Tudo sobre as Redes de Celular 2G
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Tudo sobre as Redes de Celular 2G

on

  • 7,869 views

Trabalho acadêmico que explica como funcionam as redes de celular 2G, entre elas a CDMA, TDMA, GSM e EDGE.

Trabalho acadêmico que explica como funcionam as redes de celular 2G, entre elas a CDMA, TDMA, GSM e EDGE.

Statistics

Views

Total Views
7,869
Views on SlideShare
7,866
Embed Views
3

Actions

Likes
0
Downloads
92
Comments
0

1 Embed 3

http://www.linkedin.com 3

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Tudo sobre as Redes de Celular 2G Tudo sobre as Redes de Celular 2G Presentation Transcript

  • redes 2G
  • como COMEÇOU Por volta de 1920, já existia uma tecnologia sem fio largamente utilizada, o rádio. A primeira chamada de um telefone celular foi realizada em 3 de abril de 1973, em Nova York (EUA), por Martin Cooper, então gerente geral da Divisão de Sistemas da Motorola. Apenas 10 anos depois foi ativada a primeira rede celular, em Chicago em 13 de outubro de 1983, com o intuito de libertar o telefone do par de fios que o prende à rede de cabos. Ao longo dos tempos, a transmissão digital tem conseguido obter maior proveito da capacidade das antigas faixas de ondas, enquanto novas tecnologias se preocupam em criar novas bandas.
  • como FUNCIONA View slide
  • geração 2G
    • Da necessidade de sistemas digitais com maior capacidade, surgiram as tecnologias de segunda geração, que trazem as seguintes vantagens sobre os analógicos:
    • Codificação digital de voz mais poderosas
    • Maior eficiência espectral
    • Melhor qualidade de voz
    • Facilidade a comunicação de dados
    • Criptografia
    View slide
  • timeline 2G 1990 1991 1993 1999 2003 1996 2002 1º Celular GSM Celular Motorola Startac Fim do Sinal Analógico Início do Sinal Digital Primeiro SMS 1º Celular com suporte a e-mail Tecnologias GPRS e EDGE
  • tecnologias 2G
    • Os padrões de tecnologia mais utilizados da segunda geração são:
    • TDMA (Time Division Multiple Access) – 2G
    • CDMA (Code Division Multiple Access) – 2G
    • GSM  (Global System for Mobile Communication) – 2G
    • GPRS  (General Packet Radio Service) – 2,5G
    • EDGE  (Enhanced Data Rates for Global Evolution) – 2,5G
  • tecnologias 2G TDMA (Time Division Multiple Access) CDMA (Code Division Multiple Access) GSM  (Global System for Mobile Communication)
  • tecnologias 2G 2G Presente na maioria dos atuais telefones móveis: Funcionalidades: - Chamadas telefônicas - E-mail com voz - Recepção de mensagens simples Velocidade:  10Kb/seg Tempo de download de uma mp3 de 3 minutos de duração: 31-41 min 2,5G Melhor tecnologia disponível em grande escala no momento: Funcionalidades: - Chamadas Telefônicas/Serviços de fax - E-mail com voz -Envio/recepção de mensagens mais complexas - Navegação na Internet - Mapas de Informação - Atualizações disponíveis Velocidade:  64-144Kb/seg Tempo de download de uma mp3 de 3 minutos de duração: 6-9min
  • tecnologias 2G No Brasil, o padrão GSM é o mais utilizado, com 159 milhões de celulares ativos. A operadora Vivo lidera o setor, com 29,87% do total de celulares. A Claro mantém a segunda colocação, com 25,52%, seguida pela TIM, com 23,63%, e da Oi, com 20,61%.
  • tecnologia GSM Entre as tecnologias, o GSM é a que obtém maior número de consumidores, por ser menos suscetível a clonagem e pela criação do Chip de Memória , também chamado de cartão SIM, o que facilita a troca de aparelhos, podendo-se transportar dados de contato entre outras informações. As tecnologias TDMA e CDMA apresetavam maior vulnerabilidade a clonagem, por trabalharem tanto em frequências analógicas como digitais. Utilizando-se de um scanner de freqüência ou um receptor de rádio de alta freqüência, os criminosos conseguiam identificar o número da linha e o número de série do aparelho, usando-os no clone. 
  • FIM