,5%Para o calculo da taxa Real, não podemos apenas subtrair a inflação e sim utilizar a fórmula deFisher.  (1  Taxa No min al )  Taxa REAL     1 x100  (1  Inflação)  Logo: 1,15Taxa real:  1,1004  10, 04% 1, 045Pergunta: Em uma aplicação financeira o ganho nominal pode ser igual ao ganho real?Resposta: Sim, quando a inflação for igual a zeroPergunta: Em uma aplicação financeira o ganho real pode ser superior ao ganho nominal?Resposta: Sim, quando a inflação for inferior a zero, ou seja, houver deflação CAPITALIZAÇÃO SIMPLES VERSUS CAPITALIZAÇÃO COMPOSTADefinições:o Capitalização Simples: Juros incide apenas sobre o capital. Não possui “juros sobre juros”.o Capitalização composta: O juros incide sobre o capital acrescido os juros de período anterior. Existe a cobrança de “juros sobre juros”.www.edgarabreu.com.br  Página 7  
  13. 13. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br   Fórmulas para calcular o montanteJUROS SIMPLES:FV  PV (1  i x n)Onde: o FV = Valor Futuro (Montante) o PV = Valor Presente (Capital) o i = taxa de juros o n = período que a taxa será capitalizadaExemplo 1:Qual o montante produzido por um investimento de R$ 10.000,00 aplicados a uma taxa de 1% aomês após 10 meses?FV  10.000(1  0, 01 x 10)FV  11.000, 00Exemplo 2:Qual o montante produzido por um investimento de R$ 10.000,00 aplicados a uma taxa de 12%ao ano após 6 meses? 6FV  10.000(1  0,12 x ) 12FV  10.600, 00JUROS COMPOSTO:FV  PV (1  i ) nOnde: o FV = Valor Futuro (Montante) o PV = Valor Presente (Capital) o i = taxa de juros o n = período que a taxa será capitalizadaExemplo:Qual o montante produzido por um investimento de R$ 10.000,00 aplicados a uma taxa de 1% aomês após 10 meses?www.edgarabreu.com.br  Página 8  
  14. 14. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br   FV  10.000(1  0, 01) 10FV  11.046, 22Exemplo 2:Qual o montante produzido por um investimento de R$ 10.000,00 aplicados a uma taxa de 12%ao ano após 6 meses? 6FV  10.000(1  0,12) 12FV  10.583, 00Comentário:Compare o exemplo 1 de juros simples com o exemplo 1 de juros composto.Conclusão: Quando estamos capitalizando a taxa de juros, juros composto é superior a jurossimples.Compare agora o exemplo 2 de juros simples com o exemplo 2 de juros composto.Conclusão: Quando estamos descapitalizado a taxa de juros, juros composto é inferior aosjuros simples. TAXA LIVRE DE RISCOOs diversos ativos onde o investidor pode aplicar seu dinheiro possuem risco. Isso significa que opreço e as taxas de todos os ativos possuem volatilidade.Alguns ativos possuem alta volatilidade outros possuem baixa volatilidade, portanto são de altorisco ou de baixo risco respectivamenteNo Brasil, os participantes do mercado aproximam a taxa DI ou a taxa SELIC como sendo a taxalivre de riscos, apesar de sua volatilidade não ser desprezível CUSTO PONDERADO DE CAPITAL (WACC)Uma empresa capta recursos financeiros basicamente através de dois mecanismos: emissão dedívida (capital de terceiros) ou emissão de ações (Capital próprio).Os acionistas, a princípio, correm os maiores riscos dentro da empresa porque os detentores dostítulos e contratos de dívida possuem preferência no recebimento de seus créditos contra aempresa. Desta forma podemos esperar que a rentabilidade exigida pelo acionista seja maior doque a rentabilidade paga aos outros credores.www.edgarabreu.com.br  Página 9  
  15. 15. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br   Porém, por outro lado, quanto mais dívida emitida mais arriscada fica a empresa, pois a dívidacria a obrigação forte de pagamento de juros e principal, o que pode levar a empresa à falênciacaso esses compromissos não sejam honrados.O custo médio ponderado de capital, conhecido também por WACC (weighted-average cost ofcapital) é:WACC = custo médio ponderado de capitalCP = capital próprio avaliado a preços de mercadoCT = capital de terceiros avaliado a preços de mercadoiCP = custo do capital próprio (remuneração do acionista)iCT = custo do capital de terceiros (remuneração dos credores)T = alíquota de imposto de renda ALAVANCAGEM FINANCEIRAA empresa que não possui capital de terceiros, apenas capital próprio, é uma empresa que possuium alto WACC. Isso se deve ao fato do custo do capital próprio ser mais alto do que o custo docapital de terceirosPara poder crescer mais rápido do que a geração de capital que o negócio proporciona e baixar oWACC, a empresa começa a contrair dívidas. Isso significa que a empresa está alavancando osrecursos próprios com o uso de recursos de terceiros.O endividamento possibilita mais crescimento e menor WACC, porém aumenta o risco deinadimplência e por conseqüência de falência da empresa. Quanto mais alavancada, maisarriscada fica a empresa 1.3. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE ESTATÍSTICA – 1 QUESTÃO MÉDIAA principal vantagem do cálculo da média é o cálculo do retorno médio de um investimento.Considerando que uma ação teve as seguintes oscilações nos primeiros 5 dias de um determinadomês:www.edgarabreu.com.br  Página 10  
  16. 16. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br    1º  + 3% 2º  + 4% 3º  − 2% 4º  − 1% 5º  + 1% Assim podemos calcular o “retorno médio” deste ativo, calculando a média destes valores. 3  4  (2)  ( 1)  1 5 X   1% 5 5 O que acontece com a média se somou “X” em cada um dos retornos? Vamos somar 3% em cada um dos retornos acima e tentar identificar o que vai acontecer com a média. 1º  + 3% + 3% = 6% 2º  + 4% + 3% = 7% 3º  − 2% + 3% = 1% 4º  − 1% + 3% = 2% 5º  + 1% + 3% = 4% Assim podemos calcular o novo “retorno médio” deste ativo, calculando a nova média: 6  7  1  2  4 20 X   4% 5 5 Ou seja, notamos que a média é de 4%, exatamente 3% maior que a média anterior. Coincidência? Não, como somamos o mesmo valor em TODOS os retornos, é de se esperar que a média sofra o mesmo ajuste. MODA É o valor que ocorre com maior freqüência em uma série de valores. Exemplo: Considerando que uma ação teve as seguintes oscilações nos primeiros 5 dias de um determinado mês: 1º  + 3% 2º  + 4% 3º  − 2% 4º  − 2% 5º  + 1% A Moda é −2%. Um conjunto de resultado pode apresentar um moda ou mais, sendo classificado como: 1 moda = unimodal 2 modas = bimodal www.edgarabreu.com.br  Página 11   
  17. 17. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br     3 ou mais =multimodal MEDIANAÉ o valor que divide o conjunto em dois subconjuntos, onde estes subconjuntos formados terãoexatamente a mesma quantidade de elementos.Exemplo para amostra ImparConsiderando que uma ação teve as seguintes oscilações nos primeiros 5 dias de um determinadomês:1º  + 3%2º  + 4%3º  − 2%4º  − 3%5º  + 1%OBS: Para encontrar a mediana é necessário colocar as oscilações em ordem:−3%; −2%; +1%; 3%; 4%Assim a Mediana = +1%Exemplo para amostra ParConsiderando que uma ação teve as seguintes oscilações nos primeiros 5 dias de um determinadomês:1º  + 3%2º  + 4%3º  + 2%4º  + 6%Colocando as oscilações em ordem:+2%; +3%; +4%; +6%Mediana será a média entre os valores centrais: 3 4mediana   3,5% 2 VARIÂNCIAMede o grau de dispersão de um conjunto de dados é dado pelos desvios em relação a médiadesse conjunto.Cálculo da variância:Considerando que uma ação teve as seguintes oscilações nos primeiros 5 dias de um determinadomês:www.edgarabreu.com.br  Página 12  
  18. 18. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br   1º  + 3%2º  + 5%3º  + 7%4º  − 2%5º  + 2%Primeiro efetuar o cálculo da média: 3  5  7  (2)  2 15X   3% 5 5Calcular agora a variância n(X i 1 i  X )2 (n  1) (3  3) 2  (5  3) 2  (7  3) 2  (2  3) 2  (2  3) 2X  2 4 0  4  16  25  1 46X  2   11,5% 4 4Assim a Variância é de 11,5% DESVIO PADRÃOA variância possui um problema de construção como medida de dispersão de dados: elaapresenta uma unidade de medida igual ao quadrado da unidade de medida dos dados originais.Esse problema é resolvido extraindo-se a raiz quadrada da variância, o que chamamos de desvio-padrão.No mercado financeiro, em geral é esse o valor que é chamado de VOLATILIDADE de um ativo eutilizado como principal medida de risco de se investir em determinado ativo.Quais dos dois ativos abaixo possuem maior risco? Data PETR4 VALE5 Cálculo da média para PETR4:07/07 − 4% − 2% X PETR 4  ( 4)  (3)  1  6  ( 5) 5   1%   5 508/07 − 3% − 1%  09/07 + 1% +1% Cálculo da média para VALE5: 10/07 + 6% − 2% (2)  (1)  1  (2)  (1) 5 X VALE 5    1%  11/07 − 5% − 1% 5 5www.edgarabreu.com.br  Página 13  
  19. 19. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br   Ou seja, o retorno esperado nas duas carteiras são os mesmos. Qual ação escolher então?Um investidor racional, diante de dois ativos similares com mesmo retorno, irá escolher o demenor risco, para isso devemos calcular o Desvio Padrão de cada ativo.Calculo do Desvio padrão para PETR4 (4  (1))2  (3  (1))2  (1  (1))2  (6  (1))2  (5  (1))2X  2 4 9  4  4  49  16 82X  2   20,5  4,52% 4 4Calculo do Desvio padrão para VALE5 (2  (1))2  (1 (1))2  (1 (1))2  (2  (1))2  (1 (1))2X  2 4 1  0  4 1  0 6X  2   1,5%  1,22% 4 4Assim podemos afirmar que a ação da PETR4 possui um RISCO MAIOR para o investidor, porapresentar um desvio-padrão maior.Neste caso o investidor racional irá optar em comprar ações da VALE5 COVARIÂNCIAEm geral, observa-se que quando os juros sobem, os preços das ações caem. Estecomportamento sugere que há uma covariância negativa entre as variáveis taxa de juros e preçosde ações.A covariância é uma medida que avalia como as variáveis X e Y se inter-relacionam de formalinear, ou seja, como Y varia em relação a uma determinada variação de X.Quando a covariância é positiva, duas variáveis tendem a variar na mesma direção; isto é, seuma sobe, a outra tende a subir e vice-versa. Quando a covariância é negativa, duas variáveistendem a variar em direções opostas; isto é, se uma sobe a outra tende a cair e vice-versa.Quanto mais próxima de zero for a covariância, menor a possibilidade de se identificar umcomportamento interdependente entre as variáveis CORRELAÇÃOA covariância busca mostrar se há um comportamento de interdependência linear entre Duasvariáveis. Porém a covariância é uma medida dimensional, sendo afetada pelas unidades demedida das séries X e Y. Para corrigir esse problema da covariância, chegou-se a medida decorrelação que é um número adimensional que varia entre -1 e 1 (inclusive).www.edgarabreu.com.br  Página 14  
  20. 20. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br   A correlação (ou coeficiente de correlação linear de Pearson) é dada pela fórmula. COVXY  X ,Y   X  YO coeficiente de correlação mostra se há relação linear entre duas séries de dados X e Y. Se ocoeficiente de correlação for igual a 1, significa que existe relação linear perfeita entre X e Y, detal forma que se X aumenta, Y aumenta na mesma proporção também.Se o coeficiente de correlação for igual a -1 significa que existe relação linear perfeita entre X e Y,de tal forma que se X aumenta, Y diminui na mesma proporção tambémQuando a correlação é zero, não existe relação de linearidade entre as variáveis X e Y.     COEFICIENTE DE DETERMINAÇÃOO coeficiente de determinação (R2) mostra quanto da variação de Y é explicada pelavariação de X e quanto da variação de Y é devida a fatores aleatórios.O coeficiente de determinação (R2) está relacionado com o coeficiente de correlação, pois acorrelação mostra se os pontos estão alinhados sobre a reta ou se estão dispersos. A fórmula docoeficiente de determinação é:Portando o coeficiente de determinação é o quadrado do coeficiente de correlação DISTRIBUIÇÃO NORMALA Distribuição Normal explica a probabilidade de um evento ocorrer.A importância de se saber a média e o desvio-padrão, está em conhecer aprobabilidade dos eventos ocorrerem. As probabilidades de se afastar da média uma certaquantidade de desvios-padrão já estão calculadas pelos estatísticos.www.edgarabreu.com.br  Página 15  
  21. 21. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br   Aplicação da distribuição normal em um investimento:Considere que um fundo de investimento em ações tenha média dos retornos igual a 4% e umrisco (desvio padrão) de 3%, então é de se esperar que os futuros retornos deste ativos estejamentre:Calculo para um desvio padrão  4% (média) – 3% (um desvio padrão) = 1%  4% (média) + 3% (um desvio padrão) = 7%Assim é de se esperar que os retornos deste fundo estejam entre:1% a 7%  Com aproximado 68% de confiança.Calculo para dois desvio padrão  4% (média) – 6% (dois desvio padrão) = -2%  4% (média) + 6% (dois desvio padrão) = 10%Assim é de se esperar que os retornos deste fundo estejam entre:-2% a 10%  Com aproximado 95% de confiança.Calculo para três desvio padrão  4% (média) – 9% (três desvio padrão) = -5%  4% (média) + 9% (três desvio padrão) = 13%Assim é de se esperar que os retornos deste fundo estejam entre:-5% a 13%  Com aproximado 99% de confiança. 1.4. NEGOCIAÇÃO, LIQUIDAÇÃO E CUSTÓDIA – 0 A 1 QUESTÃOPrincipal objetivo de uma clearing house: Mitigar o risco de liquidezwww.edgarabreu.com.br  Página 16  
  22. 22. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br   Principais clearing house:SELIC: Títulos Públicos Federal (LFT, LTN e NTN-B, NTN-C, NTN-D e NTN-F)CETIP: Títulos Privados (CDB, LH, CRI e SWAP)CBLC: Ações e Derivativos (Opções, Futuro e Termo) 1.5 CONCEITO E FINALIDADE DE BENCHMARKS E ÍNDICES DE REFERÊNCIA – 0 A 1 QUESTÃOPrincipais benchmark para aplicações em Renda Variável:  Índice Bovespa (IBOVESPA)  Índice Brasil (IBrX)  Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE)OBS: Ver Módulo 3 – páginas 40 e 41Principais benchmark para aplicações em Renda Fixa:  taxa DI (página 2)  taxa Selic (página 2)  taxa de Câmbio (página 4)  IGP-M (página 3)  IPCA (página 3)www.edgarabreu.com.br  Página 17  
  23. 23. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br    MÓDULO 2. FUNDOS DE INVESTIMENTO (PROPORÇÃO: DE  16% A 25%)  O que esperar do MÓDULO 2 ? Neste capitulo teremos no mínimo 9 questões de prova e no máximo 15 questões de prova. Espere algo em torno de 12 questões sobre fundos de investimento em sua prova. É um dos itens mais importante e também mais fácil da prova. O assunto fundos de investimento é cansativo, necessita de muita “decoreba”. Mas um pouco de dedicação e esforço é o suficiente para conseguir ir bem neste capítulo 2.1. ASPECTOS GERAIS – 4 A 6 QUESTÕES FUNDO DE INVESTIMENTO E FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTASA principal diferença entre fundos de investimento e fundos de investimento em cotas, está napolítica de investimento. (Ver página 29)Fundos de Investimento: compram ativos como títulos públicos, CDB’s, ações, debêntures eetc.Fundos de Investimento em cotas: compram cotas de fundos. São uma espécie de investidor(cotista) de fundos de investimento. LFTDEBÊNTURES  DEBÊNTURES CDB AÇÕES  LTN   FUNDOS DE  INVESTIMENTO  FUNDOS DE  EM COTAS  INVESTIMENTO CONDOMÍNIOwww.edgarabreu.com.br  Página 18  
  24. 24. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br   Fundo de Investimento = CondomínioComunhão de recursos sob a forma de condomínio onde os cotistas têm o mesmo interesse eobjetivos ao investir no mercado financeiro e de capitaisA base legal dos fundos de investimento é o condomínio, e é desta base que emerge o seusucesso, pois, o capital investido por cada um dos investidores cotistas, é somado aos recursos deoutros cotistas para, em conjunto e coletivamente, ser investido no mercado, com todos osbenefícios dos ganhos de escala, da diversificação de risco e da liquidez das aplicações. COTAAs cotas do fundo correspondem a frações ideais de seu patrimônio, e sempre são escriturais enominativas. A cota, portanto, é menor fração do Patrimônio Líquido do fundo.Como é calculado o valor da cota?Valor da cota = Patrimônio Liquido/Número de cotas PROPRIEDADE DOS ATIVOS DE FUNDOS DE INVESTIMENTOS – EXCLUINDO FUNDOS IMOBILIÁRIOSA propriedade dos ativos de um fundo de investimento é do condomínio e a cada um cabe afração ideal representada pelas cotas. SEGREGAÇÃO ENTRE GESTÃO DE RECURSOS PRÓPRIOS E DE TERCEIROS (CHINESE WALL)As instituições financeiras devem ter suas atividades de administração de recursos próprios erecursos de terceiros (Fundos), totalmente separadas e independentes de forma a prevenirpotenciais conflitos de interesses.www.edgarabreu.com.br  Página 19  
  25. 25. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br    ASSEMBLÉIA GERAL DE COTISTAS (COMPETÊNCIAS E DELIBERAÇÕES)É a reunião dos cotistas para deliberarem sobre certos assuntos referentes ao Fundo.Compete privativamente à Assembléia Geral de cotistas deliberar sobre: as demonstrações contábeis apresentadas pelo administrador; a substituição do administrador, do gestor ou do custodiante do Fundo; a fusão, a incorporação, a cisão, a transformação ou a liquidação do Fundo; o aumento da taxa de administração; (a redução de taxa de administração não necessita de assembléia) a alteração da política de investimento do Fundo; a emissão de novas cotas, no Fundo fechado; a amortização de cotas, caso não esteja prevista no regulamento; e a alteração do regulamento. ConvocaçãoA convocação da Assembléia Geral deve ser feita por correspondência encaminhada a cadacotista, com pelo menos 10 dias de antecedência em relação à data de realização.A presença da totalidade dos cotistas supre a falta de convocação.Podem convocar a Assembléia Geral administrador do fundo, cotista ou grupo decotista que detenham no mínimo 5% das cotas emitidas do fundo.A Assembléia Geral é instalada com a presença de qualquer número de cotistas. Assembléia geral ordinária (ago) e assembléia geral extraordinária (age)AGO é a Assembléia convocada anualmente para deliberar sobre as demonstrações contábeisdo Fundo. Deve ocorrer em até 120 dias após o término do exercício social. Esta AssembléiaGeral somente pode ser realizada no mínimo 30 dias após estarem disponíveis aos cotistas asdemonstrações contábeis auditadas relativas ao exercício encerrado.Quaisquer outras Assembléias são chamadas de AGE DIREITOS E OBRIGAÇÕES DOS CONDÔMINOS O cotista deve ser informado: Do objetivo do fundo. Da política de investimento do fundo e dos riscos associados a essa política de investimentos. Das taxas de administração e de desempenho cobradas, ou critérios para sua fixação, bem como das demais taxas e despesas cobradas. Das condições de emissão e resgate de cotas do fundo e quando for o caso, da referência de prazo de carência ou de atualização da cota. Dos critérios de divulgação de informação e em qual jornal são divulgadas as informações do fundo. Quando for o caso, da referência a contratação de terceiros como gestor dos recursos. De que as aplicações realizadas no fundo não contam com a proteção do Fundo Garantidor de Credito. A rentabilidade obtida no passado não representa garantia de rentabilidade futura.www.edgarabreu.com.br  Página 20  
  26. 26. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br    Para avaliação da performance do fundo de investimento, é recomendável uma análise de período de, no mínimo, 12 meses O cotista deve ter acesso: Ao Regulamento e ao prospecto do fundo. Ao valor do patrimônio líquido, valor da cota e a rentabilidade no mês e no ano civil. A composição da carteira do fundo (o administrador deve colocá-la disposição dos cotistas). O cotista deve receber: Mensalmente extrato dos investimentos. Anualmente demonstrativo para Imposto de Renda com os rendimentos obtidos no ano civil, número de cotas possuídas e o valor da cota. Obrigações dos cotistasO cotista deve ser informado e estar ciente de suas obrigações, tais como: O cotista poderá ser chamado a aportar recursos ao fundo nas situações em que o PL do fundo se tornar negativo. O cotista pagará taxa de administração, de acordo com o percentual e critério do fundo. Observar as recomendações de prazo mínimo de investimento e os riscos que o fundo pode incorrer. Comparecer nas assembléias gerais. Manter seus dados cadastrais atualizados para que o administrador possa lhe enviar os documentos. Assinar o TERMO DE ADESÃO, atestando que recebeu o prospecto e o regulamento do fundo e está ciente da política de investimento do fundo bem como todos os riscos envolvidos. INFORMAÇÕES RELEVANTES (DISCLAIMERS)Divulgar, diariamente o valor do patrimônio líquido e da cota.Mensalmente, remeter aos cotistas um extrato com as seguintes informações: nome do Fundo e o número de seu registro no CNPJ; nome, endereço e número de registro do administrador no CNPJ; nome do cotista; saldo e valor das cotas no início e no final do período e a movimentação ocorrida ao longo do mesmo; rentabilidade do Fundo auferida entre o último dia útil do mês anterior e o última dia útil do mês de referência do extrato; data de emissão do extrato da conta; e o telefone, o correio eletrônico e o siteAnualmente, colocar as demonstrações financeiras do Fundo, incluindo o Balanço, àdisposição de qualquer interessado que as solicitar.www.edgarabreu.com.br  Página 21  
  27. 27. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br    SEGREGAÇÃO DE FUNÇÕES E RESPONSABILIDADES: ADMINISTRADOR: Responsável legal pelo funcionamento do fundo. Controla todos os prestadores de serviço, e defende os interesses dos cotistas. Responsável por comunicação com o cotista. CUSTODIANTE: Responsável pela “guarda” dos ativos do fundo. Responde pelos dados e envio de informações dos fundos para os gestores e administradores. Responsável também pela “marcação a mercado” dos ativos da carteira. DISTRIBUIDOR: Responsável pela venda das cotas do fundo. Pode ser o próprio administrador ou terceiros contratados por ele. GESTOR: Responsável pela compra e venda dos ativos do fundo (gestão) segundo política de investimento estabelecida em regulamento. Quando há aplicação no fundo, cabe ao gestor comprar ativos para a carteira. Quando houver resgate o gestor terá que vender ativos da carteira. AUDITOR INDEPENDENTE: Todo Fundo deve contratar um auditor independente que audite as contas do Fundo pelo menos uma vez por ano TIPOS DE FUNDOS OS FUNDOS ABERTOS: Nestes, os cotistas podem solicitar o resgate de suas cotas a qualquer tempo. O número de cotas do Fundo é variável, ou seja: quando um cotista aplica, novas cotas são geradas e o administrador compra ativos para o Fundo; quando um cotista resgata, suas cotas desaparecem, e o administrador é obrigado a vender ativos para pagar o resgate. Por este motivo, os Fundos abertos são recomendados para abrigar ativos com liquidez mais alta. FUNDOS FECHADOS O cotista só pode resgatar suas cotas ao término do prazo de duração do Fundo ou em virtude de sua eventual liquidação. Ainda há a possibilidade de resgate destas cotas caso haja deliberação neste sentido por parte da assembléia geral dos cotistas ou haja esta previsão no regulamento do Fundo. Estes Fundos têm um prazo de vida pré-definido e o cotista, somente, recebe sua aplicação de volta após haver decorrido este prazo, quando então o Fundo é liquidado. Se o cotista quiser seus recursos antes, ele deverá vender suas cotas para algum outro investidor interessado em ingressar no Fundowww.edgarabreu.com.br  Página 22  
  28. 28. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br    FUNDOS RESTRITOS Já os Fundos classificados como “Restritos” são aqueles constituídos para receber investimentos de um grupo restrito de cotistas, normalmente os membros de uma única família, ou empresas de um mesmo grupo econômico. INVESTIDORES QUALIFICADOSInvestidores Qualificados são aqueles que, segundo o órgão regulador, tem mais condições doque o investidor comum de entender o mercado financeiro.São considerados Investidores Qualificados: Instituições financeiras; Companhias seguradoras e sociedades de capitalização; Entidades abertas e fechadas de previdência complementar; Pessoas físicas ou jurídicas que possuam investimentos financeiros em valor superior a R$ 300.000 e que, adicionalmente, atestem por escrito sua condição de investidor qualificado mediante termo próprio; Administradores de carteira e consultores de valores mobiliários autorizados pela CVM em relação a seus recursos próprios. FUNDOS EXCLUSIVOSOs Fundos classificados como "Exclusivos" são aqueles constituídos para receber aplicaçõesexclusivamente de um único cotista. Somente investidores qualificados podem sercotistas de Fundos exclusivos.Prospecto e marcação a mercado é facultativa. FUNDOS DE INVESTIMENTO COM CARÊNCIAO regulamento do fundo pode estabelecer prazo de carência para resgate, com ou semrendimento. Os fundos com Carência têm resgate após o término da carência. FUNDOS DE INVESTIMENTO SEM CARÊNCIAresgates a qualquer momento, isto é, liquidez diáriaMARCAÇÃO A MERCADO: este conceito diz que o Fundo deve reconhecer todos os dias, o valorde mercado de seus ativos. A marcação a mercado faz com que o valor das cotas de cada Fundoreflita, de forma atualizada, a que preço o administrador dos recursos venderia cada ativo a cadamomento (mesmo que ele o mantenha na carteira). Ainda de acordo com a legislação (instruçãoCVM 409), devem ser observados os preços do fim do dia, após o fechamento dos mercados. Jápara a renda variável, a legislação determina que observe o preço médio dos ativos durante o dia.O Objetivo de marcar a mercado é evitar transferência de riqueza entre cotistasOs ativos que fazem parte da carteira de responsabilidade do administrador devem ter um preçoúnico.www.edgarabreu.com.br  Página 23  
  29. 29. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br   O administrador deve divulgar no mínimo uma versão simplificada da marcação a mercado Marcação a mercado x Marcação pela curva de juros (curva do papel)Na MaM, os preços dos papéis que compõem a carteira do fundo e que, portanto, irão definir ovalor da cota, são estipulados com base no valor a mercado desses títulos a cada instante. Essaavaliação diária é importante mesmo para os títulos de renda fixa pré-fixada, ou seja, aqueles quetêm a taxa pré-determinada no momento da aplicação, pois esses títulos também sofremoscilações de preço até a sua data de vencimento.Porém, no passado, muitas instituições costumavam estabelecer os preços dos títulos de acordocom os juros que seriam pagos, a chamada marcação pela curva de juros do papel. Essaalternativa geralmente conferia maiores ganhos aos cotistas, porém, não refletia o realpatrimônio do fundo. Isso ocorre porque, caso houvesse uma corrida aos bancos e muitosinvestidores quisessem resgatar seus recursos, os gestores não conseguiriam vender os títulos deacordo com os juros prometidos, acabando por prejudicar os cotistas COTA DE ABERTURAChamamos de cota de abertura aquela que já é conhecida no início do dia. O seu cálculo éfeito com base no valor do PL do Fundo no dia anterior, acrescido de um CDI. A cota deabertura é permitida apenas para os Fundos Curto Prazo, Referenciados e Renda Fixa NãoLongo Prazo (segundo a classificação CVM), e é indicada apenas para Fundos pouco voláteis,como os Fundos DI.A cota de abertura apresenta a vantagem de permitir que o investidor planeje de forma melhor assuas movimentações, pois já se sabe o valor da cota no início do dia. COTA DE FECHAMENTOA cota de fechamento é calculada com base no valor do PL do próprio dia. A cota defechamento tem a vantagem de refletir mais fielmente o PL do Fundo, evitando distorções naaplicação/resgate do Fundo. A desvantagem está em que o investidor somente vai saber oresultado de sua aplicação/resgate no dia seguinte PRINCIPAIS CARACTERÍSTICASAs grandes vantagens para o investidor de fundos de investimento em relação aos investimentosfeitos de forma individual são:  Possibilidade de diversificação da carteira, mesmo dispondo de pouco recurso financeiro  Acesso a papeis disponíveis no mercado financeiro, mas que exigem maior volume para aplicaçãowww.edgarabreu.com.br  Página 24  
  30. 30. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br     Alta liquidezDOCUMENTOS DOS FUNDOS Regulamento: Documento que estabelece as regras de funcionamento e operacionalização de um fundo de investimento, segundo legislação vigente. Prospecto: Documento que contém as informações relevantes para o investidor relativas à política de investimento do fundo e os riscos envolvidos. Termo de Adesão: investir todo cotista assina um termo confirmando que:  Recebeu o regulamento e o prospecto do fundo.  Tomou ciência dos riscos envolvidos e da política de investimento.O investidor deve receber os documentos acima sempre ANTES da primeira aplicação no fundo.OBS: A elaboração de prospecto é facultativa para os fundos exclusivos, por decisão do cotista 2.2 PRINCIPAIS ESTRATÉGIAS DE GESTÃO – 1 A 2 QUESTÕES FUNDOS PASSIVOS (FUNDO INDEXADO)Os fundos passivos são aqueles que buscam acompanhar um determinado “benchmark” e poressa razão seus gestores têm menos liberdade na seleção de Ativos FUNDOS ATIVOSSão considerados ativos aqueles em que o gestor atua buscando obter melhor desempenho,assumindo posições que julgue propícias para superar o seu “benchmark” FUNDO ALAVANCADOUm fundo é considerado alavancado sempre que existir possibilidade (diferente de zero) de perdasuperior ao patrimônio do fundo, desconsiderando-se casos de default nos ativos do fundo.www.edgarabreu.com.br  Página 25  
  31. 31. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br    2.3 PRINCIPAIS MODALIDADES DE FUNDO DE INVESTIMENTO – 2 A 3 QUESTÕES FUNDO DE CURTO PRAZOSão Fundos que têm por objetivo proporcionar a menor volatilidade possível dentre osFundos disponíveis no mercado brasileiro.Os fundos classificados como "Curto Prazo" deverão aplicar seus recursos exclusivamente emtítulos públicos federais pré-fixados ou indexados à taxa SELIC, ou títulos indexados a índices depreços, com prazo máximo a decorrer de 375 (trezentos e setenta e cinco) dias, e o prazomédio da carteira do fundo deve ser inferior a 60 (sessenta) dias, sendo permitida autilização de derivativos somente para proteção da carteira e a realização de operaçõescompromissadas lastreadas em títulos públicos federais.É vedada a cobrança de taxa de performance, salvo quando se tratar de Fundodestinado a investidor qualificado.Alíquota mínima de IR: 20% FUNDOS REFERENCIADOSOs Fundos classificados como "Referenciados" devem conter expressamente em sua denominaçãoe o seu indicador de desempenho. A idéia é que o investidor, ao ver o nome do Fundo, não tenhadúvida com relação à sua política de investimentos, que é buscar acompanhar determinado índice,em termos de performanceObrigações dos fundos referenciados: tenham 80% (oitenta por cento), no mínimo, de seu patrimônio líquido representado, isolada ou cumulativamente, por: a) títulos de emissão do Tesouro Nacional e/ou do Banco Central do Brasil; b) títulos e valores mobiliários de renda fixa cujo emissor esteja classificado na categoria baixo risco de crédito ou equivalente, com certificação por agência de classificação de risco localizada no País; estipulem que 95% (noventa e cinco por cento), no mínimo, da carteira seja composta por ativos financeiros de forma a acompanhar, direta ou indiretamente, a variação do indicador de desempenho ("benchmark") escolhido; restrinjam a respectiva atuação nos mercados de derivativos a realização de operações com o objetivo de proteger posições detidas à vista, até o limite dessas.É vedada a cobrança de taxa de performance, salvo quando se tratar de Fundodestinado a investidor qualificadowww.edgarabreu.com.br  Página 26  
  32. 32. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br    FUNDOS DE RENDA FIXAInvestem no mínimo 80% de seu Patrimônio Líquido em ativos de renda fixa expostos avariação da taxa de juros doméstica ou a um índice de preços, ou ambos.Sua carteira é composta por títulos que rendem uma taxa previamente acordada. Estes fundos sebeneficiam em um cenário de queda de juros, mas tem risco de taxa de juros e eventualmentecréditoEstes Fundos podem ser adicionalmente classificados como “Longo Prazo”, quando o prazomédio de sua carteira superar 365 dias. Neste caso, não poderá ser utilizada a “Cota deAbertura”.É vedada a cobrança de taxa de performance, salvo quando se tratar de Fundo destinado ainvestidor qualificado, ou for classificado como FUNDO CAMBIALInveste no mínimo 80% de seu PL em ativos que busquem acompanhar a variação de preçosde moedas estrangeiras.Os Fundos Cambiais Dólar são os mais conhecidos. A aplicação é feita em R$ (reais), e suacarteira é composta por papéis que buscam acompanhar a variação da moeda norte americanaComentário: ATENÇÃO, ele não acompanha a cotação do dólarPodem cobrar taxa de performance FUNDO DE AÇÕESInveste no mínimo 67% do seu Patrimônio Líquido em ações negociadas no mercado à vista debolsa de valores.A performance destes fundos está sujeita à variação de preço das ações que compõem suacarteira. Por isso, são mais indicados para quem tem objetivos de investimento de longo prazo.FUNDO DE AÇÕES ATIVO Market timing: alguns Fundos de ações permitem o aumento ou diminuição da exposição à bolsa. Este movimento, quando acertado, é um poderoso instrumento para bater o benchmark. Assim, se o gestor avaliar que a bolsa tem perspectivas ruins, ele pode expor o Fundo em, por exemplo, 80% do seu PL à variação da bolsa. Stock picking: aposta em ações com maior potencial de retorno. Esta aposta se dá, geralmente, em relação às ações que fazem parte do benchmark. Por exemplo, se Petrobrás representa 20% da carteira do Ibovespa, e o administrador acredita que seja uma boa alternativa de investimento, pode comprar 25% para a carteira do Fundo. Se o administrador estiver correto, estes 5% extras ajudarão a ultrapassar o benchmark.www.edgarabreu.com.br  Página 27  
  33. 33. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br    Arbitragem: comprar e vender o mesmo ativo, com características ligeiramente diferentes, ganhando o diferencial do preço. Por exemplo, compra de uma ação ON e venda de uma ação PN do mesmo emissor. Nesse caso, o administrador não está fazendo aposta com relação à direção da bolsa, mas apenas com relação ao diferencial de preços entre esses dois ativos.Podem cobrar taxa de performance FUNDOS DE DIVIDA EXTERNAInveste no mínimo 80% do seu Patrimônio Líquido em títulos do Brasil negociados no mercadointernacional.Forma mais fácil de investir em papéis brasileiros negociados no mercado internacional.Somente Fundos de Dívida Externa podem adquirir títulos representativos da dívida externa deresponsabilidade da UniãoPodem cobrar taxa de performance FUNDOS MULTIMERCADOSOs Fundos classificados como "Multimercado" devem possuir políticas de investimento queenvolvam vários fatores de risco, sem o compromisso de concentração em nenhumfator em especial ou em fatores diferentes das demais classes previstas na instrução.Ou seja, este tipo de Fundo pode aplicar em DI/SELIC, índices de preços, taxas de juros, câmbio,dívida externa e ações.Podem usar derivativos para alavancagemPodem aplicar até 20% de seu patrimônio em ativos no exteriorPodem cobrar taxa de performance NORMAS RELATIVAS À CONCENTRAÇÃO EM CRÉDITOS PRIVADOS O fundo de investimento que realizar aplicações em quaisquer ativos ou modalidadesoperacionais de responsabilidade de pessoas físicas ou jurídicas de direito privado ou deemissores públicos outros que não a União Federal que, em seu conjunto, exceda o percentualde 50% (cinqüenta por cento) de seu patrimônio líquido, deverá observar as seguintes regras,cumulativamente àquelas previstas para sua classe:I – na denominação do fundo deverá constar a expressão “Crédito Privado”;II – o regulamento, o prospecto e o material de venda do fundo deverão conter, com destaque,alerta de que o fundo está sujeito a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em casode eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive porwww.edgarabreu.com.br  Página 28  
  34. 34. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br   força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperaçãojudicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTOO fundo de investimento em cotas de fundos de investimento deverá manter, no mínimo, 95%(noventa e cinco por cento) de seu patrimônio investido em cotas de fundos deinvestimento de uma mesma classe, exceto os fundos de investimento em cotasclassificados como "Multimercado", que podem investir em cotas de fundos de classesdistintas.Os restantes 5% (cinco por cento) do patrimônio do fundo poderão ser mantidos em depósitos àvista ou aplicados em: I. títulos públicos federais; II. títulos de renda fixa de emissão de instituição financeira;III. operações compromissadas (Operação envolvendo títulos de renda fixa.) , de acordo com a regulação específica do Conselho Monetário Nacional - CMN.Deverá constar da denominação do fundo a expressão "Fundo de Investimento em Cotas deFundos de Investimento" acrescida da classe dos fundos investidos de acordo comregulamentação específica FUNDOS DE INVESTIMENTO EM ÍNDICE DE MERCADO - FUNDOS DE ÍNDICEO fundo é uma comunhão de recursos destinado à aplicação em carteira de títulos e valoresmobiliários que vise refletir as variações e rentabilidade de um índice de referência, porprazo indeterminado.Da denominação do fundo deve constar a expressão “Fundo de Índice” e a identificação do índicede referênciaO fundo é regido por esta Instrução e pelas disposições constantes do seu regulamento, sendoseu principal meio de divulgação de informações a sua página na rede mundial de computadores.fundo deve manter 95% (noventa e cinco por cento), no mínimo, de seu patrimônioaplicado em valores mobiliários ou outros ativos de renda variável autorizados pela CVM, naproporção em que estes integram o índice de referência, ou em posições compradas nomercado futuro do índice de referência, de forma a refletir a variação e rentabilidade de talíndice FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO (FII)Os Fundos de Investimento Imobiliário (FII) destinam-se ao desenvolvimento deempreendimentos imobiliários, tais como construção de imóveis, aquisição de imóveiswww.edgarabreu.com.br  Página 29  
  35. 35. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br   prontos, ou investimentos em projetos visando viabilizar o acesso à habitação e serviços urbanos,inclusive em áreas rurais, para posterior alienação, locação ou arrendamento.Estes Fundos destinam-se a investidores que procuram imóveis como uma forma de diversificaçãode sua carteira de investimentos, e esperam ganho de capital moderado e rendimentos em formade aluguelOs Fundos imobiliários são comercializados na forma de Fundos fechados, que podem terduração determinada ou indeterminadaEstes Fundos devem distribuir, no mínimo, 95% do lucro auferido, apurados segundo oregime de caixa.Uma vez constituído e autorizado o funcionamento do Fundo, admite-se que 25% de seupatrimônio, no máximo e temporariamente, seja investida em cotas de FI e/ou emTítulos de Renda Fixa.Esta parcela pode ser maior se expressamente autorizado pela CVM, mediante justificativa doadministrador do Fundo.É vedado ao Fundo operar em mercados futuros ou de opções FUNDOS DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS (FIDC E FIC-FIDC)São Fundos constituídos por títulos de crédito originários de operações realizadas nas instituiçõesfinanceiras, na indústria, arrendamento mercantil, hipotecas, prestação de serviços e outros títulosque possam ser admitidos como direito de crédito pela CVM.Desta forma, as operações de crédito originalmente feitas podem ser cedidas aosFundos que assumem estes direitos creditórios. Esta operação permite aos bancos, porexemplo, que cedam (vendam) seus empréstimos aos FIDC, liberando espaço para novasoperações, e aumentando a liquidez deste mercadoEstes Fundos podem ser: Abertos: quando os cotistas podem solicitar resgate das cotas, de acordo com o estatuto do Fundo. Fechados: quando as cotas podem ser resgatadas somente ao término do prazo de duração do Fundo, ou no caso de sua liquidação.Benefícios dos FIDC:• Para quem cede os direitos creditórios: diminuição dos riscos de crédito e “liberação deespaço no balanço”.• Para as empresas: mais liquidez no mercado de crédito.• Para os investidores: uma alternativa de investimento que tende a oferecer uma rentabilidademaior do que a renda fixa tradicional.Riscos:www.edgarabreu.com.br  Página 30  
  36. 36. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br   O principal risco para o investidor em FIDC é o crédito da carteira de recebíveis. Ouseja, o retorno está diretamente ligado ao nível de inadimplência dos recebíveis que formam olastro da carteira.Os FIDC podem operar no mercado de derivativos (bolsas e balcão com sistema de registro)somente para proteger suas posições à vista.No caso de Fundo aberto, o Fundo será liquidado ou incorporado a outro se mantiver PL médioinferior a R$500.000 durante 3 meses consecutivos, ou 3 meses após a autorização da CVM.  Os cotistas dos FIDC somente podem ser investidores qualificados  O valor mínimo para aplicação deve ser de R$25.000  O FIDC deve ter, no mínimo, 50% de seu patrimônio em direitos creditórios FUNDOS OFF-SHOREÉ considerado fundo off-shore aquele constituído fora do território brasileiro , mas que aplica emativos dentro do país. 2.4. Código Anbima de Regulação e Melhores Práticas para Fundos de Investimentos – 1 a 2 questõesOBJETIVO: Estabelecer parâmetros pelos quais as atividades das Instituições Participantes,relacionadas à constituição e funcionamento de fundos de investimento (“Fundos deInvestimento”), devem se orientar, visando, principalmente, a estabelecer: I. a concorrência leal; II. a padronização de seus procedimentos; III. a maior qualidade e disponibilidade de informações sobre Fundos de Investimento, especialmente por meio do envio de dados pelas Instituições Participantes à ANBID; IV. a elevação dos padrões fiduciários e a promoção das melhores práticas do mercado.O presente Código não se sobrepõe à legislação e regulamentação vigentes, ainda quevenham a ser editadas normas, após o início de sua vigência, que sejam contrárias às disposiçõesora trazidas. Caso haja contradição entre regras estabelecidas neste Código e normas legais ouregulamentares, a respectiva disposição deste Código deverá ser desconsiderada, sem prejuízodas demais regras neste contidasPara o registro dos Fundos de Investimento na ANBIMA, deve ser encaminhado pedidoespecífico acompanhado dos seguintes documentos: I. prospecto do Fundo de Investimento, quando for o caso (“Prospecto”); II. regulamento do Fundo de Investimento (“Regulamento”); III. comprovante de pagamento da taxa de registro; IV. formulário de cadastro.www.edgarabreu.com.br  Página 31  
  37. 37. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br    PROSPECTOAs Instituições Participantes devem tomar providências para que sejam disponibilizados aosinvestidores, quando de seu ingresso nos Fundos de Investimento, Prospectosatualizados e compatíveis com o Regulamento dos Fundos de InvestimentoO Prospecto deve conter as principais características do Fundo de Investimento, dentre as quaisas informações relevantes ao investidor sobre políticas de investimento, riscos envolvidos, bemcomo direitos e responsabilidades dos cotistas.Na capa dos Prospectos dos Fundos de Investimento administrados pelas InstituiçõesParticipantes, que sejam elaborados em conformidade com todos os requisitos estabelecidos nesteCódigo, devem ser impressa a logomarca da ANBIMA, acompanhada de textos obrigatórios:ESTE PROSPECTO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO ATENDIMENTODAS DISPOSIÇÕES DO CÓDIGO ANBIMA DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS PARA OSFUNDOS DE INVESTIMENTO, BEM COMO DAS NORMAS EMANADAS DA COMISSÃO DE VALORESMOBILIÁRIOS. A AUTORIZAÇÃO PARA FUNCIONAMENTO E/OU VENDA DAS COTAS DESTEFUNDO DE INVESTIMENTO NÃO IMPLICA, POR PARTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOSOU DA ANBIMA, GARANTIA DE VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS, OU JULGAMENTOSOBRE A QUALIDADE DO FUNDO, DE SEU ADMINISTRADOR OU DAS DEMAIS INSTITUIÇÕESPRESTADORAS DE SERVIÇOS.Quando for o caso, dependendo dos fatores de risco do fundo:ESTE FUNDO DE INVESTIMENTO UTILIZA ESTRATÉGIAS COM DERIVATIVOS COMO PARTEINTEGRANTE DA SUA POLÍTICA DE INVESTIMENTO. TAIS ESTRATÉGIAS, DA FORMA COMO SÃOADOTADAS, PODEM RESULTAR EM SIGNIFICATIVAS PERDAS PATRIMONIAIS PARA SEUSCOTISTAS, PODENDO INCLUSIVE ACARRETAR PERDAS SUPERIORES AO CAPITAL APLICADO E ACONSEQUENTE OBRIGAÇÃO DO COTISTA DE APORTAR RECURSOS ADICIONAISDevem ainda ser impressos, com destaque na capa, na contracapa ou na primeira páginado Prospecto, os seguintes avisos ou avisos semelhantes com o mesmo teor:O INVESTIMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO DE QUE TRATA ESTE PROSPECTO APRESENTARISCOS PARA O INVESTIDOR. AINDA QUE O GESTOR DA CARTEIRA MANTENHA SISTEMA DEGERENCIAMENTO DE RISCOS, NÃO HÁ GARANTIA DE COMPLETA ELIMINAÇÃO DAPOSSIBILIDADE DE PERDAS PARA O FUNDO DE INVESTIMENTO E PARA O INVESTIDOR;O FUNDO DE INVESTIMENTO DE QUE TRATA ESTE PROSPECTO NÃO CONTA COM GARANTIA DOADMINISTRADOR DO FUNDO, DO GESTOR DA CARTEIRA, DE QUALQUER MECANISMO DESEGURO OU, AINDA, DO FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITOS – FGC;www.edgarabreu.com.br  Página 32  
  38. 38. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br   A RENTABILIDADE OBTIDA NO PASSADO NÃO REPRESENTA GARANTIA DE RENTABILIDADEFUTURA;AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESSE PROSPECTO ESTÃO EM CONSONÂNCIA COM OREGULAMENTO DO FUNDO DE INVESTIMENTO, MAS NÃO O SUBSTITUEM. É RECOMENDADA ALEITURA CUIDADOSA TANTO DESTE PROSPECTO QUANTO DO REGULAMENTO, COM ESPECIALATENÇÃO PARA AS CLÁUSULAS RELATIVAS AO OBJETIVO E À POLÍTICA DE INVESTIMENTO DOFUNDO DE INVESTIMENTO, BEM COMO ÀS DISPOSIÇÕES DO PROSPECTO E DO REGULAMENTOQUE TRATAM DOS FATORES DE RISCO A QUE O FUNDO ESTÁ EXPOSTO. MARCAÇÃO A MERCADOA MaM consiste em registrar todos os ativos, para efeito de valorização e cálculo de cotas dosFundos de Investimento, pelos respectivos preços negociados no mercado em casos de ativoslíquidos ou, quando este preço não é observável, por uma estimativa adequada de preço que oativo teria em uma eventual negociação feita no mercado.A MaM tem como principal objetivo evitar a transferência de riqueza entre os cotistasdos Fundos de Investimento, além de dar maior transparência aos riscos embutidos nas posições,uma vez que as oscilações de mercado dos preços dos ativos, ou dos fatores determinantesdestes, estarão refletidas nas cotas, melhorando assim a comparabilidade entre suasperformancesÉ expressamente vedada: o divulgação, em qualquer meio, de qualificação, premiação, título ou análise que utilize dados de menos de 12 (doze) meses; o divulgação de rentabilidade do fundo com menos de 6 meses de registro na CVM.divulgação de comparação entre Fundos que tenham classificação ANBIMA diferentes, semqualificá-los e sem apresentar justificativa consistente para a comparação 2.5 TAXAS, TIPOS E FORMAS DE COBRANÇA – 1 A 2 QUESTÕES TAXA DE ADMINISTRAÇÃOPercentual pago pelos cotistas de um fundo para remunerar todos os prestadores de serviço. Éuma taxa expressa ao ano calculada e deduzida diariamente.A cobrança de taxa de administração afeta o valor da cota.A rentabilidade divulgada pelos fundos de investimento é sempre liquida de taxa deadministração.www.edgarabreu.com.br  Página 33  
  39. 39. CERTIFICAÇÃO ANBIMA CPA ­ 20  edgarabreu@yahoo.com.br    TAXA DE PERFORMANCEPercentual cobrado do cotista quando a rentabilidade do fundo supera a de um indicador dereferência. Nem todos os fundos cobram taxa de performance.Cobrança após a dedução de todas as despesas, inclusive da taxa de administração.Linha d’agua: Metodologia utilizada para cobrança de taxa de performance.Periodicidade: Semestral DESPESASDe acordo com a Instrução CVM 409 são encargos do Fundo de Investimento, além da Taxade Administração, os impostos e contribuições que incidam sobre os bens, direitos e obrigaçõesdo fundo, as despesas com impressão expedição e publicação de relatórios, formuláriose informações periódicas, previstas no regulamento, as despesas de comunicação aoscondôminos, os honorários e despesas do auditor, os emolumentos e comissões nasoperações do fundo, despesas de fechamento de câmbio vinculadas as suas operações, oshonorários de advogados e despesas feitas em defesa dos interesses do fundo, quaisquerdespesas inerentes a constituição ou liquidação do fundo ou a realização de assembléia geral decondôminos, e as taxas de custodia de valores do fundowww.edgarabreu.com.br  Página 34  
  40. 40. CER RTIFICAÇ ÇÃO ANBI IMA CPA   ­ 20  edgarab breu@yahoo o.com.br    MÓ ÓDULO O 3. DEM MAIS PRODUTTOS DE E INVES STIMEN NTO  (PROPORÇÃÃO: DE 17% A 25%)  O que espe erar do MÓDULO 3 ? M Neste capitu teremos no mínimo 9 questõe de prov e no máximo 15 questões de N ulo es va q prova. p xtenso e os assuntos não são simples como f Este capítulo é muito ex E o s n fundo de investimento. Em E geral os candidatos encontram muitas difi m iculdades no assunto d derivativo vale o de os, le embrar que na maioria das provas caem apenas 3 quest a s tões sobre o mercado de derivativ d vo. Não N perca o foco! 3.1. INST TRUMENT TOS DE R RENDA VA ARIÁVEL – 4 a 5 qu uestõesRennda Variáável: São classificado como in os nstrumento de rend variável aqueles produtos cujos os da pren ndimentos não sã conhe s ão ecidos, ou não po u odem ser previamen nte determ minados, poisdep pendem de eventos futuros, ta como o fatores conjuntur e ais os rais. Possib bilitam ma aiores ganhos,porém o risco de eventu o uais perdas é bem maior. O exe s emplo mais comum s as açõ são ões AÇÕESDeffinição:ação represen a meno "fração do capi nta or o" ital social de uma e l empresa, ou seja, a unidade do , ecap pital nas ssociedade anônim es mas. Quem adquire estas "fraçõ m e amado de acionista que ões" é cha avai ter uma ce erta partici ipação na e empresa, c corresponddente a quantas dest "frações" ele detiv tas ver. OP PERAÇÃO DE UNDE ERWRITINGwww w.edgarabr reu.com.br r  Página 35  

×