Tcar 2ª apresentação

  • 1,164 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
1,164
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
46
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. TCAR- OpacidadesParenquimatosas II Norberto Weber Werle Serviço de Radiologia do HUSM www.radiologiaufsm.com.br
  • 2. Doenças Caracterizadas por Opacificação do Parênquima• Pneumonite por Hipersensibilidade;• Doença Pulmonar Eosinofílica;• Bronquiolite Obliterante com PNM em Organização;• Pneumonia Intersticial Inespecífica;• Bronquiolite Respiratória e BR-Doença Pulmonar Intersticial;• Pneumonia Intersticial Descamativa;• Pneumonia Intersticial Aguda;• Proteinose Alveolar;• Pneumonia Lipóide; 1ª Aula• Pneumonia Difusa; 2ª Aula• Hemorragia Pulmonar Difusa;• Edema Pulmonar e SARA
  • 3. DIVISÃO DIDÁTICA BOOP, Pneumonia Eosinofílica Crônica e Pneumonia Bacteriana Pneumonite Por Hipersensibilidade, PID, BR- DPI, PIA, PII, Proteinose Alveolar, Pneumonias Difusas como Pneumocystis jiroveci. Edema Pulmonar, SARA, Doença Fúngica, Pneumonite por Irradiação, TB, Pneumonias Virais
  • 4. PNEUMONIA INTERSTICIAL DESCAMATIVA• Presença maciça de macrófagos no interior da via aérea;• 90% dos pacientes são fumantes;• Envolvimento difuso dos espaços aéreos, mas pode simular BR-DPI com predomínio peribronquiolar. 30-50 anos de idade Dispneia de esforço e tosse seca RX possui opacidades em VF em zonas pulmonares inferiores. 20% das PID confirmadas tem RX normal
  • 5. ACHADOS TCAR- PID• Opacidades em VF, esparsas, bilaterais, com fibrose mínima;• Predominância basal e subpleural;• Opacidades reticulares;• Faveolamento;• Associação com fumo, predispõe para enfisema centrolobular; O padrão relativamente análogo entre BR, BR-DPI e PID sugerem que essas entidades clinico-radiológicas integram diferentes espectros da mesma doença
  • 6. Homem, 39 anos, PID comprovada por biópsiaVF não está associado àatelectasias de decúbito
  • 7. Homem, 71 anos.Homem, 45 anos.
  • 8. ACHADOSHomem de 74 anos, dispneico.
  • 9. Pneumonia Intersticial Aguda SARA Idiopática• PIA é uma doença fulminante de etiologia desconhecida comum em pacientes previamente hígidos e caracterizada por dano alveolar difuso. Pródromos de IVAS, com dispnéia rapidamente progressiva e falência respiratória. VM em 2 semanas e morte em 6 meses, em média
  • 10. ACHADOS PATOLÓGICOS• Espessamento das paredes alveolares;• Células Infamatórias;• Proliferação de Fibroblastos;• Pouca deposição de colágeno;• Dano alveolar, com formação de membrana hialina;
  • 11. ACHADOS TCAR-INICIAL• Opacidades em Vidro Fosco bilaterais, esparsas e extensas (100% -Amostra 36); – Predominam em lobos superiores.• Consolidações do espaço aéreo difusas, sem distribuição específica (92%). – Predominam em lobos inferiores e regiões subpleurais; – Podem poupar determinadas áreas, conferindo aspecto geográfico. São as Bronquiectasias de Tração que eficazmente distinguem o padrão inical do tardio. Paciente sem VM raramente possui fibrose e bronquiectasias à TC.
  • 12. ACHADOS TCAR-TARDIO• Sopreposição dos achados de VF difuso e bilateral com consolidações esparsas, subpleurais e em porções inferiores;• Opacidades Reticulares;• Faveolamento (incomum) Geralmente envolvendo menos de 10% do parênquima;• Enfisema Centrolobular associado;• Espessamento dos septos interlobulares einterstício peribroncovascular.
  • 13. ACHADOSMulher com 70 anos. PIA com morte em 1 mês após o início da sintomatologia.
  • 14. PROTEINOSE ALVEOLARConceito: Doença caracterizada pelo preenchimento dos espaços aéreos por um material proteináceo rico em lipídios e positivo ao ácido periódico de Schiff. Poeiras Minerais Idiopática ou QTX Etiologia Imunodefi Neoplasia ciências H/L
  • 15. QUADRO CLÍNICO Predomina em Homens 4:1 Qualquer faixa etária, com predomínio dos 30-50 anos (67%) Tosse não-produtiva, evolução insidiosa, febre e dispneia aos esforços. Pacientes tem evoluído bem ao tratamento com LBA. Refratários, comumente evoluem bem à 2ª intervenção;
  • 16. RADIOGRAFIA CONVENCIONAL• Consolidação do espaço aéreo e/ou VF;• Raramente broncogramas aéreos;• Confluência peri-hilar, maldefinida, esparsa, se estendendo para as bases;• Discretas opacidades reticulares; Diagnóstico Diferencial com Edema de Pulmão. Não se visualizarão aqui derrame pleural e cardiomegalia.
  • 17. ACHADOS-RX
  • 18. RX- PROTEINOSE ALVEOLAR J. Res Med Sci. 2010 Mar-Apr; 15(2): 120–124.
  • 19. ACHADOS TC• Opacidades em VF bilaterais (96%) e difusas (76%);• Espessamento liso dos septos interlobulares da região do VF (94%);• Sobreposição destes achados (pavimentação em mosaico);• Consolidações com distribuição esparsas e geográficas; NÃO HÁ PREDOMINÂNCIA EM DETERMINADO CAMPO PULMONAR DAS ALTERAÇÕES ACIMA REFERIDAS
  • 20. TRÍADE DA PROTEINOSEQuadro EspessamentoClínico intersticial sobreposto DIAGNÓSTICO! Opacidades em VF/ Consolidações Bilterais
  • 21. ACHADOS Homem 51 anosHomem 44 anos
  • 22. ACHADOS- PA
  • 23. ACHADOS
  • 24. QUAL A UTILIDADE DA TCAR NA PA?• RX tem baixa acurácia diagnóstica;• Seleção das áreas eleitas para a efetivação do LBA seletivo;• Determinação de pneumonias associadas à PA;• Extensão das opacidades em VF é diretamente proporcional à dispnéia;• Determinação de infecção sobreposta comNocardia asteroides, MAC ou P. jiroveci.
  • 25. PNEUMONIA LIPÓIDE • A pneumonia lipóide exógena resulta da aspiração ou inalação crônica de gorduras, óleos vegatais ou animais e derivados do petróleo. • Gorduras são piores que óleos pois são hidrolisadas pelas lipases pulmonares »INFLAMAÇÃO E FIBROSE RELACIONADAS AOS AG! MUITO NOCIVO!
  • 26. ACHADOS RX• Destacam-se opacidades nos lobos inferiores ou massas mal definidas; Aspiração de Parafina
  • 27. ACHADOS TCAR• Consolidação do espaço aéreo, difusa, uni ou bilateral;• TC pode demonstrar consolidação de baixa atenuação (-35 a -75 UH) ou opacidades em VF. Aspiração Crônica de Óleo Mineral• Opacidades em VF ou pavimentação em mosaico;• Espessamento dos septos inter e intralobulares.• Predominância em lobos inferiores;
  • 28. ACHADOS• Como é comum inflamação e fibrose do parênquima a consolidação não precisa necessariamente ser de baixa densidade.• Devido à reação tecidual, a fibrose pode envolver a consolidação de baixa densidade; PEÇAM UMA TC PARA O DR. JESUS QUE ISSO É PNEUMONIA LIPÓIDE!
  • 29. ACHADOSHomem 70 anos, constipado crônico, tabagista. Em uso de óleo mineral Letters to the editor. Volume 44, Issue 01, January 2008
  • 30. ACHADOSHomem 66 anos, tosse crônica.
  • 31. ACHADOSLipoid pneumonia in a 52-year-old man with apersistent area of consolidation in the right lower lobethat was unresponsive to antibiotics FONTE: RadioGrafics
  • 32. PNEUMONIA DIFUSA• Em muitos casos o diagnóstico clínico e com o auxílio do RX é insuficiente.• Mais prevalente em imunodeprimidos com HIV/AIDS, pacientes portadores de neoplasias ou transplantados.• Muitos processos infecciosos, felizmente, tem aspectos distintos à TC;• Útil para avaliar resposta ao tratamento e afastar doenças infiltrativas não- infecciosas;
  • 33. SUBDIVISÕES Pneumonia por Pneumocystis jiroveci Pneumonia por Citomegalovírus Pneumonia porMicoplasma pneumoniae
  • 34. Pneumonia por P. jiroveci• Infeccção oportunística mais comum no HIV;• 60% dos HIV a apresentam no curso da doença, mesmo após a descoberta da terapia profilática;• Incidência em pacietes HIV – está aumentando, com índice de mortalidade de 50%;Diagnóstico: Isolamento no LBA ou escarro induzido  50 a 90% dos casos
  • 35. ACHADOS RX• Infiltrado intersticial bilateral difuso ou infiltrado alveolar ou sobreposição destes (85%);• 15%  RX normal;• Opacidades reticulares ou nodulares finas ou médias ou consolidação maldefinida; PADRÃO MAIS COMUMAchados Atípicos: Infiltrados assimétricos, nodulares, doença apical, pneumonia lobular, nódulos cavitários e cistos, nódulos miliares, linfonodomegalias, pneumotórax, e derrames;
  • 36. RX- Pneumocistose Febre baixa e tosse seca Achado evoluindo paraindireto de insuficiência cisto respiratória esubpleural baixa saturação
  • 37. ACHADOS TCAR• Opacidades em VF difusas e esparsas bilaterais (92%);• Consolidação (38%);• Cistos septados ou cavidades de paredes finas e irregulares (33%); Pode resultar em pneumotórax• Opacidades centrolobulares;• Espessamento dos Septos Interlobulares; Resolução• Grandes ou Pequenos Nódulos (25%);• Distribuição principal peri-hilar, central ou lobos superiores;• Bronquiectasias ou Bronquioloectasias;• Derrame Pleural (17%) e linfonodomegalias (25%)
  • 38. EVOLUÇÃO RESIDUAL SUBAGUDA AGUDA Ausência de VF e Septos Interlobulares consolidações.VF ou Consolidações, Espessados e Linhas refletindo exsudato Presença de Intralobulares dentro da via aérea bronquiectasias e sobrepostas ao VF; raramente fibrose;
  • 39. COMO DISTINGUIR CISTOS EM HIV/USUÁRIO DE DROGA • Se predominantemente periférico, poupando regiões peri-hilares e centrais PROVALMENTE RELACIONADO A DROGA• Se difuso Relacionado à pneumocistose Ressalta-se que os cistos pleurais comumente tem ligação pleural, resultando em pneumotórax.
  • 40. ACHADOS INCOMUNS• Esporadicamente a pneumocistose pode se apresentar como consolidação isolada, periférica, devendo ser afastados os diagnósticos de pneumonia redonda e carcinoma broncogênico.• Pequeno grupo de pacientes tem curso mais indolente, com pneumocistose crônica, em que predominam achados de fibrose.• Padrão de micronódulos pode confundir com sar-Coidose.
  • 41. ACHADOS
  • 42. ACHADOS
  • 43. ACHADOS
  • 44. UTILIDADE TCAR• 102 pacientes com HIV com complicações intratorácicas;• 20 pacientes com HIV sem doença intratorácica;RADIOLOGISTA 1 19 dos normais foram laudados como normais; 102 dos alterados foram corretamente visualizados (100%);RADIOLOGISTA 2 18 dos normais foram laudados como normais; 101 dos alterados foram corretamente visualizados;
  • 45. UTILIDADE DA TCAR• 34 % dos pacientes possuíam pneumocistose. Diagnóstico correto em 94% das vezes.• 6% de falso positivo foi devido à problemas técnicos de aquisição, simulando VF;• TCAR é muito útil frente a um paciente com RX inconclusivo e clínica aparente.
  • 46. Pneumonia por Citomegalovírus• Comum em imunocomprometidos pós-transplante;• Pacientes de maior risco são os que tem doença enxerto versus hospedeiro.• Infecção por CMV compromete a célula T e é mais prevalente em tranplante alogênio de medula óssea e renal;• Raramente CMV causa doença em pacientesHIV/AIDS, apesar de ser comumente isolado nosfluidos corporais;• Com o advento da profilaxia pra P. jiroveci, a Pneumonia por CMV vem crescendo.
  • 47. ACHADOS TCAR• Consolidações difusas ou esparsas;• Opacidades em VF;• Pequenas opacidades nodulares centrolobulares;• Espessamento das paredes brônquicas;• Derrame pleural;• Combinação de consolidação e opacidades reticulares;• VF centrolobular comumente é achado precoce;• Analogamente à Pneumocistose, achados de espessamento reticular sugerem convalescença
  • 48. ACHADOS
  • 49. ACHADOS
  • 50. ACHADOSCase courtesy of our radiology website partner, RiT
  • 51. CASOCMV pneumonia in a 49-year-old man, 106 days after HCT due toacute myeloid leukaemia. He suffered from constant fever for 2 days,despite antibiotic therapy
  • 52. Pneumonia por Mycoplasma pneumoniae• Subtipo muito comum de PAC;• 30% do total de PAC’s; Quadro de febre, tosse, fadiga, astenia, mialgia. Caracteriza-se por bronquiolite celular aguda que pode evoluir para broncopneumonia. RX é inespecífico, apresentando infiltrado intersticial reticular, consolidações, opacidades nodulares e espessamento das paredes brônquicas
  • 53. ACHADOS TCAR• Opacidades em VF (85%);• Consolidações do Espaço aéreo (79%);• Nódulos com predominância centrolobular (86%);• Espessamento das bainhas broncovasculares (82%); ACHADO CONJUNTO DE BRONQUIOLITE• Perfusão em mosaico;• Aprisionamento aéreo;• Nódulos centrolobulares;• VF;• Consolidação;
  • 54. ACHADOSFONTE: ARSS
  • 55. ACHADOSFONTE: BioMedIX
  • 56. ACHADOS RESIDUAIS• Principalmente em pacientes jovens ou aqueles que tinham altos índices de anticorpos durante a pneumonia; Até 37% das crianças;• Obstrução de pequenas vias aéreas;• Perfusão em mosaico;• Bronquiectasias;• Espessamento de paredes brônquicas;• Vascularização diminuída;• Aprisionamento aéreo.
  • 57. HEMORRAGIA PULMONAR DIFUSA• Múltiplos diferentes diagnósticos podem culminar neste achado;• Muitos pacientes com hemorragia que resulta em anemia não possuem hemoptise significativa;RX convencional é de pouca valia nesta determinação diagnóstica!
  • 58. ACHADOS TCAR• Opacidades em VF, esparsa ou difusa, consolidação ou ambas;• Nódulos centrolobulares mal-definidos;• Espessamento dos septos interlobulares que se desenvolve após dias do início da sintomatologia; Hemossiderina + Macrófagos• Associação dos dois primeiros achados com pavimentação em mosaico.
  • 59. ACHADOS FONTE:Radiopédia
  • 60. ACHADOSFONTE: Medscape
  • 61. ACHADOSFONTE: ImagingConsult
  • 62. DIAGNÓSTICOS DIFERENCIAS HEMORRAGIA PULMONAR FOCAL • Bronquiectasias, bronquite crônica, infeccção ativa por M.tuberculosis, neoplasia ou TEP. SÍNDROME DE GOODPASTURE • Doença da membrana basal antiglomerular; DOENÇAS COLÁGENO VASCULARES • Wegener, LES
  • 63. SÍNDROME DE GOODPASTURE• Mais comum em homens jovens; Tosse, hemoptise branda, dispneia, fraqueza, anemia, hematúria, proteinúria e insuficiência renal! RX pode ser normal, mas frequentemente opacidades em VF ou consolidações simétricas e bilaterais peri-hilares são visíveis.
  • 64. RXFONTE: ImagingConsult
  • 65. TCAR• Mostra melhor os achados de VF e consolidação;• Mesmo em RX com anormalidades muito tênues, a TCAR é bastante útil.
  • 66. ACHADOSFONTE: ImagingConsult
  • 67. HEMOSSIDEROSE PULMONAR IDIOPÁTICA• Etiologia desconhecida, caracterizada por surtos de hemorragia pulmonar NÃO associados à glomerulonefrite ou anormalidade sorológica;• Algumas vezes associada com a doença celíca e gamopatia IgA;• Sintomas incluem tosse, dispneia, hemoptise e anemia preferencialmente nos surtos; Pode ter mais fibrose OS ACHADOS DE IMAGEM SÃO IGUAIS À GOODPASTURE
  • 68. Mulher de 34 anos, com intolerância à lactose e dispneia.FONTE: RadioGraphics
  • 69. ACHADOSHomem, 40 anos.FONTE: RadioGrafhics
  • 70. DOENÇAS COLÁGENO- VASCULARES LESGranulomatose de Wegener
  • 71. EDEMA PULMONAR E SARA• Geralmente no edema cardiogênico ou por aumento da permeabilidade o diagnóstico se restringe ao RX, contudo conhecer a TCAR é importante.CLASSIFICAÇÃO• Edema hidrostático;• Edema por aumento da permeabilidade com DAD;• Edema sem DAD;• Edema Misto;
  • 72. Edema Pulmonar HidrostáticoCAUSAS:• Hipertensão Venosa Pulmonar;• Diminuição da Pressão Oncótica;ACHADOS• Espessamentos septais e Opacidades emVF;• Peri-hilar ou gravitacional;• Opacidades centrolobulares e perivasculares lisas;• Asa de morcego é mais comum quanto mais agudo for o processo.• Derrame pleural e espessamentos peribroncovasculares;
  • 73. ACHADOS FONTE: ImagingConsult
  • 74. ACHADOSHomem, 79 anos, ortopnéiaFONTE: RadioGraphics
  • 75. Edema por Aumento daPermeabilidade com DAD e SARASARA Início Agudo Pa02/Fi02 < 200 mmHg Anormalidades Radiográficas bilaterais características Pressão Artéria Pulmonar normal Ausência de aumento da Pressão do AE;Etiologia Infecção Inalação de gases tóxicos; Trauma, aspiração de ácido gástrico; Sepse, choque e embolia gordurosa;
  • 76. ACHADOSRX Opacidades alveolares múltiplas, difusas que podem coalescer.TCAR VF ou consolidação; Gravidade-Dependente (86%); As opacidades podem ser difusas e/ou centrolobulares; Geralmente o espessamento interlobular é menor que no edema hidrostático. Broncograma Aéreo (89%); Cicatrização com fibrose;
  • 77. ACHADOSHomem, 61 anos, TB miliar com SARA FONTE: AJR
  • 78. ACHADOSHomem, 57 anos, sepse pós colocação de prótese em joelho
  • 79. Edema por Aumento da Permeabilidade sem DADEtiologia Reação a drogas; Interleucina-2; Reação transfusional; Síndrome do Choque tóxico; Embolia aérea; OS ACHADOS SÃO ANÁLOGOS AO DO EDEMA HIDROSTÁTICO
  • 80. e o subtipo MISTO?ETIOLOGIAAumento da pressão intravascular e injúria endotelial QUANDO EU DEVO PENSAR EM ETIOLOGIA MISTA? Edema em grandes altitudes; Edema neurogênico; Edema por referfusão, reexpansão ou pós-transplante Edema pós-pneumectomia;
  • 81. FIM DA PARTE 1
  • 82. FIM