Doenças intersticiais

16,466
-1

Published on

0 Comments
6 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
16,466
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
6
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Nos últimos dez anos, diversos estudos têm demonstrado o valor da tomografia computadorizada de alta resolução (TCAR) na avaliação de doenças pulmonares intersticiais. O avançar das tecnicas tomograficas implicou num aumento da nossa capacidade de avaliaçao aproximando-nos da analise patologica.Todos vcs devem entender que pra um passo inicial na interpretação das caracteristicas radiologicas das patologias por TC devemos remontar ao raio-X onde a densidade das estruturas caracteriza sua visualizaçao, desse modo quanto mais densa a estrutura mais branca, quanto menos, mais escura. A partir dai podemos entender o intersticio pulmonar.
  • Lobo pulmonar secundario
  • Esses achados morfológicos têm de ser combinados com a história do paciente e importantes achados clínicos e laboratoriaisO Que se faz na TCAR é restringir os diagnósticos diferenciais de acordo com o padrão predominante.
  • Espessamento dos feixesperibronquiovasculares.
  • Edema agudo de pulmão
  • Espessamento liso dos septos interlobulares
  • Distribution (a), CT image (b), and CT pattern (c) of UIP. The distribution is subpleural with an apicobasal gradient (red area in a). CT shows honeycombing (green areas in c), reticular opacities (blue areas in c), traction bronchiectasis (red area in c), and focal ground-glass opacity (gray area in c).
  • Figures 4, 5. (4) IPF in a 64-year-old man. (a) High-resolution CT image obtained at presentation shows reticularopacities, honeycombing (arrowhead), and focal ground-glass opacity (thick arrow). Moderate traction bronchiectasisis present (thin arrow). These findings are consistent with the UIP pattern. (b) Follow-up CT image obtained 12months later shows marked progression of the honeycombing (arrowheads) and traction bronchiectasis (arrows).(5) IPF in a 67-year-old man. (a) High-resolution CT image shows areas of relatively unaffected lung parenchymawith only ground-glass opacity (arrow) next to fibrotic areas with honeycombing and traction bronchiectasis (arrowhead),an appearance typical of UIP. (b) Coronal CT image shows an obvious apicobasal gradient of the lung alterations.
  • Pneumoconiose do trabalhador de carvao
  • distribuição centrolobularNódulos centrolobulares são vistos em: Pneumonite por hipersensibilidade bronquiolite respiratória em fumantes doenças infecciosas das vias aéreas (spread endobrônquica de tuberculose ou micobactérias não-tuberculosas, broncopneumonia) Pouco comum no carcinoma bronquíolo-alveolar, edema pulmonar, vasculites
  • Sarcoidose – predominio apical
  • Tuberculose miliarEstão relacionados a disseminação hematogênica
  • HCL – relação com tabagismoPredominio nos lobos superiores
  • Linhas B de Kerley
  • Pacientes suscetiveis associados a exposição de algum agente externo (infeccioso, organico ouinorganico)
  • Estagio I
  • Estagio II - Háumarelaçãoinversa entre ograu de acometimentopulmonare a adenopatia, observando-se umareduçãodaprimeiraquando a outraprevalece
  • Estagio III
  • Estagio IV – fibrose sever,alteracoescisticas e adenopatia
  • Doenças intersticiais

    1. 1. Doenças Intersticiais<br />Um começo<br />
    2. 2. Compartimentos intersticiais:<br />Interstício pulmonar é composto por 3 compartimentos de tecido conjuntivo interrelacionados: <br /><ul><li>Axial
    3. 3. Periférico
    4. 4. Septal</li></li></ul><li>
    5. 5. Distribuição das doenças:<br />É chave para a compreensão dos achados da TCAR.<br />Predominantemente central (axial) ou centrilobular:<br /><ul><li> Favorece os feixes broncovasculares e estruturas lobulares centrais. </li></ul>Achados são mais graves centralmente que perifericamente (Sarcoidose, Pneumonia de Hipersensibilidade, Bronquiolite)<br />
    6. 6. Distribuição das doenças:<br />Predominantemente periférica:<br /><ul><li> Favorece os compartimentos intralobular e periférico, poupando o compartimento axial até um estágio avançado da doença.</li></ul>Achados mais graves perifericamente (Fibrose Pulmonar Idiopática, Fibrose Relacionada a Drogas ou Doença do Colágeno)<br />
    7. 7. Distribuição das doenças:<br />Difusa:<br /><ul><li> Doença difusamente distribuída por todos os compartimentos (GranulomaEosinofílico, Linfangioleiomiomatose, Pneumoconioses, Linfangite Carcinomatosa)</li></li></ul><li>Padrões e DDX:<br />Existem 6 características primáriasà TCAR:<br />1- Espessamento de Septos Interlobulares<br />2- Opacidades Lineares Irregulares<br />3- Cistos Aéreos<br />4- Nódulos<br />5- Opacidade em Vidro Fosco<br />6- Consolidação<br />Linhas<br />Áreas de menor atenuação<br />Áreas de maior atenuação<br />
    8. 8.
    9. 9. Espessamento dos septos Interlobulares<br /><ul><li> Liso </li></ul> Edema Agudo de Pulmão<br /><ul><li> Irregular ou nodular </li></ul>Linfangite, sarcoidose<br />
    10. 10. Espessamento de Septos Interlobulares<br />(Linfangite Carcinomatosa)<br />
    11. 11.
    12. 12.
    13. 13.
    14. 14.
    15. 15. Opacidades Lineares irregulares<br />
    16. 16. Opacidade Lineares Irregulares:<br />DDX: <br /><ul><li> Fibrose pulmonar idiopática (FPI),
    17. 17. Pneumonia de hipersensibilidade crônica (PH),
    18. 18. Sarcoidose (Sar)
    19. 19. Asbestose (Asb).</li></ul>Distribuição:<br />Central –Sar e PH<br />Periferica– FPI e Asb<br />
    20. 20. Fibrose Pulmonar<br />Achados por Imagem<br /><ul><li> Raio – X – geralmente normal </li></ul>Avançada – redução volumétrica e opacidade reticulares subpleurais com gradiente de apresentação ápico-basais.<br /><ul><li> TCAR</li></ul> Redução volumétrica<br />Opacidades reticulares subpleurais<br />Faveolamento (macro)<br />Bronquiectasias de tração<br />Gradiente de envolvimento apico-basal<br />Heterogenicidade espacial e temporal de distribuição<br />
    21. 21. Achados por Imagem<br />
    22. 22.
    23. 23.
    24. 24.
    25. 25.
    26. 26. Padrão nodular<br />Distribuição<br />Centrolobular<br /><ul><li> Pneumonia de Hipersensibilidade
    27. 27. Bronquiolite
    28. 28. Disseminação endobronquica</li></ul>Peri-linfatica<br /><ul><li> Sarcoidose
    29. 29. Silicose
    30. 30. Linfangite</li></ul>Aleatória<br /><ul><li>Metastases (hematogênicas)
    31. 31. TB miliar</li></li></ul><li>Noduloscentrolobulares<br />Pneumoconiosedo trabalhador de carvao<br />
    32. 32. Nódulos centrilobulares<br />(Pneumonia de Hipersensibilidade)<br />
    33. 33. Arvore em brotamento<br />Disseminação endobrônquica<br />
    34. 34. Nodulosperilinfaticos<br />Sarcoidose<br />
    35. 35. Nodulosaleatorios<br />Tuberculose miliar<br />
    36. 36. Aumento da atenuaçao pulmonar<br />Opacidades em Vidro fosco<br />Consolidação<br />
    37. 37. Atenuação em vidro fosco<br />Pode ser resultado de alterações:<br />no espaço aereo<br /> no intersticio<br />Causas:<br /><ul><li> EAP
    38. 38. Hemorragia
    39. 39. Infecçoes
    40. 40. Proteinose alveolar
    41. 41. Pneumonias intersticiais</li></li></ul><li>Opacidades em Vidro Fosco<br />(Pneumonia Descamativa Intersticial)<br />
    42. 42. Opacidades em Vidro Fosco<br />(Pneumonia por Pneumocystiscarinii)<br />
    43. 43. Consolidação<br /> Preenchimento do espaço áereo apagando as estruturas vasculares<br />Causas<br /><ul><li>Edema: insuficiência cardíaca, SARA
    44. 44. Hemorragia: trauma
    45. 45. Pus: infecção (pneumonia)
    46. 46. Células: tumores
    47. 47. Lipoproteína: proteinose alveolar</li></li></ul><li>Consolidação<br />(Pneumonia Intersticial Aguda)<br />
    48. 48. Cistos Áereos – Areas de menor atenuação<br />Enfisema<br />Cistos pulmonares(LAM, LIP,Histiocitose de células de Langerhans)<br />Bronquiectasia<br />Faveolamento <br />
    49. 49. Enfisema Pulmonar<br />
    50. 50. Cistos Aéreos<br />(GranulomaEosinofílico ou Histiocitose Pulmonar de Células de Langerhans)<br />
    51. 51. Bronquiectasias<br />
    52. 52. Faveolamento<br />Pneumonia intersticial Usual<br />
    53. 53. Interpretaçao da TCAR<br />Qual O padrão dominante?<br /><ul><li> reticular
    54. 54. nodular
    55. 55. Aumento da atenuação
    56. 56. Redução da atenuaçao</li></ul>Localização no Lobo pulmonar secundário?<br /><ul><li>centrolobular
    57. 57. paraseptal
    58. 58. panlobular</li></ul>Existe um padrão de predominio?<br /><ul><li> central xperiferico
    59. 59. superiox inferior</li></ul>CORRELACIONAR COM A CLINICA<br />
    60. 60. FIM<br />
    61. 61. Espessamento dos septos interlobulares<br />Edema Pulmonar<br />Linfangite Carcinomatosa<br />Pneumonia intersticial linfocítica<br />Sarcoidose<br />Fibrose pulmonar<br />Silicose<br />
    62. 62. Espessamento dos septos interlobulares<br />Predomina:<br />Edema Pulmonar<br /><ul><li> Espessamento liso dos septos
    63. 63. Veias pulmonares dilatadas
    64. 64. Vidro fosco
    65. 65. Distribuição decúbito dependente</li></ul>Linfangite Carcinomatosa<br /><ul><li> Espessamento irregular ou nodular
    66. 66. Espessamento dos feixes broncovasculares
    67. 67. Distribuição não dependente do decúbito</li></li></ul><li>
    68. 68.
    69. 69. Pneumonia de Hipersensibil. Crônica (PH):<br />Muitas vezes os achados são iguais aos da FIP. <br />Dist. mais difusa + nódulos<br />
    70. 70.
    71. 71.
    72. 72. Sarcoidose<br />Definicao: doença granulomatosanao-caseosa que acomete um ou mais orgãos ainda com etiologia desconhecida, todavia aspectos inflamatorios auto-imunes e infecciosos podem estar associados. <br /><ul><li>Pulmão e o tecido linfático são os órgãos mais frequentemente acometidos
    73. 73. Pacientes jovens com 20 a 40 anos
    74. 74. O sintomas são leves ate a fase terminal
    75. 75. O diagnóstico muitas vezes e incidental</li></li></ul><li>Estágios da Sarcoidose<br /><ul><li> 0 –nao tem alteraçoes
    76. 76. 1 – adenopatia hilar e paratraqueal </li></ul>(ocorre em algum momento em ate 90% casos)<br /><ul><li> 2 – Adenopatia com envolvimento do parenquima</li></ul> Infiltrado reticular<br />reticulonodular<br />miliar<br />nodulosmaiores<br />Obs: sarcoidose alveolar?<br /><ul><li>3 – Envolvimento do parênquimasemadenopatia
    77. 77. 4 – Alteraçaofibrosaqueevoluiparainsuficiênciapulmonar</li></li></ul><li>
    78. 78.
    79. 79.
    80. 80.
    81. 81. Achados a TCAR:<br /><ul><li> pequenos nodulos (INCLUSIVE SUBPLEURAIS)
    82. 82. infiltrado peribronquiovascular e apicais
    83. 83. infiltrado reticular intraobular e subpleural</li></ul>Achados atípicos:<br /><ul><li> grandes nodulos
    84. 84. lesões cavitadas (degeneração isquêmica dos granulomas associados)</li></li></ul><li>
    85. 85.
    86. 86.
    87. 87. Asbestose:<br />Manifestações idênticas à FIP. Entretanto, asbestose deve ser suspeitada quando são vistas placas pleurais<br />

    ×