Ead Apostila 3 Hh Economia (IntroduçãO) Para AdministraçãO

5,717 views

Published on

contabilidade, administração, ufrgs, rafael,desconsi,ilópolis,rs,brasil,brazil

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
5,717
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
48
Actions
Shares
0
Downloads
462
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Ead Apostila 3 Hh Economia (IntroduçãO) Para AdministraçãO

  1. 1. EA - Escola de Administração Curso de Administração Ecnomia ( Intro uçã ) Professor Helio Henkin Prufessor Helio Henkin -Escola de Admhístração (EA/ UFRGS) - Cursa de Administração Modandade à Distância
  2. 2. In trod ut aão à Êco n o mia_ Cursode Administração Disciplina: Economiailntrodução) Apostilas Baseadas no Livro : a , i -§_ Introduçao a Economia Autor: Gregory Mankiw Editora: Thomson - 3a Edição Prufessor Helio Henkin - 'Escola de Admhístração (EA/ UFRGS) - Cursa de Administração Modandade à Distância
  3. 3. Éc noimfi a (IntrocIu çã o) Apostila A Importância do Comércio Interdependência e Ganhos Comerciais Professor Helio Henkin -Escola de Admhístração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modandade à Distância
  4. 4. Economia (Introdução) - Apostila 3 “A máxima que todo chefe de família prudente deve seguir é nunca tentar fazer em casa o que lhe custará mais caro fazer do que comprar. " (Adam Smith - A Riqueza das Nações, 1776) Professor Helio Henkin - Escola de Admhistração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 4
  5. 5. Economia (introdução) - Apostila 3 O Comércio O comércio e a atividade econômica sempre andaram juntos na história da civilização. Desde os tempos em que haviam sociedades primitivas em que bens eram trocados por outros bens. Esse tipo de troca é conhecido como escambo, e por muito tempo foi a única forma de comércio entre os homens. Com o desenvolvimento das civilizações houve uma tendência ao aumento de complexidade do comércio, onde foi introduzida a moeda e instituições mercantis. Professor Helio Henkin - Escola de Admhistração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 5
  6. 6. lEonnamia [lniroduiçãioii-xiãipnsiíla rprirriúrdios ; nte no desenvolvimento : da: con hesiment” i seu; re“suI ta_dio, s izlolpraizeísso; d.e exgansãotlos mercados¡ sem a : realizaeãto : Ie: aiâividfade: de : traça aamereia'l : em: ;regiões e países_ __p_ossu¡. ium papel: e : i importa Pmfessuríi-ieiin Escola de ¡iltímhftraççíân CÍB'”ÃllÍmÍ*n¡SÍra5ã7ll>-: ÍMÇtIaHilade. â:.7D1sta'íriçia
  7. 7. Economia (Introdução) - Apostila 3 Do ponto de vista econômico, no entanto, há fatores subjacentes à lógica do comércio, os quais são a fonte dos benefícios que o comércio propicia ao conjunto da sociedade. Estes fatores explicam a razão pela qual a forte interdependência entre pessoas e também entre países, evidenciada pela especialização do trabalho e pelas trocas efetuadas diariamente entre elas, consolidou-se ao longo da evolução da civilização, associando-se ao progresso dos sistemas econômicos contemporâneos. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 7
  8. 8. Economia (Introdução) - Apostila 3 Os fatores subjacentes à lógica da troca comercial e às vantagens da interdependência relacionam-se aos principios básicos do tradeoff e do custo de oportunidade (Princípios Básicos 1 e 2, conforme a apostila 1) e ao princípio de que o comércio pode ser bom para todos (Princípio Básico 5, conforme a apostila 1). Estes fatores são conhecidos na ciência econômica como o Princípio das Vantagens Comparativas. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 8
  9. 9. Economia (introdução) - Apostila 3 Vantagem Segundo o Dicionário Aurélio, o termo *ddIlLtigCtTl signiñca: 1. Qualidade do que está adiante ou é superior. 2. Favor, benefício. 3. Primazia, superioridade. 4. Lucro, interesse. 5. Ganho, proveitoso. 6. Vitória, triunfo. Segundo a ciência econômica um agente possui xiawtageiwn absoluta quando ele utiliza uma quantidade menor de insumos do que utiliza seu concorrente para produzir um bem. Embora possa parecer surpreendente, se uma pessoa possui vantagens absolutas na produção de um determinado conjunto de bens, ainda assim não será vantajoso para ela produzir todo o conjunto de bens. Professor Helio Henkin - Escola de Admhistração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 9
  10. 10. Economia (Introdução) - Apostila 3 Va ntagem O que está subjacente à lógica da troca comercial e da interdependência é um outro tipo de vantagem ou uma outra forma de analisar a eficiência produtiva das pessoas. Trata-se de comparar o CUSTO de otaorttncade de produção dos bens. Quando uma pessoa (ou quando um sistema produtivo em determinada região ou país) apresenta um menor custo de oportunidade para produzir um bem, em relação a outra pessoa, será vantajosa a especialização na produção do bem para o qual a pessoa tem o menor custo de oportunidade. Ao invés do custo de insumos, é o menor custo de oportunidade que constitui a fonte da VUPÍOQCITW COlTlDEiiElÍlVa. Professor Helio Henkin - Escola de Admhistração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 10
  11. 11. Economia (introdução) - Apostila 3 Assim, se o custo de oportunidade de produzir determinado bem A do produtor 1 é menor do que o custo de oportunidade de produzir o bem A do produtor 2, diz-se que o produtor 1 tem vantagem comparativa do bem A em relação ao produtor 2. Quando isso ocorre, se o produtor 1 se especializar no bem A e o produtor 2 em um outro bem B, o resultado será uma maior quantidade total de bens produzidos. . Custo de Oportunidade: é aquilo de que se abre mão para a obtenção de algo Professor Helio Henkin - Escola de Admhistração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 11
  12. 12. Economia (Introdução) - Apostila 3 Dessa forma, as diferenças de custo de oportunidade e, portanto, a existência de vantagens comparativas fazem do comércio um atividade que traz benefícios para toda a economia. A vantagem comparativa é o que garante que a especialização irá resultar em um aumento da quantidade total produzida. Isto é, quando há especialização, os rodutores ou agentes poderão obter outros bens a um preço que será inferior ao seu custo de oportunidade. Especialização na produção do bem que possui vantagem comparativa. Professor Helio Henkin - Escola de Admhistração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 12
  13. 13. Economia (introdução) - Apostila 3 Um Exemplo com a produção de vinho e de garrafas Carlos consegue produzir 10 garrafas em 1 dia ou produz 2 litros de vinho em 1 dia. Para Carlos, o custo de oportunidade de produzir 1 litro de vinho é, portanto, 5 garrafas. Luiz consegue produzir 12 garrafas de vinho em um dia ou 4 litros de vinho em um dia. O custo de oportunidade de produzir 1 litro de vinho é 3 garrafas. Se Carlos oferece a Luiz 4 garrafas em troca de 1 litro de vinho, ambos ganham, pois conseguem o bem que desejam a um preço de troca menor do que seu próprio custo de oportunidade de produção. Professor Helio Henkin - Escola de Adrnhistração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 13
  14. 14. Economia (Introdução) - Apostila 3 Figura 1 Fronteiras de Possibilidade de Produção Garrafas Garrafas 12 0 I 2 Vinho 0 - m* Produção com comércio --------o Produção sem comécio Professor Helio Henkin - Escola de Adrnhistração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 14
  15. 15. Economia (Introdução) - Apostila 3 Um Exemplo com a produção de vinho e de garrafas Carlos e Luiz conseguem consumir cestas de bens que estão acima das suas fronteiras de possibilidades de produção. Portanto, o comércio propicia uma melhor situação econômica para ambos, relativamente a uma situação de auto-subsistência e ausência de troca. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 15
  16. 16. Economia (Introdução) Apostila 3 As trocas entre países permitem não apenas um aumento da quantidade produzida como também um aumento do leque de possibilidades de bens. Um exemplo típico é o das frutas tropicais que dificilmente são produzidas em regiões com climas frios ou ainda do petróleo que só existe em determinadas regiões e é importado por muitos países. :: S ¡n-¡porga ões e e: : orta ões corres ondem à com ra e à venda de produtos no comércio internacional que resultam em ganhos comerciais e produtivos para os países envolvidos. Importações: bens produzidos no exterior e vendidos intemamente. Exportações: bens produzidos internamente e vendidos no exterior. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 16
  17. 17. Economia (Introdução) - Apostila 3 Com o advento da globalização, o comércio internacional expandiu-se e revela uma interdependência crescente entre os países. O Princípio de Vantagens Comparativas é fundamental para a compreensão da importância do comércio entre países. < › Curiosidade: Veja como os paises podem obter ganhos economicos com o comércio internacional. http : '. '.~. -.~. -.'1 . fol 'ia . uol . con* . brifol 'nai_ibbc. ~". iIt272L. 3 1 50 60.sln: nn Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 17
  18. 18. Economia (lntroduçaoj) - Apostila 3 Portanto. .. Ao expandir a disponibilidade de bens e serviços para além da fronteira doméstica de possibilidades de produção, a interdependência entre os agentes econômicos gera ganhos de produtividade, reduzindo custos e aumentando a quantidade produzida em uma economia. Professor Helio Henkin - Escola de Admhistração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 18
  19. 19. Economia (lntroduçáol - Apostila 3 Entretanto. .. . ..Há muitas situações em que se manifestam conflitos com relação a aspectos normativos do comércio internacional. Professor Helio Henkin - Escola de Admhistração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 19
  20. 20. Economia (introdução) - Apostila 3 A introdução de barreiras comerciais, ainda que temporárias, a defesa de setores considerados estratégicos e a concessão de subsídios, entre outros instrumentos de política econômica, mostram que as vantagens da interdependência, baseadas em custos de oportunidades, coexistem com outros fatores e fenômenos econômicos que interferem no processo do comércio internacional e na própria defesa da prevalência dos benefícios baseados nas vantagens comparativos. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 20
  21. 21. Economia (introdução) - Apostila 3 Estes fatores e fenômenos ensejam proposições normativas divergentes entre economistas, políticos e lideranças empresariais. Um exemplo disto é a adoção de políticas de estímulo ao desenvolvimento industrial, historicamente adotado nas etapas iniciais de industrialização nos Estados Unidos, Japão, Brasil, entre outros países. Professor Helio Henkin - Escola de Administração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 21
  22. 22. Economia (lntroduçaol - Apostila 3 Conceitos-Chaves: VElFlÍÃ 13971 ñtgí. : _mt comparação entre produtividade de produtores. CLÊTV? .do (irmitôxrri m dador aquilo de que se abre mão para obtenção de algo. J"«_'IiljE'l'i Cif“'l"lri_ii; ii comparação entre os custos de oportunidade de produtores. Professor Helio Henkin - Escola de Admhistração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 22
  23. 23. Economia (introdução) - Apostila 3 Exercícios e Aplicações: 1. Ao longo dos últimos 4 anos, as exportações brasileiras cresceram, num contexto de expansão da economia mundial. Na pauta de exportações brasileiras, destacaram-se produtos extrativos e agroindustriais, tais como minério de ferro, açúcar, grãos, suco de laranja, café, carnes, entre outros. Este fenômeno ratifica ou se colide com o princípio das vantagens comparativas? Professor Helio Henkin - Escola de Admhistração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 23
  24. 24. Economia (introdução) - Apostila 3 Exercícios e Aplicações: 2. Nas negociações entre os setores têxtil e de confecções com o governo brasileiro, em torno do estabelecimento de salvaguardas (barreiras) comerciais diante de produtos importados, especialmente da China, manifestou-se um conflito de interesses. As empresas de confecções defenderam um menor grau de barreiras à importação de tecidos, contrariamente ao que defendiam os empresários da indústria têxtil. Analise esta situação à luz do princípio das vantagens comparativas e dos ganhos de comércio. Professor Helio Henkin - Escola de Admhistração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 24
  25. 25. Economia ijlntroduçaoji - Apostila 3 Exercícios e Aplicações: 3. Marque a alternativa verdadeira. Qs pontos de uma curva de possibilidades de produçao expressam: a) As combinações de máxima produção obtenível de dois bens _ correspondentes ao minimo custo de produçao, dada a tecnologia. b) As combinações, de mínima produção obtenível de dois bens, quando a dotaçao _disponivel dos fatores e plenamente utilizada, dada a tecnologia. c) As conjbinaçõesde máxima produção obtenível _de dois bens quando a dotaçao disponivel dos fatores e plenamente utilizada, dada a tecnologia. d) As combinações de níveis de rodução obteníveis de dois bens correspondentes ao maximo ucro, dada a tecnologia. e) As combinações de níveis de produ ão obteníveis de dois bens correspondentes 'a maxima utilida e alcan ada pelos consumidores, dados a tecnologia e os preços das merca orias. (Fiscal de Tributos Federais) Professor Helio Henkin - Escola de Admhistração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 25
  26. 26. Economia (Introdução) - Apostila 3 Exercícios e Aplicações: 4. Mostre, graficamente, a ocorrência das seguintes situações, dada uma curva de possibilidades de produção (CPP): a) Pleno emprego dos fatores de produção. b) Um nível de produção impraticável no curto prazo. c) Um nível de produção em que há capacidade ociosa (fatores de produção desempregados ou subutilizados). (Lista do Exercicio¡ - Introdução à Economia - Un! ) Professor Helio Henkin - Escola de Admhistração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 26
  27. 27. Economia llniiOCiLlÇáOl - Apostila 3 Exercícios e Aplicações: 5 . O consumidor A está disposto a ceder quatro unidades do bem 2( em troca de uma unidade do bem Y adicional as que ja possui, enquanto o consumidor B aceita ceder somente duas unidades do bem X para obter uma unidade a mais do bem Y. O que acontecera se o consumidor A ceder uma unidade do bem X ao consumidor B, em troca de uma unidade do bem Y? (A) Ambos ganharão. (B) Ambos perderão. (C) O consumidor A ganhará, mas o consumidor B perderá. (D) O consumidor A perderá, mas o consumidor B ganhará. (E) Nenhum deles perderá ou ganhará. (Lista de Exercicios - Introdução à Economia - Una) Professor Helio Henkin - Escola de Admhistração (EA/ UFRGS) - Curso de Administração Modalidade à Distância 27

×