Your SlideShare is downloading. ×
0
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Case da Organização Pan-americana de Saúde
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Case da Organização Pan-americana de Saúde

739

Published on

Apresentação no Joomla Day Brasil 2011. Case da Organização Pan-Americana de Saúde, Escritório Brasil.

Apresentação no Joomla Day Brasil 2011. Case da Organização Pan-Americana de Saúde, Escritório Brasil.

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
739
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
12
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Joomla Day Brasil 2011 – Florianópolis, 2 e 3 de setembro de 2011 Case de Intranet Corporativa da Organização Pan-americana de Saúde - Escritório Brasil
  • 2. Quem? Rafael Berlanda Atuando no Ministério da Educação desde 2007 e trabalhando com Web desde 2001.   Um dos responsáveis técnicos do projeto Intranet Corporativa OPAS.   •  Membro comunidade: •  Joomla desde 2007 •  Layout da versão anterior do Portal do MEC   •  Desenvolvedor do Portal CNJ entregue em 2009 •  Membro da comissão organizadora do JDBR10 •  “Membro não praticante” do JCoderBR  
  • 3. O cliente•  A  Organização  Pan-­‐americana  de  Saúde  (OPAS   ou  PAHO)  é  o  escritório  regional  para  as   Américas  da  Organização  Mundial  de  Saúde.    •  Sediada  em  Washington,  também  faz  parte  da  ONU  e  da  OEA,  Organização  dos  Estados   Americanos.  •  "A  Organização  exerce  um  papel  fundamental  na  melhoria  de  políLcas  e  serviços  públicos  de   saúde,  por  meio  da  transferência  de  tecnologia  e  da  difusão  do  conhecimento  acumulado  por  meio   de  experiências  produzidas  nos  Países-­‐Membros  [...]"  (hQp://new.paho.org/)  
  • 4. O cenário•  Intranet  atualmente  em  operação  não  atende   a  requisitos  de:   –  Usabilidade   –  Funcionalidade   –  Gerenciamento  de  conteúdo  •  Pouco  uLlizada,  passava  em  branco  •  (elefante  em  branco)  •  A  intranet  citada  ainda  não  está  em   produção?  Está  em  homologação  
  • 5. Nova intranet corporativa  •  Obje&vo:  criar  uma  mesa  de  trabalho   do  usuário,  onde  ele  tem  acesso,   avalia  e  controla  suas  aLvidades   dentro  da  organização.  •  O  conceito  básico  do  projeto  da  Intranet  OPAS  gira  em  torno  da  transformação  de  uma  ferramenta  atualmente  pouco  uLlizada  (a  intranet   atual)  para  uma  ferramenta  de  trabalho  que  concentre  as  ferramentas  principais  do  dia-­‐a-­‐dia  dos  colaboradores,  transformando-­‐a  em   ponto  chave  para  interação  entre  colaboradores  e  para  obtenção  de  informações  insLtucionais.  •   Em  uma  abordagem  contemporânea  do  desenvolvimento  sites,  intranets  ou  portais,  a  melhor  forma  de  transformar  as  diversas   funcionalidades  levantadas  em  um  modelo  gráfico  palpável,  é  a  aplicação  da  Arquitetura  da  Informação  para  a  criação  dos  documentos   chamados  de  wireframes.  
  • 6. E por que o Joomla?  Veja  a  seguir  as  jusLficaLvas  de  escolha  do  Joomla  mencionadas  por  um  dos  dirigentes  da  OPAS  em  reunião  em  Washington…  
  • 7. Estrutura  Conceitual  •   O  piloto  da  intranet  apresentado  consLtui  em  um  modelo  final  navegável,  que  orientou   o  fluxo  de  navegação  dentro  do  site  tanto  para  os  envolvidos  no  projeto    •   Alinhamento  com  diretrizes  de  gestão  do  conhecimento,  uLlizando  a  ferramenta  Open  Source  Joomla  (Content  Management  System),  uma  das  que    mais   crescem  no  mundo,  no  âmbito  de  usuários  e  extensões.  Sua  imensa  comunidade  garante   mão-­‐de-­‐obra  especializada  e  extensões  que  aceleram  o  desenvolvimento  e  diminuem   custos.  Diversos  sites  e  portais  governamentais  no  Brasil  uLlizam  a  ferramenta.  Dentre  os   exemplos  de  maior  notoriedade  temos  o  Ministério  da  Educação  (www.mec.gov.br)  e  o   Conselho  Nacional  de  JusLça  (www.cnj.jus.br).    •  O  Joomla  foi  desenvolvido  em  PHP/MySQL.  As  duas  tecnologias  são  open  source  e   dispõem  de  número  bastante  extenso  de  profissionais  qualificados  no  mercado   brasileiro.  Tais  fatores  somados  à  existência  de  documentações  on-­‐line  disponíveis  para  o   CMS  e  seus  solwares  de  infra-­‐estrutura  garantem  a  conLnuidade  do  projeto,   simplificando  a  fase  de  manutenção  evoluLva.  
  • 8. Estrutura  Conceitual  •   O  piloto  da  intranet  apresentado  consLtui  em  um  modelo  final  navegável,  que  orientou   o  fluxo  de  navegação  dentro  do  site  tanto  para  os  envolvidos  no  projeto    •   Alinhamento  com  diretrizes  de  gestão  do  conhecimento,  uLlizando   ferramenta  Ono  âmbito  de  usuários  e  extensões.  Sua  imensa  canagement   pen  Source  Joomla  (Content  M omunidade  garante  a  ferramenta  Open  Source  Joomla  (Content  Management  System),  uma  das  que    mais   crescem  no  mundo,   System),  uspecializada  e  extensões  que  arescem  esenvolvimento  e  niminuem   mão-­‐de-­‐obra  e ma  das  que    mais  c celeram  o  dno  mundo,   d o   âmbito  dmaior  notoriedade    overnamentais  no  Sda  Educação  (awww.mec.gov.br)  e  oos   custos.  Diversos  sites  e  portais  g exemplos  de   e  usuários  e textensões.   Bua  imensa  comunidade   emos  o  Ministério   rasil  uLlizam    ferramenta.  Dentre     garante  mão-­‐de-­‐obra  especializada  e  extensões  que   Conselho  Nacional  de  JusLça  (www.cnj.jus.br).    •  O  Joomla  foi  d o  desenvolvimento  e  uas  tecnologias   ão  open  source   aceleram  esenvolvido  em  PHP/MySQL.  As  ddiminuem  scustos   e   dispõem  de  número  bastante  extenso  de  profissionais  qualificados  no  mercado   brasileiro.  Tais  fatores  somados  à  existência  de  documentações  on-­‐line  disponíveis  para  o   CMS  e  seus  solwares  de  infra-­‐estrutura  garantem  a  conLnuidade  do  projeto,   simplificando  a  fase  de  manutenção  evoluLva.  
  • 9. Estrutura  Conceitual  •   O  piloto  da  intranet  apresentado  consLtui  em  um  modelo  final  navegável,  que  orientou   o  fluxo  de  navegação  dentro  do  site  tanto  para  os  envolvidos  no  projeto    •   Alinhamento  com  diretrizes  de  gestão  do  conhecimento,  uLlizando  a  ferramenta  Open  Source  Joomla  (Content  Management  System),  uma  das  que    mais   crescem  no  mundo,  no  âmbito  de  usuários  e  extensões.  Sua  imensa  comunidade  garante   mão-­‐de-­‐obra  especializada  e  extensões  que  aceleram  o  desenvolvimento  e  diminuem   custos.  Diversos  sites  e  portais  governamentais  no  Brasil  uLlizam  a  ferramenta.  Dentre  os   Joomla  acional  esenvolvido  eo  Ministério  da  Educação  (www.mec.gov.br)  e  o   exemplos  de  maior  notoriedade  temos   Conselho  N foi  d de  JusLça  (www.cnj.jus.br).   m  PHP/MySQL.  As  duas   tecnologias  são  open  source  e  dispõem  de  número    •  O  Joomla  foi  desenvolvido  em  PHP/MySQL.  As  duas  tecnologias  são  open  source  e   bastante  úmero  bastante  extenso  de  profissionais  ualificados  no   dispõem  de  n extenso  de  profissionais  q qualificados  no  mercado   mercado  batores  somados  à  existência  de  documentações  on-­‐line  disponíveis  para  o   brasileiro.  Tais  f rasileiro.  Tais  fatores  somados  à  existência  de   CMS  e  seus  solwares  de  infra-­‐estrutura  garantem  a  conLnuidade  do  projeto,   documentações  on-­‐line  evoluLva.   simplificando  a  fase  de  manutenção   disponíveis  para  o  CMS  e  seus   solwares  de  infra-­‐estrutura  garantem  a  conLnuidade  do   projeto,  simplificando  a  fase  de  manutenção  evoluLva.  
  • 10. O projeto  
  • 11. Concepção e de nição  
  • 12. Concepção e de nição   Recursos de Reunião
  • 13. Delegação/Concepção e de nição   Su b s t i tuição de s Co laboradore Recursos de Reunião
  • 14. Agenda de s Co mpro misso Delegação/Concepção e de nição   Su b s t i tuição de s Co laboradore Recursos de Reunião
  • 15. Agenda de s Co mpro misso Delegação/Concepção e de nição   Su b s t i tuição de s Co laboradore Recursos de Reunião
  • 16. SL eitor de RSde sites ss elecionadoDEZENAS DE de a SI T ESgend A Co mpr o missos Delegação/ Concepção e de nição   Su b s t i tuição de s Co laboradore Recursos de Reunião
  • 17. SL eitor de RSde sites ss elecionadoDEZENAS DE de a SI T ESgend A Resumos s Co mpro misso executivos Concepção e de nição   Delegação/ Su b s t i tuição de s Co laboradore Recursos de Reunião
  • 18. SL eitor de RSde sites ss elecionadoDEZENAS DE de a SI T ESgend A Resumos s Co mpro misso executivos Concepção e de nição   Delegação/ aS ão i u çubs tr te ição de egr enda boradores Int cal Co la web o ok... O utl e :) ang E xch Recursos de Reunião
  • 19. SL eitor de RSde sites ss elecionadoDEZENAS DE de a SI T ESgend A Resumos s Co mpro misso executivos Concepção e de nição   Delegação/ ão i u çubs tr te ição de aS egr enda boradores Int cal Co la web o ok... “con Rela teni dos l O ut cion ado : ) s” a nge Conteúdo E xch Recumultidetegori- rsos ca Reunzao , multi- iã do id io ma, multi! ias G aler gem ima Vídeo
  • 20. SL eitor de RSde sites ss elecionadoDEZENAS DE de a SI T ESgend A Resumos s Co mpro misso executivos Concepção e de nição   Delegação/ ão i u çubs tr te ição de aS egr enda boradores Int cal Co la web o ok... “con Rela teni dos l O ut cion ado : ) s” a nge Conteúdo E xch Recumultidetegori- rsos ca Reunzao , multi- iã do id io ma, multi! ias G aler gem ima Vídeo
  • 21. SL eitor de RS ede sites Mas tem qu a o s ser legal parselecionadDEZE NAS DE o usuário… Agenda de Resumos SI TES s Co mpro misso executivos Músicas? Concepção e de nição   Delegação/ PODCASTS ão i u çubs tr te ição de aS egr enda boradores Int cal Co la web o ok... “con Rela teni dos l O ut cion ado : ) s” a nge Conteúdo E xch Recumultidetegori- rsos ca Reunzao , multi- iã do id io ma, multi! ias G aler gem ima Vídeo
  • 22. S L eitor de RS e de sites Mas tem qu a o s ser legal par selecionad DEZE NAS DE o usuário… Agenda de Resumos SI TES s Co mpro misso executivos Músicas? Concepção e de nição   Delegação/ PODCASTS ão i u çubs tr te ição de aS egr enda boradores Int cal Co la web o ok... “con Rela teni dos l O ut cion adoTw itte : ) s”MICR r a nge Conteúdo OBLOG E xch Recumultidetegori- rsos ca ! Reunzao , multi- iã do id io ma, multi! ias G aler gem ima Vídeo
  • 23. S L eitor de RS e de sites Mas tem qu a o s se r legal par selecionad DEZE NAS DE o usuário… Agenda de Resumos SI TES s Co mpro misso executivos Músicas? Concepção e de nição   Delegação/ PODCASTS aS ão i u çubs tr te ição de egr enda boradores Int cal Co la web o ok... “con Rela teni dos lrocessos: O utp cion o w de adoTw itte Workfl : ) s”MICR r U suário hber a nge Conteúdo OBLOG pre a c cisExsa Recumultidetegori- rsos ca ! qua ndo um Reunzao , multi- iã do so id io ma, multi! proces ecisa de sua aler ias pr aker) G gem ação . (Pro cess M ima Vídeo
  • 24. S L eitor de RS e de sites Mas tem qu o s Blo ser legal para selecionad g d repr osuário… DEZENAS DE de eoeu s n Agenda tan s s umos te SI TES oRe Co mpro miss executivos Músicas? Concepção e de nição   Delegação/ PODCASTS aS ão i u çubs tr te ição de egr enda boradores Int cal Co la web o ok... “con Rela teni dos lrocessos: O utp cion o w de adoTw itte Workfl : ) s”MICR r U suário hber a nge Conteúdo OBLOG pre a c cisExsa Recumultidetegori- rsos ca ! qua ndo um Reunzao , multi- iã do so id io ma, multi! proces ecisa de sua aler ias pr aker) G gem ação . (Pro cess M ima Vídeo
  • 25. S L eitor de RS e de sites Mas tem qu o s Blo ser legal para selecionad g d repr osuário… DEZENASesDE de H: eoeu s n P soal do R Age“Sedamuito boResumos n ria tan SITES orgromamsos ter om te Co mp anot…is a nexecutivos intrane gr a Músicas? Delegação/ PODCASTS em: Concepção e de nição   FLAS H Navegável aS ão i u çubs tr te ição de egr enda boradores Auto mático Int cal Co la INTERATIVO. b we” o ok... “con Rela teni dos lrocessos: O utp cion o w de adoTw itte Workfl : ) s”MICR r U suário hber a nge Conteúdo OBLOG pre a c cisExsa Recumultidetegori- rsos ca ! qua ndo um Reunzao , multi- iã do so id io ma, multi! proces ecisa de sua aler ias pr aker) G gem ação . (Pro cess M ima Vídeo
  • 26. S L eitor de RS e de sites Mas tem qu o s Blo ser legal para selecionad g d repr osuário… DEZENASesDE de H: eoeu s n P soal do R Age“Sedamuito boResumos n ria tan SITES orgromamsos ter om te Co mp anot…is a nexecutivos intrane gr a Músicas? Delegação/ PODCASTS em: Concepção e de nição   FLAS H Navegável aS ão i u çubs tr te ição de egr enda boradores Auto mático Int cal Co la INTERATIVO. b we” o ok... “con Rela teni dos lrocessos: O utp Seria :) ante, cion o w de adoTw itte Workfl ss s” r U ne e suário hintr re UE SEConteúdo g RMICR OBLOG a c a xsabe M Q Recumultidetegori- rsos ca ! precisE T E 0 o um EB 2.Reunzao , multi- iã do quand W so id io ma, multi! proces ecisa de sua aler ias pr aker) G gem ação . (Pro cess M ima Vídeo
  • 27. S L eitor de RS e de sites Mas tem qu o s Blo ser legal para selecionad g d repr osuário… DEZENASesDE de H: eoeu s n P soal do R Age“Sedamuito boResumos n ria tan SITES orgromamsos ter om te Co mp anot…is a nexecutivos intrane gr a Músicas? Delegação/ PODCASTS em: Concepção e de nição   FLAS H Navegável aS ão i u çubs tr te ição de M egr enda boradores UITOS Auto mático Int cal Co la B ANNE INTERATIVO. b ... RS we” o ok s: “con ROTAT Rela teni dos l tprocesso a O u Seri te, IdooS cion o w de aVTw itte Workfl : ss) an s” r U ne e suário hintr re UE SEConteúdo g RMICR OBLOG a c a xsabe M Q Recumultidetegori- rsos ca ! precisE T E 0 o um EB 2.Reunzao , multi- iã do quand W so id io ma, multi! proces ecisa de sua aler ias pr aker) G gem ação . (Pro cess M ima Vídeo
  • 28. S L eitor de RS e de sites Mas tem qu o s Blo ser legal para selecionad g d DEZENASesDE de H: P soal do R CHAT repr eoeu s n osuário… tan Age“Sedamuito boResumos n ria SITES orgromamsos ter om te Co mp anot…is a nexecutivos intrane gr a Músicas? Delegação/ PODCASTS em: Concepção e de nição   FLAS H Navegável aS ão i u çubs tr te ição de M egr enda boradores UITOS Auto mático Int cal Co la B ANNE INTERATIVO. b ... RS we” o ok s: “con ROTAT Rela teni dos l tprocesso a O u Seri te, IdooS cion o w de aVTw itte Workfl : ss) an s” r U ne e suário hintr re UE SEConteúdo g RMICR OBLOG a c a xsabe M Q Recumultidetegori- rsos ca ! precisE T E 0 o um EB 2.Reunzao , multi- iã do quand W so id io ma, multi! proces ecisa de sua aler ias pr aker) G gem ação . (Pro cess M ima Vídeo
  • 29. S L eitor de RS e de sites Mas tem qu o s Blo ser legal para selecionad g d DEZENASesDE de H: P soal do R CHAT repr eoeu s n osuário… tan Age“Sedamuito boResumos n ria SITES orgromamsos ter om te Co mp anot…is a nexecutivos intrane gr a Músicas? Delegação/ PODCASTS em: Concepção e de nição   FLAS H Navegável aS ão i u çubs tr te ição de M egr enda boradores UITOS Auto mático Int cal Co la B ANNE INTERATIVO. b ... RS we” o ok s: “con ROTAT Rela teni dos l tprocesso a O u Seri te, IdooS cion o w de aVTw itte Workfl : ss) an s” r U ne e suário hintr re UE SEConteúdo g RMICR OBLOG a c a xsabe M Q Recumr stidetegori- rso ! precisE T E Aut0 ntica ul ca e o um EB 2.RLDAzao , multi- iã quand W Vi a eunP do so id io ma, multi! proces ecisa de sua aler ias pr aker) G gem ação . (Pro cess M ima Vídeo
  • 30. S L eitor de RS e de sites Mas tem qu o s Blo ser legal para selecionad g d DEZENASesDE de H: P soal do R CHAT repr eoeu s n osuário… tan Age“Sedamuito boResumos n ria SITES orgromamsos ter om te Co mp anot…is a nexecutivos intrane gr a Músicas? em: fi lar Para Decegação/ PODCASTS Concepção e de nição   FLAS H Navegável a eg i o çu o al tu mais Slãbs tr, e ição de MU egr rio aeriaadores Auto mático nt suáend t bor ITOS I u cal Co la B ANNE INTERATIVO. b e k... RS we” u o o s: q l “con ROTAT Rela teni dos tprocesnia izar te, O ue s er r o s al o cion IdooS aVTw itte p S o w de )...n ssa EConteúdo : s” Workfl r U o ne e pág i e suárisuahintr rnaUE S RMICR OBLOG a c a xsabe M Q Recumr stidetegori- rso ! precisE T E Aut0 ntica ul ca e o um EB 2.RLDAzao , multi- iã quand W Vi a eunP do so id io ma, multi! proces ecisa de sua aler ias pr aker) G gem ação . (Pro cess M ima Vídeo
  • 31. S L eitor de RS e de sites Mas tem qu o s Blo ser legal para selecionad g d DEZENASesDE de H: P soal do R CHAT repr eoeu s n osuário… tan Age“Sedamuito boResumos n ria SITES orgromamsos ter o m te Co mp anot…is a nexecutivos intrane gr a Músicas? em: fi lar Para Decegação/ PODCASTS Concepção e de nição   FLAS H links,   ga i o m graçufo al u Mais  de  1utomiátens,  entre  ais Slãbstr,te ição de M  Unterações   Navegável A 25   tico euncionalidades  e i nte unotações  eldteriaadoro  cliente)   ITOS I us alend ocumentação  reais  d esBAN (post-­‐its  ficqcios  não  refletem  aár io   abor Co INTERATIVO. bce k... N “con ERS we” u o o s: q l ROelaATidos ten t c ss ar R T cionId O ueproSe ria iz) ante, ow de rso nal o a Vo os” STw itte Wor kfl p e e ss . : .. r U o pág i e suárisuahintr rnaUE SEConteúdo ne RMICR OBLOG a c a xsabe M Q Recumr stidetegori- rso ! precisE T E Aut0 ntica ul ca e o um EB 2.RLDAzao , multi- iã quand W Vi a eunP do so id io ma, multi! proces ecisa de sua aler ias pr aker) G gem ação . (Pro cess M ima Vídeo
  • 32. S L eitor de RS e de sites Mas tem qu o s Blo ser legal para selecionad g d DEZENASesDE de H: P soal do R CHAT repr eoeu s n osuário… tan Age“Sedamuito boResumos n ria SITES orgromamsos ter om te Co mp anot…is a nexecutivos intrane gr a Músicas? em: fi lar Para Decegação/ PODCASTS Concepção e de nição   FLAS H Navegável çu o al tu o maip Slãbs tr, rioridades.   Muitas  idéias,  s oucas  ipe ição de MUI a eg egr rio aeriaadores Auto mático TOS Int suáend t bor u cal Co la B ANNE INTERATIVO. b e k... RS we” u o o s: q l “con ROTAT Rela teni dos tprocesnia izar te, O ue s er r o s al o cion IdooS aVTw itte p S o w de )...n ssa EConteúdo : s” Workfl r U o ne e pág i e suárisuahintr rnaUE S RMICR OBLOG a c a xsabe M Q Recumr stidetegori- rso ! precisE T E Aut0 ntica ul ca e o um EB 2.RLDAzao , multi- iã quand W Vi a eunP do so id io ma, multi! proces ecisa de sua aler ias pr aker) G gem ação . (Pro cess M ima Vídeo
  • 33. Impasse!  
  • 34. Solução adotada:    PermiLr  que  o  cliente  decida  o  que  é  mais  importante  por   intermédio  da  Arquitetura  da  Informação.   Saiba+:  hQp://pt.wikipedia.org/wiki/Arquitetura_de_informação   sCriar mapa Definir Planejar sde priori dade telasnavegação
  • 35. Exemplo  de  wireframe  de  saída  do  solware  Axure.  Itens  em  vermelho  sugerem  interação.  Versão  final  do  wireframe:  4.2.  
  • 36. Exemplo  de  wireframe  de  saída  do  solware  Axure.  Itens  em  vermelho  sugerem  interação.  Versão  final  do  wireframe:  4.2.  
  • 37. Exemplo  de  wireframe  de  saída  do  solware  Axure.  Itens  em  vermelho  sugerem  interação.  Versão  final  do  wireframe:  4.2.  
  • 38. Exemplo  de  wireframe  de  saída  do  solware  Axure.  Itens  em  vermelho  sugerem  interação.  Versão  final  do  wireframe:  4.2.  
  • 39. Exemplo  de  wireframe  de  saída  do  solware  Axure.  Itens  em  vermelho  sugerem  interação.  Versão  final  do  wireframe:  4.2.  
  • 40. Wireframes  que  foram  detalhados.  
  • 41. Layout  vr.  1.0  
  • 42. Layout  vr.  6.0  
  • 43. Layout  vr.  6.0    Exemplo  de  wireframe  de  página  interna.  Esta  não  foi  a  única  página  interna  a  ser  detalhada  em  layout:  todos  os  wireframes  Lveram  modelos  em  psd  aprovados.  
  • 44. Ok, ok… mas cadê o Joomla?!   Até  então  o  projeto  era  independente  de  CMS  ou  linguagem   de  programação.  Testes  e  aprovações  foram  feitas  em   wireframe.  Refações  de  layout  ficaram  para  o  PSD.  •  Horas  de  desenvolvimento  economizadas  •  Horas  de  reuniões  economizadas  •  Vidas  economizadas…  •  A  dedicação  do  cliente  no  planejamento  conjunto  dará  a  medida  do  quanto  ele  pretende  invesLr,  e  quais  são  as  chances  do  projeto  vingar  de  verdade.   O  fato  da  Opas  ter  comprado  a  proposta  de  uma  fase  de  planejamento  mais  longa  contou  muito  para  a  qualidade  do  projeto.  
  • 45. Planejamento  de  módulos,  plugins,  componentes  e  interações  envolvidas  através  do  “fateamento”  do  wireframe.  
  • 46. Planejamento  de  módulos,  plugins,  componentes  e  interações  envolvidas  através  do  “fateamento”  do  wireframe.  
  • 47. Sequencia de atividades:   1.  Concepção  e   5.  Interface*   10.  Manual  do   Definição   usuário   Aprovação   Aprovação   Homologação   2.  Arquitetura   6.  Template   11.  Deploy   da  informação*   Joomla   Aprovação   Homologação   12.  Manutenção   evoluLva   3.Levantamento   7.   de  requisitos*   Desenvolvimento   Aprovação   8.  Integrações*   4.  Layout   (PSDs)   9.  MulL-­‐idiomas   Aprovação  
  • 48. Detalhamento de soluções•  Dupla  autenLcação  •  Emails  e  compromissos  do  Outlook  Exchange  •  Estrutura  organizacional  •  Microblog  •  LDAP  •  K2  •  Podcasts  •  Chat  •  Painel  de  avisos  •  Outras  integrações  •  Documentação  
  • 49. Resultado Parcial
  • 50. Dupla autenticação •  Plugin  que  permite  a  autenLcação  no  frontend  e  no  backend  do  Joomla  da  Intranet,  a  parLr  de  uma  autenLcação  comum  no  frontend.   •  ULlizado  em  conjunto  com  um  plugin  que  bloqueia  o  acesso  ao  frontend  a  menos  que  o  usuário  esteja  autenLcado.   Plugin  de  dupla  autenLcação  Acesso  à  intranet   Plugin  1   (system):  Se   AutenLcação   Plugin  2   não  esLver   LDAP  –  plugin   (user):  Criação   autenLcado  vai   naLvo   de  session  em   para  página  de   frontend  e   autenLcação   backend.   Usuário  é   redirecionado  a   Caso  usuário   tenha  acesso   uma  task  da   com_login  (hack)   administraLvo   Acesso  à  intranet  
  • 51. Webmail e integração com agenda de contatos Plugin  2   (user)   Autor:   Troy  Wolf  Senha  é  capturada  e    class_hQp   gravada  no  objeto   registry  da  session.   Autor:   Nome  da  variável  é   Troy  Wolf   vinculado  ao  ID  da   session  e  o  valor  da    Classe  Exchange    class_xml  variável  é  codificado.   hQp://webmail.lalala.com   hQp://www.troywolf.com/arLcles/php/exchange_webdav_examples.php  
  • 52. Plugin  2   (user)  Senha  é  capturada  e    class_hQp   gravada  no  objeto   registry  da  session.   Nome  da  variável  é   vinculado  ao  ID  da   session  e  o  valor  da    Classe  Exchange    class_xml  variável  é  codificado.  Acesso  na  classe  exchange  é  direto,  já  que  está  dentro   do  contexto  do  joomla.   Responde  a  integrações   Ajax  diversas     com_integraLons  
  • 53. Webmail e integração com agenda de contatos Requisição  ajax  INTRANET   com_integraLons  
  • 54. Webmail e integração com agenda de contatos class_hQp   class_xml   exchange   Requisição  ajax   Requisição  hQp   Oulook  INTRANET   com_integraLons   Exchange  Server   2003  
  • 55. Webmail e integração com agenda de contatos class_hQp   class_xml   exchange   Requisição  ajax   Requisição  hQp   Oulook  INTRANET   com_integraLons   Exchange  Server   Resposta  HTML   2003  
  • 56. Webmail e integração com agenda de contatos class_hQp   class_xml   exchange   Requisição  ajax   Requisição  hQp   Oulook  INTRANET   com_integraLons   Exchange  Server   Resposta  JSON   Resposta  HTML   2003  
  • 57. Webmail e integração com agenda de contatos class_hQp   class_xml   exchange   Requisição  ajax   Requisição  hQp   Oulook  INTRANET   com_integraLons   Exchange  Server   Resposta  JSON   Resposta  HTML   2003   •  QuanLdade  e-­‐mails  não  lidos.   •  Compromissos  de  acordo  com  a  data  
  • 58. Microblog, chat, painel de avisosmod_microblog   Requisição   Requisição   ajax   ajax                mod_chat   Resposta   json   Resposta   json   com_integraLons     Requisição   Controllers:   Requisição   ajax   Microblog   ajax   Chat   Resposta   Panel   Resposta   json   json   com_microblog   Jquery  +  ajax  +  json  +  setInterval                mod_panel  
  • 59. Estruturaorganizacional
  • 60. Estruturaorganizacional
  • 61. EstruturaorganizacionalJanela  esLlo  ‘lightbox’  com  a  estrutura  organizacional  da  Opas.  Desenvolvimento  em  Flex.  Permite  interações  de  clique  e  movimentação  dos  itens  disponíveis.  
  • 62. .swf   .xml  Página  de  estrutura   Arquivo  Flex   Arquivo  xml   organizacional  
  • 63. Podcasts +   mod_podcastcontroller   +   mod_podcastwindow   com_podcasts   (html  +  js)   (jwplayer  +  js)  (administrator)   +   Template   (js  principal)  
  • 64. K2•  Agrega  conjunto  de  funcionalidades  úteis  ao   projeto  como:  avaliação  de  conteúdo,   comentários,  itens  relacionados,  divulgação   em  redes  sociais  e  galeria  de  imagens.  •  Não  possui  limite  de  níveis  de  categorias.  •  Agregou  ao  Joomla  1.5  as  funcionalidades   necessárias  ao  projeto  
  • 65. Joomla 1.5 ?•  Obje&vo   –  Evitar  alterações  frequentes   –  Versão  1.5  foi  testada  e  aperfeiçoada  por  longo   período  •  Com  exceção  do  novo  ACL,  k2  agregou  ao  1.5   o  que  nos  seria  úLl  na  1.6  •  Domínio  do  código  
  • 66. Miscelânea
  • 67. Documentação
  • 68. Template  Organização de arquivos •  Framework  js:  jquery   •  intranet1.0  –  template  principal   •  intranet1.0_login  –  tela  de  login   •  iframe   •  Todos  os  arquivos  de  layout  na  pasta  do  template   •  Classes  criadas  ficam  em  diretório  na  library,  que   pode  ser  instanciado  por  meio  de:   jinclude(‘opas.php.nomeclasse’);   •  Importante:  uLlizar  ambientes  versionados  não   somente  para  desenvolvimento  mas  também  para   o  deploy.  
  • 69. Conclusões •  O  Joomla  pode  ser  bem  aplicado  em   Intranets  corporaLvas,  diminuindo   custos.  Essa  possibilidade  é  ignorada   pelos  usuários  da  maioria  dos  CMSs   proprietários   •  Quando  uma  organização  desse  porte   adota  o  Joomla,  todos  ganham:   –  Mais  confiabilidade   –  Novas  oportunidades  
  • 70. •  Joomla   Open  Source  MaQers,  desenvolvedores  do  core  e  do  K2  Créditos do projeto •  Conceito  e  gestão  na  Opas   Pedro  Clé  e  Júlio  Mariano   •  Arquitetura  da  Informação   João  Francisco  Sebben   •  Responsável  técnico  da    fase  de  desenvolvimento   Rafael  Berlanda   •  Requisitos  e  mapeamento  de  funcionalidades   Rafael  Berlanda   •  Layout   Raphael  Sampaio  e  Flávio  Dias   •  Interface  base   Daniel  Marques  Silva   •  Detalhamento  de  interface  e  integração  com  Joomla   Rafael  Berlanda   •  Desenvolvimento  Joomla   Rafael  Berlanda  e  Leonardo  Lucas   •  Desenvolvimento  Flex   Antônio  Cesar   •  Pesquisa   Antônio  Cesar  e  Rafael  Berlanda   •  Documentação   Antônio  Ricardo  e  Flávio  Dias  
  • 71. •  A  Deus.  Obrigado! •  Aos  presentes  na  palestra   •  À  organização  do  JDBR11   •  Aos  colegas  de  trabalho   •  À  OPAS.   •  Ao  desenvolvedor  Troy  Wolf   •  Rafael  de  Souza  Berlanda   •  @berlanda   •  rafaelberlanda@gmail.com  

×