1as Jornadas do Curso de Mestrado em             Concepção e Desenvolvimento de Produto                                   ...
Formula Student                                                          O resultado final é uma grande experiência paraA ...
Avaliação Formula StudentNas classes 3 e 2 os projectos são avaliadossomente em provas estáticas, que são tambémrealizadas...
Gestão do Projecto Formula IPLeiria                      Parte TécnicaA estrutura da gestão do Projecto Formula           ...
Na Figura 9 é possível observar uma estrutura de                 Foi também utilizado o programa freeware dedecisão que fo...
O marketing é fundamental para que possa existir           Conclusõesum bom desenvolvimento em qualquer projecto. Omarketi...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Artigo formula student

449
-1

Published on

Artigo Formula IPLeiria

Published in: Automotive
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
449
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Artigo formula student

  1. 1. 1as Jornadas do Curso de Mestrado em Concepção e Desenvolvimento de Produto Formula IPLeiria 1 1 Jaime Correia e Francisco Pinto 1 INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA 2082101@student.estg.ipleiria.pt eau13359@student.estg.ipleiria.pt :ResumoO presente artigo descreve o historial e a organização do Projecto Formula IPLeiria, que teve como objectivo aparticipação dos alunos do Instituto Politécnico de Leiria na competição Formula Student. É realizada umaapresentação do evento Formula Student, onde estão esclarecidas as diferentes classes em que o ProjectoFormula IPLeiria participou, a forma como é realizada a avaliação do Projecto na competição..Palavras-chave: SAE, Formula IPLeiria, Formula Student, IMECHE Curriculum Projecto Formula IPLeiriaIntrodução Formula Student UKO Projecto Formula IPLeiria, nasceu no final de2003, quando o autor Jaime Correia do presente 2009 (classe 1 serie 200) Silverstone – 4º lugartrabalho se encontrava a finalizar o 2º ano lectivo 2008 (classe1) Silverstone – 48º lugardo curso de Engenharia Automóvel e assistiu a umprograma televisivo na RTP 2 (Radio Televisão 2007 (classe 2) Silverstone – 1º lugarPortuguesa 2), onde foi realizada uma reportagem 2006 (classe 3) Bruntingthorpe – 4º lugarsobre uma Universidade portuguesa que tinha Formula Student Germanyparticipado na competição Formula Student em2002. A partir desse momento, deu-se início a um 2008 (classe1) Hockenheim – 31º lugardemoroso e árduo trabalho na constituição de uma Concurso Ibérico da SolidWorks 2006 – 1º lugarequipa de alunos, a qual passou por diversas fasesde evolução e que resultou no Projecto FormulaIPLeiria. Devido à inexperiência e juventude daequipa, foi necessário concorrer em todas asclasses de participação, de modo a ganhar omáximo de conhecimento e experiência nacompetição, de forma a atingir o principal objectivoque foi a construção do primeiro veículo FormulaStudent do Instituto Politécnico de Leiria (Figura 1).De realçar que desde a segunda participação nacompetição Formula Student em 2007, onde aequipa obteve a primeira posição final em classe 2,esta equipa foi sempre a melhor representante lusana sua classe entre as diversas Universidades e Figura 1 – Veículo Formula IPLeiria (FIPL_01).Politécnicos portugueses.
  2. 2. Formula Student O resultado final é uma grande experiência paraA Formula Student é um evento de âmbito mundial, todos os estudantes, através da realização de umdestinado ao desenvolvimento profissional de significativo projecto de engenharia, assim como aestudantes do ensino superior englobando diversas excelente oportunidade de trabalhar em equipa.áreas e disciplinas. O tema Formula Student aindaé pouco conhecido na vida académica portuguesa,embora nos últimos anos com o aumento de Classes Formula Studentparticipações das equipas lusas, este tema tenhavindo a ser alvo de maior divulgação por parte da Na competição Formula Student cada projecto ecomunicação social e do público em geral. veículo são apreciados e comparados com projectos e veículos de equipas concorrentes. Devido à dimensão da tarefa proposta, e dasA competição Formula Student destina-se a alunos dificuldades inerentes à sua realização emmembros da IMECHE (Institution of Mechanical ambiente académico, a organização do eventoEngineers), e trata-se de um concurso internacional divide as equipas participantes em 3 classes deque tem como propósito a avaliação das participação, de acordo com o estado de evoluçãocapacidades de conceber, projectar, construir e do seu projecto:competir, dando ênfase ao projecto e concepção deum veículo monolugar. O regulamento dasupracitada competição é estabelecido pela SAE Classe 3: Veículos em fase de "projecto virtual".(Society Automotive Engineers), tais limitaçõespretendem garantir a segurança dos veículos eparticipantes, assim como desafiar e testar obinómio conhecimento/criatividade dos alunosenvolvidos.A construção de um monolugar visa um vastotrabalho interdisciplinar e em equipa, resultando Figura 2 – Modelação FIPL_01 2006. [1]numa irrepetível e enriquecedora experiênciaprofissional e pessoal. No que toca à avaliação doproduto final, é da responsabilidade da IMECHE, a Classe 2: Veículos em fase de construçãocomparação e apreciação de cerca de uma centena incompleta.de monolugares oriundos de várias partes domundo.A competição encoraja a participação dosestudantes em disciplinas como a Engenharia,Gestão e Marketing, proporcionando aosestudantes uma oportunidade de aplicarem os seusconhecimentos e habilidade num projecto “real”,aprendendo a lidar com competênciascomplementares que são adquiridas nos seus Figura 3 – Chassis FIPL_01 2007.cursos. Classe 1: Veículos totalmente construídos.As restrições relacionadas com o chassis e motordo veículo, são limitações que pretendem desafiar oconhecimento, criatividade, inovação e imaginaçãodos estudantes. Os veículos são normalmentedesenvolvidos e construídos em equipa por umperíodo de aproximadamente um ano, e sãolevados à competição devendo ser devidamentetestados com eficiência de forma a evitar eventuaisanomalias técnicas, que poderão impedir a Figura 4 – Veículo Formula IPLeiria (FIPL_01).conclusão de todas as provas dinâmicas. 2
  3. 3. Avaliação Formula StudentNas classes 3 e 2 os projectos são avaliadossomente em provas estáticas, que são tambémrealizadas pelas equipas participantes em classe 1.As provas estáticas a realizar são trêsapresentações técnicas, denominadas peloregulamento como: Design, Cost & Management ePresentation (Concepção, Gestão & Custos eApresentação/Marketing).Na prova de Design os alunos deverão justificar asopções tomadas, assim como os passos querealizaram no desenvolvimento dos componentes, Figura 5 – Análise FEA FIPL_01 2007. [2]quais os problemas com que se depararam, e quaisas soluções que encontraram. Existem ínumeroscompromissos que os alunos poderão optar, o As provas dinâmicas são realizadas apenas emimportante nesta avaliação é demonstrar o porquê classe 1, passando por um conjunto de provas quedas opções, evidenciando o conhecimento científico demostram o real trabalho das equipas, desde adas opções tomadas. prova acceleration e skid-pad (aceleração e “oitos”), passando pelo sprint e fuel economy (contra-relógio e economia de combustível), até à prova maisRelativamente à prova de Cost & Management, o valiosa e importante que é o enduranceveículo deve apresentar um baixo custo, ser de fácil (resistência).manutenção e acima de tudo ser seguro. Alémdisso, o aspecto comercial do carro deverá serrealçado por outros factores como a estética, o As pontuações máximas possíveis de obter emconforto e utilização de peças simples. A empresa cada prova, estão presentes no gráfico da figura 7,que tem de ser simulada pelos alunos, deverá onde é possível visualizar que a prova endurance éproduzir cerca de quatro veículos por dia, e o a prova com maior peso correspondendo a 35% daprotótipo não deverá ultrapassar o custo de cerca pontuação total.de $25,000.Na prova de Presentation, deverá ser consideradoque o mercado a que se destinam os veículos decompetição a desenvolver é o de desporto nãoprofissional, podendo chamar-se também desportode fim-de-semana. Desta forma o veículo aprojectar tem de obter um alto desempenho emtermos de aceleração e travagem, assim como aqualidade, fiabilidade e rapidez de circulação. Estaprova tem como finalidade a apresentação de todoo Projecto a possíveis investidores, que poderãoeventualmente financiar o projecto, desta forma é Figura 6 – Gráfico referente à pontuação máximaessencial a implementação de um bom projecto de atribuída a cada prova. [3]marketing associado. O desafio para a equipa Formula IPLeiria foiPara a participação na classe 2 é exigido um projectar um veículo que melhor se adequou achassis finalizado, e na classe 3 as equipas estes objectivos e intenções.apresentam trabalho de CAD (Computer AidedDesign - desenho assistido por computador), bemcomo maquetas e modelos para validaçãoexperimental. 3
  4. 4. Gestão do Projecto Formula IPLeiria Parte TécnicaA estrutura da gestão do Projecto Formula A organização da Parte Técnica do ProjectoESTG/IPLeiria nasceu em 2004/2005 com a Parte Formula IPLeiria foi então dividida nas seguintesTécnica, que serviu de “motor de arranque” do áreas de desenvolvimento:Projecto. Com a entrada de novos elementos em2005/2006, foi adicionada a componente deOperações. Nesta fase o Projecto estava em franco • Motor e Electrónicacrescimento e foram necessárias infra-estruturas e • Chassis e ergonomiauma base de dados, para que os alunos pudessemdesenvolver o Projecto com normalidade. • Carroçaria • TransmissãoEm 2006/2007 foram adicionadas as componentes • Suspensão, Direcção e TravõesMarketing e Finanças, as quais permitiram obter • Fabricofundos para a construção do monolugar e para aparticipação da equipa na competição Formula • Marketing e GestãoStudent em 2007. • InformáticaA organização do Projecto foi então alvo de uma Foram designados alunos responsáveis para asconstante evolução, como é possível observar no diversas áreas do projecto, formando assim gruposdiagrama presente na figura 8, que contém a de alunos dedicados ao desenvolvimento de cadaevolução da estrutura de gestão do Projecto. área. O diagrama da Figura 8 demonstra como foi realizada a comunicação entre a equipa. Figura 8 – Diagrama de comunicação da equipa. [3] Os responsáveis dos diferentes grupos comunicam Figura 7 – Diagrama de gestão do Projecto. [3] entre si e o Team Leader, os Advisors comunicam com o Team leader, embora, também os restantes alunos o possam realizar sempre que precisarem.Embora a coordenação das componentes Devido às várias dependências entre grupos, foiOperações, Marketing e Finanças tenha sido um necessário que elementos de grupos diferentesgrande desafio, os bons resultados que a equipa trabalharem em conjunto. Esta situação foi bastanteobteve no passado, significam que a estrutura importante para a competição Formula Student, jáimplementada teve uma evolução positiva. que no regulamento da competição está bem explícito que apesar de existir uma normal divisão das tarefas da equipa em relação à parte técnica,Segue-se uma breve descrição da evolução do qualquer um dos alunos pode ser questionadoconteúdo das componentes pertencentes à sobre qualquer uma das áreas técnicas. Destaestrutura de gestão do Projecto que foi forma foi necessário que quase todas as decisõesimplementada. fossem realizadas com todos os elementos da equipa. 4
  5. 5. Na Figura 9 é possível observar uma estrutura de Foi também utilizado o programa freeware dedecisão que foi utilizada pela equipa relacionada gestão de projecto DOTPROJECT, para realizar ocom os Custos e Processos de Produção. planeamento relativo às partes técnicas e correspondentes áreas de desenvolvimento do Projecto. É possível observar na figura 10 um mapa de Gantt relativo ao planeamento da área técnica Motor, obtido através do software.Figura 9 – Estrutura de decisão utilizado pela equipa. [3] Figura 10 – Mapa de Gantt área técnica Motor. [3] A Formula Student foi a competição escolhida paraOperações a participação da equipa fundamentalmente devido a dois factores. Em primeiro lugar a FormulaDepois de analisadas as diferentes hipóteses de Student é realizada desde 1998 sendo aparticipação ao alcance dos alunos, no final de competição mais antiga do género realizada na2005 foi realizado um planeamento em equipa, que Europa, descendendo da competição Formula SAEresultou na participação do Projecto Formula ESTG que foi criada nos EUA em 1981 pela SAE. Emem 2006 na competição Formula Student. Este segundo lugar as classes 2 e 3 não existem naplaneamento teve que ser alterado por diversas Formula SAE, existindo apenas na Formula Studentvezes, fruto da juventude da equipa e do grau de UK.exigência do Projecto, embora a equipa tenhaobtido excelentes resultados durante o ano de 2006(obteve o 1º lugar no Concurso Ibérico da MarketingSolidWorks, e alcançou a 4ª posição final em classe3 no concurso Formula Student). O que acontece em grande parte dos casos das equipas Formula Student de sucesso naO facto de grande parte das equipas participarem actualidade, passa pela implementação de umaem classe 1 todos os anos, está relacionado com a estrutura de gestão semelhante à que foiestrutura já implementada pelas Instituições de implementada no Projecto Formula IPLeiria,ensino e pelas equipas anteriores, existindo uma embora a componente de marketing associada aconstante manutenção e rotatividade dos principais estas equipas seja normalmente fortementecargos dos estudantes na equipa ao longo dos apoiada. Esta situação permite uma valorizaçãoanos. Existe por isso uma constante reciclagem do dos Projectos realizados pelas equipas, ao pontoconhecimento. As classes 2 e 3 são destinadas a de obterem apoios e recursos com uma dimensãoequipas que estão no seu inicio de formação, como assombrosa ao nível de equipas profissionais. Umfoi o caso da Equipa Formula IPLeiria em 2006 e bom exemplo é a equipa de Gratz (Áustria), que em2007. 2006 participaram na competição Formula Student com duas equipas e dois carros diferentes, ambos apoiados pela empresa RedBull.Após a participação em 2006, foi realizado um novoplaneamento no início do ano lectivo de 2006/2007 Muitas destas equipas, desenvolvem os seuspara participar em classe 1, embora para conseguir projectos e participam em várias competiçõesesse feito, fosse notória a necessidade de angariar durante o ano, sendo necessário para isso possuirnovos elementos para a equipa. De realçar que foi um budget fora do vulgar, um trabalho de equipautilizada a plataforma Moodle como meio de notável, fortemente apoiado pelas suas instituiçõescomunicação e de transferência de ficheiros, para de ensino, realizando grande parte dos seusutilização por parte dos alunos do Projecto Formula trabalhos curricularmente.IPLeiria em 2007. 5
  6. 6. O marketing é fundamental para que possa existir Conclusõesum bom desenvolvimento em qualquer projecto. Omarketing é igualmente necessário para que seja Fazer parte de equipa que constituiu e participapossível divulgar e promover correctamente o num Projecto como é o Formula IPLeiria, foi umaProjecto, para que este possa ganhar credibilidade das melhores experiências obtidas no ensinoe notoriedade. Com credibilidade, notoriedade e superior, e apesar da equipa ter passado porcom um bom plano de marketing, será então inúmeros problemas e dificuldades para atingir ospossível obter recursos, apoios e colaboradores seus objectivos, pode-se afirmar que fazer partecom maior facilidade, embora seja igualmente desta equipa foi uma experiência bastante especialimportante ter uma equipa coesa para o sucesso do e enriquecedora.Projecto. A angariação de alunos para a continuação do Projecto é um factor preponderante na suaQuando toda a equipa do Projecto tomou continuidade, sendo na opinião dos presentesconsciência de que para construir um veículo de autores, este o factor principal que necessita decompetição monolugar eram necessários bastantes maior cuidado a ter no futuro, exigindo por isso arecursos, e que para obter recursos era necessário implementação de um marketing interno no IPL, decativar empresas, foi necessário recorrer à forma a cativar novos talentos que possam fazercriatividade para tentar demonstrar que o Projecto parte de uma nova equipa.tinha viabilidade. O que a equipa fez para aliciar oIPL e as empresas a apoiar o Projecto, foi mostrar otrabalho que estava a ser realizado pelos alunos Agradecimentosatravés de imagens e video. A política utilizada noProjecto a partir desta altura, foi gravar em video A todos os professores e alunos do Institutogrande parte dos trabalhos realizados associados Politécnico de Leiria, assim como todas as pessoasao Projecto, realizando depois filmes promocionais que contribuiram de alguma forma para o sucessodos trabalhos da equipa. do projecto Formula IPLeiria.Também as participações da equipa na competiçãoFormula Student em 2006, 2007 e 2008, ficaram Referênciasregistadas em video. Foi ainda realizado um [1] Oliveira, José Pedro e Saraiva, Ricardo em Chassisseminário logo depois da participação na Formula Student, Introdução ao Projecto Mecânico,competição Formula Student 2006, com o objectivo 5ºAno Eng. Mecânica, ESTG, 2004/2005.de angariar novos elementos, e de promover o [2] Oliveira, José Pedro e Saraiva, Ricardo em ChassisProjecto, que teve também exposto nas últimas e sistema de refrigeração do Formula IPLeiria,edições do dia aberto na ESTG, assim como no Técnicas Avançadas de Projecto Mecânico 5ºAnoFitec nos últimos dois anos. Eng. Mecânica, ESTG, 2006/2007 [3] Correia, Jaime em Organização e Logística de Veículo Monolugar de Competição para ProjectoInicialmente para participar no concurso Formula Formula Student, Seminário 3º Ano de Eng.Student 2007 em classe 1, existia a necessidade de Automóvel, ESTG, 2006/2007.obtenção de recursos económicos para aconstrução do monolugar e para participação da Biografiaequipa na competição. Jaime Correia é Licenciado em Engenharia Automóvel desde 2007 eA obtenção do apoio do IPL em Janeiro de 2007, encontra-se a frequentar o Mestradopermitiu obter a verba necessária para realizar a em Concepção e Desenvolvimento doconstrução do monolugar. Em 2008 o veículo ficou produto ambos os graus leccionadostotalmente pronto, e os resultados obtidos com o pelo Instituto Politécnico de Leiria.veículo em pista nas competições foram bastanteencorajadores, apesar de alguns problemas Francisco Pinto é Licenciado emnormais da juventude do novo bólide. É também no Engenharia Automóvel desde 2007 efinal de 2008 que o projecto se transfere para o encontra-se a frequentar o MestradoCDRsp, iniciando-se um novo ciclo do Projecto. em Concepção e Desenvolvimento do produto ambos os graus leccionados pelo Instituto Politécnico de Leiria. 6

×