Trabalho Priscilla Silva

1,205 views
1,102 views

Published on

Slides do texto "O uso da Tecnologia no Ensino de Línguas Estrangeiras: breve retrospectiva histórica" de Vera Lúcia Menezes de Oliveira e Paiva

Published in: Business, Technology
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,205
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
18
Actions
Shares
0
Downloads
8
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Trabalho Priscilla Silva

  1. 1. “ O uso de tecnologias no ensino de línguas estrangeiras: breve retrospectiva histórica” Autora: Vera Lúcia Menezes de Oliveira e Paiva (UFMG/CNPq/FAPEMIG)
  2. 2. <ul><li>Universidade Federal de Goiás </li></ul><ul><li>Faculdade de Letras/CEPAE </li></ul><ul><li>Disciplina: Ensino e aprendizagem de línguas mediado por computador </li></ul><ul><li>Orientadoras: Prof. Ms. Margarida Rosa Alvares e prof. Drª. Eliane Carolina de Oliveira </li></ul><ul><li>Pós-graduanda: Priscilla Silva Menezes </li></ul>
  3. 3. 1-Introdução <ul><li>As tecnologias no mundo moderno. </li></ul><ul><li>Língua, professor, livro= adesão x crítica as novas tecnologias. </li></ul><ul><li>Rejeição, inserção, normalização. </li></ul>
  4. 4. 2-A tecnologia da escrita <ul><li>A era da escrita: </li></ul><ul><li>volumen : rolo de folhas de papiro, utilizado na vertical. </li></ul><ul><li>Códex : folhas de papiro em “páginas”, feito de pergaminhos, pedaços de peles de animais, utilizado na horizontal, alto custo. </li></ul><ul><li>Invenção da imprensa por Gutemberg (1442) – censura pela igreja e pelo estado. </li></ul><ul><li>Livro didático : censurados devido motivos políticos e econômicos. </li></ul><ul><li>Computador : censurado por alguns administradores dentro da escola devido o uso de sites indevidos, por exemplo, orkut, chat, youtube, sites pornôs e etc. </li></ul>
  5. 5. 2.1- As tecnologias no ensino de línguas <ul><li>Primeiros livros: gramáticas. </li></ul><ul><li>Professor: o único que possuía o livro didático (época medieval). </li></ul><ul><li>1578: os aprendizes tem acesso aos livros; os mesmos podem estudar sem a figura do professor. </li></ul><ul><li>Aprender língua estrangeira: aprender sintaxe da língua. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Orbis Sensualism Pictus de Comenius (1658): livro com imagens. </li></ul><ul><li>Lambert Sauver: proibição de livros, pois a escola era vista como um local para ocupar os ouvidos. </li></ul><ul><li>Função do livro: preparar os alunos para as aulas (usado previamente em casa). </li></ul>
  7. 7. 3-Tecnologias de áudio e vídeo <ul><li>Inovação tecnológica: som e vídeo </li></ul><ul><li>Primeiras máquinas: apenas som. </li></ul><ul><li>Equipamentos que projetavam imagem e som ao mesmo tempo. </li></ul><ul><li>Professor: medo de perder seu espaço para as máquinas. </li></ul><ul><li>1878: invenção do fonógrafo por Thomas Edson. </li></ul><ul><li>Gramofone: gravador a fita magnética. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>O uso de material gravado na sala de aula. </li></ul><ul><li>Ensino enfocado mais na prática oral do que nas descrições sintáticas; imitação e repetição. </li></ul><ul><li>The international Correspondence Schools of Scranton: primeiro material gravado em 1901 e 1902. </li></ul><ul><li>Cartoons e filmes produzidos por Walt Disney para o ensino de inglês básico. </li></ul><ul><li>Final dos anos 50: criação de laboratórios – idéia fracassada uma vez que novos conceitos de língua e metodologias surgiram, por exemplo, atividades interativas em pares e em grupos. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Rádio: pouca influencia na escola; sucesso na educação a distância. </li></ul><ul><li>Exemplos: BBC lança aulas de inglês; Voice of America nos EUA. </li></ul><ul><li>1926: John Baird cria a TV; esta chega no Brasil em 1950. Ex: Telecurso da fundação Roberto Marinho na rede Globo. </li></ul><ul><li>1993: vários cursos de línguas estrangeiras em canais abertos na TV e no rádio, na China. </li></ul><ul><li>TV: usada como parte do material didático. </li></ul><ul><li>CD-Roms, DVDs. </li></ul><ul><li>Livro, som e imagem: input menos artificial. </li></ul>
  10. 10. 4 - O computador <ul><li>Surgiu para atender aos interesses do governo americano. Ex: Arpanet – transmissão de dados de um computador para outro (Guerra Fria). </li></ul><ul><li>A estrutura física do computador; tamanhos. </li></ul><ul><li>1960: o ensino de línguas por meio de computador surgiu com o projeto PLATO (programmed logic for automatic teaching operations) na universidade de Illinois. </li></ul><ul><li>Tutor: desenvolvimento de exercícios de gramática e vocabulário com feedback automático. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>Década de 80: PCs, computadores pessoais. </li></ul><ul><li>Inglaterra: softwares que estimulam a escrita. </li></ul><ul><li>Rede nacional de pesquisa (RNP): criado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) – acesso à rede mundial de computadores. </li></ul><ul><li>BBS (Bulletin Board System): similar a máquinas de escrever. </li></ul><ul><li>1994: acesso público com provedores particulares. </li></ul><ul><li>1997: chegada da WWW – página de internet, emails, chats, fóruns (experiências lingüísticas não artificiais; língua como comunicação). </li></ul>
  12. 12. <ul><li>1995: criação da ESL Café por David Sperling – página de material gratuito para estudantes, como exercícios, dicionários, projetos e etc. </li></ul><ul><li>Evolução rápida: ICQ substituido por MSN com vídeo e áudio. </li></ul><ul><li>Web2: consumidor passa a ser produtor de conteúdos. Ex.: blogs, orkut, youtube, wikipédia e etc. </li></ul><ul><li>Uso da língua em experiências diversificadas de comunicação. </li></ul><ul><li>Aprendiz: autor de textos, áudios e vídeos. </li></ul>
  13. 13. 5- Rumo à normalização <ul><li>Pennington (1996): socialização do computador devido a redução do tamanho, acessibilidade econômica; designs atrativos, mudanças de atitude das pessoas e etc. </li></ul><ul><li>Sete fases da socialização do computador na educação: </li></ul><ul><li>1ª: cálculos matemáticos por cientistas. </li></ul><ul><li>2ª:acesso por professores e alunos de instituições de prestígio. </li></ul>
  14. 14. <ul><li>3ª:acesso de toda a esfera educacional inclusive as escolas públicas. </li></ul><ul><li>4ª:objeto de massa, atinge as classes média. </li></ul><ul><li>5ª:parte da prática pedagógica. </li></ul><ul><li>6ª:crianças se tornam digitalmente letradas. </li></ul><ul><li>7ª: acesso não apenas as informações como também as pessoas. </li></ul>
  15. 15. 6- Concluindo <ul><li>Governo: universalização do acesso à tecnologia, porém as reações ao computador ainda são fortes. </li></ul><ul><li>2008: distribuição de computadores pela secretária de Educação do Rio de Janeiro. </li></ul><ul><li>Questionamento pelos professores: preferência por aumento de salários do que o uso de novas tecnologias em suas salas de aula. </li></ul>
  16. 16. <ul><li>2008: no dia 8 de maio deste ano em São Paulo, a imprensa brasileira divulgou o lançamento do projeto Acessa Escola com a contratação de monitores para manter os laboratórios de informática das escolas estaduais abertos das 8 horas às 20 horas, possibilitando ao aluno acesso a internet. </li></ul><ul><li>A iniciativa transforma os laboratórios escolares em “lan houses” e demonstra a força dessa tecnologia. </li></ul>
  17. 17. <ul><li>Apoio do governo para a socialização do computador. </li></ul><ul><li>2006: o ministério da educação implantou projeto “Um aluno para cada computador”; o objetivo era implantar o projeto em 300 escolas até o final de 2008. </li></ul><ul><li>Livro e computadores: não farão milagres no processo de aprendizagem. </li></ul><ul><li>O sucesso de aquisição de uma língua estrangeira depende da inserção do aprendiz em atividades de prática social da linguagem, e dependendo do uso de que se faz da tecnologia, apenas se estará reproduzindo velhos modelos encontrados nos mais antigos livros didáticos. </li></ul>
  18. 18. 7- Referências <ul><li>PAIVA, V.L.M.O. O uso da tecnologia no ensino de línguas estrangeiras: breve retrospectiva histórica (submetido à  publicação) 2008 disponível em http://www.veramenezes.com/techist.pdf </li></ul>

×