Your SlideShare is downloading. ×
383 an 12 junho_2012.ok
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

383 an 12 junho_2012.ok

176
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
176
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. AGRISSÊNIOR NOTÍCIAS Pasquim informativo virtual. Opiniões, humor e mensagens.EDITORES:EDITORES: Luiz Ferreira da Silva luizferreira1937@gmail.com)(luizferreira1937@gmail.com) e (jefcdias@gmail.com jefcdias@gmail.com)Jefferson Dias (jefcdias@gmail.com)Edição 383 – ANO VIII Nº 42 – 12 de junho de 20122011 FAMILIA (Trechos do livro "O Arroz de Palma" de Francisco Azevedo)"Família é prato difícil de preparar. São muitos medido. Outra coisa: é preciso ter boa mão,ingredientes. Reunir todos é um problema. ser profissional. Principalmente na hora queNão é para qualquer um. Os truques, os se decide meter a colher. Saber meter asegredos, o imprevisível. Às vezes, dá até colher é verdadeira arte. Uma grande amigavontade de desistir Mas a vida sempre arruma minha desandou a receita de toda a família,um jeito de nos entusiasmar e abrir o apetite. só porque meteu a colher na hora errada. OO tempo põe a mesa, determina o número de pior é que ainda tem gente que acredita nacadeiras e os lugares. Súbito, feito milagre, a receita da família perfeita. Bobagem. Tudofamília está servida. Fulana sai a mais ilusão. Não existe Família à Oswaldo Aranha;inteligente de todas. Beltrano veio no ponto, é Família à Rossini, Família à Belle Meunière;o mais brincalhão e comunicativo, Família ao Molho Pardo (em que o sangue éunanimidade. Sicrano, quem diria? Solou, fundamental para o preparo da iguaria).endureceu, murchou antes do tempo. Este é o Família é afinidade, é à Moda da Casa. Emais gordo, generoso, farto, abundante. cada casa gosta de preparar a família a seuAquele, o que surpreendeu e foi morar longe. jeito. Há famílias doces. Outras, meioEla, a mais apaixonada. A outra, a mais amargas. Outras apimentadíssimas. Háconsistente...Já estão aí? Todos? Ótimo. também as que não têm gosto de nada, seriaAgora, ponha o avental, pegue a tábua, a faca assim um tipo de Família Dieta, que vocêmais afiada e tome alguns cuidados. Logo, suporta só para manter a linha. Seja como for,logo, você também estará cheirando a alho e família é prato que deve ser servido semprecebola. Não se envergonhe de chorar. Família quente, quentíssimo. Uma família fria éé prato que emociona. E a gente chora insuportável, impossível de se engolir.mesmo. De alegria, de raiva ou de tristeza. Enfim, receita de família não se copia, sePrimeiro cuidado: temperos exóticos alteram o inventa. A gente vai aprendendo aos poucos,sabor do parentesco. Mas, se misturadas com improvisando e transmitindo o que sabe nodelicadeza, estas especiarias, que quase dia a dia. A gente cata um registro ali, desempre vêm da África e do Oriente e nos alguém que sabe e conta, e outro aqui, queparecem estranhas ao paladar tornam a ficou no pedaço de papel. Muita coisa sefamília muito mais colorida, interessante e perde na lembrança. Principalmente nasaborosa. Atenção também com os pesos e cabeça de um velho já meio caduco como eu.as medidas. Uma pitada a mais disso ou O que este veterano cozinheiro pode dizer édaquilo e, pronto: é um verdadeiro desastre. que, por mais sem graça, por pior que seja oFamília é prato extremamente sensível. Tudo paladar, família é prato que você tem quetem de ser muito bem pesado, muito bem experimentar e comer. Se puder saborear,
  • 2. saboreie. Não ligue para etiquetas. Passe o Aproveite ao máximo. Família é prato que,pão naquele molhinho que ficou na porcelana, quando se acaba, nunca mais sena louça, no alumínio ou no barro. repete.(Enviada por Alício Rocha) UTILIDADES QUE ESTÃO ESCONDIDAS EM SEU CELULAR:Três (3) coisas que você nunca soube sobre Seu celular irá acionar a reserva e você teráseu celular. Será útil manter essas de volta 50% de sua bateria. Essa reservainformações com você. Existem algumas será recarregada na próxima vez que vocêcoisas que podem ser feitas em caso de carregar a bateria.emergência. Seu celular é uma ferramenta Emergência III:que pode salvar sua vida. Veja o que ele pode Para conhecer o número de série do seufazer por você: celular, pressione os seguintes.Emergência I: dígitos: *#06#O número universal de emergência para Um código de 15 dígitos aparecerá, é o IMEI.celular é 112. Se você estiver fora da área de Este número é único. Anote e guarde emcobertura de sua operadora e tiver alguma algum lugar seguro. Se seu celular foremergência, disque 112 e o celular irá roubado, ligue para sua operadora e dê esseprocurar conexão com qualquer operadora código. Assim eles conseguirão bloquear seupossível para enviar o número de emergência celular e o ladrão não irá usá-lo de formapara você, e o mais interessante é que o alguma. Talvez você fique sem o seu celular,número 112 pode ser digitado mesmo se o mas pelo menos saberá que ninguém maisteclado estiver travado. Experimente! poderá usá-lo. Se todos fizerem isso, nãoEmergência II: haverá mais roubos de celular.Vamos imaginar que a bateria do seu celular esteja (Enviada por João Edvaldo).fraca. Para ativar, pressione as teclas: *3370# O CONTRADITÓRIO AQUECIMENTO GLOBAL Teor do documento assinado por cientistas geólogos, geógrafos, climatologistas, físicos, meteorologistas, engenheiros, à Presidenta do Brasil.Em uma recente reunião do Fórum Brasileiro inclusive a brasileira. Por isso, apresentamos-de Mudanças Climáticas, a senhora afirmou lhe as considerações a seguir.que a fantasia não tem lugar nas discussões 1) Não há evidências físicas da influênciasobre um novo paradigma de crescimento - humana no clima global:do qual a humanidade necessita, com A despeito de todo o sensacionalismo aurgência, para proporcionar a extensão dos respeito, não existe qualquer evidência físicabenefícios do conhecimento a todas as observada no mundo real que permitasociedades do planeta. Na mesma ocasião, a demonstrar que as mudanças climáticassenhora assinalou que o debate sobre o globais, ocorridas desde a revolução industrialdesenvolvimento sustentado precisa ser do século XVIII, sejam anômalas em relação àspautado pelo direito dos povos ao progresso, ocorridas anteriormente, no passado histórico ecom o devido fundamento científico. geológico - anomalias que, se ocorressem,Assim sendo, permita-nos complementar tais caracterizariam a influência humana.formulações, destacando o fato de que as Todos os prognósticos que indicam elevaçõesdiscussões sobre o tema central da agenda exageradas das temperaturas e dos níveis doambiental, as mudanças climáticas, têm sido mar, nas décadas vindouras, além de outrospautadas, predominantemente, por efeitos negativos atribuídos ao lançamento demotivações ideológicas, políticas, acadêmicas compostos de carbono de origem humanae econômicas restritas. Isto as tem afastado, (antropogênicos) na atmosfera, baseiam-se emnão apenas dos princípios basilares da prática projeções de modelos matemáticos, quecientífica, como também dos interesses constituem apenas simplificações limitadas domaiores das sociedades de todo o mundo, sistema climático - e, portanto, não deveriam
  • 3. ser usados para fundamentar políticas públicas populações que habitavam as margense estratégias de longo alcance e com grandes continentais. No período entre 14.650 eimpactos socioeconômicos de âmbito global. 14.300 anos atrás, a elevação foi ainda maisA influência humana no clima restringe-se às rápida, atingindo cerca de 14 metros em apenascidades e seus entornos, em situações 350 anos - equivalente a 4 m por século.específicas de calmarias, sendo estes efeitos Por conseguinte, as variações observadas nobastante conhecidos, mas sem influência em período da industrialização se enquadram,escala planetária. com muita folga, dentro da faixa de oscilaçõesPara que a ação humana no clima global naturais do clima e, portanto, não podem serficasse demonstrada, seria preciso que, nos atribuídas ao uso dos combustíveis fósseis ouúltimos dois séculos, estivessem ocorrendo a qualquer outro tipo de atividade vinculadaníveis inusitadamente altos de temperaturas e ao desenvolvimento humano.níveis do mar e, principalmente, que as suas Tais dados representam apenas uma ínfimataxas de variação (gradientes) fossem fração das evidências proporcionadas por,superiores às verificadas anteriormente. literalmente, milhares de estudos realizadosO relatório de 2007 do Painel em todos os continentes, por cientistas deIntergovernamental de Mudanças Climáticas dezenas de países, devidamente publicados(IPCC) registra que, no período 1850-2000, as na literatura científica internacional.temperaturas aumentaram 0,74° e que, entre C, Desafortunadamente, é raro que algum destes1870 e 2000, os níveis do mar subiram 0,2 m. estudos ganhe repercussão na mídia, quaseOra, ao longo do Holoceno, a época geológica sempre mais inclinada à promoção de umcorrespondente aos últimos 12.000 anos em alarmismo sensacionalista e desorientador.que a civilização tem existido, houve diversos 2) A hipótese "antropogênica" é umperíodos com temperaturas mais altas que as desserviço à ciência:atuais. No Holoceno Médio, há 5.000-6.000 A boa prática científica pressupõe a buscaanos, as temperaturas médias chegaram a permanente de uma convergência entreser 2-3° superiores às atuais, enquanto os C hipóteses e evidências. Como a hipótese doníveis do mar atingiam até 3 metros acima do aquecimento global antropogênico (AGA) nãoatual. Igualmente, nos períodos quentes se fundamenta em evidências físicasconhecidos como Minoano (1500-1200 a.C.), observadas, a insistência na sua preservaçãoRomano (séc. VI a.C.-V d.C.) e Medieval (séc. representa um grande desserviço à ciência eX-XIII d.C.), as temperaturas atingiram mais à sua necessária colocação a serviço dode 1° acima das atuais. C progresso da humanidade.Quanto às taxas de variação desses A história registra numerosos exemplos dosindicadores, não se observa qualquer efeitos nefastos do atrelamento da ciência aaceleração anormal delas nos últimos dois ideologias e outros interesses restritos. Nosséculos. Ao contrário, nos últimos 20.000 anos, países da antiga URSS, as ciências biológicasdesde o início do degelo da última glaciação, e agrícolas ainda se ressentem dashouve períodos em que as variações de consequências do atraso de décadastemperaturas e níveis do mar chegaram a ser provocado pela sua subordinação aosuma ordem de grandeza mais rápidas que as ditames e à truculência de Trofim D. Lysenko,verificadas desde o século XIX. apoiado pelo ditador Josef Stálin e seusEntre 12.900 e 11.600 anos atrás, no período sucessores imediatos, que rejeitava afrio denominado Dryas Recente, as genética, mesmo diante dos avanços obtidostemperaturas caíram cerca de 8° em menos C por cientistas de todo o mundo, inclusive nade 50 anos e, ao término dele, voltaram a própria URSS, por considerá-la uma ciênciasubir na mesma proporção, em pouco mais de "burguesa e antirrevolucionária".meio século. O empenho na imposição do AGA, sem asQuanto ao nível do mar, ele subiu cerca de devidas evidências, equivale a uma versão120 metros, entre 18.000 e 6.000 anos atrás, atual do "lysenkoísmo", que tem custado caroo que equivale a uma taxa média de 1 metro à humanidade, em recursos humanos,por século, suficiente para impactar técnicos e econômicos desperdiçados comvisualmente as gerações sucessivas das um problema inexistente.
  • 4. Ademais, ao conferir ao dióxido de carbono No caso, resiliência significa a flexibilidade(CO2) e outros gases produzidos pelas das condições físicas de sobrevivência eatividades humanas o papel de principais funcionamento das sociedades, além daprotagonistas da dinâmica climática, a capacidade de resposta às emergências,hipótese do AGA simplifica e distorce um permitindo-lhes reduzir a sua vulnerabilidadeprocesso extremamente complexo, no qual às oscilações climáticas e outros fenômenosinteragem fatores astrofísicos, atmosféricos, naturais potencialmente perigosos. Taisgeológicos, geomorfológicos, oceânicos e requisitos incluem, por exemplo, abiológicos, que a ciência apenas começa a redundância de fontes alimentícias (inclusiveentender em sua abrangência. a disponibilidade de sementes geneticamenteUm exemplo dos riscos dessa simplificação é modificadas para todas as condiçõesa possibilidade real de que o período até a climáticas), capacidade de armazenamentodécada de 2030 experimente um considerável de alimentos, infraestrutura de transportes,resfriamento, em vez de aquecimento, devido energia e comunicações e outros fatores.ao efeito combinado de um período de baixa Portanto, o caminho mais racional e eficienteatividade solar e de uma fase de resfriamento para aumentar a resiliência da humanidade,do oceano Pacífico (Oscilação Decadal do diante das mudanças climáticas inevitáveis, éPacífico, ODP), em um cenário semelhante ao a elevação geral dos seus níveis deverificado entre 1947-1976. Vale observar desenvolvimento e progresso aos patamaresque, naquele intervalo, o Brasil experimentou permitidos pela ciência e pela tecnologiauma redução de 10-30% nas chuvas, o que modernas. Além disso, o alarmismo desvia asacarretou problemas de abastecimento de atenções das emergências e prioridadeságua e geração elétrica, além de um aumento reais. Um exemplo é a indisponibilidade dedas geadas fortes, que muito contribuíram sistemas de saneamento básico para mais dapara erradicar o café no Paraná. Se tais metade da população mundial, cujascondições se repetirem, o País poderá ter consequências constituem, de longe, osérios problemas, inclusive, nas áreas de principal problema ambiental do planeta.expansão da fronteira agrícola das regiões Outro é a falta de acesso à eletricidade, queCentro-Oeste e Norte e na geração atinge mais de 1,5 bilhão de pessoas,hidrelétrica (particularmente, considerando a principalmente, na Ásia, África e América Latina.proliferação de reservatórios "a fio No Brasil, sem mencionar o déficit dedágua",impostos pelas restrições ambientais). saneamento, grande parte dos recursos queA propósito, o decantado limite de 2° para a C têm sido alocados a programas vinculados àselevação das temperaturas, que, mudanças climáticas, segundo o enfoque dasupostamente, não poderia ser superado e redução das emissões de carbono, teria umatem justificado todas as restrições propostas destinação mais útil à sociedade se fossempara os combustíveis fósseis, também não empregados na correção de deficiênciastem qualquer base científica: trata-se de uma reais, como: a falta de um satélitecriação "política" do físico Hans-Joachim meteorológico próprio (de que dispõem paísesSchellnhuber, assessor científico do governo como a China e a Índia); a ampliação ealemão, como admitido por ele próprio, em melhor distribuição territorial da rede deuma entrevista à revista Der Spiegel estações meteorológicas, inferior aos padrões(17/10/2010). recomendados pela Organização3) O alarmismo climático é contraproducente: Meteorológica Mundial, para um território comO alarmismo que tem caracterizado as as dimensões do brasileiro; o aumento dodiscussões sobre as mudanças climáticas é número de radares meteorológicos e a suaextremamente prejudicial à atitude correta interligação aos sistemas de defesa civil; anecessária frente a elas, que deve ser consolidação de uma base nacional de dadosorientada pelo bom senso e pelo conceito de climatológicos, agrupando os dados de todasresiliência, em lugar de submeter as as estações meteorológicas do País, muitossociedades a restrições tecnológicas e dos quais sequer foram digitalizados.econômicas absolutamente desnecessárias. 4) A "descarbonização" da economia é desnecessária e economicamente deletéria:
  • 5. Uma vez que as emissões antropogênicas de Pela primeira vez na história, a humanidadecarbono não provocam impactos verificáveis detém um acervo de conhecimentos eno clima global, toda a agenda da recursos físicos, técnicos e humanos, para"descarbonização" da economia, ou prover a virtual totalidade das necessidades"economia de baixo carbono", se torna materiais de uma população ainda maior quedesnecessária e contraproducente - sendo, na a atual. Esta perspectiva viabiliza averdade, uma pseudo-solução para um possibilidade de se universalizar - de umaproblema inexistente. A insistência na sua forma inteiramente sustentável - os níveispreservação, por força da inércia do status gerais de bem-estar usufruídos pelos paísesquo, não implicará em qualquer efeito sobre o mais avançados, em termos de infraestruturaclima, mas tenderá a aprofundar os seus de água, saneamento, energia, transportes,numerosos impactos negativos. comunicações, serviços de saúde e educaçãoO principal deles é o encarecimento e outras conquistas da vida civilizadadesnecessário das tarifas de energia e de moderna. A despeito dos falaciososuma série de atividades econômicas, em argumentos contrários a tal perspectiva, osrazão de: a) os pesados subsídios concedidos principais obstáculos à sua concretização, emà exploração de fontes energéticas de baixa menos de duas gerações, são mentais eeficiência, como a eólica e solar - ademais, políticos, e não físicos e ambientais.inaptas para a geração elétrica de base (e já Para tanto, o alarmismo ambientalista, emem retração na União Europeia, que investiu geral, e climático, em particular, terá que serfortemente nelas); b) a imposição de cotas e apeado do seu atual pedestal de privilégiostaxas vinculadas às emissões de carbono, imerecidos e substituído por uma estratégiacomo fizeram a Austrália, sob grande rejeição que privilegie os princípios científicos, o bempopular, e a União Europeia, para viabilizar o comum e o bom senso.seu mercado de créditos de carbono; c) a A conferência Rio+20 poderá ser umaimposição de medidas de captura e sequestro oportuna plataforma para essa necessáriade carbono (CCS) a várias atividades. reorientação.Os principais beneficiários de tais medidas Assinam: Kenitiro Suguio, Luiz Carlostêm sido os fornecedores de equipamentos e Baldicero Molion Fernando de Mello Gomide,serviços de CCS e os participantes dos José Bueno Conti, José Carlos Parente deintrinsecamente inúteis mercados de carbono, Oliveira, Francisco Arthur Silva Vecchiaque não têm qualquer fundamento econômico Ricardo Augusto Felicio, Antonio Jaschkereal e se sustentam tão somente em uma Machado, João Wagner Alencar Castro,demanda artificial criada sobre uma Helena Polivanov, Gustavo Macedo de Mellonecessidade inexistente. Vale acrescentar Baptista, Paulo Cesar Soares, Gildoque tais mercados têm se prestado a toda Magalhães dos Santos Filho, Paulo Cesarsorte de atividades fraudulentas, inclusive, no Martins Pereira de Azevedo Branco, DanielaBrasil, onde autoridades federais investigam de Souza Onça, Marcos José de Oliveira,contratos de carbono ilegais envolvendo tribos Geraldo Luís Saraiva Lino, Maria Angélicaindígenas, na Amazônia, e a criação irregular Barreto Ramos (Fonte: Pecuária.com.br.de áreas de proteção ambiental para tais Enviada por Igo Lepsch, Cientista emfinalidades escusas, no estado de São Paulo. Solos)5) É preciso uma guinada para o futuro: A PIADA DA SEMANADoutor, todas as noites eu vejo crocodilos azuis.- Você já viu um psicólogo? - Não, não. Sócrocodilos azuis oOo Acessar: www.r2cpress.com.br