• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Private Content
Estudio con estadisticas y estado de situacion del Comercio Electronico y los Negocios por Internet en America Latina - Parte Dos en Portugues
 

Estudio con estadisticas y estado de situacion del Comercio Electronico y los Negocios por Internet en America Latina - Parte Dos en Portugues

on

  • 872 views

Acceda al estudio completo con metricas e indicadores sobre el estado de situacion y pespectivas para el 2011 del ecommmerce y negocios por internet en America Latina y sus paises realizado ...

Acceda al estudio completo con metricas e indicadores sobre el estado de situacion y pespectivas para el 2011 del ecommmerce y negocios por internet en America Latina y sus paises realizado AméricaEconomía Intelligence por encargo de la firma de medios de pago Visa que fueron presentados en forma exclusiva durante los eCommerce DAY realizados en las ciudades de: Santiago (Chile), Lima (Peru), Buenos Aires (Argentina), San Pablo (Brasil), Mexico DF (Mexico) y el eCommerce LATAM en la ciudad de Bogota (Colombia) durante el 2010 organizados por el Instituto Latinoamericano de Comercio Electronico ILCE junto con Latinpacific y los capitulos locales que conforman el ILCE en cada país.

Para mas informacion ingrese al Observatorio y Centro de Estudios de la Economia Digital del Instituto Latinoamericano de Comercio Electronico: http://www.einstituto.org/?page_id=631 que tiene como objetivo general el promover la información económica y métricas sobre la evolución del comercio y los negocios electrónicos y sus efectos a escala internacional, de América Latina y de las economías nacionales que la componen.

Statistics

Views

Total Views
872
Views on SlideShare
872
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
11
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Estudio con estadisticas y estado de situacion del Comercio Electronico y los Negocios por Internet en America Latina - Parte Dos en Portugues Estudio con estadisticas y estado de situacion del Comercio Electronico y los Negocios por Internet en America Latina - Parte Dos en Portugues Document Transcript

    • Estudo sobre as condições para o crescimento do e-commerce na região e-readiness na América Latina A região melhorou em 47,6% suas condições para o desenvolvimento do comércio eletrônico nos últimos quatro anos. Entretanto, a diferença em relação aos países desenvolvidos continua grande AméricaEconomía Intelligenceresumo executivoo desenvolvimento do comércio eletrônico de um país dependede uma série de variáveis, que podem ser sintetizadas em cinco Em altagrandes dimensões: o potencial da demanda, a infraestrutura Evolução do e-readiness (índice no eixo vertical direito) e do volume do comércio eletrônico B2Ctecnológica, a penetração dos diferentes meios de pagamento, a (em US$ milhões, representados pelo eixo vertical esquerdo), emforça da oferta e a velocidade com que as tecnologias são adotadas toda a América Latinapelos consumidores. A AméricaEconomía Intelligence, por Fonte: AméricaEconomía Intelligence e-readiness 2009 e-commercesolicitação da empresa de meios de pagamento eletrônico visa,analisou cada uma dessas variáveis nos principais mercadosda América Latina e desenvolveu um índice e-readiness, que 35.000 0,70descreve a capacidade de um país para transformar a internet 0,62em um canal de vendas efetivo destinado aos consumidores. 30.000 0,55 0,60Para dar um valor referencial a esse indicador, também foram 0,52 25.000 0,47 0,50analisados dois outros mercados que, apesar da proximidade 0,42 21.775com a América Latina, contam com um comércio eletrônico 0,38 20.000 0,40muito mais desenvolvido. Dessa forma, pudemos estudar 0,35 15.645as lacunas e identificar as forças e os desafios da região no 15.000 0,30desenvolvimento do e-commerce. o índice e-readiness 2009 10.573para a América Latina é de 0,62 ponto, indicando um aumento 10.000 0,20 7.542de 47,6% nos últimos quatro anos. entretanto, a distância em 4.885 5.000 0,10relação aos países desenvolvidos continua grande: o indicador 3.042 1.866regional representa quase dois terços do e-readiness da 0 0espanha e um terço do dos euA. 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009
    • Estudo e-readiness na América Latina 2010 D os encartes promocionais que acompanham o jornal de domingo às ofertas online que chegam por e-mail, tudo é alvo das grandes redes varejistas que operam na América Latina, sobretudo quando suas apostas no comércio eletrônico crescem. Preste atenção neste dado: das 60 maiores companhias de varejo da América Latina, cujas vendas superam os us$ 500 milhões ao ano, 53% já têm uma operação online. Pouco mais da metade pode não parecer muito, mas representa uma alta taxa de crescimento se levarmos em conta que a maioria de seu comércio eletrônico não tem mais de dois anos de vida. Além disso, muitas empresas de comércio e supermercados que hoje não contam com uma estratégia para vendas online declararam à Américaeconomía intelligence que esperam lançar seu primeiro site de transações ainda neste ano. trata-se de uma boa notícia para o desenvolvimento do comércio eletrônico na região, pois vários especialistas concordam que a incorporação de marcas tradicionais e conhecidas ao setor é um fator importante para estimular os latino-americanos a migrar suas compras para o universo online. tem sido assim no Brasil e no chile, os dois países da região que contam com o maior número de habitantes comprando pela web e onde o setor varejista apostou com mais vigor no e-commerce. esta segunda edição do estudo e-readiness, que a Américaeconomía intelligence desenvolve a pedido da empresa de meios de pagamento eletrônico visa, leva em conta a potência da oferta de produtos online entre seus principais indicadores de análise. como o objetivo do índice e-readiness é avaliar o avanço das condições relevantes ao desenvolvimento do comércio eletrônico para consumidores (ou B2c, do inglês business to consumer), desta vez foram incorporados como novidades metodológicas a presença e a atividade do varejo, a quantidade de empresas que operam na rede, as categorias dePreparados para o comércio eletrônicoAmostra dos indicadores mais representativos que compõem o índice e-readinessOs valores (em %) são obtidos com base na população dos paísesFonte: AméricaEconomía Intelligence ÍNDiCe TeleFoNiA ComPuTA- ASSiNATuRA BANDA lARGA iNFRAeSTRu- PReço DA ÍNDiCe De PoPulAção PiB PeR CAPi- % 25-35 uSuÁRioS De PoTeNCiAl TeleFoNiA PAÍS (em milhõeS) TA (em uS$) ANoS iNTeRNeT FiXA mÓVel DoReS De BANDA DemANDA lARGA (em uS$) TuRAARGeNTiNA 40,3 7.726 15,8% 29,7% 0,65 24,9% 122,8% 12,8% 9,1% 20,14 0,61BolÍViA 9,8 1.724 14,8% 12,8% 0,32 7,3% 64,5% 2,7% 1,0% 53,00 0,19BRASil 193,7 8.220 17,1% 40,1% 1,78 21,7% 95,7% 25,0% 7,7% 15,53 0,70Chile 16,9 9.525 14,6% 33,8% 0,50 21,1% 107,5% 18,9% 10,2% 24,38 0,59ColÔmBiA 45,6 5.087 16,0% 42,0% 0,73 17,9% 90,3% 11,7% 4,4% 31,72 0,41ReP. DomiNiCANA 9,7 5.176 15,5% 25,1% 0,40 10,5% 93,1% 2,4% 2,9% 18,99 0,43eQuADoR 13,6 4.059 15,3% 29,9% 0,44 14,6% 99,0% 15,5% 0,3% 24,90 0,40GuATemAlA 14,0 2.662 14,1% 16,8% 0,36 11,5% 155,6% 2,8% 0,7% 50,01 0,37hoNDuRAS 7,4 1.823 15,4% 15,4% 0,32 13,4% 140,7% 2,6% 0,0% 25,00 0,40mÉXiCo 109,6 8.135 16,3% 29,0% 1,14 19,8% 77,6% 18,4% 9,4% 20,05 0,52NiCARÁGuA 5,7 972 16,0% 19,2% 0,33 5,7% 71,1% 6,4% 0,8% 39,99 0,26PANAmÁ 3,4 7.132 15,6% 30,4% 0,39 16,4% 154,6% 3,1% 6,7% 16,95 0,62PeRu 29,1 4.356 16,3% 27,4% 0,55 10,6% 73,3% 14,8% 3,1% 22,28 0,43PoRTo RiCo 3,9 21.869 14,2% 40,0% 0,52 24,9% 149,5% 25,4% 6,2% 24,95 0,66PARAGuAi 6,3 2.337 15,6% 14,8% 0,31 8,4% 128,6% 11,9% 1,9% 24,13 0,44el SAlVADoR 6,1 3.623 14,2% 11,1% 0,29 19,6% 155,3% 10,2% 2,6% 21,99 0,54uRuGuAi 3,3 9.425 14,1% 41,9% 0,44 29,5% 126,0% 16,5% 7,9% 13,81 0,69VeNeZuelA 28,6 11.789 16,1% 31,2% 0,61 22,9% 110,2% 16,3% 7,2% 13,99 0,88AmÉRiCA lATiNA 547,0 7.327 16,3% 33,2% 1,11 19,4% 96,9% 17,9% 6,8% * 0,59eSPANhA 45,9 35.116 16,1% 57,7% 1,00 46,1% 112,9% 50,5% 21,5% 17,45 1,00euA 307,0 46.436 13,5% 78,9% 2,95 48,4% 90,0% 93,2% 25,0% 19,95 1,27* optou-se por não calcular a média da região
    • Estudo e-readiness na América Latina 2010produtos que oferecem e o tráfego gerado, que se somam Internet por dois Comparação do percentual da população que utiliza internetao grupo de mais de 20 indicadores usados para elaborar o (2005 versus 2009) 2005índice e-readiness. Para facilitar a compreensão, eles foram Fonte: AméricaEconomía Intelligence 2009reunidos em cinco dimensões, tal como se mostra na tabela 90%no final desta página e se explica mais detalhadamente na 80%metodologia que consta na última página deste relatório. 70% 60% A partir de cada uma dessas dimensões do e-commerce, 50%geraram-se indicadores aos quais foram atribuídas distintas 40%ponderações para determinar o índice geral e-readiness. 30% 20%Para não cometer o erro de olhar somente para nosso 10%umbigo latino-americano, foram incluídos os dois países 0 argentina bolívia brasil chile colômbia rep. dominicana equador espanha guatemala honduras méxico nicarágua panamá peru porto rico paraguai el salvador uruguai eua venezuelacom maior nível de desenvolvimento em comércio onlinee cujas economias são próximas às da América Latina:estados unidos e espanha. Neste ano, inclusive, a análisetoma como base a situação da espanha em 2009. Dessa forma, o valor 0,62, que representa o e-readiness da América Latina em 2009, significaque suas condições equivaliam a 62% do da espanha nesse ano. trata-se, não obstante, de umaalta considerável frente ao 0,42 que a região registrava em 2005, pois significa que as condiçõespara o comércio eletrônico na região melhoraram 47,6% nos últimos quatro anos. As estimativassão de que, em 2010, esse indicador aumente outros 10%. o Brasil é o país da região com melhoríndice e-readiness, seguido por chile e méxico. CAiXA ComPRAS ÍNDiCe GRANDeS Re- CARTão CARTão AuTomÁTiCo ÍNDiCe SiST. BANDA lAR- e-ComPRA- ADoção TeC- CoNTRiBuiN- DeS VAReJo ÍNDiCe FoRçA e-ReADiNeSS ÍNDiCe PoR CRÉDiTo DÉBiTo (uNiDADeS) BANCÁRio GA mÓVel DoReS TeS oNliNe DA oFeRTA iNTeRNeT NolÓGiCA oNliNe 40,8% 40,7% 15.000 0,34 3,32% 3,48% 875 0,32 0 2 0,09 0,46 2,2% 12,7% 908 0,04 0,32% 1,50% 44 0,20 0 0 0,00 0,17 71,2% 123,0% 174.255 0,97 4,27% 9,73% 13.230 0,61 0 10 0,33 0,95 53,2% 48,0% 7.562 0,70 3,41% 7,02% 1.028 0,55 131.974 6 1,06 0,63 16,6% 33,0% 9.274 0,20 1,85% 4,02% 435 0,20 0 1 0,07 0,36 16,7% 30,8% 2.000 0,17 1,38% 4,16% 209 0,34 0 0 0,00 0,31 14,2% 19,7% 1.340 0,13 0,60% 2,50% 71 0,15 0 0 0,00 0,26 8,6% 12,5% 1.254 0,09 0,76% 2,02% 77 0,21 0 1 0,06 0,25 8,1% 11,6% 735 0,10 0,70% 1,99% 28 0,20 0 1 0,06 0,25 10,8% 53,0% 39.856 0,20 0,99% 4,30% 2.625 0,31 418.972 11 0,22 0,53 10,8% 12,3% 568 0,10 0,35% 1,79% 12 0,15 0 1 0,06 0,20 15,7% 56,5% 944 0,62 1,52% 2,94% 102 0,26 0 0 0,00 0,43 16,1% 46,9% 3.763 0,22 0,53% 3,14% 276 0,20 34.049 1 0,13 0,34 33,8% 42,5% 1.478 0,42 4,91% 3,30% 588 0,59 0 0 0,00 0,50 12,2% 11,7% 526 0,14 0,61% 2,04% 38 0,24 0 0 0,00 0,27 7,2% 14,9% 694 0,10 0,80% 2,04% 46 0,33 0 1 0,06 0,30 51,5% 43,9% 1.985 0,58 4,85% 5,12% 82 0,36 0 0 0,00 0,48 24,5% 51,0% 15.124 0,34 0,86% 5,16% 906 0,34 0 0 0,00 0,45 37,6% 69,6% 277.266 0,51 2,50% 5,90% 21.775 0,41 0 0 0,22 0,62 95,4% 67,0% 61.374 1,00 11,30% 16,01% 8.400 1,00 5.630.896 0 1,00 1,00 187,8% 165,1% 500.000 2,14 14,59% 74,00% 146.420 2,25 98.000.000 0 2,25 2,12
    • Estudoe-readinessna América Latina2010 DÉFicits De iNFrAestruturA A importância da inclusão digital entre a população latino-americana fez a cepal (comissão econômica para a América Latina) criar um comitê para discutir, juntamente com os países da região, formas de redução do preço da banda larga. Hoje, o custo de acesso é um dos principais obstáculos para o crescimento desse tipo de conexão. o objetivo da cepal é agrupar a demanda de todos os países participantes para apresentá-la aos provedores de telecomunicações, em sua maioria players internacionais. caso o grupo obtenha algum resultado, será um importante avanço para a infraestrutura do e-commerce, que ainda demanda esforços para se fortalecer na região. Hoje, a infraestrutura latino- americana corresponde a 60% da espanhola. Ao fim de 2009, o número de conexões em banda larga na regiãoDisparidade latina era de 37 milhões. ou seja, quase uma conexão paraUma década de evolução e-readiness nas cada 15 habitantes. essa proporção está muito abaixo daprincipais regiões da América LatinaFonte: AméricaEconomía Intelligence obtida na espanha, que registra uma conexão para cada 1 4,5 pessoas, e nos estados unidos, com uma para cada 0,9 3,9 habitantes. A situação é semelhante quando se trata 0,8 de uso de computadores pessoais (Pcs). enquanto na 0,7 0,6 espanha há 504 computadores por cada mil habitantes e, 0,5 nos estados unidos, 932 em cada mil, a média da região é 0,4 de 180 Pcs a cada mil pessoas. e as taxas de crescimento 0,3 0,2 registradas nos últimos anos não são as esperadas para 0,1 uma região com tal déficit computacional: anualmente, 0 esse número cresce timidamente, entre 10% e 11%. se 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 esse ritmo se mantiver, os latino-americanos somente Argentina Chile Peru Venezuela Brasil México Uruguai América Central alcançarão a proporção da espanha em 2031, e a dos estados unidos em 2045. Quando se trata de telefonia celular, essa lacuna é menor. A penetração de telefones móveis na região era de 100,7% no final de 2009, muito acima da dos euA, de 90%, e pouco abaixo da espanhola, que era de 112%. seis países da região registram uma proporção maior que a da espanha. Para isso, entretanto, foi fundamental o desenvolvimento do serviço de celular pré-pago, que não exige do usuário conta em banco, cartão de crédito ou sequer residência identificada, fatores que, no caso do comércio eletrônico, são relevantes. A brecha tecnológica em relação à espanha e aos estados unidos volta a se ampliar, entretanto, quando passamos a analisar uma tecnologia mais nova, principal variável do indicador Adoção tecnológica: aDomínio móvelEvolução comparativa da quantidade de diferentes tecnologias em toda a penetração de telefones com acesso à internet banda largaAmérica Latina (em milhões) móvel. Na espanha, 11,3% têm esse serviço, enquantoFontes: Banco Mundial, Cisco e AméricaEconomía Intelligence nos euA são 14,6% – isso sem contar alguns países Telefones celulares asiáticos, onde a penetração da banda larga móvel supera600 Computadores pessoais Assinaturas banda larga os 90%. Na América Latina, o cenário é muito diferente:500 somente dois em cada cem latino-americanos têm um smartphone com capacidade de transmitir dados em alta400 velocidade. uruguai e Porto rico, países que adotaram300 essa tecnologia mais rapidamente, alcançam apenas 4,8% e 4,9% da população, respectivamente.200 É preciso estar atento à evolução dessa variável no futuro,100 pois essa banda larga é essencial para o desenvolvimento do comércio eletrônico móvel (m-commerce), que alimenta 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 expectativas de crescimento pela sinergia existente entre
    • Estudo e-readiness na América Latina 2010o consumo e a portabilidade dos celulares.Promoção BANcáriANo final de 2009, havia 205 milhões de usuários de cartões de crédito na América Latina (uma penetraçãode 37%) e 381 milhões de cartões de débito (70%), mas nem todos passíveis de serem usados no comércioeletrônico. tal cifra representa um aumento considerável em relação há cinco anos, especialmente quantoaos cartões de débito, ainda que haja muito espaço para crescer. Para se ter uma ideia, os euA contavamcom 576 milhões de cartões de crédito no fim de 2009 (188%) e a Espanha, com 44 milhões (95%). De qualquer forma, “a baixa aceitação do cartão de débito em operações online é um dos maioresobstáculos para o desenvolvimento do comércio eletrônico”, diz Guillermo rospigliosi, diretor executivo dacanais emergente da visa. “sem dúvida, a habilitação do cartão de débito representa uma das maioresoportunidades em termos de infraestrutura de pagamentos, e poderia se converter rapidamente noprincipal impulsionador de transações online da região, como aconteceu em mercados mais maduros”,complementa rospigliosi. um dos exemplos mais fortes desse potencial é o Brasil, onde a penetraçãode cartões de débito é de 123%, enquanto a média regional é de 30%. o indicador sistema Bancário desenvolvido para este estudo também inclui os depósitos bancárioscomo proporção do PiB e a quantidade de caixas automáticos (ou Atms) para entender sua capacidadede transações eletrônicas e a demanda dos clientes por operações fora de uma sucursal. os 277 milcaixas eletrônicos da região geram uma baixa média de penetração dessa tecnologia, com apenas 0,5caixa por cada mil habitantes. Na espanha, esse dado é de 1,4 e, nos euA, é de 1,7 por cada mil. É justamente na força da oferta que as diferenças se mostram mais profundas. Para analisar essavariável, considerou-se uma amostra de operadores de varejo com vendas acima de us$ 500 milhões,pois estes contam com mais recursos técnicos e financeiros para investir em uma ofensiva de peso nainternet. Das 60 empresas selecionadas, somente 31 contavam com um site de compras. Para avaliara importância do canal online para esses operadores, analisou-se o tráfego (usando como fontes osserviços do Alexa.com e do Googletrends), relacionando-o com o nível de vendas totais. enquanto osvarejistas brasileiros obtêm 492 páginas vistas para cada us$ 1 mil em venda total de cada operador,os argentinos sequer chegam a duas páginas. esse é umsinal de que, na Argentina, o tráfego de pessoas nas lojas Alternativas ao dinheirofísicas continua sendo mais relevante. Evolução histórica dos componentes bancários na América Latina Cartões de crédito (mil) Nesse indicador também se incorporou a possibilidade Cartões de débito (mil) Fonte: AméricaEconomía Intelligencede pagar impostos de pessoa física online, uma atividade Caixas eletrônicosque aproxima um grande número de pessoas de tarefas 400.000online mais sofisticadas. Somente Chile, México e Peru têm 350.000o que dizer nesse quesito. o restante dos países oferece 300.000ferramentas para algumas operações tributárias online, 250.000mas não a cobrança em si dos tributos, e com isso perde a 200.000oportunidade de ganhar em eficiência e difundir esse método 150.000entre a população. 100.000NovAs oPortuNiDADes 50.000o objetivo do índice e-readiness e os indicadores que o 0compõem é o de identificar os motivos da grande disparidade 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009do comércio eletrônico nos diversos países da AméricaLatina. As lacunas que separam a região dos mercadosdesenvolvidos são amplas, e, para reduzi-las, uma das premissas é acelerar o crescimento. o númerode usuários de internet na América Latina chegou a 174 milhões em 2009, uma expansão de apenas9%, quando nos anos anteriores foi de 20%. mas a região continua sendo fértil em oportunidades, e aadoção de tecnologias móveis abre espaço para muitas iniciativas.
    • Estudoe-readinessna América Latina2010ANáLISE Do E-READINESS PoR PAÍSBRASIL: 0,95 CHILE: 0,63O Brasil passou a liderar O Chile é a economia Brechas do e-readiness do país em relação à Brechas do e-readiness do país em relação ào índice e-readiness na mais conectada da Amé- Espanha e à média regional Espanha e à média regionalregião. O país concentra rica Latina. Registra a Fonte: AméricaEconomía Intelligencea maior quantidade de Fonte: AméricaEconomía Intelligence maior penetração de 1,2 1,2PCs por habitante, tem banda larga da região, 1,75 1,75um dos custos mais 1,5 o maior montante de 1,5baixos de banda larga 1,25 compras online por 1,25e o uso mais estendido 1 habitante, e seu sistema 1de cartões de crédito e 0,75 bancário é o de maior 0,75débito. O aumento da 0,5 cobertura. Além disso, 0,5riqueza também está 0,25 lidera no consumo de 0,25se refletindo no uso 0 muitas tecnologias e é 0 E-READINESS Infraestrutura Sistema bancário Adoção tecnológica Força da oferta Infraestrutura Sistema bancário Adoção da oferta E-READINESS tecnológica Força Volume de mercado Volume de mercadode novas tecnologias: o país mais avançadoapesar de não contar em e-government.com a maior penetração Uma mostra disso éde celulares (95,7%), Espanha AL Brasil que 77% dos contri- Espanha AL Chileé um dos que mais buintes chilenos pagamusam banda larga móvel seus impostos pela internet. Isso é resultado do esforço das autoridades do país,(4,3%). Os varejistas têm sido agressivos em suas estratégias para internet, com iniciado há cinco anos, de aproximar a população do canal online. Entretanto, odestaque para lojas 100% online, como Submarino.com, e a versão web de lojas crescimento da banda larga móvel tem ficado aquém do esperado, e os custos detradicionais, como Americanas e Walmart. O principal desafio para o país é o de conexão subiram em relação ao dos países vizinhos, o que tem levado o governodesenvolver o governo eletrônico (e-government): o complexo sistema tributário a buscar mecanismos para reduzir o preço desse serviço.é uma dificuldade para contribuintes que desejam pagar seus impostos via web.Com vendas de mais de US$ 13 bilhões em B2C em 2009, o Brasil é o país daregião que está mais perto de alcançar o índice da Espanha.URUGUAI: 0,48 ARGENTINA: 0,46Trata-se de uma nação A Argentina é um dos Brechas do e-readiness do país em relação à Brechas do e-readiness do país em relação àpequena, mas que avan- países onde as novas Espanha e à média regional Espanha e à média regionalça rapidamente quando Fonte: AméricaEconomía Intelligence tecnologias têm a mais Fonte: AméricaEconomía Intelligencese trata de adoção de 1,2 rápida aceitação por 1,2novas tecnologias. Não 1,75 parte dos consumidores. 1,75é à toa que o Uruguai 1,5 É no mercado argentino 1,5é o país com maior uso 1,25 que a telefonia celular, a 1,25de banda larga móvel da 1 banda larga e inclusive a 1região (quase 5% em 0,75 internet móvel registram 0,752009) e registra alta taxa 0,5 algumas de suas taxas 0,5 0,25 0,25de penetração de tecno- mais altas de penetração 0 0logias complementares, latino-americana. O país, Infraestrutura Sistema bancário Adoção da oferta E-READINESS Sistema bancário Adoção E-READINESS tecnológica Força Infraestrutura tecnológica Força da oferta Volume de mercado Volume de mercadocomo PCs e celulares. porém, tem grandesAlém disso, apresenta desafios quando seum dos custos mais trata do crescimentobaixos de conexão de Espanha AL Uruguai do setor bancário, que Espanha AL Argentinabanda larga fixa, o que concentra apenas 21%reflete a preocupação do de depósitos em relaçãogoverno com infraestrutura tecnológica, atraindo muitas empresas do setor para ao PIB. Ou seja, grande parte das transações relacionadas ao consumo é feita foraoperar no país. A oferta online do setor varejista, entretanto, ainda é baixa, não do sistema financeiro. Isso tem desestimulado os grandes varejistas a desenvolverdemonstrando o mesmo ritmo de desenvolvimento do governo eletrônico. estratégias mais robustas na internet, refletindo-se ainda no maior peso relativo das operações online entre consumidores (C2C) que usam meios de pagamento, limitando o crescimento.
    • Estudo e-readiness América Latina 2010MÉXICo: 0,52 PoRTo RICo: 0,50Na terra do magnata A proximidade e a Brechas do e-readiness do país em relação àCarlos Slim, há apenas Brechas do e-readiness do país em relação à semelhança com Espanha e à média regional Espanha e à média regional77,6 celulares para cada a e c o n o m i a d o s Fonte: AméricaEconomía Intelligence Fonte: AméricaEconomía Intelligencecem habitantes (uma Estados Unidos 1,2 1,2das taxas de penetração fazem de Porto Ri- 1,75 1,75mais baixas da região), 1,5 co um país muito 1,5e somente um em cada 1,25 particular no que 1,25dez mexicanos possui 1 se refere ao co-mércio 1cartão de crédito. Esses 0,75 eletrônico, o que 0,75dois indicadores refle- 0,5 determina que grande 0,5tem o grande desafio 0,25 por-centagem dos 0,25do México em termos 0 usu-ários de internet 0 Infraestrutura Sistema bancário Adoção E-READINESS tecnológica Força da oferta Infraestrutura Sistema bancário Adoção da oferta E-READINESS tecnológica Força Volume de mercado Volume de mercadode adoção tecnológica portorriquenhos compree bancarização. O se- pela internet e, dada ator varejista do país é alta renda per capitapoderoso, mas não se Espanha AL México do país, que o montante Espanha AL Porto Ricodesenvolveu tanto no envolvido seja alto. Masmodelo online. O Walmart do México, por exemplo, não possui um site de com- o país demonstra um nível de bancarização abaixo da média latino-americana,pras, como acontece nos Estados Unidos e no Brasil. Entretanto, há motivos que carece de um varejo local poderoso e a infraestrutura não corresponde à média.justificam o quarto lugar do país no e-readiness: além da vantagem do volume de Ainda assim, Porto Rico já está se posicionando para as novas possibilidades demercado, o governo mexicano tem desenvolvido boas iniciativas de e-government. comércio, com 5% de penetração de banda larga móvel.Atualmente, algumas obrigações, como o pagamento de impostos, já podem serfeitas online. Em 2009, 420 mil mexicanos recorreram à internet para fazê-lo,sendo o maior número de contribuintes de um país da região.VENEZUELA: 0,45 CoLÔMBIA: 0,37A conectividade parece Brechas do e-readiness do país em relação à A Colômbia fechou 2009 Brechas do e-readiness do país em relação àser um item importante Espanha e à média regional com 20 milhões de Espanha e à média regionalna revolução bolivariana Fonte: AméricaEconomía Intelligence usuários de internet, Fonte: AméricaEconomía Intelligencedo presidente Hugo 1,2 entre os quais apenas 1,2Chávez. O governo tem 1,75 2 milhões possuem 1,75dedicado boa parte dos 1,5 serviço de banda larga. 1,5recursos da reestatizada 1,25 Diante desse cenário, 1,25empresa de telecomu- 1 os centros públicos 1nicações CANTV para 0,75 de conexão – como 0,75fomentar o acesso à 0,5 cibercafés, colégios e 0,5 0,25 0,25banda larga. Isso ex- empresas – ganham 0 0plica o baixo custo da importância para o Infraestrutura Sistema bancário Adoção da oferta E-READINESS tecnológica Força Infraestrutura Sistema bancário Adoção E-READINESS tecnológica Força da oferta Volume de mercado Volume de mercadoassinatura desse serviço desenvolvimento de(US$ 14 mensais) em uma cultura web. Oum dos países mais governo já deu início acaros da região, bem Espanha AL Venezuela uma série de iniciativas Espanha AL Colômbiacomo o aumento do de e-government, mas,acesso, que foi de 55% em 2009, o mais alto do hemisfério. Já o e-commerce tem por enquanto, o paga-se desenvolvido sobretudo através de compras em sites estrangeiros e operações mento de impostos só está disponível online para empresas. O país tem outrosde C2C. O governo realizou poucas iniciativas para fomentar o pagamento de importantes desafios em adoção de tecnologia: menos de dois entre cada cemserviços através da internet, e os operadores locais quase não lançaram iniciativas colombianos têm conexão de banda larga móvel, e só há um computador paraonline, debilitando a oferta local. cada 12 pessoas. Já quando se trata de meios de pagamento, apenas 16,6% têm cartão de crédito.
    • Estudo e-readiness na América Latina 2010PERU: 0,34 AMÉRICA CENTRAL: 0,29O Peru é uma das A América Central Brechas do e-readiness do país em relação àeconomias que melhor Brechas do e-readiness do país em relação à apresenta realidades Espanha e à média regional Espanha e à média regionalfuncionam na América Fonte: AméricaEconomía Intelligence diferentes, dependen- Fonte: AméricaEconomía IntelligenceLatina, característica 1,2 do do país. O sistema 1,2que será uma grande 1,75 bancário panamenho 1,75vantagem na hora de 1,5 é um dos mais fortes 1,5impulsionar o e-com- 1,25 da região. Já El Salva- 1,25merce do país. Um 1 dor e Guatemala lide- 1 0,75dos temas pendentes, 0,75 ram, em nível hemis- 0,5 0,5porém, é a adoção de férico, a penetração 0,25 0,25tecnologias. O Peru 0 da telefonia móvel. 0 Infraestrutura Sistema bancário Adoção E-READINESS tecnológica Força da oferta Volume de mercadoconta com pouco mais Entretanto, a América E-READINESS Infraestrutura Sistema bancário Adoção tecnológica Força da oferta Volume de mercadode sete celulares para Central apresenta oscada dez habitantes e indicadores de infra-menos de três assina- Espanha AL Peru estrutura e de adoção Espanha AL América Centralturas de serviços de tecnológica mais bai-banda larga por cada xos da América Latina,cem pessoas. Os usuários de banda larga móvel não chegam a 1%. O varejo o que se traduz em obstáculos ao desenvolvimento do comércio eletrônico, cujado país até agora não fez grandes esforços para vender pela web. Somente superação demanda tempo. Mesmo assim, o potencial da América Central éa rede de supermercados Wong conta com um catálogo de produtos online, grande. A integração do continente e sua proximidade logística com os Estadosiniciativa ainda pouco sofisticada. Unidos são importantes vantagens. METODOLOGIAO índice e-readiness reflete as condições que um país oferece para o desenvolvimento do comércio eletrônico. Foi desenvolvido a partir de 20 variáveis econômicas etecnológicas selecionadas por sua relevância estatística, bem como por sua importância, indicada por especialistas do setor, para o futuro crescimento do comércio eletrônico,conforme demonstrado no diagrama abaixo. Cada uma das variáveis foi analisada em um período de tempo que vai de 2001 a 2009, configurando-se uma base de dadossólida. Como as unidades de medida diferem entre os indicadores utilizados, foi preciso fazer uma reestruturação dos dados, na qual o valor 1,00 de cada indicador passoua corresponder ao valor registrado pela Espanha em 2009. Assim, passamos a usar a Espanha como referência, de forma semelhante à realizada na edição deste estudopublicada em 2008. Ou seja: um país terá um valor maior ou menor a 1,00 dependendo de como esteja em relação ao indicador que a Espanha registrava em 2009. Asfontes de informação utilizadas para este estudo foram o Banco Mundial, a Cepal (Comissão Econômica para a América Latina), o FMI (Fundo Monetário Internacional),a Cisco, a 3G Americas, a Alexa.com, as superintendências de bancos e financeiras de cada país, bem como as autoridades tributárias pertinentes.Agradecemos o apoio de cada uma das fontes que nos ajudaram a coletar essas informações, dos líderes da indústria que nos deram sua opinião para a elaboraçãometodológica, e da Visa, que promoveu o desenvolvimento deste estudo. E-readiness Volume de Sistema Adoção Força Infraestrutura Mercado Bancário Tecnológica da Oferta Telefones Cartões de Banda larga Força do Pagamento de População fixos débito móvel varejo impostos online PIB Cartões de Consumidores Número Celulares de redes per capita crédito online % de redes que vendem Usuários de Computadores Caixas Compras pela online internet pessoais automáticos internet Presença online Segmento de Assinaturas Depósitos como % 25-35 anos de banda larga do PIB Categorias de Preço da produtos internet