Ead Apostila 9 Hh Economia (IntroduçãO) Para AdministraçãO

6,618 views

Published on

contabilidade, administração, ufrgs, rafael,desconsi,ilópolis,rs,brasil,brazil

Published in: Economy & Finance, Technology
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
6,618
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
105
Actions
Shares
0
Downloads
343
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Ead Apostila 9 Hh Economia (IntroduçãO) Para AdministraçãO

  1. 1. Economia (Introdução) Professor Helio Henkin EA – Escola de Administração Curso de Administração
  2. 2. Introdução à Economia <ul><li>Curso de Administração </li></ul><ul><li>Disciplina: Economia (Introdução) </li></ul><ul><li>Apostilas Baseadas no Livro: </li></ul><ul><li>Introdução à Economia </li></ul><ul><li>Autor: Gregory Mankiw </li></ul><ul><li>Editora: Thomson – 3ª Edição </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância
  3. 3. Economia (Introdução) <ul><li>Apostila 9 </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância Externalidades e o Ótimo Social
  4. 4. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>“ As pessoas fogem às responsabilidades, e essa atitude é uma das causas de mal-estar. Pensam que as responsabilidades desaparecem por si se as ignorarem ou evitarem. A base da evolução e a realização é a responsabilidade. Responsabilidade é o preço a pagar pelo direito de fazermos as nossas próprias escolhas.” </li></ul><ul><li>( Alfred Montapert , 'A Suprema Filosofia do Homem' ) </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância
  5. 5. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Externalidades </li></ul><ul><li>Devido à existência de falhas de mercado , a interação dos agentes privados nos mecanismos de oferta e demanda nos mercados nem sempre resultam na alocação mais eficiente de mercado sob a ótica dos interesses da sociedade como um todo. </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância
  6. 6. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Externalidades </li></ul><ul><li>Em situações em que não existam falhas de mercado, o excedente total é maximizado no ponto de equilíbrio entre oferta e demanda, conforme já foi analisado anteriormente. Não havendo um outro modo de alocar os recursos de modo a formar um excedente total maior em um determinado mercado, isto implica que neste ponto de equilíbrio atinge-se um ponto de máximo bem-estar social (no que se refere àquele mercado específico). Extrapolando para todos os mercados, o resultado valeria para toda o sistema produtivo e para toda a sociedade. </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância
  7. 7. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Externalidades </li></ul><ul><li>Entretanto, existem situações em que a interação entre a oferta e a demanda – com base nas decisões dos agentes diretamente envolvidos na produção e consumo de determinado produto – não é suficiente para atingir o excedente total máximo sob a ótica social. Trata-se das falhas de mercado , que justificam políticas de intervenção governamentais nos mercados de forma a induzi-los ao equilíbrio e à eficiência. </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância
  8. 8. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Externalidades </li></ul><ul><li>Entre os diferentes tipos de falhas de mercado, destacam-se as chamadas externalidades , além de outros problemas tais como o poder de mercado, associado à existência de mercados com alta concentração da produção em empresas (como os oligopólios e monopólios) ou ainda problemas de informação incompleta e assimétrica dos agentes envolvidos nas interações de mercados. </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância
  9. 9. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Externalidades </li></ul><ul><li>As externalidades referem-se a situações que ocorrem com bastante freqüência nas economias contemporâneas. Conceitualmente, trata-se da situação em que uma terceira parte (um indivíduo ou um grupo de indivíduos, ou ainda uma empresa ou grupo de empresas, ou ainda o restante da sociedade como um todo) é afetada por uma ação com a qual não está envolvida diretamente.. </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância Externalidade: O impacto de ações de uma pessoa sobre o bem-estar de outras que não tomam parte da ação.
  10. 10. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Externalidades </li></ul><ul><li>A análise das externalidades implica comparar o bem-estar da sociedade em termos coletivos em contraposição à análise do bem-estar privado de alguns indivíduos. Em decorrência, implica analisar benefícios e custos sociais, ao lado de benefícios e custos privados. </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância
  11. 11. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Externalidades: Negativa x Positivas </li></ul><ul><li>As externalidades podem ser negativas ou positivas: </li></ul><ul><li>Uma externalidade é negativa se o impacto da ação sobre a terceira pessoa for adverso, ou seja, se a terceira pessoa é prejudicada com a ação. Por exemplo o fumante passivo é prejudicado pela ação de fumar do fumante ativo. </li></ul><ul><li>Uma externalidade é positiva se a terceira parte é beneficiada pela ação da qual não participa diretamente. Por exemplo, uma casa residencial pode ser valorizada com a construção de um centro comercial no bairro. </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância
  12. 12. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Externalidades X Eficiência de Mercado </li></ul><ul><li>Um mercado está em equilíbrio quando atinge o ótimo social, ou seja, quando aloca com eficiência os recursos escassos de forma a maximizar o excedente total. Com a existência de externalidades, esse ótimo pode não ser atingido sem algum tipo de interferência ou conscientização. </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância O foco de análise do bem-estar social é centrado na curva de oferta, que reflete o custo privado de se produzir um determinado bem e na curva de demanda que reflete o valor privado que cada consumidor dá ao bem em questão. Equilíbrio sem Externalidade Preço R$ Quantidade do bem Curva de Oferta (Custo Privado) Curva de Demanda (Valor Privado) Ponto de Equilíbrio Q¹
  13. 13. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Externalidade Negativa X Eficiência de Mercado </li></ul><ul><li>Com a introdução dos prejuízos advindos de uma externalidade negativa, cria-se a curva de custo social, que se figura acima da curva de custo privado e é simplesmente a soma dos custos privados mais o custo coletivo da externalidade. </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância Para induzir o mercado a funcionar no ponto de ótimo social , o governo pode intervir, cobrando impostos ou introduzindo cotas de produção por meio de regulação . Equilíbrio com Externalidade Negativa Equilíbrio X Ótimo Social Preço R$ Quantidade do bem Curva de Oferta (Custo Privado) Curva de Demanda (Valor Privado) Ótimo Social Equilíbrio de Mercado Custo Social Q ótima Q mercado
  14. 14. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Externalidade Positiva X Eficiência de Mercado </li></ul><ul><li>Com a introdução dos benefícios advindos de uma externalidade positiva, cria-se a curva de valor social, que se figura acima da curva de valor privado e é simplesmente a soma dos valores privado e coletivos da ação. </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância Para induzir o mercado a funcionar no ponto de ótimo social , o governo pode intervir, ofertando subsídios ou introduzindo outros mecanismos de incentivo à ampliação da produção daquele bem ou serviço. Equilíbrio com Externalidade Positiva Equilíbrio X Ótimo Social Preço R$ Quantidade do bem Curva de Oferta (Custo Privado) Curva de Demanda (Valor Privado) Valor Social Q mercado Q ótima Ótimo Social Equilíbrio de Mercado
  15. 15. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Internalizando a Externalidade </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância Internalização de uma Externalidade: alteração dos incentivos de forma que as pessoas levem em consideração os efeitos externos de suas ações. Internalizar uma externalidade é incluir o custo ou benefício dela no mercado por meio de incentivos que alterem a escolha dos agentes econômicos. A intervenção do governo é uma forma de solução pública para gerar a internalização , porém podem ocorrer soluções privadas que também alteram os incentivos e induzem ao ótimo social.
  16. 16. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>O Teorema de Coase </li></ul><ul><li>Segundo o Teorema de Coase, se não houver custos de negociação, um acordo entre os agentes envolvidos com a externalidade pode levar à eficiência de mercado. Sendo uma solução privada , os agentes podem negociar de forma a entrarem em um acordo em que ambos sairão satisfeitos. Esse acordo pode ser feito de várias formas, sendo a mais importante delas o acordo por meio de uma formalização que se reflete em um contrato . </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância Contrato: vinculo jurídico entre dois ou mais sujeitos, é o acordo de vontades, capaz de criar, modificar ou extinguir direitos.
  17. 17. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Os Custos de Transação </li></ul><ul><li>No entanto, se existirem custos de transação a eficiência pode não ser atingida. Ou seja, se é necessário incorrer em custos para que haja a negociação, ela pode não ocorrer, mesmo os resultados sendo benéficos para ambas as partes. Isto porque os agentes podem não estar dispostos a pagar por custos ou enfrentar dificuldades. </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância Custos de Transação: São os custos de negociar, redigir e garantir o cumprimento de um contrato.
  18. 18. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Exemplo: </li></ul><ul><li>Imagine uma situação em que uma empresa tem alto interesse em instalar uma fábrica em um determinado município, mas os moradores da vizinhança não ficam satisfeitos por causa do ruído e do odor dos gases emitidos pela fábrica. A instalação da fábrica e sua operação de produção e vendas é uma interação de mercado que gera externalidades negativas para a vizinhança. </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância
  19. 19. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Exemplo: </li></ul><ul><li>O custo privado de produção é inferior ao custo social total, pois neste devem ser incluídos os valores relativos ao custo da poluição que atinge a vizinhança. O custo da externalidade é a soma dos valores (negativos) que cada vizinho atribui à poluição, elevando o custo total (privado e social) da operação da fábrica. </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância
  20. 20. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Exemplo: </li></ul><ul><li>Uma solução privada para o problema da externalidade é a fábrica convencer os vizinhos a aceitarem a instalação, mediante uma recompensa em dinheiro, mensalmente paga aos vizinhos. Se não houvesse custos de transação (custos de negociar o acordo e estabelecer um contrato), a empresa poderia achar conveniente fazer o pagamento, desde que este pagamento não comprometesse a rentabilidade da operação e fosse menor do que o custo adicional de instalar a fábrica em outro local. E os vizinho poderiam achar conveniente receber o pagamento, se o custo de conviver com a poluição fosse considerado inferior ao pagamento oferecido pela empresa. </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância
  21. 21. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Exemplo: </li></ul><ul><li>Entretanto, na realidade há custos de transação. Se o número de vizinhos é muito grande e se eles avaliam de forma diferente o custo da poluição, poderá ser difícil ou mesmo inexeqüível fazer o acordo e estabelecer o contrato. Além disso, há o custo de monitoramento da poluição (necessário para saber se a empresa não estaria poluindo mais que o estabelecido no acordo). </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância
  22. 22. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Exemplo: </li></ul><ul><li>Quando os custos de transação forem significativos (e isto ocorre na maior parte das situações), a solução para o problema da externalidade é a intervenção governamental, seja através de regras e controle quantitativo da atividade que gera a externalidade, seja através da introdução de impostos (ou subsídios) com o objetivo de fazer com que o nível de atividade produtiva no mercado em questão seja o correspondente ao excedente total (privado e social) máximo. Além disso, o governo pode estabelecer regras que facilitam as negociações privadas que reduzem os problemas das externalidades. </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância
  23. 23. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Regulamentação e Impostos </li></ul><ul><li>Para ilustrar como as externalidades estão presentes na vida cotidiana leia esta reportagem: </li></ul><ul><li>http://www.cisa.org.br/categoria.html?FhIdCategoria=4c4df9f5065796c0757ec72c451e644b&ret=& </li></ul><ul><li>Se esta relação é verdadeira, a violência urbana seria uma conseqüência do consumo de álcool e portanto seria uma externalidade negativa. O governo como forma de proteger a população dos males do consumo do álcool pode intervir de duas formas: regulamentando ou cobrando impostos. </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância
  24. 24. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Regulamentação </li></ul><ul><li>A regulamentação é uma intervenção direta do governo no mercado, por vezes proibindo a venda de algum bem, ou restringindo a quantidade ofertada. Um exemplo de regulamentação para combater as externalidades advindas do consumo de álcool é a chamada Lei Seca : </li></ul><ul><li>http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u314813.shtml </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância
  25. 25. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Impostos e Subsídios </li></ul><ul><li>A regulamentação pode não ser a melhor solução para algumas externalidades. A intervenção direta nem sempre é bem-vinda e pode gerar grandes debates. O governo pode lançar mão da cobrança de impostos, intervindo de forma mais indireta sobre o consumo ou produção de um determinado bem. Um imposto que possui o objetivo de mudar os incentivos dos agentes e corrigir os efeitos das externalidades é conhecido como Imposto de Pigou. </li></ul><ul><li>http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u115978.shtml </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância
  26. 26. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Impostos e Subsídios </li></ul><ul><li>No caso de uma externalidade positiva, o governo pode lançar mão de subsídios que incentivariam o aumento da quantidade demandada ou ofertada, aumentando, assim a conseqüência positiva de determinada ação. A chamada Renúncia Fiscal é a diminuição de algum imposto cobrado para determinado setor. Um exemplo de renúncia fiscal pode ser visto em: </li></ul><ul><li>http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u325600.shtml </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância
  27. 27. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Licenças Negociáveis para Níveis de Poluição </li></ul><ul><li>Conforme o Teorema de Coase afirma, algumas externalidades podem ser resolvidas de forma privada com ganhos para todas as partes. Uma forma de aplicar soluções privadas é deixar com que cotas, licenças e até mesmo imposto sejam negociados de forma privada. A concessão de licenças para poluir é um dos exemplos de solução pública, e o mercado de licenças é um exemplo de solução privada que pode melhorar ainda mais os resultados de mercado. Um exemplo de licenças negociáveis é o Mercado Brasileiro de Redução de Emissões: </li></ul><ul><li>http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u91423.shtml </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância
  28. 28. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Como visto nos exemplos, as externalidades são uma realidade. Muitas das ações tomadas por agentes geram conseqüências que geralmente não estão incluídas nos cálculos privados de custos nem de benefícios. O papel do governo nessas situações é intervir, direta ou indiretamente, de forma a levar o mercado ao ótimo social. Concomitante, soluções privadas que melhorem os incentivos e os resultados de mercado são também importantes. </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância
  29. 29. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Conceitos-Chaves: </li></ul><ul><li>Externalidade: O impacto de ações de uma pessoa sobre o bem-estar de outras que não tomam parte da ação. </li></ul><ul><li>Poder de Mercado: poder de uma empresa ou grupo de influenciar os preços de um mercado. </li></ul><ul><li>Informação Assimétrica: informação que não é distribuída uniformemente. Um agente pode possuir maiores e melhores informações do que outro. </li></ul><ul><li>Externalidade Positiva : ocorre quando o impacto sobre terceiros é benéficos, somando-se ao benefício privado da atividade. </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância
  30. 30. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Conceitos-Chaves: </li></ul><ul><li>Externalidade Negativa: ocorre quando o impacto sobre terceiros é oneroso, somando-se ao custo privado da atividade. </li></ul><ul><li>Internalização de uma Externalidade: alteração dos incentivos de forma que as pessoas levem em consideração os efeitos externos de suas ações. </li></ul><ul><li>Custos de Transação: São os custos de negociar, redigir e garantir o cumprimento de um contrato. </li></ul><ul><li>Contrato: vinculo jurídico entre dois ou mais sujeitos, é o acordo de vontades, capaz de criar, modificar ou extinguir direitos. </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância
  31. 31. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Exercícios e Aplicações: </li></ul><ul><li>1. No caso de uma quebra de patente na indústria farmacêutica, pode-se dizer que o governo que adota esta medida compara os benefícios da externalidade positiva gerada pelo estímulo que a patente oferece à pesquisa e inovação, de um lado, com o custo social acarretado por uma doença epidêmica ou endêmica. Explique. </li></ul><ul><li>2. Qual a lógica econômica de tornar a educação fundamental um serviço gratuito e de acesso universal à população? </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância
  32. 32. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Exercícios e Aplicações: </li></ul><ul><li>3. “Um criador de abelhas traz benefícios a uma plantação vizinha, facilitando a polinização das árvores frutíferas”. Tendo esse fato como referência, responda aos seguintes itens: </li></ul><ul><li>a) O que são externalidades? Por que razão a ocorrência de externalidades resulta em uma alocação ineficiente de recursos pelo mercado? </li></ul><ul><li>b) Liste algumas maneiras pelas quais os problemas causados pelas externalidades podem ser solucionados, tanto pelos agentes privados quanto pelo poder público. </li></ul><ul><li>(Lista de Exercícios – Introdução à Economia – UnB) </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância
  33. 33. Economia (Introdução) – Apostila 9 <ul><li>Exercícios e Aplicações: </li></ul><ul><li>4. Defenda ou critique o Mercado de Redução de Emissões pelo ponto de vista tanto de externalidades (pelo ponto de vista brasileiro) como de desenvolvimento econômico (pelo ponto de vista dos Estados Unidos da América). </li></ul>Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância

×