Monitoria revisão radio
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Monitoria revisão radio

on

  • 5,017 views

 

Statistics

Views

Total Views
5,017
Views on SlideShare
5,017
Embed Views
0

Actions

Likes
4
Downloads
136
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Monitoria revisão radio Monitoria revisão radio Presentation Transcript

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIADIAGNÓSTICO POR IMAGEMREVISÃOProf. Md. Carlos Jesus Pereira HaygertMonitor: Norberto Weber Werle
  • Sumário Radiografia Tomografia Ultrassonografia Ressonância magnéticaMétodos: utilidades, vantagens e desvantagens
  • Radiografia Fonte geradora Tubo Cátodo (-) Ânodo (+) View slide
  • Radiografia Distância mínima entre fonte e objeto : 1,5m (ideal 1,8m) Efeito determinístico; Efeito estocástico; View slide
  • Radiografia TERMOS: Radiotransparência ou hipoatenuante; Radiopacidade ou hiperatenuante;
  • Radiografia Inspiração correta: Centralização: Penetração adequada(Regime);
  • RadiografiaPenetração adequada Penetração inadequada
  • Radiografia Incidências de rotina no tórax:PA (frontal)Perfil esquerdo(látero-lateral)
  • Radiografia Outras incidênciasAP: quando o paciente não consegue sair do leito;LaurellOblíqua
  • Radioagrafiaem AP
  •  Perfil  não se visualiza a linha associada ao AD LEMBRE: No PA não se vê topografia de VD
  • Radiografia Principais utilidades:  Seios da face  Tórax  Abdome  Pelve  Ossos  Exames contrastados (ex.: esôfago) PADRÃO OURO PARA LESÃO ÓSSEA;
  • Radiografia Mamografia Uretrocistografia Dacriocistografia
  • Radiografia Mediastino Pulmões Diafragma Recesso costo-frênico Pleuras Costelas, partes moles (mamas) e outros ossos;
  • Mediastino
  • Mediastino• 1: vasos braquiocefálicos direitos.• 2: aorta ascendente e veia cava superior superpostas.• 3: átrio direito.• 4: veia cava inferior.• 5: vasos braquiocefálicos esquerdos.• 6: arco aórtico.• 7: tronco pulmonar.• 8: apêndice atrial esquerdo.• 9: ventrículo esquerdo
  • LIMITE SUPERIOR:Classificação 1 Articulação Manubrioesternal- T4
  • ANATOMIA MEDIASTINAL-RX
  • MEDIASTINO  Anterior  1.Artéria nominada Tortuosa, Aumento dos linfonodos, bócio retroesternal e deposição de gordura  2. Aumento dos linfonodos, aneurisma de aorta ascendente, timoma, tumor teratodermóide  3. Coxim gorduroso epicárdico, abaulamento diafragmático, cisto peluroepicárdico  Média  4. Aumento dos linfonodos, aneurisma de arco aórtico, artéria pulmonar aumentada, dilatação da veia cava superior, cisto broncogênico  Posterior  5. Tumor Neurogênico, recesso faringoesofágico  6. Hérnia de Hiato, aneurisma de aorta ascendente, dilatação esofagiana, dilatação da veia ázigos  7. Tumor neurogênico, massa paravertebral
  • Mediastino Anterior Timoma. Além dele, devemos considerar teratomas, bócio mergulhante(tireóide),(“terrível”)linfomas, cistos pericárdicos, hérnia de Morgani em mediastino anterior.
  • LINFOMAS H H (20 a 40%) X NH; ESTADIAMENTO 1,2,3,4 LOBULAÇÕES AO RX- linfonodos são afetados; 67 % apresentação inicial acometimento IT; Bimodal; Pode ter sinais indiretos como derrame pleural, erosão mediastinal e consolidações;
  • LINFOMA HODGKINLINFOMA DE HODGKINMassa com borda lobulada em Massa de partes moles no Deslocamento posterior da mediastino anterior com áreas demediastino anterior. LN mediastinais traquéia pelo tumore hilares; baixa atenuação
  • LINFOMA NÃO HODGKIN Idade média 55 anos; Geralmente massa conglomerada; Sem estadiamento Geralmente avançada Prevalente na infância; 43% apresentação inicial intratorácica
  • LINFOMA NÃO HODGKIN LINFOMA NÃO HODGKIN DIFUSO, DE GRANDES CÉLULAS TIPO B
  • Maligno parecido com teratoma benigno;TERATOMA diferenças: contorno mais lobulado; raramente tem calcificações; nunca tem densidade de gordura GRANDE MASSA CÍSTICA E SÓLIDA, COM GORDURA, LÍQUIDO E CALCIFICAÇÕES NO SEU INTERIOR. DESVIO DO MEDIASTINO PARA ESQUERDA. A MASSA ENVOLVE MEDIASTINO ANTERIOR, MÉDIO E POSTERIOR.
  • TIMOMA PEQUENA MASSA MEDIASTINAL ANTERIOR 50-60 anos; Neoplasia mediastino anterior mais comum; 30 % malignos Podem dar MASSA ARREDONDADA, síndrome BEM DELIMITADA, EM compressiva; CONTATO COM A AORTA ASCENDENTE, COM REALCE PELO CONTRASTE. ÁREA FOCAL DE HIPODENSIDADE NA LATERAL DIREITA.
  • BÓCIO MULTINODULAR 75% no mediastino anterior, podendo gerar compressões; RX imagens lobuladas anteriores ou laterais à traquéia TC com calcificações e mais e 100 UH pré- contraste. Impregna bastante e por período longo pós-contraste
  • BÓCIO
  • CARCINOMA DE TIREOIDE MASSA, DESVIO DA TRAQUÉIA E MX PULMONARES
  • Mediastino Quando houver anormalidades em mediastino médio, considere incluir no diagnóstico diferencial doenças do esôfago, massas linfonodais (ex.:linfomas), hérnias do TGI e alterações dos grandes vasos. No caso à direita, foi diagnosticado aneurisma de aorta ascendente e torácica.
  • MEDIASTINO MÉDIO RadioGraphics 2007; 27:657–671
  • MediastinoEm se tratando de mediastino posterior, os diagnósticos de abscessos paravertebrais e tumores de origem neural devem ser incluídos. O caso exibido é de um ganglioneuroma.
  • MEDIASTINO POSTERIOR RadioGraphics 2007; 27:657–671
  • TRAQUÉIA
  • PATOLOGIAS TRAQUEAIS Amiloidose Traqueobrônquica; Policondrite Traqueobroncopatia Osteocondroplásica;
  • Pulmões Padrão acinar - consolidação Padrão intersticial Atelectasia Enfisema/asma Cisto/ cavidade/ bolha Massa/ nódulo
  • Pulmões – padrão acinar O Sinal do broncograma áereo é característicodas opacidadesde padrão acinar.
  • Radiografia Consolidação pulmonar: Substituição do ar alveolar por material infeccioso, líquido, sangue, células neoplásicas... Forma repentina (horas a dias): hemorragia pulmonar (trauma, vasculites), pneumonia (febre e tosse produtiva), edema pulmonar (cardiogênico e não cardiogênico);
  • Pulmões – padrão acinar Neoplasias também podem apresentar padrão alveolar. À esquerda, carcinoma bronquíolo- alveolar. À direita, adenocarcinoma pulmonar.
  • Pulmões – padrão intersticialPadrão micronodular Padrão reticular Padrão reticulonodular .
  • Pulmões - Atelectasia,Achados Diretos• Perda da aeração pulmonar, com redução da transparência do segmento oudo lobo colabado.• Aproximação dos vasos pulmonares e dos brônquios no local da atelectasia. FissurasAchados Indiretos• Elevação da cúpula diafragmática ipsilateral: este sinal ocorre principalmente na atelectasia dos lobos inferiores.• Desvio das estruturas mediastinais para o lado da atelectasia. .• Aproximação das costelas do lado da atelectasia.• Hiperinsuflação compensatória de outros lobos pulmonares.• Deslocamento hilar para a região da atelectasia.
  • ATELECTASIA
  • Pulmões - enfisemaACHADOS:Aumento variável do volume pulmonar, rebaixamento e retificação do diafragmanas radiografias em PA, achatamento do contorno do diafragma no perfil,hipertransparência generalizada ou irregular.
  • Cisto/ cavidade/ bolha/ nódulo/massa + de 3 cm
  • Diafragma / recesso costo-frênico Anatomias diafragmática e pleural normais
  • PleurasDerrames pleurais, loculado (E) e livre (D, com sinal do menisco).
  • Costelas, partes moles e outros ossosCONTAGENS NORMAIS:costela anterior=das costelas. Múltiplas fraturas de arcos costais Avaliação 5-7costela posterior= 9-11
  • CONTANDO COSTELAS
  • PNEUMOTÓRAX Achados: Presença de espaço aéreo radiotransparente separando as pleuras parietal e visceral; os vasos estendem-se até a margem da pleura visceral, mas não além dela; no RX em expiração há aumento da área correspondente ao pneumotórax; pode ocorrer desvio do mediastino para o lado oposto. Principal entidade clínica que RX expiração é indicado. DBPOC não!
  • Radiografia Imagem de aumento da transparência: Bolha, enfisema, pneumotórax...Imagem de redução da transparência:Consolidação, derrame pleural, atelectasia...
  • Radiografia Deslocamentos mediastinais : Atelectasias, pneumotórax hipertensivo, fibrotórax; IPSILATERAL OU CONTRALATERAL?
  • Radiografia Sinal de Westermark (tromboembolismo pulmonar) Hipotransparência! Sinal S de Golden CA BA ou metastático Sinal da silhueta: à direita: à esquerda: Diafragma: Sinal S de ouro (Golden S sign) – indica colapso lobar (lobo sup.dir.) com uma massa central, sugerindo um carcinoma broncogênico obstrutivo em um adulto.
  • SINAL S DE GOLDEN
  • Radiografia Imagem cardíaca difusamente aumentada no RX: aumento da sombra cardíaca;
  • Radiografia Divisões lobos:Superior direito: apical, anterior, posterior;Superior esquerdo: apical, anterior, posterior, superior, inferior
  • Radiografia DIGITAL 1º) Facilidade de exibição da imagem 2º) Redução da dose de raios-X 3º) Facilidade de processamento de imagem 4º) Facilidade de aquisição, armazenamento e recuperação da imagem – Armazenamento em bases de dados eletrônicas, facilitando a pesquisa de dados e a transmissão para longas distâncias, usando redes de comunicações de dados
  • Tomografia Tomo = secção Termo a ser utilizado = DENSIDADE Unidade Hounsifield: usada para medir densidade; Lóbulo pulmonar secundário
  • O QUE É LOBO PULMONAR SECUNDÁRIO? Porção menor de um pulmão circundada por tecido conjuntivo; Bem analisado na TCAR; Sede de muitas patologias intersticiais, tendo em vista o acomentimento subpleural, intra, interlobular e centrolobular.
  • TECIDO UNIDADES (HU)Ar -1000Pulmão -900 a -400Gordura -110 a -65Água 0Líquor 0 a 10Sangue normal 35 a 55Sangue coagulado 80Músculo 40 a 60Fígado 50 a 85Ossos 130 a 2.000
  • Tomografia Computadorizada Vantagens:
  • Tomografia Computadorizada  Desvantagens:  Maior quantidade de radiação ionizante;  Maior número de artefatos na imagem (metais);  Método mais caro que radiografia e ultrassom;  Alguns pacientes não podem utilizar contraste;PACIENTES ALÉRGICOS AO CONTRASTE IODADOPACIENTES COM INSUFICIÊNCIA RENAL (CR>1,3)PACIENTES EM USO DE METFORMINA, INTERFERON EINTERLEUCINA IIPACIENTES COM MIELOMA MÚLTIPLO
  • Tomografia Computadorizada Principais utilidades:  Crânio e SNC (AVE e trauma)  Coluna (doenças degenerativas, trauma)  Tórax (doenças pulmonares, focais e/ou difusas)  TCAR (TC de Alta Resolução)  Abdome (massas abdominais, trauma, entre outros)  Estadiamento de tumores
  • Tomografia computadorizada Padrão de vidro fosco; Consolidação; Padrão Intersticial; Atelectasia; Pneumotórax; Derrame pleural...
  • PADRÃO INTERSTICIAL Múltiplos subtipos diferentes de acometimento de acordo com a porção intersticial acometida;
  • CLÁSSICAS Silicose- difusa; Asbestose- tende a formar placas pleurais calcificadas ou não; Sarcoidose- padrão reticulonodular, com nódulos cisurais ( rosário); Pneumocistose- difusa- Usualmente vidro fosco;
  • E O SINAL DA ÁRVORE EM BROTAMENTO?IMPACTAÇÃO DE SECREÇÃO EM PEQUENA VIA AÉREA Pode ser infecciosa?
  • DOENÇAS QUE CURSAM COM CISTIFICAÇÕES LLM PIL HL
  • FAVEOLAMENTO Indica fibrose pulmonar com retração compensatória do parênquima adjancente; Múltiplas causas, de acordo com o padrão de acometimento; Boa indicação para TCAR;
  • FAVEOLAMENTO
  • BRONQUIETASIAS Lembre do sinal de anel de sinete! Pode ser cilídrica, varicosa ou cística!
  • US Espectro de ondas acima da faixa do som audível; O aparelho possui um transdutor especial, com propriedades piezoelétricas que, quando submetidas a corrente elétrica alternada, vibram, produzindo o ultrassom; Onda sonora
  •  Exame dinâmico, rápido, de baixo custo, não tem radiação; Impedância acústica; Paciente com distensão abdominal? Tórax? O que é US FAST?
  • US Anecóica:. Hipoecóica: Hiperecóica:
  • Ultrassonografia Principais utilidades:  SNC em crianças (transfontanelar)  Estudo da retina  Ecocardiografia (estrutura e função cardíaca)  Abdome (fígado, baço, pâncreas, rins, vasos)  Mama, tireóide, glândulas salivares, testículos  Sistema musculoesquelético  Pesquisa de líquido em cavidades
  •  Quanto mais profundo o órgão a ser analisado, menor deve ser a frequencia, pois o comprimento de onda será maior; Vantagem: permite a realização de biópsias;
  • Ressonância magnética Baseia-se no comportamento dos prótons de hidrogênio (H+), que é o mais abundante do corpo humano (70% de água); Campo constante; Intensidade/sinal T1= brilha gordura T2= brilha líquido
  • Ressonância Magnética O contraste: gadolíneo O uso é amplo (como na TC). Situações especiais:  Gravidez (utilizado)  Alergia conhecida ao iodo (TC)  Marca-passo cardíaco e próteses metálicas de forma geral (contra-indicado)
  • Ressonância Magnética Melhor detalhamento do SNC Vantagens: Desvantagens:
  • Exemplo de uso de termos:Uma imagem mais branca: No US : Hiperecóico Na RM: Hiperssinal Na TC: Hiperdenso No RX: Radiopaco.
  •  Contrastes RX: bário (TGI) US: contraste de microbolhas TC: Iodo RM: gadolíneo
  • Medicina nuclear – cintilografia
  • FIM DA PARTE 1
  • Boa prova!!! 