Your SlideShare is downloading. ×
s.e.f.
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

s.e.f.

721

Published on

Published in: Career, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
721
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Cidadania e profissionalidade
    Núcleo gerador: identidade e alteridade
    Carlos torres nº4 12ºb
    Escola E/B 2,3 de beiriz
    Julho de 2009
  • 2. Noticia
    Vão entrar menos imigrantes em Portugal
    2009-05-07
    Quota aplica-se para movimentos migratórios fora do espaço europeu e Governo, apesar de favorável, aguarda parecer dos parceiros sociais.
    O ministro Vieira da Silva admitiu esta quinta-feira que, em consequência da actual crise económica, será reduzida este ano a quota dos imigrantes extra-comunitários que poderão trabalhar em Portugal, que em 2008 se fixou em 8600.
    As palavras do ministro do Trabalho e da Solidariedade Social foram proferidas no final do Conselho de Ministros, depois de ter sido confrontado com a notícia de primeira página do novo jornal diário "i", segundo o qual sindicatos, patrões e Governo querem reduzir este ano as entradas de trabalhadores imigrantes em Portugal.
    "É razoável aceitar que, face ao abrandamento da actividade económica, haja também um abrandamento dos fluxos migratórios", declarou o membro do Governo em conferência de imprensa.
    Nas declarações que fez aos jornalistas, Vieira da Silva sublinhou que a quota se aplica para movimentos migratórios fora do espaço europeu e que o Governo ainda aguarda parecer sobre esta matéria dos parceiros sociais.
    "Não quero antecipar o parecer dos parceiros sociais, mas não é de excluir que se atinja um consenso que se traduza na redução daquilo que foi o montante fixado no ano anterior" para a imigração de trabalhadores fora do espaço europeu, referiu Vieira da Silva.
    No entanto, no final do Conselho de Ministros, Vieira da Silva quis também salientar que o processo para a fixação da quota de trabalhadores imigrantes está ainda numa fase intermédia.
    "O Governo apresentou segunda-feira um relatório relativamente ao mercado de trabalho e aos fluxos migratórios", o qual receberá "até à próxima quarta-feira os pareceres dos parceiros sociais. Até a este momento, houve apenas um debate feito muito na generalidade", acrescentou.
    http://jn.sapo.pt/paginainicial/Economia/interior.aspx?content_id=1224675
  • 3. Comentário noticia
    Acho que este problema, já devia ter sido visto há muito tempo, até porque muitos dos imigrantes, estão com ordenados muito baixos, menos que o salário mínimo, o que faz com que seja uma forte concorrência com o próprio povo. Por vezes, ate os próprios salários que recebem não da para se governarem cá, muitos acabam na marginalidade, dando origem, a roubos, e mais miséria a juntar à nossa. Os políticos vêem nestes trabalhadores estrangeiros algo que não corresponde a verdadeira realidade. O problema não esta na falta de legislação mas sim na falta de controlo. Todos os anos se passa do limite e depois é vê-los desempregados pelas ruas a mendigar e a criminalidade a subir. Acho que deveria haver um maior controlo nas fronteiras. Não se trata de ter uma política de xenofobia, não tem nada a ver com isso. É apenas controlar as entradas no país mediante as necessidades. Acho que isso acabaria por ser uma grande política e uma boa medida.
  • 4. Acordo shengen
    Permite e livre circulação de pessoas dentro dos países signaticos. Sem a necessidade de apresentação de passaportes na fronteira. Porem, é necessário ser portador de um documento legal como, por exemplo o bilhete de identidade. Alem do mais o espaço shengen, não se relaciona com a livre circulação de mercadorias.
  • 5. Acordo shengen
    Vantagens – livre acesso a toda a Europa sem ter de apresentar qualquer tipo de documento ou controle. Evita-se idas a embaixada e passaportes, em termos burocráticos é mais fácil o trabalho também se tornou mais fácil
    Desvantagens – livre trafico de armas droga e pessoas, como não existe controle das fronteiras, torna-se fácil o trafico
  • 6. serviço de estrangeiros e fronteiras
  • 7. Publico alvo
    O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) é um serviço de segurança, dependendo do Ministério da Administração Interna, com autonomia administrativa e que se integra no quadro da política de segurança interna do país.
    Os objectivos deste Serviço visam controlar a circulação de pessoas nas fronteiras, a permanência e actividades de estrangeiros em território nacional, bem como estudar, promover, coordenar e executar as medidas e acções relacionadas com aquelas actividades e com os movimentos migratórios.
  • 8. competência
    Dar execução à política de imigração e asilo de Portugal, de acordo com as disposições da Constituição e da Lei e as orientações do Governo.
  • 9. Intervenção
    O s.e.f. tem como particularidade, prestar apoio ao emigrante, ajudando-o na entrada e permanência do mesmo, no nosso pais. Assim como também trabalha na luta contra a entrada de estrangeiros ilegais no pais.
  • 10. Razões de escolha
    Escolhi o S.E.F. porque é um organismo importante na nossa sociedade e do qual o governo necessita para efectuar o controlo de imigração.
    Porque o tema da imigração está em destaque na actualidade e é uma questão social emergente.

×